JUZO FINAL

download JUZO FINAL

of 126

  • date post

    16-Dec-2015
  • Category

    Documents

  • view

    23
  • download

    0

Embed Size (px)

description

O ápice da história humana é o Juízo Final. No transcorrer da epopeia humana, a balança da justiça está muito desequilibrada, os maus e desonestos, cruéis e corruptos estão em vantagem sobre os homens de bem, mas no Juízo Final os pecadores perceberão que a vantagem que tiveram na vida terrena era ilusória. Este livro pretende expor o que ocorrerá naquela Grande Dia revelado em toda a Bíblia, especialmente no Apocalipse. Os detalhes sobre o Dia do Juízo são assustadores, porque a realidade que se avizinha será terrível. O julgamento será de acordo com as atitudes e condutas que tivemos nesta existência. Não adiantará alegar que acreditava em Deus e mesmo que era cristão. Prepare-se para este dia. As sentenças proferidas serão terríveis e irreversíveis. A condenação no inferno é eterna.

Transcript of JUZO FINAL

  • JUZO

    FINAL

  • JUZO FINAL, por ESCRIBA VALDEMIR

    [ 2 ]

    FINALIDADE DESTA OBRA

    Os materiais literrios do autor no tm fins lucrativos,

    nem lhe gera quaisquer tipo de receita. Os custos do livro so

    unicamente para cobrir despesas com produo, transporte,

    impostos e revendedores. Sua satisfao consiste em contribuir

    para o bem da educao uma melhor qualidade de vida para

    todos os homens e seres vivos, e para glorificar o nico Deus

    Todo-Poderoso.

    CONTATOS:

    www.youtube.com/user/storytellervaldemir

    www.facebook.com/menezes.scribe.3

    Blog: http://escatologia137.blogspot.com.br/

    E-mail: teologovaldemir@hotmail.com

    www.dailymotion.com/scribevaldemir

    AUTORIZAO

    O livro pode ser reproduzido e distribudo por quaisquer

    meios, usado por qualquer entidade religiosa, educacional ou

    cultural sem prvia autorizao do autor.

  • JUZO FINAL, por ESCRIBA VALDEMIR

    [ 3 ]

    SE VOC GOSTOU DESTE LIVRO DE UM A SEU

    AMIGO.

    OUTRAS OBRAS DO AUTOR NAS LIVRARIAS

    VIRTUAIS

    www.amazon.com / www.clubedosautores.com.br

    Biologia O mito da evoluo

    Escrivo de Polcia cargo tcnico cientfico

    O que a Igreja Catlica Romana?

    Biology the Myth of Evolution

    Arqueologia Bblica

    AUTOR: Valdemir Mota de Menezes licenciado em

    Cincias Biolgicas e Histria pela Universidade Metropolitana

    de Santos, possui curso superior em Gesto de Empresas pela

    UNIMONTE de Santos, e Bacharel em Teologia pela

    Faculdade das Assembleias de Deus de Santos, nasceu em

    Itabaiana/SE, em 1969.

  • JUZO FINAL, por ESCRIBA VALDEMIR

    [ 4 ]

    Dados Internacionais da Catalogao na Publicao (CIP)

    PALAVRA CHAVE: Juzo Final, Fim do Mundo,

    escatologia.

    M543 Menezes, Valdemir, 1969

    Juzo Final / Valdemir Mota de Menezes, Cubato/SP,

    Amazon.com Clubedosautores.com.br, 2015

    127 p. ; 21 cm

    ISBN-13: 978-1508983545

    ISBN-10: 1508983542

    1. Escatologia 2. Juzo Final 3.Fim do Mundo 4.

    Inferno 5. Condenao eterna I - Titulo

    CDD 230

    CDU 23

  • JUZO FINAL, por ESCRIBA VALDEMIR

    [ 5 ]

    INTRODUO

    Na Bblia h vrios juzos divinos que aconteceram e que

    seguem acontecendo, outros ainda acontecero no futuro. H

    juzos individuais e coletivos, assim ns vamos dissecar os

    textos bblicos para interpret-los e coloca-los na ordem do

    tempo, pois o ltimo juzo de Deus o mais importante, o

    Juzo Final. A certeza de que um dia Deus julgar a todos, e dar

    a cada um segundo as suas obras, faz parte do conhecimento

    emprico e ntimo de todos os homens, por isso, em muitas

    religies do mundo a crena em um Juzo faz parte dos seus

    respectivos credos.

