Mantenedora ASSOCIAÇÃO UNIFICADA PAULISTA DE …centrodeensinounificado.com.br/PPCUNIP/PPC -...

of 116/116
Mantenedora ASSOCIAÇÃO UNIFICADA PAULISTA DE ENSINO RENOVADO OBJETIVO Mantida UNIVERSIDADE PAULISTA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO São Paulo SP
  • date post

    09-Dec-2018
  • Category

    Documents

  • view

    215
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Mantenedora ASSOCIAÇÃO UNIFICADA PAULISTA DE …centrodeensinounificado.com.br/PPCUNIP/PPC -...

Mantenedora

ASSOCIAO UNIFICADA PAULISTA DE ENSINO RENOVADO OBJETIVO

Mantida

UNIVERSIDADE PAULISTA

PROJETO PEDAGGICO DO CURSO

SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM

GESTO DE SISTEMAS DE INFORMAO

So Paulo SP

2

Sumrio

1 APRESENTAO .................................................................................. 4

1.1 Denominao do curso ..................................................................... 4

1.2 Modalidade ....................................................................................... 4

1.3 Local da oferta .................................................................................. 4

1.4 Regime de matrcula ........................................................................ 4

1.5 Turnos de funcionamento ................................................................. 4

1.6 Durao do curso ............................................................................. 4

1.7 Carga horria do curso ..................................................................... 4

1.8 Base legal ......................................................................................... 4

1.8.1 Do credenciamento .................................................................... 5

2 DADOS INSTITUCIONAIS ..................................................................... 5

2.1 Da Instituio de Ensino e da Entidade Mantenedora ..................... 5

2.1.1 Histrico da IES .......................................................................... 5

2.1.2 A misso institucional ................................................................. 6

2.1.3 Vocao da Universidade ........................................................... 6

2.1.4 A educao a distncia na Universidade Paulista ..................... 7

2.1.5 Metodologia de ensinoaprendizagem....................................... 10

3 RECURSOS E INFRAESTRUTURA .................................................... 11

3.1 Instalaes dos campi .................................................................... 11

3.2 Os polos de apoio presencial ......................................................... 12

3.3 Sede da UNIP Interativa ................................................................. 13

3.4 Da tecnologia .................................................................................. 14

3.5 Ambiente virtual de aprendizagem AVA ...................................... 16

3.5.1 Blackboard ................................................................................ 16

3.5.2 Moodle ...................................................................................... 17

4.1 Sistema de comunicao ............................................................... 20

4.1.1 Sobre os meios ......................................................................... 20

4.1.2 Material didtico ....................................................................... 21

4.1.3 Concepo de avaliao .......................................................... 26

3

4.1.4 Gesto acadmico-administrativa ............................................ 28

4.1.5 Biblioteca .................................................................................. 29

5 ADMINISTRAO ACACADMICA .................................................... 31

5.1 Coordenao de curso ................................................................... 31

5.1.1 Estrutura organizacional ........................................................... 31

5.2 Coordenador do curso .................................................................... 32

5.3 Composio e funcionamento do colegiado de curso .................... 33

5.4 Ateno ao discente ....................................................................... 34

5.4.1 Apoio aos discentes ................................................................. 36

6 CORPO DOCENTE E TCNICO-ADMINISTRATIVO ......................... 36

6.1 Formao acadmica e profissional ............................................... 36

6.2 Regime de trabalho ........................................................................ 38

6.3 A equipe multidisciplinar da UNIP Interativa .................................. 39

6.4 Apoio didticopedaggico aos docentes ........................................ 40

6.4.1 Apoio didticopedaggico ........................................................ 40

6.4.2 Capacitao .............................................................................. 40

6.5 Corpo Tcnico ................................................................................ 41

6.5.1 Corpo tcnicoadministrativo ..................................................... 41

6.6 Atividades acadmicas articuladas com a formao, pesquisa e

extenso ............................................................................................... 42

7 ORGANIZAO DO CURSO ............................................................... 44

7.1. PROJETO PEDAGGICO DO CURSO ........................................ 44

7.1.1. Relevncia Social do Curso (Justificativa e Necessidade Social

do Curso) ........................................................................................... 44

7.1.2. Concepo do Curso ............................................................... 46

7.1.3. Objetivos do Curso .................................................................. 47

7.1.4. Perfil do Egresso, Competncias e Habilidades ..................... 48

7.1.5. Estrutura Curricular ................................................................. 50

7.2. Ementrio e Bibliografia ................................................................ 59

7.2.1 Ementrios de disciplinas optativas ....................................... 113

7.2.2 Atividades de Nivelamento ..................................................... 116

4

1 APRESENTAO

1.1 Denominao do curso

Curso Superior de Tecnologia em Gesto de Sistemas de Sistemas de

Informao

1.2 Modalidade

Educao a distncia (EaD).

1.3 Local da oferta

O Curso Superior de Tecnologia em Gesto de Sistemas de Informao

da modalidade EaD oferecido nos polos de apoio presencial distribudos

em todo o territrio nacional.

1.4 Regime de matrcula

Seriado semestral.

1.5 Turnos de funcionamento

Noturno.

1.6 Durao do curso

O curso tem durao de 2 (dois) anos.

1.7 Carga horria do curso

Carga horria do curso: mnimo de 1.600 horas.

1.8 Base legal

O Curso Superior de Tecnologia em Gesto de Sistemas de Informao

foi criado pela Resoluo CONSUNI n. 02/06 de 07 de fevereiro de 2006 da

UNIP, e denominao alterada pela Resoluo CONSUNI n. 090.806 de 06

de agosto de 2009, cujas cpias encontramse anexadas ao Sistema eMEC,

no cone correspondente documentao.

5

1.8.1 Do credenciamento

DOU de 10/11/2004 atendendo ao disposto do Decreto n. 5.773/2006, em cumprimento diligencia baixada no Processo n 200803119, que trata

do reconhecimento do Curso Superior de Tecnologia em Gesto de Sistemas

de Informao, modalidade a distncia.

2 DADOS INSTITUCIONAIS

2.1 Da Instituio de Ensino e da Entidade Mantenedora

A Universidade Paulista (UNIP) atualmente mantida pela ASSUPERO,

Associao Unificada Paulista de Ensino Renovado Objetivo, CNPJ n.

06.099.229/000101, associao civil sem fins lucrativos e com fins

educacionais, com sede e foro na cidade de So Paulo, no estado de So

Paulo, situada na Avenida Paulista, 900, 1 andar, no Bairro da Bela Vista,

CEP 01310100. A ASSUPERO pessoa jurdica de direito privado, sem fins

lucrativos, com estatuto registrado e protocolado em microfilme no Quarto

Cartrio de Ttulos e Documentos de So Paulo, em 04/02/2004, sob o

nmero 477740. A UNIP possua como mantenedora anterior a SUPERO,

Sociedade Unificada Paulista de Ensino Renovado Objetivo, tendo sua

transferncia de mantena analisada e aprovada pelo Ministrio da

Educao.

2.1.1 Histrico da IES

A iniciao da UNIP no Ensino Superior ocorreu em 1972, por meio do

IUP, Instituto Unificado Paulista, com a oferta dos cursos de Letras,

Pedagogia, Comunicao Social e Psicologia, reconhecidos pelo Decreto

Federal n. 77.546/76. Posteriormente, foi autorizado a funcionar, como

habilitao do curso de Letras, o curso de Tradutor e Intrprete, tambm

reconhecido pelo Decreto n. 77.546/76.

A partir do IUP, a organizao, em permanente processo de crescimento,

solicitou e obteve do Conselho Federal de Educao, em 1975, a autorizao

para o funcionamento do IEEP, Instituto de Ensino de Engenharia Paulista,

nas habilitaes Civil, Mecnica e de Produo Mecnica, todas

reconhecidas pela Portaria n. 26/82, publicada em 12/01/1982.

O curso de Cincia da Computao foi criado por meio do Decreto n.

95.005 de 05/10/87, sendo reconhecido pela Portaria Ministerial n.1.201/92.

O curso de Tecnologia em Processamento de Dados foi criado por meio do

Decreto n. 95.484, sendo reconhecido pela Portaria Ministerial n. 2.023/91.

6

O curso de Odontologia, afeito ao IOP, Instituto de Odontologia Paulista,

foi autorizado a funcionar pelo Decreto Federal n. 85791, de 9 de maro de

1981, sendo reconhecido pela Portaria Ministerial n. 456/84. Vinculado ao

IOP, foi solicitado o funcionamento do curso de Farmcia, autorizado a

funcionar pelo Decreto Federal n. 95.239, de 13/11/87, reconhecido pela

Portaria n. 984/93 publicada em 08/07/93.

Em 9 de novembro de 1988, por meio da Portaria Ministerial n. 550, foi

autorizado pela via do reconhecimento o funcionamento da Universidade

Paulista UNIP, integrada, inicialmente, pelos cursos at ento vinculados

aos trs institutos mencionados e pelos cursos de Estudos Sociais, com

habilitao em Histria, Geografia e Cincias, com habilitao em

Matemtica, recebidos por transferncia de mantena da Universidade So

Francisco.

2.1.2 A misso institucional

Conforme citado no Projeto de Desenvolvimento Institucional (PDI)

atualmente em vigor na UNIP, a misso de uma universidade est

intrinsecamente relacionada a um compromisso permanente com princpios e

propsitos que lhe imprimam um carter, diferenciandoa de outras

instituies congneres.

A Universidade Paulista UNIP tem como misso promover o ensino, a

pesquisa e a extenso, aplicandoos a servio do progresso da comunidade

que vive em sua rea de abrangncia e influncia, contribuindo para o

fortalecimento da solidariedade entre os homens e para o esforo de

desenvolvimento do pas.

Na busca por seus objetivos, a instituio obedece estritamente aos

princpios de respeito dignidade da pessoa e aos seus direitos

fundamentais, prescrevendo quaisquer formas de discriminao.

2.1.3 Vocao da Universidade

Conforme descrito no Projeto Pedaggico Institucional (PPI), a vocao

da Universidade preparar profissionais competentes, com slida formao

humanstica e tcnicocientfica, conscientes do seu papel social e do

compromisso com a cidadania. Assim, a UNIP trilha seu caminho como

Instituio de Ensino Superior, contribuindo para o desenvolvimento

sustentvel no apenas dos estados em que atua, mas tambm de todo o

pas. O mesmo documento traa o perfil das aes e padres de conduta

pelos profissionais envolvidos direta e indiretamente no cotidiano da

Universidade.

7

Valendo-se dos preceitos do PPI, documento que fixa os propsitos e

metas a serem alcanados durante a formao dos alunos, os critrios

norteadores para a definio do perfil do egresso pautam-se por uma viso

humanista, que internaliza valores como responsabilidade social, justia e

tica profissional. O intuito da seleo de tais valores reside na maneira de

integrar produtivamente conhecimentos, competncias, habilidades e

talentos na formao do futuro profissional.

A consagrada articulao entre ensino, pesquisa e extenso

fundamental para a sustentao da instituio. A qualidade do ensino

vincula-se fortemente competncia em pesquisa, enquanto as atividades

de extenso se articulam com as experincias de pesquisa e de ensino.

A participao de alunos em atividades de extenso, entre outras,

constitui situao essencial do conhecimento acadmico e profissional. A

participao discente nos projetos e atividades de pesquisa e extenso

completa a formao integral do aluno.

A Universidade Paulista uma universidade multicampi, que atende

demanda educacional de 130 mil estudantes. Os campi da UNIP

encontramse localizados em 11 unidades na cidade de So Paulo e em 13

cidades do Estado de So Paulo. A UNIP tambm est presente nos

municpios de Manaus, Braslia e Goinia, oferecendo cursos na modalidade

presencial.

No que diz respeito modalidade EaD Educao a Distncia , a UNIP

conta, hoje, com 598 polos, em todos os estados da Federao, distribudos

pelas regies Norte, com 38 polos; Nordeste, com 94 unidades; Sul, com 68

polos; Sudeste, com 328 unidades e Centro-Oeste, com 70 polos, alm de

um estabelecimento de ensino localizado no Japo, na cidade de

Hamamatsu.

2.1.4 A educao a distncia na Universidade Paulista

A modalidade EaD, como um sistema especfico de ensino-aprendizagem,

necessita de uma gesto acadmico-administrativa distinta daquela que

atende modalidade presencial, visto que a modalidade, as ferramentas e os

processos so outros, devido a distncia fsica entre atores. Por essa razo,

a UNIP instituiu o Centro de Educao a Distncia UNIP Interativa, rgo

suplementar da Universidade, responsvel pela coordenao, superviso,

assessoramento e prestao de suporte tcnico execuo de atividades

pedaggicas e da formao na educao a distncia pelos institutos que

compem a Universidade Paulista.

8

No intuito de atender s demandas especficas das diversas regies, a

UNIP Interativa oferece os seguintes formatos na modalidade EaD: o

Sistema de Ensino Interativo (SEI), o Sistema de Ensino Presencial Interativo

I (SEPI I) e o Sistema de Ensino Presencial Interativo II (SEPI II). Embora os

formatos apresentem caractersticas diferentes, todos mantm a qualidade

exigida pela UNIP para os seus cursos.

Os formatos encontram-se assim configurados:

a) Sistema de Ensino Interativo (SEI): esse formato privilegia o ensino no

Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA). No AVA, o aluno acessa todo

o contedo disponibilizado, a qualquer momento, pela internet. Isso

possibilita ao estudante a organizao do seu ritmo de estudo. O SEI

prev, ainda, momentos presenciais que perfazem 20% (vinte por

cento) da carga horria total do curso.

A interao com o professor ocorre por meio do frum, que acontece

durante a disciplina. Esse espao utilizado para debates entre alunos,

professores, tutores a distncia que atuam na mediao das aes

pedaggicas, por emails, telefone, pelo feedback postado no AVA, bem

como o acompanhamento dos trabalhos realizados e das avaliaes dos

alunos.

Nesse formato disponibilizado o planto tutorial presencial, realizado por

profissional habilitado na rea especfica de atuao. Ele orienta os alunos

com relao ao AVA, auxilia na organizao dos estudos, na realizao dos

estgios, nas atividades complementares e facilita a interao dos alunos

com o polo, onde o aluno deve realizar suas avaliaes, atividades e

participar dos encontros programados.

Cada disciplina est dividida em unidades, sendo que, para cada uma, o

aluno deve assistir a teleaula sem a obrigatoriedade de data e horrio,

devendo estudar o contedo referente a cada unidade, realizar as atividades

propostas pelo professor e responder aos questionrios no AVA, respeitando

o perodo preestabelecido em calendrio acadmico.

Os slides utilizados pelos professores nas teleaulas, contendo os

principais tpicos da unidade, tambm ficam disponveis no AVA. O aluno

deve desenvolver todas as atividades previamente descritas antes de passar

para a unidade subsequente.

Os momentos presenciais que o aluno deve cumprir constam do

calendrio acadmico e da plataforma acadmica. So eles:

mdulo de introduo EaD;

9

aula inaugural com o coordenador do curso;

palestras sobre temas pertinentes ao curso;

atendimento pedaggico ao Projeto Integrado Multidisciplinar;

avaliaes;

entrega de documentos, trabalhos, atividades complementares.

b) Sistema de Ensino Presencial Interativo I (SEPI I):esse formato prev

tanto momentos de atividades no AVA como encontros presenciais

semanais no polo de apoio presencial. Nesse formato, o aluno deve

comparecer ao polo para acompanhar de forma sncrona a exibio das

teleaulas e interagir com o professor no decorrer das aulas. Tambm

so propostas atividades presenciais, que o aluno dever desenvolver

com os colegas, alm de encaminhar via chat s solues ou dvidas

sobre o tema sugerido. Essas atividades so acompanhadas por tutores

presenciais. O aluno participa ainda do planto tutorial presencial

semanal.

O estudante deve realizar suas avaliaes, atividades e encontros

programados pela legislao no polo de apoio presencial no decorrer do

curso. Deve participar tambm do mdulo de Introduo EaD, da aula

inaugural, atendimento pedaggico ao projeto integrado multidisciplinar e das

palestras.

Cada disciplina est dividida em unidades. Em cada unidade, o aluno

deve: assistir teleaula no polo no qual est matriculado, seguindo o

calendrio escolar; ler os contedos oferecidos e responder aos

questionrios; participar dos encontros com os tutores no polo, bem como

dos chats e realizar as demais atividades previstas para a unidade. Os slides

utilizados pelos professores na teleaula permanecem disponveis no AVA.

c) Sistema de Ensino Presencial Interativo II (SEPI II):esse formato

privilegia dinmicas acadmicas presenciais com o aluno, com o

objetivo de promover a flexibilidade, interdisciplinaridade e articulao

entre a teoria e a prtica. O planejamento feito pelos docentes das

disciplinas e coordenadores. A orientao fica a cargo dos tutores

presenciais e/ou professores consultores. Alm dos encontros

presenciais, existem atividades acadmicas a serem realizadas no

AVA.

10

O AVA do SEPI II um sistema formado por solues integradas de

gerenciamento de aprendizagem, conhecimento e contedos on-line, que

proporcionam a interao entre alunos e tutores. No AVA so

disponibilizados aos alunos textos e questionrios, que devero ser

desenvolvidos no decorrer do semestre. Por meio dos questionrios, os

alunos acompanham e avaliam o seu progresso no processo de

ensinoaprendizagem.

O aluno conta com o apoio da equipe da tutoria a distncia, que o orienta

no desenvolvimento de seus estudos no decorrer do semestre letivo. A

ferramenta utilizada no AVA o frum de discusso, que promove a

comunicao, a aprendizagem colaborativa e a interao entre alunos e

tutores. Os fruns so acompanhados diariamente pela tutoria a distncia e

as dvidas so respondidas em, no mximo, 48 horas.

Todo material relativo ao contedo ministrado est disponvel nos

seguintes formatos de arquivo: interativo (Flash e Silverlight), documento do

Word, documento PDF e slides em Powerpoint, entregues aos alunos por

meio de CDs e tambm disponibilizados no AVA.

2.1.5 Metodologia de ensino-aprendizagem

A metodologia esta plenamente adequada para desenvolver os contedos

propostos, alm de oferecer possibilidade de cursar disciplina de nivelamento

associado aos princpios metodolgicos que so estabelecidos em

consonncia com as Diretrizes Curriculares Nacionais, observados os

critrios que favorecem o desenvolvimento do eixo de gesto e negcios.

No obstante, em congruncia com essa orientao, este mtodo articula os

espectros dos valores humansticos, difundindo a insero terica na

realidade, e promovendo a interao do homem com o mundo. Inspirados

nessa filosofia, os CSTs desenvolvem seus conceitos educacionais

pautados na abordagem sciointeracionista, que concebe a aprendizagem

como um fenmeno que realiza a interao com o outro, portanto, a

aprendizagem possui dimenso coletiva. Segundo Vygotsky, a aprendizagem

deflagra vrios processos internos de desenvolvimento mental, que tomam

corpo somente quando o sujeito interage com objetos e sujeitos em

cooperao. Uma vez internalizados, esses processos tornam-se parte das

aquisies do desenvolvimento. Assim, um processo interpessoal

transformado num processo intrapessoal.

Como metodologia de ensino-aprendizagem, o CST adota atividades

como aulas expositivas, aulas dialogadas, dinmicas de grupo, leituras

comentadas, visitas tcnicas, palestras, pesquisa bibliogrfica e outras

atividades acadmico-cientfico-tecnolgicas, visando oferta de

11

experincias diversificadas aos discentes. O curso busca o desenvolvimento

de programas que privilegiem o enlace entre a teoria e a prtica, enfocando o

uso e a adequao de recursos audiovisuais, tecnolgicos, de novos

mtodos e tcnicas de ensino, procurando o aperfeioamento do trabalho

acadmico e sua aplicao mercadolgica. A integrao entre estudos

tericos, aulas e atividades prticas exercida por meio de atividades

complementares, trabalhos individuais e em grupo, projetos integrados

multidisciplinares e atividades de extenso.

