Letras musicas coral

Click here to load reader

  • date post

    20-May-2015
  • Category

    Documents

  • view

    6.122
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Letras musicas coral

  • 1. Letras das msicas que fazem parte do repertrioAQUARELANuma folha qualquer eu desenho um sol amarelo E com cinco ou seis retas fcil fazer um castelo Corro o lpis em torno da mo e me dou uma luva E se fao chover, com dois riscos tenho um guarda-chuva Se um pinguinho de tinta cai num pedacinho azul do papel Num instante imagino uma linda gaivota a voar no cuVai voando, contornandoA imensa curva Norte Sul Vou com ela, viajando Hava, Pequim, ou Istambul Pinto um barco a vela Branco, navegando tanto cu e mar numBeijo azulEntre as nuvens vem surgindo Um lindo avio rosa e gren Tudo em volta colorindo Com suas luzes a piscarBasta imaginarE ele est partindoSereno e lindoE se a gente quiser Ele vai pousarNuma folha qualquer eu desenho um navio de partida Com alguns bons amigos bebendo de bem com a vida De uma Amrica a outra consigo passar num segundo Giro um simples compasso e num crculo eu fao o mundo

2. Um menino caminha e caminhando chega no muro E ali logo em frente, a esperar pela gente, o futuro estE o futuro uma astronave Que tentamos pilotar No tem tempo nem piedadeNem tem hora de chegarSem pedir licena muda nossa vidaE depois convida a rir ou chorarNessa estrada no nos cabeConhecer ou ver o que virO fim dela ningum sabe Bem ao certo onde vai darVamos todos numa linda passarela De uma aquarela que Um dia, enfim Descolorir Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo Que descolorir E com cinco ou seis retas fcil fazer um castelo Que descolorirGiro um simples compasso e num crculo eu fao o mundo Que descolorir 3. ASA BRANCALuiz Gonzaga /H. Teixeira Quando olhei a terra ardendo, qual fogueira de So Joo, Eu perguntei a Deus do cu, ai, Porque tamanha judiao? (bis)Que braseiro, que fornalha! Nem um p de plantao...Por falta dgua perdi meu gado, morreu de sede meu alazo... At mesmo a Asa Branca bateu asas do serto...ento eu disse: "Adeus, Rosinha, guarda contigo meu corao!"Hoje, longe muitas lguas, numa triste solido,espero a chuva cair de novo pra eu voltar por meu serto...Quando o verde dos teus olhos se espalhar na plantao,eu te asseguro, no chores no, viu, que eu voltarei, viu pro meu serto! 4. BATE O SINO BATE O SINO PEQUENINO, SINO DE BELM!J NASCEU DEUS-MENINO PARA O NOSSO BEM!PAZ NA TERRA PEDE O SINO, ALEGRE A CANTAR!ABENE DEUS-MENINO, ESTE NOSSO LAR!Hoje a noite bela, vamos Capela, Sob a luz da vela, felizes a rezar!Ao soar o sino, sino pequenino, Vai o Deus-Menino nos abenoar!Vamos minha gente, vamos a Belm! Vamos ver Maria e Jesus tambm.J deu meia-noite, j chegou o Natal, J tocou o sino, l na Catedral! 5. BENKEMilton nascimento e Mrcio BorgesArranjo: S. Kerr um curumin BENKE BENKE um curumin BENKE um curumin BENKE um curumin Beija-flor me chamou: olha Lua branca chegou na hora O Beija-mar me deu prova: Uma estrela bem nova Na luminria da mataFora que vem e renova Beija-flor de amor me levaComo o vento levou a folhaMinha me soberanaMinha floresta de jiaTu que ds brilho na sombra Brilhas tambm l na praiaBeija-flor me mandou emboraTrabalhar e abrir os olhosEstrela dgua me molha Tudo que ama e chora Some na curva do rioTudo dentro e fora Minha floresta de jia Tem a guatem a gua tem aquela imensidotem sombra da floresta tem a luz do corao 6. CAADOR DE MIMMilton Nascimento Por tanto amor, por tanta emoo, a vida me fez assim:doce ou atroz, manso ou feroz...Eu: Caador de Mim!Preso canes, entregue paixes / que nunca tiveram fim...Vou me encontrar longe do meu lugar,Eu: Caador de Mim! Nada a temer seno o correr da luta,Nada a fazer seno esquecer o medo! Abrir o peito a fora numa procura,Fugir s armadilhas da mata escura... Longe se vai, sonhando demais, Mas onde se chega assim?Vou descobrir o que me faz sentir,Eu: Caador de Mim! 7. CANA FITA Eu plantei a cana / na rstia do solPra nascer melhor... / Nasceu a Cana Fita.A Usina apita, cana nas esteiras,Acar de primeira, tem a cor bonita! 