Não Sabia

Click here to load reader

  • date post

    07-Dec-2015
  • Category

    Documents

  • view

    223
  • download

    3

Embed Size (px)

description

nao sabia

Transcript of Não Sabia

  • 2

    Objetivo

    Este projeto visa produo de uma interveno cnica de nome provisrio no sabia que gente morava l, e a sua

    apresentao nas cidades de Guaruj e Bragana Paulista, atravs de um processo que contemple aspectos artsticos e

    pedaggicos para a capacitao e o desenvolvimento dos artistas amadores (de idades variadas) da cidade de Guaruj

    buscando a formao de um ncleo de trocas artsticas nessa cidade.

    Justificativa

    O projeto

    Talvez por ser conhecida por seu potencial turstico, suas lindas praias e, muitas vezes, por sua infraestrutura urbana

    precria No sabia que gente morava l uma frase comum que aqueles que moram no Guaruj escutam quando dizem

    ser de l. Essa frase revela a invisibilidade de seus moradores para a massa de turistas que, em tempos de alta temporada,

    o dobro da de moradores. Essa invisibilidade tambm afeta a cidade em seus aspectos culturais: aqueles que fazem arte em

    Guaruj so, em geral, invisveis. A cidade tem sua importncia desde a poca colonial, com prdios que foram parte da

    histria do pas (e hoje, muitos demolidos), alm de eventos ocorridos em sua fase urea durante o sculo XX. Embora cheia

    de histria e manifestaes de cultura, essas atividades muitas vezes so colocadas de escanteio por no interessarem

    massa de turistas (desejosos por belas praias) e especulao imobiliria.

    A esse processo de esquecimento histrico, junta se o baixo enfoque dado s atividades culturais atuais da cidade. O

    nico edifcio teatral est em reforma desde 2011, sempre adiando sua data de entrega. Os maiores eventos artsticos

  • 3

    promovidos se restringem aos shows de vero a preos que barram a entrada de uma grande parcela da populao, ou

    eventos pontuais como um festival de Jazz ao ar livre. Quaisquer outras atividades que tentem se firmar no cenrio cultural

    da cidade, que possui poucas companhias teatrais, alguns coletivos de artistas plsticos, escritores e msicos, acaba

    passando despercebida.

    No sabia que gente morava l, surge como a primeira direo do proponente Eduardo Bordinhon que tem sua

    formao ligada ao fazer de ator e que nos ltimos anos exerceu a funo como assistente de direo em trabalhos pontuais.

    Alm disso, o projeto engloba a ideia do surgimento de um coletivo de trocas artsticas, um espao onde interessados no

    fazer artstico possam encontrar pares, pensar e realizar projetos em conjunto. O Guaruj uma cidade com diversos artistas

    que, muitas vezes no encontrando possibilidade de realizar seus projetos, acabam mudando para outra cidade Santos,

    So Paulo... ou desistindo do seu fazer artstico. o desejo desse projeto juntar esses artistas em diversos graus de

    formao para uma criao conjunta, um fazer artstico. Assim, essa gente que mora l experiencia sua existncia em um

    espetculo que busca suas memrias e seus processos histricos em uma afirmao de sua arte na rua, dialogando com essa

    gente que tambm mora por ali.

    O Local

    Como a primeira ideia que se tem da cidade so suas praias, o projeto optou por se distanciar desse local, por buscar

    um espao onde a identidade praiana e caiara ainda existisse, mas que fosse aonde o turista no vai. Assim, optou-se pela

    realizao da pea no distrito de Vicente de Carvalho, localizado ao longo do Canal de Santos e que tem seu desenvolvimento

    histrico ligado ao canal e ao porto instalado em suas margens. Em Vicente de Carvalho, escolheu-se a rua, mais

    precisamente a Praa 14Bis, localizada no centro do distrito e que possui intensa movimentao aos fins de semana devido

  • 4

    sua atividade comercial. Queremos ocupar a rua e utilizar todo o poder que o espao pblico nos d para intervir diretamente

    no cotidiano das pessoas que vivem na cidade, criando uma fresta potica inserida diretamente em seu pequeno caos

    urbano. Queremos fazer uma obra que dialogue diretamente com aqueles que moram no Guaruj, afirmar nossa existncia

    como coletivo que entra em contato com ns que habitamos esse espao e no um provedor de belas paisagens para os

    turistas que aqui aparecem no vero.

    O carter artstico pedaggico

    Alm dos aspectos artsticos da montagem, destaca-se a importncia de um carter formativo no projeto. Guaruj

    tem hoje seu edifcio teatral em eterna reforma e poucos so os centros culturais ou as atividades de formao artstica na

    cidade, que se resumem a alguns projetos em msica, desenho, audiovisual, ou atividades inseridas no currculo das escolas,

    mas que, por seu carter pontual, no configuram a formao de artistas pensadores em seu fazer artstico.