    OS TRS TIPOS DE PEIXES

    Jesus Cristo ao falar do reino dos cus ele compara a

    humanidade a trs tipos de peixes, e que a mensagem do reino

    dos cus semelhante a uma rede lanada ao mar. Nem todas as

    pessoas so alcanadas com a mensagem do reino, tanto que

    apenas uma parte da humanidade se denomina crist. No fim dos

    tempos, Deus vai enviar os anjos para separar os peixes bons

    dos ruins. Os peixes bons sero colocados nos cestos e os ruins

    lanados fora. Ao final da parbola Jesus disse que os ruins

    sero lanados na fornalha de fogo. Uma parbola nunca pode

    ser interpretada ao p da letra, em cada detalhe, e Jesus deixou

    de fora a questo dos peixes que no foram pescados, mas, por

    inferncia entendemos que estes peixes no pescados so

    aqueles que no foram atrados pelo Evangelho. Certamente

  • JUZO FINAL, por ESCRIBA VALDEMIR

    [ 6 ]

    estes no sero salvos, porque a Bblia no permite entender que

    h vrios caminhos que levam a Deus, somente Jesus o

    Caminho. Todos os adeptos de outras religies, agnsticos, ateus

    ou sem religio ficaro de fora do cesto (reino de Deus). O

    interessante que o simples fato de aceitar o cristianismo como

    religio, como crena, adotando seus dogmas, no ser por esta

    aceitao intelectual que uma pessoa entrar no cesto. Podemos

    dizer que todos os cristos entram no barco, mas s alguns

    entraro no cesto. No Dia do Juzo Final, saberemos quem

    quem. No podemos dizer com certeza quem hipcrita.

    47 Igualmente o reino dos cus semelhante a

    uma rede lanada ao mar, e que apanha toda a

    qualidade de peixes. 48 E, estando cheia, a

    puxam para a praia; e, assentando-se, apanham

    para os cestos os bons; os ruins, porm, lanam

    fora. 49 Assim ser na consumao dos sculos:

    viro os anjos, e separaro os maus de entre os

    justos, 50 E lan-los-o na fornalha de fogo; ali

    haver pranto e ranger de dentes. (Mateus 13.47-

    50)

    JUZO FINAL DOUTRINA PTREA

    Quando o apstolo Paulo teve oportunidade de falar com o

    representante do Imprio Romano Marcus Antonius Felix,

    governador da Judia entre os anos de 52 a 60, como procurador

    romano, ele tratou de falar sobre os pontos fundamentais do

    cristianismo, entre estes: a justia, a temperana e o juzo

    vindouro. Assim, o Dia do Juzo um dos fundamentos da

    doutrina crist. Ao ouvir Paulo, Flix ficou espavorido, cheio de

  • JUZO FINAL, por ESCRIBA VALDEMIR

    [ 7 ]

    medo. A mensagem do Juzo Final deve produzir pnico, porque

    o juzo mesmo aterrador.

    25 E, tratando ele da justia, e da temperana, e

    do juzo vindouro, Flix, espavorido,

    respondeu: Por agora vai-te, e em tendo

    oportunidade te chamarei. (Atos 24.25)

    JUZO FINAL PARA CONDENAR

    A doutrina do Juzo Final estabelece a condenao dos

    mpios. Todos os que viveram de acordo com os desejos

    pecaminosos da carne sero condenados. Aqueles que falam mal

    dos servos de Deus, dizendo coisas duras e perversas sobre

    Deus, Jesus e os cristos sero severamente punidos. Aqueles

    que costumam dizer que religio s instrumento de

    manipulao de massas, vero no Dia do Juzo que suas teorias

    anticrists estavam redondamente erradas.

