Ifrs Alissondcs Desenhotec Cap02

Click here to load reader

  • date post

    19-Nov-2015
  • Category

    Documents

  • view

    226
  • download

    1

Embed Size (px)

description

Desenho 1 aula 2

Transcript of Ifrs Alissondcs Desenhotec Cap02

  • Figuras geomtricasProfessor: Alisson Dalsasso Corra de SouzaDisciplina: Desenho Tcnico I

    *

  • IntroduoAs figuras geomtricas foram criadas a partir da observao das formas existentes na natureza e dos objetos produzidos pelo homem.Todos os objetos, mesmo os mais complexos, podem ser associados a um conjunto de figuras geomtricas.Facilidade para ler e interpretar desenhos tcnicos mecnicos quando se for capaz de relacionar objetos e peas da rea da Mecnica s figuras geomtricas.

    *

  • Figuras geomtricas elementaresPonto:Exemplos de forma: marca deixada pelo toque do lpis sobre o papel, estrela no cu.O ponto a figura geomtrica mais simples.No tem dimenso: no tem comprimento, nem largura, nem altura.No desenho, o ponto determinado pelo cruzamento de duas linhas.Para identific-lo, usamos letras maisculas do alfabeto latino.

    *

  • Figuras geomtricas elementaresLinha:Exemplos de forma: fios que unem os postes de eletricidade ou o trao do movimento da ponta de um lpis sobre uma folha de papel.A linha tem uma nica dimenso: o comprimento.Pode-se imaginar a linha como um conjunto infinito de pontos dispostos sucessivamente. O deslocamento de um ponto tambm gera uma linha.

    Linha reta ou reta:Exemplo de forma: um fio bem esticado.A reta ilimitada: no tem incio nem fim.As retas so identificadas por letras minsculas do alfabeto latino.

    *

  • Figuras geomtricas elementaresSemi-reta:Tomando um ponto qualquer de uma reta, dividimos a reta em duas partes, chamadas semi-retas. A semi-reta sempre tem um ponto de origem, mas no tem fim.Segmento de reta:Tomando dois pontos distintos sobre uma reta, obtemos um pedao limitado de reta. Os pontos que limitam o segmento de reta so chamados de extremidades.

    *

  • Figuras geomtricas elementaresPlano:Exemplos de forma: uma parede ou o tampo de uma mesa.Pode-se imaginar o plano como sendo formado por um conjunto de retas dispostas sucessivamente numa mesma direo.O plano ilimitado: no tem comeo nem fim.Apesar disso, no desenho, costuma-se represent-lo delimitado por linhas fechadas.Para identificar o plano usamos letras gregas. O plano tem duas dimenses: comprimento e largura.

    *

  • Posies da reta e do plano no espaoA reta e o plano podem estar em posio vertical, horizontal ou inclinada.Exemplos: Um tronco boiando sobre a superfcie de um lago nos d a idia de uma reta horizontal. O pedreiro usa o prumo para verificar a verticalidade das paredes.

    *

  • Figuras geomtricas planasUma figura qualquer plana quando todos os seus pontos situam-se no mesmo plano.Algumas figuras geomtricas planas so formas que se encontram com muita frequncia em desenhos mecnicos.As apresentas abaixo so de grande interesse para nosso estudo.As figuras planas com 3 ou mais lados so chamadas polgonos.

    *

  • Figuras geomtricas planasUma figura qualquer plana quando todos os seus pontos situam-se no mesmo plano.Algumas figuras geomtricas planas so formas que se encontram com muita freqncia em desenhos mecnicos.As apresentas abaixo so de grande interesse para nosso estudo.As figuras planas com 3 ou mais lados so chamadas polgonos.

    *

  • Slidos geomtricosQuando uma figura geomtrica tem pontos situados em diferentes planos, temos um slido geomtrico slido.Os slidos geomtricos tm trs dimenses: comprimento, largura e altura.Os slidos geomtricos so separados do resto do espao por superfcies que os limitam, que podem ser planas ou curvas. muito importante que se conhea bem os principais slidos geomtricos porque, por mais complicada que seja, a forma de uma pea sempre vai ser analisada como o resultado da combinao de slidos geomtricos ou de suas partes.

    *

  • Slidos geomtricosPrismas:O prisma um slido geomtrico limitado por polgonos.Pode-se imagin-lo como uma pilha de polgonos iguais muito prximos uns dos outros.Exemplos: prisma retangular, prisma triangular, prisma quadrangular, cubo.

