Notícia Urgente Ed. 255

of 16 /16
ASSEMP lança selo comemorativo de seus 55 anos Mais quatro anos de trabalho Posse da diretoria Janeiro/Fevereiro de 2013 I Edição 225 I Ano 21 Notícia Urgente Porta-voz do Servidor Pág. 4 Terceirização na PBH é investigada pelo Ministério Público Págs. 8 e 9 Inscrições para o NCSC e Espaço Viver Bem ASSEMP Pág. 11 Previdência fecha 2012 com déficit de mais de R$ 100 milhões Pág. 3 Prefeitura suspende pagamento de férias-prêmio Presidente Angelo Flores e membros da diretoria e conselhos tomam posse para gerir a ASSEMP até 2016 – Páginas 6 e 7

Embed Size (px)

description

Destaque: Posse da Diretoria

Transcript of Notícia Urgente Ed. 255

  • ASSE

    MP

    lan

    a se

    lo

    com

    emor

    ativo

    de s

    eus 5

    5 ano

    sMais quatro anos de

    trabalho

    Posse da

    diretoria

    Janeiro/Fevereiro de 2013 I Edio 225 I Ano 21

    Notcia Urgente

    Porta-voz do Servidor

    Pg. 4

    Terceirizao na PBH investigada pelo Ministrio Pblico

    Pgs. 8 e 9

    Inscries para o NCSC e Espao Viver Bem ASSEMP

    Pg. 11

    Previdncia fecha 2012 com dficit de mais de R$ 100 milhes

    Pg. 3

    Prefeitura suspende pagamento de frias-prmio

    Presidente Angelo Flores e membros da diretoria e conselhos tomam posse para gerir a ASSEMP at 2016 Pginas 6 e 7

  • Notcia Urgente - rgo Informativo da ASSEMP(31) 3237-5000 - [email protected] de Comunicao e OuvidoriaJornalista Jos Almir da Rosa Reg. Prof.: MG 07771 JP

    Notcia Urgente

    Associao dos Servidores Municipais da Prefeitura de Belo Horizonte - Fundada em 1/3/58R. da Bahia, 1033 - 3, 4,5, 6, 8, 9, 10 e 13 andares CEP: 30.160-905 - Belo Horizonte - MG(31)3237-5000www.assemp.org.br - [email protected]

    Presidente de Honra - Dr. Celso Mello de Azevedo

    Presidente - Angelo Augusto Flores Carvalho1 Vice-presidente - Anselmo Horta Nassif2 Vice-presidente - Carlos Alberto de Oliveira Diretor financeiro - Horaldo Oliveira SantosPresidente do Conselho Administrativo - William NagemPresidente do Conselho Fiscal - Manoel Teixeira Cardoso

    Berlim Comunicao(31) 3054-4376Texto e fotos - Vitor Moreira Reg. Prof.: 14055/MGTexto e foto da pgina 14 Gabriela Vilaa Reg. Prof.: 16340/MGProjeto grfico edio de arte - Paula FerreiraImagens de banco: stock.xchng

    Assempinho, o boneco mascote da ASSEMP, uma criao de Ricardo S / O cartum do presidente Angelo Flores uma criao do ilustrador Venes CaitanoImpresso: Fumarc - Tiragem: 18.000 exemplares

    Feliz ano velho

    Expediente

    Permitida a reproduo das matrias no todo ou em parte, desde que citada a fonte. As matrias assinadas no refletem necessariamente a posio da ASSEMP e so de inteira responsabilidade do autor.

    Rompemos 2012. Ao contrrio do que afirmavam

    as vrias interpretaes das profecias maias, o mundo

    no acabou. Muito pelo contrrio. A vida seguiu seu

    fluxo normal e, pelo menos aqui em nossa capital, a

    sensao de que o ltimo ano nem mesmo terminou.

    Na esfera executiva, teremos mais quatro anos de

    mandato do prefeito Marcio Lacerda, com a diferen-

    a de que, dessa vez, sem o apoio do PT. Na Cma-

    ra Municipal, o filme tambm ser repetido. O ltimo

    presidente da casa, vereador Lo Burgus, conseguiu

    se reeleger mesmo enfrentando a resistncia do pre-

    feito e do senador Acio Neves, que apoiavam outros

    candidatos e comandar o legislativo por mais dois

    anos.

