MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL …concurso.ufrpe.br/sites/ · Política Nacional do...

of 30 /30
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE SERRA TALHADA PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO Departamento OU Unidade Acadêmica Área/Matéria(s) Vagas Regime de Trabalho Perfil do Candidato Serra Talhada Direito 01 20h Bacharelado em Direito PROGRAMA 1. Noção de Direito. Ética, moral e Direito. Normas jurídicas. Fontes gerais do Direito. Direito natural e positivo. Direito privado e público. Direito objetivo e subjetivo. 2. Personalidade Jurídica e capacidade de exercício. Obrigações. Contratos. Responsabilidade Civil. 3. Democracia: formação histórica e seus principais tipos. Estado: construção histórica, elementos, formas de governo, organização política e administrativa, regimes políticos e sistemas de governo. Estado Democrático de Direito no Brasil. 4. Direito Constitucional. Neoconstitucionalismo. Transconstitucionalismo. Princípios Democráticos Constitucionais e Fundamentos da República Federativa do Brasil. Dignidade da Pessoa Humana, Identidade e Diversidade. Direitos Humanos. 5. Direito Administrativo: história, fundamentos e princípios. Administração Pública. Regime Jurídico-Administrativo. Organização Administrativa. Órgãos Administrativos. 6. Poderes Administrativos. Atos administrativos. Licitação. Contratos Administrativos. Controle da atividade da Administração Pública. 7. Serviço Público. Agentes administrativos (funcionários e não funcionários). Processo disciplinar. Improbidade administrativa. 8. Direito do Trabalho: história, fundamentos e princípios. Relações de trabalho. Relação de emprego. Contrato de Trabalho. Cláusulas sociais trabalhistas constantes da Constituição Federal. 9. Direito Agrário: história, conceito, fundamentos, princípios e transdisciplinaridade. Estrutura Fundiária. Função Social da Propriedade. Contratos Agrários: parceria e arrendamento rural. 10. Direito Ambiental: história, conceito, fundamentos, princípios e transdisciplinaridade. Desenvolvimento Sustentável e conservação dos recursos naturais. Constituição Federal e Política Nacional do Meio Ambiente. BIBLIOGRAFIA SUGERIDA AZAMBUJA, Darcy. Introdução à ciência política. Porto Alegre: Globo, 2005.

Embed Size (px)

Transcript of MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL …concurso.ufrpe.br/sites/ · Política Nacional do...

  • MINISTRIO DA EDUCAO

    UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

    UNIDADE ACADMICA DE SERRA TALHADA

    PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO

    Departamento

    OU Unidade

    Acadmica

    rea/Matria(s) Vagas Regime de

    Trabalho

    Perfil do Candidato

    Serra Talhada Direito 01 20h Bacharelado em

    Direito

    PROGRAMA

    1. Noo de Direito. tica, moral e Direito. Normas jurdicas. Fontes gerais do Direito.

    Direito natural e positivo. Direito privado e pblico. Direito objetivo e subjetivo.

    2. Personalidade Jurdica e capacidade de exerccio. Obrigaes. Contratos.

    Responsabilidade Civil.

    3. Democracia: formao histrica e seus principais tipos. Estado: construo histrica,

    elementos, formas de governo, organizao poltica e administrativa, regimes polticos e

    sistemas de governo. Estado Democrtico de Direito no Brasil.

    4. Direito Constitucional. Neoconstitucionalismo. Transconstitucionalismo. Princpios

    Democrticos Constitucionais e Fundamentos da Repblica Federativa do Brasil.

    Dignidade da Pessoa Humana, Identidade e Diversidade. Direitos Humanos.

    5. Direito Administrativo: histria, fundamentos e princpios. Administrao Pblica.

    Regime Jurdico-Administrativo. Organizao Administrativa. rgos Administrativos.

    6. Poderes Administrativos. Atos administrativos. Licitao. Contratos Administrativos.

    Controle da atividade da Administrao Pblica.

    7. Servio Pblico. Agentes administrativos (funcionrios e no funcionrios). Processo

    disciplinar. Improbidade administrativa.

    8. Direito do Trabalho: histria, fundamentos e princpios. Relaes de trabalho. Relao

    de emprego. Contrato de Trabalho. Clusulas sociais trabalhistas constantes da

    Constituio Federal.

    9. Direito Agrrio: histria, conceito, fundamentos, princpios e transdisciplinaridade.

    Estrutura Fundiria. Funo Social da Propriedade. Contratos Agrrios: parceria e

    arrendamento rural.

    10. Direito Ambiental: histria, conceito, fundamentos, princpios e transdisciplinaridade.

    Desenvolvimento Sustentvel e conservao dos recursos naturais. Constituio Federal e

    Poltica Nacional do Meio Ambiente.

    BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

    AZAMBUJA, Darcy. Introduo cincia poltica. Porto Alegre: Globo, 2005.

  • BARROSO, Lucas Abreu; MANIGLIA, Elisabete; MIRANDA, Alcir Gursen de (Orgs.).

    A lei agrria nova: biblioteca cientfica de direito agrrio, agroambiental,

    agroalimentar e do agronegcio. Curitiba: Juru, 2012.

    COMPARATO, Fbio K. A afirmao histrica dos direitos humanos. So Paulo:

    Saraiva, 2007.

    CUNHA, Belinda (org.). Temas fundamentais de direito e sustentabilidade

    socioambiental. Manaus: SEC, 2012.

    DALLARI, Dalmo de Abreu. Elementos de teoria geral do estado. So Paulo: Saraiva,

    2009.

    DELGADO, M. G.; DELGADO, G. N. Constituio da Repblica e direitos

    fundamentais: dignidade da pessoa humana, direitos fundamentais e justia social.

    So Paulo: LTR, 2012.

    DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito Administrativo. So Paulo: Atlas, 2009

    FERREIRA, Pinto. Curso de Direito Agrrio. So Paulo: Saraiva, 2002.

    FUHRER, Maximiliano Claudio Amrico; MILAR, dis. Manual de Direito Pblico e

    Privado. So Paulo: Editora revista dos Tribunais, 2003.

    HIRONAKA, Giselda Maria Fernandes Novaes. Direito Civil: estudos. Belo Horizonte:

    Del Rey, 2000.

    LEITE, Glauber Salomo; FERRAZ, Carolina Valena (coord.). Direito Diversidade.

    So Paulo: Editora Atlas S/A, 2015.

    MARQUES, Benedito. F. Direito Agrrio Brasileiro. So Paulo: Editora Atlas S/A, 2009.

    MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. So Paulo: Malheiros,

    2002.

    MELLO, Celso Antnio Bandeira. Curso de direito administrativo. So Paulo:

    Malheiros, 2009.

    NADER, Paulo. Introduo ao estudo do Direito. Rio de Janeiro: Forense, 2013.

    OPTIZ, O.; OPTIZ, S. Curso completo de direito agrrio. So Paulo: Saraiva, 2009.

    POOLE, Hilary et al. (orgs). Direitos humanos: referncias essenciais. So Paulo:

    EDUSP/NEV, 2007.

    REALE, Miguel. Lies Preliminares de Direito. So Paulo: Ed. Saraiva, 2000.

    SARLET, Ingo Wolfgang. (org.). Estado socioambiental e direitos fundamentais. Porto

    Alegre: Livraria dos advogados, 2010.

    VENOSA, Slvio de Salvo. Direito Civil: Parte Geral. So Paulo: Atlas, 2005.

