InforANDES Agosto 2014

download InforANDES Agosto 2014

of 16

  • date post

    02-Apr-2016
  • Category

    Documents

  • view

    212
  • download

    0

Embed Size (px)

description

 

Transcript of InforANDES Agosto 2014

  • Informativo N 37

    Braslia (DF) Agosto de 2014InformANDES

    SINDICATO NACIONAL DOS DOCENTES DAS INSTITUIES DE ENSINO SUPERIOR - ANDES-SN

    Os gritos unssonos de 10% do PIB para a Edu-cao Pblica, J! marcaram o trmino do En-contro Nacional de Educao (ENE), realizado no Rio de Janeiro, entre os dias 8 e 10 de agosto. O encontro, que reuniu mais de duas mil pesso-as, vindas de todas as regies do pas, foi aberto com uma

    grande marcha no centro da capital fluminense. Durante os debates, ficou evidente a necessidade de unificar e interna-cionalizar as lutas para barrar a mercantizao da Educao. Na avaliao de diversos participantes, o ENE representa um novo marco na unidade em defesa da educao pblica. Con-fira a cobertura. 6 a 13

    Encontro Nacional define plataforma de lutas em defesa da Educao Pblica

    Entidades unificam a luta em defesa dos direitos na aposentadoria 3

    59 Conad marca incio da gesto 2014/2016 do ANDES-SN 4 e 5

    Israel x Palestina: a gnese do conflito 14 a 16

    ADU

    FF/L

    uiz

    Fern

    ando

    Nab

    uco

  • InformANDES/20142

    EXPEDIENTEO Informandes uma publicao do ANDES-SN // site: www.andes.org.br // e-mail: imprensa@andes.org.brDiretor responsvel: Luiz Henrique SchuchRedao: Renata Maffezoli MTb 37322, Nayane Taniguchi MTb 8228, Mathias Rodrigues MTb 10126/PR e Paola Rodrigues // Edio: Renata MaffezoliFotos: Renata Maffezoli // Infogrfi cos: Paola Rodrigues // Diagramao: Ronaldo Alves 5103 DRT-DF

    Editorial

    quase imposs-vel reproduzir o clima esfuziante do Encontro Nacional de Educao, ocorrido no Rio de Janeiro entre os dias 8 a 10 de agosto.

    Milhares de jovens, um grande nmero de professores e trabalha-dores da educao de sindicatos e movimen-tos sociais diversos acorreram a essa mani-festao de retomada e revigoramento do caminho para uma educao que atenda s exigncias histricas dos trabalhadores, isto , feita por eles, molda-da pela cultura do trabalho, de solidariedade e respeito a esses que so os sujeitos, os verdadeiros e nicos cons-trutores da sociabilidade humana.

    A submisso da educao aos interesses do capital assume um papel estratgico para o seu triunfo incontes-te, favorecido pelas alianas com setores cooptados, apa-rentemente modernos ou ditos progressistas, tambm se declarando contra o neoliberalismo, mas que, sabemos ns, nada mais so do que reprodutoras de formas anti -gas de dominao, ajustadas para atender aos mesmos propsitos de explorao, agora mais sofi sti cados ainda para corresponder s exigncias da diviso internacional do trabalho: de um lado, os donos do saber e da cincia, que tm a chave dos nossos desti nos; de outro, a imensa maioria dos que so considerados por eles menos dota-

    dos, os deserdados e atrasados, que devem ser treinados para servir ao capital, traba-lhando, consumindo e conformando-se com a lgica dessa explo-rao.

    Essa corrente tem que ter os elos rompi-dos. Foi essa a men-sagem principal do Encontro Nacional de Educao.

    Para tanto, foi apon-tada a necessidade de se estabelecer uma

    agenda de lutas, que arti cule os trabalhadores, e faa avanar para a hegemonia um Plano de Educao real-mente pblico, excludos os interesses mercadolgicos e a fi nalidade exploradora e escravizadora do capitalismo, um plano que esteja exclusivamente sob o controle dos trabalhadores.

    Esse deve ser o objeti vo de todas as foras sindicatos e movimentos sociais. Se a educao a porta de entra-da para dominao e reproduo do capital, para ns, trabalhadores, o principal instrumento de libertao para a construo de uma nova sociedade.

    Unir foras, fazer esse combate ideolgico e ganhar essa terra a parti r desse momento especial que estamos vivendo deve ser conti nuao da nossa trajetria para que nos reconheamos como seres humanos. isto que ensinam os trabalhadores. Esta a educao que quere-mos alcanar!.

    Pensar coletivamente fortacele nossa luta.Um a mais muito mais.

    Filie-se ao ANDES-SN.

    Educao pblica, gratuita e de qualidade.

  • Em mais uma demonstrao de mobi-lizao e integrao, enti dades pro-tagonistas na defesa dos direitos na aposentadoria do servio pblico, entre elas o ANDES-SN, e dos trabalhado-res do regime geral do pas, promoveram a unifi cao das lutas em uma iniciati va indita. No dia 5 de agosto, o Insti tuto Mosap (Movimento dos Servidores Pblicos Aposentados e Pensionistas) e a Cobap (Confederao Brasileira de Aposentados, Pensionistas e Idosos) realizaram o lana-mento do Movimento Unifi cado dos Idosos, Aposentados e Pensionistas do Servio Pblico e do INSS (UNA-SE), no Congresso Nacional, em Braslia.

