Jornal fato 2211 14

Click here to load reader

  • date post

    06-Apr-2016
  • Category

    Documents

  • view

    234
  • download

    6

Embed Size (px)

description

 

Transcript of Jornal fato 2211 14

  • Uma grande noite no teatro

    conexo mansUr

    04caf com prosa

    roney moraes

    03

    PreVeno

    Cachoeiro busca a meta de vacinao 06

    Divulgao

    assIsTncIa

    Centro de referncia para o Zumbi06

    Divulgao/PMCI

    Policial esfaqueadoem PimaDe acordo com a PM, sargento que tambm taxista foi ferido por um rapaz e duas moas que haviam pedido corrida do centro ao bairro Aparecidinha, no balnerio

    VIoLncIa

    07

    sangUe jorra no rIocacHoeIro gua avermelhada chamou ateno, polcia foi acionada, isolou o local, mas depois descobriu se tratar de sangue de porcos, utilizado em produo caseira de chourio urubus foram atrados pelo cheiro

    r$ 1,00 - ano 11 - edio 3137 cachoeiro de Itapemirim - es | sbado | 22 de novembro de 2014

    E s p r i t o s a n t o d E

    contra FaTo no h [email protected] | www.jornalfato.com.br

    Divulgao/PMPKClssico marca Dia da Conscincia Negra

    12

    07

    A Camerata Msica Viva - grupo constitudo por msicos profissionais do Estado, de origem negra e formao erudita

    se apresenta amanh em Presidente Kennedy

    Fotos: Wellington Rody

  • ES dE Fato, Sbado, 22 dE NovEmbro dE 20142 economIa (28) [email protected]/jornalfato

    Desde 14 de maro de 2003

    Jornal Esprito Santo de Fato - CNPJ.: 06056026000138 - (28) 3515-1067 [email protected] - Bernardo Horta, 81, sala 101, Guandu, CEP 29.300-782 - www.jornalfato.com.br

    Diretor e editor - Wagner Santos [email protected]

    Redator: Marcos Leo

    Departamento Comercial - Llia Argeu

    Editoradores - Wagner Gomes Lopes e Wellington Rody

    Colaboradores - Elyan Peanha, Regina Monteiro, Roney Moraes, Antonio Miranda, Evandro Moreira, Moacyr Duarte, Edgard

    Baio, Janine Frana Bastos, Simone Lacerda, Simone Lacerda, Marilene Depes, Sergio Damio; Higner Mansur, Raphael Santana, Salmo Salazans, Joo Bicalho e Maurlio Carvalho

    Quem sabe faz a hora, no espera acon-tecer, Geraldo Vandr

    Diante do (im)passe e do caos instalado no transporte pblico de Cachoeiro de Itapemi-rim, eis a questo: quem pega a linha integrada paga mais ou o dobro? Se fosse seis por meia dzia no estaria aqui dando um ponto para quem responder essa pergunta. Um? No! R$ 2,75. Passagem s de ida... Para o centro, lgico. Alm disso, seria muito para meu pobre bolso. Ir e vir custa caro, na verdade muito mais do que um saco cheio.

    Acontece que o limite entre o bom senso e a esperteza fez chegar ao fim da linha a pacin-cia dos trabalhadores e usurios dos coletivos que, na contramo, no trafegam onde mais so necessrios. Desneces-srio, isso! Ofertar um servio que no atende a demanda ou mudar as regras do jogo no fim do campeonato.

    O contrato com o mu-nicpio acaba em 2015. Ano em que esta gesto poder acabar com o monoplio. Lembre--se que antes de muitos nascerem a empresa j atuava na cidade e o atual governo tem dois mandados. A culpa no s dos polticos. deles, da regulao e do povo que os elegeu e permi-

    tiram este monoplio indecente. J passou da hora de liberar vans nesta cidade. Colocar a culpa no outro fcil, quero ver ir pra rua e lutar pelos seus direitos. Diga-se de passagem, parabns aos corajosos moradores do Coramara e Gilson Carone que co-locaram a cara a tapa em prol de todo o coletivo (que no tem nada a ver com nibus).

    Deveria acontecer um boicote, como o de me-ados da dcada de 1950 na cidade de Montgo-mery, Alabama-EUA. O que est acontecen-do na cidade tambm uma segregao, s que econmica. Neste caso, esperar que Deus ajude quem cedo madruga uma heresia contra a f do povo trabalhador. A mesma f ele tem em fal-sos profetas editados nos programas eleitoreiros.

    Agora chega. Todos querem o troco certo. Este negcio da China (de comprar cem e poder usar s seis passagens ao dia) passou do ponto final. No h nada mais saudvel do que cami-nhar. Juntar os amigos e gastar um pouco mais com outro meio alter-nativo. Ou aqueles que possuem veculos... Le-vem seus vizinhos. Tra-balhadores... Uni-vos! Quem pega nibus guindaste!

    Por Roney MoraesRonaldo ndio

    nibus podem parar na prxima semanaImPasse Reunio entre sindicato dos motoristas e empresas de transporte cancelada

    Arquivo FATO

    Wanderson Amorim

    A reunio marcada para ontem entre o Sindicato dos Motoristas, Ajudantes, Cobradores e Operadores de Mquinas (Sindimoto-ristas), em Cachoeiro de Itapemirim, e as empresas de nibus para tratar do reajuste salarial da cate-goria, entre outras reivin-

    dicaes, foi cancelada, e cada vez maior a chance de haver greve.

    De acordo com o presiden-te do Sindimotoristas, Elias Brito Spoladore, o encontro, que aconteceria no Sest/Senat, foi cancelado pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setpes). E ainda no h nova data prevista.

