Justificativas para Manuten§£o/para Altera§£o de Gabaritos

download Justificativas para Manuten§£o/para Altera§£o de Gabaritos

of 29

  • date post

    08-Jan-2017
  • Category

    Documents

  • view

    213
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Justificativas para Manuten§£o/para Altera§£o de Gabaritos

1

JUSTIFICATIVAS PARA MANUTENO/PARA ALTERAO DE GABARITOS PRELIMINARES

De acordo com o EDITAL N. 16/2010, que rege este Concurso Pblico, argumentaes inconsistentes, extemporneas, que estiverem fora das especificaes estabelecidas para a interposio, que contiverem questionamentos de natureza administrativa (por exemplo, relacionados s normas previamente estipuladas em Edital) no obtero resposta da banca avaliadora e, por isso, no tero respostas publicadas na Internet. No sero computadas as questes no assinaladas na grade de respostas, nem as que contiverem mais de uma resposta, emenda ou rasura, ainda que legvel.

NIVEL SUPERIOR

LNGUA PORTUGUESA

QUESTO 03 - MANTIDA. A questo solicita que sejam analisadas as assertivas luz das informaes contidas no texto. A assertiva I est correta, visto que, entre as linhas 10 e 14, o autor apresenta situaes previsveis na vida do ser humano, como o fato de uma mulher querer ou no ser me, e do homem se afastar de uma paixo, qualificando ambos homem e mulher como pratos pequenos, que querem se afastar das experincias, desses modos de gozo. Conclui que, nessas circunstncias, esses seres foram feitos para permanecerem do tamanho que tem, ou seja, no se expondo a situaes novas. No pargrafo seguinte, apresenta nova situao, dizendo que, em dados momentos a vida nos apresenta novos fatos que nos podem horrorizar e fascinar (l. 16). O conetivo e, nessa estrutura frasal, informa que as duas situaes ocorrem concomitantemente. J em relao assertiva II, esta tambm est correta, como pode ser observado nas diversas metforas que comparam os seres humanos a pratos, cujas fendas e arranhes correspondem s marcas e aos sofrimentos passados pelo ser humano. A assertiva III tambm correta, pois, como pode ser visto ao longo do texto, as situaes vo se construindo em uma direo, e cabe pessoa observar e avaliar a forma como ir enfrent-las, seja atravs de escadas ou de varas. Segundo o autor, talvez isso ocorra porque somos feitos de forma tal que precisamos nos afastar de certas experincias, de certos modos de gozo, para podermos funcionar (l. 09-10). Isso significa que as situaes so previsveis, mas muitas vezes no podem ser percebidas pela pessoa estar to envolvida com a situao. A ltima assertiva tambm invlida: as dificuldades devem ser transportas com calma. preciso apenas de tempo para observ-lo com calma, medir sua altura, deduzir sua espessura. Precisamos de perseverana para suportar a ideia de que sero necessrias vrias tentativas, que nos machucaremos no meio do caminho (l. 46-48). QUESTO 04 - MANTIDA. Em relao construo da questo, faz-se necessrio afirmar que a interpretao faz parte da prova. Dessa maneira, dever-se-ia inferir que as afirmaes feitas deveriam ser analisadas, e no somente lidas. Alm disso, a segunda parte do enunciado deixa claro que as alternativas so nmeros que completam as lacunas das assertivas. A lacuna da primeira assertiva corretamente preenchida pelo nmero 4, pois quatro palavras sofreriam alteraes caso a forma verbal somos fosse flexionada na primeira pessoa do singular, como pode ser visto a seguir: - No entanto, somos s vezes pegos por situaes nas quais acabamos por nos confrontar com aquilo que nos horroriza e fascina. (l. 15). - No entanto, sou s vezes pego por situaes nas quais acabo por me confrontar com aquilo que me horroriza e fascina. J a lacuna da segunda assertiva preenchida pelo nmero 2, pois, ao alterar h (verbo impessoal) para existe (verbo pessoal) preciso fazer a concordncia do sujeito, como pode ser visto: H pessoas que parecem estar sempre espera de uma catstrofe. Existe pessoa que parece estar sempre espera de uma catstrofe.