8. CANO DA PARTIDA L l l ll l l Uh! Uh! Uh!Uh! L l l l l l lUh!... Uh!.... .... .... Uh! Uh!Uh!Uh! Uh!Uh!Uh! Uh!Vozes FemininasVai pro mar, trabalhar bem querer Voltar do mar um peixe bom trazer.Voltar e a Deus agradecer!Vozes Masculinhas Minha jangada vai sair pro mar vou trabalhar meu bem querer.Se Deus quiser quando eu voltar do mar um peixe bom eu vou trazer!Meus companheiros tambm vo voltare a Deus do cu vamos agradecer! 9. CANES E MOMENTOSMilton Nascimento H canes e h momentos que eu no sei como explicarEm que a voz um instrumento que eu no posso controlarEla vai ao infinitoEla amarra todos nsE um s sentimento na platia e na voz.H canes e h momentos em que a voz vem da raizEu no sei se quando triste ou se quando sou felizEu s sei que h momentos que se casam com canoDe fazer tal casamento vive a minha profisso. L l l... 10. CANTEN SEORES CANTORESFolclore da ArgentinaDum durum dum durum dum dum dum dumCanten seores cantores lo que venian cantandoCanten seores cantores lo que venian cantandoDom dom dom dom dom dom dom dom dom dom Y como recin llegado alza mi voz com receloDom dom dom dom dom dom dom dom dom dom Oh! Oh! Naranjales duraznales que bonitos carnavalesDom dom dom dom dom dom dom dom dom dom 11. CLAREANA Joice /Arranjo: Devanil Leandro Um corao de mel, de melo de sim e de no feito um bichinho no sol da manhnovelo de l, no ventre da me bate o corao de Refro Clara, Ana e quem mais chegar...gua, Terra, fogo e ar...(Repete toda a letra 1x) 12. CRAVO E CANELAMilton Nascimento / Ronaldo BastosEh! Morena, quem temperou? Cigana, quem temperou / o cheiro do cravo? Eh! Cigana, quem temperou? Morena, quem temperou / a cor de canela?A lua morena, a dana do vento, o ventre da noite, o sol da manh...A chuva cigana, a dana dos rios, o mel do cacau, o sol da manh...Eh! L, l, l... 13. CERTAS CANESMilton Nascimento Certas canes que ouo Cabem to dentro de mim Que perguntar carece Como no fui eu que fiz. Certa emoo me alcana Corta-me a alma sem dorCertas canes me chegamComo se fosse o Amor. 14. CIRANDA DA ROSA VERMELHAAlceu ValenaVoz feminina Teu beijo doce tem sabor do mel da cana Sou tua ama tua escrava teu amor Sou tua cama, teu engenho, teu moinho.Tu s feito o passarinho que se chama beija flor Quando tu voas pra beijar as outras floresEu sinto dores, um cime, um calor.Que toma o peito o meu corpo invade a alma s meu beija flor acalma tua escrava, meu Senhor Sou rosa vermelha ai meu bem quererBeija flor sou tua rosa hei de amar-te at morrer Sou rosa vermelha ai meu bem quererBeija flor sou tua rosa hei de amar-te at morrer Voz masculinaTem sabor mel da canaSou teu amor Cama teu moinho s Passarinho beija flor Pra beijar outras floresUm calor O meu corpo invade a Alma meu SenhorPARARARA RSou bem querer 15. Hei de amar-te at morrer 16. COMO UMA ONDA Nada do que foi ser de novo do jeito que j foi um dia.Tudo passa, tudo sempre passar...A vida vem em ondas como um mar, num indo e vindo infinito.Tudo que se v no igual ao que a gente viu a um segundo. Tudo muda o tempo todo no mun...do.No adianta fugir nem mentir pra si mesmo, agorah tanta vida l fora, aqui den...tro, semprecomo uma onda no mar. 17. CORAO CIVILQuero a utopia, quero tudo e maisQuero a felicidade nos olhos de um pai Quero a alegria muita gente felizQuero que a justia reine em meu Pas! Quero a liberdade, quero o vinho e o poQuero ser amizade, quero amor, prazerQuero nossa cidade sempre ensolarada Os meninos e o povo no poder, eu quero ver!So Jos da Costa Rica, corao civil, Me inspire no meu sonho de amor BrazilSe o poeta o que sonha o que vai ser realBom sonhar coisas boas que o homem faz E esperar pelos frutos no quintal. 