Mais Notícias #521

Click here to load reader

  • date post

    22-Mar-2016
  • Category

    Documents

  • view

    229
  • download

    7

Embed Size (px)

description

Edição de 19 de abril de 2012

Transcript of Mais Notícias #521

  • Populao se movimenta em prol da CEI da Sade

    Novo comandante da PM fala ao Mais Notcias

    O capito do 30 BPM, Maurcio Kupstaite, concedeu entrevista exclusiva ao jornal Mais Notcias em que falou dos planos da Polcia Militar para a

    cidade e tambm da situao atual da segurana em Ribeiro Pires. A cor-porao, que recentemente entregou novas viaturas em Ouro Fino, deve

    promover um trabalho mais amplo, ambrangendo inclusive o trnsito.

    QUINTA-FEIRA | 19 DE ABRIL DE 2012Ano IX | ED. 521

    Jornalista Responsvel:Danilo Meirawww.jornalmaisnoticias.com.br

    Multa para quem dirigir embriagado passa de R$ 1.900

    Leia uma reflexo sobre o embate entre

    Prefeitura e SPMar

    Maria Ins e Haddad confirmam participao

    de ex-presidente

    Cmara endurece ainda mais a Lei Seca

    Embargo para ingls

    ver

    Lula ir participar das campanhas

    municipais

    EDUCAMAIS TRNSITO

    EDITORIAL| PG.13

    | PG.02

    POLTICA | PG.05

    MAIS TURSMO | PG.09

    Mais Notcias estria novo caderno de turismo

    CIDADE | PG.06

    POLTICA | PG.04

  • Em 2005, o Deputado Fe-deral pelo PTB, Roberto Jeffer-son, denunciou imprensa um esquema fraudulento que ficou conhecido como Mensalo. Atra-vs dele, os parlamentares de direita, aliados do Poder Execu-tivo, recebiam, periodicamente, verbas para votar favoravelmen-te nas decises da Cmara dos Deputados. Dois anos depois, em 2007, O STF (Supremo Tribu-nal Federal) acatou a denncia formulada pelo Ministrio P-blico Federal, e acusou 40 pes-soas, como o Deputado Federal Jos Dirceu que, pressionado, entregou o cargo de Chefe da Casa Civil, brao direito da pre-sidncia, sendo cassado e fican-do inelegvel por oito anos, at 2015.

    O Ministro do STF Joaquim Barbosa, relator do feito, consi-derou como cabeas do esque-ma os ex-deputados Jos Dirceu e Jos Genono, este tambm presidente do PT poca. Alm deles, Delbio Soares e Silvio

    Pereira, ex-tesoureiro e ex-se-cretrio-geral, respectivamente, junto com os j citados, foram denunciados por formao de quadrilha, cuja pena, segundo o Cdigo Penal, de um a trs anos de priso e corrupo ati-va, com pena entre 2 e 12 anos de priso. O empresrio Marcos Valrio, seus scios Ramon Car-doso, Cristiano Paz e Rogrio Tolentino, Simone Vasconcelos e Geiza Dias, do chamado ncleo publicitrio-financeiro, foram tipificados em ao menos trs crimes: formao de quadrilha, corrupo ativa e lavagem de dinheiro.

    Outras pessoas ligadas indiretamente ao Poder Pbli-co, como o publicitrio Duda Mendona e sua scia, Zilmar Fernandes, tambm foram de-nunciados por lavagem de di-nheiro e evaso de divisas. J o ex-ministro Luiz Gushiken res-ponde por peculato bem como Henrique Pizzolato, ex-diretor de Marketing do Banco do Bra-

    sil e Joo Paulo Cunha, tambm denunciados por corrupo passiva e lavagem de dinheiro. Alm do delator Roberto Jeffer-son, parlamentares do PP, PL, PTB e PMDB foram inclusos na denncia.

