Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

of 182 /182
7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1 http://slidepdf.com/reader/full/manual-dos-laboratorios-ccna1-v3-1 1/182 Este documento é propriedade exclusiva da Cisco Systems, Inc. É concedida permissão para cópia e impressão deste documento para distribuição não comercial e uso exclusivo pelos instrutores no curso CCNA 1: C onceitos Básicos de Redes de um membro oficial do Programa Cisco Networking Academy.

Embed Size (px)

Transcript of Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    1/182

    Este documento propriedade exclusiva da Cisco Systems, Inc. concedida permisso para cpiae impresso deste documento para distribuio no comercial e uso exclusivo pelos instrutores nocurso CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes de um membro oficial do Programa Cisco NetworkingAcademy.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    2/182

    1 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.1.2 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 1.1.2 Hardware do PC

    Objetivo

    Familiarizar-se com os componentes perifricos bsicos de um sistema de computador PC.

    Identificar as conexes de PCs inclusive conexes rede.

    Examinar a configurao interna do PC e identificar os componentes mais importantes.

    Observar o processo de boot para o sistema operacional do Windows.

    Usar o Painel de Controle para obter informaes sobre o PC.

    FundamentosConhecer os componentes de um PC muito importante para a soluo de problemas. Esteconhecimento tambm importante para o xito no campo de redes.

    Antes de comear, o instrutor ou assistente do laboratrio dever ter ao seu dispor um PC de mesatpico e com todos os perifricos. Os perifricos incluem o teclado, o monitor, o mouse, os alto-falantes ou fones de ouvido, uma placa de rede (NIC), e um cabo de rede. Dever ser removida atampa da unidade do sistema. Se a tampa no estiver removida, devero ser providenciadas asferramentas para remov-la. Trabalhe individualmente ou em grupos. Alm disso, o instrutor precisaidentificar a localizao do material de treinamento A+ ou do hardware do PC.

    Etapa 1 Examine o computador e os componentes perifricos

    Examine as partes da frente e de trs do computador e dos componentes perifricos.Observao: Os componetes e a configurao do PC podero variar.

    Qual o fabricante e o nmero do modelo deste computador?

    Fabricante:

    Nmero do Modelo:

    Quais so os componentes externos principais do PC incluindo os perifricos?

    Nome do Componente Fabricante/Descrio/Caractersticas

    1.

    2.

    3.

    4.

    5.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    3/182

    2 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.1.2 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Etapa 2 Remova a tampa da unidade do sistema do PC e examine os componentes internos

    Liste pelo menos 8 componentes internos principais dentro da unidade do sistema. Use oprocedimento na Etapa 5 para encontrar a CPU e a quantidade de RAM.

    Nome do Componente Fabricante/Descrio/Caractersticas

    1.

    2.

    3.

    4.

    5.

    6.

    7.

    8.

    9.

    10.

    Etapa 3 Monte os componentes do PC e observe o processo de inicializao

    Monte os componentes do PC, conecte todos os perifricos e inicialize o PC. Observe o processode inicializao. O computador deve ser inicializado no sistema operacional Windows. Se ocomputador no inicializar, chame o assistente do laboratrio. Observe o processo de inicializao.

    O sistema operacional Windows inicializou corretamente?____________________

    Voc viu quanta memria havia enquanto o sistema estava sendo inicializado?_______________

    Etapa 4 Colete informaes bsicas sobre a CPU e a RAM do computador

    As instrues para completar esta etapa podem variar um pouco dependendo da verso doWindows. Consulte o instrutor se voce necessitar ajuda durante o lab.

    Clique no boto Iniciar. Selecione Configuraes e depois Painel de Controle. Clique no coneSistema e depois na guia Geral. Verifique as informaes sobre o computador que est usando osistema operacional.

    Qual a Unidade de Processamento Central?_____________________

    Qual a velocidade em MHz da CPU?____________________

    Quanta RAM est instalada?___________________________

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    4/182

    3 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1- Laboratrio 1.1.6 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 1.1.6 Configurao do TCP/IP em uma Rede de PCs

    Objetivo

    Identificar as ferramentas utilizadas para descobrir a configurao de redes do computador comvrios sistemas operacionais.

    Coletar informaes inclusive conexo, nome do host, endereo MAC Camada 2 e informaesda Camada 3 de endereo de rede TCP/IP.

    Comparar as informaes de rede com outros PCs na rede.

    Fundamentos

    Este laboratrio supe a utilizao de qualquer verso do Windows. Este um laboratrio no-destrutivo e pode ser usado em qualquer mquina sem a preocupao de que seja modificada aconfigurao do sistema.

    Em uma situao ideal, este laboratrio realizado em uma sala de aula ou em outro ambiente deLAN que faz a conexo Internet. Este laboratrio pode ser feito a partir de uma nica conexoremota atravs de um modem ou conexo do tipo DSL. O instrutor fornecer os endereos IP.

    Nas instrues seguintes o laboratrio se executa duas vezes. As duas execues refletem asdiferenas do sistema operacional entre os sistemas Windows 95/98/ME e os sistemas WindowsNT/2000/XP. Sempre que possvel, os alunos devero realizar o laboratrio nos dois tipos desistemas.

    Observao: Todos os usurios completam a Etapa 1

    Etapa 1 Faa a conexo Internet

    Estabelea e verifique a conectividade Internet. Isto garante que o computador tenha umendereo IP.

    Observao: Os usurios de Windows 95/98/Me completam as Etapas 2 a 6.

    Etapa 2 Colete as informaes bsicas da configurao do TCP/IP

    Usando a barra de tarefas, escolha Iniciare depois Executar. Aparecer a seguinte caixa. Digitewinipcfg e pressione a tecla Enter. A ortografia deWinipcfg crtica mas maisculas e

    minsculas no so. uma abreviao de Windows IP Configuration.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    5/182

    4 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1- Laboratrio 1.1.6 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    A primeira tela mostra o Endereo da Placa, ou endereo MAC do computador. A primeira telamostra tambm o Endereo IP, Mscara de Sub-rede, e Gateway Padro. O grfico abaixo mostra atela de Configurao IP bsica. Selecione a placa correta caso esteja listada mais de uma.

    O endereo IP e o gateway padro devero estar na mesma rede ou sub-rede. Caso contrrio, ohost no ser capaz de comunicar-se fora da rede. Na figura anterior a mscara de sub-rede indicaque os trs primeiros octetos precisam ser idnticos para estarem na mesma rede. Oendereamento IP ser tratado no Mdulo 9.

    Observao: Se este computador estiver em uma rede local, o gateway padro poder no servisto se estiver rodando por trs de um Servidor Proxy. Anote as seguintes informaes paraeste computador:

    Endereo IP:_________________________________________

    Mscara de Sub-rede:_______________________________________

    Gateway Padro:_____________________________________

    Etapa 3 Compare a configurao TCP/IPSe este computador estiver em uma rede local, compare as informaes em vrias mquinas.

    Existem similaridades?______________________________________________________

    O que similar sobre os endereos IP?____________________________________________

    O que similar sobre os gateways padro?_________________________________________

    O que similar sobre os endereos MAC?___________________________________

    Os endereos IP devero compartilhar a mesma poro da rede. Todas as mquinas na rede localdevero compartilhar o mesmo gateway padro. Embora no seja um requisito, a maioria dosadministradores de redes locais tenta padronizar os componentes tais como placas de rede.Portanto, todas as mquinas podero compartilhar os trs primeiros pares Hex no endereo daplaca. Estes trs pares identificam o fabricante da placa.

    Anote alguns dos Endereos IP

    __________________________________________________________________________

    Etapa 4 Verifique a seleo da placa da rede

    O modelo da placa deste computador dever ser exibido na caixa na parte superior da tela. Use aseta voltada para baixo naquela caixa para ver se h outras configuraes para esta placa, tal comoPPP. Este poderia ser o caso para um modem, se este computador se conecta Internet atravs de

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    6/182

    5 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1- Laboratrio 1.1.6 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    uma conta dial-up. Em um servidor, possvel encontrar outra placa de rede ou uma mquina complaca de rede e modem tambm. A figura abaixo mostra uma tela de configurao de IP de modem

    AOL. Note que no existe endereo IP na figura. Esta poderia ser a aparncia de um sistemadomiciliar se o usurio no fez o login em uma conexo Internet.

    No deixe de voltar para ver a placa que exibe os dados da placa de rede ou do modem com umendereo IP

    Etapa 5 Verifique as informaes adicionais da configurao do TCP/IP

    Clique no boto Mais Inf. >>. O grfico abaixo mostra a tela de Configurao detalhada do IP.

    O boto Mais Informaes exibe o Nome do Host, o qual inclui o nome do computador e o nomeNetBIOS. Ele exibe tambm o endereo do servidor DHCP, quando usado, e a data em que inicia e

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    7/182

    6 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1- Laboratrio 1.1.6 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    termina o lease do IP. Examine as informaes restantes. Podero tambm ser exibidas asentradas dos servidores DNS e WINS. Estas entradas so usadas na resoluo de nomes.

    Anote os endereos IP de quaisquer servidores listados:___________________________________

    __________________________________________________________________________

    Anote o Nome do Host do computador:_____________________________________________

    Anote os Nomes de Host de alguns outros computadores:_____________________________

    Todos os servidores e estaes de trabalho possuem a poro de rede do endereo IP idntico daestao de trabalho do aluno?_____________________

    Observao: No seria fora do comum alguns ou todos os servidores e estaes de trabalhoestarem em outra rede. Isto significa que o gateway padro deste computador ir encaminharsolicitaes outra rede.

    Etapa 6 Feche a tela ao terminar de examinar as configuraes de rede

    Repita as Etapas anteriores conforme o necessrio para ter certeza de que no existam problemasao voltar e interpretar esta tela.

    Observao: Os usurios de Windows NT/2000/XP completam as Etapas 7 a 11.

    Etapa 7 Colete as informaes da configurao do TCP/IP

    Use o menu Iniciar para abrir o Prompt de Comando, uma janela do tipo MS-DOS. Pressione Iniciar> Programas > Acessrios > Prompt de Comando ou Iniciar> Programas > Prompt deComando.

    A figura abaixo exibe a tela de Comando. Digite ipconfig e pressione a tecla Enter. A ortografiade ipconfig crtica mas maisculas e minsculas no so. uma abreviao de IPConfiguration.

