Nota de esclarecimento · Nota de esclarecimento Portos do Paraná Publicado em 26/05/2020 A Portos...

of 1 /1
Nota de esclarecimento Portos do Paraná Publicado em 26/05/2020 A Portos do Paraná esclarece que um tripulante filipino, que chegou ao porto de Paranaguá na madrugada desta segunda-feira (25), está internado no Hospital Paranaguá com suspeita de COVID-19. O navio MV CLYMENE, de bandeira maltense, embarcava soja no berço 214 quando o comandante relatou a situação para o agente marítimo. Seguindo os protocolos estabelecidos pela Portos do Paraná, o serviço de resgate exclusivo para COVID-19 do OGMO foi acionado, encaminhando o tripulante até o hospital, onde foi realizado o teste rápido que identifica o coronavírus. Imediatamente após o primeiro resultado positivo, mesmo na espera de contraprova, a operação foi paralisada e a embarcação isolada até novas instruções da ANVISA. A Portos do Paraná reforça que segue medidas rigorosas de controle sanitário e saúde. Nenhum tripulante de navio vindo do exterior está autorizado a desembarcar nos portos de Paranaguá e Antonina antes do prazo de 14 dias da chegada ao primeiro porto brasileiro. A atracação só é feita após a emissão do Certificado de Livre Prática, pela Anvisa, o que aconteceu na chegada do navio à baía de Paranaguá - no último dia 5. Além disso, sob qualquer suspeita, a autoridade portuária tem a prerrogativa de paralisar a operação, como forma de proteger os trabalhadores portuários envolvidos. Este é o primeiro caso registrado nos portos paranaenses, desde o início da pandemia, em janeiro. Atenciosamente, Assessoria de Imprensa Portos do Paraná

Embed Size (px)

Transcript of Nota de esclarecimento · Nota de esclarecimento Portos do Paraná Publicado em 26/05/2020 A Portos...

  • Nota de esclarecimentoPortos do ParanáPublicado em26/05/2020

    A Portos do Paraná esclarece que um tripulante filipino, que chegou ao porto de Paranaguá na madrugada desta segunda-feira (25), está internado no Hospital Paranaguá com suspeita de COVID-19. O navio MV CLYMENE, de bandeira maltense, embarcava soja no berço 214 quando o comandante relatou a situação para o agente marítimo. Seguindo os protocolos estabelecidos pela Portos do Paraná, o serviço de resgate exclusivo para COVID-19 do OGMO foi acionado, encaminhando o tripulante até o hospital, onde foi realizado o teste rápido que identifica o coronavírus. Imediatamente após o primeiro resultado positivo, mesmo na espera de contraprova, a operação foi paralisada e a embarcação isolada até novas instruções da ANVISA.A Portos do Paraná reforça que segue medidas rigorosas de controle sanitário e saúde. Nenhum tripulante de navio vindo do exterior está autorizado a desembarcar nos portos de Paranaguá e Antonina antes do prazo de 14 dias da chegada ao primeiro porto brasileiro. A atracação só é feita após a emissão do Certificado de Livre Prática, pela Anvisa, o que aconteceu na chegada do navio à baía de Paranaguá - no último dia 5. Além disso, sob qualquer suspeita, a autoridade portuária tem a prerrogativa de paralisar a operação, como forma de proteger os trabalhadores portuários envolvidos.Este é o primeiro caso registrado nos portos paranaenses, desde o início da pandemia, em janeiro.

    Atenciosamente,

    Assessoria de Imprensa

    Portos do Paraná