Justificativas Gabaritos Preliminares PSP192 .Verificamos que a altera§£o sugerida pela...

download Justificativas Gabaritos Preliminares PSP192 .Verificamos que a altera§£o sugerida pela quest£o

of 29

  • date post

    20-Jan-2019
  • Category

    Documents

  • view

    215
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Justificativas Gabaritos Preliminares PSP192 .Verificamos que a altera§£o sugerida pela...

CMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE

CONCURSO PBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS E FORMAO DE CADASTRO DE RESERVA NA CMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE

1

JUSTIFICATIVAS PARA MANUTENO OU PARA ALTERAO DE GABARITOS PRELIMINARES

CARGOS DE NVEL SUPERIOR De acordo com o Edital de Abertura n 01/2011, que rege este Concurso Pblico, argumentaes inconsistentes, extemporneas, que estiverem fora das especificaes estabelecidas para a interposio, que contiverem questionamentos de natureza administrativa (por exemplo, relacionados s normas previamente estipuladas em Edital) no obtero resposta da banca avaliadora e, por isso, no tero respostas publicadas na Internet. No sero computadas as questes no assinaladas na grade de respostas, nem as que contiverem mais de uma resposta, emenda ou rasura, ainda que legvel.

CARGO 1 - ANALISTA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAO

LNGUA PORTUGUESA QUESTO 04 MANTIDA alternativa E: Apenas I e III. A assertiva I da questo afirmava que: A expresso alento (l. 06) poderia ser substituda por nimo ou coragem, sem considerar mudanas na estrutura, indicando um sentimento positivo advindo da chegada de cada manh. De acordo com o Dicionrio Aurlio da Lngua Portuguesa (2011), os significados possveis para a palavra alento so: 1. Bafo, hlito, respirao; 2. Coragem, nimo; 3 alimento, sustento; 4. Inspirao, estro, entusiasmo, bafagem, bafo. Considerando a segunda entrada para a palavra, verificamos que coragem um sinnimo possvel para alento, assim como animo. A assertiva est, portanto, correta. QUESTO 12 MANTIDA alternativa C. A quarta assertiva afirmava que: Na linha 36, caso substitussemos a expresso que deixamos de lado por as quais deixamos de lado, fazendo a insero de uma vrgula, haveria alterao do sentido original do perodo. Nas linhas 35-36 temos o seguinte trecho: Que o ano nos traga coragem para fazer coisas novas, coragem tambm para lidar com as coisas antigas que deixamos de lado. Verificamos que a alterao sugerida pela questo de um pronome relativo por outro: que por as quais, ambos tendo como referente o substantivo coisas Contudo, a assertiva prope a insero de uma vrgula e afirma que esta insero acarretaria modificao do sentido original do texto. Caso procedssemos a insero da vrgula, deixaramos de ter uma orao subordinada adjetiva restritiva, que define o substantivo, e passaramos a ter uma orao subordinada adjetiva explicativa, que apenas traz informaes adicionais, mas no essenciais, sobre o termo. Assim, a assertiva est correta, pois a insero da vrgula acarretaria alterao do sentido original do perodo. QUESTO 14 MANTIDA alternativa E: Apenas II e III. A assertiva I da questo afirmava que Em difcil no sentir esperana. (l. 01) temos uma orao com sujeito indeterminado.. Contudo, verificamos tratar-se de um perodo composto por subordinao, no qual esto presentes duas oraes: a orao principal difcil e a orao subordinada substantiva subjetiva no sentir esperana. Assim, a orao subordinada exerce a funo de sujeito da orao principal, no sendo esta, portanto, uma orao com sujeito indeterminado e, sim, uma orao com sujeito expresso representado por uma orao subordinada subjetiva reduzida de infinitivo. A assertiva est, portanto, incorreta.

LEGISLAO QUESTO 18 MANTIDA alternativa D: A permisso de uso de bem pblico por terceiro ser feita por lei. A alternativa D a nica incorreta, pois contraria o disposto no art. 15, III da Lei Orgnica do Municpio de Porto Alegre.

CMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE

CONCURSO PBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS E FORMAO DE CADASTRO DE RESERVA NA CMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE

2

INFORMTICA QUESTO 28 MANTIDA alternativa B. Dentre as assertivas apresentadas nessa questo, o nico algoritmo utilizado para a criptografia de textos, documentos, arquivos e outros, que possui as seguintes caractersticas elencadas, ou seja utiliza cifra simtrica, utiliza um bloco de 64 bits, emprega uma chave de 56 bits e utiliza a estrutura de Feistel clssica a divulgado com o gabarito oficial. Todos ao algoritmos esto sujeitos a serem quebrados, como o caso do MD5, SHA, dentre muitos outros, devido a evoluo contnua da informtica. O DES apesar de ser resistente aos mtodos de ataque da criptoanlise diferencial e linear, no est imune a quebra; qualquer cifra tende a se tornar frgil como o passar do tempo. O candidato no questionou as alternativas apresentadas, no sendo possvel discorrer mais a respeito. QUESTO 36 MANTIDA alternativa D. No houve nenhuma ponderao quanto as assertivas II e III, as quais so, respectivamente, falsa e verdadeira. Nessa questo, houve um pequeno erro de impresso, tendo-se digitado "spints" em vez de "sprints", ou seja, faltou a letra "r". Tal fato, entretanto, no prejudica em absoluto a questo, tanto que no ofertou-se, como alternativa correta, apenas o item III. QUESTO 45 MANTIDA alternativa B. O protocolo SMTP , hoje em dia, um dos meios mais conhecidos para troca de informaes. O SMTP um protocolo ASC II muito simples: aps estabelecer a conexo TCP com a porta 25, a mquina de transmisso, operando como cliente, espera que a mquina de recepo, operando como servidor, se comunique primeiro. O servidor comea enviando uma linha de texto que fornece a sua identidade e informa que est preparado para receber mensagens. Nesse caso, o cliente anunciar de quem veio a mensagem e para quem est indo. Caso o receptor exista no local de destino, o servidor dar ao cliente sinal para enviar a mensagem; o cliente envia a mensagem e o servidor confirma. Cabe ao protocolo TCP o fornecimento seguro do fluxo de bytes. Entretanto h um problema com esse protocolo, pois ele necessita de uma conexo TCP para o fluxo de bytes. Quando um usurio receptor no est on-line no possvel o estabelecimento de tal fluxo. Para resolver esse problema, usa-se como soluo um host de recepo, que um agente de transferncia de mensagens que recebe e armazena as mensagens. Para o posterior recebimento dessas mensagens, pode-se usar uma mquina ISP ou outro host, com a qual o destinatrio da mensagem se comunica, quando estiver on-line, e, por meio de um servidor e protocolo, como por exemplo, o POP3, obtm as mensagens armazenadas no host de recepo, ou seja, no agente de transferncia de mensagens. QUESTO 50 MANTIDA alternativa C. Essa questo baseia-se nas Figuras 12(a) e 12(b). A Figura 12(a) mostra os detalhes a serem respeitados na criao de uma nova tabela no banco de dados MySQL 5. Sobre a Figura 12(b) era necessrio considerar os seguintes aspectos: (1) ela exibe a console do MySQL 5, na qual se inseriu, intencionalmente, nos locais apontados pelas setas de ns 1 a 6, retngulos, de modo a ocultar qualquer texto ou comando existente nestes locais; (2) nessa Figura, criou-se um novo banco de dados de nome "PROVA" e, a seguir, nesse banco de dados, implementou-se a tabela de nome "TESTE", a qual se encontra apontada pela seta n 7; e (3) a console do MySQL 5 foi aberta e encontra-se em execuo no ambiente Windows, como se pode observar nos detalhes dessa janela. A Figura, abaixo, exibe a Figura 12(b) sem os retngulos inseridos, intencionalmente, nos locais apontados pelas setas de ns 1 a 6.

CMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE

CONCURSO PBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS E FORMAO DE CADASTRO DE RESERVA NA CMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE

3

Na Figura acima, observa-se que foi criado o banco de dados "PROVA", dentro dele a tabela "TESTE" e, posteriormente, exibiu-se as caractersticas dessa tabela. Na Figura a seguir, a seta n 1 aponta para o comando que tornou o banco de dados "PROVA" como padro. Aps a execuo do comando apontado pela seta n 2, observa-se que, nesse banco de dados, h somente uma tabela "TESTE" (seta n 3). A seguir, os comandos apontados pelas setas n 4 e 5, apesar de mostrarem o nome da tabela escrita de forma distinta, ou seja, maiscula e minscula, apresentam o mesmo resultado, que a mesma constante na Figura 12(b), da prova de Analista Superior de Tecnologia da Informao. Finalmente, procurou-se criar, nesse mesmo banco de dados, uma outra tabela de nome "TESTE", com apenas uma coluna, sem nenhuma restrio (seta n 6). O resultado encontra-se apontado pela seta n 7, onde o MySQL 5 alerta para o fato que no possvel criar tal tabela porque ela j existe.

CMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE

CONCURSO PBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS E FORMAO DE CADASTRO DE RESERVA NA CMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE

4

Portanto, v-se, dessa forma, que nas condies impostas ao candidato, o MySQL 5 no "case sensitive", estando correta a assertiva III. Conforme dito no texto introdutrio dessa prova, para resolver as questes desta prova o candidato deveria considerar e ater-se, nica e exclusivamente, os recursos disponibilizados, tais como as orientaes, os textos introdutrios das questes, normalmente disponibilizados antes das Figuras, os enunciados propriamente ditos e os dados e informaes disponveis nas Figuras das questes. QUESTO 51 MANTIDA. Essa questo baseia-se nas Figuras 12(a) e 12(b). A Figura 12(a) mostra os detalhes a serem respeitados na criao de uma nova tabela no banco de dados MySQL 5. Sobre a Figura 12(b) era necessrio considerar os seguintes aspectos: (1) ela exibe a console do MySQL 5, na qual se inseriu, intencionalmente, nos locais apontados pelas setas de ns 1 a 6, retngulos, de modo a ocultar qualquer texto ou comando existente nestes locais; (2) nessa Figura, criou-se um novo banco de dados de nome "PROVA" e, a seguir, nesse banco de dados, implementou-se a tabela de nome "TESTE", a qual se encontra apontada pela seta n 7; e (3) a console do MySQL 5 foi aberta e encontra-se em execuo no ambiente Windows, como se pode observar nos detalhes dessa janela. A

1

2

4

5

6

7

3

CMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE