Introdução Fisiologia

Click here to load reader

  • date post

    17-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    483
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Introdução Fisiologia

INTRODUO FISIOLOGIA ANIMALProfa. Dra. Evelyn Rabelo Andrade Disciplina: Fisiologia I

INTRODUO Apresentao docente / discentes Normas - conversas e sadas durante a aula - lista de presena

CONTEDO PROGRAMTICO Sistema nervoso - Noes sobre o sistema nervoso simptico parassimptico Sistema circulatrio - Composio e funo do sangue - Origem, sntese e destruio do sangue - Sistema circulatrio sanguneo e linftico - Distribuio da cadeia linftica - Imunidade Humoral e Celular - Funes das organelas celulares e

CONTEDO PROGRAMTICO Sistema respiratrio - Processo respiratrio dos mamferos e aves Sistema Endcrino - Conceitos gerais - Hormnios definio, transporte, interao celular, metabolismo e retroalimentao - Hipotlamo e hipfise - Glndulas endcrinas: Tireide, Paratireide e Suprarenal - Gnadas masculina e feminina - Funo endcrina do pncreas - Fisiologia endcrina da troca de pena das poedeiras

AVALIAES PEDAGGICAS Sero realizadas 03 (trs) avaliaes: 02 (duas) de forma escrita e um seminrio em grupo AVALIAO OPTATIVA: Constar de prova escrita do contedo ministrado durante o ano letivo. Ser realizada aps o cumprimento do programa, carga horria e concluso de todas as avaliaes previstas para a disciplina. A nota da avaliao optativa, se superior, substituir a menor das notas obtidas nas avaliaes realizadas.

AVALIAES PEDAGGICAS EXAME FINAL: O exame final constar de prova escrita de contedo ministrado durante o ano letivo, inclusive o contedo dos seminrios. Dever submeter-se a exame final obrigatrio o aluno que, tendo frequncia igual ou superior a 75%, tiver alcanado, nas avaliaes, mdia igual a 3,0 e inferior a 7,0.

SEMINRIOS - Temas1) Princpios ticos na experimentao animal 2) Fisiologia do estresse 3) Fisiologia do exerccio em equinos 4) Terapia com clulas tronco 5) Fisiologia do crescimento 30 min exposio oral 10 min arguio

SEMINRIOS - Avaliao Resumo 1 pgina (A4) / moldes ABNT Qualidade visual da apresentao oral Domnio do contedo Atualidade das informaes Clareza e objetividade

Adequao durao prevista

BIBLIOGRAFIA RECOMENDADA DUKES,H.H. Fisiologia dos Animais Domsticos. KOLB, E. Fisiologia Veterinria FRANDSON, R.D. Anatomia e Fisiologia dos Animais Domsticos. CUNNINGHAM,G.J. Tratado de Fisiologia Veterinria. JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J. Biologia Celular e Molecular. SWENSON, J.M. DUKES . Fisiologia dos Animais Domsticos. Internet - Google acadmico

VAMOS COMEAR ???

CAMPOS DA FISIOLOGIA Fisiologia viral Fisiologia bacteriana Fisiologia celular Fisiologia vegetal Fisiologia humana Fisiologia animal

INTRODUO FISIOLOGIA FISIOLOGIA a cincia que estuda os fatores fsicos e qumicos que so responsveis pela origem, pelo desenvolvimento e pela progresso da vida(Guyton)

INTRODUO FISIOLOGIA OBJETIVO: Apresentar caractersticas e composies das clulas Apresentar os diferentes tipos de transporte passivo e ativo; Compreenso da difuso simples e facilitada, osmose e bomba de Na+ e K+ em clulas animais

AS CLULAS COMO AS UNIDADES VIVAS DO CORPOAS CLULAS

A unidade viva fundamental do organismo; rgo: agregado de muitas cls , mantidas unidas por estruturas de sustentao Animais: bilhes clulas;

AS CLULAS COMO AS UNIDADES VIVAS DO CORPO Cada tipo de clula est especialmente adaptada para realizar funes determinadas; Caractersticas bsicas comuns Ex: oxignio + carboidratos, gordura, protena liberao energia para funcionamento celular

AS CLULAS COMO AS UNIDADES VIVAS DO CORPO Quase todas clulas tm capacidade de se reproduzir e regenerar

LQUIDOS ORGNICOS Distribuio da H2O 60-70% composio corporal;

Compartimentos Liquido intracelular (LIC) Liquido extracelular (LEC)

O LQUIDO EXTRACELULAR (LEC) Maior parte lquido () interior clulas LQUIDO INTRACELULAR (LIC) Cerca de exterior das cls LQUIDO EXTRACELULAR (LEC) O lquido extracelular (meio extracelular ou espao extracelular) todo lquido corporal que se encontra no exterior das clulas, mas que faz parte do metabolismo de um organismo pluricelular

O LQUIDO EXTRACELULAR- Movimento contnuo por todo o corpo - Transportado rapidamente no sangue circulante e ento misturado entre o sangue e os lquidos teciduais por DIFUSO - Possui ons e nutrientes necessrios manuteno vida celular

todas as cls partilham de um mesmo ambiente MEIO INTERNO

HOMEOSTASIA Propriedade dos seres vivos de regular o seu ambiente interno para manter uma condio estvel, mediante mltiplos ajustes de equilbrio dinmico controlados por mecanismos de regulao Manuteno das condies constantes do meio interno

HOMEOSTASIA rgos e tecidos realizam funes que contribuem para manter estas condies Pulmes fornecem O2 LEC (repor cls) Rins mantm constantes [inicas] Sist. Gastrointestinal fornece nutrientes

SISTEMAS DE TRANSPORTE DO LQUIDO EXTRACELULAR LEC: transportado para todas partes do corpo em 2 etapas1 : movimento do sangue ao longo do sistema circulatrio 2 : movimento de lquido entre os capilares sanguneos e as clulas

CIRCULAO GERAL DO SANGUE

Difuso de lquido atravs das paredes capilares e pelos espaos intersticiais

Troca contnua de LEC entre a parte de plasma do sangue e o lquido intersticial que preenche os espaos entre as cls espaos intercelulares Capilares porosos

Difuso de lquido atravs das paredes capilares e pelos espaos intersticiais

Processo difuso: mov. cinticadas molculas intersticial no plasma e lq.