A educao a distncia (EaD) uma modalidade educacional cuja

caracterstica principal a forma de interao, tendo como instrumento

facilitador a comunicao baseada em recursos diversificados. Nesta

perspectiva, a UNIP Interativa oferece o contato visual, auditivo e verbal

direto e frequente por meio de suas aulas, recursos didticos e dialgicos

que promovam a interatividade e estimulem a aprendizagem dos estudantes.

Levando em considerao as demandas especficas, motivadas pelo

processo de ao e reflexo, confluentes e divergentes, de pessoas oriundas

de diversas regies, a UNIP Interativa utiliza teleaulas, materiais impressos,

chats, fruns, textos complementares, slides de teleaula, atividades

complementares, projetos integrados multidisciplinares, questionrios e

atividades teleaulas, para efetivar uma interao de qualidade, a fim de

proporcionar a dialogicidade necessria, tendo em vista contribuir para a

construo do conhecimento entre os agentes envolvidos no processo de

ensino-aprendizagem.

O Curso Superior de Gesto em Sistemas de Informao da UNIP

oferecido na modalidade SEPI I, este formato prev momentos de

atividades tanto no Ambiente Virtual de Aprendizagem, como encontros

presenciais semanais no polo de apoio presencial. SEPI II - privilegia a

atividade presencial, prevendo 6 horas semanais de dinmicas acadmicas

presenciais com os estudantes, coordenadas pelos tutores presenciais e/ou

professores consultores e 2 horas semanais de atividades no Ambiente

Virtual de Aprendizagem (AVA).

E na modalidade SEI esse modelo prev a presena do aluno no polo

de apoio dentro dos 20% propostos em atividades selecionadas.

3 RECURSOS E INFRAESTRUTURA

3.1 Instalaes dos campi

A Universidade conta, em cada campus, com uma estrutura

organizacional prpria para cuidar do planejamento, execuo e controle

12

necessrios para o adequado funcionamento dos cursos da unidade e para o

desenvolvimento das atividades propostas em seus respectivos projetos

pedaggicos. Para tanto, destacam-se:

salas de aulas amplas, iluminadas e ergonmicas;

bibliotecas com acervos atualizados, salas de estudos anexas que

oferecem condies de pesquisa e acesso aos bancos de dados

diretamente pelo stio da UNIP;

laboratrios de informtica que oferecem, alm das mquinas, o apoio

tcnico especializado para os alunos, tanto em horrios de aula como

em horrios livres. Todas as mquinas esto interligadas em rede, com

acesso internet;

teatros e auditrios, na maioria dos campi, utilizados tanto para

apresentaes artsticas como para ciclos de palestras e seminrios;

amplos espaos de convivncia dos alunos como: livrarias,

lanchonetes, reprografias e caixas eletrnicos.

3.2 Os polos de apoio presencial

Os polos de apoio presencial da UNIP Interativa, distribudos em todo o

territrio nacional, so os espaos fsicos nos quais acontecem os encontros

presenciais, as orientaes de estudos e as atividades. Esses locais

fornecem a estrutura material e contam com equipes qualificadas para

atender ao aluno.

A infraestrutura de apoio necessria para o atendimento ao aluno nos

polos de apoio presencial composta por uma equipe administrativa (monitor

de informtica, secretria, manuteno e zeladoria) e uma equipe

pedaggica (coordenador e tutor presencial na rea especfica dos cursos).

O espao dos polos de apoio presencial atende aos requisitos de dimenso,

limpeza, iluminao, acstica, segurana, conservao e comodidade

necessrias nas instalaes administrativas, salas de aula, salas de

coordenao, tutoria, instalaes sanitrias, rea de convivncia, sala de

estudo, laboratrio de informtica e biblioteca.

Todos os espaos devem estar devidamente identificados e em

conformidade com o Decreto N. 5.296/2004, que trata da acessibilidade. O

polo apresenta equipamentos de suporte local que incluem:

projetor multimdia datashow, com a resoluo adequada;

13

acesso internet;

instalao eltrica apropriada e suficiente para as necessidades dos

equipamentos de suporte instalados com proteo;

microcomputadores com sistemas operacionais e aplicativos

devidamente licenciados.

No caso de utilizao de satlite, o conjunto de recepo composto por:

antena parablica VSAT;

servidores adequados e compatveis com ambiente operacional

institucional;

transmissor tipo Rdio Anbis Banda KU;

amplificador de sinal.

No caso de no utilizao de satlite, a comunicao feita por meio de

internet banda larga provida pelo polo de apoio presencial para os

respectivos equipamentos de suporte.

3.3 Sede da UNIP Interativa

Na sede, o espao destinado aos coordenadores, professores e tutores

amplo, permitindo sua integrao. Todos os setores encontramse devidamente

equipados e possuem espao adequado ao seu funcionamento.

A UNIP Interativa possui sala de coordenao, sala para os tutores e

professores, sala multimdia para professores e tutores a distncia equipadas

com projetores, computadores para acompanhamento das aulas ministradas

na sede e para a interao com os alunos via chat. H espaos especficos

dimensionados para toda a equipe de apoio tcnicoadministrativo, com toda

a infraestrutura necessria para o desenvolvimento das suas funes.

A sede dispe de espao para arquivamento de toda a documentao

pessoal e acadmica dos alunos. Possui, ainda, 5 (cinco) estdios com toda

tecnologia adaptada ao modelo pedaggico.

14

3.4 Da tecnologia

A partir dos trs formatos ofertados, notase que os componentes

tecnolgicos empregados pela UNIP Interativa e que podem ser adotados

so: internet, satlite, CDROM, DVD e webcast. As teleaulas so produzidas

na sede da UNIP em So Paulo. A transmisso feita via satlite e o polo de

apoio presencial pode recebla via satlite ou via internet.

Toda a infraestrutura tecnolgica desenvolvida pelo NUTEC Ncleo de

Tecnologia da UNIP est consolidada em conceitos de comunicao

baseada em bancos de contedos distribudos por dispositivos multimdia,

conectados ou no. A fundamentao tcnicoterica para isso est nos

conceitos de Tecnologia da Informao e Comunicao TIC1 , em que

todos os recursos tecnolgicos esto organizados em estruturas

computacionais gerenciadas por bancos de dados, assegurando que os

contedos programticos dos cursos sejam distribudos de forma sistmica e

controlada. Com base nisso, necessria a organizao desses contedos,

informaes e dados dentro de uma base informatizada que garanta a

produo e distribuio do conhecimento em um ambiente monitorado e

acompanhado por professores e tutores de forma interativa.

Tradicionalmente, o banco de dados era o repositrio de informaes, tendo

atualmente evoludo para o controle das mdias textuais e audiovisuais,

transformandose de fato em um banco de contedos multimdias. As

modernas tcnicas de BI2 asseguram que esse sistema de base de

contedos possa ser acompanhado, medido e controlado, possibilitando

instituio o monitoramento dos processos de interatividade e dialogicidade

do corpo docente e discente no interior do modelo pedaggico proposto para

cada um dos formatos SEI e SEPI.

Para sustentar essa proposta, a UNIP mantm uma estrutura de

servidores e uma equipe de desenvolvedores que avalia as ferramentas

existentes no mercado, utilizando as que melhor se adaptam ao projeto

pedaggico da instituio, desenvolvendo novas ferramentas e aplicativos

que integrem todos os softwares prprios e de terceiros.

1 TIC:Tecnologias de Informao e Comunicao. As tecnologias e mtodos para

comunicar surgidas no contexto da Revoluo Informacional. A comunicao de

informaes organizadas em bases de contedos mediadas por computador.

2 BI (Business Intelligence ou inteligncia em negcios).Conceitos e mtodos para

melhorar a capacidade de tomada de decises, utilizando sistemas baseados em

regras de negcio.

15

Como Ambiente Virtual de Aprendizagem, utilizamos o Contedo On-line

COL3 , uma ferramenta prpria que gerencia informaes textuais e

produtos multimdia que, associados a exerccios, ajudam na aquisio do

conhecimento proposto. Para controlar toda entrega de trabalhos dos alunos,

atividades complementares, documentos, relatrios de estgio e trabalhos de

curso, disponibilizamos para os alunos o ATOL4 (Atividades On-line) que

armazena no banco de dados todo o gerenciamento dos locais onde esto

guardados os trabalhos dos alunos. O Blackboard e o Moodle so utilizados

como plataformas de distribuio de contedos em diferentes suportes, tais

como: textos teleaulas, vdeos (entre os principais), integrando recursos de

interao entre professores, tutores e alunos.

Para o controle da produo grfica dos materiais impressos, a

instituio utiliza o Metrics5. O BIE

6 uma ferramenta prpria que, por

meio de ferramentas de BI, relaciona todas as bases de dados de todas

as etapas de produo, distribuio e controle dos contedos em um

nico ambiente. Para o controle acadmico, a UNIP Interativa utiliza o

Lyceum7 e para a modalidade presencial, o SISUN

8.

Para distribuio dos contedos, a UNIP conta com slida estrutura de

Telecom baseada no trip acessibilidade, segurana e redundncia,

requisitos primordiais para que os alunos recebam os contedos com acesso

adequado ao AVA.

A UNIP possui um conjunto de tecnologias composto por:

satlites com cobertura nacional Panasat, em operao conjunta com

o Multicast HUGHES;

3 COL NUTECUNIP: ContedoOn-line. Ferramenta que gerencia informaes textuais

e produtos multimdia.

4 ATOL NUTECUNIP: Atividadeson-line. Controla e acompanha a entrega de

trabalhos dos alunos.

5 Software de controle da produo grfica.

6 BIE NUTECUNIP. Adaptao dos procedimentos de BI (Business Intelligence ou

inteligncia em negcios) aplicados ao controle dos alunos.

7 Software de controle acadmico da Techen Sistemas.

8 Software de controle acadmico.

16

internet com link de alto desempenho de acesso ao backbone

nacional e internacional;

redundncia em cinco data centers: dois locais (Cidade Universitria e

Paulista) e trs externos de grande porte (o TIC da Telefnica, o da

Embratel e o do Terremark) todos ligados via conexo ptica.

