LISTA DE EXERCÍCIOS 1 - dio... · PDF fileHistória: das cavernas ao...

Click here to load reader

  • date post

    08-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    220
  • download

    4

Embed Size (px)

Transcript of LISTA DE EXERCÍCIOS 1 - dio... · PDF fileHistória: das cavernas ao...

  • LISTA DE EXERCCIOS

    1 Disciplina: Histria Professor: Gldio Srie: 1 Ensino Mdio

    Aulas 1 a 4

    Introduo Histria / Pr-Histria

    01. (UnB/DF) No limiar do sculo XX, s vsperas da Primeira Guerra Mundial, o historiador francs Ernest Lavisse fornecia as instrues para o ensino de Histria aos jovens de seu tempo, das quais reproduz-se o trecho seguinte:

    Ao ensino histrico incube o dever glorioso de fazer amar e de fazer compreender a ptria, todos os nossos heris do passado, mesmo envolto em lendas. Se o estudante no leva consigo a viva lembrana de nossas glrias nacionais, se no sabe que nossos ancestrais combateram por mil campos de batalhas por nobres causas, se no aprendeu o que custou o sangue e o esforo para constituir a unidade da ptria e retirar, em seguida, do caos de nossas instituies envelhecidas, as leis sagradas que nos fizeram livres, se no se torna um cidado compenetrado de seus deveres e um soldado que ama a sua bandeira, o professor perdeu seu tempo.

    Com o auxlio das ideias defendidas pelo historiador Lavisse, aponte o item verdadeiro.

    a) A Histria escrita pelos pesquisadores e deve ser ensinada pelos mestres com o compromisso de quem pesquisa e ensina as grandes questes de seu tempo. b) A viso excessivamente patritica do autor expe concepes que, no alvorecer do sculo XX, entendiam que o historiador tinha como funo glorificar a nao, o Estado e as instituies. c) O ensino histrico, no contexto do Brasil contemporneo, deve ser, sobretudo, um instrumento de combate para fazer com que as armas intelectuais estejam a favor da unidade da ptria e do amor de cada cidado pela sua bandeira. d) A revoluo metodolgica no ensino de Histria tornou-a, no fim do sculo XX, completamente racional e neutra, sem qualquer possibilidade de interferncia da ideologia na teoria.

    02. (ENEM) Se compararmos a idade do planeta Terra avaliada em quatro e meio bilhes de anos com a de uma pessoa de 45 anos, ento quando comearam a florescer os primeiros vegetais, a Terra j teria 42 anos. Ela s conviveu com o homem moderno nas ltimas quatro horas e, h cerca de uma hora, viu-o comear a plantar e a colher. H menos de um minuto percebeu o rudo de mquinas e de indstrias e, como denuncia uma ONG de defesa do meio ambiente, foi nesses ltimos sessenta segundos que se produziu todo o lixo do planeta!

    O texto acima, ao estabelecer um paralelo entre a idade da Terra e a de uma pessoa, pretende mostrar que:

    a) A agricultura surgiu logo em seguida aos vegetais, perturbando desde ento seu desenvolvimento. b) O ser humano s se tornou moderno ao dominar a agricultura e a indstria, em suma, ao poluir. c) Desde o surgimento da Terra, so devidas ao ser humano todas as transformaes e perturbaes. d) O surgimento do ser humano e da poluio cerca de dez vezes mais recente que o do nosso planeta. e) A industrializao tem sido um processo vertiginoso, sem precedentes em termos de dano ambiental.

    03. Qual das proposies melhor define a ideia de documento para o historiador?

    a) Todo e qualquer material que sirva de base para a interpretao dos processos que levam s transformaes sociais, econmicas, polticas e culturais ocorridas nas sociedades ao longo do tempo. b) Somente o material escrito por representantes das diferentes instituies oficialmente reconhecidas. c) Toda e qualquer representao grfica feita pelo homem, independente do tempo e do espao. d) Cartas, depoimentos, pinturas e outros materiais que possam fornecer verdadeiras informaes sobre uma civilizao. e) Qualquer manifestao humana, desde que retrate, fielmente, os acontecimentos do passado.

  • Lista 1 | Histria | Aulas 1 a 4: Introduo Histria / Pr-Histria - 2 -

    04. (UnB/DF) A 13 de julho de 1914, no momento em que uma Europa conturbada assistia ao incio da Primeira Guerra Mundial, o historiador Marc Bloch comeou sua palestra para jovens estudantes franceses com as seguintes palavras:

    Como vocs sabem, sou professor de Histria. O passado forma a matria que eu ensino. Conto-lhes batalhas que no vi, descrevo-lhes monumentos desaparecidos muito antes de meu nascimento, falo-lhes de pessoas que nunca encontrei. E minha situao a de todos os historiadores. Dos acontecimentos de outrora no temos um conhecimento imediato e pessoal, comparvel, por exemplo, quele que seu professor de Fsica tem da eletricidade.

