Livro10 Calculos hidrologicos

download

of 452

  • date post

    07-Jun-2015
  • Category

    Education
  • view

    30.273
  • download

    2

Embed Size (px)

transcript

  • 1. 1Clculos hidrolgicos hidrulicos para obras municipais Captulo 1 Conceito de reservatrio de deteno (piscino) Engenheiro Plnio Tomaz pliniotomaz@.uol.com.br 05/05/02Clculos hidrolgicos e hidrulicos para obras municipais 5 de maio de 2002 1-1

2. 2Clculos hidrolgicos hidrulicos para obras municipais Captulo 1 Conceito de reservatrio de deteno (piscino) Engenheiro Plnio Tomaz pliniotomaz@.uol.com.br 05/05/02 Clculos hidrolgicos e hidrulicos para obras municipais Microdrenagem: galerias Macrodrenagem: canais Bueiros para travessias de estradas Vertedores e orifcios Routing do reservatrio Mtodo Racional Mtodo Santa Brbara Mtodo do SCS Mtodo do SCS TR-55 Mtodo de Denver Pr-dimensionamento de piscino: 11 mtodos Piscines Equao das chuvas Chuva excedente pelo mtodo do nmero CN do SCN Frmula de Manning Transporte de slidosISBN 85-87678-07Livro publicado em papel em 25 de setembro de 2002- ESGOTADO 1-2 3. 3 Clculos hidrolgicos hidrulicos para obras municipaisCaptulo 1 Conceito de reservatrio de deteno (piscino)Engenheiro Plnio Tomaz pliniotomaz@.uol.com.br 05/05/02Dedico este livro a minha mulher Edithaos meus filhos: Plnio Augusto, Luciana, Fabianaaos netos Thais, Ana Carolina, Beatriz e Lucasaos genro e nora Ivansio e Ana Claudia Efz Deus o firmamento, e dividiu as guasque estavam por baixo do firmamento, das queestavam por cima do firmamento Gnesis 1:7Alguns cientistas acreditam que pequenos cometas entre 20ton a 40ton caem na Terracaem como bolas de gelo e se derretem. Em cada 10.000anos a Terra tem mais de 6mm de guapor toda a sua superfcie. Isto faz suspeitar que a bblia estava certa e que a gua vem de cimado firmamento.E.C. Pielou Fresh Water in The big splash, 1990 L. A. Frank1-3 4. 4 Clculos hidrolgicos hidrulicos para obras municipaisCaptulo 1 Conceito de reservatrio de deteno (piscino)Engenheiro Plnio Tomaz pliniotomaz@.uol.com.br 05/05/02 Comunicao com o autor Engenheiro Plnio Tomaz Telefone: (011) 2455-0149e-mail: pliniotomaz@uol.com.br1-4 5. 5Clculos hidrolgicos hidrulicos para obras municipais Captulo 1 Conceito de reservatrio de deteno (piscino) Engenheiro Plnio Tomaz pliniotomaz@.uol.com.br 05/05/02Apresentao Como membro da Associao dos Engenheiros, Arquitetos e Agrnomos de Guarulhosparticipamos junto com os tcnicos da Prefeitura Municipal de Guarulhos da elaborao doCdigo de Obras de Guarulhos. Acrescentamos ao cdigo de obras a necessidade de seelaborar piscino em reas particulares alm de 10.000m2. Da comeamos a treinar osengenheiros de Guarulhos a como dimensionar um piscino. Fizemos trs palestras e docontato com os engenheiros e arquitetos tive que explicar cada vez mais, at que finalmentenasceu este livro.Aplicamos na cidade de Mairipor o dimensionamento de bueiros, pontes, canais egalerias. A experincia que tive na Prefeitura Municipal de Guarulhos e Mairipor mostrou anecessidade de explicar o funcionamento de um bueiro de uma maneira bem simples. Tiveoportunidade de ver inmeros bueiros mal dimensionados e que no funcionaram.Procuramos tambm explicar da melhor maneira possvel o clculo do tempo deconcentrao e da chuva excedente, que causam grandes problemas nos projetos de drenagem.No que se refere ao perodo de retorno procuramos