    Atualizado em 19/04/18 s 15h24

  • MINISTRIO DA EDUCAO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

    DEPARTAMENTO DE EDUCAO SELEO PBLICA SIMPLIFICADA PARA PROFESSOR SUBSTITUTO

    REA II MTODOS E TCNICAS DE ENSINO

    rea / Matria: Didtica; Didtica da Linguagem; Estgios Supervisionados Obrigatrios em Letras. 01 vaga 40h Perfil do(a) Candidato(a): Graduado(a) em Licenciatura em Letras.

    LISTA DOS PONTOS:

    1. A Didtica no Contexto das Cincias da Educao: Sua contribuio na formao do

    professor.

    2. O Processo Ensino-Aprendizagem: A Prtica Pedaggica e os pressupostos tericos

    metodolgicos que apoiam.

    3. A relao professor-aluno e suas implicaes no ensino-aprendizagem.

    4. O Currculo escolar e a prtica pedaggica; em busca da interdisciplinaridade no

    cotidiano da sala de aula.

    5. Planejamento de Ensino: Conceito / etapas caractersticas / necessidades.

    6. Avaliao escolar.

    7. Relao do Sistema Educacional em suas dimenses macro e micro polticas (Plano

    Decenal de Educao, PPP, PDE e PG).

    8. Diagnose escolar.

    9. Situao problema.

    10. Projeto de interveno.

    BIBLIOGRAFIA

    ABREU, M. C.; MASETO, M. T. O Professor Universitrio em Sala de Aula. 5. ed. So

    Paulo: Editores Associados, 1993.

    ALVES, R. Estrias de quem Gostam de Ensinar. Cortez: Autores Associados, 2001.

    ALVITE, M. M. C. Didtica e Psicologia. So Paulo: Loyola, 1987.

    BORDENAVE, J. D. Estratgias de Ensino Aprendizagem. Petrpolis, Vozes, 2010.

    CANDAU, V. M. A Didtica em Questo. Petrpolis, Vozes, 2011.

  • _________________. Rumo a uma Nova Didtica. Petrpolis: Vozes, 2010.

    LIBNEO, J. C. Organizao e gesto da escola: teoria e prtica. 3.ed. Goinia:

    Alternativa, 2001.

    LIMA, M. S. L. [et al]. A hora da prtica: reflexes sobre o estgio supervisionado e a

    ao docente. 4. ed. Fortaleza: Demcrito Rocha, 2004.

    PIMENTA, S.G.; LIMA, M.S.L. Estgio e docncia. So Paulo: Cortez, 2011.

    VEIGA, I. P. A. Projeto Poltico-Pedaggico da Escola: Uma Construo Possvel.

    Campinas, So Paulo: Papirus, 2015.

  • MINISTRIO DA EDUCAO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

    DEPARTAMENTO DE EDUCAO SELEO PBLICA SIMPLIFICADA PARA PROFESSOR SUBSTITUTO

    REA II MTODOS E TCNICAS DE ENSINO

    rea / Matria: Didtica; Estgios Supervisionados Obrigatrios em Biologia; Ensino de Cincias na Prtica Pedaggica; Metodologia do Ensino de Cincias. 01 vaga Perfil do(a) Candidato(a): Graduado(a) em Licenciatura Cincias Biolgicas.

    Lista dos Pontos

    No Temas 1 O papel da experimentao NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DE BIOLOGIA ; 2 CONHECIMENTO CIENTFICO E DO SENSO COMUM NO ENSINO DE BIOLOGIA; 3 A INTERDISCIPLINARIDADE NO CURRCULO ESCOLAR DE BIOLOGIA E NA PRTICA

    PEDAGGICA; 4 CRITRIOS PARA A ESCOLHA DO LIVRO DIDTICO DE BIOLOGIA; 5 AS DIFERENTES ESTRATGIAS DIDTICAS NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DE

    BIOLOGIA; 6 OS RECURSOS DIDTICOS NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DE BIOLOGIA; 7 A RELAO PROFESSOR-ALUNO NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DE BIOLOGIA; 8 PRODEDIMENTOS AVALIATIVOS NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM EM BIOLOGIA 9 O PLANEJAMENTO NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DE BIOLOGIA; 10 SABERES DOCENTES MOBILIZADOS NA PRTICA PEDAGGICA EM BIOLOGIA;

    BIBLIOGRAFIA RECOMENDADA ANDR, M. E. D. A. (Org.). O papel da pesquisa na formao e na prtica dos professores. Srie Prtica Pedaggica. 12. ed. Campinas, SP: Papirus, 2011. ARAJO, E. S. N.; CALUZI, J. J.; CALDEIRA, A. M. N. (Orgs). Prticas integradas para o ensino de Biologia. So Paulo: Escrituras, 2008. Bispo Filho D. O. et al. Alfabetizao cientfica sob o enfoque da cincia, tecnologia e sociedade: implicaes para a formao inicial e continuada de professores. In: Revista Electrnica de Enseanza de las Ciencias, v. 12, n. 2, 313-333, 2013. Disponvel em: http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen12/reec_12_2_5_ex649.pdf BRASIL. Resoluo CEB n 2, de 30 de janeiro de 2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais de Ensino Mdio. Disponvel em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&id=12992

    http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen12/reec_12_2_5_ex649.pdfhttp://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&id=12992
  • BRASIL. Orientaes Curriculares Nacionais para o Ensino Mdio. Cincias da natureza, matemtica e suas tecnologias. Braslia, Ministrio da Educao, SEB, 2006. Disponvel em: http://portal.mec.gov.br/index.php?Itemid=859&id=13558&option=com_content&view=article CACHAPUZ, A. [et al]. (org) A necessria renovao do ensino das cincias. So Paulo: Cortez. 2005. CARNEIRO, M. C. Histria e filosofia das cincias e o ensino das cincias. So Paulo: Cultura Acadmica, 2011. CHARLOT, B. Da relao com o saber. Elementos de uma teoria. Porto Alegre: Artes Mdicas, 2000. CARVALHO, A. M. P.(Org). Ensino de Cincias: unindo a pesquisa e a prtica. So Paulo: Pioneira/Thomson, 2004. CARVALHO, A. M. P.; CACHAPUZ, A. F.; GIL-PREZ, D. O ensino das cincias como compromisso cientfico e social. So Paulo: Cortez, 2012.

    DELIZOICOV, D., ANGOTTI, J.D., PERNAMBUCO, M.M. Ensino de Cincias: fundamentos e mtodos. So Paulo: Cortez, 2002. FERNANDES,D. Avaliar para aprender: fundamentos, prticas e polticas. So Paulo: UNESP, 2009. FRACALANZA, H.; MEGID NETO, J. (Orgs.). O livro didtico de cincias no Brasil. Campinas: Komedi, 2006. GANDIN, D. Temas para um projeto poltico-pedaggico. Rio de Janeiro: Vozes, 2003. HOFFMANN, J. Avaliao mediadora: uma prtica em construo da pr-escolar universidade. Porte Alegre: Mediao, 2001. JANTSCH, A. P.; BIANCHETTI, L. (Orgs). Interdisciplinaridade: para alm da filosofia do sujeito. 9. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2011.