Essa composio de recursos tecnolgicos viabiliza aos alunos de todo o

Brasil acesso ao contedo educacional da forma prevista no projeto

pedaggico.

3.5 Ambiente virtual de aprendizagem AVA

O suporte tecnolgico distribuise em trs dimenses: uma dimenso

ampla (que congrega os meios necessrios para o desenvolvimento

pedaggico dos cursos), uma dimenso de recursos de interao para o

acompanhamento dos alunos e uma de avaliao.

Nesse projeto pedaggico, elucidamse as especificidades da EaD, que

originam demandas de interao entre os implicados no processo. Para

tanto, detalhamse abaixo os sistemas de informao utilizados na veiculao

dos contedos pertinentes.

3.5.1 Blackboard

A plataforma utilizada pela UNIP Interativa como espao de publicao de

contedos e de centralizao das demais plataformas desenvolvidas a

Blackboard. Essa plataforma dispe de ferramentas que permitem a

interao do alunado com todo o corpo docente, bem como a publicao dos

contedos pedaggicos de forma clara e acessvel.

Alm das ferramentas oferecidas pela prpria plataforma, a instituio a

utiliza para integrar o acesso s demais plataformas desenvolvidas, a fim de

centralizar o acesso em um nico login, o que viabiliza a auditoria completa

da vida acadmica do aluno e do corpo docente.

Ao acessar a plataforma, o aluno ter disponvel o contedo necessrio

para a realizao de seu curso. Alm das disciplinas, esto disponibilizados

avisos gerais, avisos da disciplina, guia do aluno, vdeos instrucionais,

manuais explicativos, brinquedoteca, calendrio acadmico, secretaria virtual

(Lyceum) e demais ferramentas personalizveis pelo aluno, como calendrio

de tarefas e at o prprio layout da plataforma. Ao visualizar o Guia do

Aluno, possvel entender a funcionalidade de cada ferramenta, bem como o

roteiro de estudo a ser seguido.

17

O material pedaggico disponibilizado por disciplina e por turma. Nas

disciplinas, so propostos fruns de discusso, que permitem o debate entre

os alunos e entre os alunos e o corpo docente sobre temas especficos.

Para tratar de assuntos gerais, o aluno utiliza a ferramenta mensagens, que

permite o envio de mensagens a um ou a todos os usurios matriculados na

disciplina. Os prazos e a ordem das disciplinas seguem o calendrio

acadmico.

3.5.2 Moodle

A plataforma utilizada para a publicao de contedo no SEPI II o

Moodle. Ele conta com as principais funcionalidades disponveis nos

ambientes virtuais de aprendizagem e composto por ferramentas de

avaliao, comunicao, disponibilizao de contedo, administrao e

organizao. Por meio dessas funcionalidades, possvel dispor de recursos

que permitem a interao e comunicao entre o alunado, professores e

tutoria, a publicao do material de estudo em diversos formatos de

documentos, a administrao de acessos e a gerao de relatrios.

No Ambiente Virtual de AprendizagemMoodle, o aluno tem acesso ao

material pedaggico, disponibilizado por disciplina, alm dos recursos de

interao que permitem o dilogo entre os alunos, professores e a equipe de

tutoria.

O material de cada disciplina publicado pelo professor responsvel por

ela no Moodle, seguindo a proposta do calendrio acadmico de realizao

dos encontros presenciais. A publicao de material, mdulo a mdulo, pelo

professor, facilita o acompanhamento do aluno no AVA.

COCONCEPO de EDUCAO e Do processo do curriculo de

ensinoaprendizagem

Conforme consta no PDI:

A educao ao longo de toda a vida organizase em torno de quatro

aprendizagens fundamentais, que constituem os pilares do conhecimento:

1) Aprender a conhecer significa, antes de tudo, o aprendizado dos

mtodos que nos ajudam a distinguir o que real do que ilusrio e ter,

assim, acesso aos saberes de nossa poca. A iniciao precoce na

cincia salutar, pois ela d acesso, desde o incio da vida humana, a

no aceitao de qualquer resposta sem fundamentao racional e/ou

de qualquer certeza que esteja em contradio com os fatos.

18

2) Aprender a fazer um aprendizado da criatividade. Fazer tambm

significa criar algo novo, trazer luz as prprias potencialidades

criativas, para que venha a exercer uma profisso em conformidade

com suas predisposies interiores.

3) Aprender a viver junto significa, em primeiro lugar, respeitar as normas

que regulamentam as relaes entre os seres que compem uma

coletividade. Porm, essas normas devem ser verdadeiramente

compreendidas, admitidas interiormente por cada ser e no sofridas

como imposies exteriores. Viver junto no quer dizer simplesmente

tolerar o outro com suas diferenas, embora permanecendo convencido

da justeza absoluta das prprias posies.

4) Aprender a ser implica em aprender que a palavra existir significa

descobrir os prprios condicionamentos, descobrir a harmonia ou a

desarmonia entre a vida individual e social.

Focada nessas premissas norteadoras, a UNIP incorpora aos seus cursos

abordagens que busquem:

A construo coletiva expressa na inteno e prtica de cada segmento

institucional, levando em conta a articulao dialtica, diferenciao e

integrao, globalidade e especificidade.

A interao recproca com a sociedade, caracterizada pela educao e

desenvolvimento econmicosocial sustentveis, reafirmando o seu

compromisso como potencializadora da formao humana e

profissional.

A construo permanente da qualidade de ensino, entendida e

incorporada como processual e cotidiana da graduao e da

psgraduao, indagando continuamente sobre o tipo de sociedade que

temos e queremos, a funo dos cursos superiores frente s novas

relaes sociais e de produo e sobre o perfil do profissional a formar

frente s exigncias do mercado de trabalho.

A integrao entre ensino, pesquisa e extenso, buscando a construo

de um processo educacional fundado na elaborao e reelaborao de

conhecimentos, objetivando a apreenso e interveno em uma

realidade dinmica e contraditria.

A extenso voltada para seus aspectos fundamentais, quais sejam,

tornar a coletividade beneficiria direta e imediata das conquistas do

19

ensino e da pesquisa, socializando o saber e a coleta do saber no

cientfico elaborado pela comunidade para, estruturandoo em bases

cientficas, restitulo a sua origem.

O desenvolvimento curricular contextualizado e circunstanciado,

expresso da concepo de conhecimento como atividade humana

processualmente construda na produo da vida material.

A unidade entre teoria e prtica, por meio do desenvolvimento, por

parte de professores e alunos, de atividades de pesquisa e iniciao

cientfica.

A Universidade Paulista, ao longo de seu percurso histrico como

entidade educacional, sempre empregou ferramentas tecnolgicas de

comunicao em seu processo de construo e disseminao do

conhecimento. Isso propiciou um conjunto de experincias individuais e

coletivas para o corpo discente e docente e para com a prpria instituio.

Ao iniciar o desenvolvimento de atividades acadmicas em Educao a

Distncia, a IES apoiouse na experincia adquirida nos ltimos 20 (vinte)

anos. Os desafios presentes no contexto socioeducacional e tecnolgico

atual possibilitaram aprimorar algumas das prticas pedaggicas que a

Universidade desenvolveu ao longo do tempo.

Um dos motivos que levou a UNIP a propor cursos em EaD foi a

compreenso de que a construo do conhecimento se d a partir da

interao entre todos os elementos envolvidos no processo de

ensinoaprendizagem, ou seja, em uma dimenso conjunta. Nessa interao,

estimulase a aprendizagem e o desenvolvimento do aluno.

As estratgias pedaggicas selecionadas visam proporcionar a

construo do conhecimento individual e coletivo, por meio da elaborao de

projetos e de discusses pautadas e mediadas que desafiam o aluno,

levandoo a refletir sobre os conceitos apresentados e sua aplicabilidade em

diferentes contextos.

O processo de ensinoaprendizagem se baseia na construo de relaes

intra e interpessoal. Em outras palavras: aluno e material didtico; alunos

entre si; alunos e professores; alunos e tutores; alunos e instituio,

professores e tutores. Estimulandose essa interao, valorizase o

conhecimento j adquirido pelos alunos ao longo de suas vidas, estreitando o

vnculo afetivo e acadmico necessrio para o cotidiano da educao a

distncia.

20

Essa interao viabilizada pelo uso de estratgias dialgicas como os

chats, fruns e orientao de trabalhos interdisciplinares. Esse processo

desenvolvese continuamente, mantendo um enfoque pedaggico consistente

e coerente com as diretrizes curriculares e as propostas dos cursos, de suas

metas e critrios de avaliao.

A aprendizagem cooperativa e a sala de aula vista como um AVA,

criativo e incentivador. O professor desempenha o papel de orientador de um

processo de ensinoaprendizagem proativo e investigativo, no qual h

autonomia quanto aos mtodos pedaggicos por parte dos lados envolvidos

na execuo das tarefas, com mais nfase no processo do que no resultado.

Consequentemente, a aprendizagem acontece em grupo, proporcionando

transformaes significativas nas pessoas envolvidas.

Na evoluo da EaD, a UNIP, em coerncia com a sua misso e sua

vocao, tem aprimorado seus modelos, estratgias, materiais e atividades,

visando a participao ativa dos alunos e professores no processo de

ensinoaprendizagem. Dessa forma, fomenta a democratizao da educao

no pas, possibilitando o acesso a uma metodologia de ensino inovadora e

utilizando tecnologia avanada.

Os servios de apoio relacionados modalidade esto congregados na

UNIP Interativa, de maneira que cada uma das equipes esteja integrada em

suas aes. Sendo assim, a UNIP Interativa, entendida como sistema de

EaD, organizase por meio de sistemas interdependentes entre si:

comunicao, acompanhamento e avaliao.