facilitar a compreenso e fornecermais elementos para a deciso.Sempre nos baseamos nos conselhos do prof. dr. Kokei Uehara de que o engenheirono deve ficar s na teoria, tendo que ir ao campo e praticando os seus conhecimentos.Cada captulo pode ser lido separadamente, o que facilita a compreenso dos vriosassuntos.O livro trs tpicos importantes em Hidrologia e Hidrulica para ser relembrado aengenheiros e estudantes. O objetivo aplicao em obras de drenagem urbana e excelentepara os meus colegas engenheiros civis que trabalham em prefeituras do interior onde nodispem de firmas de consultorias para elaborar os seus projetos.Procurei de uma maneira bastante simples explicar o dimensionamento de reservatriode deteno, ou seja, os piscines, bem como galerias, canais e bueiros.No que se refere a piscines o livro explica mais em detalhes para perfeitoentendimento. So explicadas onze maneiras de fazer um pr-dimensionamento de umpiscino e a verificao atravs do Routing do reservatrio. So explicados tambm comdetalhes o mtodo racional para reas menores que 3km2, mtodo de Santa Brbara parareas at 50km2, Mtodo do SCS, o mtodo de Denver, bem como o mtodo SCS TR-55 parareas para at aproximadamente 280km2. fcil a aplicao do livro com uso de micro-computadores usando planilhaseletrnicas do tipo Excel da Microsoft.Agradeo a Deus, o Grande Arquiteto do Universo, a oportunidade em podercontribuir na procura do conhecimento com a publicao deste livro. Guarulhos, 17 de abril de 2002Engenheiro civil Plnio Tomaz 1-5 6. 6 Clculos hidrolgicos hidrulicos para obras municipaisCaptulo 1 Conceito de reservatrio de deteno (piscino)Engenheiro Plnio Tomaz pliniotomaz@.uol.com.br 05/05/02 PrefcioQuem j trabalhou em reas de planejamento, projeto, execuo de obras e namanuteno de instalaes prediais, deve ter enfrentado muitas dificuldades por falta dedados. Na verdade este um problema crnico generalizado na rea de engenharia no nossopas, uma vez que no muito usual os nossos colegas publicarem artigos sobre asdificuldades que desafiaram e as solues encontradas. Porm, neste livro intitulado Previsode Consumo de gua, o engenheiro Plnio Tomaz, fugindo da regra acima comentada, deixapara os tcnicos em geral que atuam na rea de instalaes a sua experincia profissional de34 anos como engenheiro hidrulico e sanitarista.Os tcnicos e pesquisadores do ramo podero encontrar aqui respostas para suasdvidas quanto ao consumo e a desagregao da gua nos prdios comerciais, industriais,postos de gasolina e lava-rpidos, bem como caminhos suaves para o dimensionamento deligao de gua e esgoto sanitrio.Este livro ser de muito utilidade para engenheiros, tecnlogos, arquitetos e tcnicosde nvel mdio que trabalham na rea de instalaes prediais.O eng Plnio Tomaz formado em engenharia civil pela Escola Politcnica daUniversidade de So Paulo em 1966. Participou de diversos cursos de ps-graduao eespecializao na EPUSP, sob minha orientao. Foi professor e colega do Departamento deHidrulica da Faculdade de Tecnologia de So Paulo do Centro Estadual de EducaoTecnolgica Paula Souza da UNESP. Assim sendo tive o privilgio e oportunidade deacompanhar a ascenso cientfica, tecnolgica e educacional do autor que se nota nestetrabalho.O fato de publicar este livro para ajudar os tcnicos da rea de instalaes prediaiscom linguagem simples e abundncia de dados e indicando uma farta bibliografia, citandoentre