    KRASILCHIK, M. Prtica de ensino de biologia. So Paulo: USP, 2008. KRASILCHIK, M.; MARANDINO,M. Ensino de cincias e cidadania. 2. ed. So Paulo: Moderna, 2007. LIBNEO, J. C Didtica. So Paulo: Cortez, 1994. LUCKESI, C. C. Avaliao da aprendizagem escolar. So Paulo: Cortez, 2005. MARANDINO, M.; SELLES, S. E.; FERREIRA, M. S. Ensino de biologia: histrias e prticas em diferentes espaos educativos. So Paulo: Cortez, 2009. MARQUES, M. O. Educao nas cincias: interlocuo e complementaridade. Iju: Uniju, 2002. MELO, C. T.; BARROS, A. M. Formao de professores e processos de ensino e aprendizagem. Recife: Editora Universitria da UFPE, 2011.

    http://portal.mec.gov.br/index.php?Itemid=859&id=13558&option=com_content&view=articlehttp://portal.mec.gov.br/index.php?Itemid=859&id=13558&option=com_content&view=article
  • MORAES, M. C.; NAVAS, J. M. B. (Org.). Complexidade e transdisciplinaridade em educao: teoria e prtica docente. Rio de Janeiro: Wak, 2010. MORAES, R.; MANCUSO, R. (Orgs). Educao em cincias: produo de currculos e formao de professores. 2. ed. Iju: Uniju, 2006. PETRUCCI, M. I. (Org.). Formar: encontros e trajetrias com professores de Cincias. So Paulo: Escrituras, 2005. TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formao profissional. Petrpolis: Vozes, 2002. VASCONCELOS, D. C.; ARAJO, M. L. F. A.; FRANA, T. L. O livro didtico de biologia na apreenso do mundo da vida. In: Revista Didtica Sistmica, v. 10, p. 115-131, 2009. Disponvel em: http://www.seer.furg.br/redsis/article/view/1417/632

    http://www.seer.furg.br/redsis/article/view/1417/632
  • MINISTRIO DA EDUCAO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

    DEPARTAMENTO DE EDUCAO SELEO PBLICA SIMPLIFICADA PARA PROFESSOR SUBSTITUTO

    REA I FUNDAMENTOS, POLTICA E GESTO DA EDUCAO rea / Matria: Fundamentos Filosficos, Histricos e Sociolgicos da Educao; Estrutura e Funcionamento da Educao; Ideologia, Discurso e Prticas Pedaggicas e; Educao das Relaes

    tnico-Raciais.

    01 vaga 40h

    Perfil do(a) Candidato(a): Graduao em Licenciatura em Cincias Humanas ou Sociais.

    LISTA DOS PONTOS:

    1- Marcos regulatrios da educao brasileira: as leis de Diretrizes e Bases da Educao Nacional

    (4.024/1961 e 9.394/1996) e o Plano Nacional da Educao

    2- Educao e Ensino: historicidade, conceitos e finalidades.

    3- Polticas educacionais, cotidiano escolar e sustentabilidade.

    4- As contribuies dos Fundamentos Filosficos, Histricos e Sociolgicos para a compreenso

    das ideias pedaggicas das sociedades contemporneas.

    5- Polticas de Aes Afirmativas na e para a educao: Movimentos Sociais (tnico-racial, de

    gnero, do campo).

    6- Financiamento da Educao: o pblico e o privado presente nas fontes e na distribuio de

    recursos;

    7- Ideologia(s) e currculo.

    8- Pressupostos terico-metodolgicos da prtica pedaggica crtica.

    9- Educao, corpos e sexualidades.

    10- Educao, sociedade(s) e globalizao.

    BIBLIOGRAFIA:

    APPLE, Michael. Ideologia e Currculo. So Paulo: Ed. Brasiliense, 1982.

    ARANHA, Maria Lucia de. A Filosofia da Educao. So Paulo, Moderna, 2006.

    ARANHA, Maria Lucia de A. Histria da Educao e da Pedagogia. So Paulo, Moderna, 2006.

    FRIGOTTO, G. (org.). Educao e Crise do Trabalho. Petrpolis: Vozes, 1998.

    AZEVEDO, Janete M. L. A Educao como poltica pblica. Campinas, Autores Associados,

    1997.

  • BRASIL. Ministrio da Educao. Lei de Diretrizes e Bases da Educao Nacional. Lei n

    9.394/96.

    BRASIL. Ministrio da Educao. Aes Afirmativas e combate ao racismo nas Amricas. Sales

    Augusto Santos (Org.). Braslia: Secretaria de Educao Continuada, Alfabetizao e

    Diversidade, 2005.

    BRASIL. Ministrio da Educaco. Plano Nacional de Educao. Lei 13.005/2014.

    CANDAU, Vera M. (org.). Cidadania e pluralidade cultural: questes emergentes. In. CANDAU,

    Vera M. (org.). Sociedade, Educao e Cultura (s). Petrpolis: Vozes, 2010.

    FREIRE, Paulo. Educao como prtica da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 32. edio,

    2009.

    GENTILI, P. (org.). Pedagogia da excluso: crtica ao neoliberalismo em educao. Petrpolis:

    Vozes, 1995.

    LOURO, Guacira Lopes (org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte:

    Autntica, 2001.

    PARO, Vitor Henrique. Gesto Democrtica da Escola pblica. So Paulo: tica. 1999.

    SILVA, Tomas Tadeu. Aliengenas em sala de aula. So Paulo: Vozes, 1995.

    SAVIANI, D. Pedagogia Histrico-Crtica. Campinas, Associados, 2005.

    SAVIANI, Dermeval. Histria das ideias pedaggicas no Brasil. Campinas: Autores Associados,

    2008

    Bibliografia complementar:

    IMBERNN, F (org). A educao no sculo XXI. Os desafios do futuro imediato. Porto Alegre:

    Artmed, 2000.

    MOLINA, Mnica Catagna. Desafios para os Educadores e as Educadoras do Campo. In:

    KOLLING, Edgar J. CERIOLI, Paulo Ricardo, CALDART, Roseli Salete. Educao do campo:

    identidade e polticas pblicas. Braslia: Articulao Nacional Por Uma Educao do Campo,

    caderno 4. 2002.

    OLIVEIRA, Maria Auxiliadora M. (Org.). Gesto Educacional: novos olhares, novas abordagens.

    3 ed. Petrpolis: Vozes, 2005.

  • MINISTRIO DA EDUCAO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

    DEPARTAMENTO DE ESTATSTICA E INFORMTICA

    Matrias

    Bioestatstica A, Bioestatstica Bsica, Bioestatstica Experimental, Estatstica B, Estatstica Bsica, Estatstica

    Bsica A, Estatstica E, Estatstica Exploratria I, Probabilidade I

    Perfil

    Graduao em estatstica e reas afins

    Programa

    1. Estatstica descritiva medidas de posio e disperso.

    2. Probabilidade axiomas e definies.

    3. Distribuio de probabilidade de variveis aleatrias discretas.

    4. Distribuio de probabilidade de variveis aleatrias contnuas.

    5. Intervalos de confiana mdia, varincia e proporo.

    6. Testes de hipteses mdia, proporo, varincia e qui-quadrado.

    7. Noes de correlao e regresso linear simples.

    8. Amostragem.

    9. Delineamentos experimentais: inteiramente casualizado (DIC) e blocos casualizados (DBC).

    10. Sries Temporais.

    Bibliografia sugerida

    COSTA, G.G.O. Curso de estatstica bsica: teoria e prtica. So Paulo: Atlas, 2011. 220 p.

    FONSECA, J.S., MARTINS, G.A. Curso de Estatstica. 6 ed. So Paulo: Atlas, 1996. 320p.

    FREUND, J.E. Estatstica Aplicada: economia, administrao e contabilidade. 9 ed. So Paulo: Bookman,

    2000. 404p.

    HIBBELER, R. C. Estatstica: mecnica para engenharia. 12. ed., 3. reimpresso. So Paulo: Pearson, 2012.

    512 p.

    LARSON, R., FARBER, B. Estatstica Aplicada. 2 ed. So Paulo: Pearson Prentice Hall, 2004. 476p.

  • MILONE, G. Estatstica geral e aplicada. So Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004. 483p.

    MONTGOMERY, D. C.; RUNGER, G.C. Estatstica aplicada e probabilidade para engenheiros. 5. ed. Rio de

    Janeiro: LTC, 2012. 521p.