    Deles, se safaram Silvio Pe-reira, que se comprometeu a prestar servios comunitrios de 750 horas em at 3 anos em 2008 e teve o processo contra si suspenso, Jos Janene, ento deputado do PP, que morreu em 2010, alm de Luiz Gushiken e Antonio Lamas que, por falta de provas consistentes, foram ex-cludos do processo. O pedido de condenao segue para os outros 36 rus.

    Ainda em trmite no STF, o processo do Mensalo deve de ser finalizado este ano e h quem diga que isso pode at mesmo acontecer antes das elei-es municipais. Entretanto, s a presso popular pode fazer com que os juristas decidam a tempo de punir os irresponsveis.

    H quase dois sculos, um dos muitos povos europeus, os ingleses, aqui desembar-caram para mudar o Brasil. Desde sempre notrios por sua caracterstica empreen-dedora (para usar um termo da moda), fizeram o pas sair, literalmente, do tempo das carroas, aqui implantando, para falar o mnimo, as ferro-vias, como a So Paulo Railway (a nossa velha conhecida Es-trada de Ferro Santos-Jundia que, por consequncia, inau-gurou o transporte pblico de grande capacidade) e tam-bm o futebol, o mais brasi-leiro dos esportes.

    Isso para no falar do ch das cinco (que aqui vi-

    rou caf da tarde), o pijama, os fraques, os ternos bran-cos e tambm da seriedade, pontualidade (quem no se lembra do antigo horrio de trens, com composies que partiam em horrios distintos como a famosa 12:57?) e a co-brana para o cumprimento rigoroso de prazos, algo que gerou inmeras rusgas entre os brasileiros e os misters.

    Foi justamente a partir deste fato que se originou a expresso que melhor ilustrou a tenso entre os povos, que se chama para ingls ver que, segundo notrios profes-sores de lingustica e histria, vem de 7 de novembro de 1831 quando, para satisfazer

    a presses britnicas pelo fim da escravatura, foi promulga-da a Lei Feij, que proibia o trfico negreiro, punia seve-ramente os importadores e declarava livres os escravos que ao Brasil chegassem. Fato que a lei no pegou, j que o neo-delito prosseguiu por quase 20 anos, at ser promulgada a Lei Eusbio de Queiroz, fazendo com que o texto se tornasse letra mor-ta. Por isso, o comentrio que se iniciou na Cmara dos De-putados e ganhou as ruas era de que o padre Diogo Ant-

    nio Feij, ento ministro, fize-ra uma lei s para ingls ver, j que os britnicos, do alto de sua disciplina, realmente acreditaram que o texto seria suficiente para acabar com a escravatura.

    A expresso caiu no gosto do povo e ainda usada em muitos casos. Para ilustrar, po-demos citar o embargo das obras do Rodoanel promovi-do pela Prefeitura de Ribeiro Pires em fevereiro. L se vo dois meses e as obras con-tinuam todo vapor a ponto de a SPMar, responsvel pela

    obra, ter sido autuada em quase R$ 1 milho por ter su-primido rvores nativas sem a devida autorizao. Ora, se estamos falando de uma obra de interesse pblico, vista como vital pelo Governo do Estado, ser que tudo isso no foi conversado e negociado entre as partes previamente? No preciso ser nenhum g-nio para saber que a empre-sa concessionria do servio no daria pontos sem n, visto que um contrato de bi-lhes de reais que, certamen-te, no ir perder por mera marra ou no cumprimento de regras. Repetindo: tudo foi conversado, negociado e posto no papel e a empresa

    sabe exatamente o que est fazendo.

    S isso para justificar o fato de a SPMar ter solene-mente ignorado o tal em-bargo e prosseguido com as obras, at porque h uma questo de lgica linear (algo raro na histria da humanida-de) envolvida: se a obra est embargada, deveria estar in-terrompida, portanto, as rvo-res no teriam sido cortadas e tampouco a multa recente teria sido aplicada. Desta fei-ta, somente duas respostas cabem: ou o negociador da cidade no prestou ateno s reunies, ou o tal embargo s para ingls (ou o eleitor) ver.