18. CHORINHO Maria MeronEste chorinho, chorinho to miudinho, fica muito engraadinho se a gente solfejar: Do re re si si do do mi mi fa fa re re miChorinho quente no compasso to ardente, chorinho pra toda gente faz a gente se alegrar. Este chorinho no tem flauta ou cavaquinho tem um toque de carinho para a gente solfejar! Do re re si si do do mi mi fa fa re re mi Se voc gosta vou cantar mais uma vez, canto quatro cincoseis canto at o sol raiar! 19. CHORINHO NATALINO Neste Natal vamos louvar ao Criador de forma bem original, bem diferenteA Boa-Nova anunciando com amor Com este chorinho a cantar alegremente. O Deus-Menino em seu prespio deitadinhoH de aprovar com seu sorriso complacenteVendo que a gentefaz com carinho esta homenagem musica...al muito respeitosamente. Comemorando maneira brasileira com muito canto, muita dana, muita festa, uma emoo sincera e verdadeirade louvao a Deus em noite como esta.E escolhendo este chorinho saltitanteigual a muitos de um passado j distante, Quisemos reunirtodas as geraescantando... louvando... o Deus-Menino! Deus! 20. COTIDIANO (2)Hay dias que no se lo que me passa,Eu abro meu Neruda e apago o sol...Misturo poesia com cachaaE acabo discutindo futebol...MAS NO TEM NADA NO,TENHO MEU VIOLO! (Bis)Acordo de manh: po com manteiga E muito, muito sangue no jornal.A a crianada toda chegaE eu chego a achar Herodes natural... Depois fao a loteca com a patroaQuem sabe o nosso dia vai chegar...E rio, porque rico ri toa, Tambm no custa nada imaginar!s vezes quero crer mas no consigo, tudo uma total insensatez... A pergunto a Deus: "Escute, amigo,Se foi pra desfazer porque que fez?" 21. CURUZ VERRubem F. de OliveiraVoz FemininaCuruz ver de mi fervor expression de Amorsinti ho hay luz, pues tienes fulgores divinos que orientanseguros destinos curuz ver de migran passion Tienes la humildad de una oracin eres caridad, eres perdn. Y dejas en el peregrino A fanes de andar el camino Sinti no hay Amor. Curuz verVoz Masculina Vida sin destino, tiene el peregrinoSin un gran Amor.Vida desolada sin unalborada llena de dolorPero t le diste al que estu vo triste curuz verEsa luz radiosa siempre venturosa de la caridad. 22. DUAS CIRANDAS Folclore do RecifeVoz Masc.: Mandei fazer uma casa de farinha, bem maneirinha, que o vento possa levar Oi, passa sol, oi passa chuva, oi passa o vento, s no passa o movimento do cirandeiro a rodar.Voz Fem.: Achei bom, bonito, meu amor brincar! Ciranda maneira, vem c, cirandeiro, vem c balanar! 23. DUBAD. Jordan, J. ConstantinDu - ba du-bi du-wa ba-da- ba dab dab dab dab duDja bada da-ba du-bi du-bi du - wa shu- bida-badu bi da-ba duDu - ba du - ba du shu-bida badu-bi-da-ba 24. NATALH um tempo to bom l fora ...Tudo fica feliz e agoraos sinos vem anunciar: Natal! Natal! Natal!Muitos doces j esto na mesae uma vela bonita acesa. As luzes vem anunciar: Natal! Natal! Vamos logo dizer: Boa Noite!No Prespio vamos rezar... Os presentes j preparados,Amigos em paz e a cantar!E l fora grande alegria, Muita festa no dia-a-dia. A Estrela vem anunciar: Natal! Natal! Natal! 25. ESTO VOLTANDO AS FLORESPaulo Soledad V! Esto voltando as flores!V! Nesta manh to linda!V! Como bonita a vida!V! H esperana ainda...V! As nuvens vo passando... V! Um novo cu se abrindo...V! O sol iluminando / por onde ns vamos indo! 26. ESTRELAS Voz femininaPela marca que nos deixa a ausncia de som que emana das Estrelas,Pela falta que nos faz a nossa prpria luz a nos orientar... Doido corpo que se move, a solido nos bares que a gente frequenta... Pela mgica do dia, que independeria da gente pensar.No me fale do seu medo, eu conheointeira a sua fantasia... E como se fosse pouca e a tua alegria no fosse bastar...Quando eu no estiver por perto, canta aquela msica que a gente ria, tudo que eu cantaria e quando eu forembora voc cantar...Voz masculinaMarca que nos deixa a ausncia de som das Estrelas falta faz orientar. Corpo que se move a solido nos bares frequentaPela mgica do dia que independeria da gente pensar.No fale do medo eu conheo a fantasiaalegria fosse bastar.No estiver por perto canta aquela msica ria tudo que eu cantaria e quando eu for embora voc cantar... 