    A primeira tela exibe o endereo IP, mscara de sub-rede, e o gateway padro. O endereo IP e ogateway padro devero estar na mesma rede ou sub-rede, caso contrrio este host no seriacapaz de comunicar-se fora da rede. Na figura a mscara de sub-rede indica que os trs primeirosoctetos precisam ser idnticos para estarem na mesma rede.

    Observao: Se este computador estiver em uma rede local, o gateway padro poder no servisto se estiver rodando por trs de um Servidor Proxy. Anote as seguintes informaes paraeste computador:

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    8/182

    7 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1- Laboratrio 1.1.6 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Etapa 8 Anote as seguintes informaes do TCP/IP para este computador

    Endereo IP:_________________________________________________________________

    Mscara de Sub-rede:_______________________________________________________________

    Gateway Padro:_____________________________________________________________

    Etapa 9 Compare as configuraes do TCP/IP deste computador com outros na rede local

    Se este computador estiver em uma rede local, compare as informaes de vrias mquinas.

    Existe alguma similaridade?______________________________________________________

    O que similar sobre os endereos IP?____________________________________________

    O que similar sobre os gateways padro?_________________________________________

    Os endereos IP devero compartilhar a mesma poro da rede. Todas as mquinas na rede localdevero compartilhar o mesmo gateway padro.

    Anote alguns dos Endereos IP:__________________________________________________________________________

    Etapa 10 Verifique as informaes adicionais da configurao do TCP/IP

    Para ver informaes mais detalhadas, digiteipconfig /all e pressione Enter. O grfico abaixomostra a tela de configurao IP detalhada.

    O nome do host, inclusive o nome do computador e o nome NetBIOS devero ser exibidos.Tambm dever ser exibido o endereo do servidor DHCP, quando usado, e a data em que inicia etermina o lease do IP. Examine as informaes. Podem tambm estar presentes as entradas paraDNS, usadas nos servidores de resoluo de nomes.

    A figura anterior revela que o roteador est realizando tanto servios DHCP como DNS para estarede. Esta provavelmente uma implementao de pequeno escritrio ou escritrio domiciliar(SOHO) ou de uma filial.

    Note o Endereo Fsico (MAC) e o modelo da placa de rede (Descrio).

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    9/182

    8 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1- Laboratrio 1.1.6 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Na LAN, quais so as similaridades sobre os Endereos Fsicos (MAC) vistas?

    __________________________________________________________________________

    Embora no seja um requisito, a maioria dos administradores de redes locais tenta padronizar oscomponentes tais como placas de rede. Portanto, no seria fora do comum descobrir que todas asmquinas compartilham os primeiros trs pares Hex no endereo da placa. Estes trs paresidentificam o fabricante da placa.

    Anote os endereos IP de quaisquer servidores listados:__________________________________________________________________________

    Anote o Nome do computador Host:

    __________________________________________________________________________

    Anote os Nomes de Host de alguns outros computadores:

    __________________________________________________________________________

    Todos os servidores e estaes de trabalho possuem a poro de rede do endereo IP idntica daestao de trabalho do aluno?____________________

    No seria fora do comum alguns ou todos os servidores e estaes de trabalho estarem em outra

    rede. Isto significa que o gateway padro deste computador ir encaminhar solicitaes outrarede.

    Etapa 11 Feche a tela

    Feche a tela ao terminar de examinar as configuraes de rede.

    Repita as Etapas anteriores conforme o necessrio. Certifique-se de que seja possvel voltar einterpretar esta tela.

    Reflexo

    Baseado nas observaes, o que se pode deduzir sobre os resultados abaixo extrados dos trscomputadores conectados a um switch.

    Computador 1EndereoIP: 192.168.12.113Mscara de Sub-rede: 255.255.255.0Gateway Padro: 192.168.12.1

    Computador 2EndereoIP: 192.168.12.205Mscara de Sub-rede: 255.255.255.0Gateway Padro: 192.168.12.1

    Computador 3EndereoIP: 192.168.112.97Mscara de Sub-rede: 255.255.255.0Gateway Padro: 192.168.12.1

    Eles deveriam poder comunicar entre si? Esto todos na mesma rede? Por qu ou por qu no? Sehouver algo de errado, qual ser o problema mais provvel?

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    10/182

    9 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.1.7 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 1.1.7 Usando ping e tracert a partir de uma Estao de Trabalho

    Objetivo

    Aprender a usar o comando TCP/IP Packet Internet Groper (ping) a partir de uma estao detrabalho.

    Aprender a usar o comando Trace Route (tracert) a partir de uma estao de trabalho.

    Observar as ocorrncias de resoluo de nomes usando servidores WINS e/ou DNS.

    Fundamentos

    Este laboratrio supe a utilizao de qualquer verso do Windows. Este um laboratrio nodestrutivo e pode ser usado em qualquer mquina sem a preocupao de que seja modificada aconfigurao do sistema.

    Em uma situao ideal, este laboratrio realizado em um ambiente de rede local que faz aconexo Internet. Este laboratrio pode ser feito a partir de uma nica conexo remota atravs deum modem ou conexo do tipo DSL. O aluno vai precisar dos endereos IP que foram anotados nolaboratrio anterior. O instrutor tambm poder fornecer endereos IP adicionais.

    Etapa 1 Estabelea e verifique a conectividade Internet.

    Isto garante que o computador tenha um endereo IP.

    Etapa 2 Acesse o prompt de comando

    Usurios Windows 95 / 98 / Me Use o menu Iniciar para abrir a janela de Prompt MS-DOS.Pressione Iniciar> Programas > Acessrios > Prompt MS-DOS ou Iniciar> Programas > MS-DOS.

    Usurios Windows NT / 2000 / XP Use o menu Iniciar para abrir a janela de Prompt deComando. Pressione Iniciar> Programas > Acessrios > Prompt de Comando ou Iniciar>Programas > Prompt de Comando ou Iniciar>Todos os Programas > Prompt de Comando.

    Etapa 3 Faa o ping do endereo IP de outro computador

    Na janela, digiteping, um espao, e o endereo IP de um computador que foi anotado nolaboratrio anterior. A janela abaixo exibe os resultados bem sucedidos doping a este endereoIP.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    11/182

    10 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.1.7 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    O ping usa o recurso de resposta de eco do ICMP para testar a conectividade fsica. J que oping relata sobre quatro tentativas, ele fornece uma indicao da confiabilidade da conexo.

    Examine os resultados e verifique se oping foi bem sucedido. Oping foi bem sucedido? Caso

    contrrio, realize o processo apropriado de soluo de problemas.____________________

    Se estiver disponvel outro computador na rede, tente fazer oping do endereo IP da segunda

    mquina. Observe os resultados.__________________________________________

    Etapa 4 Faa o ping do endereo IP do gateway padro

    Tente fazer oping do endereo IP do gateway padro caso um deles tenha sido listado noexerccio anterior. Se oping foi bem sucedido, isto significa que houve uma conectividade fsica aoroteador na rede local e provavelmente ao resto do mundo.

    Etapa 5 Faa oping do endereo IP de um servidor DHCP ou DNS

    Tente fazer oping do endereo IP de quaisquer servidores DHCP e/ou DNS listados no exerccioanterior. Se isto funcionar para qualquer servidor, e eles no esto na rede, o que que isto indica?

    __________________________________________________________________________

    Oping foi bem sucedido?____________________

    Caso contrrio, realize o processo apropriado de soluo de problemas.

    Passo 6 Faa o ping do endereo IP de Loopback deste computador

    Digite o seguinte comando:ping127.0.0.1

    A rede 127.0.0.0 reservada para testes de loopback. Se oping foi bem sucedido, ento o TCP/IPest instalado corretamente e funcionando neste computador.

    Oping foi bem sucedido?____________________

    Caso contrrio, realize o processo apropriado de soluo de problemas.

    Etapa 7 Faa oping do nome do host de outro computador

    Tente fazer oping do nome do host do computador que foi anotado no laboratrio anterior. Afigura abaixo mostra o resultado doping bem sucedido do nome do host.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    12/182

    11 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.1.7 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Examine as informaes. Note que no exemplo, a primeira linha de sada exibe o nome do host,m450, seguido pelo endereo IP. Isto quer dizer que o computador foi capaz de resolver o nome dohost a um endereo IP. Sem a resoluo do nome, oping teria falhado pois o TCP/IP apenas

    entende os endereos IP vlidos, e no nomes.Se oping foi bem sucedido, isto quer dizer que a conectividade e descoberta dos endereos IP spodem ser feitas com um nome de host. Alis, era assim que muitas das antigas redes secomunicavam. Caso bem sucedido, ento oping de um nome de host tambm mostra que possvel haver um servidor WINS trabalhando na rede. Os servidores WINS ou um arquivoImhosts local resolvem os nomes de host do computador para endereos IP. Se falhar oping,ento possvel que no esteja rodando nenhum programa de resoluo de nomes NetBIOS paraendereos IP.

    Observao: No seria raro uma rede Windows 2000 ou XP no suportar este recurso. umatecnologia antiga e freqentemente desnecessria.

    Se o ltimoping funcionou, tente fazer oping do nome do host de qualquer outro computador narede local. A figura abaixo mostra os possveis resultados.

    Observao: O nome tinha que ser digitado entre aspas pois o idioma do comando noaceitava espaos no nome.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    13/182

    12 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.1.7 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Passo 8 Faa o ping na web site da Cisco

    Digite o seguinte comando:ping www.cisco.com

    A primeira linha de sada mostra o Fully Qualified Domain Name (FQDN) seguido do endereo IP.Um servidor Domain Name Service (DNS) em algum lugar na rede foi capaz de resolver o nome deum endereo IP. Os servidores DNS resolvem nomes de domnios, e no nomes de hosts, paraendereos IP.

    Sem esta resoluo de nome, oping teria falhado pois o TCP/IP apenas entende os endereos IPvlidos. No seria possvel utilizar o browser da web sem esta resoluo de nome.

    Com DNS, a conectividade aos computadores na Internet pode ser verificada usando-se umendereo da web conhecido, ou nome de domnio, sem ter que saber o endereo IP real. Se oservidor DNS mais prximo no sabe o endereo IP, o servidor pergunta para um servidor DNS naestrutura da Internet.

