MANUTENÇÃO INDUSTRIAL - conteúdo programático

of 30 /30
MANUTENÇÃO INDUSTRIAL Legenda: Graduação Graduação Tecnológica Planejar, implantar e gerenciar os serviços de manutenção de equipamentos e sistemas mecânicos, elétricos e eletrônicos em indústrias é função desse tecnólogo. Ele faz a conservação de ferramentas, componentes e peças mecânicas, como tornos e caldeiras, além de cuidar das instalações elétricas das linhas de produção. Pode especializar-se em preservação de circuitos eletrônicos e microprocessadores de controle de sistemas de fabricação ou em instalações prediais e sistemas eletrônicos de segurança industriais ou residenciais. Testes Profissionais Estudar Você sabe estudar em casa? Decisão Devo fazer uma segunda faculdade? Simulados Você sabe aproveitar os simulados para o vestibular?

Embed Size (px)

Transcript of MANUTENÇÃO INDUSTRIAL - conteúdo programático

MANUTENO INDUSTRIALTECNOLGICOLegenda:GraduaoGraduao TecnolgicaPlanejar, implantar e gerenciar os servios de manuteno de equipamentos e sistemas mecnicos, eltricos e eletrnicos em indstrias funo desse tecnlogo. Ele faz a conservao de ferramentas, componentes e peas mecnicas, como tornos e caldeiras, alm de cuidar das instalaes eltricas das linhas de produo. Pode especializar-se em preservao de circuitos eletrnicos e microprocessadores de controle de sistemas de fabricao ou em instalaes prediais e sistemas eletrnicos de segurana industriais ou residenciais.Testes ProfissionaisEstudar

Voc sabe estudar em casa?Deciso

Devo fazer uma segunda faculdade?Simulados

Voc sabe aproveitar os simulados para o vestibular?Mercado de Trabalho"Todos os setores da indstria precisam de manuteno, por isso esse profissional muito procurado. ele quem organiza a parada da fbrica e sabe quem precisa atuar e onde", diz o professor Benedito Srgio Tavares de Alvarenga, coordenador do curso da Fatec Pindamonhangaba (SP). A rea de mecnica a que mais oferece oportunidades de trabalho, mas h muitas vagas tambm para especialistas em eletricidade e eletrnica. O profissional sofre a concorrncia de engenheiros mecnicos na hora de disputar uma vaga em manuteno e inspeo de equipamentos, seja em indstrias, seja em empresas de outros setores econmicos, que tambm dependem de sistemas eletrnicos, eltricos e mecnicos. As linhas de produo automatizadas, cada vez mais presentes nas indstrias, exigem profissionais para operar e manter os sistemas. O estado de So Paulo e a Regio Sul concentram a maior parte dos empregos."O Nordeste cresce muito nesse aspecto. Os programas governamentais e os investimentos da iniciativa privada tm contribudo para isso", diz o professor Francisco Nlio Costa Freitas, coordenador do curso do IFCE, em Maracana (CE). Manaus, com grande nmero de indstrias, tambm costuma oferecer vagas.

CursoH boa dose de disciplinas tericas da rea das Cincias Exatas, entre elas clculo, fsica, mecnica, eletrnica e eletricidade. Ou seja, prepare-se para muita matemtica. O aluno estuda tambm projetos eltricos, acionamentos industriais, manuteno eletromecnica e eletrnica, programao, eletrnica digital e industrial e mquinas trmicas. , ainda, instrudo nos processos de fabricao e em sistemas gerenciais. Quase metade das aulas prtica, em oficinas e laboratrios.

Durao mdia:trs anos e meio.

Outro nome:eletromec.

Manuteno Industrial

O Curso de Manuteno Industrial da Unimonte foi concebido para atender profissionais que buscam formao relacionada s atividades de Manuteno Industrial, atendendo a demanda do Plo Industrial de Cubato. Visa proporcionar o aprendizado completo e abrangente dos conceitos e tcnicas de administrao moderna e dos processos envolvidos na dinmica operacional das atividades da Manuteno Industrial, tais como: elaborao de oramento, implantao de sistemas de manuteno, elaborao de rotinas e procedimentos de manuteno, seleo de materiais, dentre outros.

Fora isso, tambm tem como objetivo formar profissionais para a rea de Manuteno Industrial e de suas atividades, destinados a atuar em diversos segmentos de planejamento, organizao e controles administrativos que atendam a crescente demanda e exigncias empresariais.

Veja onde poder trabalhar:Ter conhecimento para trabalhar em organizaes pblicas, privadas e de economia mista, como indstrias, terminais porturios ou empresas de transporte.

Informaes Adicionais:No curso, aprende-se a utilizar de ferramentas modernas de gesto, da qualidade e produtividade e do planejamento das operaes e do controle sobre o planejado, corrigindo desvios; conhecimentos de ferramentas para apoio s decises e alinhamento destas tecnologias com as estratgias de negcio da empresa; conhecimento da legislao especifica aplicada ao setor; entendimento dos custos de manuteno e viso sistmica dos processos de manuteno.

Salrio Mdio:R$ 2.725,00 (6 horas dirias)Fonte: Confea

Diferenciais do Curso:- nico curso do gnero na Baixada Santista.

Curso Superior de Tecnologia em Manuteno Industrial - LondrinaMore Sharing ServicesOutras opesMore Sharing ServicesOutras opesMais teoria na prtica. Mais prtica na teoria. Escolha uma das Faculdades da Indstria.+ Inscreva-se agoraVESTIBULAREdital 002/2013 - Vestibular 2014 - 1 SemestreCONFIRA OS RESULTADOS DO VESTIBULAR MATUTINO>>

CONFIRA OS RESULTADOS DO VESTIBULAR NOTURNO>>Termo Aditivo ao Edital 002/2013 - Vagas Remanescentes

Inscries abertas para as vagas remanescentes

Vestibular Agendado:Inscries de 19/12/2013 a 20/01/2014Nmero de alunos por turma: 40 alunosLocal das aulas:Faculdade da Industria do Sistema FiepRua Belm, 844 | 86.026-000 |Centro - Londrina/PR.Prazo de validade do processo seletivo:Segundo semestre de 2014Resultado dos Aprovados:23/01/2014Perodo de Matrculas:23 e 24/01/2014SOBRE O CURSOHistricoAgora, os cursos de Graduao (Tecnlogo) do Senai Paran fazem parte das Faculdades da Indstria, um novo conceito em educao: cursos com viso e foco na indstria. a experincia do Sistema Fiep (Fiep, Sesi, Senai e IEL) em cursos de graduao pensados por quem mais entende de indstria: a prpria indstria. Cursos que aliam a prtica e a teoria com o conhecimento que a indstria requer.* As Faculdades da Indstria so integradas pelas Faculdades de Tecnologia Senai e Famec e sua certificao feita de acordo com a instituio ofertante.Realizao:Senai Paran.Durao do Curso:3 anosTurno:Matituno e NoturnoData de criao do Curso:Resoluo Senai CR Senai/PR N 006/2012 de 26/03/2012

O tecnlogo em Manuteno Industrial um profissional, altamente capacitado, de nvel superior com formao especfica no conhecimento de manuteno industrial. O curso oferecido pela Faculdade de Tecnologia Senaiest baseado na slida formao do profissional, buscando constantemente a inovao e a realimentao da capacitao dos futuros profissionais para atender a demanda de mercado regional.Pblico-alvoDestina -se aos candidatos que concluram o Ensino Mdio ou equivalente. Mediante a aprovao no Processo Seletivo (Vestibular).Atos OficiaisCredenciamento da Instituio:Em breve.Autorizao de funcionamento do Curso:Autorizao Portaria MEC N 85 de 08/06/12 publicada no DOU em 12/06/12).Confira a autorizao do curso >>InfraestruturaO curso de Graduao Tecnolgica Manuteno Industrial conta com uma completa infraestrutura: Laboratrios Laboratrios de informtica Biblioteca (acervo)

Manuteno Industrial (Tecnolgico)O curso deManuteno Industrial (Tecnolgico)daFaculdade REA1, emSalvador, prepara o aluno para atuar a frente delinhas de produo automatizadas e gerenciamento.Aqui, voc vai aprender aplanejar, manter e inspecionar sistemas eltricos e mecnicos industriais. Assim, sua presena indispensvel nas indstrias, pois o tecnlogo em Manuteno Industrial entende tanto de eltrica quanto de mecnica.Projetos eltricos, acionamentos industriais, manuteno eletromecnica e eletrnica, programao, eletrnica digital e industrial e mquinas trmicas faro parte do dia a dia desse estudante, que saber como conservar ferramentas, componentes e peas mecnicas e cuidar das instalaes eltricas das linhas de produo.As linhas de produo automatizadas, cada vez mais presentes nas indstrias, exigem profissionais como o tecnlogo em Manuteno Industrial para operar e manter os sistemas.A partir das tecnologias da eletricidade e mecnica, voc aplicar tcnicas de intervenes seguras aos diversos processos industriais, inspecionando, prevenindo e corrigindo falhas, considerando a melhoria da qualidade, a garantia da sade e segurana, produtividade e competitividade.Esse profissional ainda pode gerenciar equipes, desenvolver manuteno preditiva, preventiva e corretiva, centrada na confiabilidade dos indicadores, propondo melhorias. Exerce suas atividades nos setores de manuteno e inspeo industriais, podendo ainda atuar em institutos e centros de pesquisa, rgos governamentais, escritrios de consultoria, dentre outros.CONHEA A REA1Quem SomosPropsito, Viso e ValoresInfraestruturaResponsabilidade SocialVdeosTrabalhe ConoscoImprensaPEASAIBA MAIS SOBRE A DEVRYDeVry no MundoDeVry no BrasilBenefcios Alunos REA1Benefcios InternacionaisJornal Conexo DeVry BrasilEu fuiBENEFCIOS INTERNACIONAISNo BrasilCurso de Ingls SubsidiadoBase de dados - EBSCOMyMathLabSeminrios InternacionaisExperincias Internacionais em SadeProjetos ColaborativosNo ExteriorSemester AbroadDupla TitulaoBolsas KellerAcademic AwardCURSOSGraduao BachareladoPs-GraduaoExtensoCAMPIParalelaESTUDE NA REA1GraduaoVestibularTransfernciaPortador de DiplomaENEMPROUNIPs-GraduaoExtensoCRDITO ESTUDANTILFIES em SalvadorPROUNI em SalvadorCrdito PrivadoCORPORATIVOApresentaoCursos In CompanyBolsas EspeciaisEmpresas ParceirasATENDIMENTO AO ALUNOAdmisses de Novos AlunosCASANAANAFCarreirasEVENTOSApresentaoEX-ALUNOS / ALUMNIDepoimentosBenefciosJ SOU REA1AcademusWebmail ColaboradoresBibliotecaAconteceSharepointFALE CONOSCOContatoOuvidoriaInformaesREA1 SOCIALCONTATO|REQUISIO DE INFORMAES|TRABALHE CONOSCODeVry Brasil - Copyright 2010 - Todos os direitos reservadosREA1-Av. Paralela, 3172-Salvador-BahiaFone/Fax:(71) 2106.3911