27. GLRIA Surgem Anjos proclamando Paz Terra e a Deus louvor!Vo seus hinos ecoando nas montanhas em redor!Gl ..... .... ......... ......... .... ..... ........ ..... .......... ..... Gl ..... ..... ..... ..... ..... .... ... ... ..... ria! Gl ..... .....Gl......... ria! Gl - ria!Gl..... - ria.....! Gl - ria! ..... ria! Gl - ria_a Deus nas alturas!..... -ria! Gl - ria_aDeus nas alturas! Glria a Deus nas alturas! Vo-se alegres os pastores ver o Infante celestial! E acrescentam seus louvores ao louvor angelical! 28. GLRIA DE NATAL Glria! In Excelsius Deo Glria!Aleluia Glria! In Excelsius Deo Christ the lord is born Glria! 29. FELIZ NATAL Quero ver voc no chorar, no olhar pra trs nem se arrepender do que faz... Quero ver o amor vencer e se a dor nascer voc resistir e sorrir! Se voc pode ser assim, to enorme assim eu vou crer... Que o Natal existe, que ningum triste, que nomundo h sempre amor...Bom Natal, um Feliz Natal, muito amor e paz pra voc!... Pra voc! 30. HARMONIA S & GuarabiraComo um bicho da rua pode ter a alegria da rua pra morar Como aquele que no te pode termas tem nos pedaos que encontrar Entre o povo apressado na estaotem a felicidade de um olharUm momento qualquer de emoo e harmoniaUma noite se faz de escurecer madrugada se faz de clarear Mas a luz no escuro faz nascer todo brilho da noite seu olhar De manh o escuro ao morrervai nos mudar de dia e de prazer E assim que a gente vai viverem harmoniaHarmoniaHarmonia Harmonia ver o sol nascer com o brilho da lua ainda lHarmonia a ruae voc a luz do escuro no olharQue desejo to fcil de te terque presente difcil de ganhar 31. Mas a sina do homem procurar harmoniaHarmonia 32. HEY, HO!Hey, Ho! Nobody Home?Meat Nor, Drink Nor,Money Have I None.Still I Will be Very Merry!Hey, Ho! Nobody Home? 33. JARDIM DA FANTASIABem te viBem te viAndar por um jardim em florchamando os bichos de amor, sua boca pingava mel Ah!Bem te vi Bem te quis e ainda quero muito mais,maior que a imensido da paz e bem maior que o sol Ah! Onde ests voc por este cu azul andei estradas do alm onde estar meu bemOnde ests nas nuvens ou na insensatez me beije s mais uma vez depois volte pra l Ah! Ah! Bem te vi... Bem te vi... 34. JINGLE CORAL O que fazer pra alegrar a sua vidaSiga o velho ditado Quem canta seus males espantaQuem no canta um pobre coitadoCoral no tem contra-indicao receita natural Coral, corinho, coro bem gostoso e no faz malNo requer pratica Nem tampouco habilidade Alegria automticaMusical felicidadeVeja coral Oua coralPrestigie coral Cante coralCoral(Um produto com a qualidade)VocalVocal 35. LEOZINHO Caetano Veloso Gosto muito de te ver leozinho caminhando sob o sol.Para desentristrecer leozinho, o meu corao to s Pom pom pom pom pom pom Gosto muito de voc, leozinho! ta encontrar voc no caminho Ah! Ah! Raio da manh Um filhote de leo raio da manhO meu corao to s, pai de toda cor, Ah! Ah! pom pom pom pom pom pomArrastando meu olhar como um im. Quando ele me doura a pele.Gosto de te ver ao sol, leozinho Gosto de ficar ao sol, leozinho, de molhar minha juba, Pom pom pom pom pom pom Tua pele, tua luz, tua juba de estar perto de voc e entrar numa. 36. LO YISA GOYIs. 