NOSSO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NOSSO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE GESTÃO BEM SUCEDIDA...

Click here to load reader

  • date post

    22-Apr-2015
  • Category

    Documents

  • view

    110
  • download

    4

Embed Size (px)

Transcript of NOSSO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NOSSO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE GESTÃO BEM SUCEDIDA...

  • Slide 1
  • NOSSO SISTEMA DE GESTO DA QUALIDADE NOSSO SISTEMA DE GESTO DA QUALIDADE GESTO BEM SUCEDIDA SISTEMA DE GESTO INTEGRADO DE QUALIDADE S G I Q
  • Slide 2
  • Definir metas Definir caminhos para alcana-las Controlar/monitorar Medir Padronizar NOSSO SISTEMA DE GESTO M T O D O Buscar no mercado Cultivar internamente CONHECIMENTO TCNICO L I D E R A N A Ter os melhores Treinar exausto Criar bom clima de trabalho
  • Slide 3
  • NOSSO SISTEMA DE GESTO DA QUALIDADE 3 GESTO BEM SUCEDIDA
  • Slide 4
  • MACRO PLANEJAMENTO PLANEJAMENTO TRABALHO ETAPAS DO SISTEMA DE GESTO DA QUALIDADE PROJETOS PLANEJAMENTO ESTRATGIO 4 Documentos/registros do sistema QUALIDADE MEIO AMBIENTE SEGURANA/SADE ISO 9001 ISO 14001 ISO 18001
  • Slide 5
  • ANLISE CRTICA DA GESTO SISTEMA DE GESTO DA QUALIDADE SGQ REUNIESSETORIAIS REUNIESCONSELHO MACRO PLANEJAMENTO PLANEJAMENTO TRABALHO-2013 AVALIAES EXTERNAS-BRTUV ETAPAS DO SISTEMA DE GESTO DA QUALIDADE PROJETOS PLANEJAMENTO ESTRATGIO REUNIES GESTO DA QUALIDADE 5 PROCEDIMENTOS GERENCIAIS REGISTROS DA QUALIDADE REUNIES INTERNA MANUAL DA QUALIDADE MANUAL DA QUALIDADE LEIS LEIS NORMAS/PORTARIAS NORMAS/PORTARIAS
  • Slide 6
  • AUDITORIAS INTERNAS SISTEMA AUDITORIAS DE RONDA SISTEMA DE GESTO DA QUALIDADE SGQ TREINAMENTOS CONTROLE DE QUALIDADE GESTO A VISTA MATRIZ CAPACITAO ETAPAS DO SISTEMA DE GESTO DA QUALIDADE 6 PROCESSO DE INTEGRAO QUALIDADEPADRONIZONORMALIZAO GERENCIAMENTO DA ROTINA MEIO AMBINTE SEGURANASADE MOTIVAO EVENTOS SOCIAIS EVENTOS CULTURAIS EVENTOS ESPORTIVOS ANLISE EFICCIA MATRIZ COMPETNCIA CONTROLE DE PENDNCIAS CARTEIRA DE TRABALHO
  • Slide 7
  • ORGANIZAO DO NEGOCIO Capacitao Descrio do negcio Diretriz Anlise crtica da gesto Comunicao Organizar o Negcio
  • Slide 8
  • ORGANIZAO DO NEGOCIO Gerenciamento da Manuteno Gerenciamento da Rotina Ideologia Funes Gerenciamento da Melhoria Organizar o Negcio Estrutura organizacional
  • Slide 9
  • ORGANIZAO DO NEGOCIO Motivao Projeto CEP Projeto Metrologia SGM Itens de Controle Organizao do Tempo Organizar o Negcio
  • Slide 10
  • ORGANIZAO DO NEGOCIO 5S RELATO DE ANOMALIAS PROJETOS PRIORITRIOS PADRONIZAO DTO DIAGNSTICO DO TRABALHO OPERACIONAL Organizar o Negcio
  • Slide 11
  • METAS DE LONGO PRAZO (3 ANOS) METAS ANUAIS ANLISE DE ANOMALIAS CRNICAS NOVOS PROJETOS DE PROCESSO PRIORITRIO (MAPEAMENTO INSERIDO) POLTICAS E NORMAS EXECU- O CON- FORME PA- DRES RESULTADOSRESULTADOS ANLISE DAS ANOMALIAS DIAGNSTICO DO TRABALHO OPERACIONAL CORRETIVOPREVENTIVO CONTROLE CONHECIMENTO INOVADOR (EST NA CABEA DAS PESSOAS) VOLUNTRIO CONHECIMENTO OPERACIONAL (EST NO SISTEMA DE PADRONIZAO) MELHORAR RESULTADOS MANTER RESULTADOS MELHORIA DO PROJETO DO PROCESSO ATUAL PROJETOS PRIORITRIOS ANUAIS PROJETOS PRIORITRIOS DELONGO PRAZO PLANO AO PROJETOS PRIORITRIOS INOVAO E MELHORIA DO PROCESSO ATUAL POLTICAS / NORMAS PADRES PROCEDI- MENTOS TCNICOS REGIMES MANUTENO TREINA- MENTO NOS PADRES MAPEAMENTO PROCESSO ATUAL FLUXOS; CARACT. QUALID.; PARMETROS; TAREFAS RISCOS (MAT. PRIMAS, INSUMOS, EQUIP., INSTRUMENTOS, TAREFAS). DEFINIO DOS PONTOS CRTICOS PARA MANTER CONTROLE ESTATSTICO PROCESSO e INDICADORES DE CONTROLE PROCESSO PARA MELHORAR O ATUAL NVEL DE CONHECIMENTO NA EMPRESA
  • Slide 12
