IMPROVISAÇÃO MODAL

of 7/7
COM ACESSO A VIDEOAULA IMPROVISAÇÃO MODAL IMPROVISANDO SEM MISTÉRIOS CURSO ONLINE
  • date post

    25-Mar-2022
  • Category

    Documents

  • view

    12
  • download

    4

Embed Size (px)

Transcript of IMPROVISAÇÃO MODAL

Sem título-1IMPROVISANDO SEM MISTÉRIOS CURSO ONLINE
Com mais de 30 anos dedicados a guitarra, Edu Ardanuy conquistou destaque em seus projetos.
Com o Dr. Sin, participou de grandes festivais como Hollywood Rock, Monsters of Rock, M 2000 Summer Concert, Skol Rock, Live’n’Louder, Rock in Rio. Também participou de shows ao lado de músicos e bandas como Steve Vai, Dream Theater, Kiss, AC/DC e Yngwie Malmsteen.
Integrou o projeto "Tritone", um trio de guitarras instru- mental, consolidou uma carreira solo e hoje, além de seus trabalhos autorais, também faz parte da banda "Sinistra".
Lançou videoaulas com foco didático e marcou presença em capas das principais revistas sobre guitarra, como Guitar Player, Cover Guitarra, Guitar Class, Guitarload entre outras, além de sites especializados.
EDU ARDANUY
www.EDUARDANUY.com.br TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Esse tipo de harmonia pode caracterizar qualquer modo em particular enfatizando sua sonoridade, e se torna um complemento para harmonia tonal que apenas enfatiza o Iº (jônio) e o VIº (eólio) graus.
A sobreposição de tríades é muito eficiente para construir harmonias modais com aproveitamento total das extensões de cada modo. O que é sobreposição? Sobreposição é quando tocamos o acorde de F por exemplo e colocamos o baixo em G (F/G). O baixo em G define a tônica e a tríade de F acaba gerando os intervalos de 7ª menor, 9ª maior e 11ª justa criando o acorde de Gsus7(9). Partindo dessa ideia podemos construir uma série de acordes apenas sobrepondo tríades. A princípio vamos usar apenas duas tríades, do IVº e Vº graus do campo harmônico maior e sobrepor as mesmas com o baixo estático na tônica de qualquer um dos modos. O que é preciso para caracterizar um modo pela harmonia? Mostrar duas coisas: Seu tipo (sua tríade) ou seja, sua terça e quinta e secundariamente seu intervalo característico. Exemplo: O modo dórico é menor e tem a 6ª maior como característica, o frígio também é menor mas tem a 9ª menor como característica, o modo lídio é maior e tem a 4ª aumentada como característica e o mixolídio que também é maior mas tem a 7ª menor com característica. Essas duas tríades (IVº e Vº graus) estrategicamente somam esses elementos quando sobrepostas. Observando o campo harmônico de C em tríades:
I II III IV V VI VII C Dm Em F G Am Bm(5b)
Tríades alvo
Construindo um Vamp para Dm dórico: Para compreender melhor o sistema relacione as notas do modo com seus respectivos intervalos. Exemplo: Intervalos : T 2 3b 4 5 6 7
D dórico: D E F G A B C
Tríades em questão: F G Notas que formam as tríades: (F A C ) (G B D) Relacionando os intervalos: (3b 5 7) (4 6 T)
Observe que a tríade de F soma a 3ª menor, 5ª justa e 7ª menor e define o Dm7 e a tríade de G mostra a 6ª maior que é a característica do do modo dórico.
F/D = Dm7 G/D
As outras tríades do campo harmônico também funcionam, a do Iº grau por exemplo é estratégica para os modos jônio e eólio porque tem a 3ª e a 5ª dos mesmos. Para modos que não tem notas a serem evitadas (avoid notes) como o dórico e lídio podemos sobrepor todas as tríades do campo. Naturalmente a tríade do próprio modo será uma opção natural para harmoniza-lo. Mas o fato é que as tríades do IVº e Vº graus são uma forma muito simples, eficiente e musical para fazer harmonias modais.
51
Sobrepondo com o baixo em D:
Construindo um Vamp para E frígio: Relacione as notas do modo com seus respectivos intervalos. Exemplo: Inter valos: T 2b 3b 4 5 6b 7
E frígio - E F G A B C D
Tríades em questão: F G Notas que formam as tríades: (F A C ) (G B D) Relacionando os intervalos: ( 2b 4 6b) (3b 5 7)
Observe que a tríade de G (Vº) soma a 3ª menor, 5ª justa e 7ª menor e define o Em7 e a tríade de F (IVº) mostra a 2ª menor que é a característica do modo frígio.
G/E = Em7 F/E
Aplicação de tríades na construção de harmonias modais:
Harmonia Modal (VAMP)
www.EDUARDANUY.com.br TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Construindo um Vamp para F lídio: Relacione as notas do modo com seus respectivos intervalos. Exemplo: Inter valos: T 2 3 4# 5 6 7M
D dórico - F G A B C D E
Tríades em questão: F G Notas que formam as tríades: (F A C) (G B D) Relacionando os intervalos: (T 3 5) (2 4# 6)
Observe que a tríade de F (IVº) soma a tônica, 3ª maior e 5ª justa que é o próprio o F maior, e a tríade de G (Vº) mostra a 4ª aumentada que é a característica do modo lídio.
F G/F
Sobrepondo com o baixo em F:
Construindo um Vamp para G mixolídio: Relacione as notas do modo com seus respectivos intervalos. Exemplo: Inter valos: T 2 3 4 5 6 7
G mixolídio - G A B C D E F