2:4Lo yisa goy / el goy cherev / lo yilmdu / od milchama Pronncia: Lo isa go / el go rerev / lo imadu / o milramaTraduo:"No levantar espada nao contra nao nem aprendero mais a guerrear" 37. MARIA, MARIA Maria, Maria um Dom, uma certa magia, uma fora que nos alerta.Uma mulher que merece viver e amar como outra qualquer do planeta.Maria, Maria o som, a cor, o suor, a dose mais forte e lenta. De umagenteque ri quando deve chorar, que no vive, apenas aguenta. Mas preciso Ter fora, preciso Ter raa, preciso Ter gana sempre!Quem traz no corpo a marca, Maria, Maria mistura a dor e a alegria.Mas, preciso Ter manha, preciso Ter graa, preciso Ter sonho sempre!Quem traz na pele essa marca Possui a estranha mania,De Ter f na vida! 38. MUL RENDEIRA Folclore do Nordeste OL MUL RENDEIRA!OL MUL RENDA...TU ME ENSINA A FAZER RENDAQUE EU TE ENSINO A NAMORAR! Lampio desceu a Serra,Deu um baile em Cajazeira.Chamou a moa donzela Pra danar "Mul Rendeira..."As moas de Vila Bela No tem mais ocupao... E s vivem na janela Namorando Lampio! 39. NATAL BRANCO Bem longe um murmrio leve...Os Sinos tocam sem cessar! o mundo inteiro que une suas almas parao Natal comemorar. Bem longe um murmrio leve... Os Sinos tocam sem cessar! Coraes unidos em prece... o Natal Feliz que chegou! Natal! 40. NESTE NATALNESTE NATAL H TANTA GENTE SEMUM AMOR, SEM UM PRESENTE...NESTE NATAL TENTE SER BOM COMALGUM, TENTE AMAR SEM TER QUE COBRAR...Neste Natal, quando a Ceia for comear, abra os portes! H sempre algum para entrar...H sempre algum com fome e sem um amor. D-lhe seu po, seu calor, d-lhe sua mo!... Neste Natal, quando as luzes da rvore acenderrefletida nas bolas vai ver uma lgrima de gratido... Desse algum que esta noite voc fez feliz... to fcil fazer o papel de Papai Noel! 41. NO LE DABA EL SOLNo le daba el solNo le daba el solNo le daba el sol Era la lunaNo le daba el solNo le daba el solNo le daba el solDe la media fortuna tengo un capullo Sieno es rosa cumplida tienelo suyoDe la media fortuna tengo un lindo capullo Sieno es rosa tienelo suyo 42. O CIO DA TERRA Milton Nascimento / Chico BuarqueDebulhar o trigo Recolher cada bago do trigoForjar do trigo o milagre do po E se fartar de poDecepar a canaRecolher a garapa da canaRoubar da cana a doura do mel Se lambuzar de mel Afagar a terra Conhecer os desejos da terra Cio da terra, propcia estaoE fecundar o cho 43. OS TRILHOS Porque o trem trava nos trilhos, desafio a incomodar...Meu corao de menino era puro palpitar... A certeza por um fio, fio de gua a minar,que eu trocava por um rio, que eu sonhava com o mar...Porque o sol dava nos trilhos com seu brilho a me cegar,porque o dia era bonito eu s pude acreditarNa promessa mas sublime, na tolice mais vulgar, de ver dois braos no mundo ecorrer para abraar...Mas o tempo anda nos trilhos, quem me leva e quem me traz... Quem rompeu coma cor do mundo nos meus olhos de rapaz...A paisagem e a ventura, guardo pra um dia lembrar. Corao quer ternura, no partir nem ficar. Porque o trem trava nos trilhos, desafio a incomodar...Meu corao de menino era puro palpitar... A certeza por um fio, fio de gua a minar,que eu trocava por um rio, que eu sonhava com o mar...Porque o sol dava nos trilhos com seu brilho a me cegar,porque o dia era bonito eu s pude acreditarNa promessa mas sublime, na tolice mais vulgar, de ver dois braos no mundo ecorrer para abraar...Mas o tempo anda nos trilhos, quem meleva e quem me traz... Quem rompeu coma cor do mundo nos meus olhos de rapaz...A paisagem e a ventura, guardo pra um dia lembrar. Corao quer ternura, no partir nem ficar. 