Cls : 25 a 50 m de um capilar difuso substncias do capilar para as cls em pouco segundos

ORGANIZAO CELULAR

COMPOSIO DAS CLULAS - PROTOPLASMA gua: 70 a 85% da massa celular Eletrlitos: K+, Mg2+ , fosfato, sulfato, bicarbonato, Na+, Cl- e Ca2+ Protenas: 10 a 20% da massa celular

Lpideos: cerca de 2% da massa celular + importantes: fosfolipdios e colesterol; Carboidratos: 1% da massa celular

MEMBRANA CELULAR

MEMBRANA CELULAR Membrana plasmtica ou plasmalema- separa o lado interno da clula do seu meio circundante (LEC) - estruturalmente: bicamada de molculas fosfolipdicas e protinas imersas

MEMBRANA CELULAR Membrana plasmtica ou plasmalemaFunes:1) Isolamento fsico2) Regulao das trocas com o ambiente Controla a entrada de ons e nutrientes, a eliminao de excretas e a liberao de produtos de secreo celular

MEMBRANA CELULAR Membrana plasmtica ou plasmalemaFunes:3) Comunicao entre clula e meio ambiente Contm receptores que permitem celula reconhecer e responder a molculas ou a mudanas no ambiente externo4) Suporte estrutural As PTN da membrana ancoram as PTN do citoesqueleto (manter formato celular)

MEMBRANA CELULAR Bicamada lipdica- fosfolipdeos e colesterolhidroflica: solvel em gua hidrofbica: solvel em gordura

Cabea hidroflica

Cauda hidrofbica

MEMBRANA CELULAR Protenas da membrana celular- maioria: glicoprotenas - 2 tipos de PTN: integrais (atravessam toda espessura memb.) perifricas (apenas presas superfcie)

MEMBRANA CELULAR Protenas da membrana celular

- PTN integrais:canais (poros) difuso de subst. hidrossolveis entre o LIC / LEC carreadoras transporte de subst. na direo oposta natural de sua difuso TRANSPORTE ATIVO

TRANSPORTE DE MOLCULAS ATRAVS DA MEMBRANA Algumas molculas (gua, oxignio, dixido de carbono e lipdios) movem-se facilmente atravs das membr. celulares J ons e molculas grandes (PTN) encontram dificuldade para entrar e sair da clula Propriedades moleculares que influenciam o movimento pela MP: - tamanho molcula - solubilidade em lipdeos

TRANSPORTE DE MOLCULAS ATRAVS DA MEMBRANA Substncias lipossolveis: Difundem pela bicamada fosfolipdica (Ex: cidos graxos, oxignio, gs carbnico)

Substncias hidrossolveis: Difundem por canais especficos (Ex: sdio, potssio, cloreto, clcio)

TRANSPORTE DE MOLCULAS ATRAVS DA MEMBRANA Transporte passivo:No exige energia para movimentao pela membrana Utilizada apenas a energia cintica das molculas; a movimentao d-se a favor do gradiente de concentrao

Transporte ativo:O transporte das molculas envolve a utilizao de energia pelo sistema; no caso da clula viva, a energia utilizada na forma de Adenosina tri-fosfato (ATP) A movimentao das substncias d-se contra o gradiente de concentrao

TRANSPORTE DE MOLCULAS ATRAVS DA MEMBRANA TRANSPORTE PASSIVO OSMOSE ou DIFUSOOSMOSE: Movimentao livre da gua atravs das membranas celulares do local de menor concentrao de soluto (soluo hipotnica) para o de maior concentrao (soluo hipertnica)

SOLUTO E SOLVENTE Chama-se soluto ou disperso substncia que pode ser dissolvida. Encontra-se geralmente num estado fsico diferente do solvente; o mais habitual que se trate de um slido contido numa soluo lquida Ex: o cloreto de sdio (sal de cozinha) pode ser dissolvido na gua, ou seja, um soluto

OSMOSE Quando a concentrao externa de substncias maior que a interna, parte do lquido citoplasmtico tende a sair fazendo com que a clula murche Plasmlise Quando a concentrao interna maior, o lquido do meio externo tende a entrar na clula, dilatando-a - Turgncia

Hipotnico

Hipertnico

OSMOSE

TRANSPORTE DE MOLCULAS ATRAVS DA MEMBRANA DIFUSO: Ocorre quando a concentrao interna de certasubstncia menor que a externa, e as particulas tendem a entrar na clula. Quando a concentrao interna maior, as substncias tendem a sair

A difuso pode ser auxiliada por enzimas permeases sendo classificada como difuso facilitada Quando no h ao de enzimas, chamada difuso simples

TRANSPORTE PASSIVO - DIFUSO SIMPLES Transporte de soluto atravs da membrana a fim de estabelecer a isotonia, ou seja, alcanarem a mesma concentrao, pois o movimento a favor de um gradiente de concentrao

No envolve protenas carreadoras Principalmente gases como O2, N2 e CH4

Substncia passa de um meio a outro (IC EC ou EC IC) simplesmente