NOÇÕES BÁSICAS DE PRIMEIROS SOCORROS .PRIMEIROS SOCORROS Introdução • Primeiros Socorros são

download NOÇÕES BÁSICAS DE PRIMEIROS SOCORROS .PRIMEIROS SOCORROS Introdução • Primeiros Socorros são

of 29

  • date post

    08-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    236
  • download

    1

Embed Size (px)

Transcript of NOÇÕES BÁSICAS DE PRIMEIROS SOCORROS .PRIMEIROS SOCORROS Introdução • Primeiros Socorros são

  • Universidade Estadual de Campinas Diretoria Geral de Recursos Humanos Rua da Reitoria, s/n - Cidade Universitria - Campinas/SP - CEP 13083-970

    Fone (19) 3788-4679- Fax (19) 3788-4685 - dgrhdsso@unicamp.br - www.dgrh.unicamp.br

    1

    NOES BSICAS DE

    PRIMEIROS SOCORROS

    DGRH/DSS0/UNICAMP MEDICINA DO TRABALHO

  • Universidade Estadual de Campinas Diretoria Geral de Recursos Humanos Rua da Reitoria, s/n - Cidade Universitria - Campinas/SP - CEP 13083-970

    Fone (19) 3788-4679- Fax (19) 3788-4685 - dgrhdsso@unicamp.br - www.dgrh.unicamp.br

    2

    SSUUMMRRIIOO

    1. INTRODUO ............................ 03 2. AVALIAO DA VTIMA ............... 04 3. PLANO DE AO ......................... 06 4. DESMAIO ................................. 07 5. ASFIXIA .................................. 08 6. HEMORRAGIA ............................ 09 7. FERIMENTOS ............................. 10 8. AMPUTAES TRAUMTICAS ......... 11 9. QUEIMADURAS .......................... 13

    10. CHOQUE ELTRICO ..................... 15 11. INTOXICAO ........................... 17 12. PARADA CARDIO-RESPIRATRIA ..... 20 13. KIT PRIMEIROS SOCORROS ............ 26 14. REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS ....... 27 15. TELEFONES TEIS ....................... 27

  • Universidade Estadual de Campinas Diretoria Geral de Recursos Humanos Rua da Reitoria, s/n - Cidade Universitria - Campinas/SP - CEP 13083-970

    Fone (19) 3788-4679- Fax (19) 3788-4685 - dgrhdsso@unicamp.br - www.dgrh.unicamp.br

    3

    PRIMEIROS SOCORROS

    Introduo

    Primeiros Socorros so a ateno imediata dada uma vtima cujo estado fsico coloca sua vida em perigo. Geralmente se presta atendimento no prprio local.

    Objetivo: manter as funes vitais O que o socorrista deve aprender:

    o que deve procurar o que deve fazer como deve fazer

    Princpios:

    Agir com calma e confiana evitar o pnico Ser rpido, mas no precipitado Usar bom senso, sabendo reconhecer suas limitaes Usar criatividade para improvisao Demonstrar tranquilidade, dando ao acidentado segurana Se houver condies solicitar ajuda de algum do mesmo sexo da vtima Manter sua ateno voltada para a vtima quando estiver interrogando-a Falar de modo claro e objetivo Aguardar a resposta da vtima No atropelar com muitas perguntas Explicar o procedimento antes de execut-lo Responder honestamente as perguntas que a vtima fizer Usar luvas descartveis e dispositivos boca-mscara, improvisando se

    necessrio, para proteo contra doenas de transmisso respiratria e por sangue.

    Atender a vtima em local seguro ( remove-la do local se houver risco de exploso, desabamento ou incndio).

  • Universidade Estadual de Campinas Diretoria Geral de Recursos Humanos Rua da Reitoria, s/n - Cidade Universitria - Campinas/SP - CEP 13083-970

    Fone (19) 3788-4679- Fax (19) 3788-4685 - dgrhdsso@unicamp.br - www.dgrh.unicamp.br

    4

    Avaliar a vitima: Verificar nvel de conscincia

    Verificar se respira Ver Sentir - Ouvir

    Checar pulsao: atravs da artria cartida em adultos ou artria braquial em crianas

  • Universidade Estadual de Campinas Diretoria Geral de Recursos Humanos Rua da Reitoria, s/n - Cidade Universitria - Campinas/SP - CEP 13083-970

    Fone (19) 3788-4679- Fax (19) 3788-4685 - dgrhdsso@unicamp.br - www.dgrh.unicamp.br

    5

    Verificar hemorragias, fraturas e outras leses - Inspeo e Palpao . Improvisar colar cervical quando h suspeita de leso na coluna cervical.

  • Universidade Estadual de Campinas Diretoria Geral de Recursos Humanos Rua da Reitoria, s/n - Cidade Universitria - Campinas/SP - CEP 13083-970

    Fone (19) 3788-4679- Fax (19) 3788-4685 - dgrhdsso@unicamp.br - www.dgrh.unicamp.br

    6

    Plano de ao

    Uma das chaves de sucesso no

    socorro, ter certeza que sua "ajuda" no ir piorar o problema!

  • Universidade Estadual de Campinas Diretoria Geral de Recursos Humanos Rua da Reitoria, s/n - Cidade Universitria - Campinas/SP - CEP 13083-970

    Fone (19) 3788-4679- Fax (19) 3788-4685 - dgrhdsso@unicamp.br - www.dgrh.unicamp.br

    7

    DDEESSMMAAIIOO

    Consiste na perda transitria de conscincia e da fora muscular, devido a diminuio do sangue e oxignio no crebro, sem a parada da respirao.

    Sinais e Sintomas

    Tontura

    Sensao de mal-estar

    Pele fria, plida e mida

    Suor frio

    Perda da conscincia.