    O Movimento, que ofi cializa a unifi cao das aes desenvolvidas por essas enti da-des, tem como objeti vo fortalecer a luta pela garanti a dos direitos na aposentadoria, independente do vnculo empregat cio. Duas grandes bandeiras, historicamente defendida pelas enti dades, so prioritrias para o UNA-SE: a aprovao imediata da PEC 555/2006, que prev a exti no da contribuio previdenciria dos proventos de aposentados e pensionistas do setor pblico, e do PL 4434/2008, que prev o reajuste dos benef cios manti dos pelo Regime Geral da Previdncia Social e o ndice de correo previdenciria.

    De acordo com o UNA-SE, a iniciati va j conta com o apoio de 40 milhes de pessoas. O lanamento contou com a parti -cipao de dezenas de parlamentares, que mais uma vez manifestaram apoio luta das enti dades e destacaram a iniciati va.

    important ssima essa unidade para a luta dos aposentados e pensionistas do servio pblico e do INSS. A luta em defesa dos direitos na aposentadoria, indepen-

    dente do local onde eles esto. Acredito que, com esta integrao, se consiga realmente aprovar projetos de interesses dos trabalhadores aposentados, afi rma o encarregado de Assuntos de Aposentadoria do ANDES-SN, Almir Menezes Filho.

    Durante o lanamento, o presidente do Mosap, Edison Guilherme Haubert, res-saltou a importncia da unidade da luta. A fi nalidade hoje convencermos a ns, servidores pblicos e trabalhadores do regime geral, que somos uma nica fora, e que daqui para frente seremos uma nica fora. Queremos a aprovao imediata dessas duas matrias para fazer justi a, e tambm derrubar o fator previdencirio, que ati nge a todos ns.

    Agenda de mobilizaesAlm da ati vidade realizada em Braslia

    no dia 5, uma agenda de mobilizaes prev aes no Rio de Janeiro (16 de agosto), Porto Alegre (21 de agosto), So Paulo (28 de agosto) e Natal (19 de setembro). Com este esforo concentra-do para agosto e setembro, buscaremos intensifi car a mobilizao para a aprova-o destes projetos, momento em que o governo tambm tem tentado aprovar projetos de seu interesse, afi rma o diretor do ANDES-SN.

    InformANDES/2014 3Aposentadoria

    dos direitos na aposentadoria, indepen- do ANDES-SN.

    Entidades unifi cam a luta em defesados direitos na aposentadoria

    Movimento Uni cado dos Idosos, Aposentados e Pensionistas do Servio Pblico e do INSS, UNA-SE lanado em Braslia com duas bandeiras prioritrias: a aprovao imediata da PEC 555/2006 e do PL 4434/2008

  • InformANDES/20144 59 Conad

    O 59 Conad do ANDES-SN, que ser realizado em Aracaju (SE) entre os dias 21 e 24 de agosto, traz como tema central Luta em defesa da educao: autonomia da univer-sidade, 10% do PIB exclusivamente para a educao pblica, uma das bandeiras prio-ritrias e histricas do ANDES-SN, cercada de grandes desafi os, que resultam de uma conjuntura de favorecimento do capital a parti r da implementao, por sucessivos governos, de polti cas que promovem e subsidiam o lucro do setor privado.

    A discusso dessa temti ca no 59 Conad fortalecer o debate e a luta para que os recursos do Estado sejam desti nados exclusivamente para o setor pblico e gratuito da educao. O tema foi escolhido exatamente para garanti r a luta em torno da aplicao imediata dos 10% do PIB para a educao pblica, e impedir que parte deste recurso v para a iniciati va privada , a exemplo do que diz o PNE aprovado pelo governo, explica o 1 tesoureiro do ANDES-SN, Fausto de Camargo Junior, integrante da Comisso Organizadora do 59 Conad.

    A presidente do ANDES-SN, Marinalva Oliveira, ressalta que o Sindicato colocou, no centro de sua pauta, 2014 como o ano da educao, para contrapor s polti cas impostas pelo governo federal e, em espe-cial, ao PNE aprovado. A nossa avaliao que o PNE sancionado uma legislao que atende aos interesses privati vistas do empresariado da educao, aprofunda a precarizao do trabalho docente, e promove a expanso sem adequadas condies que preservem a qualidade do ensino pblico, desde a educao bsica at a superior, na perspecti va de

    desobrigar o Estado do compromisso de fi nanciamento da educao pblica.

    Esta a terceira vez que Sergipe sedia o Conad. De acordo com Jailton Costa, tambm integrante da Comisso Organizadora e secretrio da Adufs, Seo Sindical do ANDES-SN que recepciona o evento nacional, a esti mati va que 250 docentes - entre delegados, observado-res e diretores nacionais-, parti cipem do Conad. A diretoria da Adufs considera de grande importncia receber e organizar

    59 Conad fortalecer atuao do ANDES-SN para luta em defesa da educao Entre os dias 21 e 24 de agosto, docentes de todo o pas se renem em Aracaju (SE) para avaliar e atualizar o plano de lutas do Sindicato Nacional. 59 edio ser marcada ainda pela posse da nova Diretoria

    Balanoda gesto

    "Iniciamos esta gesto em meio a uma forte greve e retomada da identi dade da luta coleti va. A vitria polti ca deste movimento e desta gesto foi a ampliao da base com novos fi liados, legiti man-do o ANDES-SN como representante da categoria, e o cont nuo fortalecimento como sindicato classista de luta e com-bati vidade, diante dos ataques ao nosso projeto de educao e aos direitos da classe trabalhadora. Neste perodo, as-sumimos com empenho a conti nu