GRADUAO TECNOLGICA - MANUTENO INDUSTRIALOBJETIVO

Atender a uma crescente demanda por profissionais com formao tecnolgica, na rea de Manuteno Industrial, com perfil empreendedor e humanista, capaz de solucionar problemas nesse ramo de conhecimento, aptos a contriburem de forma significativa para a excelncia dos processos de manuteno e, por conseqncia, com a competitividade das indstrias locais e o desenvolvimento sustentvel da regio. O curso tem como objetivos especficos desenvolver nos profissionais competncias relacionadas a gesto da manuteno - superviso, planejamento e controle - a avaliao de falhas em equipamentos e sistemas e a avaliao de eficincia energtica de equipamentos.PERFIL PROFISSIONAL

O Tecnlogo em Manuteno Industrial um profissional com viso multidisciplinar e sistmica, com esprito investigador e tcnico-cientfico, crtico e empreendedor, capaz de: Gerir processos de manuteno industrial, atravs de tcnicas de planejamento e controle, e, gesto de custos; Identificar e analisar falhas em equipamentos, processos e sistemas industriais; Supervisionar equipes de manuteno e montagem industrial; Avaliar a eficincia energtica em equipamentos industriais;; Desenvolver melhorias em equipamentos e sistemas; Reduzir custos das atividades de manuteno industrial; Reduzir custos das atividades de manuteno industrial.

FORMAO

A integralizao da carga horria total do curso conduzir diplomao do aluno como Tecnlogo em Manuteno Industrial. O projeto do curso prev ainda a flexibilizao atravs da possibilidade de certificao do aluno em sadas intermedirias, com Qualificao Tecnolgica em Manuteno industrial e Qualificao Tecnolgica em Superviso de Manuteno Industrial.

Planejar, implantar e gerenciar os servios de manuteno de equipamentos e sistemas mecnicos, eltricos e eletrnicos em indstrias funo desse tecnlogoEle faz a conservao de ferramentas, componentes e peas mecnicas, como tornos e caldeiras. Cuida das instalaes eltricas das linhas de produo. Pode especializar-se em preservao de circuitos eletrnicos e microprocessadores de controle de sistemas de fabricao ou em instalaes prediais e sistemas eletrnicos de segurana industriais ou residenciais.Por que estudar Manuteno Industrial no CEUNSP? Profissionais formados para uma rea de grande crescimento Laboratrios especializados e altamente qualificados Experincia do corpo docente alinhada com a necessidade do mercado

O curso online de Manuteno Industrial a distncia um curso onde se estuda os fundamentos da tecnologia da eletricidade, da tecnologia da mecnica e conhecimentos sobre as organizaes de modo a atend-las eficientemente, prezando pela formao de profissionais que contribuem para o crescimento regional atravs da atuao direta ou indireta nas empresas como prestadores de servios.

Aps o curso online de Manuteno Industrial a distncia tornar o aluno apto a trabalhar nas seguintes reas de Atuao:Planejamento de ManutenoManuteno Eletro-TcnicaConstruo e MontagemInspeo de EquipamentosEletro-EletrnicaEncarregado de Manuteno:- Mecnica- Eletro-Mecnica- Eletro-Eletrnica- InspeoEncarregado de Montagens