    Assim, para somar foras a esses projetos, no sabia que gente morava l surge como um formador de novos

    artistas e aglutinador de artistas em formao a exemplo do projeto Bragana (En) Cena. Realizado desde 2011 em Bragana

    Paulista, o projeto busca, basicamente, incentivar nos alunos/artistas uma investigao do que faz ou no sentido dentro de

    um processo de criao artstica, e tambm desenvolver sensibilidade e ferramentas (tanto tericas quanto tcnicas) para

    concretizar a produo de uma obra. Ali, entende-se que no existe uma ideia geral pr-concebida de como fazer arte mas a

    investigao da construo de uma obra de arte especfica, com uma coerncia que interna entre conceito, forma e

    contedo, e todos os outros elementos que juntos do concretude poesia. Do Bragana (Em) Cena surgiram os espetculos

    Lia Encontra Jackson e Juntos constroem uma Canoa (PROAC 2012) e Vestgios (PROAC 2013) nos quais o proponente

    atuou como assistente de direo. Com a concretizao do projeto no sabia que gente morava l, inicia-se uma possvel

    rede de trocas artsticas entre cidades que no figuram nos grandes circuitos do estado.

  • 5

    Proposta de Dramaturgia

    Quantas histrias passaram por essa cidade desde sua ocupao pelos portugueses? E os ndios que aqui habitaram e

    deixaram como legado o nome dessa cidade? Ser que ainda habitam? Quem so os imigrantes que compem nossa

    populao? Quais as suas histrias? Quantas histrias se repetem todos os dias? Quantas so esquecidas? Quantas esto

    tendo seus desfechos no exato momento em que este texto lido?

    A rua est repleta de poesia e de memria. Nossa rotina, que no nos permite parar, torna impossvel o re-parar.

    Nossos olhos e nossa sensibilidade como um todo esto desgastados por um mundo acelerado que no quer perder tempo.

    Time is Money. Nosso cio investido em descanso fsico e mental para retomar o trabalho mecnico e cotidiano. Como abrir

    uma fresta neste caos? A praia ainda nossa grande fresta? Ou a ela s vo os turistas? Somos turistas em nossas prprias

    praias? Onde esto os moradores de Guaruj? Quem so nossos ilustres moradores? Por que essa praa se chama 14BIS?

    So essas perguntas o motor dramatrgico do espetculo em devir que tem como grande inspirao para a criao o

    texto A hora em que no sabamos nada uns dos outros, de Peter Handke. O texto, como uma grande rubrica, puramente

    descritivo e sem falas, sugere imagens e personagens que cruzam o espao de uma praa, sem compromisso com uma

    verossimilhana realista figuras cotidianas, mitolgicas e histricas dividem o mesmo espao. Tambm contaremos com o

    impulso de uma pesquisa de campo neste cotidiano em que pretendemos intervir. Investigar o lugar no qual o espetculo se

    dar no caso, a praa 14 BIS , em Vicente de Carvalho, Guaruj , seus personagens e suas histrias. Descobrir quais so

    os tipos que por ali passam, quem so e o que fazem os frequentadores assduos do local, primeiro atravs de uma

    observao distncia para depois sentar, prosear e ouvir seus relatos. Outras praas e ruas, da cidade e do mundo,

    serviro de inspirao tambm para povoar e enriquecer ainda mais nosso imaginrio.

  • 6

    No temos compromisso, porm, com nenhuma narrativa. A ideia dar forma a todo este material e universalizar o

    que particular atravs de imagens, situaes e intervenes poticas e performticas, que podem incluir tambm a palavra,

    mas explode para alm dela, visando criar uma obra de arte total, com toda a liberdade adquirida pela arte ao longo dos

    sculos. Trabalhar alquimicamente e transformar o pesado chumbo cotidiano em ouro, atravs de uma poesia que transita

    por diferentes atmosferas e abordagens.

    Proposta de Encenao

    a praa 14 BIS quer voar

    A encenao do espetculo ser concebida dentro do conceito de site specific, elaborada especialmente para um

    determinado local com suas caractersticas, ainda que possa eventualmente ser adaptada para outro local. Pretende-se,

    dessa forma, dialogar diretamente com o espao urbano da rea central do distrito de Vicente de Carvalho, em Guaruj,

    sobretudo a Praa 14 BIS e seu entorno.

    A proposta observar e estudar os fluxos, as lgicas e as relaes atuantes neste determinado espao e assim

    desenvolver e operar uma ao que dialogue com questes locais e globais, atravs de uma grande interveno cnica, que

    visa exploso do espao urbano em um boom potico. Para isso, a pesquisa se dar na busca de recursos diversos, como a

    live art (a criao de uma obra de artes plsticas ao vivo, atravs de uma atitude performtica do artista), projees

    inspiradas no trabalho da artista americana Jenny Holzer e na tcnica de video-mapping (que utiliza projees em dilogo

    com as caractersticas de um determinado anteparo, como uma fachada), alm de instalaes auditivas (como colocar alto-

    falantes nas lixeiras da praa, com gravaes de textos ou outros sons) e visuais (tambm inspiradas no trabalho de Holzer).

    Paralelo e concomitante a isso, a