    Etapa 9 Faa o ping na web site da Microsoft

    a. Digite o seguinte comando:ping www.microsoft.com

    Note que o servidor DNS foi capaz de resolver o nome para um endereo IP, mas no h resposta.Alguns roteadores Microsoft so configurados para ignorar solicitaes deping.Esta uma medida de segurana freqentemente implementada.

    Faaping em outros nomes de domnio e anote os resultados. Por exemplo,ping www.msn.de

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________________________

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    14/182

    13 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.1.7 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Etapa 10 Rastreie a rota at o web site da Cisco

    Digite tracert www.cisco.come pressione Enter.

    tracert a abreviao TCP/IP para trace route (rastrear rota). A figura anterior mostra osresultados bem sucedidos quando tracert rodado desde a Bavria na Alemanha. A primeiralinha de sada mostra o FQDN seguido do endereo IP. Portanto, um servidor DNS foi capaz deresolver o nome para um endereo IP. E depois existem listagens de todos os roteadores atravsdos quais o tracert teve que passar para chegar ao destino.

    o tracert utiliza as mesmas solicitaes de eco e responde como o comando deping mas deuma maneira ligeiramente diferente. Observe que o tracert na realidade entrou em contato trsvezes com cada roteador. Compare os resultados para determinar a consistncia da rota. Note noexemplo acima que houve relativamente longos atrasos aps as rotas 11 e 13, possivelmentedevido a congestionamento. A coisa principal que parece haver conectividade relativamenteconsistente.

    Cada roteador representa um ponto onde uma rede se conecta a outra e o pacote foi encaminhadopara a frente.

    Etapa 11 Rastreie outros endereos IP ou nomes de domnios

    Experimente tracert em outros nomes de domnios ou endreos IP e anote os resultados. Umexemplo tracert www.msn.de.

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________________________

    Passo 12 Rastreie um nome de host local ou endereo IP

    Tente usar o comando tracert com um nome de host local. Isto no deveria levar muito tempopois o rastreiamento no passa atravs de roteadores.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    15/182

    14 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.1.7 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Reflexo

    Caso as etapas acima sejam bem sucedidas e oping ou o tracert consiga verificar aconectividade com um Web site na Internet, o que que isso indica sobre a configurao docomputador e os roteadores entre o computador e o web site? Se for o caso, o que est fazendo ogateway padro?__________________________________________________________________________

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________________________

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    16/182

    15 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.1.8 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 1.1.8 Conceitos Bsicos do Navegador da Web

    Objetivo

    Aprender como usar um navegador da Web para acessar os sites da Internet.

    Familiarizar-se com o conceito de um URL.

    Usar um mecanismo de busca para localizar informaes na Internet.

    Acessar sites da Web selecionados para aprender definies de termos de rede.

    Usar hiperlinks para ir do site da Web atual para outros sites da Web.

    FundamentosUm navegador da Web uma ferramenta muito poderosa usada todos os dias por muitas pessoaspara navegar em diferentes sites da World Wide Web. Com um navegador da Web, voc pode obterdesde informaes sobre vos de uma companhia area at trajetos para chegar a um endereoespecfico. Um navegador um programa ou software de aplicativo cliente carregado no PC paraganhar acesso Internet e s pginas locais da Web.

    O nome do site na Web, tal como www.cisco.com, um Universal Resource Locator (URL). EssaURL aponta para o servidor chamado World Wide Webe (WWW) no domnio Cisco (CISCO), nodomnio Commercial (COM).

    Quando digitado o URL, o navegador solicita um Domain Name Server (DNS) para converter oURL para um endereo IP. O endereo IP usado para contactar o site.

    Pode-se utilizar o navegador para acessar os mecanismos de busca ao digitar o nome na barra deendereos. Alguns mecanismos de busca incluem www.yahoo.com, www.excite.com,www.lycos.com e www.google.com.

    Existem vrios sites da Web que fornecem definies de termos relacionados rede e aocomputador e siglas. Eles podem ser usados para ajudar no aprendizado de redes e para pesquisarna Internet. Dois deles so www.whatis.com e www.webopedia.com.

    Uma grande maioria de sites da Web contm hiperlinks. Hiperlinks so palavras que estosublinhadas ou realadas. Clicar um hiperlink far com que voc "pule" para outra pgina no siteatual ou para uma pgina de outro site da Web.

    exigido um computador configurado com o mais recente navegador e acesso Internet.

    Etapa 1 Inicie o navegador da Web

    Se voc estiver usando um modem para fazer a conexo, disque o nmero antes de iniciar onavegador da Web. Qual a verso do Netscape ou do Internet Explorer que est sendo usada?

    __________________________________________________________________________

    Etapa 2 Identifique o campo do local ou do endereo

    Aps iniciar seu navegador, clique e realce o campo Local no Netscape ou o campo Endereo noInternet Explorer na barra de ferramentas na parte superior da pgina. Pressione a tecla Deletepara excluir o endereo atual.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    17/182

    16 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.1.8 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Etapa 3 Digite em um URL na Web

    Digite www.cisco.come pressione Enter. assim que voc pode navegar de um site para o outrona World Wide Web (WWW).

    Etapa 4 Digite outro URL na Web

    Para carregar uma nova pgina, digite um novo URL tal como www.cnn.com. Observe o status nabarra na parte inferior do navegador. O que que diz?________________________

    Etapa 5 Use os botes de gerenciamento de navegador

    Cada um dos botes na parte de cima do seu navegador tem uma funo. Caso o mouse estejaposicionado sobre um boto, aparecer uma caixa identificando o boto.

    Clique o boto Voltar. O que aconteceu?________________________

    Clique o boto Avanar. Ele o leva ao site da Web da CNN?________________________

    Tente clicar o boto Recarregarou Atualizar. Qual a funo destes botes?

    __________________________________________________________________________

    Digitewww.microsoft.come pressione Enter. Clique o boto Pararenquanto a janela est sendo

    carregada. O que acontece?

    __________________________________________________________________________

    Etapa 6 Use um mecanismo de busca

    Digite o URL para um mecanismo de busca, por exemplo,www.google.com. Pesquise a palavranavegador. Qual foi o resultado?

    __________________________________________________________________________

    Etapa 7 Acesse sites na Web de definies de termos de rede

    Digite o URL parawww.webopedia.com. Digite a palavra-chave navegador. Qual foi o resultado?

    __________________________________________________________________________

    Quais so os hiperlinks disponveis?

    __________________________________________________________________________

    Digite o URL forwww.whatis.com. Pesquise a palavra-chave DNS. Clique Coincidncia Exata paraDNS sob whatis.com terms. O que que diz sobre DNS?

    __________________________________________________________________________

    Reflexo

    Identifique uma maneira de navegar de um site a outro.

    Se os mesmos grficos ou texto forem vistos na prxima vez que voc visita o site NBA, o que que se deveria fazer para garantir que sejam exibidas as notcias atualizadas?__________________________________________________________________________

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________________________

    http://www.cisco.com/http://www.cisco.com/http://www.cnn.com/http://www.cnn.com/http://www.cnn.com/http://www.cisco.com/
  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    18/182

    17 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.1.9 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 1.1.9 Processo Bsico de Resoluo de Problemas de PC/Rede

    Objetivo

    Aprender a seqncia correta para a soluo de problemas relacionada aos computadores e rede.

    Familiarizar-se com alguns dos problemas de hardware e software mais comuns.

    Dada uma situao de problema bsico, deve poder executar o processo de soluo deproblemas e resolver o problema.

    Fundamentos

    A capacidade de executar com eficcia a soluo de problemas com relao ao computador umahabilidade importante. O processo de identificao de problemas e a tentativa de solucion-los,exige uma abordagem sistemtica e pormenorizada. Este laboratrio apresentar alguns problemasbsicos com relao a hardware e software para serem resolvidos. Este laboratrio ajud-lo- afamiliarizar-se mais com os componentes do PC e com o software necessrio para usar o currculoda Cisco. O processo da resoluo de um problema bastante simples. Algumas das sugestesaqui apresentadas so mais do que necessrias na resoluo de problemas bsicos de hardware esoftware. Elas serviro de ajuda oferecendo um quadro e diretrizes quando surgirem problemasmais complexos. Uma lista de exemplos de problemas a serem introduzidos ser fornecida naverso do instrutor do laboratrio.

    As Oito Etapas Bsicas para o Processo de Resoluo de Problemas de Rede e PC

    Etapa 1 Isole o problema:

    Usando a terminologia correta, tente descrever o que est ou no est acontecendo. Por exemplo:O PC no consegue conectar-se Internet, ou no consegue imprimir.

    Etapa 2 Colete os fatos

    Observe os sintomas e tente caracterizar ou identificar a fonte do problema.

    Est relacionado ao hardware? Procure luzes e barulhos. Est relacionado com software?Existem erros na tela?

    O problema afeta apenas este computador ou usurio, ou h tambm outros que esto sendoafetados?

    Ele interfere apenas nesse software ou em mais de um aplicativo?

    Esta a primeira vez que acontece este problema ou j aconteceu antes?

    Alguma coisa foi recentemente modificada no PC?

    Pergunte a opinio de outros que possam ser mais experientes.

    Verifique os sites da Web e os bancos de dados de conhecimento de soluo de problemas.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    19/182

    18 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.1.9 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Etapa 3 Considere as possibilidades

    Use os fatos coletados. Identifique uma ou mais causas possveis e solues em potencial.Categorize as solues na ordem desde a causa mais provvel at a menos provvel.

    Etapa 4 Crie um plano de ao

    Crie um plano que envolva a soluo mais provvel. Pode-se tentar outras opes em caso de

    falhar a soluo original. Ao desenvolver um plano, considere o seguinte: Considere primeiro as possveis causas mais simples. A chave de fora est ligada; ou a

    mquina est ligada na tomada?

    Examine primeiro o hardware e depois o software.

    Se for um problema com a rede comece com a Camada 1 do modelo OSI e v subindo pelasCamadas. Alguns estudos feitos mostram que a maioria dos problemas ocorre na Camada 1.

    A substituio pode ser usada para isolar o problema? Se o monitor no funciona, pode ser omonitor, o adaptador de vdeo ou cabos. Tente outro monitor para ver se corrige o problema.