Tecnologia em Manuteno Industrial- APRESENTAOHistricoO Curso Superior de Tecnologia em Manuteno Industrial autorizado, foi implantado no Campus Cornlio Procpio da UTFPR no primeiro semestre de 1999, tendo a denominao original de Curso Superior de Tecnologia em Mecnica - Modalidade Manuteno Industrial, sendo que este j est credenciado pelo CREA-PR. Em 2003 passou por processo de reconhecimento pelo MEC/SETEC, obtendo conceito A de acordo com a Portaria Ministerial n 3351, publicada no DOU em 13/11/2003, o qual resultou na presente configurao da matriz curricular. Neste mesmo processo o curso recebeu a denominao de Curso Superior de Tecnologia em Manuteno Mecnica Industrial. Em 2006, o MEC/SETEC em cumprimento ao Decreto n0 7.773/06, lanou o Catlogo Nacional dos Cursos Superiores de Tecnologia, com o objetivo de organizar e orientar a oferta desses cursos no pas, tendo como base as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educao Profissional de Nvel Tecnolgico. Com a sistematizao e a oferta do Catlogo, o MEC orientou as instituies ofertantes de graduao tecnolgicas a adotarem as denominaes dos cursos que o compem, tanto para a oferta de novos cursos, quanto para a migrao dos cursos em desenvolvimento. Com base nisso, a UTFPR encaminhou a MEC/SETEC,ofcio solicitando a migrao dos cursos cujos nomes no constavam do Catlogo, dentre eles o Curso Superior de Tecnologia em Manuteno Mecnica Industrial. Tal solicitao foi atendida atravs da Portaria MEC n0 124 de 06/11/2006 (doc. Anexo) e o Curso Superior de Tecnologia em Manuteno Mecnica Industrial passou a receber a nova denominao de Curso Superior de Tecnologia em Manuteno Industrial, com mesma configurao da matriz curricular.Atendidas as exigncias legais a Universidade Tecnolgica Federal do Paran Campus Cornlio Procpio, est autorizada a diplomar os alunos concluintes dos Cursos:Curso Superior de Tecnologia em Manuteno Mecnica Industrial e Curso Superior de Tecnologia em Manuteno Industrial, com a mesma titulao, ou seja Tecnlogo em Manuteno Industrial.Perfil do EgressoO Tecnlogo em Manuteno Industrial, oriundo do Curso Superior de Tecnologia, o profissional de nvel superior com competncias e habilidades para planejar, implementar, administrar, gerenciar, promover e aprimorar com tcnica e tecnologia a Manuteno Mecnica Industrial, assumindo ao empreendedora em pesquisa e inovao com conscincia de seu papel social.O perfil do Tecnlogo em Manuteno Industrial ser adquirido com o exerccio e desenvolvimento das seguintes competncias:a) Participar de forma responsvel, ativa, crtica e criativa na manuteno mecnica industrial;b) Planejar, executar, supervisionar e inovar sistemas na rea de manuteno mecnica industrial;c) Aplicar ferramentas de gesto tecnolgica no gerenciamento no processo de manuteno mecnica industrial.d) Implementar e fazer manuteno em sistemas automatizados eletro-eletrnicos, pneumticos e hidrulicos;e) Planejar as estratgias de implantao de sistemas automatizados;f) Conduzir equipes de trabalho na rea de automao industrial;g) Elaborar documentao relativas a equipamentos, tecnologias e sistemas de automao;h) Pesquisar novas tecnologias na rea de sistemas automatizados;i) Executar o projeto e implementar sistemas de automao da manufatura.Alm das competncias e habilidades profissionais obtidas pela Diplomao como Tecnlogo, o Curso Superior de Tecnologia em Manuteno Industrial prev certificao(es) a ser(em) obtida(s) aps aprovao nos mdulos de certificao.FormaoA estrutura curricular dos Cursos Superiores de tecnologia da UTFPR obedecem ao disposto na Lein. 9.394, de 20/12/96, no Decreton. 2.208, de 17/04/97, no Parecern. 436/01, de 02/04/01, na Resoluo CNE/CP 3, nas Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educao Profissional de Nvel Tecnolgico - DCN, Parecern. 29/02, 03/12/02, enas resolues especficas, para cada curso, expedidas pelos rgos competentes.A estrutura curricular do Curso Superior de Tecnologia em Manuteno Industrial da UTFPR - Campus Cornlio Procpio, tem sua essncia referenciada na pesquisa de mercado identificando a demanda para a qualificao profissional, das caractersticas econmicas e do perfil industrial da regio e do Estado do Paran - (Gazeta Mercantil, 1997); (Pesquisa de Emprego e Desemprego na Regio de Londrina e Maring PED, n. 04/06/4997 ); (Ipardes, 2000) e (IBGE, 2000).Para dar atendimento demanda do mercado de um profissional com um perfil diferenciado, no s em tecnologia, mas tambm voltado para o desenvolvimento social, a organizao do Curso Superior de Tecnologia em Manuteno Industrial apresenta bases cientficas e de gesto de nvel superior dimensionadas e direcionadas terminalidade da formao do tecnlogo.Regime NoturnoDurao do CursoA estrutura curricular do Curso Superior de Tecnologia em Manuteno Industrial caracteriza-se por ser formatada em mdulos de ensino com cargas horrias que propiciam competncias e habilidades. Em conformidade com o Parecer n.o 436/01, a carga horria mnima do curso de 2400 horas distribudas em 6 perodos.O fluxograma do Curso Superior de Tecnologia em Manuteno Industrial encontra-se organizado em seis mdulos, mais estgio curricular, Atividades Complementares e Trabalho de Diplomao. Os mdulos 3, 4, 5 e 6 permitem que o estudante obtenha certificaes ao conclu-los com aproveitamento.Os Mdulos 1, 2 e 3 so obrigatrios para que o estudante possa prosseguir seus estudos. Aps conclu-los, ele pode optar pela realizao do Mdulo 4, 5 ou 6. Ao concluir os trs primeiros mdulos com proficincia em todas as disciplinas, o estudante poder solicitar a Certificao de Assistente de Projetos Mecnicos Industriais. Ao concluir com proficincia todas as disciplinas do quarto mdulo, o estudante receber a Certificao de Assistente em Processos de Fabricao. Ao concluir com proficincia todas as disciplinas do quinto mdulo, o estudante receber a Certificao de Assistente de Instalaes Industriais Mecnicas. Na concluso do sexto mdulo com proficincia, o estudante poder solicitar o Certificado de Assistente de Manuteno Mecnica Industrial. Ao concluir os mdulos 1, 2 e 3, o aluno poder ingressar no mdulo 4, 5 ou 6.Concomitantemente ao mdulo 3, o aluno poder iniciar o estgio curricular e concomitantemente ao mdulo 6, poder iniciar o Trabalho de Diplomao.

Engenharia de manutenoOrigem: Wikipdia, a enciclopdia livre.

Verificao da lista de procedimentos de manuteno de bordo da nave espacialAtlantis, por um engenheiro de manuteno.Aengenharia de manuteno o ramo daengenhariavocacionado para a aplicao dos seus conceitos optimizao dosequipamentos, dosprocessose dosoramentos, de modo a alcanar uma melhormanutenibilidade,fiabilidadee disponibilidade dos equipamentos.Amanutenoe, consequentemente, a engenharia de manuteno tm vindo a ganhar uma importncia crescente devido ao aumento do nmero de equipamentos, aparelhos, sistemas,mquinaseinfraestruturasque tem vindo a ocorrer constantemente, desde aRevoluo Industrial. O seu elevado nmero e diversidade requerem um conjunto crescente de profissionais e sistemas especializados na sua manuteno.ndice[esconder] 1Conhecimentos e aplicaes 2Profissionais 3Funes de um engenheiro de manuteno 4Referncias 5Ver tambmConhecimentos e aplicaes[editar|editar cdigo-fonte]Dentro do universo da engenharia, a engenharia de manuteno uma especialidade multidisciplinar que - para alm dos conhecimentos especficos de manuteno, como os deestatstica,logstica,confiabilidadeeprevisibilidade- requer conhecimentos mais especficos relacionados com a rea de aplicao, como por exemplo os demecnica,eletricidadeequmica. A engenharia de manuteno tambm requer conhecimentos gerais dehigiene e segurana no trabalho,informtica,gesto de recursos humanos,legislao,meio ambienteecontabilidade.A engenharia de manuteno aplica-se quase totalidade das atividades econmicas e sociais, mas torna-se mais relevante para a operao de organizaes complexas. Assim, tem grande importncia em reas como oshospitais, aindstria siderrgica, aindstria alimentar, aindstria automvel, aindstria txtil, aextrao de petrleo, asfrotas automveis, aproduo de energia, asgrandes superfcies comerciais, aindstria qumica, amarinhaaaeronutica, atelecomunicaese adata center.Profissionais[editar|editar cdigo-fonte]Oengenheiro de manuteno o profissional da engenharia de manuteno. Esta profisso corresponde quase sempre a uma funo de existente em certas organizaes e no tanto a uma formao especfica, uma vez que so raros oscursos superioresde engenharia de manuteno. Assim, a maioria dos engenheiros de manuteno tm umaformao superioremengenharia mecnica,engenharia industrial,engenharia eletromecnica,engenharia de telecomunicaesou outra engenharia especfica relacionada com a rea onde atua.Funes de um engenheiro de manuteno[editar|editar cdigo-fonte]Entre as funes tpicas de um engenheiro de manuteno incluem-se:1. Optimizar a estrutura da organizao de manuteno;2. Anlise das falhas repetitivas de equipamento;3. Estimativa dos custos de manuteno e avaliao de alternativas;4. Previso de necessidades de peas sobresselentes;5. Avaliao das necessidades em termos de renovao de equipamentos e estabelecimento de programas de renovao;6. Aplicao de princpios de agendamento e degesto de projetosaos programas de renovao de equipamentos;7. Avaliao das necessidades em termos de materiais e demo de obrapara uma manuteno eficaz;8. Avaliao das necessidades em termos de qualificao tcnica e profissional do pessoal de manuteno;9. Identificao e reporte dosriscos em termos de seguranaassociados manuteno.