4.1 Sistema de comunicao

4.1.1 Sobre os meios

O sistema de comunicao da UNIP Interativa tem base em servio de

tecnologia da informao e comunicao, responsvel por prover e dotar

recursos de interao por meio de AVA, para que professores, alunos e

tutores mantenham relao no processo da formao. Organiza e dispe

informao fundamentada nos contedos afins aos programas, cursos e

projetos desenvolvidos na modalidade a distncia. Os projetos pedaggicos

dos cursos oferecidos nas modalidades presenciais e a distncia so os

mesmos, no entanto, h especificidades da modalidade EaDque tornaram

necessria a criao de servios que suportem as demandas por interao

entre os implicados no processo ensinoaprendizagem. O sistema de

comunicao atende, prioritariamente, a essa interao.

21

4.1.2 Material didtico

O material didtico utilizado na UNIP Interativa desenvolvido em sintonia

com os princpios epistemolgicos, metodolgicos e polticos explicitados no

PDI da Instituio, nas Diretrizes Curriculares Nacionais e nos Projetos

Pedaggicos dos Cursos. Seu uso precedido de avaliao por

especialistas externos, que sugerem e orientam a adoo de medidas

visando ao seu aperfeioamento.

O conjunto de mdias, selecionado para desenvolver as competncias

especficas propostas para cada curso, respeita as caractersticas

socioeconmicas dos diferentes grupos de alunos.

A produo do material impresso e disponibilizado no AVA atende s

lgicas distintas de concepo, produo, linguagem e tempo. A

convergncia e a integrao entre as diversas mdias so garantidas pelas

equipes multidisciplinares constitudas por especialistas em contedos, em

desenvolvimento de pginas web, em desenho instrucional, em ilustrao,

em diagramao, em reviso do material produzido, dentre outros, determina

o artigo 1, do Decreto n. 5622/2005.

a) Livrotexto

Os livrostexto produzidos observam os seguintes critrios:

exercem a funo de um mediador privilegiado, atuando como roteiro

de estudos;

contm sugestes de atividades que fomentam reflexes, pesquisas e a

sistematizao de ideias;

ensejam relaes com o campo de conhecimento, alm de outros

olhares e possveis saberes que esse campo incita;

compem trilhas com vrias possibilidades de acesso, instigando o

aluno a procurar outros tipos de fontes para estudo;

inserem-se em uma rede de diferentes tipos de materiais livros,

filmes, artigos etc. cuja composio permite atingir os objetivos

propostos para a formao dos alunos;

utilizam cones padronizados;

inserem imagens e grficos;

22

apresentam ao menos dois exerccios por mdulo, que estimulam a

reflexo, a aplicao e a ampliao do conhecimento, oferecendo a

resposta de um exerccio no livro e de outro na plataforma.

A elaborao do livrotexto realizada de forma dialgica, ancorada no

trip educadoreducandoobjeto do conhecimento, permitindo ao aluno agir,

refletir e interagir no desenrolar da ao pedaggica. O livrotexto deve

fomentar a reflexo do aluno, levandoo a buscar informaes em outras

fontes, realizar novas leituras, descobrir novos caminhos e apropriarse dos

conhecimentos gerados e adquiridos. Esse processo contnuo considera o

aluno como um agente ativo e capaz de autoavaliar o seu progresso no

decorrer do curso.

O texto dialgico estabelece uma conversa amigvel entre o autor e o

leitor, desenvolvendo o senso crtico do aluno e levandoo a compreender a

relevncia do contedo do texto para seu cotidiano e prtica profissional. O

contedo deve contemplar a ementa da disciplina e compor um todo coeso,

integrando, de forma contnua e complementar, as suas diferentes partes:

unidades, tpicos, reflexes, atividades, bibliografia, grficos e imagens.

O docente conteudista o profissional especialista que redige o material

didtico da disciplina e/ou produz material para o Ambiente Virtual de

Aprendizagem e/ou grava o contedo nas mdias, udio e vdeo (quando for

o caso). Ele recebe orientaes sobre a utilizao das diversas mdias e

participa de treinamentos e workshops.

A Comisso de Qualificao e Avaliao de Cursos CQA,composta

por professores especialistas, submete o livrotexto a uma criteriosa anlise

de seu contedo. Dessa anlise, resulta um parecer que enviado ao

coordenador do curso para retroalimentar as partes envolvidas no processo

de produo, at que o livrotexto seja aprovado.

No Departamento de Reviso so verificadas a originalidade,

padronizao do texto, a coeso, coerncia, clareza, vcios de linguagem,

uso incorreto da lngua portuguesa, ortografia e adequao aos padres

estruturais adotados pela UNIP Interativa.

O Departamento de Educao Digital rene profissionais com

conhecimentos tcnicos de produo e configurao de possibilidades de

estruturao visual e responsvel pela diagramao do texto. Uma vez

diagramado, o livrotexto passa por uma ltima reviso e enviado ao

coordenador do curso que, juntamente com o docente conteudista, verifica o

material finalizado, liberandoo para impresso e envio ao Departamento de

23

Planejamento Controle de Materiais, que o disponibilizar ao docente que

produzir os materiais didticos da disciplina e ao departamento responsvel

pela insero dos materiais no AVA.

b) Materiais didticos da disciplina: todos os materiais utilizados numa

determinada disciplina, tais como slides, questionrios, exerccios, textos

complementares, fruns, Estudos Disciplinares (ED), dentre outros.

O Departamento de Planejamento responsvel pelo planejamento e

coordenao das gravaes dos cursos no formato SEI, pela produo de

livrostextos e calendrios acadmicos, pela publicao de informaes

referentes s atividades complementares, alm da produo dos materiais

das aulas.

So suas atribuies: liberar os materiais para a transmisso de aulas ao

vivo no formato SEPI, para a tutoria a distncia, para inserir os contedos no

Ambiente Virtual Acadmico AVA e controlar as atividades, avaliaes e

informaes na disciplina Atividade do tutor de sala.

O material recebido submetido s seguintes etapas:

recebimento e controle dos materiais recebidos;

reviso ortogrfica e uso correto da lngua portuguesa;

diagramao;

liberao para insero no AVA;

gerao de imagens;

liberao para gravao das teleaulas;

liberao para a Tutoria.

O Departamento de Planejamento possui profissionais qualificados para

realizar todas as etapas do processo.

c) Teleaulas

As teleaulas contm a ementa e o programa da disciplina e seu contedo

elaborado por um professor escolhido pelo coordenador do curso em

conjunto com o lder da disciplina.

24

O professor distribui o contedo da disciplina nas unidades, respeitando a

carga horria definida na matriz curricular e organiza a sua apresentao aos

alunos. As teleaulas so gravadas de acordo com a organizao elaborada

pelo professor

As teleaulas, com durao de uma hora, so divididas em quatro blocos

de quinze minutos cada, sendo que, ao final de cada bloco, o professor

prope uma questo referente ao tema abordado. O bloco seguinte iniciase

com um comentrio do professor referente atividade proposta no bloco

anterior.A separao em blocos tem o objetivo de tornar a aula mais

dinmica e interativa.

importante ressaltar que todas as teleaulas possuem intrprete de

libras, o que permite aos alunos portadores de necessidades especiais

acompanharem o contedo ministrado pelo professor.

As teleaulas so gravadas em estdio e editadas pelos profissionais daTV Web. Aps a edio, as teleaulas so enviadas ao departamento de

Educao Digital,que prepara o linke realiza a sua insero no AVA. O

docente da teleaula acompanhado no estdio por um tutor da rea da

disciplina, tanto nas teleaulas gravadas como nas teleaulas transmitidas ao

vivo.

d) Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA

Foi possvel compreender que o aluno necessita de orientaes claras

quanto ao entendimento e possibilidades da educao a distncia, do

funcionamento do curso, dos mecanismos de interaes e comunicao

disponveis para uma aprendizagem colaborativa. Para introduzir o aluno ao

universo da EaD, produzse teleaulas, diversos vdeos, normas e calendrios

acompanhados de manuais e guias digitalizados no AVA que:

abordam a plataforma utilizada (AVA);

apresentam as abas e ferramentas disponveis;

orientam a navegao dos fruns e do sistema de mensagem

(tecnolgicos de comunicao);

disponibilizam o calendrio acadmico;

disponibilizam as disciplinas e contedos programticos, bem como as

atividades e exerccios propostos.

25

Os docentes coordenadores de cada curso elaboram as aulas inaugurais

e instrucionais nas quais os alunos, alm de conhecerem as particularidades

do seu curso, interagem com o coordenador e com os docentes de apoio.

Nessas aulas, realizadas com a presena do aluno no polo de apoio

presencial, os coordenadores:

explicitam o processo de ensinoaprendizagem a ser desenvolvido no

semestre;

apresentam as disciplinas;

informam como a equipe de docentes acompanhar o processo

pedaggico;

informam como interagir com a equipe multidisciplinar;

transmitem informaes sobre o calendrio, atividades, critrios e

mecanismos de avaliao;

explicam as funes das pessoas que acompanharo os alunos no

polo, a equipe presencial, tutoria a distncia, docentes e

coordenadores.

Alinhada sua misso e vocao, a UNIP Interativa contribui para a

incluso digital do aluno, inserindoo no contexto educacional, social e cultural

do Ensino Superior do pas. O esforo de incluso norteia a equipe da EaD

no desenvolvimento e planejamento das aes pedaggicas utilizadas ao

longo do processo de ensinoaprendizagem. Da mesma forma, o

desenvolvimento do material didtico busca ultrapassar barreiras geogrficas

e regionais. Em suma, a perspectiva interacionista vista como essencial

para a modalidade de educao a distncia.

A equipe de docentes desenvolve os materiais didticos do AVA,

atendendo s necessidades especficas de cada disciplina e respeitando os

referenciais de qualidade propostos para a educao de Ensino Superior a

Distncia.

26

Fluxograma do Desenvolvimento do Material Didtico

4.1.3 Concepo de avaliao

A avaliao do aluno deve servir no s para medir seu rendimento

acadmico, mas, principalmente, estimullo a sustentar um desempenho

positivo. O crescimento intelectual do aluno ao longo do processo de sua

formao deve ser valorizado, considerandose os objetivos do curso e as

qualidades desenvolvidas, apontandose as insuficincias observadas e os

caminhos para superlas.