    Embargo para ingls ver

    E o Mensalo, algum se lembra?

    No preciso ser nenhum gnio para saber que a empresa concessionria

    do servio no daria pontos sem n

    CHARGE | ODAYR MIGUEL DE LIMA

    02

    PUBLICAO SEMANAL DE MAIS NOTCIAS EMPRESA JORNALSTICA LTDA.

    CNPJ: 05.531.420/0001-18email: [email protected]

    [email protected]

    EDITOR: ANTONIO CARLOS CARVALHO | JORNALISTA RESPONSVEL: DANILO MEIRA Mtb: 43.013

    REPORTAGEM: THIAGO QUIRINO Mtb: 61.451 | VANESSA DE OLIVEIRA Mtb: 53.573

    DIAGRAMAO E EDITORAO: GUSTAVO SANTINELLI | DEPARTAMENTO COMERCIAL: SIDNEI MATOZO / CLAUDIO SANTANNA

    DEPARTAMENTO JURDICO: DR. GILMAR ANDRADE DE OLIVEIRA / DR. ERIC MARQUES REGADAS

    COLABORADORES: ODAYR MIGUEL DE LIMA / ELIANA MACIEL DE GES / RAUL CARLOS DE CARVALHO / ALA VOLOSHYN

    ADMINISTRAO: ELISETE HELENA PIMENTA | IMPRESSO: DIRIO LANCE

    DISTRIBUIO GRATUITA EM RIBEIRO PIRES, RIO GRANDE DA SERRA E REGIO DA REPRESA BILLINGS

    Rua Olmpia Catta Preta, 194 1 Andar, Sala 2 CEP 09424-100

    Centro Ribeiro Pires SP Fone: 4828-7570 Fax: 4828-1599

    OPINIES 19 | abril | 2012www.jornalmaisnoticias.com.br

    ARTIGO | Josenito Barros Meira OAB/SP 281838 advogado ps-graduado Milita na rea Cvel, Trabalhista e Desportista.

  • 03 RESUMO

    COMENTRIOS

    acesse www.jornalmaisnoticias.com.br e comente nossas matrias!

    FOTO MAIS

    FALOU E DISSE

    Quinta-Feira 25 14 0%0%

    80%90%

    24 14

    25 1523 19

    Sbado

    Domingo

    Sexta-Feira

    Mxima Mnima Prob. Chuva

    TAPAS E BEIJOS

    Bate-boca na Cmara refora necessidade de CEI da Sade

    Esta a a prova de que infelizmente o povo no sabe vo-tar, simplesmente joga o voto no lixo apesar de que ultima-mente no h opes cabveis, melhor ento votar nulo ou branco como forma de protesto e exigir mudanas neste mtodo democrtico, porm falido. Como pode estar esse senhor h cinco mandatos como vereador? Esse senhor nunca fez nada pela cidade, nada pela populao, a nica coisa que este patife fez foi favorecer seus parentes em car-gos, licitaes e o que mais me lembro e fico chateado, fez voltar a Cmara o recesso parlamentar, to logo havia sido

    Fiel devoto da poltica municipal, o militante Boca, tomou uma deciso inusitada: raspou a cabe-a e marcou a sigla de seu partido em letras garrafais. Agora, por onde quer que v, Boca exibe orgulhoso o PMDB no topo da cabea. O PMDB est na cabea e no corao, brinca o muncipe que faz questo de afirmar que no se arrepende do que fez.

    Se a moda pegar, alm de adesivos nos carros, moradores da cidade circularo com homenagens pela cidade, promovendo a imagem de um e de outro. Espera-se apenas que as pessoas tenham bom senso no uso da criatividade.

    Naqueles que obrigam seus apoiadores

    a fazer campanha anteci-pada para as Eleies.

    Para todos os que, mesmo sob olhares de de-

    sagravo, lutam pela dig-nidade e a cidadania.

    Mal podemos esperar para dar as boas vindas aos futuros cientistas do Brasil em nosso pas