Nossas equipes multidisciplinares oferecem servios de classe mundial, proporcionando significativas redues dos custos e melhorias nos resultados operacionais nas atividades de gerenciamento de manuteno ou de operao.Parcerias com os maiores grupos industriais do mundo nos credenciam a apoi-lo em seus projetos e no crescimento sustentado do seu negcio por meio de uma ampla gama de servios. Manuteno preventiva, preditiva e corretiva Paradas de manuteno e renovao Engenharia: - Estudos de engenharia - Auditorias de diagnstico de manuteno - Programas de reestruturao e melhoria contnua- Gesto da confiabilidade e disponibilidade operacional de ativos - Desenvolvimento de padres de treinamento - Qualificao e produtividade de equipes tcnicas - Procedimentos tcnico-operacionais Gesto global e/ou integrada Multitcnica ou por especialidade: - Eltrica e mecnica - Instrumentao - Calibrao, balanceamento, lubrificao - Servios de usinagem - Caldeiraria Servios extra-escopo (melhorias e renovao) Equipamento de produo: - Equipamentos rotativos, alternativos e estticos - Caldeiras, fornos e trocadores - Vlvulas - Motores, compressores e turbomquinas - Laminadores - Equipamentos especiais (auxiliares, elevao, secadores, correias, veculos...)Know-how e preciso a servio do clienteNosso modelo de gesto integra de forma eficiente os conceitos e ferramentas derivados das melhores prticas de manuteno e da experincia adquirida pelo GrupoVINCI em inumerveis contratos mantidos com as mais exigentes organizaes do mundo.Dessa forma, garantimos a aplicao do nosso know-how e do modelo de gesto para atender s mais altas expectativas de nossos clientes.

REAS DE ATUAO

Os profissionais formados estaro aptos a ocupar funes tanto no corpo tcnico das indstrias como em empresas do terceiro setor, na rea de gesto, implantao e operacionalizao de tecnologias de manuteno industrial.

Gesto Global da ManutenoGesto Global da Manuteno um servio de 360 que se caracteriza por uma viso geral de toda a estratgia de manuteno, em que a Comau se responsabiliza pelos ativos do cliente e elimina qualquer necessidade do cliente participar diretamente na gesto destes ativos. Esta Gesto Global da Manutenco pela Comau inclui:

Executar manuteno corretiva, preventiva e preditivaPlanejamento e programao dos servios de manutenoEngenharia de manutenoGesto da manuteno de peas de reposioGesto de lubrificantesSuporte manuteno autnomaGesto de competncias aplicadasGesto com agregao de valor

Com sua Gesto Global da Manuteno, a Comau busca assegurar a seus clientes o mais alto patamar de profissionalismo e de suporte nos processos de manuteno dos seus equipamentos.

Gerenciamento da ManutenoObjetivoFornecer aos participantes uma viso geral das responsabilidades de um gerente de manuteno dentro do cenrio de complexidades dos processos operacionais, equipamentos e compettividade das organizaes.Pblico-alvoGerentes, engenheiros, administradores e tcnicos responsveis pelas reas de manuteno, manufatura, industrial, operacional e de engenharia das empresas.Gerenciamento da ManutenoAgendaLocal: Belo HorizonteData: 24/03/2014 - 28/03/2014Horrio: 08h30 s 17h30Top of FormSolicite mais informaesBottom of FormPara obter mais informaes sobre os cursos entre em contato atravs do [email protected] pelo telefone (31) 3116.1000inRecommendDESCONTOS 30%at 04/03/2014BNUS20% do valor pago, que poder ser usado pela empresa em outros cursos de curta durao. Bnus e descontos no so cumulativos, prevalecendo o de maior valor.Programa 1 - Introduo 1.1 - O que est mudando? 1.2 - Porque das mudanas? 1.3 - Quais so as funes Bsicas da Manuteno? 1.4 - As atribuies da equipe de Manuteno 1.5 - Estratgias de Manuteno 1.6 - Manual de Organizao da Manuteno 1.7 - Controles Manuais e Informatizados 2 - As Perdas Industriais Evitveis e Seus Efeitos nos Custos de Produo 2.1 - Situao atual no Brasil 2.2 - Perdas Industriais 2.3 - Gastos com falhas de manuteno 2.4 - Causas fundamentais da falha 2.5 - Poltica adotada 3 - Atuao do Gerenciamento da Manuteno dentro do Cenrio de Competitividade das Organizaes 3.1 - Negociaes com a produo 3.2 - Indicadores de desempenho (KPIs) 3.3 - Gesto de Pessoas 3.4 - Execuo das Tarefas e da rotina do dia a dia 3.5 - Gesto de Grandes Paradas 4 - Atuao do Gerenciamento da Manuteno Dentro Do: 4.1 - Cenrio de Inovao Tecnolgica 4.2 - Aplicao dos 5 S, TPM, Manuteno Autnoma, RCM 4.3 - Estrutura Organizacional da Manuteno dentro Empresas