44. O SAL DA TERRABeto Guedes / Ronaldo BastosAnda, quero te dizer nenhum segredo, Falo nesse cho da nossa casa,Vem que t na hora de arrumar... Tempo, quero viver mais duzentos anos,Quero no ferir meu semelhante Nem por isso quero me ferir...Vamos precisar de todo mundo Pra banir do mundo a opresso,Para construir a vida nova Vamos precisar de muito amor.A felicidade mora ao ladoE que no tolo pode ver A paz da terra, amor / O p na terra A paz na terra, amor / O sal da terra.s o mais bonito dos planetas! To te maltratando por dinheiro,Tu que s a nave, nossa irm.Canta, leva tua vida em harmonia E nos alimenta com teus frutos Tu que s do homem a maa...Vamos precisar de todo mundoUm mais um sempre mais que dois, Pra melhor juntar as nossas foras s repartir melhor o po. Recriar o paraso agora Para merecer quem vem depois... Deixa nascer o amor / Deixa fluir o amor!Deixa crescer o amor / deixar viver o amor! 45. O Sal da Terra 46. OUTRO NATALOutra vez os sinos tocam anunciando que a pazveio ao mundo sob a forma de crianaMas nosso mundo precisa conservas essa paz...H sempre algum espera que lhe estendam a mo!E S DEPENDE! A MO AMIGAPODE SER A NOSSA MO!NO DEIXA PRA DEPOIS... E ASSIM SERMAIS LINDO ESTE NATAL! 47. PELA LUZ DOS OLHOS TEUS Vincius de Moraes Arranjo: Hiplito RibasQuando a luz dos olhos meus e a luz dos olhos teus resolvem se encontrar...Ai que bom que isso meu Deus, que frio que me d o encontro desse olhar! Mas se a luz dos olhos teus resiste ao olhos meus s pra me provocar, Meu amor, juro por Deus, me sinto incendiar! Meu amor, juro por Deus que a luz dos olhos meus j no pode esperar...Que a luz dos olhos meus na luz dos olhos teus sem mais l i l i...Pela luz dos olhos teus eu acho meu amor que s se pode achar Que a luz dos olhos meus precisa se casar! A luz olharquero l l i!Olhos provocar... Olhos pode achar...Se casar! 48. PLANETA SONHO 14 Bis Aqui ningum mais ficar depois do solNo final ser o que no sei, mas serTudo demais nem o bem nem o mal S o brilho calmo dessa luz O planeta calma ser Terra O planeta sonho ser BelaE l no fim daquele mar a minha estrela vai se apagar Como brilhou fogo solto no caosAqui tambm bom lugar de se viver Bom lugar ser o que no sei, mas ser Algo a fazer bem melhor que a canoMais bonita que algum lembrar A harmonia ser Terra A dissonncia ser BelaE l no fim daquele azul os meus acordes vo terminar No haver outro som pelo ar O planeta sonho ser TerraA dissonncia ser BelaE l no fim daquele mar, a minha estrela vai se apagar Como brilhou fogo solto no caosAh____________ Ah____________ Ah___________ Ah ___________ O planeta sonho ser TerraA dissonncia ser BelaE l no fim daquele mar, a minha estrela vai se apagar Como brilhou fogo solto no caos 49. PRIMEIRO NATALAh! Um Anjo proclamou o Primeiro Natal a uns pastores ao p de Belm, l nos campos a guardar os rebanhos do mal, numa noite to fria e escura tambm... NATAL! (4x) nos nascido um rei divinal!E com eles vamos ns, com sincero fervor dar louvores a nosso Sublime Senhor!Que deixando os altos cus a este mundo baixou E morrendo na cruz nossas almas salvou. 50. PONTA DE AREIAMilton Nascimento Ponta de areia, ponto final da Bahia a Minas, estrada natural que ligava Minas ao Porto ao marCaminho de ferro mandaram arrancar. Velho maquinista com seu bonlembra o povo alegre que vinha cortejar. Maria Fumaa no canta ma...........a.....ispara moas, flores, janelas e quintais...Na praa vazia um grito Ah!Casas esquecidas, vivas nos portais... 51. RAA Milton Nascimento L vem a fora, l vem a magia, Que me incendeia o corpo de alegria! L vem a santa, maldita euforiaQue me alucina, me joga e me rodopia! L vem o canto, o berro de fera, L vem a voz de qualquer primavera! L vem a unha rasgando a garganta,A fome, a fria, o sangue que j se levanta! De onde vem essa coisa to minha,Que me aquece e me faz carinho?De onde vem essa coisa to crua, Que me acorda e me pe no meio da rua? um lamento, um canto mais puroQue me ilumina a casa escura. minha fora, nossa energia,Que vem de longe pra nos fazer companhia. Clementina cantando bonito, As aventuras de seu povo aflito. seu Francisco, bon e cachimboMe ensinando que a luta mesmo comigo. Todas Marias, Maria Dominga,Atraca Vilma, Tia Erclia, Monsuetto e Grande Otelo,Atraca, atraca que o Nan vem chegando! 