    MORETTIN, L. G. Estatstica bsica: probabilidade e inferncia, volume nico. So Paulo: Pearson Prentice

    Hall, 2010. 375 p.

    MORETTIN, P. A.; BUSSAB, W.O. Estatstica bsica. 5. ed. So Paulo: Saraiva, 2003. 526p.

    MORETTIN, P. A.; TOLOI, C.M.C. Anlise de Sries Temporais. 2. ed. 2006. 564p.

    SPIEGEL, M. R. Estatstica. 3.ed. So Paulo: McGraw-Hill, 2008. 643p.

    VIEIRA, S. Introduo Bioestatstica. 4. ed., Rio de Janeiro: Elsevier, 2008. 345p.

    WITTE, R. S; WITTE, J. S. Estatstica. Rio de Janeiro: LTC, 2005. 486p.

  • UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADMICA DE GARANHUNS

    Avenida Bom Pastor, s/n-Boa Vista-Garanhuns/PE

    55.292-270- Telefone: (87) 3764.5505

    SELEO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO-UAG/UFRPE

    EDITAL N03/2018

    PERFIL DO CANDIDATO:

    Graduao em Histria e/ou Pedagogia

    DISCIPLINAS:

    Histria na Prtica Pedaggica I e II

    Metodologia do Ensino da Histria I e II

    CARGA HORRIA: 20h

    VAGA: 1

    PONTOS DA PROVA :

    1. Ensino de Histria e currculo

    2. Ensino de Histria e Histria local

    3. Ensino de Histria e materiais didticos

    4. Conceitos de tempo, espao e relaes sociais no ensino de Histria

    5. Diferentes linguagens no ensino de Histria

    6. Conhecimento histrico no processo de ensino e aprendizagem nos anos iniciais

    do Ensino Fundamental

    7. Relao ensino e pesquisa nas aulas de Histria

    8. Ensino de Histria, direitos humanos e formao para cidadania

    9. Ensino de Histria e educao para as relaes tnico raciais

    10. Ensino de Histria, procedimentos metodolgicos e interdisciplinaridade

    REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS

    ABUD, K.M. Ensino de Histria e Base nacional Comum Curricular: desafios, incertezas e possibilidades. In: RIBEIRO JUNIOR H.C. VALRIO, M.E. Ensino de histria e currculo. Jundia, SP: Paco editorial, 2017. BITTENCOURT, Circe. Ensino de Histria: fundamentos e mtodos. So Paulo: Cortez, 2008. BITTENCOURT, Circe M. Fernandes. Propostas curriculares de Histria: continuidades e transformaes. In: BARRETO, Elba S. de S (Org.). Os currculos do ensino

  • fundamental para as escolas brasileiras. 2 ed. (Coleo formao de professores). Campinas: Autores Associados; So Paulo: Fundao Carlos Chagas, 2000. BORGES, Vavy Pacheco. O que Histria? 2 Ed. So Paulo: Brasiliense, 2007. BRASIL. Ministrio da Educao. Secretaria de Educao Bsica. Pacto Nacional pela Alfabetizao na Idade Certa. Cincias Humanas no Ciclo de Alfabetizao. Caderno 09 / Ministrio da Educao, Secretaria de Educao Bsica, Diretoria de Apoio Gesto Educacional. Braslia: MEC, SEB, 2015. BRASIL. Ministrio da Educao.Secretaria de Educao Bsica.Histria: ensino fundamental. Braslia:, Secretaria de educao Bsica, 2010. (Coleo Explorando o Ensino de Histria, v. 21). BURKE, Peter (Org.). A Escrita da Histria: novas perspectivas. 3 ed. So Paulo: Unesp, 1992. CAINELLI, Marlene; SCHMIDT, Maria Auxiliadora. Ensinar Histria. (Pensamento e ao no magistrio). So Paulo: Scipione, 2004. CAIMI, Flvia. O que sabemos (e o que no sabemos) sobre o livro didtico de histria: estado do conhecimento, tendncias e perspectivas. In: GALZERANI, Maria Carolina Bovrio; BUENO, Joo Batista Gonalves; PINTO JR, Arnaldo. Paisagens da Pesquisa Contempornea sobre Livro Didtico de Histria. Campinas: UNICAMP, 2013. COOPER, Hilary. Aprendendo e ensinando sobre o passado a crianas de trs a oito anos. In: Educar, Curitiba, nmero especial, p. 171-190, 2006. FONSECA, Selva Guimares. Didtica e Prtica de Ensino de Histria. Campinas: Papirus, 2003. FREITAS, Itamar. Fundamentos terico-metodolgicos para o Ensino de Histria(Anos iniciais). So Cristvo. UFS, 2010. ________. O que devemos ensinar s crianas de seis anos com o nome de Histria? Disponvel em: http://didaticadahistoria.com/2014/12/18/o-que-devemos-ensinar-as-criancas-de-seis-anos-com-o-nome-de-historia/comment-page-1/#comment-39 LEE, Peter. Por que aprender Histria? Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 42, p. 19-42, out./dez. 2011. Editora UFPR LIMA, Marta Margarida de Andrade. A cultura local e a formao para a cidadania nos livros didticos regionais de histria. In. OLIVEIRA, Margarida Dias de. STAMATTO, Maria Ins Sucupira (Org). O livro didtico de histria: polticas educacionais, pesquisas e ensino. Natal: EDUFRN, 2007, p. 182 NEVES, Joana. Histria local e Construo da identidade social. Saeculum, jan/dez1997. OLIVEIRA, Margarida M. Dias de. Introduo. Histria: ensino fundamental. Braslia: Ministrio da Educao, Secretaria de educao Bsica, 2010. (Coleo Explorando o Ensino de Histria, v. 21). OLIVEIRA, Sandra Regina F. de; ZAMBONI, Ernesta. O estudo do municpio nas sries iniciais: refletindo sobre as relaes entre Histria Local, Histria do Local e a Teoria dos Crculos Concntricos. In: ZAMBONI, Ernesta et al. Memrias e Histrias da Escola. Campinas: Mercado das Letras, 2008. OLIVEIRA, Sandra Regina F. de.Os tempos que a Histria tem.In Histria: ensino fundamental. Braslia: Ministrio da Educao, Secretaria de educao Bsica, 2010. (Coleo Explorando o Ensino de Histria, v. 21). PINSKY, Jaime (Org.). O Ensino de Histria e a Criao do Fato. So Paulo: Contexto, 1997. ZAMBONI, Ernesta; FONSECA, Selva G. Contribuies da literatura infantil para a aprendizagem de noes do tempo histrico: leituras e indagaes. (Selva Guimares Fonseca; Ernesta. In: Educar para a compreenso do tempo. Caderno Cedes. So Paulo: Cortez, Campinas: Cedes. V.30, n.82, set-dez. 2010.

  • UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADMICA DE GARANHUNS

    Avenida Bom Pastor, s/n-Boa Vista-Garanhuns/PE

    55.292-270- Telefone: (87) 3764.5505

    SELEO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO-UAG/UFRPE

    EDITAL N03/2018

    Disciplinas: Metodologia do ensino de Geografia I, Metodologia do Ensino de Geografia II, Geografia na prtica pedaggica I, Geografia na prtica pedaggica II.

    Perfil do candidato: Graduao em Licenciatura em Geografia ou Graduao em Licenciatura em Pedagogia.

    Carga-horria: 20h

    Vaga: 1

    Pontos:

    1. Ensino da Geografia nas Diretrizes Curriculares da Educao Infantil e Fundamental I: concepes, objetivos e orientaes metodolgicas.