    Etapa 5 Implemente o plano

    Faa a modificao que consta no plano para testar a primeira possvel soluo.

    Etapa 6 Observe os resultados

    Se for resolvido o problema, siga adiante e documente a soluo. Examine duas vezes para tercerteza de que tudo ainda funciona.

    Caso no seja resolvido o problema, restaure as modificaes e volte ao plano para tentar aprxima soluo. Se no for revertida a modificao, ser difcil saber se o problema foi umamodificao mais recente ou a combinao de duas modificaes.

    Etapa 7 Documente os resultados

    Sempre documente os resultados para t-los como referncia na soluo de problemassemelhantes. A documentao ajuda tambm no desenvolvimento de um histrico da

    documentao para cada dispositivo. Se alguns dos dispositivos sero substitudos, poderia serinteressante saber se qualquer um deles fonte freqente de problemas ou se foram recentementerecondicionados.

    Etapa 8 Introduza problemas e resolva-os

    Trabalhe em grupos de dois. O objetivo desejado ser exibir um dos vdeos ou filmes do currculoon-line ou o CD. Cada membro da equipe resolvendo o problema deve preencher a tabela com basenos sintomas observados, nos problemas identificados e nas solues do problema.

    Membro A da equipe, ou o instrutor:

    1. Selecione dois problemas de uma lista de problemas mais comuns relativos a hardware esoftware.

    2. Introduza os problemas no computador.3. Crie com o computador os problemas relacionados a hardware ou software enquanto o outro

    esteja fora da sala.

    4. Desligue o computador e o monitor.

    Membro B da equipe:

    1. Identifique os problemas.

    2. Corrija os problemas.

    Troque de lugar e sigam novamente as etapas.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    20/182

    19 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.1.9 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Membro A da equipe

    Sintoma observado Problema identificado Soluo

    1o problema

    2o problema

    Membro B da equipe

    Sintoma observado Problema identificado Soluo

    1o problema

    2o problema

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    21/182

    20 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.2.5 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 1.2.5 Converso de Decimal para Binrio

    Objetivo

    Aprender converter valores decimais em valores binrios.

    Praticar a converso de valores decimais em valores binrios.

    Fundamentos

    muito importante saber como converter valores decimais em valores binrios quando se estconvertendo endereos IP legveis por seres humanos no formato decimal pontuado em formatobinrio legvel por mquina. Isto normalmente feito para clculo de mscaras de sub-rede e

    outras tarefas. Abaixo segue um exemplo de um endereo IP no formato binrio de 32 bits e noformato decimal pontuado.

    Endereo IP Binrio: 11000000.10101000.00101101.01111001Endereo IP Decimal: 192.168.45.121

    A tabela abaixo uma ferramenta que torna simples a converso de valores decimais em valoresbinrios. A primeira linha criada contando-se da direita para a esquerda de um a oito, para asposies bsica de oito bits. A tabela funcionar para qualquer tamanho de valor binrio. A linha devalores comea com o nmero um e se duplica, Base 2, para cada posio esquerda.

    8 7 6 5 4 3 2 1

    128 64 32 16 8 4 2 1

    A mesma tabela de converso e diviso simples pode ser usada para convertervalores binrios em valores decimais.

    EtapasPara converter 207 em binrio:

    1. Comece com o dgito mais longe esquerda. Determine se o valor decimal pode ser divididopor ele. J que pode ser dividido uma vez, coloque um 1 na linha trs da tabela de conversosob o valor 128 e calcule o restante, 79.

    2. J que o restante pode ser dividido pelo prximo valor, 64, coloque um 1 na linha trs sob ovalor 64 da tabela.

    3. J que o restante no pode ser dividido nem por 32 nem por 16, coloque 0s na linha trs danossa tabela sob os valores 32 e 16.

    128 207128

    64 7964

    8 158

    4 74

    2 321

    PositionValue

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    22/182

    21 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.2.5 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    4. Continue at que no haja nenhum restante.

    5. Caso necessrio, use a linha quatro para conferir os clculos.

    8 7 6 5 4 3 2 1

    128 64 32 16 8 4 2 1

    1 1 0 0 1 1 1 1128 64 8 4 2 1

    6. Converta os seguintes valores decimais em valores binrios.

    a. 123 _______________________

    b. 202 _______________________

    c. 67 _______________________

    d. 7 _______________________

    e. 252 _______________________

    f. 91 _______________________

    g. 116.127.71.3 ____________ ____________ ____________ ____________

    h. 255.255.255.0 ____________ ____________ ____________ ____________

    i. 192.143.255.255 ____________ ____________ ____________ ____________

    j. 12.101.9.16 ____________ ____________ ________________________

    PositionValue

    = 207

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    23/182

    22 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.2.6 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 1.2.6 Converso de Binrio em Decimal

    Objetivo

    Aprender o processo de converso de valores binrios em valores decimais.

    Praticar a converso de valores binrios em valores decimais.

    Fundamentos

    Abaixo segue um exemplo de um endereo IP no formato binrio de 32 bits e no formato decimalpontuado.

    Endereo IP Binrio: 11000000.10101000.00101101.01111001Endereo IP Decimal: 192.168.45.121

    Os dados binrios consistem em uns e zeros. Os uns representam um estado ligado e os zerosrepresentam um estado desligado. Os dados binrios podem ser agrupados em incrementosvariados, 110 ou 1011. Em TCP/IP os dados binrios so agrupados em oito grupos de dgitosdenominados Bytes.

    Um Byte, 8 bits, podem representar valores entre 00000000 e 11111111, criando 256 combinaescom valores decimais de 0 a 255. Endereamento IP usa 4 bytes, ou 32 bits, para identificar a redee um dispositivo especfico. O dispositivo especfico pode ser um n ou host. Um exemplo no inciodeste laboratrio um exemplo de um endereo IP em ambos os formatos binrio e decimal.

    A tabela abaixo uma ferramenta que torna simples a converso de valores binrios em valoresdecimais. A primeira linha criada contando-se da direita para a esquerda de um a oito, para as

    posies bsicas de oito bits. A tabela funcionar para qualquer tamanho de valor binrio. A linha devalores comea com o nmero um e se duplica, base 2, para cada posio esquerda.

    8 7 6 5 4 3 2 1

    128 64 32 16 8 4 2 1

    Etapas

    1. Digite os bits binrios na linha trs. Por exemplo 10111001

    2. Coloque os valores decimais na linha quatro apenas para os 1s da terceira linha. Tecnicamentefalando, os valores da segunda linha esto sendo multiplicados pela linha trs.

    3. Agora s somar os valores da linha quatro.

    8 7 6 5 4 3 2 1

    128 64 32 16 8 4 2 1

    1 0 1 1 1 0 0 1

    128 32 16 8 1

    PosioValor

    PosioValor

    = 185

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    24/182

    23 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.2.6 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    4. Converta os seguintes valores binrios em valores decimais.

    a. 1110 _______________________

    b. 100110 _______________________

    c. 11111111 _______________________

    d. 11010011 _______________________

    e. 01000001 _______________________

    f. 11001110 _______________________

    g. 01110101 _______________________

    h. 10001111 _______________________

    i. 11101001.00011011.10000000.10100100

    _________________ _________________ _________________ _________________

    j. 10101010.00110100.11100110.00010111

    _________________ _________________ _________________ _________________

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    25/182

    24 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.2.8 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 1.2.8 Converses Hexadecimais

    Objetivo

    Aprender o processo de converso de valores hexadecimais em valores decimais e valoresbinrios.

    Aprender o processo de converso de valores decimais e binrios em valores hexadecimais.

    Pratique a converso entre valores decimais, binrios e hexadecimais.

    Fundamentos / Preparao

    O sistema numrico hexadecimal (Hex) usado para referir aos nmerodbinrios em um endereo de placa de rede ou de Ipv6. A palavrahexadecimal vem da palavra grega que significa 16. Hexadecimal freqentemente abreviado 0x, zero e x minsculo. Os nmeros hex usam16 dgitos distintos para mostrar qualquer combinao de oito dgitosbinrios como apenas dois dgitos hexadecimais.

    Um Byte, ou 8 bits, podem ir de 00000000 a 11111111. Um Byte podecriar 256 combinaes com valores decimais que vo de 0 a 255 ouvalores Hex de 0 a FF. Cada valor Hex representa apenas quatro bitsbinrios. Os valores alfa (A-F) no diferenciam entre maisculas eminsculas.

    A tabela abaixo uma ferramenta que torna simples a converso de

    valores hexadecimais em decimais. Use as mesmas tcnicas conformeusadas para as converses binrias em decimais. A primeira linha asduas posies Hex. A linha de valores comea com o nmero 1 e 16, base 16, para cada posio esquerda.

    2 1

    16 1

    Observao: Ao final deste laboratrio sero fornecidos passos para a utilizao da CalculadoraCientfica do Windows para verificar os clculos.

    Etapas para converso de Hex para decimal

    1. Divida o valor Hex em pares. Comece pelo lado direito. Por exemplo 77CE equivale a 77 e CE.Caso necessrio, insira um zero na primeira posio para completar o primeiro par.

    2. Coloque cada par Hex na linha trs. O valor entre parnteses o valor decimal de A-F.

    3. Para obter os valores decimais na linha quatro, multiplique os valores da linha dois pela linhatrs.

    Dec Hex Binrio0 0 0000

    1 1 0001

    2 2 0010

    3 3 0011

    4 4 0100

    5 5 0101

    6 6 0110

    7 7 0111

    8 8 10009 9 1001

    10 A 1010

    11 B 1011

    12 C 1100

    13 D 1101

    14 E 1110

    15 F 1111

    PositionValue

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    26/182

    25 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.2.8 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    4. Agora s somar os valores da linha quatro.

    2 1

    16 1

    7 7

    112 7

    2 1

    16 1

    C(12) E(14)

    192 14

    Etapas para converso de decimal em Hex

    1. Para ser vlido para o propsito deste laboratrio, o valor decimal ser entre 0 e 256. O primeirovalor Hex derivado pela diviso do valor decimal por 16. Se o valor for maior que 9 sernecessrio coloc-lo na forma Hex A-F.