    Ao olhar a cidade de uma forma mais ampla, sem

    se conter apenas esfera poltica, as coisas tambm

    parecem no ter mudado muito de um ano pra c.

    Belo Horizonte permanece um verdadeiro canteiro

    de obras. No h como escapar: por qualquer caminho

    que voc siga, invariavelmente acabar esbarrando em

    uma obra de mobilidade urbana, o famoso legado da

    Copa. No que essas intervenes no possam trazer

    benefcios futuros. Algumas eram realmente necess-

    rias e urgentes. O questionvel a falta de planeja-

    mento com que tudo feito, prejudicando o trnsito,

    dificultando a vida dos pedestres, desorientando aque-

    les que precisam do transporte pblico e j no sabem

    mais onde pegar seu nibus etc.

    Por que, por exemplo, concluir toda a duplicao

    da avenida Antnio Carlos para, apenas alguns meses

    depois, comear a quebrar tudo de novo, com o ar-

    gumento de que o asfalto utilizado no resistente o

    suficiente para suportar o peso do BRT? Ser mesmo

    que ningum na Prefeitura fazia ideia de que o BRT se-

    ria implantado e que, portanto, a duplicao j poderia

    ter sido feita com o material adequado?

    Outra questo que se repete indefinidamente, espe-

    cialmente nesses meses de vero, o problema das

    chuvas e das enchentes. Ano aps ano presenciamos

    as imagens do Arrudas transbordando, de carros sendo

    arrastados na avenida Francisco S, de nibus sendo

    cobertos pela gua na avenida Cristiano Machado. At

    quando?

    A verdade que 2013 chegou, mas ele veio com

    toda a cara de 2012.

    O redator

    Por que concluir toda a duplicao

    da avenida Antnio Carlos para,

    apenas alguns meses depois,

    comear a quebrar tudo de novo?

    Janeiro/Fevereiro de 2013 I Edio 2252

  • Servidores que optaram pelo rece-bimento de suas frias-prmio em espcie foram surpreendidos pela no-tcia de que a Prefeitura suspendeu os paga-mentos do benefcio. A informao, repassada pela Gerncia de Tempo de Servio, vinculada Secretaria Adjunta de Recursos Humanos, de que o pagamento foi suspenso por falta de verba e que no h previso para que a situao seja normalizada.

    A reportagem do Notcia Urgente ques-tionou o novo secretrio de Planejamento, Oramento e Informao, Leonardo Paolucci, sobre o problema, mas ele afirmou que no tinha conhecimento de nenhuma determina-

    o da PBH nesse sentido. A Secretaria de Recursos Humanos tambm foi procurada, por meio de sua assessoria de imprensa, mas optou por no se pronunciar.

    O problema de pagamento de frias-prmio

    no novo. Em fevereiro de 2011, o Notcia Urgente j havia publicado uma reportagem relatando que o tempo mdio de espera para que um servidor consiga receber o benefcio de trs anos aps a requisio.

    Prefeitura suspende pagamento por falta de verba

    Servidores sem frias-prmio

    Janeiro/Fevereiro de 2013 I Edio 2253

    A licena-prmio por assiduidade, popularmente conhecida como frias-prmio, con-cedida ao servidor a cada dez anos de exerccio efetivo de cargo pblico da administrao direta. O benefcio est previsto no Art.159 do Estatuto do Servidor e prev o direito a seis meses de licena ou sua converso em espcie. A lei, porm, no estabelece prazos para a concesso da licena ou para seu pagamento.

    O que so as frias-prmio

    Enquanto os ocupantes de cargos polticos no Municpio recebem aumentos de at 34% e conquistam reajustes anuais automticos, a situao dos servidores bem diferente. Apesar de todos os apelos, at hoje a PBH no respeita a data-base de reajuste do fun-cionalismo municipal. Na ltima campanha salarial, em 2011, os servidores da administrao conseguiram um

    reajuste de 13,92%, dividido em quatro parcelas (a ltima s comeou a ser paga em no-vembro de 2012). J a inflao acumulada dos dois ltimos anos foi de 12,28%, ou seja, de 2011 pra c os servidores tiveram ganho real em seus salrios de apenas 1,64%.