outros livros didticos tais como Manual de Hidrulica do Professor Dr. JosMartiniano de Azevedo Netto, 8a edio, 1999 e Coleta e Transporte de Esgoto Sanitriodoprofessor Dr. Pedro Alem Sobrinho e Professor Dr. Milton Tomoyuki Tsutiya, 1a edio,1999, mostra a sua formao de educador e tcnico. J o seu lado cientfico nivelado pelacitao de vrios trabalhos de pesquisas, tais como a dissertao de mestrado e tese dedoutoramento do Professor Dr. Orestes Marracini Gonalves. muito oportuno a publicao deste livro no mercado nacional para os estudiosos etcnicos da rea de instalaes prediais. Dr. Kokei UeharaProfessor Titular da EPUSP1-6 7. 7 Clculos hidrolgicos hidrulicos para obras municipaisCaptulo 1 Conceito de reservatrio de deteno (piscino)Engenheiro Plnio Tomaz pliniotomaz@.uol.com.br 05/05/02CURRICULUM VITAEPlnio Tomaz, formou-se engenheiro civil em 1966, pela Escola Politcnica daUniversidade de So Paulo. Neste ano assumiu a Diretoria de guas e Esgotos na PrefeituraMunicipal de Guarulhos, na qual atuou por 30 anos.Foi fundador do SAAE (Servio Autnomo de gua e Esgoto) de Guarulhos e atuouem reas como administrao, projetos de abastecimento de gua e esgotos sanitrios,construo de obras de saneamento bsico, manuteno e operao. Fez parte do ConselhoEstadual de guas e Esgotos como representante de Guarulhos. scio da AWWA(American Water Works Association), ABES (Associao Brasileira de EngenhariaSanitria), IWA (International Water Association), WQA (Water Quality Association) eABAS (Associao Brasileira de guas Subterrneas).Em Guarulhos, executou 1.610 km de rede de gua desde 75mm at 1.400mm, 963 kmde rede de esgoto sanitrio, estao de tratamento de gua potvel, estaes de elevatrias degua potvel, boosters fixos e removveis, reservatrios de concreto e ao. Em 1968,inaugurou uma oficina de hidrmetros feita somente com funcionrios do SAAE deGuarulhos.Paralelamente ao cargo efetivo de Diretor, exerceu durante muitos anos o cargo deSuperintendente do SAAE de Guarulhos. Na rea administrativa, implantou a emisso econtrole de contas de gua no SAAE e impostos prediais e territoriais urbanos na PrefeituraMunicipal de Guarulhos.Sob a orientao do prof dr. Kokei Uehara, participou de diversos cursos de ps-graduao e especializao na Escola Politcnica da USP e na Faculdade de Sade Publica deSo Paulo. Ministrou aulas de Hidrulica na CETESB, como consultor, e na Faculdade deTecnologia de So Paulo (FATEC) da Universidade Jlio de Mesquita Filho (UNESP).Foi Professor Assistente, Coordenador do Ncleo de Pesquisas Hidrulicas e fez parteda Congregao da FATEC.No SAAE, teve a oportunidade de fazer inmeras pesquisas, como determinao doserros em medidores, instalaes de hidrmetros em prdios de apartamentos, determinao doCoeficiente C de Hazen-Willians em redes de gua e utilizao de novos materiais, como porexemplo, o tubo de PEAD (Polietileno de Alta Densidade), utilizao do til radial para redesde esgotos e pesquisas da deformao diametral dos nos tubos de plsticos para esgotos sobefeitos de cargas mveis.Aposentado do SAAE de Guarulhos em 1996, assumiu o cargo de Diretor deExplorao Mineral, no Departamento Nacional de Produo Mineral (DNPM), do Ministriode Minas e Energia (MME) em julho de 1997 at agosto de 1999. Atualmente vice-presidente do Conselho Deliberativo do SAAE de Guarulhos. membro do Sub-comit Juqueri-Cantareira e membro suplente do Comit do AltoTiet e relator