  • +.. Gerenciamento para Melhorar PDCA Competitividade (atender e exceder as expectativas dos clientes) Gerenciamento para Manter SDCA Previsibilidade nos resultados (base para melhoria) GERENCIAMENTO DA ROTINA Definir meta Elaborar plano Executar plano Verificar resultados Padronizar ou refazer plano (ao corretiva - girar o PDCA) Objetivo Como Composto 5S (GERENCIAMENTO DO CRESCIMENTO DO SER HUMANO) Suportado pelo Estabelecer padro Treinar/educar e cumprir padro Verificar cumprimento dos padres Agir corretivamente sobre desvios (controle de processo)
  • Slide 13
  • ASPECTOS HUMANOS ASPECTOS OCUPACIONAIS Descrio do Negcio Ideologia Nosso universo em conformidade Itens de Controles e Metas prioritrias Gerenciamento das Pessoas ANLISE CRTICA DA GESTO Poltica Gerenciamento da Rotina (Previsibilidade) Mtodo SDCA Gerenciamento dos Processos COMUNICAO INTERNACOMUNICAO INTERNA Diretriz ORGNIZAODOTEMPOORGNIZAODOTEMPO Gerenciamento da Melhoria (Competitividade) Mtodo PDCA + Funes Capacitao Motivao Empowerment Viso Princpios Misso Modelo Gerenciamento Da Rotina Modelo Gerenciamento Da Rotina
  • Slide 14
  • Rotina do dia-a-dia TPM Metas Plano de AO Bsico Gerenciamento da RotinaAvanado Gerenciamento da Melhoria Identificao das Anomalias Crnicas Eliminao das Anomalias Crnicas Fenmenos Indesejveis Prioritrios Diagnstico do Trabalho Operacional Anlise de Processo Tratamento de Anomalias Resultado Cumprimento dos Padres Treinamento nos Padres Padres NO Remover Sintoma SIM OK? Indicadores de Controle Controle Estatstico de Processo CEP) Grupos de Trabalho Anlise Crtica Gerencial Projetos prioritrios MSPs Controle de Processo Anlise Crtica Analise Estatstica de Processo(CEP)
  • Slide 15
  • Metas Plano de AO Avanado Gerenciamento da Melhoria Identificao das Anomalias Crnicas Eliminao das Anomalias Crnicas Fenmenos Indesejveis Prioritrios Anlise de Processo Grupos de Trabalho Anlise Crtica Gerencial Projetos prioritrios MSPs Controle de Processo Analise Estatstico de Processo (Base do CEP) ESTRATEGICOESTRATEGICOESTRATEGICOESTRATEGICO ESTRATEGICOESTRATEGICOESTRATEGICOESTRATEGICO
  • Slide 16
  • Rotina do dia-a-dia TPM Anlise Crtica Tratamento de Anomalias Resultado Cumprimento dos Padres Treinamento nos Padres Padres NO Remover Sintoma SIM OK? Indicadores de Controle Controle Estatstico de Processo (CEP) Controle de Processo Bsico Gerenciamento da Rotina Diagnstico do Trabalho Operacional
  • Slide 17
  • NECESSIDADES MOTIVACIONAIS NECESSIDADES SETORIAS Motivao FisiolgicasSeguranaSocialEstimaAuto-realizao Necessidades Bsicas ELIMINAR O DESCONFORTO BUSCAR O CONFORTO
  • Slide 18
  • No Habilitado - No domina o padro - No opera sozinho - No esta na condio de treinando no posto Aprendiz - O treinando No tem habilidade na tarefa sendo o padrinho o responsvel pelos resultados Habilitado - Domina o padro - Tem cuidados com os riscos potenciais da tarefa - Identifica e controla as no conformidade de produto - Opera sozinho porem esta sob DTO - Relata anomalia - Conhece o produto CSN, sua possveis falhas e quais so as relaes com o processo - Conhece as crenas e polticas de qualidade e meio ambiente - Conhece a misso e a viso da sua UGB, bem como a sua participao na mesma Autnomo - habilitado (no precisa mais de DTO) - No precisa de motivao para executar as atividades - T em um nvel alto de cooperao com a superviso e colegas - Tem um excelente relacionamento com os colegas e a superviso - T em um timo nvel de assiduidade em treinamentos e reunies - exemplo em postura segura - Seu Nvel de insatisfao baixssimo Padrinho - habilitado ou Autnomo - Tem boa comunicao - reconhecido pela equipe pelo seu conhecimento nas atividades - Tem facilidade para ensinar Conceito dos Nveis CRITRIOS PARA A HABILITAO - SEGMENTO OPERACIONAL ResultadoClassificaoHabilidades Nvel de Evoluo no Processo de capacitao por posto de trabalho CRITRIOS PARA OS NVEIS DA HABILITAO