    Enquanto isso, os servidores

    Prefeito e vereadores ganham aumentoVice-prefeito e secretrios municipais tambm tm reajuste bem acima da inflao

    Entrou em vigor no dia 1 de janeiro a Lei 10.590, que concedeu aumento salarial para o prefeito Marcio Lacer-da, seu vice, para os secretrios municipais e para os 41 vereadores que compem a C-mara Municipal (veja boxe).

    A nova lei tambm estabelece reajustes

    anuais automticos para todos os ocupantes desses cargos em 2014, 2015 e 2016, o que implica que no incio de cada ano os sal-rios desses agentes polticos sero reajusta-dos de acordo com a inflao. Somente em 2013, os reajustes custaro aos cofres do Municpio mais de R$ 3 milhes.

    CargO QuantO rECEbia nOvO SalriO rEajuStEPrefeito R$19.080,00 R$23.430,24 22,8%

    Vice-prefeito R$12.783,60 R$15.698,26 22,79%Secretrio Municipal R$12.783,60 R$15.698,26 22,79%

    Secretrio-adjunto municipal R$ 10.494,00 R$12.886,63 22,79%Vereador R$9.288,05 R$12.459,92 34,15%

    ?

  • Uma denncia realizada pelo Sindica-to dos Servidores Pblicos Municipais de Belo Horizonte (Sindibel) reacen-deu a discusso sobre um problema histrico na PBH: a terceirizao. Segundo a direo do Sindibel, o nmero de trabalhadores ter-ceirizados nos diversos rgos e fundaes da Prefeitura passaria de 20 mil. Levando em considerao que o nmero de servidores efetivos, hoje, de aproximadamente 32 mil, isso significa dizer que mais de 38% dos car-gos da PBH so ocupados por terceirizados.

    Como a terceirizao proibida por lei em diversas situaes, a Prefeitura de Belo Hori-zonte estaria utilizando a Associao Munici-pal de Assistncia Social para realizar essas contrataes. A Amas uma entidade da sociedade civil de direito privado, criada para desenvolver atividades scio-assistenciais para os menos favorecidos de Belo Horizonte. De acordo com dados disponveis no site da Prefeitura, em 2012 a PBH firmou dez con-vnios com a Amas, num valor total de R$ 52,6 milhes. Somente um desses convnios,

    firmado com o Fundo Municipal de Sade, al-cana o valor de R$ 38 milhes.

    Para efeitos de comparao, outras duas entidades assistenciais que prestam servios semelhantes Amas e que firmaram conv-nio com a PBH em 2012 receberam R$ 450 mil e R$ 99 mil, respectivamente. O Ministrio Pblico j est investigando o caso, que teve grande repercusso no Estado de Minas. Ao jornal, o prefeito Marcio Lacerda afirmou ha-ver algumas distores nos contratos feitos com a Amas.

    PBH investigada por utilizar convnios com a Amas para contratar profissionais sem concurso pblico

    terceirizao na Prefeitura

    Janeiro/Fevereiro de 2013 I Edio 2254

    Fevereiro de 2013 I Edio 2254

    Interpor uma ao judicial implica suportar al-gumas custas e despesas definidas pelo prprio Poder Judicirio, e outras arbitradas pelo juiz da causa. A regra processual diz que o autor da ao deve adiantar o pagamento das custas e, ao final da demanda, o vencedor da causa dever ser ressarcido do que eventualmente gastou. Em 1950, foi editada a Lei n. 1.060, em vigor

    at os dias de hoje, que prev a gratuidade judi-ciria ou justia gratuita, referindo-se iseno das custas e despesas judiciais relativas aos atos indispensveis ao andamento do processo at o seu provimento final. A lei no define quem seria o destinatrio da gratuidade. Determina apenas que a iseno est condicionada insuficincia de recursos financeiros, de modo que o paga-mento das referidas custas e despesas prejudi-que o sustento da parte interessada.