    2. Estudos da natureza e da sociedade na Geografia e sua importncia para a compreenso do meio ambiente.

    3. Aprender e ensinar as categorias de anlise da Geografia nos Anos Iniciais da Educao Bsica.

    4. A linguagem grfica e cartogrfica no ensino da Geografia: instrumentos de leitura e de representao do espao.

    5. Construo e representao das noes de espao nos Anos Iniciais da Educao Bsica.

    6. Geografia como Cincia e como Saber Escolar: surgimento e institucionalizao como campo disciplinar.

    7. Estudos socioambientais na Geografia e sua participao no discurso e na prtica docente.

    8. Abordagens e tendncias pedaggicas que orientam o ensino de geografia. 9. Abordagem e articulao de temas, conceitos e contedo geogrfico em de projetos

    didticos interdisciplinares.

    10. Formao conceitual e o uso das diferentes linguagens no ensino da Geografia

    Bibliografia sugerida:

    1. ALMEIDA, R. D, PASSINI, E. Y. O espao geogrfico: ensino e representao. So Paulo:

  • Contexto, 1989.

    2. ALMEIDA, Rosngela Doin. Do desenho ao mapa: iniciao cartogrfica na escola. So Paulo:

    Contexto, 2004.

    3. ANDRADE, M. C. Uma geografia para o sculo XXI. Campinas: Papirus, 1993.

    4. ANTUNES, A. R., MENANDRO. H. F., PAGANELLI, T. I. Estudos Sociais: teoria e prtica. Rio de

    Janeiro: Access, 1993.

    5. BRASIL. Ministrio da Educao - MEC. Parmetros Curriculares Nacionais Geografia nas

    sries iniciais, 2000.

    6. CALLAI, Helena et al. O Estudo do Lugar e a Cidade na Formao Docente para a Educao

    Cidad. XXI Seminrio de Iniciao Cientfica. Panambi-RS: UNIJUI, 2013.

    7. _____. O estudo do municpio ou da geografia nas sries iniciais, In: CASTROGIOVANNI, A. C

    al. Geografia em Sala de aula, prticas e reflexes. 5 ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS,

    Associao dos Gegrafos Brasileiros Seo Porto Alegre, 2010.

    8. CARLOS, Ana Fani A. (Org.). A geografia na sala de aula. So Paulo: Contexto, 1999.

    CASTROGIOVANNI, Antnio Carlos et al. Geografia em sala de aula. 2 ed. Rio Grande do Sul:

    UFRGS/AGB Seo Porto Alegre, 1999.

    9. CASTELAR. Snia e VILHENA, Jerusa. Ensino de Geografia. So Paulo: Cengage/Learning,

    2011.

    10. CASTELLAR, Sonia Maria Vanzella. A superao dos limites para uma educao geogrfica

    significativa: um estudo sobre a e na cidade. Disponvel em:

  • 19. -----------. Geografia Socioambiental. Terra Livre: Paradigmas da Geografia. So Paulo: AGB,

    2001, n. 16, p. 113-132.

    20. PONTUSCHKA, Ndia N., PAGANELLI TomoKo I. & CACETE, Nria H. Para ensinar e aprender

    geografia. So Paulo: cortez, 2007.

    21. SANTOS, M. A natureza do espao: tcnica e tempo: razo e emoo. So Paulo: Hucitec,

    1996.

    22. ------------. O espao do cidado. 3 ed. So Paulo: Nobel,1996.

    23. SCHFFER, Neiva Otero (et al). Um globo em suas mos: prticas para a sala de aula. Porto

    Alegre: UFRGS 2003.

    24. SOUZA, J. G. & KATUTA, A. M. Geografia e conhecimentos cartogrficos. So Paulo: Editora

    Unesp, 2001.

    25. VESENTINI, J.W. O ensino da geografia no sculo XXI. Caderno Prudentino de Geografia.

    Presidente Prudente, n. 17, 1995.

    26. ------------. Para uma geografia crtica na escola. So Paulo: tica, 1992.

  • UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

    UNIDADE ACADMICA DE GARANHUNS Av. Bom Pastor, s/n Boa Vista CEP 55292-270 Garanhuns, PE Telefones: (087) 3764-5500 3764-5517

    SELEO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO-UAG/UFRPE

    EDITAL N03/2018

    Disciplinas: Cincias na prtica na prtica pedaggica I, Cincias na prtica na prtica pedaggica II, Metodologia do ensino de Cincias I, Metodologia do Ensino de Cincias II.

    Perfil do candidato: Graduao em Licenciatura em Cincias ou Graduao em Licenciatura em Pedagogia

    Carga-horria: 20h

    Vaga: 1

    Pontos:

    1. Fundamentos tericos e metodolgicos do ensino de Cincias Naturais nos anos iniciais do ensino fundamental.

    2. Necessidades formativas dos professores de Cincias Naturais para os anos iniciais do ensino fundamental.

    3. A pesquisa no ensino de Cincias Naturais nos diversos espaos educativos. 4. O currculo de Cincias Naturais para os anos iniciais do ensino fundamental. 5. Planejamento, desenvolvimento e avaliao do processo de ensino e

    aprendizagem de Cincias Naturais nos anos iniciais do ensino fundamental.

    6. Anlise e construo de materiais didticos no ensino de Cincias Naturais nos anos iniciais do ensino fundamental.

    7. A investigao e experimentao no ensino de Cincias Naturais dos anos iniciais do ensino fundamental.

    8. O livro didtico de Cincias Naturais dos anos iniciais do ensino fundamental: anlise e escolha.

    9. O uso das tecnologias, informao e comunicao (TICs) no ensino de Cincias Naturais nos anos iniciais do ensino fundamental.

    10. Didtica do ensino de Cincias Naturais para os anos iniciais do ensino fundamental.

    Bibliografia sugerida:

    ASTOLFI, J. P.; DEVELY, M. A didtica das Cincias. Campinas, SP: Papirus, 1990.

    BIZZO, N. Cincias: fcil ou difcil? So Paulo: tica, 2002.

    BRASIL. Secretaria de Educao Fundamental. Parmetros Curriculares Nacionais:

    Cincias Naturais 1 a 4 sries, Braslia: MEC/SEF, 1997, vol 4, 136p.

  • CARVALHO, A. M. P. de. (Org.) Ensino de Cincias: unindo a pesquisa e a prtica. So

    Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004.

    ________. A. M. P. de; GIL-PREZ, D. Formao de Professores de Cincias. So Paulo:

    Cortez, 1993. (Coleo questes da nossa poca, V. 26).

    DELIZOICOV, D.; JOS, A.; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de Cincias: fundamentos e

    mtodos. So Paulo: Cortez, 2003.

    ________. D. Metodologia do Ensino de Cincias. So Paulo: Cortez, 1990.

    Fracalanza, H. & Megid Neto, J. (Orgs.) (2006). O livro didtico de cincias no Brasil.

    Campinas: Komedi.

    KRASILCHIK, M.; MARANDINO, M. Ensino de cincias e cidadania. 2 ed. So Paulo:

    Moderna, 2007.

    MENEZES, L. C. (Org.) Formao continuada de professores de cincias no mbito

    ibero americano. Campinas, SP: Autores Associados; So Paulo, SP: NUPES, 1996.

    (Coleo formao de professores).

    NARDI, R. Questes atuais no ensino de Cincias. So Paulo: Escritura, 2000.

    ________. (Org.) Educao em Cincias: da pesquisa prtica docente. So Paulo:

    Escritura, 1995.

    PRETTO, N. L. A Cincias nos livros didticos. Salvador: Ed. UNICAMP EDUFBA, 1985.