    2. O segundo valor o restante da etapa 1. Se o valor for maior que 9 ser necessrio coloc-lona forma Hex A-F.

    3. Por exemplo, 209 dividido por 16 13 com um restante de 1. 13 equivale a D em Hex. Portanto,209 equivale a D1.

    Etapas para converso de Hex em binrio

    1. Esta a converso mais fcil. Lembre-se de que cada valor Hex se converte em quatro bitsbinrios, portanto, faa os clculos da direita para a esquerda.

    2. Por exemplo, para converter77CE em binrio. Comece com E. Use a tabela no incio destelaboratrio para ir diretamente ao binrio. A outra alternativa para converter o valor emdecimal, E = 14, e depois use as ltimas quatro posies da tabela usada nas converses dedecimal em binrio.

    14 dividido por 8 1 com um restante de 6.6 dividido por 4 1 com um restante de 2.2 dividido por 2 1 sem restante.Caso necessrio, acrescente zeros para completar quatro bits.

    4 3 2 1

    8 4 2 1

    1 1 1 0

    8 4 2

    3. Usando a mesma tcnica, C equivale a 1010 e o total at este ponto 10101110.

    4 3 2 1

    8 4 2 1

    1 0 1 0

    8 2

    PosioValor

    =

    PosioValor

    =

    PosioValor

    = 14

    PositionValue

    = 10

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    27/182

    26 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.2.8 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    4. Usando esta mesma tcnica, os dois 7s equivalem a 0111 e o total 01110111.10101110.

    4 3 2 1

    8 4 2 1

    0 1 1 1

    4 2 1

    Etapas para converso de binrio em Hex

    1. Cada valor Hex representa apenas quatro bits binrios. Comece por dividir o valor binrio emunidades de 4 bits a partir da direita para a esquerda. Acrescente quaisquer zeros esquerdanecessrio para completar todos os valores de 4 bits. 01101110. 11101100 equivaleria a 01101110 1110 1100.

    2. Use a tabela no incio deste laboratrio para ir diretamente ao Hex. A outra alternativa seriaconverter cada valor binrio de 4 bits em decimal, 0-15. Ento converta o decimal em Hex, 0-F.

    4 3 2 1

    8 4 2 1

    1 1 0 08 4

    4 3 2 1

    8 4 2 1

    1 1 1 0

    8 4 2

    3. O resultado 6E-EC.

    PositionValue

    = 7

    PositionValue

    = 12 or C

    PositionValue

    = 14 or E

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    28/182

    27 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 1.2.8 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Prtica

    Converta os seguintes valores nas outras duas formas:

    Decimal Hex Binrio

    1 a9

    2 FF

    3 Bad1

    4 E7-63-1C

    5 53

    6 115

    7 19

    8 212.65.119.459 10101010

    10 110

    11 11111100.00111100

    12 00001100.10000000.11110000.11111111

    Verificando as converses com a Calculadora do Windows importante ter a capacidade de fazer manualmente os clculos anteriores. No entanto, paraverificar o trabalho usando o applet da Calculadora do Windows, acesse a Calculadora. Clique

    Iniciar > Programas > Acessrios e depois Calculadora. Clique no menu Visualizarpara tercerteza de que a calculadora est no modo Cientfico. Clique no boto para o tipo de nmero a serdigitado, Hex, Dec ou Bin. Digite o nmero naquela forma. Para converter de um para outro, cliqueem um dos botes alternativos.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    29/182

    28 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 2.3.6 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 2.3.6 Os Modelos OSI e TCP/IP

    Objetivo

    Descrever as 4 camadas do modelo TCP/IP.

    Correlacionar as sete camadas do modelo OSI com as quatro camadas do modelo TCP/IP.

    Nomear os principais protocolos e utilitrios do TCP/IP que operam em cada camada.

    Fundamentos

    Este laboratrio vai ajud-lo a entender melhor as sete camadas do modelo OSI. Especificamente,como se correlacionam ao mais popular modelo de redes atualmente em funcionamento, que omodelo TCP/IP. A Internet baseada no TCP/IP. O TCP/IP j se tornou o idioma padro das redes.No entanto, as sete camadas do modelo OSI so as mais comumente usadas para descrever ecomparar os softwares e hardwares de rede de vrios fornecedores. muito importante conhecerambos os modelos e ser capaz de relacionar ou mapear as camadas de um com as camadas dooutro. Entender o modelo TCP/IP, os protocolos e os utilitrios que operam em cada camada essencial para a soluo de problemas.

    Etapas

    1. Use a tabela abaixo para comparar as camadas OSI com a pilha de protocolos TCP/IP. Nacoluna dois, indique o nome prprio para cada uma das sete camadas do modelo OSI quecorresponde ao nmero da camada. Liste o nmero da camada TCP/IP e seu nome correto nasprximas duas colunas. Liste tambm o termo usado para as unidades de encapsulamento, osprotocolos e utilitrios TCP/IP que operam em cada camada TCP/IP relacionados que operamem cada camada. Mais de uma camada OSI estar relacionada com certas camadas TCP/IP.

    Comparao do OSI com a pilha de protocolos TCP/IP

    NOSI

    Nome dacamada OSI

    N TCP/IP Nome dacamadaTCP/IP

    UnidadesdeUnidades

    ProtocolosTCP/IP emcada camadaTCP/IP

    UtilitriosTCP

    7

    6

    5

    4

    3

    2

    1

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    30/182

    29 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 2.3.7 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 2.3.7 Caractersticas e Dispositivos do Modelo OSI

    Objetivo

    Nomear as sete camadas do modelo OSI, na ordem correta. Usar um mnemnico.

    Descrever as caractersticas, funes e palavras-chave relativas a cada camada.

    Descrever as unidades de empacotamento usadas para encapsular cada camada.

    Nomear os dispositivos fsicos ou componentes que operam em cada camada.

    FundamentosEste laboratrio vai ajud-lo a entender melhor as sete camadas do modelo OSI. Especificamente,como se correlacionam ao mais popular modelo de redes atualmente em funcionamento, que omodelo TCP/IP. A Internet baseada no TCP/IP. O TCP/IP j se tornou o idioma padro das redes.No entanto, as sete camadas do modelo OSI so as mais comumente usadas para descrever ecomparar os softwares e hardwares de rede de vrios fornecedores. muito importante conhecerambos os modelos e ser capaz de relacionar ou mapear as camadas de um com as camadas dooutro. Entender o modelo TCP/IP, os protocolos e os utilitrios que operam em cada camada essencial para a soluo de problemas.

    Etapas

    1. Liste as sete camadas do modelo OSI de cima para baixo. D uma palavra mnemnica a cadacamada que poder ajud-lo a lembrar-se dela. Depois liste as palavras-chave ou frases quedescrevem as caractersticas e funo de cada uma delas.

    N dacamada

    Nome Mnemnico Palavras-chave eDescrio da Funo

    7

    6

    54

    3

    2

    1

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    31/182

    30 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 2.3.7 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    2. Liste as sete camadas do modelo OSI e a unidade de encapsulamento usada para descrever oagrupamento de dados em cada camada. Liste tambm os dispositivos de rede que operam emcada camada, caso se aplique.

    N dacamada

    Nome Unidade deEncapsulamento ouAgrupamento

    Lgico

    Dispositivos ouComponentes queOperam nesta Camada

    7

    6

    5

    4

    3

    2

    1

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    32/182

    31 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.1 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 3.1.1 Uso e Manuseio Seguro do Multmetro

    Objetivo

    Aprender a usar ou manusear um multmetro corretamente.

    Fundamentos

    O multmetro uma potente ferramenta eltrica de teste que pode detectar nveis de voltagem,nveis de resistncia e circuitos abertos/fechados. Pode verificar a voltagem da corrente alternada(CA) e da corrente contnua (CC). Os circuitos abertos e fechados so indicados por medidas deresistncia em Ohms. Cada computador e dispositivo de rede consiste em milhes de circuitos epequenos componentes eltricos. Um multmetro pode ser usado para resolver problemas eltricosdentro de um computador ou dispositivo de rede, ou com os meios entre dispositivos da rede.

    Antes de iniciar o laboratrio, o professor ou o assistente do laboratrio dever ter um multmetrodisponvel para cada equipe, e vrias pilhas para teste. Trabalhe em grupos de dois. Os seguintesrecursos sero necessrios:

    Um multmetro digital. Um Fluke da Srie 110, 12B ou similar para cada equipe

    Um manual do multmetro

    Uma bateria para cada equipe testar. Por exemplo, uma de 9v, de 1,5v ou de lanterna.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    33/182

    32 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.1 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Observao: O multmetro um equipamento eletrnico de teste sensvel. No o deixe cair e omanuseie com cuidado. Tenha cuidado para no danificar ou cortar acidentalmente os fios pretoe vermelho conhecidos como pontas de prova. J que possvel verificar altas voltagens, deve-se ter um cuidado extra ao faz-lo, para evitar choques eltricos.

    Etapa 1

    Insira as pontas de prova vermelha e preta nos conectores apropriados do medidor.

    A ponta de prova preta deve se conectar ao conector COM e a vermelha, ao conector + (positivo).

    Etapa 2

    Ligue o multmetro. Clique ou ligue o boto de ligar.

    a. Qual o modelo do multmetro?

    __________________________________________________________________________

    b. Que ao deve ser executada para ligar o medidor?

    __________________________________________________________________________

    Etapa 3

    Mude ou gire at diferentes posies de medio. Por exemplo, voltagem e ohms.

    a. Quantas posies diferentes de comutao tem o multmetro?________________________

    b. Quais so?

    __________________________________________________________________________

    Etapa 4

    Mude ou gire o multmetro para a medio de voltagem.

    a. Qual o smbolo para isso?___________________

    Etapa 5Coloque a ponta do fio vermelho positivo no lado positivo da bateria. Coloque a ponta do fio pretonegativo no outro lado da bateria.

    a. H algum nmero aparecendo no multmetro?_____Caso contrrio, certifique-se de mudar parao tipo correto de medio. Por exemplo Vol, voltagem, or V. Se a voltagem for negativa, reverta osfios.

    Reflexo:

    1. Cite algo que voc no deve fazer com o multmetro._____________________________

    2. Cite uma funo importante de um multmetro._____________________________________

    3. Se a voltagem for negativa quando estiver medindo uma bateria, o que que est errado?______________________

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    34/182

    33 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.2 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 3.1.2 Medio de Voltagem

    Objetivo

    Demonstrar sua habilidade para medir a voltagem com o multmetro de modo seguro.