    Pela falta de critrios objetivos, o merecimento ou no da gratuidade judiciria submetido anlise subjetiva de cada juiz.H at pouco tempo no se enfrentavam gran-

    des dificuldades em relao interpretao e aplicao da lei. Bastava uma simples declarao afirmando a incapacidade de suportar os custos do processo para que o juiz concedesse a gratui-dade judiciria.Atualmente, no entanto, vem se firmando uma

    corrente de entendimentos entre julgadores e doutrinadores no sentido de que a concesso da justia gratuita sem critrios tornou-se um pro-blema. Isso porque deixa de ser uma garantia de acesso por parte do pobre justia para bene-ficiar pessoas de classes econmicas privilegia-das, que teriam condies de pagar.Na prtica, a significativa adeso a tal corrente

    se concretiza ou se consolida no volume de de-cises que indeferem o benefcio parte que o requer. Essas decises, em sua maioria, invocam o artigo 5, inciso LXXIV, da Constituio Fede-ral de 1988, segundo o qual o Estado prestar assistncia jurdica integral e gratuita aos que comprovarem insuficincia de recursos. Diante do novo cenrio, embora ainda haja

    julgadores que deferem o benefcio a quem apresente apenas a declarao de hipossufici-ncia financeira, o fato que a apresentao de comprovantes de despesas que levem o juiz a acreditar que a renda da parte interessada consumida para o sustento da famlia (tais como conta de gua, conta de luz, conta de telefone, cupom fiscal de supermercado, comprovante de gastos com educao e sade) no garante, mas favorece muito a concesso da justia gratuita.

    Notcias Jurdicasgratuidade judiciria: preciso comprovar a necessidade?

  • A Prefeitura Municipal de Belo Horizon-te inaugurou, no dia 18 de dezem-bro, a nova central de atendimento ao servidor. O servio possibilita resolver to-das as demandas em um nico local, sem precisar se deslocar entre diferentes rgos. Funciona como uma espcie de BH Resolve do servidor. Na central, ele pode esclarecer dvidas e solucionar questes referentes a posse, concesso de licena e aposentado-ria, emisso de certides e de contribuio para o INSS, reviso de benefcios, dentre

    outras.Com a inaugurao do novo espao, os

    atendimentos que eram feitos na Secretaria Adjunta de Recursos Humanos deixam de ser realizados. O servidor deve se dirigir sempre central de atendimento. Outra novidade que as secretarias adjuntas de Recursos Humanos e de Gesto Previdenciria esto em novo endereo: rua Uberaba, 295 Bar-ro Preto. Os telefones tambm mudaram. Os novos nmeros podem ser consultados no site da PBH (www.pbh.gov.br).

    PBH inaugura nova central de atendimento ao servidor

    atendimento aprimorado

    EndereoA central de atendimento do servidor

    da PBH est funcionando na avenida Afonso Pena, 550 2 andar (entre rua So Paulo e Praa Sete). O telefone de contato o 3277-4226 e o horrio de funcionamento de 8h s 17h.

    @

    Janeiro/Fevereiro de 2013 I Edio 2255

    O rosto de Deus CrnicaPB

    H/D

    ivul

    ga

    o

    Quando eu era criana, a imagem que tinha do rosto de Deus era de um senhor de barbas brancas e que, com o Seu poder, tudo via, inclusive nossos pensamentos. Era um Deus que nos causava temor e nos obrigava a cumprir todos os Seus preceitos sob a pena de morrer e ir para o inferno.

    Hoje tudo mudou, at mesmo a forma com este mesmo Deus apresentado humanidade. Salvo algumas excees, hoje temos o rosto de um Deus mais humano, mais prximo da realidade das pesso-as, creio que seguindo os preceitos bblicos: imagem e semelhana do ser humano. No abordo tal tem-tica porque quero apresentar uma tese de teologia. Longe disso!