    A partir do texto acima e considerando aspectos tericos e metodolgicos que envolvem o estudo da Histria, julgue os itens que se seguem, assinalando certo (C) ou errado (E):

    (1) Voltada para a investigao do passado em si mesmo, a Histria afasta-se do presente justamente para garantir a necessria objetividade cientfica, sem a qual o ofcio de historiador carecer de credibilidade. (2) Ao comparar a Fsica com a Histria, Marc Bloch sugere que ambas fazem uso do mesmo mtodo de trabalho cientfico, ainda que seus objetos de estudo sejam distintos. (3) No tendo testemunhado grande parte dos acontecimentos sobre os quais discorre, ao historiador cumpre encontrar e examinar as mais diversas fontes documentais relativas a esses fatos para elaborar o conhecimento acerca do passado. (4) Infere-se do texto que, em ltima anlise, o ofcio de historiador no passa de fico: impossibilitado de ter um conhecimento imediato e pessoal dos fatos, ele se v impelido a reconstruir o passado da maneira que melhor lhe parecer.

    05. Aponte, dentre as alternativas abaixo, aquela que mais se aproxima de uma possvel ligao da Histria com o tempo presente:

    a) Por englobar uma temporalidade diferenciada, a Histria no tem instrumental terico suficiente para interpretar o presente com base em acontecimentos passados. b) Por tratar nica e exclusivamente do passado, a Histria mais se preocupa com o acmulo do conhecimento do que a criao de um esquema que permita ligar os tempos presente e passado. c) Por ser encarada como uma cincia, a Histria serve de inspirao aos homens para atuarem como agentes transformadores da realidade estabelecida. d) Por ser vista como depositria do conhecimento humano, a Histria mais uma fonte de informaes sobre acontecimentos do passado do que um meio para se pensar e transformar o presente. e) Por ser uma cincia atemporal, a Histria procura ausentar-se de discusses mais imediatistas.

    06. (ENEM)

    Documento I

    O cmputo da Idade da Terra Anos

    Da Criao at o Dilvio 1 656

    Do Dilvio at Abrao 292

    Do nascimento de Abrao at o xodo do Egito 503

    Do xodo at a construo do Templo 481

    Do Templo at o Cativeiro 414

    Do Cativeiro at o nascimento de Jesus Cristo 614

    Do nascimento de Jesus Cristo at hoje 1 560

    Idade da Terra 5 520

  • Lista 1 | Histria | Aulas 1 a 4: Introduo Histria / Pr-Histria - 3 -

    Documento II

    Avalia-se em cerca de quatro e meio bilhes de anos a idade da Terra, pela comparao entre a abundncia relativa de diferentes istopos de urnio com suas diferentes meias-vidas radioativas.

    Considerando os dois documentos, podemos afirmar que a natureza do pensamento que permite a datao da Terra de natureza:

    a) Cientfica no primeiro e mgica no segundo. b) Social no primeiro e poltica no segundo. c) Religiosa no primeiro e cientfica no segundo. d) Religiosa no primeiro e econmica no segundo. e) Matemtica no primeiro e algbrica no segundo.

    07. Arquivo: conjunto de documentos manuscritos, grficos, fotogrficos, etc., recebidos ou produzidos oficialmente por uma entidade ou por seus funcionrios, e destinados a permanecer sob a custdia dessa entidade ou funcionrios. Lugar onde se recolhem e guardam esses documentos.

    FERREIRA, A. B. H. Dicionrio bsico da lngua portuguesa. So Paulo: Nova Fronteira, 1995, p. 60.

    Figurando dentre os mais conhecidos e vigiados arquivos do mundo, podemos destacar o da Cidade do Vaticano. De acesso restrito a um seleto grupo catlico, seus documentos vm despertando a curiosidade de pesquisadores h vrios sculos. E, ao que parece, no ser to j que os interessados podero vasculhar as mais de duzentas prateleiras repletas de preciosidades histricas. Por que a Igreja faz questo de manter o sigilo acerca desta vasta documentao?

    a) Assuntos religiosos devem ser tratados somente pelas autoridades por eles responsveis. b) O acesso a tais registros poderia danificar sua frgil composio. c) O mundo no estaria suficientemente preparado para vislumbrar todas as revelaes conservadas pela Igreja catlica. d) No existe uma logstica adequada que permita o acesso documentao sem a destruio da mesma. e) Para evitar possveis divergncias entre as interpretaes histricas da comunidade cientfica e o pensamento clerical.

    08. (UFLA/MG) Leia o seguinte comentrio:

    Ao trabalhar as fontes histricas, o historiador lida tambm com o tempo. E isso mais complexo do que parece primeira vista. O senso comum tende a considerar o tempo como algo fludo que avana implacavelmente para o futuro, um ambiente dentro do qual os fatos se sucedem. Em outras palavras, o contnuo passado, presente, futuro. Mas as coisas no so bem assim.

    BRAIK & MOTA. Histria: das cavernas ao terceiro milnio. So Paulo: Moderna, 2002, p. 10.

    No texto acima, define-se o conceito de tempo. Sabendo que na Histria so conhecidos os conceitos de Tempo Fsico e Tempo Histrico, numere a coluna II de acordo com a coluna I. A seguir, marque a alternativa correta.

    Coluna I Coluna II

    1. Tempo Fsico/Cronolgico. No regular e linear, nem definido por fenmenos fsicos. [ ] 2. Tempo Histrico. formado por diferentes duraes, j que est vinculado s aes dos grupos

    humanos e aos fenmenos que resultam dessas aes. [ ] Os astrnomos, na Babilnia, definiam o incio do dia quando o Sol estava a pino, no seu ponto mais alto do cu. [ ]

    a) 2 2 1. b) 2 1 2. c) 1 2 1. d) 1 1 2. e) 1 2 2.

  • L