    O que fazer: Arejar o ambiente Desapertar as roupas

    Se a vtima estiver consciente: Faz-la sentar-se com os joelhos pouco afastados e a cabea entre os

    mesmos

    Se a vtima estiver inconsciente: Coloc-la com a cabea em nvel mais baixo que o resto do corpo e virada

    para o lado durante o tempo necessrio.

  • Universidade Estadual de Campinas Diretoria Geral de Recursos Humanos Rua da Reitoria, s/n - Cidade Universitria - Campinas/SP - CEP 13083-970

    Fone (19) 3788-4679- Fax (19) 3788-4685 - dgrhdsso@unicamp.br - www.dgrh.unicamp.br

    8

    AASSFFIIXXIIAA

    Consiste na obstruo mecnica das vias areas. Sinais e Sintomas:

    Incapacidade de falar Respirao difcil e barulhenta Gestos de sufocao

    O que fazer: Vtima consciente

    Encoraje-a para tossir vigorosamente. Se a vtima continua asfixiada, faa a Monobra de Heimlich coloque ambos

    os braos em torno do abdome, logo acima do umbigo. Segure seu punho com a outra mo e d quatro apertes rpidos e vigorosos (para dentro e para cima).

    Verifique a boca para ver se expeliu o corpo estranho, remova o objeto somente se visvel

    Repetir o ciclo at passar a asfixia ou a vtima ficar inconsciente. Vtima inconsciente

    Ligar para o nmero local de emergncias mdicas (SAMU = 192) Avaliar respirao, se a vtima no estiver respirando, aplicar 02 respiraes

    (01 segundo por respirao), e verificar se o peito est se expandindo. Iniciar reanimao crdio-respiratria (se est havendo expanso do peito),

    fazendo 05 ciclos de 30 compresses torcicas e duas respiraes (02

  • Universidade Estadual de Campinas Diretoria Geral de Recursos Humanos Rua da Reitoria, s/n - Cidade Universitria - Campinas/SP - CEP 13083-970

    Fone (19) 3788-4679- Fax (19) 3788-4685 - dgrhdsso@unicamp.br - www.dgrh.unicamp.br

    9

    minutos) a um ritmo de 100 compresses por minuto, avaliando a respirao a cada 05 ciclos.

    Realizar uma segunda respirao, se no estiver havendo elevao do trax, inclinando a cabea para trs com elevao do queixo.

    Se no houver elevao do trax aps a segunda respirao, aplicar 05 ciclos de 30 compresses torcicas, e procurar um objeto na boca, removendo-o se o encontrar, e aplicar 02 respiraes.

    ATENO: esta manobra pode ser aplicada em crianas acima de 01 ano e adultos.

    HHEEMMOORRRRAAGGIIAA

    a perda de sangue devido ao rompimento de um vaso sanguneo, veia ou artria.

    O que fazer: Deitar a vtima imediatamente com a cabea mais baixa que o corpo Cobrir o ferimento com compressa improvisada e comprimi-la com firmeza Colocar uma bolsa de gelo ou compressas frias Tranquilizar o acidentado se ele estiver consciente Suspender a ingesto de lquidos Elevar o segmento ferido a nvel mais alto que o corao

  • Universidade Estadual de Campinas Diretoria Geral de Recursos Humanos Rua da Reitoria, s/n - Cidade Universitria - Campinas/SP - CEP 13083-970

    Fone (19) 3788-4679- Fax (19) 3788-4685 - dgrhdsso@unicamp.br - www.dgrh.unicamp.br

    10

    Caso no haja controle, pressionar diretamente as artrias que nutrem o local afetado

    Observar rigorosamente a vtima para evitar parada cardaca e respiratria e encaminhar para avaliao mdica.

    Pequenos Ferimentos

    Ferimento toda leso da pele ( corte, perfurao, dilacerao) produzida por traumatismo em qualquer tipo de acidente. O que fazer:

    Lavar o local do ferimento com gua e sabo (importante para prevenir infeco)

    Cobrir o local da leso com gaze ou um pano limpo, fazendo leve presso sobre o local, mas sem prender a circulao.

    Observao:

  • Universidade Estadual de Campinas Diretoria Geral de Recursos Humanos Rua da Reitoria, s/n - Cidade Universitria - Campinas/SP - CEP 13083-970

    Fone (19) 3788-4679- Fax (19) 3788-4685 - dgrhdsso@unicamp.br - www.dgrh.unicamp.br

    11

    - No lavar o local do ferimento se houver suspeita de fratura. - Ferimentos profundos provocados por pregos, facas ou arma de fogo no remover o objeto, fazer compresso no local da leso com pano limpo ou gaze, envolver com ataduras e transportar para receber assistncia qualificada.

    AMPUTAES TRAUMTICAS

    Leses onde ocorre a separao de um membro e/ou seu segmento. Podem ser causadas por objetos cortantes, por esmagamentos ou por foras de trao. CONDUTA: - Abrir vias areas e prestar assistncia ventilatria, se necessrio. - Controlar a hemorragia. - Controlar o estado de choque, caso presente, enquanto a vtima esteja sendo encaminhada para assistncia qualificada com o segmento amputado.

  • Universidade Estadual de Campinas Diretoria Geral de Recursos Humanos Rua da Reitoria, s/n - Cidade Universitria - Campinas/SP - CEP 13083-970

    Fone (19) 3788-4679- Fax (19) 3788-4685 - dgrhdsso@unicamp.br - www.dgrh.unicamp.br

    12

    Cuidados com o segmento amputado, para o reimplante: - Lavar a parte amputada o mais rapidamente possvel com sabo lquido p