    Na verdade quero contar uma histria que aconte-ceu comigo ali na Praa da Estao, na regio central de Belo Horizonte. Eis que vinha para o centro num nibus lotado, meio molhado por causa da chuva. Ainda por cima atrasado. Estava em p, cabisbaixo e ansioso para chegar ao meu destino. Infelizmente, por conta da chuva, o trnsito estava lento e meu nibus podia, com grande chance de perder, disputar

    uma corrida com uma tartaruga.Em um ponto de nibus ali da avenida Andradas,

    pouco depois da Praa, uma me com um menino de uns cinco anos esperava o coletivo. Ambos estavam meio molhados. O menino estava sentado, meio en-colhido e com a cabea no colo da me. Ainda bem que no estava frio, porque ambos estavam sem agasalhos.

    Sem nada para fazer, buscando uma distrao, de dentro do nibus fiz um sinal de joia para o pequeno. Discretamente fui correspondido. Percebi que havia algo de diferente naquela criana. Minha curiosidade foi aguada e novamente fiz o gesto no intuito de ter uma resposta. Ele me respondeu. Junto com a res-posta deu um sorriso meio tmido e apontou para a me como que querendo me dizer que ela podia no gostar do nosso dilogo gestual.

    O nibus continuava na velocidade do quelnio, mas a esta altura nem ligava, porque a minha curta relao com o menino tinha expulsado a ansiedade. Continuei a mexer com a criana e aos poucos ela foi se abrindo e fazendo novos gestos. De repente se

    sentou, apontou para a boca e com um gesto negati-vo informou que no podia falar. Em seguida apontou para o pescoo e vi que o menino tinha uma inter-veno na traqueia. Aps esse momento ele ainda expressou muitos outros gestos, inclusive que estava feliz. Desenhou isso na sua face.

    Meu nibus comeou a andar. Dei tchau ao peque-no. Ele sorriu. No ouvi o som, mas pelo seu rosto parecia uma gargalhada. Aquilo me tocou e de re-pente percebi que aquela felicidade tinha me con-taminado. O sorriso ficou para trs. Percebi naquele instante que tinha acabado de estar diante do rosto de Deus.

    Jos Almir da Rosa

    Jornalista e ouvidor da ASSEMP

  • Janeiro/Fevereiro de 2013 I Edio 2256

    Fevereiro de 2013 I Edio 2256

    Em cerimnia realizada no sexto andar do edifcio sede foram empossados, no dia 28 de janeiro, a diretoria e os conselheiros que estaro frente da Associa-o pelos prximos quatro anos (2013-2016). Todos os atuais ocupantes dos cargos foram reeleitos. Alm do presidente Angelo Flores, assinaram o termo de posse o vice-presiden-te Carlos Alberto de Oliveira; o presidente e a secretria do Conselho de Administrao, William Nagem e Maria do Carmo Beldram; o presidente do Conselho Fiscal, Manoel Teixeira Cardoso; o conselheiro fiscal Hlio Martins; e o diretor financeiro, Horaldo Oliveira Santos.

    O evento contou com a presena de lideran-as sindicais e polticas, associados, conselhei-ros e funcionrios da Associao. Em seu dis-curso, o presidente relembrou uma promessa feita em 1995, quando assumiu a presidncia da ASSEMP e garantiu que a tornaria reco-nhecida. Temos, hoje, uma Associao forte e respeitada. S tenho a agradecer aos cem funcionrios da ASSEMP, que me ajudam a to-car essa entidade. A cerimnia ainda foi mar-cada por um minuto de silncio em memria s vtimas do acidente em Santa Maria-RS.