Gesto da Manuteno e de AtivosObjetivosPreparar profissionais para exercer o gerenciamento adequado das atividades de manuteno, as quais representam hoje um componente estratgico para qualquer empresa que no pode prescindir de uma boa conduo de seus ativos.Pblico-alvoEngenheiros e tecnlogosPr-requisitosGraduao em Engenharia ou Tecnologia. Anlise de currculo.ContedoFerramentas de produtividade para a manuteno produo:1. Produtividade na manuteno.2. Kaizen mudanas na produo.3. Housekeeping 5S.4. TPM manuteno da produtividade total.5. RCM manuteno centrada em confiabilidade.6. Terceirizao.7. Seis sigma.8. Organizao da manuteno.9. Execuo na manuteno.10. Controle da manuteno.Estratgias e gesto da manuteno:1. Planejamento estratgico.2. Gesto de energia.3. Gesto de meio ambiente.4. Gesto de higiene, segurana e sade do trabalho.5. Gesto da qualidade.6. Gesto da manuteno predial.7. Gesto de ativos.8. Planejamento da manuteno.9. Tomada de deciso.10. Anlise de problemas.Valorizando a manuteno:1. Informtica na manuteno.2. Manuteno preditiva.3. Poltica de manuteno.4. Responsabilidades legais na manuteno.5. Administrao de estoques de manuteno.6. Investimentos, despesas e custos de manuteno.7. Administrao de recursos humanos.8. Conhecimento humano na manuteno.9. Marketing e servios.10. Negociao.Trabalho de concluso do curso apoio: metodologia de pesquisa cientfica.

O que TPM

Fundamentos

TPM - Total Productive Maintenance (Manuteno Produtiva Total), significa a falha zero e quebra zero das mquinas, ao lado do defeito zero nos produtos e perda zero no processo.

O TPM o resultado do esforo de empresas japonesas em aprimorar a manuteno preventiva que nasceu nos Estados Unidos. Este trabalho iniciou-se por volta de 1950. Dez anos depois o Japo evoluiu para o sistema de manuteno da produo. Por volta de 1971, o TPM foi formatada no estilo japons atravs da cristalizao de tcnicas de manuteno preventiva, manuteno do sistema de produo, Preveno da Manuteno e engenharia de confiabilidade.

Aps a criao do prmio PM pelo JIPM - Japanese Institute of Plant Maintenance, rgo responsvel pela veiculao e implementao das atividades no Japo, o TPM ganhou grande importncia nas empresas como uma tcnica para busca de melhor eficcia no relacionamento homem-mquina. O primeiro prmio foi concedido justamente em 1971 uma empresa integrante do grupo Toyota (Nippon Denso Co. Ltd.).

H vrias tradues para o TPM, sendo as mais freqentes: Manuteno Produtiva Total; Manuteno Total da Produo; Melhoria da Produtividade Total; Manuteno da Produtividade Total.

A primeira traduo tem sido um dos grandes obstculos implantao do TPM, pois leva ao entendimento de que sua aplicao restrita s atividades de manuteno do estado fsico dos equipamentos. J h uma corrente norte-americana e europia que d a letra M , a denominao de Management, tornando o TPM uma filosofia de Gerenciamento da Produtividade Total.

O TPM tem as seguintes caractersticas: Um sistema que engloba todo o ciclo de vida til da mquina e do equipamento; Um sistema onde participam a engenharia, a produo e a manuteno; Um sistema que congrega a participao de todos os nveis hierrquicos da empresa; Processo motivacional na forma de trabalho em equipe.

A letraM, reflete uma alterao e ampliao do conceito de manuteno na ordem descrita abaixo:

Conceito primitivo:Manter consertar o que quebrou;

Conceito tradicional: Manter conservar o estado dos equipamentos como na condio de novo. Esta prtica no suficiente para aumentar a receita.

Conceito evoludo:Manter conservar o nvel mximo do volume de produo. Conquistado pela maior integrao entre as funes operao e manuteno. Esta prtica no suficiente para gerar lucro.

Conceito do TPM-Fase 1:Manter conservar o nvel mximo da produtividade (Receita/Custo). Ainda no suficiente para garantir supremacia sobre os concorrentes.

Conceito do TPM-fase 2:Manter conservar o ritmo das melhorias, das mudanas e das transformaes.

A letraT, que deriva da palavra total, apresenta os seguintes significados: Rendimento total das mquinas, proveniente da maximizao do rendimento operacional global; Sistema total, proveniente do enfoque global do envolvimento da engenharia, produo e manuteno; Abrangncia de todo o ciclo de vida dos equipamentos, desde o projeto conceitual at a sua desativao; Participao de todos.