    *

  • Slidos geomtricos

    *

  • Slidos geomtricosRelao de Euler: V + F = A + 2

    *

  • Slidos geomtricosPirmides:A pirmide outro slido geomtrico limitado por polgonos.Pode-se imagin-la como um conjunto de polgonos semelhantes, dispostos uns sobre os outros, que diminuem de tamanho indefinidamente.Outra maneira de imaginar a formao de uma pirmide consiste em ligar todos os pontos de um polgono qualquer a um ponto P do espao.

    *

  • Slidos geomtricosPirmides:O nome da pirmide depende do polgono que forma sua base. Exemplos: pirmide quadrangular, pirmide triangular.Cada lado do polgono da base tambm uma aresta da pirmide.

    *

  • Slidos geomtricos

    *

  • Slidos geomtricos

    *

  • Slidos de revoluoAlguns slidos geomtricos, chamados slidos de revoluo, podem ser formados pela rotao de figuras planas em torno de um eixo.Rotao significa ao de rodar, dar uma volta completa.A figura plana que d origem ao slido de revoluo chama-se figura geradora.Exemplos de slidos de revoluo, a seguir analisados: cilindro, cone e esfera.

    *

  • Slidos de revoluoCilindro:O cilindro um slido geomtrico, limitado lateralmente por uma superfcie curva.Pode-se imaginar o cilindro como resultado da rotao de um retngulo ou de um quadrado em torno de um eixo que passa por um de seus lados.A figura plana que forma as bases do cilindro o crculo.Note que o encontro de cada base com a superfcie cilndrica forma as arestas.

    *

  • Slidos de revoluoCone:O cone tambm um slido geomtrico limitado lateralmente por uma superfcie curva.A formao do cone pode ser imaginada pela rotao de um tringulo retngulo em torno de um eixo que passa por um dos seus catetos.A figura plana que forma a base do cone o crculo.O vrtice o ponto de encontro de todos os segmentos que partem do crculo.O encontro da superfcie cnica com a base d origem a uma aresta.

    *

  • Slidos de revoluoEsfera:A esfera tambm um slido geomtrico limitado por uma superfcie curva chamada superfcie esfrica. Podemos imaginar a formao da esfera a partir da rotao de um semicrculo em torno de um eixo, que passa pelo seu dimetro.O raio da esfera o segmento de reta que une o centro da esfera a qualquer um de seus pontos.Dimetro da esfera o segmento de reta que passa pelo centro da esfera unindo dois de seus pontos.

    *

  • Slidos geomtricos truncadosQuando um slido geomtrico cortado por um plano, resultam novas figuras geomtricas: os slidos geomtricos truncados.

    *

  • Slidos geomtricos vazadosOs slidos geomtricos que apresentam partes ocas so chamados slidos geomtricos vazados.Exemplo: para obter o cilindro vazado com um furo quadrado da figura, foi necessrio extrair um prisma quadrangular do cilindro original.

    *

  • Slidos geomtricos vazados

    *

  • Comparando slidos geomtricose objetos da rea da MecnicaAs relaes entre as formas geomtricas e as formas de alguns objetos da rea da Mecnica so evidentes e imediatas.H casos em que os objetos tm formas compostas ou apresentam vrios elementos.Nesses casos, para entender melhor como esses objetos se relacionam com os slidos geomtricos, necessrio decomp-los em partes mais simples.Imaginando o rebite decomposto em partes mais simples, observa-se que ele formado por um cilindro e uma calota esfrica (esfera truncada).

    *

  • Comparando slidos geomtricose objetos da rea da Mecnica

    *

  • Comparando slidos geomtricose objetos da rea da Mecnica

    *

  • Comparando slidos geomtricose objetos da rea da MecnicaExiste outro modo de relacionar peas e objetos com slidos geomtricos: a retirada de formas geomtricas de um modelo simples (bloco prismtico) d origem a outra forma mais complexa.Nos processos industriais o prisma retangular o ponto de partida para a obteno de um grande nmero de objetos e peas.

    *

  • Comparando slidos geomtricose objetos da rea da Mecnica

    *

  • Comparando slidos geomtricose objetos da rea da Mecnicaretangular

    *

  • Exerccios

    *Incluir um slide com o resumo da aula. Uma tabela com a figura das bombas e falando vantagens e desvantagens de cada uma (contaminao do leo, rudo, custo, variao de vazo e compensao de presso).

  • Exerccios

    *Incluir um slide com o resumo da aula. Uma tabela com a figura das bombas e falando vantagens e desvantagens de cada uma (contaminao do leo, rudo, custo, variao de vazo e compensao de presso).