    Presidente Angelo Flores comandar a entidade at 2016

    aSSEMP empossa diretoria

    justas homenagensNo conheo outra pessoa que batalhe

    de forma to incansvel pelos direitos dos servidores municipais. Que o presi-dente Angelo Flores possa permanecer firme nesse objetivo.Carlos Alberto de Oliveira2 vice-presidente

    Sado o presidente em nome da direto-ria do Sindibel e de todos os servidores. Tem sido uma honra lutar ao seu lado e espero que possamos consolidar cada vez mais essa unio.Clia de LlisPresidente do Sindibel

    Muito do que temos feito e conquistado em prol dos servidores da SLU se baseia em ensinamentos do presidente Angelo Flores.Antnio Fernandes (Toninho) Presidente da Asselurb

    Trabalhar ao lado do presidente Angelo Flores uma grande honra. Que assim seja pelos prximos quatro anos.Elizabeth LimaGerente do Ncleo de Convivncia

    Conheci o presidente em uma poca efervescente, em que ramos mais jo-vens e mais radicais. O momento era de romper barreiras e lutar por liberdade. Com esse esprito Angelo Flores conse-guiu transformar a Assemp e torn-la essa entidade to respeitada.Rogrio CorreiaDeputado estadual

  • Janeiro/Fevereiro de 2013 I Edio 2257

    Sempre na lutaEstamos assumindo mais um mandato

    frente da ASSEMP, sempre com o com-promisso de bem servir os associados por meio de servios que possibilitem uma melhor qualidade de vida a todos que fazem parte da entidade. Hoje j so-mos quase 15 mil scios.Comeamos esta nova jornada, porm,

    com um problema: a resciso unilateral do plano de sade Santa Casa. Infeliz-mente, recebemos essa notcia j no final de dezembro. A principal alegao apresentada pela operadora que os planos encontram-se deficitrios e, devi-do a isso e outros fatores, o servio est sofrendo uma interveno da ANS, que cobra o equilbrio contratual e a melhoria na qualidade do atendimento prestado.Nossa carteira, uma das mais antigas

    atendidas pelo plano Santa Casa, acabou sendo o alvo da operadora, que entende no ser mais possvel continuar ofere-cendo seus servios a ns. Lamentvel!Desde ento, a Associao vem bus-

    cando todos os meios para minimizar esse transtorno na vida dos associados e seus familiares. Neste primeiro momento a entidade deseja negociar com a pr-pria operadora, o que parece que con-seguiremos. Caso isso no seja possvel, visando o bem-estar dos associados, se for o caso, buscar at apoio da justia.Paralelamente a ASSEMP tem buscado

    no mercado empresas do ramo que te-nham interesse em assumir a carteira de usurios do plano Santa Casa.Lamento muito que essa situao es-

    teja ocorrendo. Comprometo-me, como sempre fiz, a esgotar todas as possibi-lidades, visando ofertar uma soluo vi-vel a todos. No descansarei jamais!Diante desse quadro e de todos os

    desafios que surgem diariamente na ASSEMP, peo a Deus muita sade e sabedoria para bem exercer este novo mandato e espero contar com o apoio dos scios. Que Deus nos ajude!

    Crnicasdo

    Angelo

    Estamos assumindo mais um

    mandato frente da ASSEMP, sempre

    com o compromisso de bem

    servir os associados

  • Janeiro/Fevereiro de 2013 I Edio 2258

    inscries para o ncleo de Convivncia e Espao viver bem assempAssemp divulga perodos de matrcula e data de incio dos cursos regulares e dos atendimentos de sade

  • Janeiro/Fevereiro de 2013 I Edio 2259

    inscries para o ncleo de Convivncia e Espao viver bem assempAssemp divulga perodos de matrcula e data de incio dos cursos regulares e dos atendimentos de sade

  • Janeiro/Fevereiro de 2013 I Edio 22510

    Por que fazer o carto Araujo?O carto permite comprar produtos faturados e participar dos descontos oferecidos aos clientes da drogaria. Quais so os produtos que poderei comprar com desconto?Produtos que se encontram nos folhetos da Araujo e que apresentam valor diferenciado para conveniados. H desconto, tambm, em toda a linha de medicamentos genricos. Qual a forma de pagamento para este carto?O pagamento pode ser vista ou faturado.