2

Dessa forma, a nica alternativa correta a D. QUESTO 05 - MANTIDA. Em relao s propostas de alterao em perodos do texto, pode-se afirmar que todas provocam alteraes na estrutura dos respectivos perodos em que se encontram, em virtude da transitividade dos verbos e de suas regncias. - Assertiva I: Em Um homem no se recupera desses solavancos, ele se torna uma pessoa diferente e eventualmente a nova pessoa encontra novas preocupaes (l. 01), caso o verbo torna (transitivo direto) fosse substitudo por transforma (transitivo indireto), haveria necessidade de insero da preposio em: ele se transforma em uma pessoa diferente. - Assertiva II: Em Prato que nunca mais ser usado para visitas, mas que servir para guardar biscoitos tarde da noite (l. 04), a substituio de servir (transitivo indireto) para utilizar (verbo pronominal) provocaria a necessidade da insero do pronome se: mas que se utilizar para guardar biscoitos. - Assertiva III: Em Mas ele tambm poder descobrir que, mesmo depois da quebra, ainda capaz de se colar (l. 21), a substituio de descobrir (transitivo direto) para dar-se conta (transitivo indireto) provocaria a necessidade de insero da preposio de: poder dar-se conta de que ainda capaz de se colar. QUESTO 06 - MANTIDA. Todas as lacunas pontilhadas apontadas pela questo so corretamente completadas por crase, como pode ser visto a seguir: - somos, s vezes pegos por situaes (l. 15 primeira ocorrncia): a crase obrigatria, visto que representa a locuo adverbial cujo ncleo feminino; - tal experincia poder levar diminuio do medo (l. 23): existem as duas exigncias para a ocorrncia da crase: a palavra regente exige o uso da preposio a (levar a) e a palavra regida permite o uso do artigo, pois feminina. - parecem estar sempre beira de uma catstrofe (l. 43): da mesma forma que na assertiva I, a crase representa a locuo adverbial cujo ncleo feminino. As assertivas I e V no so opostas: enquanto a primeira afirma que em todas as lacunas o uso da crase obrigatrio; a ltima afirma que nenhuma das lacunas no pode no conter a crase, pois a palavra prescindir significa no levar em conta (Dic. Aurlio eletrnico) QUESTO 08 - MANTIDA. Em relao ao acento grfico em determinadas palavras do texto e de possveis alteraes, apenas as assertivas I e II esto corretas, como pode ser visto a seguir: -Na assertiva I, caso fosse suprimido o acento de servir, haveria alterao no tempo verbal: de futuro do presente (servir) para pretrito mais-que-perfeito (servira); - Na assertiva II, a retirada de acento em at provocaria mudana em relao classe gramatical: de advrbio (at) para verbo (ate primeira pessoa do presente do subjuntivo do verbo atar); o que tambm ocorre em experincia: de substantivo para verbo (experencia terceira pessoa do futuro do pretrito do verbo experienciar); - J na assertiva III, as duas ocorrncias de vir na linha 50 representam uma das possveis flexes do verbo vir, no do verbo ver. QUESTO 09 - MANTIDA. Em relao terceira assertiva, faz-se necessrio observar que, em todas as ocasies do texto, inclusive no ttulo, a palavra pratos utilizada no sentido conotativo, uma metfora para referir-se ao ser humano. Na frase como esses outros pratos que pintamos de outra forma para disfarar as rachaduras. (l.21-23), tambm constri-se o sentido metafrico, porque refere-se a outras situaes em que os pratos (seres humano) no se quebram, mas ficam rachados. A situao especfica a qual esta metfora representa (pratos rachados) no explicitada pelo autor,

3

ficando a cargo do leitor a construo da interpretao. Caso a expresso pratos fosse entendido no sentido literal, a coerncia do texto se desmantelaria. QUESTO 11 - MANTIDA. A questo solicita que sejam analisadas as afirmaes que so feitas a respeito das possveis inferncias relacionadas a palavras ou expresses do texto. Dessa forma, apenas as assertivas II e III so corretas, como pode ser visto a seguir: - Em Um homem no se recupera desses solavancos, ele se torna uma pessoa diferente e eventualmente a nova pessoa encontra novas preocupaes (l. 01-02), pode-se inferir, a partir da palavra novas, que outras preocupaes surgem quando se torna uma pessoa diferente. No possvel afirmar que no havia preocupaes antes, portanto a assertiva I est incorreta. - Em Prato que nunca mais ser usado para visitas (l.04), o advrbio nunca pressupe que, at aquele momento, o prato no era utilizado para servir visitas. Entretanto, como a anlise deve ser feita no contexto da frase, no h como desvincular do advrbio nunca o outro advrbio que o modifica (mais). No ocorre ali uma locuo adverbial, mas sim, um advrbio de intensidade que modifica um de tempo. A pressuposio se d pela compreenso da relao sinttica e semntica dos termos modificados e modificadores. Dessa maneira, a assertiva II est correta. - Em Se bem elaborada, tal experincia poder levar diminuio do medo daquilo que, um dia, fomos obrigados a excluir (l.23-24), a ideia de incerteza introduzida pela conjuno subordinativa se. Isso no significa que somente a conjuno carrega toda a ideia da orao, mas que ela introduz uma orao subordinada adverbial condicional, cuja ideia de hiptese/condio pressupe uma incerteza, j que indica uma realidade que no verdadeira. Alm disso, a incerteza indicada pela proposio reiterada pela forma verbal poder. QUESTO 12 - MANTIDA. Em relao primeira assertiva da questo 12, o nexo De fato (l.06) confirma o que foi posto no pargrafo anterior. Entretanto, o que segue no um argumento mais consistente nem tampouco novo, mas sim um aprofundamento e uma explicitao do que foi dito anteriormente. Dessa forma, a segunda parte da assertiva invalida a afirmao. QUESTO 14 - MANTIDA. Segundo o Manual de Redao da Presidncia da Repblica (2002, p. 11): O aviso, o ofcio e o memorando devem conter as seguintes partes: (...) (b) local e data em que foi assinado, por extenso, com alinhamento direita. A assertiva II est, portanto, correta.

INFORMTICA PARECER DA BANCA Antes de iniciar as respostas aos recursos dos candidatos, transcrevem-se, a seguir, apenas, um resumo dos tpicos do ANEXO I - PROGRAMA DAS PROVAS - CONHECIMENTOS GERAIS PARA TODOS OS CARGOS DE NVEL D E E, previstos no EDITAL DE CONCURSO PBLICO