    SELLES, S. E.; FERREIRA, M. S. (Org.) Formao docente em Cincias: memrias e

    prticas. Niteri: EdUFF, 2003, p. 176.

    WEISSAMAM, H. Didtica das cincias naturais. Porto Alegre: Artmed, (s.d.).

  • MINISTRIO DA EDUCAO

    UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

    UNIDADE ACADMICA DE SERRA TALHADA

    PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO

    03/2018

    Departamento

    OU Unidade

    Acadmica

    rea/Matria(s) Vagas Regime

    de

    Trabalho

    Perfil do Candidato

    Serra Talhada Engenharia de

    Software / Gerncia

    de Projetos de

    Software /

    Informtica

    01 20h Graduao em: Cincia da

    Computao ou Sistema

    de Informao ou reas

    Afins

    PROGRAMA

    1. Modelos de Gerncia de Projeto de Software

    2. Planejamento de Projetos de Software.

    3. Prtica de Gesto de Projetos de Software.

    4. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software

    5. Verificao e Validao de Software

    6. Engenharia de Requisitos de Software

    7. Fundamentos de representao da informao: bases de numerao, mquinas e

    linguagens.

    8. Fundamentos da construo de algoritmos e programas (Conceitualizao, aplicaes

    prticas, demonstrao de ferramentas)

    9. Conceitos bsicos de programao (variveis; operadores e expresses; estruturas de

    controle, seleo e repetio) - Conceitualizao, aplicaes prticas e demonstrao por

    codificao;

    10. Noes de Hardware (arquitetura de microcomputadores e processamento) e Software

    (sistemas operacionais e aplicativos: tipos e funes);

    BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

    PRESSMAN, R. S.. Engenharia de Software: uma abordagem profissional. 8a ed. McGraw-

    Hill. 2016.

    SOMMERVILLE, I.. Engenharia de Software. 9a ed. Pearson. 2011.

    HELDMAN, K.. Gerncia de Projetos Fundamentos. Campus, 2005. 4.ed.

    PHILLIPS, J.. Gerncia de Projetos de Tecnologia da Informao: no caminho certo, do incio

    ao fim. Campus, 2003.

  • CARVALHO, M. M.; RABECHINI JNIOR, R.. Construindo competncias para gerenciar

    projetos: teoria e casos. 2.ed. So Paulo: Atlas, 2008.

    MANGOLD, P.. TI: gerenciamento de projetos: compacto. Rio de Janeiro: Campus, 2007.

    XAVIER, C.M.S. Gerenciamento de Projetos: Como definir e controlar o escopo do projeto.

    Saraiva. 2005.

    Project Management Institute (PMI). Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de

    Projetos (Guia PMBOK). 5a Edio. 2014

    RIOS, E. Anlise de riscos em projetos de teste de software. Rio de Janeiro: Alta Books

    BROOKSHEAR, J. G.. Cincia da computao: uma viso abrangente. 7. ed. Porto Alegre

    Bookman, 2008.

    FEDELI, R.D.; POLLONI, E. G. F.; PERES, F. E.. Introduo cincia da computao. 2. ed.

    So Paulo, SP: Cengage Learning, 2010

    CORMEN, T. H. Algoritmos: teoria e prtica. 3a ed. Rio de Janeiro: Campus, 2012

    FERNANDA, A. et. al. Fundamentos da programao de computadores. So Paulo. Ed.

    Pearson Prentice Hall. 2007.

    FORBELLONE, A.L.V.; EBERSPCHER, H.F.. Lgica de programao: a construo de

    algoritmos e estrutura de dados. 3. ed. So Paulo: Prentice-Hall.

    MIZRAHI, V. V. Treinamento em linguagem C. So Paulo, SP: Pearson Prentice Hall, 2008

    MENEZES, N.N.C.. Introduo programao com Python. 2a ed rev. e amp.. Novatec: 2014.

    TANENBAUM, A.S.; GOODMAN, J.R. Organizao estruturada de computadores. So Paulo:

    Pearson Prentice Hall, 2007.

  • MINISTRIO DA EDUCAO

    UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

    UNIDADE ACADMICA DE SERRA TALHADA

    PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO

    03/2018

    Departamento

    OU Unidade

    Acadmica

    rea/Matria(s) Vagas Regime

    de

    Trabalho

    Perfil do Candidato

    Serra Talhada Matemtica Bsica /

    Clculo I e II 01 40h Graduao em Licenciatura

    ou Bacharelado em:

    Matemtica ou Graduao

    em Cincias com habilitao

    em Matemtica

    PROGRAMA

    1. Limites e continuidade de funes reais de uma varivel real;

    2. Teorema do valor mdio, teorema de Taylor e aplicaes.

    3. Teorema Fundamental do Clculo e aplicaes.

    4. Integral de Riemann.

    5. Mximos e mnimos de funes de duas variveis.

    6. Gradiente, derivada direcional e plano tangente.

    7. Seqncias e sries.

    8. Funes vetoriais.

    9. Teorema da Mudana de Variveis para Integrao Dupla e aplicaes.

    10. Matrizes, determinantes e sistemas lineares

    BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

    HOFFMANN, Laurence D.; BRADLEY, Gerald L. Clculo: um curso moderno e suas aplicaes. Rio de Janeiro: LTC, 2002.

    STEWART, James. Clculo. 5. ed. So Paulo, SP: Thomson, 2006. 2v.

    SIMON, Carl P.; BLUME, Lawrence. Matemtica para economistas. Porto Alegre, RS: Bookman, 2004.

    ANTON, Howard. Clculo: um novo horizonte. 6. ed. reimp. Porto Alegre: Bookman, 2006. 2v.

    VILA, Geraldo. Clculo das funes de uma varivel. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2004.

    GUIDORIZZI, Hamilton Luiz. Um curso de clculo. Vol1,2 e 3. Rio de Janeiro: LTC, 2008. 5 ed.

    LEITHOLD, L. O Clculo com Geometria Analtica. Vol 1 e 2. Harbra1994.

    LEITHOLD, Louis. Matemtica aplicada a economia e administrao. So Paulo, SP: Harbra, 2001.

    GOLDSTEIN, Larry Joel; LAY, David C; SCHNEIDER, David I. Matemtica aplicada: economia,administrao e contabilidade. Porto Alegre Bookman, 2006.

    FLEMMING, Diva Marlia e GONALVES, Miriam Buss. Clculo A. : Funes, limite,

  • derivao, integrao. Makron Books do Brasil: Editora da UFSC, 1992.

    SWOKOWSKI, Earl W. Clculo Com Geometria Analtica. 2 Edio. Vol. 1994.

    LANG, Serge. Clculo Vol. 1 LTC-Livros Tcnicos e Cientficos. Rio de Janeiro, RJ.

  • MINISTRIO DA EDUCAO

    UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

    UNIDADE ACADMICA DE SERRA TALHADA

    PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO

    03/2018

    Departamento

    OU Unidade

    Acadmica

    rea/Matria(s) Vagas Regime de

    Trabalho

    Perfil do

    Candidato

    UAST Informtica, Qumica e

    Educao / Prtica Pedaggica

    do Ensino de Qumica A e B /

    Histria da Qumica /

    Metodologia para o Ensino de

    Qumica L / Instrumentao

    para o Ensino de Qumica L /

    Estgio de Ensino A, B e C /

    Optativa de Ensino de

    Qumica A e B / Trabalhos de

    pesquisa em Qumica A e B.