O sistema de avaliao concebido na perspectiva de garantir o

desenvolvimento de competncias no processo de formao. Nesse sentido,

a avaliao destinase induzir a aprendizagem dos alunos, de modo a

favorecer seu percurso e regular as aes que orientam e incentivam sua

formao. Desse modo, a avaliao no se destina a punir os que no

alcanam o que se pretende, mas a ajudar cada aluno a identificar melhor as

suas necessidades de formao e empreender o esforo necessrio para

realizar sua parcela de investimento no prprio desenvolvimento profissional.

O sistema de avaliao no deve incidir sobre elementos a serem

memorizados, mas na verificao da capacidade de refletir sobre o

conhecimento, de questionlo e de (re)construlo, dos pontos de vista

cientfico, metodolgico e poltico.

O que se pretende avaliar no s o conhecimento adquirido, mas a

capacidade de acionlo e de buscar outros para realizar o que proposto.

Avaliar significa verificar no apenas se os alunos adquiriram os

conhecimentos necessrios, mas tambm se, quanto e como fazem uso

27

deles para resolver situaesproblema (reais ou simuladas) relacionadas, de

alguma forma, com o exerccio da profisso.

Dessa forma, a avaliao realizada mediante critrios explcitos e que

so compartilhados com os alunos, uma vez que o que objeto de avaliao

representa uma referncia importante para quem avaliado, tanto para a

orientao dos estudos como para a identificao dos aspectos considerados

mais relevantes para a formao em cada momento dos cursos.

A avaliao entendida como um processo a ser desenvolvido durante o

perodo letivo. Apresenta determinadas especificidades que so

regulamentadas pela Instituio. As formas de avaliao no curso seguem os

Critrios de Avaliao e Promoo da UNIP e so adequadas s

particularidades da formao do futuro profissional.

Para isso, so utilizados instrumentos variados, tais como: prova escrita

individual presencial, produo e apresentao de textos, pesquisa

bibliogrfica e de campo, relatrios e fichas de leitura de textos, comentrios

escritos de livros lidos, resoluo de exerccios, desenvolvimentode projetos

e atividades que relacionam a teoria e a prtica contempladas nos planos de

ensino das disciplinas do curso.

A avaliao da aprendizagem no AVA leva em conta todo o percurso

acadmico do aluno e permite o acompanhamento de frequncia e nota, a

partir do desenvolvimento de questionrios, atividades, entre outros,

possibilitando, ainda, a oportunidade de evoluo e melhoria contnua por

meio da reviso e feedback.

Estimulase a autoavaliao, possibilitando a autocorreo dos exerccios,

questionrios e atividades, de modo que o aluno possa acompanhar a sua

evoluo e rendimento escolar. Para tanto, o sistema oferece as respostas

comentadas das atividades propostas, assim que o aluno as desenvolve e as

salva no sistema no qual, automaticamente, abrese a oportunidade de

verificao e de proficincia. Incentivase, tambm, o aluno a buscar

esclarecimentos e avanar em seu conhecimento, revendo os materiais

disponveis e recorrendo aos tutores a distncia, tutores presenciais e

docentes sempre que necessrio. O acesso ao AVA permite ao professor

acompanhar o aluno e ao aluno avaliar o seu progresso nas disciplinas,

atividades, exerccios e trabalhos.

As ferramentas de interao e comunicao com o corpo docente so

compostas por emails, chats, fruns de discusso, utilizao do contato

telefnico ou ainda, presencialmente (no polo de apoio presencial), por meio

dos professores consultores e/ou tutores presenciais. A partir desses

28

instrumentos, possvel traar um perfil das dificuldades vividas pelo aluno e

promover orientaes individualizadas, materializadas formalmente pelos

docentes e tutores, acompanhando o desenvolvimento do aluno em seu

curso.

Uma vez detectadas dificuldades especficas, promovemse aulas de apoio

com a disponibilizao de material complementar, podendo ser tanto teleaula

quanto texto complementar, assim como um acompanhamento mais

individualizado por parte dos tutores e professores.

A avaliao presencial complementa o processo. Ela feita

bimestralmente no polo presencial de apoio no qual o aluno est matriculado,

seguindo o calendrio acadmico de cada curso. No formato SEPI II, a

avaliao presencial semestral.

Para garantir a segurana das avaliaes presenciais, a equipe de TI da

UNIP desenvolveu um sistema que permite a randomizao das questes de

prova no ato de sua impresso, o que possibilita a confeco de provas com

diferentes questes para cada aluno de um mesmo grupo. Na sede, as

questes de prova so elaboradas por professores, revisadas em seu

contedo por uma equipe de professores de apoio e encaminhadas a um

departamento especfico que recepciona, organiza e insere as questes no

sistema. A prova disponibilizada ao polo de apoio presencial apenas nas

datas preestabelecidas pela sede, conforme o calendrio acadmico.

As avaliaes presenciais, depois de realizadas, so digitalizadas pelo

polo de apoio presencial e encaminhadas para a sede da Instituio para

serem corrigidas pelos docentes.

O sistema e a logstica do processo de avaliao foram verificados por

meio de um projetopiloto desenvolvido no segundo semestre de 2010 e, em

2011, foram introduzidos, de forma gradativa, nos diferentes cursos.

O detalhamento dos mecanismos do processo avaliativo consta do

Regimento Geral (disponvel em: ou no Apndice I).

4.1.4 Gesto acadmico-administrativa

A secretaria acompanha a vida escolar dos alunos desde o seu ingresso

na IES, orientando os procedimentos relacionados s matrculas e

renovaes de matrculas, a verificao da documentao e dos pedidos de

emisso de servios solicitados pela secretaria virtual. A secretaria controla

tambm os documentos referentes concluso do curso, o encaminhamento

para execuo e registro de diplomas, assim como a sua retirada.

29

Para o bom funcionamento da secretaria, foram padronizados alguns

procedimentos. Aps a aprovao no processo seletivo, o prprio candidato

deve realizar sua matrcula. Nesse ato, ele recebe o contrato e, ao aceitlo,

tornase responsvel pelo acesso ao sistema e pela impresso do boleto.A

matrcula somente efetivada aps o pagamento da primeira parcela do

curso, a entrega do contrato de prestao de servio educacional

devidamente assinado, a entrega dos documentos pessoais e de

escolaridade.

A UNIP Interativa utiliza, para gerenciamento do sistema de controle

acadmico, o Lyceum.

4.1.5 Biblioteca

As bibliotecas da UNIP (central, setoriais e dos polos de EaD)

desempenham um importante papel na execuo da misso organizacional

da instituio. O desenvolvimento das colees das bibliotecas UNIP vem

acompanhando as novas tecnologias da informao, adquirindo acervos

impressos e digitais em vrios suportes, como livros, plataformas de leitura

de livro na web, peridicos, DVDs e CDROMs, bases de dados nacionais e

internacionais, atendendo s necessidades geradas pelas atividades de

ensino, pesquisa e extenso da Universidade.

As bibliotecas setoriais so controladas por uma unidade central de

informaes via intranet (rede privada que utiliza os mesmo recursos da

internet).

Todas as bibliotecas da instituio so interligadas on-line pela internet,

possibilitando assim o uso pleno dos servios e recursos por um universo

maior de usurios, durante 24 horas por dia, e respeitando a

descentralizao de acervos, necessria devido s diferentes localizaes

dos campi.

Para manter o acervo qualitativo e quantitativo bem dimensionado, as

bibliotecas da UNIP tm investido maciamente na aquisio de livros,

peridicos e material multimdia.

a) Gesto das bibliotecas e do acervo dos polos EaD: a biblioteca sede da

EaD encontrase na Avenida Torres de Oliveira, 330, no bairro Jaguar,

cidade de So Paulo, dentro do campus da UNIP denominado Cidade

Universitria. Por meio dela so tomadas as decises sobre tratamento

tcnico, expanso de acervo e servios oferecidos para os alunos EaD

nos campi UNIP, nas bibliotecas setoriais e polos de apoio presencial.

30

As bibliotecas setoriais esto localizadas em polos distribudos nas

capitais dos estados de todo o Brasil. As bibliotecas setoriais do

suporte de catalogao, classificao e de referncia para os polos

prximos, alm de integrar o seu acervo ao servio de intercmbio de

materiais.

b) Servio de processamento tcnico: todo o acervo da UNIP registrado

em conformidade com os seguintes padres internacionais:

Classificao Decimal Universal (CDU);

TableCutterSanborn;

cdigo de catalogao angloamericano (AACR2);

MachineReadableCataloging(MARC21).

c) Informatizao do acervo e servios: o sistema de gesto utilizado o

Pergamum, que permite o controle do acervo e da circulao em

ambiente on-line, dispensando a necessidade de instalao de

softwares nos polos e possibilitando que a consulta ao catlogo seja

feita a partir de qualquer micro conectado internet. O sistema

Pergamum integrase ao Sistema Sisun de Biblioteca, da Biblioteca

Central da UNIP, que foi desenvolvido pela Universidade e deposita os

registros de todos os livros da instituio, desde os mais antigos at as

colees raras. O catlogo on-line dos sistemas Pergamume Sisun

permite consulta por filtros de assunto, autor, ttulo e biblioteca e est

disponvel no site acadmico 24 horas por dia, por meio da internet.

Alm de permitir a consulta multicampi, a comunidade da UNIP

presencial e de EaD pode utilizar todos os recursos disponveis em

qualquer biblioteca da prpria mantenedora e instituies coligadas.