  • Exerccios

    *Incluir um slide com o resumo da aula. Uma tabela com a figura das bombas e falando vantagens e desvantagens de cada uma (contaminao do leo, rudo, custo, variao de vazo e compensao de presso).

  • Exerccios

    *Incluir um slide com o resumo da aula. Uma tabela com a figura das bombas e falando vantagens e desvantagens de cada uma (contaminao do leo, rudo, custo, variao de vazo e compensao de presso).

  • Exerccios

    *Incluir um slide com o resumo da aula. Uma tabela com a figura das bombas e falando vantagens e desvantagens de cada uma (contaminao do leo, rudo, custo, variao de vazo e compensao de presso).

  • Exerccios

    *Incluir um slide com o resumo da aula. Uma tabela com a figura das bombas e falando vantagens e desvantagens de cada uma (contaminao do leo, rudo, custo, variao de vazo e compensao de presso).

  • Exerccios

    *Incluir um slide com o resumo da aula. Uma tabela com a figura das bombas e falando vantagens e desvantagens de cada uma (contaminao do leo, rudo, custo, variao de vazo e compensao de presso).

  • Exerccios

    *Incluir um slide com o resumo da aula. Uma tabela com a figura das bombas e falando vantagens e desvantagens de cada uma (contaminao do leo, rudo, custo, variao de vazo e compensao de presso).

  • Bibliografia

    Bibliografia Bsica:BARETA, Deives Roberto; WEBER, Jane. Fundamentos do desenho tcnico mecnico. Caxias do Sul: EDUCS, 2010.MANFE, Giovanni; POZZA Rino; SCARATO, Giovanni. Desenho tcnico mecnico: curso completo para as escolas tcnicas e ciclo bsico das faculdades de engenharia. So Paulo: Hemus, 2004. 3v.SILVA, Arlindo et al. Desenho tcnico moderno. Rio de Janeiro: LTC, 2006.

    Bibliografia Complementar:FISCHER, Ulrich et al. Manual de tecnologia metal mecnica. So Paulo: Edgard Blucher, 2008.LEAKE, James; BORGERSON, Jacob. Manual de desenho tcnico para engenharia: desenho, modelagem e visualizao. Rio de Janeiro: LTC, 2010.PROVENZA, Francesco. Desenhista de mquinas. So Paulo: Pro-Tec, 1996.SILVA, Jlio Cssar et al. Desenho tcnico mecnico. 2. ed. rev. e ampl. Florianpolis: UFSC, 2009. 116 p.SPECK, Henderson Jos.; PEIXOTO, Virglio Vieira. Manual bsico de desenho tcnico. 5. ed. rev. Florianpolis: UFSC, 2009. 203p.TELECURSO 2000 Profissionalizante. MECNICA - Leitura e Interpretao de Desenho Tcnico Mecnico. Editora Globo.

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *

    *Incluir um slide com o resumo da aula. Uma tabela com a figura das bombas e falando vantagens e desvantagens de cada uma (contaminao do leo, rudo, custo, variao de vazo e compensao de presso).*Incluir um slide com o resumo da aula. Uma tabela com a figura das bombas e falando vantagens e desvantagens de cada uma (contaminao do leo, rudo, custo, variao de vazo e compensao de presso).*Incluir um slide com o resumo da aula. Uma tabela com a figura das bombas e falando vantagens e desvantagens de cada uma (contaminao do leo, rudo, custo, variao de vazo e compensao de presso).*Incluir um slide com o resumo da aula. Uma tabela com a figura das bombas e falando vantagens e desvantagens de cada uma (contaminao do leo, rudo, custo, variao de vazo e compensao de presso).*Incluir um slide com o resumo da aula. Uma tabela com a figura das bombas e falando vantagens e desvantagens de cada uma (contaminao do leo, rudo, custo, variao de vazo e compensao de presso).*Incluir um slide com o resumo da aula. Uma tabela com a figura das bombas e falando vantagens e desvantagens de cada uma (contaminao do leo, rudo, custo, variao de vazo e compensao de presso).*Incluir um slide com o resumo da aula. Uma tabela com a figura das bombas e falando vantagens e desvantagens de cada uma (contaminao do leo, rudo, custo, variao de vazo e compensao de presso).*Incluir um slide com o resumo da aula. Uma tabela com a figura das bombas e falando vantagens e desvantagens de cada uma (contaminao do leo, rudo, custo, variao de vazo e compensao de presso).*