    01 40h Licenciatura

    em Qumica

    Programa

    01. A pesquisa em Ensino de Qumica e a Formao do Educador em Qumica na

    perspectiva do Professor Pesquisador;

    02. As Relaes entre a prtica de ensino e o estgio supervisionado na formao didtico-

    profissional do professor de Qumica e seus impactos no cotidiano escolar da Educao

    Bsica;

    03. A Experimentao no Ensino de Qumica;

    04. Recursos Didticos e Tecnologias da Informao e Comunicao aplicados ao Ensino

    de Qumica;

    05. A Histria da Qumica Aplicada ao Ensino de Qumica;

    06. Saberes docentes e a Formao profissional de professores de Qumica para o Ensino

    Mdio;

    07. Pesquisas e tendncias aplicadas ao Ensino de Qumica;

    08. Abordagens terico-metodolgicas sobre ensino e aprendizagem de Qumica;

    09. Cotidiano, Contextualizao e as relaes Cincia, Tecnologia e Sociedade no Ensino

    de Qumica;

  • 10. A Avaliao no processo de Ensino e Aprendizagem de Qumica.

    Bibliografia Sugerida

    1. ASTOLFI, J.P.; DEVELAY, M. A didtica das Cincias. 10. ed. So Paulo: Papirus

    Editora, 2006.

    2. CACHAPUZ, A. et al. A Necessria Renovao no Ensino das Cincias. 1 ed. So

    Paulo: Cortez Editora, 2005.

    3. CARVALHO, A . M. P.; GIL-PREZ, D. Formao de Professores de Cincias -

    Tendncias e Inovaes. 10 ed.So Paulo: Cortez Editora, 2011.

    4. ______.. Ensino de Cincias: Unindo a Pesquisa e a Prtica. 1 ed. So Paulo:

    Thomson Learning, 2004.

    5. DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de Cincias

    - Fundamentos e Mtodos. 4 ed. So Paulo: Cortez Editora, 2011.

    6. ECHEVERRA, A. R. ; ZANON, L. B. (Org.). Formao Superior em Qumica no

    Brasil: prticas e fundamentos curriculares. Iju: Ed. Uniju, 2009, 272 p.

    7. FAZENDA, I. O que Interdisciplinaridade? 1 ed. So Paulo: Cortez Editora,

    2008.

    8. LEITE, B. S. Tecnologias no ensino de qumica: teoria e prtica na formao

    docente. Curitiba: Appris, 2015.

    9. LUCKESI, C. C. Avaliao da aprendizagem escolar. So Paulo: Cortez, 2008.

    10. MALDANER, O. A. A formao inicial e continuada de professores de qumica.

    Iju: Uniju, 2013.

    11. NARDI, R. Educao em cincias: da pesquisa prtica docente. So Paulo:

    Escrituras, 2001.

    12. NUEZ, I. B.; RAMALHO, B. L. Fundamentos do Ensino-Aprendizagem das

    Cincias Naturais e da Matemtica: O Novo Ensino Mdio. 1 ed. Porto Alegre:

    Editora Sulina, 2004.

    13. ROSA, M. P.; ROSSI, A. V. (Org.). Educao Qumica no Brasil: memrias,

    polticas e tendncias. Campinas: tomo, 2012.

    14. SANTOS, W. L. P.; AULER, D. (Org.). CTS e educao cientfica: tendncias e

    resultados de pesquisas. Braslia: Editora Universidade de Braslia, 2011, 410 p.

    15. ______; MALDANER, O. A. Ensino de Qumica em Foco. 1 ed. Iju: Editora

    UniJu, 2010.

    16. ______. CTS e a educao cientfica: desafios, tendncias e resultados de pesquisa.

    Braslia: EdUnB, 2011.

    17. Artigos das Revistas: Qumica Nova na Escola, Investigaes no Ensino de

    Cincias, Revista Brasileira de Pesquisa em Ensino das Cincias, Ensaio,

    REDQUIM entre outras da rea.

  • MINISTRIO DA EDUCAO

    UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

    UNIDADE ACADMICA DE SERRA TALHADA

    PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO

    03/2018

    Departamento

    OU Unidade

    Acadmica

    rea/Matria(s) Vagas Regime

    de

    Trabalho

    Perfil do Candidato

    Serra Talhada Lngua

    Latina/Lngua

    Portuguesa/Literatu

    ras

    01 40h Graduao em Letras

    PROGRAMA

    1. Morfologia dos casos latinos: nominativo e acusativo 2. Morfologia dos casos latinos: vocativo e genitivo 3. Morfologia dos casos latinos: dativo e ablativo 4. Diferenas entre o Latim Clssico e Vulgar 5. Histria interna do portugus Brasileiro 6. Histria da lngua latina: aspectos histricos, sociais, culturais e lingusticos 7. A importncia do latim para o ensino da lngua portuguesa 8. Literaturas Latinas e suas influncias para as Literaturas do sculo XVII 9. O discurso pico em Eneida Canto I 10. A "Arte Potica" de Horcio

    BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

    DICIONRIO DE LATIM-PORTUGUS. Porto Editora, 2008.

    SARAIVA, F. R. dos Santos. Novssimo dicionrio latino-portugus. Rio de Janeiro:

    Livraria Garnier, 1993.

    ALMEIDA, Napoleo Mendes de. Gramtica latina. 44 ed. So Paulo: Saraiva, 2001.

    CARDOSO, Zlia de Almeida. Iniciao ao Latim. So Paulo, tica, 2006.

    FARIA, Ernesto. Gramtica da lngua latina. Braslia: FAE, 1995.

    ____. Fontica Histrica do Latim. Rio de Janeiro: Acadmica, 1957.

    FURLAN, Oswaldo Antnio. Lngua e Literatura Latina e sua derivao portuguesa.

    Petrpolis: Vozes, 2006.

    GARCIA, Janete Melasso. Introduo teoria e prtica do Latim. Braslia: Editora

    UnB, 2008.

    ____. Lngua Latina. Braslia: UnB, 2008.

    IORDAN, Iorgu. Introduo Lingustica Romnica. Lisboa: Gulbenkian, 1973.

    JONES, P. V. & SIDWELL, K.C. Aprendendo Latim. So Paulo: Odysseus, 2012.

    LAUSBERG, Heinrich. Lingustica Romnica. Lisboa: Gulbenkian, 1974.

  • MACHADO, Ral. Questes de Gramtica Latina (pronncia e fontica). Lisboa:

    Clssica, 1940.

    RBERG, Hans H. Lingva Latina per se illvstrata. ParsI :Familia Romana. Danaa:

    Domvs Latina, 2002.

    ____. Lingva Latina per se illvstrata. ParsII : Roma Aeterna. Danaa: Domus Latina,

    2002.

    RAVIZA, Joo. A Morfologia Latina. Niteri: Dom Bosco, 1959.

    REZENDE, Antnio Martinez de. Latina Essentia: preparao ao Latim. Belo

    Horizonte: Editora UFMG, 2003.

    RNAI, Paulo. Gradus (primus, secundus, tertius). Rio de Janeiro: Nova Fronteira,

    1985.

    THAMOS, Marcio. As armas e o varo: Leitura e Traduo do Canto I da Eneida.

    Sao Paulo: EDUSP, 2012. ARISTTELES, HORCIO, LONGINO. A potica clssica. Trad. Jaime Bruna. Introd.

    Roberto de Oliveira Brando. So Paulo: Cultrix/EDUSP, 1981.

    PEREIRA, Maria Helena da Rocha. Estudos de histria da cultura clssica. V. II. 2 ed.

    Lisboa: Fundao CaloustreGulbenkian, 1990. VIRGLIO. Eneida. Trad. Tassilo Orpheu

    Spalcing. So Paulo: Editora Cutrix, 1996.

    CARDOSO, Zlia de Almeida. A literatura latina. So Paulo: Martins Fontes, 2011.

    PARATORE, E.Histria da Literatura Latina. Lisboa, Fundao CalousteGulbenkian,

    1983.