Tendo como suporte os sistemas Pergamum e Sisun, o servio de

referncia das bibliotecas UNIP disponibiliza para o corpo discente e

docente presencial e de EaD os seguintes servios:

pesquisa bibliogrfica;

orientao e normalizao de trabalhos acadmicos seguindo as

normas da ABNT. Visando o melhor atendimento demanda desse

servio, foi elaborado o Guia de Normalizao para Apresentao de

Trabalhos Acadmicos, que est disponibilizado na pgina da

internetda instituio:

;

31

emprstimo domiciliar;

renovao on-line (feita pelo prprio aluno por meio da internet);

reserva on-line (feita pelo prprio aluno por meio da internet);

intercmbio de material entre bibliotecas (EaD e presencial);

consulta local;

elaborao de referncias bibliogrficas (ABNT);

COMUT Programa de comutao bibliogrfica, que visa facilitar a

obteno de cpias de documentos independentemente de sua

localizao (no Brasil ou no exterior), provendo o acesso aos

documentos exclusivamente para fins acadmicos e de pesquisa;

treinamento de usurios.

d) Acervo:

material impresso: atualmente o acervo dos campi da UNIP conta com

mais de 1.000.000 itens. Alm desses, os polos de apoio possuem

cerca de 400.000 itens, podendo o aluno de EaD fazer uso de material

de qualquer um desses, realizando o emprstimo presencial ou

solicitando o intercmbio de ttulos;

material on-line: no ambiente on-line, todos os alunos da UNIP podem

acessar os bancos de dados de peridicos, inclusive da CAPES e

EBSCO. Recentemente, foram incorporados ao acervo materiais

virtuais de vrias editoras, tendo como destaque a Biblioteca Virtual da

Pearson (BV), com cerca de 1.600 ttulos, que podem ser lidos pelos

alunos por computador, celular, tablet etc. A BV permite tambm a

impresso de partes dos livros.

5 ADMINISTRAO ACACADMICA

5.1 Coordenao de curso

5.1.1 Estrutura organizacional

A coordenao do curso exercida pelo coordenador geral, que conta

com o apoio de coordenadores que se encarregam da superviso

acadmica da realizao dos cursos. Compete a cada coordenador, entre

32

outras funes, o papel de definir e gerenciar a equipe docente do curso

sob sua responsabilidade

Na educao a distncia, h um coordenador que realiza seus plantes

na sede da Unip Interativa. A coordenao de curso conta ainda com o apoio

de lderes de disciplina, competindo a eles, entre outras funes, a

responsabilidade de definir e manter atualizados os planejamentos didticos

de suas respectivas disciplinas (objetivos, planos de ensino, contedos

programticos, bibliografia etc.).

Os planos de ensino e os planejamentos didticos completos elaborados

pelos lderes de disciplinas constituem o padro que adotado pelo Curso,

cabendo s equipes docentes fazer as devidas adequaes necessrias .

Em resumo, a coordenao do curso exercida pela estrutura matricial, por

meio da qual os docentes respondem hierarquicamente para seus

respectivos coordenadores e, em termos funcionais, obedecem s

orientaes dos lderes de disciplina. Tanto os coordenadores como os

lderes de disciplina respondem ao coordenador geral do curso.

5.2 Coordenador do curso

A coordenao do curso exercida por um coordenador designado pelo

Reitor e homologado pela Mantenedora (Regimento Geral da Universidade,

artigo 23).

Para exerccio do cargo de coordenador do curso so exigidos os

seguintes requisitos:

titulao acadmica compatvel com a sua misso de liderar

educadores do Ensino Superior;

experincia profissional;

experincia acadmica suficiente para permitir uma viso adequada da

realidade do Ensino Superior;

acompanhamento continuado e abrangente da evoluo do mundo,

tanto no que diz respeito s carncias das organizaes como no que

trata dos avanos nas prticas de gesto;

capacidade de liderar equipes.

33

5.3 Composio e funcionamento do colegiado de curso

Dadas as caractersticas de atuao multicampi da Universidade, o

colegiado do curso formado por dois tipos de colegiados complementares

entre si: o colegiado geral e os colegiados locais. O colegiado geral

composto pelo coordenador do curso e pelos coordenadores, enquanto cada

colegiado local composto pelo coordenador e sua respectiva equipe de

docentes. Ambos os tipos de colegiado contam com uma representao

discente. Os colegiados locais atuam simultaneamente como alimentadores

e disseminadores/multiplicadores das decises e orientaes do colegiado

geral.

Ao colegiado de curso, na forma como ele est institudo e de acordo com

o Regimento Geral da Universidade (art. 29), compete o seguinte:

propor e executar atividades e promover a articulao interna e das

relaes entre os cursos da mesma rea localizados em outros campi;

aprovar o plano de atividades de curso;

promover a articulao e a integrao das atividades docentes;

propor providncias de ordem didtica, cientfica e administrativa aos

rgos da administrao superior;

opinar sobre a realizao de programas de ensino, pesquisa e

extenso;

responsabilizarse pela elaborao de projetos de pesquisa de extenso

na rea de competncia e coordenar e supervisionar sua execuo;

desenvolver e aperfeioar metodologias prprias para o ensino das

disciplinas de sua competncia;

distribuir encargos de ensino, pesquisa e extenso aos membros do

corpo docente;

responsabilizarse pelo oferecimento das disciplinas relacionadas ao

setor especfico do saber que define o mbito de sua competncia;

elaborar as ementas, os programas e os planos de ensino para as

disciplinas de sua competncia;

avaliar o desempenho individual de cada docente;

34

participar de programa ou projetos de pesquisa e extenso de natureza

interdisciplinar;

promover e coordenar seminrios, grupos de estudos e outros

programas para o aperfeioamento docente;

ao final do semestre, avaliar os programas relativos ao curso;

constituir comisses especiais para assuntos especficos;

acompanhar a expanso do conhecimento nas reas de sua

competncia, por meio de intercmbio com centros de pesquisadores

que desenvolvam trabalhos inovadores e, tambm, por meio do

incentivo participao dos docentes em eventos cientficos e culturais

nas respectivas reas de especializao;

exercer as demais atribuies que se incluam, de maneira expressa ou

implcita, no mbito de sua competncia;

fazer indicao para admisso do pessoal docente.

Presidido pelo coordenador de curso, o colegiado geral renese

ordinariamente, no mnimo, uma vez por semestre. Cada colegiado local,

presidido pelo respectivo coordenador, tambm se rene ordinariamente, no

mnimo, uma vez por semestre. As normas para funcionamento desses

colegiados so as que esto estabelecidas no art. 31 do Regimento Geral da

Universidade.

5.4 Ateno ao discente

Os polos possuem profissionais com formao universitria especfica

para cada rea do conhecimento, considerando os cursos ofertados pela

UNIP Interativa. Eles orientam, conduzem e facilitam o processo de

ensinoaprendizagem junto aos alunos. A equipe de apoio formada por:

a) Coordenador do polo: responsvel pelo funcionamento dos processos

administrativos e pedaggicos que se desenvolvem na unidade. O

coordenador deve conhecer os projetos pedaggicos dos cursos

oferecidos no polo de apoio presencial, estar atento s aes previstas

nos calendrios, especialmente aquelas que tratam das atividades de

tutoria presencial. Deve, tambm, zelar pela disponibilidade de

equipamentos e atualizao da infraestrutura, viabilizando o

acontecimento das atividades. O coordenador deve ter, no mnimo,

titulao de graduao e formao especfica em EaD.

35

b) Secretaria do polo responsvel pelo atendimento aos alunos do polo

de apoio presencial quanto ao recebimento, conferncia e envio de

documentos secretaria acadmica da Universidade. responsvel,

tambm, pela recepo e entrega de documentos solicitados pelo aluno

por meio da secretaria virtual.

c) Tutor presencial o papel do tutor na modalidade EaD fundamental

para o desenvolvimento dos alunos. Ele deve acompanhlos quanto ao

entendimento dos contedos propostos, desenvolvimento de atividades

e outros aspectos pertinentes ao processo de ensinoaprendizagem.

Os principais meios e mecanismos de interatividade, atendimento,

orientao e suporte da UNIP Interativa so:

Ambiente Virtual de Aprendizagem: so disponibilizados manuais, aulas

instrucionais, guia do aluno, manuais explicativos, calendrio

acadmico, secretaria virtual, material pedaggico, contedos para

nivelamento, frum e chat;

secretaria virtual: ferramenta disponibilizada exclusivamente aos

alunos, permite acesso s informaes acadmicas e financeiras, alm

de proporcionar permisso para solicitao de servios e consulta

desses. Dentro da secretaria virtual, disponibilizado o Manual de

Informaes Acadmicas;

material didtico impresso: o livrotexto atua como roteiro de estudo e

fomenta reflexes, pesquisas e a sistematizao de ideias, incentivando

a continuidade do processo de ensinoaprendizagem no AVA por meio

da realizao de exerccios, participao em fruns de discusso e

chats;

polo de apoio presencial: so os espaos fsicos onde acontecem os

encontros presenciais, orientaes de estudos e atividades. Possui

equipe de apoio capacitada para atender s demandas do alunado;

central de atendimento ao aluno: orienta os alunos sobre os

procedimentos acadmicos e financeiros, esclarece dvidas sobre as

atividades a serem desenvolvidas pelos alunos e d orientao quanto

aos calendrios escolares;

tutoria a distncia: acompanha as teleaulas, medeia a interao com os

alunos, auxilia o professor e o coordenador do curso no

desenvolvimento das atividades didticas e participa dos chats e fruns;

36

participao dos discentes da EaD nas atividades de iniciao

cientfica;

parcerias ou convnios da UNIP com prefeituras de vrios estados para

a realizao de estgios (opcionais) para os cursos superiores de

tecnologia;

disponibilizao de palestras on-line comunidade acadmica da EaD

e comunidade em geral;

disponibilizao de softwares gratuitos aos discentes da EaD;

sistema prprio de postagem de trabalhos acadmicos e de atividades

complementares;

acordo de cooperao da UNIP com empresas para a atribuio de

descontos aos alunos.

5.4.1 Apoio aos discentes

O coordenador do polo de apoio presencial realiza o atendimento pessoal

ao aluno eo observa e procura descobrir os obstculos que o impedem de ter

um resultado favorvel no processo de aprendizado.

Se o problema for exclusivamente de aprendizado, o coordenador do polo

de apoio presencial se apoia no coordenador do curso do aluno para um

programa personalizado de avaliao do estudante.

Caso o problema seja de ordem psicolgica, o coordenador do polo de

apoio presencial atua como um mediador junto ao estudante e, muitas

vezes, com os pais do aluno, o encaminha para as clnicas do curso de

Psicologia da UNIP ou mesmo para clnicas especficas, a fim de obter

alguns tipos de tratamentos foraIES, dentro do maior sigilo profissional

possvel.

