Marjorie do Val Ietsugu - ibb.unesp.br .Ietsugu, Marjorie do Val. Distribuição intragástrica de

download Marjorie do Val Ietsugu - ibb.unesp.br .Ietsugu, Marjorie do Val. Distribuição intragástrica de

of 81

  • date post

    01-Dec-2018
  • Category

    Documents

  • view

    217
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Marjorie do Val Ietsugu - ibb.unesp.br .Ietsugu, Marjorie do Val. Distribuição intragástrica de

  • Marjorie do Val Ietsugu

    Botucatu 2008

    Distribuio intragstrica de refeies com 60 ml e 180 ml: trs segmentaes

    proximal-distal empregando a cintilografia

  • Marjorie do Val Ietsugu

    Disser tao apresentada ao Institutode Biocincias, Cmpus de Botucatu,UNESP, para obteno do ttulo de

    Orientador: Prof. Adj. Jos Ricardo de Arruda Miranda

    Botucatu 2008

    Distribuio intragstrica de refeies com 60 ml e 180 ml: trs segmentaes

    proximal-distal empregando a cintilografia

    Mestre no programa de PG em Biologia Geral e Aplicada

  • FICHA CATALOGRFICA ELABORADA PELA SEO TCNICA DE AQUISIO E TRATAMENTO

    DA INFORMAO

    DIVISO TCNICA DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAO - CAMPUS DE BOTUCATU - UNESP

    BIBLIOTECRIA RESPONSVEL: SELMA MARIA DE JESUS

    Ietsugu, Marjorie do Val.

    Distribuio intragstrica de refeies com 60 ml e 180 ml: trs

    segmentaes proximal-distal empregando a cintilografia/ Marjorie do Val

    Ietsugu. Botucatu : [s.n.], 2008.

    Dissertao (mestrado) Universidade Estadual Paulista, Instituto de

    Biocincias de Botucatu, 2008

    Orientador: Jos Ricardo de Arruda Miranda

    Assunto CAPES: 21000000

    1. Gastroenterologia 2. Sistema gastrointestinal Motilidade

    CDD 615.1

    Palavras-chave: Distribuio intragstrica; Estmago; Cintilografia.

  • ...Abelha fazendo mel

    Vale o tempo que no voou...

    ...sim, todo o amor sagrado

    E o fruto do trabalho

    mais que sagrado, meu amor

    A massa que faz o po

    Vale a luz do teu suor

    Lembra que o sono sagrado

    E alimenta de horizontes

    O tempo acordado de viver...

    (Beto Guedes Ronaldo Bastos)

  • A gratido o corao da memria.

    ditado francs

    AGRADECIMENTOS

  • Minha gratido a Deus pela fora e coragem a mim destinadas.

    Reze como se tudo dependesse de Deus e trabalhe como se tudo dependesse de voc.

    (Cardeal Shellman)

    Ao papai Massatoshi e mame Maria Ins que sempre acreditaram em mim,

    nunca medindo esforos para que eu pudesse estudar. Meu eterno agradecimento pelo

    exemplo de vida e de f.

    A coisa mais importante que os pais podem ensinar a suas crianas como ir em frente

    sem eles. (Frank A. Clark)

    Ao meu amor Leandro pelo seu companheirismo e compreenso durante essa

    jornada. Voc foi e sempre ser a minha panacia...

    Amar no olhar um para o outro, olhar juntos na mesma direo.

    (Antoine de Saint-Exupry)

    Ao meu orientador Prof. Dr. Jos Ricardo de Arruda Miranda pelas suas sbias

    instrues e conselhos. Minha sincera gratido por aceitar orientar-me mesmo sabendo das

    minhas limitaes de tempo.

    A simplicidade o ltimo degrau da sabedoria. (Kalil Gibran)

    minha amiga e suporte Dra. Madileine Francely Amrico pela sua ajuda

    incondicional. Sem voc eu no conseguiria finalizar essa etapa de minha vida. Minha

    eterna gratido e imensa admirao!

    Ter um amigo no coisa de que todos podem gabar-se. (Antoine de Saint-Exupry)

  • minha amiga Dra. Luciana Aparecida Cor pela constante ajuda, alegria,

    disposio e o melhor caf! Minha gratido!

    A prova mais clara de sabedoria uma alegria constante. (Michel de Montaigne)

    Dra. Beatriz Lotufo Griva, responsvel pelo Setor Tcnico de Medicina

    Nuclear do Hospital das Clnicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HC-FMB-

    UNESP), pela oportunidade, permitindo a utilizao das instalaes e dos equipamentos do

    setor para a perfeita execuo dessa pesquisa. Rachel Starling Assad de Camargo,

    supervisora do setor, que flexibilizou meus horrios de servio, tornando possvel a

    realizao desse projeto. Meu sincero agradecimento!

    Nada to poderoso no mundo como uma idia cuja oportunidade chegou.