52. REDESCOBRIRGonzaguinha Como se fora brincadeira de roda, memriaJogo do trabalho na dana das mos, maciasO suor dos corpos na cano da vida, histriaO suor da vida no calor de irmos, magia Como um animal que sabe da floresta, perigosaRedescobrir o sal que est na prpria pele, maciaRedescobrir o doce no lamber das lnguas, maciasRedescobrir o gosto e o sabor da festa, magia Vai o bicho homem fruto da semente, memria Renascer da prpria fora, prpria luz e f, memriaEntender que tudo nosso, sempre esteve em ns, histria Somos a semente, ato, mente e voz, magia No tenha medo, meu menino bobo, memriaTudo principia na prpria pessoa, belezaVai como a criana que no teme o tempo, mistrioAmor se fazer to prazer / que como fosse dor, magia 53. ROCK MY SOUL Rock my soul In the bosom of Abraham(trs vezes)Oh! Rock my soul.So High I cant get over it.So Low I cant get over it.So Wide I cant get around.Oh! Rock my soul. Rock my soul. Rock my soul. Rock my soul.Oh! Rock my soul. (Yeah!) 54. SAMBA EM PRELDIO Vincus de Moraes / Baden PowellEu sem voc No tenho porquePorque sem voc no sei nem chorarSou chama sem luz Jardim sem luar Luar sem amor Amor sem se dar Eu sem voc Sou s desamor Um barco sem mar Um campo sem flor Tristeza que vai Tristeza que vemSem voc, meu amor, eu no sou ningum Ah, que saudade! Que vontade de ver renascer nossa vida.Volta, querido! Teus abraos precisam dos meus Os meus braos precisam dos teus.Estou to sozinha! Tenho os olhos cansados de olhar para o alm Vem ver a vida Sem voc, meu amor, eu no sou ningum. 55. SE BASTASSE UMA CANOEros RamazzottiSe bastasse cantar com ternura / pra acalmar esses diasem que os homens perderam a doura / de cantar morreria...Mas quem sou eu? Mas quem sou eu? Simples cigarra em que voz escrava da melodia!Se bastasse a cano da esperana / pra inundar de alegria A tristeza de nossas crianas, / de cantar morreria... Mas quem sou eu? Mas quem sou eu?Simples cigarra nas cenas profanas da poesia?Se bastasse cantar compassiva / pra a aplacar a agonia Dessas terras de gente cativa, / de cantar morreria...Mas quem sou eu? Mas quem sou eu? Simples agente da estrela, regente das sinfonias! PRECISO MUITO, MUITO MAIS, / GENTE CANTANDO! PRECISO MUITO, MUITO MAIS! QUASE UM ESFORO SOBRE HUMANOPRA CONSEGUIR MUDAR OS PLANOS! PRECISO MUITO, MUITO MAIS, / GENTE CANTANDO! PRECISO MUITO, MUITO MAIS! CANTAR A PAZ NO MUNDO INTEIRO, QUASE UM ESFORO DERRADEIRO! Se bastasse cantar com brandura / pra estancar a sangria Pra o Universo viver com candura / de cantar morreria...Mas quem sou eu? Mas quem sou eu? Simples cantante das noites danantes das fantasias! PRECISO MUITO, MUITO MAIS, / GENTE CANTANDO! 56. PRECISO MUITO, MUITO MAIS! CANTAR, CANTAR QUE AINDA TEMPO! UMA CANO SEM SOFRIMENTO! PRECISO MUITO, MUITO MAIS, / GENTE CANTANDO! PRECISO MUITO, MUITO MAIS!CANTAR COM O CU, COM OS MOVIMENTOS! CANTAR COM A LUZ, COM OS ELEMENTOS! 57. SOBRADINHO S & GuarabiraO homem chega j desfaz a natureza, tira a gente pe represa, diz que tudo vai mudarO So Francisco l pr cima da Bahia,Diz que dia menos dia vai subir bem devagar.E passo a passo vai cumprindo a profeciaDo beato que dizia que o serto ia alagar,O serto vai virar mar, d no corao,O medo que algum dia o mar tambm vire serto.Vai virar mar, d no corao,O medo que algum dia o mar tambm vier serto.Adeus Remanso, Casa Nova, Santo S, Adeus Pilo Arcado, vem o rio te engolir,Debaixo dgua l se vai a vida inteira, Por cima da cachoeira o gaiola vai subir. Vai ter barragem no salto do Sobradinho, E o povo vai se embora com medo de se afogar.Remanso, Casa Nova, Santo S, Pilo Arcado, Sobradinho adeus, adeus. 