As etapas a serem desenvolvidas na implementao de TPM compreendem atividades preparatrias, o lanamento e a execuo dos "cinco pilares bsicos" que obrigatoriamente suportam o programa. So eles:

I. Melhorias individuais (incorporao de melhorias especficas e individualizadas nas mquinas);

II. Manuteno Autnoma (estruturao para conduo da manuteno voluntria ou autnoma pelos operadores);

III. Manuteno Planejada (estruturao do rgo de manuteno);

IV. Educao e Treinamento (capacitao tcnica e busca de novas habilidades, tanto para os elementos da produo como para os de manuteno);

V. Preveno da Manuteno (estruturao para controle dos equipamentos desde o projeto conceitual).

Com o objetivo de ampliar o TPM para todos os departamentos e transform-lo numa filosofia gerencial, a partir de 1989 foram adicionados mais trs pilares:

VI. Manuteno da Qualidade (abordagem do gerenciamento dos equipamentos para garantir a qualidade intrnseca do produto e reduzir custos com retrabalho/reprocessamento).VII. Melhorias Administrativas (introduo de ataque s perdas nas reas de apoio)VIII. Segurana, Sade e Meio-Ambiente (abordagem dos impactos do processo produtivo na sade e segurana das pessoas e no meio ambiente da vizinhana da planta/fbrica).

O TPM rompe a tradio quanto ao tratamento dado mquina ou equipamento, atravs de uma mudana de postura dos trs rgos relacionados:

1. Produo : Os operadores passam a ser co-responsveis pelas atividades de manuteno mais simples (inspeo usando os sentidos, reapertos, ajustes, limpeza e lubrificao).

2. Manuteno: responsvel pelo treinamento dos operadores nas atividades mais simples de manuteno, e continua responsvel por tarefas mais complexas, procurando manter a confiabilidade do equipamento.

3. Engenharia: Passa a ser alimentada mais eficazmente pela manuteno e produo, sobre os problemas provocados por deficincia no projeto do equipamento, possibilitando uma atuao direta no projeto ou aquisio de novos equipamentos, ou desenvolvendo mudanas no prprio equipamento existente.

Perdas atacadas pelo TPM

TPM visa a maximizao da performance operacional dos equipamentos e do processo como um todo.

Para alcanar-se este objetivo, deve-se eliminar ou reduzir as perdas que acarretam um desempenho negativo aos equipamentos. Estas perdas so classificadas em 16 tipos agrupadas didaticamente da seguinte forma:

As Perdas que influenciam a Eficincia dos Equipamentos: Manuteno Programada Defeito/Falha do Equipamento Ajustes do Equipamento Troca de Ferramental/Gabaritos Pequenas Paradas e Ociosidade Reduo do Desempenho Correo de Defeitos Defeito no incio de Funcionamento

As Perdas que influenciam a Eficincia das Pessoas Falhas Administrativas (espera por instrues e por materiais) Falhas Operacionais Desorganizao da Linha de Produo Falhas da Logstica Medies e Ajustes Excessivos

As Perdas que influenciam a Eficincia da Utilizao de Materiais e Energia Desperdcio de Energia Perdas de materiais (defeito, acionamento inicial, cortes, peso, excessos) Matrizes, Ferramentas e gabaritos

Analisando apenas as perdas operacionais, ou seja, aquelas que esto ligadas diretamente operao dos equipamentos, estas perdas variam entre produo seriada e produo contnua.

Para a produo seriada h "seis grandes perdas": Perda por Parada:

1- Perda por parada acidental2- Perda durante a mudana de linha Perda por Baixo Rendimento:

3- Pequenas Paradas/ Operao em vazio4- Queda de velocidade de produo Perdas por Defeitos:

5- Defeito no processo6- Defeito no incio do processo

Para a produo contnua h oito grandes perdas Perda por parada Programada:

1- Perda por Parada de manuteno2- Perda por ajuste de produo Perdas por Paradas Acidentais

3- Falha do Equipamento4- Falha do Processo Perdas por Baixo Rendimento

5- Perda Normal de produo6- Perda Anormal de produo Perdas por defeitos

7- Produtos defeituosos8- Reprocessamento

Benefcios do TPM

O TPM busca a falha zero e quebra zero das mquinas, ao lado do defeito zero nos produtos e perda zero no processo. Isto representa um incremento da produtividade e, por conseqncia, uma maior competitividade para a empresa.

Os objetivos do TPM podem ser classificados de acordo com seguintes itens de controle abaixo:

QUALIDADEReduo do nvel de produtos defeituososReduo do nmero de reclamaes internas e externas

PRODUTIVIDADEAumento do volume de produo por operadoresAumento da disponibilidade operacional das mquinasReduo de paradas acidentais das mquinas

CUSTOEconomia de EnergiaReduo do custo de manuteno ao longo do tempoSimplificao do processo (reduo de etapas)Reduo do volume estocado

ATENDIMENTOAumento do cumprimento do prazo

MORALAumento do nmero de sugestesReduo do absentesmoReduo/eliminao dos acidentes de trabalho

MEIO-AMBIENTEReduo/Eliminao da poluio e de gastos com tratamento de rejeitos

inShare3OTPMconsiste em um programa ou Metodologia que tem por objetivo a Maximizao do Rendimento Operacional, contando para isso, com a participao direta de Operadores e Manutentores qualificados.Busca a falha zero e quebra zero dos equipamentos, associado ao defeito zero nos produtos e perda zero noprocesso, atuando diretamente no lucro da Empresa medida que melhora a produtividade e conseqentemente adquire maior competitividade.TPM depende da capacidade para conhecer perfeita e continuamente o funcionamento e o estado do equipamento para prevenir e evitar falhas.