  • Slide 19
  • Auto Realizao Necessidade de Estima Necessidades Sociais Necessidades de Segurana Necessidades Fisiolgicas Secundarias Primarias MOTIVAO - Teoria de Maslon A motivao parte das necessidades das pessoas A motivao parte deste principio de que, de acordo com que as necessidades vo sendo atingidas as pessoas comeam a apresentar sinais de motivao. Se as necessidades no forem sendo atendidas uma a uma dentro da pirmide no ser atingido o grau de Realizao. A cada vez que se preenche um degrau de maneira completa, ir surgir de forma natural a necessidade do do nvel seguinte Comer, beber, abrigar-se do frio ou calor..... Necessidade Fsica, proteo ao perigo.... Ambio, Aceitao, valorizao, ausncia de resistncia....... Feed Back, sentimentos, impresses percebidas...... Crescimento, desenvolvimento continuo, realizao, fazer mais......
  • Slide 20
  • 20 FERRAMENTAS DO SISTEMA DE GESTO NEMOTO NOSSO UNIVERSO EM CONFORMIDADE Direo Situao Funes Gerencial Staff Superviso Operao NormalOcorrncia de Falhas Gerenciais Operacionais. Estabelece METAS que garantem a sobrevivncia da empresa a partir do plano estratgico. Relata as anomalias. Atividades de Cada Funo Atinge METAS (PDCA) Treina funo superviso Ajuda a funo gerencial contribuindo com o conhecimento tcnico Verifica se a funo operao est cumprindo os procedimentos operacionais padro. Treina a funo operao. Cumpre os Procedimentos Operacionais Padro Registra as anomalias e relata para funo gerencial. Conduz anlise das anomalias, atacando as causas imadiatas, Estabelece METAS para corrigir a Situao Atual Compreende o Relatrio da Situao Atual Faz semestralmente,o Relatrio da Situao Atual para chefia Elimina as anomalias crnicas atuando nas Causas Fundamentais (PDCA). Rev periodicamente as anomalias detectando Anomalias Crnicas (Anlise de Pareto). Verifica diariamente as anomalias no local de ocorrncia atuando complementarmente funo superviso.
  • Slide 21
  • Pessoas Motivadas 5 S Sistema Organizador AMBIENTE DE TRABALHO SEGURO SATISFAO DO EMPREGADO
  • Slide 22
  • EQUIPE DE TRABALHO EQUIPE DE TRABALHO AMBIENTE DE TRABALHO Estrutura de Apoio para implantao do Programa 5S FACILITADOR EQUIPE DE AUXILIARES EQUIPE DE AUXILIARES COORDENADOR
  • Slide 23
  • Dicas para o 5S O 5S visa criar um ambiente que gere a auto-disciplina. Este ambiente se caracteriza por ser: - Alegre- Participativo; - Saudvel;- Sem desperdcio; - De confiana mtua;- Seguro; - Justo;- Digno; - Sem medo;- Otimista; - Organizado- Estimular melhoria contnua. Precisamos ter como objetivos permanentes para o 5S: Melhorar o ambiente fsico de trabalho; Melhorar o ambiente participativo (moral); Reduzir o ndice de acidentes de trabalho.
  • Slide 24
  • PADRONIZAO EM UMA EMPRESA PADRES Padres de sistema Padres Tcnicos Formados por Contedos sistemas, seqncias, procedimentos e mtodos Formados por Assuntos tcnicos relacionados direta ou indiretamente a um produto ou servio Padres de Inspeo Formados com critrios de aceitao para um produto, matria prima, insumos ou servio Padres Operacionais Formados com o Como se ir atingir os resultados esperados
  • Slide 25
  • RESPOSTA TEMPO x a b d c NOENVOLVIMENTO CONHECIMENTO ENTENDIMENTO ACEITAOCOMPROMETIMENTOIMPLEMENTAO ACEITAO + COMPROMETIMENTOCRENA CRENA + ATITUDEVALOR VALOR 1 + VALOR 2 + VALOR 3CULTURA FAZES DA CAPACITAO
  • Slide 26
  • CLULAS so Equipes autogeridas : So equipes que tm responsabilidade e autoridade para gerenciar o seu dia-a-dia Uma Clula tem que ter a viso de ser: auto-independente ; auto-gerencivel auto-independente ; auto-gerencivel Modelo de Clula Perfeito
  • Slide 27
  • NOSSA HISTRIA MS: DEZ ANO:2013
  • Slide 28
  • NOSSA HISTRIA MS: DEZ ANO:2013