    (Victor Hugo)

    Aos meus amigos do Laboratrio de Biomagnetismo do Instituto de

    Biocincias de Botucatu (IBB-UNESP) e, em especial, ao Murilo Stelzer, Uilian de

    Andreis, Paulo Roberto Fonseca Filho, Giovana Sousa Evangelista, Fabiano Carlos Paixo,

    Marcelo Rodrigues Agostinho, Fernando Gomes Romeiro e Ednaldo Alexandre Zandona

    que nunca me negaram ajuda, fazendo-me sempre sorrir. Meu reconhecimento!

    Sem amigos ningum escolheria viver, mesmo que tivesse todos os outros bens.

    (Aristteles)

  • Aos meus irmos Marian e Matheus que, apesar de estarem fisicamente

    distantes, sempre estiveram presentes em minha vida atravs das lembranas de famlia e

    da saudade. Meu eterno amor!

    Raros so os homens dotados de bastante carter para se regozijarem com os sucessos

    de um amigo sem uma sombra de inveja. (squilo)

    Agradeo aos meus amigos da nuclear pelo apoio e, em especial, Cinira

    Nogueira, Luciana Rodrigues, Irene Pimentel, Luzia Oliveira, Tatiana Biazon e Ana Paula

    Fernandes pela constante alegria e bate-papo. Sou grata, ainda, ao Ermnio Tor Jnior,

    Ulisses Colombo e Marcos Silva pelas trocas de horrio, ajudando-me imensamente.

    Obrigada!

    ... impossvel ser feliz sozinho (Tom Jobim)

    E por fim, mas no menos importante, agradeo a todos os voluntrios desse

    projeto pela disponibilidade e pacincia. Sem vocs esse trabalho no seria possvel. Muito

    obrigada!

    H coisas que nunca se podero explicar por palavras. (Jos Saramago)

  • LISTA DE FIGURAS

    Figura 1 Imagem cintilogrfica com os dois marcadores externos de 99m

    Tc.............23

    Figura 2 Imagens cintilogrficas das variaes no formato do estmago..................30

    Figura 3 Representao esquemtica das variaes no formato do estmago...........30

    Figura 4 Segmentaes do estmago de um indivduo astnico - 60 ml....................31

    Figura 5 Segmentaes do estmago de um indivduo astnico 180 ml..................32

    Figura 6 Segmentaes do estmago de um indivduo hiperestnico 60 ml...........33

    Figura 7 Segmentaes do estmago de um indivduo hiperestnico 180 ml.........34

    Figura 8 Perfil da DIR (60 ml) - segmentao pela chegada......................................36

    Figura 9 Perfil da DIR (180 ml) - segmentao pela chegada....................................36

    Figura 10 Perfil da DIR (60 ml) - segmentao pela metade........................................37

    Figura 11 Perfil da DIR (180 ml) - segmentao pela metade......................................37

    Figura 12 Perfil da DIR (60 ml) - segmentao pela incisura.......................................38

    Figura 13 Perfil da DIR (180 ml) - segmentao pela incisura.....................................38

    Figura 14 Perfil de reteno proximal - segmentao pela chegada.............................39

    Figura 15 Perfil de reteno distal - segmentao pela chegada...................................39

    Figura 16 Perfil de reteno proximal - segmentao pela metade...............................40

    Figura 17 Perfil de reteno distal - segmentao pela metade....................................40

    Figura 18 Perfil de reteno proximal - segmentao pela incisura.............................41

    Figura 19 Perfil de reteno distal - segmentao pela incisura...................................41

    Figura 20 Perfil do sinal e anlise espectral - segmentao pela chegada....................48

    Figura 21 Perfil do sinal e anlise espectral - segmentao pela metade......................50

    Figura 22 Perfil do sinal e anlise espectral - segmentao pela incisura.....................52

  • Figura 23 Distribuio de picos contrcteis com funo gaussiana sobreposta ...........53

    Figura 24 Perfil do sinal e anlise espectral indivduos com IMC maior que 29,7 ..54

    LISTA DE TABELAS

    Tabela 1 rea sob a curva (AUC) mdia calculada para as trs segmentaes

    gstricas comparando-se as duas refeies ingeridas...........................................................42

    Tabela 2 Razo entre a AUC mdia proximal e a AUC mdia distal calculada para as

    trs segmentaes gstricas comparando-se as duas refeies ingeridas.............................42

    Tabela 3 Mdia obtida para o esvaziamento gstrico total (%) e lag phase (min)

    comparando-se as duas refeies ingeridas..........................................................................43

    Tabela 4 Efeito do volume na reteno gstrica total e regional - segmentao pela

    chegada.................................................................................................................................43

    Tabela 5 Efeito do volume na reteno gstrica total e regional - segmentao pela

    metade..................................................................................................................................44

    Tabela 6 Efeito do volume na reteno gstrica total e regional - segmentao pela

    incisura.................................................................................................................................45

    Tabela 7 Efeito do volume no esvaziamento gstrico regional comparando-se as trs

    segmentaes gstricas.........................................................................................................45

    Tabela 8 Tempo de acomodao distal mdio comparando-se as duas refeies

    ingeridas...............................................................................................................................46

    Tabela 9 Tempo de distribuio intragstrica caracterizado pelo momento estatstico

    mdio............................