Tríades em questão: F G Notas que formam as tríades: (F A C ) (G B D) Relacionando os intervalos: ( 7 9 11) (T 3 5)
Observe que a tríade de G (Vº) soma a tônica, 3ª maior e 5ª justa que é o próprio G maior, e a tríade de F (IVº) mostra a 7ª menor que é a característica do modo mixolídio.
G F/G
Sobrepondo com o baixo em G:
Construindo um Vamp para C jônio: Relacione as notas do modo com seus respectivos intervalos. Exemplo: Inter valos: T 2 3 4 5 6 7M
C jônio - C D E F G A B
Tríades em questão: C F G Notas que formam as tríades: (C E G) (F A C) (G B D) Relacionando os intervalos: ( 4 6 T) (5 7M 9)
Observe que a tríade de C (Iº) soma a tônica, 3ª maior e 5ª justa que é o próprio C maior, a tríade de F (IVº) soma a 4ª justa, 6ª maior e tônica, e a tríade de G (Vº) soma a 5ª justa 7ª maior e 9ª maior. Somando as 3 tríades temos todas as notas do modo.
C G/C F/C G/C
(T 3 5)
Nesse caso podemos utilizar a tríade do C (Iº grau) também por ser a própria do modo jônio.
Construindo um Vamp para Am eólio: Relacione as notas do modo com seus respectivos intervalos. Exemplo: Inter valos: T 2 3b 4 5 6b 7
A eólio - C D E F G A B
Tríades em questão: C F G Notas que formam as tríades: (C E G) (F A C) (G B D) Relacionando os intervalos: ( 6b T 3b) (7 9 11)
Observe que a tríade de C (Iº) soma a 3ª menor, 5ª justa e 7ª menor definindo o Am7, a tríade de F (IVº) soma a 6ª menor, tônica e 3ª menor, e a tríade de G (Vº) soma a 7ª menor, 9ª maior e 11ª justa. Somando as 3 tríades temos todas as notas do modo.
C/A = Am7 F/A G/A
(3b 5 7)
A tríade do C (Iº grau) também é conveniente para o modo eólio por somar a 3ª menor, 5ª justa e 7ª menor.
Harmonia Modal (Vamp)
www.EDUARDANUY.com.br TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Dm7 G/D G/DDm7
Em7 F/E F/EEm7
F G/F G/FF
G F/G F/GG
1212
Aqui vamos enfatizar pela harmonia cada modo do campo harmônico de dó maior individualmente, utilizando apenas dois acordes, as tríades do IV (F) e V (G) graus do campo harmônico. Também podemos chamar esse conceito de vamp. Aplicando a escala de dó maior sobre cada um desses vamps teremos a sonoridade individual de cada modo.
T
T
www.EDUARDANUY.com.br TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Escala de DRaiz: 3º)
7 13 5 3 T Intervalos: 1º)
Bm6)#maj7(11bBA7(13)
Escala de FRaiz: 3º)
lídio (IV°)bModo: B2º)
5 7M 11# 3 T Intervalos: 1º)
2º passo: Associar o modo (escala) compatível com o acorde, em alguns casos teremos mais de uma possibilidade. Para realizar o 2º passo é necessário conhecer os padrões de intervalos dos modos.
3º passo: Associar o campo harmônico de cada acorde, calcular a origem (raiz) de sua escala. Exemplo: G mixolidio é o Vº grau da escala de C, portanto C é seu campo harmônico, sua origem (raiz). Associar o campo harmônico é importante pois abre muitas possibilidades na escolha de outros elementos, como: Arpejos e escalas pentatônicas.
6
1º passo: Observar a estrutura de intervalos de cada acorde, é necessário compreender acordes por cifras, suas tríades e extensões.
Escala de ERaiz: 3º)
(6 9 11# ) 5 3 T Intervalos: 1º)
Cm7 Db /CA B/A
Escala de AbRaiz: 3º)
5 b 3T Intervalos: 1º) (6b 9b 11)
É muito comum fazer harmonias modais usando acordes de tríades sobrepostas, nesse caso devemos ter mais atenção com a análise, porque os intervalos não estão evidentes na cifra dos acordes. Observando o 1º compasso do exemplo abaixo temos um acorde de A (T 3ª 5ª) e um acorde de B com o baixo em A (B/A), calculando os intervalos que as notas do acorde de B está somando para tônica A encontramos o modo do acorde. Relacionando as notas do acorde de B : B (2/9), D# (4#/11#) e F# (6/13). Concluímos que é um A lídio por ser maior e ter a 4#, intervalo característico do modo lídio. Usando o mesmo critério para os acordes Cm7 (T 3b 5 7) e Db/C que se encontram no 3º compasso, relacionamos as notas do acorde de Db a tônica C para encontrar seus intervalos: Db (2b/9b), F (4/11) e Ab (6b/13b). Concluímos
que é um C frígio, por ser menor e ter a 9b, intervalo característico do modo frígio.
Harmonia
Exemplo de análise de harmonia modal:
Improvisando sem mistérios Improvisando sem mistérios
www.EDUARDANUY.com.br TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Improvisando sem mistérios Improvisando sem mistérios
www.EDUARDANUY.com.br TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Improvisação Modal
Clique na foto abaixo para acessar a aula completa sobre Improvisação Modal, tema dessa apostila.
Acompanhe também o meu trabalho nas redes sociais:
Metodologia p/ obter precisão c/ a técnica de palheta alternada PALHETA
ALTERNADA PALHETA ALTERNADA
Problemas com metrônomo, velocidade e sincronismo na hora de palhetar? Clique aqui!
Tudo o que você precisa para criar seus solos de improviso. “Improvisando Sem Mistérios”Improvisando
sem mistérios Improvisando sem mistérios
Improvisar com fluência e livre de shapes? Clique aqui!