    15 Para fazer juzo contra todos e condenar

    dentre eles todos os mpios, por todas as suas

    obras de impiedade, que impiamente cometeram,

    e por todas as duras palavras que mpios

    pecadores disseram contra ele. (Judas 15)

    JUZO FINAL PARA QUEIMAR O JOIO

    36 Ento, tendo despedido a multido, foi Jesus

    para casa. E chegaram ao p dele os seus

    discpulos, dizendo: Explica-nos a parbola do

    joio do campo. 37 E ele, respondendo, disse-

  • JUZO FINAL, por ESCRIBA VALDEMIR

    [ 8 ]

    lhes: O que semeia a boa semente, o Filho do

    homem; 38 O campo o mundo; e a boa

    semente so os filhos do reino; e o joio so os

    filhos do maligno; 39 O inimigo, que o semeou,

    o diabo; e a ceifa o fim do mundo; e os

    ceifeiros so os anjos. 40 Assim como o joio

    colhido e queimado no fogo, assim ser na

    consumao deste mundo. 41 Mandar o Filho

    do homem os seus anjos, e eles colhero do seu

    reino tudo o que causa escndalo, e os que

    cometem iniquidade. (Mateus 13.36-41)

    O Juzo Final ocorrer na consumao do mundo, isto ,

    ser o ltimo evento do planeta Terra. No tempo em que a terra

    estar sendo consumida pelo fogo, onde os elementos ardendo

    se desfaro, ocorrer colheita do joio. Conforme a parbola de

    Jesus, no mundo existe dois tipos de semente: A boa e a m. No

    transcurso da histria, os anjos quiseram por muitas vezes

    acabar com o joio, punindo com a morte as pessoas malignas e

    toda sorte de criminosos, mas Deus em sua infinita sabedoria e

    misericrdia, disse para os anjos deixarem o trigo e o joio

    crescerem, ou seja, deixar a histria desenrolar com o mnimo

    de interveno possvel, permitindo que os maus prosperassem,

    pois o desgnio divino queria dar total liberdade aos homens

    para que a humanidade tivesse total liberdade de se

    autogovernar e ao final ficasse provada incapacidade humana

    de se autogovernarem sem Deus, por esta razo Deus est sendo

    to paciente, preciso que toda forma de governo fracasse. Na

    parbola do joio e do trigo Jesus d nfase na sua explicao ao

    destino do joio. No final o joio ser queimado no fogo. O

  • JUZO FINAL, por ESCRIBA VALDEMIR

    [ 9 ]

    inferno a qual os mpios esto destinados a passarem a

    eternidade de fato um lugar de fogo. A Bblia fala do inferno

    como uma fornalha ou um lago de fogo. Um lugar que queima,

    que arde, que causa dor e sofrimento. Em todas as parbolas

    sobre o destino eterno da humanidade Jesus deixa bem claro que

    nem todos os homens sero salvos, mas somente uma parte, e

    esta parte somente um remanescente. Os lderes do

    cristianismo no devem ficar preocupados em ser a maior

    religio do mundo, devemos sim, preparar um povo zeloso,

    especial e de boas obras para entrar no reino dos cus.

    ANLISE DO JUZO FINAL

    I - DIA DO JUZO (Mateus 10.15; II Pedro 3.8)

    No ser um dia de 24 horas, mas um perodo de tempo ou

    uma era. Ser um dia segundo o relgio de Deus. No ser um

    dia terrestre, em que o planeta Terra d um giro completo em

    seu prprio eixo, perfazendo um dia terrestre. O Dia do Juzo

    um dia sem pressa, ningum ter outros compromissos que

    poder justificar sua ausncia. Tanto os salvos que estaro

    presentes, como os condenados que estaro sofrendo o