    Ainda tem dvida?Entre em contato pelo telefone

    3237-5000 ou pelo email: [email protected]

    Os mitos do diabetes

    Carto Assemp Drogaria Araujo

    Tire suas dvidas H outras vantagens em ter o carto Assemp Drogaria Araujo?Sim. Na compra de trs caixas de medicamentos genricos iguais, o associado ganha a quarta caixa. A lista de medicamentos em que a quarta caixa gratuita se encontra no site da Araujo. Qual o custo para solicitar o carto?No cobrada taxa de adeso. Somente cobrada a confeco da segunda via em caso de perda da primeira. Para as compras faturadas o usurio paga tambm uma taxa nica de administrao da cobrana. Onde posso adquirir o carto?O pedido pode ser feito na sede da ASSEMP ou por meio da equipe do ASSEMP Itinerante. Qual o tempo para que o carto fique pronto?Em torno de 20 dias corridos. Antes de buscar o carto, recomendvel que o associado entre em contato por telefone para verificar se ele j est disponvel. Quem pode retirar o carto Assemp Drogaria Araujo?O titular ou pessoa autorizada por ele, desde que portando uma autorizao por escrito e cpia da identidade do titular.

    Diabticos no podem

    comer po ou doceO que aumenta a glicose no sangue a quantidade

    de carboidratos, no a fonte deles

    Comer muito doce causa

    diabetesA doena se origina de histrico familiar,

    excesso de peso, sedentarismo e idade

    Parar de comer acar

    o suficiente para controlar o diabetes

    No adianta parar de ingerir acar e exagerar em outras fontes de

    carboidratos, como massas

    Acar de frutas no

    aumenta a glicose e pode ser consumido

    vontadeA frutose, acar presente nas frutas, aumenta o nvel de glicose como

    qualquer outro tipo de acar.

    Quem tem diabetes no

    pode consumir alimentos que crescem debaixo da terra

    Assim como os doces, no h proibio. O importante manter

    o equilbrio no consumo de carboidratos.

    Importante para portador da doena balancear a alimentao

    O diabetes uma doena que leva ao aumento da concentrao de glicose no sangue, causada pela falta ou m absoro de insulina, um hormnio produzido

    pelo pncreas. Ao longo dos anos, convencio-nou-se afirmar que o diabtico no pode nem passar perto de doces e deve viver uma dieta constante. A medicina, porm, evoluiu, e hoje

    j se sabe que o portador do diabetes pode consumir qualquer alimento, desde que seja de forma regrada. Alguns mitos, entretanto, ainda permanecem. Conhea alguns:

    *Texto adaptado de reportagem do jornal Estado de Minas

  • Janeiro/Fevereiro de 2013 I Edio 22511

    Por dentro do RPPS R

    PPS

    um dficit de mais de r$ 100 milhesDemonstrativo contbil mostra o rombo na Previdncia Municipal

    O Conselho de Administrao do Re-gime Prprio de Previdncia dos Servidores se reuniu ordinariamen-te no dia 22 de janeiro. Esta foi a primeira reunio de 2013 e tambm a primeira com o novo secretrio de Planejamento, Oramen-to e Informao, Leonardo Paolucci, que presidente do Conselho.

    Em pauta esteve a apresentao dos de-

    monstrativos contbeis da Previdncia mu-nicipal referentes a 2012, que impressiona-ram os conselheiros. Somente de janeiro a outubro do ltimo ano, o dficit acumulado do Fundo Financeiro do RPPS ultrapassou os R$ 98 milhes. Segundo a lei, o pagamen-to dessa diferena de responsabilidade da PBH, que busca recursos no Tesouro Munici-pal (veja tabelas).

    SEGURADOS E BENEFICIRIOS

    FUFIN BHPREV RPPS

    Ativos 29.124 2.327 31.451Inativos 10.673 - 10.673

    Pensionistas 3.001 - 3.001Total 42.798 2.327 45.125 * O BHPrev no apresenta despesas porque nenhum dos

    servidores vinculados a esse fundo se aposentou ainda.