Pilares da TPM1 Pilar: Segurana, Higiene e Manuteno AutonomaO principal objetivo desse pilar acidente zero, alm de proporcionar um sistema que garanta a preservao da sade e bem estar dos funcionrios e do meio ambiente.2 Pilar: TPM AdministrativoO principal objetivo desse pilar eliminar desperdcio de perdas geradas pelo trabalho de escritrio, necessrio que todas as atividades organizacionais sejam eficientes.Reduzir os processos burocrticos tendo por objetivo agilizar as atividades de reposio de peas o foco deste pilar.3 Pilar: Controle InicialConsolida toda sistemtica para levantamento das inconvenincias, imperfeies e incorporaes de melhorias, mesmo em mquinas novas e atravs dos conhecimentos adquiridos, tornando-se apto a elaborar novos projetos onde vigorem os conceitos PM ( Preveno da Manuteno), o que resultar em mquinas com quebra zero.Neste pilar importante implementar, manter e agir com a manuteno preditiva monitorando as mquinas com o intuito de haver o mximo de disponibilidade. Normalmente na industria brasileira os ndices variam entre 94% e 98%. No Japo, Europa e EUA o ndice bem prximo aos 100%.4 Pilar:Manuteno da QualidadeDestinado a definir condies do equipamento que excluam defeitos de qualidade, com base no conceito de manuteno do equipamento em perfeitas condies para que possa ser mantida a perfeita qualidade dos produtos processados a parte onde h a maior mudana de cultura da empresa. Os problemas de qualidade que as mquinas podem causar so extintos e h um divisor de guas nas empresas que adotam esta sistemtica. No mais aceitvel deixar os equipamentos com problemas que interferem na qualidade do produto.5 Pilar: Educao e TreinamentoTem como objetivo desenvolver novas habilidades e conhecimentos para o pessoal da manuteno e da produo. a parte onde a empresa precisa investir na qualificao no apenas da manutenao, mas da rea operacional para evitar que os operadores mexam nas mquinas sem conhecer qual problema aquela gambiarra pode resultar.Aumentar as habilidades dos Operadores e Manutentores, para atingir um grau elevado de CONFIANA para executar seu trabalho, motivao, participao, orgulho profissional e conseqentemente a Maximizao do Rendimento Operacional.A delegao a base da Educao, as pessoas tem que aceitar o treinamento e desejar serem treinadas.Participao a palavra-chave para despertar o desejo de ser treinado, os treinamentos das tarefas decorre dos procedimentos operacionais, so a descrio do trabalho a ser executado em cada tarefa e destes decorrem os manuais de treinamento na tarefa ( desenhos, fotos, videos, filmes), todo treinamento deve ser acompanhado da aplicao prtica dos conhecimentos e habilidades adquiridos, sempre que possvel, devem-se utilizar instrumentos internos.6 Pilar: Melhorias especficasAtividade que serve para erradicar de forma concreta as oito grandes perdas que reduzem a eficincia do equipamento. Atravs da eliminao destas perdas, melhora-se a eficincia global do equipamento.As oito grandes perdas colocamos em outro post sobre a melhoria focada.As quantidades a ser produzidas devem ser determinadas unicamente pelo nmero de pedidos, os processos de mais baixa capacidade podem produzir a quantidade requerida, a operao de processo de maior capacidade mantida no mesmo nvel do processo de baixa capacidade.Se a capacidade de processamento mais baixa (GARGALO ), insuficiente para produzir a quantidade necessria, ela deve ser melhorada..Cada processo deve ser operado Eficincia Mxima, afirmando que o balanceamento entre as capacidades do processo para eliminar acmulo entre estgios a abordagem mais EFICIENTE de TODAS.As grandes perdas da manuteno so :Quebra Espordicas ou CrnicasDevido a Ajustes, Preparao e RegulagensPequenas paradas, trabalho lento ou em vazioInstabilidade no inicio da OperaoReduo de Ritmo ou CapacidadeProblemas de Qualidade

7 Pilar: Manuteno PlanejadaConscientizao das perdas decorrentes das falhas de equipamentos e as mudanas de mentalidade das divises de produo e manuteno, minimizando as falhas e defeitos com o mnimo custo.Estrutura a manuteno da Empresa, a fim de conduzir intervenes planejadas, gerenciamento de manuteno e eliminao das paradas imprevistas.Um dos fatores que contribuiem para excessivos tempos de parada e a baixa CONFIABILIDADE do setor de Manuteno, a aceitao pela equipe, incluindo a chefia, da necessidade de improvisar porque peas de reposio e ferramentas especiais raramente esto disponveis ou ento porque o setor de produo no d o tempo necessrio que o servio exige.8 Pilar: Manuteno AutnomaMelhoria da eficincia dos equipamentos, desenvolvendo a capacidade dos operadores para a execuo de pequenos reparos e inspees, mantendo o processo de acordo com padres estabelecidos, antecipando-se aos problemas potenciais. uma das partes mais visveis do TPM, onde o impacto visual e as mudanas no ambiente de trabalho so percebidas com o aumento do COMPROMETIMENTO dos operadores e manutentores.O objetivo evitar desgastes acentuado do equipamento atravs de uma operao correta e inspeo diria e determinar Programa de Treinamento para Operadores aprenderem mais sobre as funes de seus equipamentos e preparar Operadores para serem parceiros ativos da Manuteno e Engenharia em busca de uma melhora contnua do Rendimento e Confiabilidade de seu equipamento.Etapas da Implantao do TPM:Etapa 0: Preparao: Aplica-se conceito dos 5SEtapa 1: Limpeza e inspeo: Entender as mquinasEtapa 2: Medidas contra fontes de sujeira e locais difceis: Investigar a FundoEtapa 3: Elaborar padro de limpeza/ inspeo/ lubrificao: Controle InicialEtapa 4: Inspeo geral: Manuteno da QualidadeEtapa 5: Inspeo autnoma: Educao e TreinamentoEtapa 6: Padronizao: Melhorias especficasEtapa 7: Efetivao do controle autnomo.Etapas de 0 a 3 reduzir o tempo entre quebras atravs de: satisfao das condies bsicas do equipamento, cumprimento das condies de uso, restaurao das deterioraes, melhorias de pontos deficientes e elevao das habilidades dos operadores.