58. S QUERO UM XOD Que falta eu sinto de um bem... / Que falta me faz um xod...Mas como eu no tenho ningum / Eu levo a vida assim, to s...Eu s quero um amor / que acabe o meu sofrer...Um xod pra mim, do meu jeito assim / que alegre o meu viver! 59. THIS PRETTY PLANETThis pretty planet / spinning through space. Youre a garden, youre a harbour, youre a holy place.Golden sun goindown / Gentle blue giant / Spin us aroundAll through the night / safe till the morning light. 60. TRAVESSIALa la la la lai a la la lai a la la lai a laLa la la la la Quando voc foi embora fez se noite em meu viverForte eu sou mas no tem jeito hoje eu tenho que chorarMinha casa no minha e nem meu este lugarEstou s e no resisto tenho muito que falar Solto a voz nas estradas j no quero parar Meu caminho de pedra como posso sonharSonho feito de brisa vento vem terminarVou fechar o meu pranto vou querer me matarVou seguindo pela vida me esquecendo de voc J no quero mais a morte tenho muito que viver Vou querer amar de novo e se no der no vou sofrerJ no sonho hoje fao com meu brao meu viver. 61. TOCANDO EM FRENTEAlmir SaterVozes FemininasAndo devagar porque j tive pressae levo esse sorriso, porque j chorei demais Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe eu s levo a certeza de que muito pouco eu sei, eu nada sei... L, l, la... preciso o amor pra poder pulsar, preciso paz pra poder sorrir, preciso a chuva para florir. Penso que cumprir a vida seja simplesmente compreender a marcha, ir tocando em frentecomo um velho boiadeiro levando a boiada, eu vou tocando os dis pela longa estrada eu vou, estrada eu sou. Todo mundo ama um dia todo mundo chora,um dia a gente chega, no outro vai emboraCada um de ns compe a sua histria,e cada ser em si, carrega o dom de ser capaz, e ser felizVozes MasculinasAh! Devagar... j chorei... Ah! Mais feliz... pouco eu sei... / Eu nada sei!Conhecer as manhas e as manhs, o sabor das massas e das mas, preciso o amor pra poder pulsar, preciso paz pra poder sorrir, preciso a chuva para florir. Ah! Simplesmente... compreender.Ah! vai levando... longa_estrada... / Estrada eu sou!Ah! Chora_um dia... vai embora... Tem... sua_histria... ser capaz... / e ser feliz! 62. TOCAM OS SINOS Tocam os sinos: Blm, blm, blm!Anuanciando que Cristo nasceu em Belm, Belm, que nasceu em Belm! E a Estrela cintila em Belm... E sorri um menino em Belm... 63. TUDO QUE EU CANTO VALE A PENALuciano Carvalho Tudo que eu canto vale a pena. Tudo que eu canto vale a penaSei que nunca vou parar de cantar. Sei que nunca vou parar de cantar. Vale a pena, vale a pena, vale a pena, Vale a pena, vale a pena, vale a pena. 64. VAMOS COMEMORARNesses dias tudo fica diferente! Somos muitos, somos elos da corrente... Velhos sonhos no corao dando asas imaginao... O amor maior! Esperanas de um mundo melhor!Nesses dias as pessoas se procuram... Os perfumes nos abraos se misturam...Confiana no que vir,o que for para ser ser!Tenha um Feliz Natal e um Ano Bom que est pra chegar!VEM SONHAR! VEM CANTAR!NESSE ANO A TRISTEZA NO TEM LUGAR!VEM SONHAR! VEM CANTAR!ABRAAR OS AMIGOS, COMEMORAR! (CHORAR...) 65. VIRA VIROU Kleiton e Kledir Vozes Femininas Vou voltar na primavera,era tudo que eu queria Levo terra nova daqui...Quero ver o passaredo pelos portos de Lisboa, Voa! Voa! Que eu chego j... Ai, se algum segura o leme,desta nave incandescente,Que incendeia minha vidaque era viajante e lentaTo faminta de alegria, hoje porto de partida...Ah! Vira, virou! Meu coraonavegador! Ah! Gira, girou! Esta gale......ra! Vozes MasculinasVo.......ou voltar, queria.Levo, terra, nova daqui. Quero ver o passaredo voltar! Voa!(x) Voa! (x) Voa! Que eu chego j... Ai, leme incandescente vida Viajante e lenta.To faminta de alegria, Hoje porto de partida...Ah! Ah! Vira virou! Meu corao... Corao navegador! Ah! Gira, girou! Esta galera!