    Fundamentos

    O multmetro digital um dispositivo verstil de teste e soluo de problemas. Este laboratrio cobremedies de voltagem da corrente contnua (CC) e da corrente alternada (CA). A voltagem medida tanto em volts CC ou CA, indicada por um V. Voltagem a presso que move os eltronsatravs de um circuito de um lugar a outro. O diferencial de voltagem essencial para o fluxo deeletricidade. O diferencial de voltagem entre uma nuvem no cu e a terra o que causa orelmpago.

    Observao: Deve-se exercer extremo cuidado ao fazer a medio da voltagem a fim deevitar um choque eltrico.

    Corrente contnua (CC): A voltagem AC aumenta at um determinado nvel e depois fica nessenvel, fluindo em uma direo positiva ou negativa. As baterias produzem voltagem CC e socomumente classificadas como de 1,5v, 9v e 6v. Normalmente, a bateria do seu carro ou caminho de 12 V. Quando uma "carga" eltrica, como uma lmpada ou motor, colocada entre osterminais positivo (+) e negativo (-) de uma bateria, a eletricidade flui.

    Corrente alternada (CA): A voltagem CA sobe acima de zero, positivo, e depois cai abaixo de zero,negativo. A voltagem CA muda de direo muito rapidamente. O exemplo mais comum de voltagemCA a tomada na parede da sua casa ou da empresa. Na Amrica do Norte, essas tomadas

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    35/182

    34 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.2 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    fornecem aproximadamente 120 volts de CA diretamente a qualquer aparelho eltrico conectado.Exemplos de dispositivos eltricos so: um computador, uma torradeira ou um televisor. Algunsdispositivos, tais como pequenas impressoras e computadores laptop, tm uma pequena caixa pretadenominada de transformador, que ligada a uma tomada CA de 120V na parede. O transformadorconverte a voltagem CA para voltagem CC para ser usada pelo dispositivo. Algumas tomadas CApodem fornecer uma voltagem mais alta de 220V para uso de dispositivos e equipamentos comexigncia mais pesada, como secadores de roupa e mquinas de soldar com arco eltrico.

    Antes de iniciar o laboratrio, o professor ou o assistente deve ter vrios multmetros disponveispara cada equipe de alunos e vrios itens para testar a voltagem. Trabalhe em grupos de dois.Sero necessrios os seguintes recursos:

    Multmetro Fluke 110, 12B ou equivalente

    Uma variedade de baterias: pilha pequena (A), pilha mdia (C), pilha grande (D), de 9 volts,para lanterna de 6 V

    Tomada de parede dupla, tipicamente de 120 V

    Fonte de alimentao para laptop ou outro dispositivo eltrico de rede

    Os recursos abaixo so opcionais:

    Um limo, com um prego galvanizado preso de um lado, e um pedao de fio de cobre

    desencapado preso do outro lado. Clula solar com pontas de provas ligadas

    Gerador artesanal, um m e 50 voltas de fio em torno de um lpis.

    Etapa 1 Selecione a Escala de Voltagem Apropriada

    O mtodo de seleo de escala de voltagem varia dependendo do tipo de medidor. O Fluke 110possui duas posies separadas para a voltagem, uma posio com uma onda em cima para CA euma posio com uma linha slida em cima para CC. Com o Fluke 12B, mova o seletor rotativoat o smbolo V de voltagem, V preto, a fim de conseguir medir a voltagem. Pressione o boto comos smbolos VCC e VCA para selecionar medidas de corrente contnua (CC) ou de correntealternada (CA).

    medies de corrente contnua:A tela ir mostrar um V para voltagem, com uma srie de pontose uma linha no alto. H vrias escalas disponveis, dependendo da voltagem a ser medida.Comeam com milivolts a voltagens de at centenas de volts. Milivolts abreviado mV = milsimosde 1 volt (milivolt). Use o boto Range (Intervalo) para alterar o intervalo da voltagem CC a sermedido, baseado na voltagem que espera medir. Baterias menos de 15 volts podem ser geralmentemedidas, com preciso, com a escala VCC e intervalo 0,0. A medio da voltagem CC pode serusada para determinar se as baterias esto carregadas ou se h voltagem saindo de um adaptadorde CA. Tais adaptadores so comuns e so utilizados com hubs, modems, laptops, impressoras eoutros perifricos. Estes adaptadores aceitam a voltagem CA da tomada da parede e a reduzem svoltagens CA inferiores para os dispositivos a eles ligados ou podem converter a voltagem CA emCC e reduzi-la. Verifique a parte de trs do adaptador para ver quais devem ser as voltagens deentrada (CA) e de sada (CA ou CC).

    medies de corrente alternada:A tela ir mostrar V para voltagem, com um til (~) em seguida.

    Isto representa a corrente alternada. H vrias escalas disponveis, dependendo da voltagem a sermedida. Comeam de milivolts at centenas de volts. Milivolts abreviado mV = milsimos de 1volt. Use o boto Range (Intervalo) para alterar o intervalo da voltagem CC a ser medido, baseadona voltagem que espera medir. A voltagem de tomadas eltricas (120 V ou maior) pode sernormalmente medida, com preciso, com a escala VAC e intervalo 0,0. As medies de voltagemCA so teis para determinar se h voltagem adequada vindo de uma tomada CA para fornecerenergia ao equipamento conectado.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    36/182

    35 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.2 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Etapa 2

    Use um multmetro Fluke 110, 12B ou equivalente para medir a voltagem de cada caso a seguir.Sempre desligue o medidor ao terminar.

    Item do qual ser aferida a voltagem: Definir o seletor e aescala de intervaloem:

    Leitura de voltagem:

    Baterias: pilha pequena (normal - A, palito - AA,mini-palito - AAA), pilha mdia (C), pilha grande(D), 9 Volts, 6 V para lanterna

    Tomada de parede dupla (tpica de 120 V)

    Fonte de alimentao (converte AC em AC ou DCmais baixas) de laptop, telefone porttil ou outrodispositivo eltrico de rede

    (Opcional) Um limo, com um prego galvanizadopreso de um lado e um pedao de fio de cobre

    desencapado preso do outro lado.

    Reflexo

    Por que voc mediria a voltagem ao solucionar problemas em uma rede?

    _________________________________________________________________________________________

    _________________________________________________________________________________________

    _________________________________________________________________________________________

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    37/182

    36 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos das Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.3 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 3.1.3 Medio da Resistncia

    Objetivo

    Demonstrar a sua habilidade para medir resistncia e continuidade com o multmetro.

    Fundamentos

    O multmetro digital um dispositivo verstil de teste e soluo de problemas. Este laboratrio cobreas medies de resistncia e medies correlacionadas, um conceito conhecido como continuidade.

    A resistncia medida em Ohms, indicado pela letra grega mega ou. Condutores de fio decobre, tais como aqueles comumente usados em cabeamento de redes, normalmente tmresistncia muito baixa ou boa continuidade quando verificados de uma extremidade outra. Sehouver uma quebra no fio, conhecida como aberta, o que cria uma resistncia muito alta. O ar

    possue uma resistncia quase infinita, indicada pelo smbolo de infinito ou

    O multmetro tem uma bateria dentro dele. A bateria usada para testar a resistncia de um fiocondutor ou da capa isolante do fio. Quando as pontas de prova so aplicadas s extremidades deum condutor, a corrente da bateria flui e o medidor mede a resistncia encontrada. Se a bateria nomultmetro estiver com pouca carga ou descarregada, voc dever substitu-la ou ento no serpossvel fazer medies de resistncia.

    Com este laboratrio, faa testes de materiais comuns de rede para familiarizar-se com eles e suascaractersticas de resistncia. Voc primeiro aprender a usar o controle de resistncia do

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    38/182

    37 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos das Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.3 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    multmetro. Note o recurso de continuidade ao medir pequenas resistncias. As instruesfornecidas so para o Fluke 110 e 12B. Outros medidores funcionaro de forma similar.

    Antes de iniciar o laboratrio, o professor ou o assistente do laboratrio dever ter um multmetrodisponvel para cada equipe, e vrios itens relacionados a redes para fazer testes de resistncia.Trabalhe em grupos de dois. Sero necessrios os seguintes recursos:

    Multmetro Fluke Srie 110 ou 12B (ou equivalente)

    Resistor de 1000 Ohm Resistor de 10.000 Ohm

    Lpis para a criao de caminhos de grafite no papel

    Conector Cat 5

    0,2m, ou aproximadamente 6 a 8 polegadas, seco de cabo slido UTP Cat 5

    Cabo coaxial terminado em BNC

    Adaptador DB9 para RJ-45 desconectado

    Patch cable terminado em UTP Cat 5

    Etapa 1 Selecione a Escala de Resistncia no MultmetroFluke 110:

    Medidas de Resistncia: Mova o seletor rotativo para o smbolo mega de Ohms () a fim demedir a resistncia. Use o boto Range (Intervalo) para alterar o intervalo da resistncia a sermedido, baseado na resistncia que espera obter. A tela vai mostrar ohms(), quilohms (K=milhares de ohms) ou megaohms (M = milhes de ohms).

    Medidas de Continuidade: Mova o seletor rotativo at o smbolo do Alarme para a esquerda dosmbolo de Ohms. O smbolo do Alarme a configurao para medir a continuidade. Quandohouver menos de 20 Ohms, o alarme soar. O bip significa que a continuidade boa. Aconfigurao da continuidade usada quando h a necessidade de um bom trajeto para aeletricidade, mas no h necessidade de saber o valor exato da resistncia.

    Medies de Resistncia: Mova o seletor rotativo at o smbolo mega (

    ) para Ohms. O smbolomega a configurao para medir a resistncia. Pressione o boto que contm o smbolo Ohmspara selecionar o modo de resistncia em vez de continuidade. A tela no deve mostrar um smbolode diodo, que um pequeno tringulo preto apontado para uma barra vertical. Use o boto Range(Intervalo) para alterar o intervalo da resistncia a ser medido, baseado na resistncia que seespera obter.