6 CORPO DOCENTE E TCNICO-ADMINISTRATIVO

6.1 Formao acadmica e profissional

O corpo docente constitudo por profissionais cujas trajetrias de

formao e experincias so coerentes com as disciplinas ministradas e com

o projeto do curso.

37

Os professores so estimulados educao continuada, tanto pelo

oferecimento, pela UNIP, de cursos de extenso e psgraduao (com

descontos), como pelo subsdio em participaes em eventos e

apresentaes e publicaes de trabalhos em geral.

A UNIP tambm oferece programas de apoio pesquisa como o

Programa Individual de Pesquisa Docente, que tem por objetivo promover o

desenvolvimento de investigaes cientficas e destinase aos professores

dos programas de mestrado e/ou integrantes dos grupos de pesquisa da

UNIP que possuam o ttulo de doutor.

No entanto, a atuao do docente ultrapassa os limites dos contedos das

disciplinas, pois esse deve estar atento ao cumprimento da misso da UNIP,

com atitudes de respeito dignidade da pessoa e aos seus direitos

fundamentais, proscrevendo quaisquer formas de discriminao.

O corpo docente participa ativamente dos eventos de extenso da

Universidade, tanto em sua concepo como em sua realizao, envolvendo

toda a comunidade acadmica em programas sociais e culturais.

Para ingresso na Universidade, os professores so selecionados

localmente pelos coordenadores, sendo suas indicaes submetidas s

instncias superiores para aprovao. Os requisitos exigidos para a docncia

so:

titulao acadmica: privilegiamse os candidatos com melhor titulao,

compatvel com as disciplinas a serem ministradas. A titulao mnima

aceitvel a de especialista;

formao no acadmica: privilegiamse os candidatos com maior

formao, ainda que no acadmica (treinamentos empresariais, cursos

de extenso, cursos de atualizao, entre outros);

experincia acadmica: privilegiamse candidatos com maior e melhor

experincia acadmica;

experincia profissional: para disciplinas mais especficas, o requisito

experincia fundamental. J para as disciplinas de formao geral, a

experincia no um requisito eliminatrio, porm, mesmo assim

desejado.

38

6.2 Regime de trabalho

Todos os professores so contratados no regime de Consolidao das

Leis do Trabalho. Conforme constante no PDI da Universidade, o regime de

trabalho do corpo docente est previsto nas seguintes modalidades:

regime integral: com exigncia de 40 horas semanais de trabalho;

regime em tempo parcial: com exigncia de 20 horas de trabalho

efetivo;

regime de horasaula.

A Universidade Paulista UNIP possui plano de carreira docente

institudo em regulamento aprovado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e

Extenso Consepe e homologado pelo Conselho Universitrio Consuni.

No mencionado Regulamento do Magistrio Superior, encontramse as

atividades atribudas aos seus integrantes, o regime de trabalho, o quadro de

carreira, as categorias funcionais, as formas de ingresso e promoo e a

remunerao.

O Regulamento do Magistrio Superior da Universidade Paulista (UNIP)

discrimina a carreira docente nas categorias funcionais: professor auxiliar,

professor assistente, professor adjunto e professor titular e apresenta os

requisitos para ingressos ou promoo.

No PDI da Universidade Paulista esto relacionados os requisitos

necessrios para o ingresso em cada categoria:

profissionalizante I: o candidato deve possuir escolaridade

correspondente ao Ensino Superior completo (bacharelado ou

equivalente) e experincia mnima de um ano de efetivo exerccio de

atividade profissional;

profissionalizante II: o candidato a essa categoria deve possuir

escolaridade correspondente ao Ensino Superior completo

(bacharelado ou equivalente) e psgraduao lato sensu

(especializao) completa com o mnimo de 360 horas, conforme

Resoluo CNE n. 01/2001, de 03 de abril de 2001, e experincia

mnima de dois anos de efetivo exerccio do magistrio;

profissionalizante III: o ingresso nessa categoria deve possuir

escolaridade correspondente ao Ensino Superior (bacharelado ou

39

equivalente) e psgraduao stricto sensu (mestrado ou doutorado)

concludos e aprovados em universidade de reconhecida capacidade

tcnica ou possuir, pelo menos, cinco anos de experincia profissional

ou de coordenao em sua rea de atuao e experincia mnima de

trs anos de efetivo exerccio do magistrio superior ou no ensino de

formao profissional;

profissionalizante IV: o ingresso nessa categoria deve possuir

escolaridade correspondente ao Ensino Superior (bacharelado ou

equivalente) e psgraduao stricto sensu (mestrado ou doutorado)

concludos e aprovados em universidade de reconhecida capacidade

tcnica ou possuir, pelo menos, cinco anos de experincia profissional

ou de coordenao em sua rea de atuao e experincia mnima de

cinco anos de efetivo exerccio do magistrio superior.

6.3 A equipe multidisciplinar da UNIP Interativa

A equipe multidisciplinar da UNIP Interativa responsvel pela

organizao dos cursos. Ela composta por:

a) Docente conteudista: profissional especialista que redige o material

didtico da disciplina e/ou produz o material para o Ambiente Virtual de

Aprendizagem e/ou grava o contedo nas mdias, udio e vdeo

(quando for o caso).

b) Docente da disciplina: profissional que faz o planejamento da ao

pedaggica, interage e orienta os alunos nos momentos programados,

com os tutores a distncia e presenciais, se necessrio; elabora os

instrumentos de avaliao do aluno; efetua a correo das questes

discursivas com a equipe de tutores a distncia; organiza e participa de

fruns e chats.

c) Docente de apoio: profissional que executa diferentes atividades para

complementar o trabalho do docente da disciplina e contribui para o bom

desenvolvimento do processo de ensino e aprendizagem.

d) Docente supervisor: profissional capacitado em EaD que supervisiona

as atividades acadmicas que permeiam o processo

ensinoaprendizagem junto aos polos.

e) Professor consultor: profissional que acompanha e orienta

presencialmente os alunos nos polos de apoio presencial.

40

f) Docente coordenador de curso: profissional responsvel pela

coordenao de toda a equipe de docentes da rea. Conduz, direciona

e orienta os profissionais envolvidos no processo de EaD. Trabalha de

forma integrada com o grupo, estimulando a reflexo crtica sobre os

contedos e as demais aes.

g) Docente coordenador do polo: profissional responsvel por todas as

ocorrncias que envolvem o processo acadmicoadministrativo no polo.

h) Tutor a distncia: profissional especializado na rea de atuao, que

trabalha diretamente ligado coordenao do curso e aos docentes.

Auxilia os alunos no processo de ensinoaprendizagem e no uso das

diversas tecnologias como email, telefonia, material didtico, Ambiente

Virtual de Aprendizagem etc. Em suma, o tutor atua como facilitador do

contato entre o aluno, a instituio e o contedo, podendo mediar

discusses com os docentes das disciplinas e com os alunos

devidamente matriculados em tais espaos. i) Tutor presencial: profissional habilitado na rea especfica de atuao

e com conhecimento tecnolgico. Orienta os alunos com relao ao

Ambiente Virtual de Aprendizagem, de forma sncrona ou no, e os

auxilia na organizao dos estudos; facilita a interao dos alunos no

polo; auxilia a realizao dos estgios e das atividades complementares

e esclarece os alunos quanto aos procedimentos acadmicos.

6.4 Apoio didticopedaggico aos docentes

6.4.1 Apoio didticopedaggico

A UNIP Interativa dispe de departamentos que oferecem apoio direto ao

docente, tais como: setor de reviso (contedo e ortografia), setor de

planejamento (agendamento de teleaulas, treinamento audiovisual aos novos

professores e diagramao do material eletrnico) e tutoria a distncia

(acompanhamento em estdio das teleaulas e chatatividade).

6.4.2 Capacitao

A UNIP proporciona aos docentes e ao corpo tcnico administrativo a

oportunidade de aprimoramento profissional contnuo, oferecendo desde

curso de capacitao at psgraduao lato sensu, na modalidade

presencial e adistncia e stricto sensu na modalidade presencial.

A UNIP Interativa dispe, alm do curso de formao em Educao a

Distncia (EaD), cursos de capacitao e aperfeioamento, ofertados

exclusivamente aos professores, aos tutores e aos funcionrios da UNIP e

41

dos polos de apoio presencial, com o objetivo de ampliar o conhecimento da

modalidade, bem como de garantir a normatizao das informaes e

procedimentos utilizados.

6.5 Corpo Tcnico

6.5.1 Corpo tcnico-administrativo

O corpo tcnicoadministrativo constitudo por profissionais qualificados

para as funes exercidas.

So selecionados pelo Departamento de Recursos Humanos da entidade

mantenedora, atendendo solicitao dos numerosos setores de atividades

da Instituio

Na modalidade EaD a equipe tcnicoadministrativa da sede a seguinte:

secretaria secretria setorial e auxiliares;

tesouraria tesoureira setorial e auxiliares;

setores de apoio auxiliares;

revisores;

tcnicos responsveis pela insero do material no Ambiente Virtual de

Aprendizagem (AVA);

pessoal administrativo responsvel pelo agendamento de estdio,

recebimento de materiais, controle do calendrio acadmico;

equipe tcnica responsvel pelo estdio de gravao e transmisso das

teleaulas, palestras, videoconferncias etc.;

equipe de TI;

central de atendimento responsvel pelo processo seletivo, secretaria,

tesouraria e informaes gerais;

marketing responsvel pela elaborao e divulgao de material

publicitrio nas diversas mdias, bem como participao em feiras e

eventos;

42

assessoria responsvel pelo polo de apoio presencial,

supervisionando as atividades acadmicas e administrativas;

setor de regulao, avaliao e superviso;

central Lyceum responsvel pelo suporte ao sistema de controle

acadmico;

grfica e expedio responsvel pela impresso do material didtico

impresso e pelo envio do material para o polo de apoio presencial;

recursos humanos responsvel pela seleo e realocao de

empregados.

6.6 Atividades acadmicas articuladas com a formao, pesquisa e

extenso

Dadas s caractersticas do mundo atual, no que diz respeito evoluo

do conhecimento, obrigao da Universidade