    Diante do impasse, o lder sindical afirma que cada vez mais provvel que acontea uma greve de nibus no municpio. Eles esto nos enrolando. Duas reunies marcadas para essa semana no aconte-ceram. Essa de ontem no aconteceu porque alega-ram que tinham que parti-cipar de uma licitao do

    transporte intermunicipal. Esto dando mais impor-tncia s licitaes do que ao trabalhador. Na prxima semana vou solicitar uma nova mediao ao Mi-nistrio do Trabalho para tentarmos chegar a um acordo. Se no for fechada a negociao, vamos publi-car os editais comunicando a greve, enfatiza.

    oPInIo

    Manifesto coletivo

    reIVIndIcaes

    O sindicato dos traba-lhadores pede o aumento do piso salarial dos mo-toristas de nibus para R$ 1.560,00. Reajuste

    do salrio dos cobra-dores e auxiliares de viagem para R$ 900,00, e aumento do tquete-ali-mentao, de R$ 374,00

    para R$ 480,00.Equiparao salarial e

    a criao de pontos de apoio aos funcionrios na Avenida Beira Rio

    e na Linha Vermelha, prximo antiga esta-o ferroviria, tambm esto na pauta de reivin-dicaes.

    Elias Brito diz que vai tentar negociar pela ltima vez

  • ES dE Fato, Sbado, 22 dE NovEmbro dE 2014

    www.jornalfato.com.brfacebook.com/espiritosanto.defato 3cULTUra(28) 3511-7481

    Semanas frenticas. Sem freio. Sem pedir licena para o corpo e mente exaustas... Eis que surge a oportunidade de relaxar. Ficar em casa sem fazer nada. Mas era dia 18. Tinha pea no teatro Rubem Braga, na verdade foi um espetculo. Eu pensando em resolver questes da clnica, pacientes, comunidade tera-putica, artigos para revista, Associao Psicanaltica, trabalhos acadmicos vol-tados para a rea, estudos... Achei que s a psicanlise, do amanhecer madrugada de leitura, seria meu destino

    inevitvel, mas no esta-va escrito no inconsciente. O danado pregou-me uma pea, na verdade, sem meio que saber como, parei na porta do teatro. Atrasado cinco minutos.

    No piloto automtico pude perceber que eu no sabia mais o que estava fazen-do. Apenas fui. E foi um ato inconsciente. J estava marcada nas profundezas de meu aparelho psquico a cena: eu e minhas pernas cansadas subindo a escadaria do Rubem Braga. Quando percebi estava l, com O

    Viajante e suas histrias. Valeu. Precisava estar ali. Aliviar a tenso do trabalho. Do desgaste da viagem, dos textos densos de filosofia e teorias psicanalticas. S sei que meu div foi o teatro. A clnica do ato.

    Digo que o encontro das histrias e o pblico foi um ato verdadeiro (aquilo que no pensvel sem o consentimento do sujeito. Uma escolha a favor do in-consciente, mesmo que no o saiba). Para isso, como um analista, tinha um sujeito em comum como ponte dos dilogos, o viajante.

    Com uma atuao impec-vel de Luiz Carlos Cardoso e texto primoroso de Fernando Marques, indico a meus colegas e pacientes (como Jacques Lacan considera a psicanlise uma experincia que toca e modifica o real, a partir do gozo fixado na fantasia), portanto: vo ao teatro! Permitam-se sair da rotina e mergulhar na imita-o da vida, na arte.

    A verdade s pode ser dita nas malhas da fico, Lacan.

    Roney Moraes [email protected]

    [email protected]

    Festival de Artes CnicasA quinta edio do Festival de Artes

    Cnicas de Cachoeiro de Itapemirim tem valorizado o talento de artistas do muni-cpio em espetculos de teatro e de dana gratuitos, que comeou na tera-feira (18) e vai at amanh (23). O evento uma realizao da Associao Teatral de Cachoeiro (Asteca), com patrocnio da Lei Rubem Braga, e levar 12 atraes a quatro pontos da cidade: Teatro Mu-nicipal Rubem Braga, Centro Cultural Nelson Sylvan, Praa de Ftima e Praa Jernimo Monteiro.

    Sesso especialA Academia Cachoeirense de Letras (ACL)

    vai participar de modo especial no evento que sacudindo a cultura cachoeirense. Dentro da pro-gramao do 1 Cachoeiro Cult, a ACL far, na prxima quarta-feira (26), uma Sesso Especial para entrega de prmios e homenagens, alm de abrir a 1 Feira de Escritores Cachoeirenses, que acontece nos dias 27 e 28 na Praa Jernimo Monteiro. A Sesso Especial acontece s 20h na sala Levino Fanzeres e ser aberta ao pblico. J a Feira, com participao de vrios escritores locais, ser aberta s 9h do dia 27 at 17h do dia 28, com entrada franca e bate-papo com escrito-res e amostra de livros na praa.

    A clnica do ato

    Deputado na Conferncia de EducaoO deputado Rodrigo Coelho representa

    a Assembleia Legislativa como delegado estadual na Conferncia Nacional de

    Educao (Conae 2014). O evento, que comeou na quarta-feira (19) vai at amanh, em Braslia.

    Estado contrata temporriosComeou na tera-feira (18) o perodo de inscries dos processos seletivos para contrataes

    de profissionais, em Designao Temporria, para atuao na rede estadual de ensino. Para se inscrever, basta acessar www.educacao.es.gov.br. As inscries sero realizadas at 17h do dia 28 de novembro.

    Conselho de CulturaA advogada e acad-

    mica Valquiria Rigon Volpato representa Ca-choeiro de Itapemirim no Conselho Estadual de