    ARISTTELES.Potica, traduo de Eudoro de Souza. So Paulo, Abril, 1973.

    HORCIO. Arte Potica. Introd. ecoment. R. M. Rosado Fernandes. Lisboa: Editorial

    Inqurito, 1984.

    MARMORALE, E. V. Histria da literatura latina. Lisboa: Estdios Cor, 1974.

  • MINISTRIO DA EDUCAO

    UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

    UNIDADE ACADMICA DE SERRA TALHADA

    PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO

    03/2018

    Departamento OU

    Unidade

    Acadmica

    rea/Matria(s) Vagas Regime de

    Trabalho

    Perfil do Candidato

    Serra Talhada Geocincias/

    Paleontologia

    01 20 h Licenciatura ou Bacharelado em

    Cincias Biolgicas.

    PROGRAMA

    1. O ciclo petrogrfico e os grandes grupos de rochas (magmticas; metamrficas e

    sedimentares);

    2. Tectnica de placas;

    3. Atmosfera, intemperismo e eroso;

    4. Litosfera: vulcanismo, terremotos e tsunamis;

    5. Geologia do sistema estuarino e marinho;

    6. Geologia do sistema lagunar;

    7. Princpios da paleontologia e tempo geolgico;

    8. Paleoecologia, paleoclimatologia e Paleobiogeografia;

    9. Pr-cambriano e Era Paleozoica

    10. Era mesozoica e era Cenozoica

    BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

    CARVALHO, I. de S. (ed.). Paleontologia: Conceitos e mtodos. 3 edio, volume 1. Rio de Janeiro:

    Intercincia, 2010.

    CARVALHO, I. de S. (ed.). Paleontologia: Microfsseis Paleoinvertebrados. 3 edio volume 2. Rio

    de Janeiro: Intercincia, 2011.

  • CARVALHO, I. de S. (ed.). Paleontologia: Paleovertebrados Paleobotnica. 3 edio volume 3. Rio

    de Janeiro: Intercincia, 2011.

    LIMA, M. R. Fsseis do Brasil. So Paulo: EDUSP, 1989.

    MENDES, J. C. Paleontologia Bsica. So Paulo: T. A. Queiroz/ EDUSP, 1988.

    MENDES, J. C. Paleontologia Geral. Rio de Janeiro: Livros Tcnicos e Cientficos/ EDUSP, 1977. 42

    p.

    MENDES, J. C. Vida Pr-Histrica: evoluo dos animais e vegetais no Brasil no decorrer do tempo

    geolgico. So Paulo: Melhoramentos, 1977.

    AUBOUIN, J.; BROUSSE, R.; LEHMAN, J-P. Tratado de Geologia: Paleontologia, Estratigrafia.

    Barcelona: Omega, 1981. Tomo II, 651 p.

    BRITO, I. M. de. Bacias sedimentares e formaes ps-paleozicas no Brasil. 1. ed. Rio de Janeiro:

    Intercincia, 1979.

    EICHER, D. L. Tempo Geolgico. So Paulo: Edgard Blucher, 1971.

    LAPORTE, L. F. Ambientes Antigos de Sedimentao. So Paulo: Edgard Blcher, 1996. 146p.

    McALESTER, A. L. Histria Geolgica da Vida. So Paulo: Edgard Blcher, 1996.

    SALGADO-LABORIAU, M. L. Histria Ecolgica da Terra. 2. ed. So Paulo: Edgard Blcher, 1996.

    307 p.

    PRESS, F, SIEVER, R, GROTZINGER, J, & JORDAN, T.H. Para entender a Terra. 4 ed. Porto Alegre:

    Bookman. 2006.

    SAYO, J.M. (org.). Fsseis do litoral norte de Pernambuco: Evidncias da extino dos

    dinossauros. Recife: Zoludesign, 2013. 96p.

    TEIXEIRA, W, TOLEDO, M.C.M. de, FAIRCHILD, T.L. & TAIOLI, F. (org.). Decifrando a Terra. So

    Paulo: Oficina de Textos, 2000. 557 p.

  • MINISTRIO DA EDUCAO

    UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

    UNIDADE ACADMICA DE SERRA TALHADA

    PROCESSO SELETIVO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO

    03/2018

    Departamento

    OU Unidade

    Acadmica

    rea/Matria(s) Vagas Regime

    de

    Trabalho

    Perfil do Candidato

    Serra Talhada Literatura Portuguesa

    / Literatura Brasileira

    / Literaturas

    Africanas em Lngua

    Portuguesa

    01 40h Licenciatura em: Letras

    PROGRAMA

    1 - Literaturas Africanas de Lngua portuguesa: Nacionalidade e Ps-Colonialismo;

    2 - Contemporaneidade e elementos estticos: desafios das Literaturas Africanas de Lngua

    portuguesa;

    3 - A Literatura Brasileira e a construo da Nacionalidade;

    4 - O Romance moderno na Literatura Brasileira;

    5 - Poesia contempornea brasileira: questes de estilo e esttica;

    6 - As expresses medievais da Literatura Portuguesa;

    7 - Modernidade e Modernismo: dilogos luso-brasileiros ;

    8 - O problema da heteronmia em Fernando Pessoa;

    9 - O Cnone da Literatura portuguesa: de Cames a Pessoa;

    10 - A modernidade do conto em Machado de Assis.

    BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

    ABDALA JR, Benjamin; PASCHOALIN, Marlia. A Histria Social da Literatura

    Portuguesa. SP, tica, 1992.

    BAPTISTA, Abel Barros. A formao do nome: duas interrogaes sobre Machado de

    Assis. Campinas: UNICAMP, 2003.

    BERARDINELLI, Cleonice. Fernando Pessoa: outra vez te revejo.... Rio de Janeiro:

    Lacerda Editores, 2004.

    BOSI, Alfredo. Histria Concisa da Literatura Brasileira. 2 ed, So Paulo, Cultrix, 1999.

    CAETANO, Marcelo Jos. Itinerrios Africanos: Do colonial ao Ps-colonial nas

    Literaturas Africanas de Lngua Portuguesa. v.4 Anos.IV, n. 2, 2007.

    CHABAL, Patrick. Vozes Moambicanas. Literatura e Nacionalidade. Porto: Veja, 1994.

  • CNDIDO, Antonio; CASTELLO, J. Aderaldo. Presena da Literatura Brasileira: histria

    e antologia. So Paulo, Bertrand, Brasil, 2006.

    FRANCA, Rubem. Como entender e apreciar Cames. Recife, Ed. UFPE, 1983.

    GLEDSON, John. Machado de Assis: fico e histria. Trad. S. Coutinho. So Paulo: Paz

    e Terra, 2003.

    LEO, Angela Vaz (Org.), Contatos e Ressonncias: Literaturas Africanas de Lngua

    Portuguesa, BeloHorizonte: Editora PUCMINAS, 2003.

    MOISS, Massaud. Histria da Literatura Brasileira: das origens ao Romantismo. SP,

    Cultrix, 2009.

    _________________. A Literatura Portuguesa. SP, Cultrix,1999.

    PERRONE-MOISS, Leyla. Fernando Pessoa: aqum do eu, alm do outro. 2 ed. So

    Paulo: Martins Fontes, 1990.

    SANTIAGO, Silviano. O cosmopolitismo do pobre: crtica literria e crtica cultural. Belo

    Horizonte: UFMG, 2004.

    SCHWARZ, Roberto. Um mestre na periferia do capitalismo: Machado de Assis. So

    Paulo: Companhia da Letras, 1990.

    TELES, Gilberto Mendona. Vanguarda europia e modernismo brasileiro. Rio de Janeiro:

    Record, 1986.