    Fluke 12B:

    Medies de Continuidade: Mova o seletor rotativo para o smbolo mega () para Ohms a fim demedir a resistncia. Pressione o boto que contm o smbolo Ohms para selecionar o modo decontinuidade. A tela dever mostrar um smbolo de diodo, que um pequeno tringulo pretoapontado para uma barra vertical. O diodo um dispositivo eletrnico que permite ou bloqueia apassagem da corrente eltrica. O alarme soar quando houver uma boa continuidade. Boacontinuidade significa baixa resistncia. A configurao da continuidade usada quando h anecessidade de um bom trajeto para a eletricidade, mas no h necessidade de saber o valor exatoda resistncia.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    39/182

    38 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos das Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.3 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Etapa 2

    Verifique as resistncias a seguir. Desligue o medidor ao terminar ou a bateria descarregar.

    Item a ser medido Ajustar o seletor ea escala deintervalo em:

    Leitura de resistncia:

    1000 Resistor

    10 k - Resistor

    Marcao com grafite,usando lpis em um papel

    Conector Cat 5

    Seco de 0,2m de caboslido UTP Cat 5

    Una os contatos das pontasde prova, vermelha e preta

    Um corpo humano (toquenas pontas de prova comos dedos)

    Cabo coaxial terminado emBNC

    Adaptador DB9 para RJ-45desconectado

    Patch cable terminado emUTP Cat 5

    Reflexo

    Qual poderia ser a finalidade do multmetro na manuteno e soluo de problemas em uma redede computadores?

    _________________________________________________________________________________

    _________________________________________________________________________________

    _________________________________________________________________________________

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    40/182

    39 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.5 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 3.1.5 Circuitos em Srie

    Objetivo

    Montar circuitos em srie.

    Explorar as propriedades bsicas de circuitos em srie.

    Fundamentos

    Um dos conceitos bsicos em eletrnica um circuito. Um Circuito um loop contnuo atravs doqual fluem eltrons. Em redes em geral, existem referncias a terra, comutao de circuito xcomutao de pacotes, circuitos virtuais, alm de todos os circuitos reais formados pelos meios edispositivos de rede. Um dos circuitos eltricos bsicos o circuito em srie. A maioria das redes edos dispositivos de redes montada a partir de circuitos muito complexos que esto alm doescopo das lies que constam neste curso. No entanto, o processo da montagem de algunscircuitos em srie ser de ajuda na terminologia e conceitos das redes. Este laboratrio tambmajudar a aumentar o seu entendimento de alguns dos blocos de montagem de circuitos eltricosbsicos.

    Antes de iniciar o laboratrio, o professor ou o assistente deve ter um multmetro disponvel para

    cada equipe de alunos e vrios itens para criar circuitos. Trabalhe em grupos de dois. Seronecessrios os seguintes recursos:

    Multmetro Fluke 110, 12B ou equivalente

    Interruptor de luz

    Alicate de corte ou desencapador de fios

    Fio de cobre

    Duas lmpadas de 6v com soquete ou LEDs com resistores

    bateria de 6v para lanterna

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    41/182

    40 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.5 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Etapa 1 Faa Medies da Resistncia de Todos os Dispositivos

    Mea as resistncias de todos os dispositivos e componentes, exceto da bateria da lanterna. Todasas resistncias devem ser menores que um Ohm (), exceto as lmpadas. Todos os dispositivos,exceto a bateria, devem registrar continuidade com o bip, indicando um curto-circuito ou um trajetode conduo.

    Verifique as resistncias a seguir. Desligue o medidor ao terminar ou a bateria descarregar.

    Item para medir aresistncia:

    Definir o seletor ea escala deintervalo em:

    Leitura de resistncia:

    Pedaos de fio paraconectar componentes

    Interruptor de luz

    Lmpadas

    Etapa 2

    Mea a voltagem da bateria, sem carga, sem nada ligado a ela.

    Item para medir a voltagem de Definir o seletor e a escalade intervalo em

    Leitura de voltagem:

    Bateria de 6V para lanterna sem carga

    Etapa 3 Monte um circuito em srieMonte um circuito em srie um dispositivo de cada vez. Use uma bateria, um interruptor, umalmpada, e fios de conexo.

    Faa a conexo do plo positivo da bateria a uma extremidade de um dos fios. Faa aconexo do plo negativo ao outro fio. Se o interruptor estiver ligado, a lmpada deveracender.

    Desconecte um dispositivo e veja se o circuito foi interrompido. A lmpada apagou?

    _______________________

    Etapa 4 Faa a medo da voltagem da bateria

    Mea a voltagem atravs da lmpada enquanto o circuito esteja funcionando.O interruptor dever estar ligado e a lmpada dever estar acesa.

    Qual foi a voltagem atravs da lmpada com a lmpada acesa?_______________________

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    42/182

    41 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.5 Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Etapa 5 Acrescente a segunda lmpada

    Acrescente uma segunda lmpada em srie e mea novamente a voltagem atravs da lmpada.

    Qual foi a voltagem atravs da lmpada com a lmpada acesa?_______________________

    Reflexo

    Como os circuitos em srie se aplicam s redes?

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________________________

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    43/182

    42 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.9a Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 3.1.9a Circuitos de Comunicaes

    Objetivo

    Criar um sistema simples de comunicao que rpido e confivel.

    Montar o sistema usando materiais comuns.

    Testar o sistema.

    Fundamentos / Preparao

    Para que sejam feitas comunicaes confiveis em uma rede, necessrio antes de tudo, definir os

    mtodos fsicos de sinalizao e o significado de cada sinal ou srie de sinais. Crie uma rede fsicasimples e defina algumas regras bsicas para comunicao a fim de enviar e receber dados. Seruma rede digital baseada no American Standard Code for Information Interchange (ASCII). Sersemelhante aos antigos sistemas de telgrafo baseados em cdigo Morse. Nos sistemas antigos onico meio de comunicao em longa distncia era o envio de uma srie de pontos e travessescomo sinais eltricos atravs de fios entre um local e outro. Embora a tecnologia a ser usada sejamuito mais simples que os sistemas reais, vo surgir muitos conceitos-chave de comunicaes dedados entre computadores. Este laboratrio tambm ajudar a esclarecer as funes das camadasdo modelo OSI.

    A equipe deve projetar, montar e testar um circuito de comunicaes com outra equipe. A meta acomunicao de dados, quanto mais rpido possvel e com o menor nmero possvel de erros.Durante essa comunicao, no permitido nenhum tipo de comunicao falada, escrita ou noverbal. A nica comunicao permitida atravs de fio. As equipes devem decidir sobre as

    conexes fsicas e na codificao a ser usada. Uma equipe enviar uma mensagem outra equipe.A outra equipe dever interpretar a mensagem enviada sem saber de antemo qual era amensagem. Tenha em mente o modelo OSI enquanto projeta o seu sistema.

    Antes de iniciar o laboratrio, o professor ou o assistente deve ter um multmetro disponvel paracada equipe de alunos e vrios itens para construir uma rede de comunicaes simples. Trabalheem grupos de dois.

    Os recursos a seguir sero necessrios. Estude o propsito de cada um dos seguintes itensnecessrios pois servir de ajuda na criao da rede.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    44/182

    43 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.9a Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Item de construo de redenecessrio

    Finalidade

    Multmetro Fluke 110, 12B ouequivalente

    Para testar as conexes de comunicao

    6 m de cabo UTP Cat 5 Para as linhas de comunicaes fsicas. O meio do cabeamento.

    Tabela ASCII Para ajudar com a codificao e interpretao de sinais. Se nohouver uma cpia impressa da tabela de cdigos ASCII de 7 bits,procure na Internet as palavras ACSII chart.

    Interruptor de luz Para ativar o dispositivo de sinalizao a fim de criar os sinais digitais(binrios) ligado/desligado

    Duas lmpadas de 6v com soqueteou LEDs com resistores

    Para agir como o dispositivo de sinalizao

    bateria de 6v para lanterna Para fornecer energia ao dispositivo de sinalizao

    Alicate de corte ou desencapador defios

    Para ajustar o tamanho e preparar as extremidades das linhas decomunicao

    Camada 1 questes

    Conectar dois pares de fios a fim de ter comunicao em ambas as direes, half e full duplex.

    Camada 2 questes

    Comunicar uma seqncia de incio e parada de quadro. Essa uma seqncia de bits diferentedos bits de nmero e de caracteres a serem transmitidos.

    Camada 3 questes

    Inventar um esquema de endereamento para hosts e redes, se for mais do que comunicaoponto-a-ponto.

    Camada 4 questes

    Incluir alguma forma de controle para regular a qualidade do servio. Por exemplo, correo deerros, confirmao, janelamento, ou controles de fluxo.

    Camada 5 questes

    Implementar uma maneira de sincronizar ou pausar longas conversaes.

    Camada 6 questes

    Usar um meio de representao de dados. Por exemplo, ASCII codificados como bits picos.

    Camada 7 questesSer capaz de comunicar uma idia fornecida pelo instrutor ou inventar uma mensagem.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    45/182

    44 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.9a Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Reflexo

    1. Quais foram as questes que surgiram ao ser montado o sistema de comunicaes, que seaplica s comunicaes de dados entre computadores?

    _______________________________________________________________________

    _______________________________________________________________________

    _______________________________________________________________________

    2. Analise o seu sistema de comunicaes em termos das camadas OSI.

    _______________________________________________________________________

    _______________________________________________________________________

    _______________________________________________________________________

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    46/182

    45 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.9b Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 3.1.9b Testes de Cabo Bsico Fluke 620

    Objetivo

    Usar um testador de cabo simples para verificar se um cabo direto ou cruzado est ou no comdefeito.

    Usar o testador de cabos avanados Fluke 620 para testar o comprimento e a conectividadedos cabos.

    Fundamentos

    Trabalhe com vrios cabos que j foram feitos. Usando um testador bsico de cabos, teste os fiospara verificar a continuidade bsica, quebra nos fios, curtos-circuitos, e se dois ou mais fios esto se

    tocando. Em futuros laboratrios sero criados cabos semelhantes.

    Testadores Bsicos de Cabo: Existem vrios tipos de testadores bsicos de cabo que custammenos de US$100. Geralmente consistem em uma ou duas caixas pequenas com conectores RJ-45. Ligue os cabos a serem testados nos conectores RJ-45. Muitos modelos foram projetados paratestarem apenas os cabos UTP Ethernet.

    Cada extremidade do cabo ligada no conector certo. O testador testar todos os oito fios eindicar se os cabos esto em boas condies ou no. Os testadores mais simples podem terapenas uma nica luz para indicar se o cabo est ou no em boas condies. Outros testadores

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    47/182

    46 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.9b Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    podem ter oito luzes para indicar que o fio est em ms condies. Esses testadores tm bateriasinternas para fazer testes de continuidade nos fios.

    Testadores de Cabo Avanados: Os testadores de cabo avanados, como o Fluke 620 LANCableMeter, realizam as funes de testes bsicos nos cabos, e outras. O testadores de caboavanado Fluke 620 podem custar desde centenas at milhares de US dlares. Os testadores decabo avanados sero usados em laboratrios futuros para realizar mapeamento de fios assimcomo outras tarefas. O testador de cabo 620 LAN CableMeter um testador projetado para verificara conectividade de todos os tipos de cabo para LAN. Este testador resistente pode medir ocomprimento do cabo, testar as falhas e mostrar a distncia at onde est o defeito. As falhasincluem fios abertos, curtos-circuitos, polaridade reversa, circuitos cruzados e pares divididos. Cada620 LAN CableMeter vem acompanhado de um identificador de cabos.

    O Fluke 620 mais avanado porque realiza mais funes:

    Apenas uma pessoa precisa verificar

    Testa todos os tipos de cabos para redes locais; UTP, STP, FTP, Coaxial

    Detecta uma variedade de problemas de fiao tais como fio aberto, curto, cruzado, reverso, pardividido

    Localiza erros de conexo ou de fiao

    Mede o comprimento do caboAntes de iniciar o laboratrio, o professor ou assistente do laboratrio deve disponibilizar testadoresou medidores de cabo Fluke a cada equipe de alunos. Tambm devem ser providos fios de vrioscomprimentos com problemas induzidos. Trabalhe em grupos de dois. Sero necessrios osseguintes recursos:

    Testador de cabo bsico

    Testador de cabo avanado (Fluke 620 ou equivalente)

    Dois cabos perfeitos CAT 5 ou superiores, um cruzado e outro direto

    Dois cabos defeituosos CAT 5 ou superiores, um com fio aberto e outro com curto. Usediferentes cores ou rtulos.

    Etapa 1 Testar os CabosTestador de cabos simples: Consulte as instrues do fabricante. Insira as extremidades doscabos a serem testados nos conectores, conforme as instrues.

    Fluke 620: Insira o RJ-45 de uma extremidade do cabo no conector UTP/FTP no testador. Gire oseletor at Test. Todos os condutores sero testados para verificar que no estejam danificados ouem curto.

    Observao: Este teste no verifica se os pinos esto conectados corretamente de umaextremidade outra.

    Para cada teste, insira o cabo no(s) conector(es) RJ-45 no testador de cabos. Registre osresultados na tabela a seguir.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    48/182

    47 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.9b Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Cor ou nmerodo cabo

    Tipo deCategoria

    Direto oucruzado?

    Comprimento docabo

    Resultados doteste

    Cabo 1

    Cabo 2

    Cabo 3

    Cabo 4

    Cabo 5

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    49/182

    48 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.9c Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 3.1.9c Confeco de Cabo Direto

    Objetivo

    Confeccionar um patch cable de rede Ethernet de cabo de par tranado no blindado (UTP) deCategoria 5 ou Categoria 5e (CAT 5 ou 5e).

    Testar o cabo para verificar a continuidade e pinagens corretas, o fio de cor correta no pinocorreto.

    FundamentosO cabo confeccionado um cabo direto de quatro pares, oito fios, o que significa que a cor do fio noPino 1 em uma extremidade do cabo ser a mesma do Pino 1 na outra extremidade. O Pino 2 serigual ao Pino 2 e assim por diante. Ele ser conectado com os padres TIA/EIA T568B ou T568Apara Ethernet 10BASE-T que determina a cor do fio que ficar em cada pino. O T568B, tambmchamado de especificao AT&T, mais comum nos Estados Unidos, mas muitas instalaes estotambm conectadas ao T568A, tambm chamado de ISDN.

    Antes de comear o laboratrio, o professor ou assistente de laboratrio dever ter disposio umcarretel de cabo de par tranado no blindado (UTP) Cat 5, conectores RJ-45 (de 8 pinos), umaferramenta de crimpagem RJ-45 e um testador de continuidade Ethernet/RJ-45. Trabalheindividualmente ou em equipes. Sero necessrios os seguintes recursos:

    Um pedao de cabeamento Cat 5 de 0,6 a 0,9 m (2 a 3 ps) de comprimento por pessoa ouequipe

    Quatro conectores RJ-45, dois conectores extras de reserva

    Ferramentas de crimpagem RJ-45 para prender os conectores RJ-45 s extremidades do cabo

    O testador de continuidade do cabeamento Ethernet que pode testar cabos dos tipos cruzadoou direto, T568A ou T568B

    Alicate de cortar fios

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    50/182

    49 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.9c Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Informaes de Pinagem de Cabeamento para T568B

    Nmerodo pino

    Nmerodo par

    Funo Cor do fio Usado comEthernet

    10/100BASE-T?

    Usado comEthernet

    100BASE-T4 eEthernet

    1000BASE-T?

    1 2 Transmitir Branco/laranja Sim Sim2 2 Transmitir Laranja Sim Sim3 3 Receber Branco/verde Sim Sim4 1 No usado Azul No Sim5 1 No usado Branco/azul No Sim6 3 Receber Verde Sim Sim7 4 No usado Branco/marrom No Sim8 4 No usado Marrom No Sim

    Diagram showing both T568A and T568B cabling wire colors

    Use a tabela anterior e o diagrama para criar um cabo patch panel T568B. As extremidades do cabodevem ser conectadas da mesma forma quando olhando os condutores.

    Etapa 1

    Determine a distncia entre dispositivos ou dispositivo e plugue. Acrescente pelo menos 30,48 cm(12 pol.) distncia. O comprimento mximo para este cabo, de acordo com os padres decabeamento estruturado TIA/EIA de 3 m (9,84 ps), apesar de que isso pode variar.Comprimentos padro so 1,83 m (t ps) e 3,05 m (10 ps).

    Etapa 2

    Corte um pedao de cabo tranado UTP Cat no comprimento desejado. Usar o cabo retorcido parapatch cables porque ele dura mais quando dobrado repetidamente. Os fios rgidos so bons paralances de cabos que so cravados em conectores.

    Etapa 3

    Desencape 5,8 cm (2 pol.) de revestimento de uma extremidade do cabo.

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    51/182

    50 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.9c Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Etapa 4

    Segure firmemente os quatro pares de cabos torcidos onde o revestimento foi cortado. Reorganizeos pares de cabos de acordo com a ordem do padro de cabeamento T568B. Tome cuidado paramanter o mximo possvel dos tranados porque isso proporciona o cancelamento de rudo.

    Etapa 5

    Segure o revestimento e o cabo com uma das mos e desfaa um pequeno pedao dos pares verdee azul. Organize os pares para refletir o esquema de cores do cabeamento T568B. Destrance eorganize o resto dos pares de fios de acordo com o esquema de cores.

    Etapa 6

    Achate, estique e alinhe os fios. Depois corte-os em uma linha reta entre 1,25 e 1,9 cm (1/2 a pol.) da margem do revestimento. Tenha cuidado para no soltar o revestimento nem os fios queagora esto na ordem correta. Voc deve minimizar o comprimento dos fios no tranados porqueos pedaos excessivamente longos perto dos conectores so a principal origem de rudo eltrico.

    Etapa 7

    Coloque um plugue RJ-45 na extremidade do cabo, com o pino do lado de baixo e o par laranja

    esquerda do conector.

    Etapa 8

    Encaixe levemente o plugue nos fios at que voc possa ver as extremidades de cobre dos fiosatravs da extremidade do plugue. Certifique-se de que a extremidade do revestimento estejadentro do plugue. Isto proporciona o no tensionamento do cabo e para garantir que todos os fiosestejam na ordem correta. Se o revestimento no estiver dentro do plugue, este no sercorretamente segurado com a mo e mais cedo ou mais tarde causar problemas. Se tudo estivercorreto, faa a crimpagem do plugue com fora suficiente para forar os contatos atravs doisolamento dos fios, completando, assim, o trajeto condutor.

    Etapa 9

    Repita as Etapas 3 a 8 para terminar a outra extremidade do cabo. Use o mesmo esquema paraterminar o cabo direto.

    Etapa 10

    Teste o cabo terminado. Pea que o instrutor verifique o cabo terminado. Como que se podedescobrir que o cabo esteja funcionando corretamente?

  • 7/18/2019 Manual Dos Laboratorios CCNA1 v3 1

    52/182

    51 - 181 CCNA 1: Conceitos Bsicos de Redes v3.1 - Laboratrio 3.1.9d Copyright 2003, Cisco Systems, Inc.

    Laboratrio 3.1.9d Construo do Cabo Rollover

    Objetivo

    Confeccionar um cabo rollover de console de par tranado no blindado (UTP) de Categoria 5ou Categoria 5e (CAT 5 ou 5e).

    Testar o cabo para verificar a continuidade e pinagens corretas, o fio de cor correta no pinocorreto.

    Fundamentos

    O cabo dever ser um cabo "rollover" de 4 pares. Este tipo de cabo tipicamente de 3,05 m (10

    ps) de comprimento mas pode ser at 7,62m (25 ps). Um cabo rollover pode ser usado paraconectar a estao de trabalho ou terminal burro porta de console na parte posterior de umroteador ou switch da Cisco. As duas extremidades do cabo criado por voc tero conectores RJ-45. Uma extremidade ser conectada diretamente porta RJ-45 de gerenciamento de console atrsdo roteador ou do switch. A outra extremidade ser conectada a um adaptador de terminal de RJ-45para DB9. Este adaptador converte o RJ45 em conector D fmea de 9 pinos para ligao ao PC ouporta serial de terminal burro (COM). Um adaptador do terminal DB25 est tambm disponvel parafazer a conexo ao PC ou terminal burro. Este adaptador usa um conector de 25 pinos. A figuraabaixo mostra um kit de cabo de console (rollover) que despachado com a maioria dosdispositivos Cisco.

    Para fins prticos, no ltimo laboratrio quando voc criou um jumpe