    A questo do Lagoa Acqua Park tambm voltou a ser debatida pelos conselheiros. O secretrio Mrcio Dutra comunicou que o clube foi fechado em 27 de dezembro por de-terminao do Instituto Chico Mendes de Conservao da Biodiversidade, rgo ligado ao Ministrio do Meio Ambiente.De acordo com o auto de infrao emitido pelo Instituto, o Clube do Servidor foi construdo

    em uma rea de Proteo Ambiental (APA) sem o devido licenciamento. Por esse motivo, alm do embargo foi estipulada uma multa de R$ 200 mil. Pelo menos por ora o clube permanecer fechado. Segundo Mrcio Dutra, os associados

    ainda recebero a cobrana da mensalidade em seus contracheques de fevereiro, que seria referente ao ms de dezembro. O Conselho de Administrao aguarda a Caixa Econmica Federal concluir o estudo do

    valor do imvel de Lagoa Santa para discutir sua destinao.

    Clube em pauta novamente

    DEMONSTRATIVO CONTBIL JAN/OUT 2012

    FUFIN BHPREV*

    Receitas R$ 319.886.778,17 R$ 6.775.797,87Despesas R$ 418.710.233,50 -

    Saldo - R$ 98.823.455,33 R$ 6.775.797,87

    Leonardo Pessoa Paolucci (foto abaixo) assumiu a Secretaria de Planejamen-to, Oramento e Informao no fim de 2012. O novo secretrio consultor de empresas e no tem ligao com ne-nhum partido poltico da base aliada de Marcio Lacerda.

    A Previdncia Municipal apresen-tou um dficit que passar de R$ 100 milhes em 2012. Como o Con-selho de Administrao pode auxi-liar a sanar esse problema?Tornar o Regime Prprio de Previdn-

    cia dos Servidores independente uma misso que ns temos como conselhei-ros, especialmente no que tange sa-de financeira do Fundo Previdencirio, pois isso futuramente pode comprome-ter as finanas da Prefeitura.

    E qual sua posio sobre o Clube do Servidor?J est em avaliao nas secretarias de

    Recursos Humanos e de Esportes a pos-sibilidade de realizarmos convnios com clubes dentro de Belo Horizonte para oferecer lazer e esportes aos servidores e seus filhos. Acredito que muito me-lhor frequentar um clube no meu bairro do que me deslocar at Lagoa Santa.

    novo secretrio

  • Janeiro/Fevereiro de 2013 I Edio 22512

    Notas

    5.000 mil obras a sua esperaBiblioteca Orlando Vignoli mais um servio da ASSEMP para seus associados

    Voc j visitou o novo espao da Bi-blioteca Orlando Vignoli? A biblioteca est funcionando na rua Tupis, 171, local da antiga sede da ASSEMP (atrs da Igreja So Jos). O novo local, mais amplo, oferece mais conforto e praticidade aos as-sociados. Alm do rico acervo, composto por mais de 5.000 obras (livros, DVDs, revistas e matrias de referncia), a biblioteca disponi-biliza mesas para leitura, jogos e computadores com acesso internet.

    Para fazer o cadastro na biblioteca Or-lando Vignoli o associado deve apresen-tar sua carteirinha da ASSEMP, carteira de identidade e um comprovante de re-sidncia. Para entrar em contato, o tele-fone 2514-6208.

    @Como usufruir?

    Associados com planos de sade pagos atravs da ASSEMP j podem requerer a relao de despesas para a declarao de Imposto de Renda. A solicitao pode ser feita por e--mail. O associado deve colocar o nmero do BM no assunto do e-mail e, no corpo da mensagem, nome completo e CPF. Caso o associado no tenha retorno em at sete dias, dever efetuar novo pedido, para se certificar de que o e-mail foi recebido. O endereo [email protected]

    Imposto de Renda Declarao de IRA ASSEMP vai disponibilizar aos seus

    associados, por mais um ano, o servi-o de declarao de Imposto de Renda Pessoa Fsica (IRPF). O servio gra-tuito e realizado por um profissional capacitado. Agendamentos e informa-es: 2514-5800.

    Representantes da Caixa Econmica Federal estiveram na ASSEMP novamente para re-afirmar o compromisso do banco em promover um atendimento diferenciado aos scios. Quem necessitar de qualquer servio da Caixa pode obt-lo de forma personalizada, fa-zendo o agendamento pelo 3222-8776.

    Parceria reafirmada

    Movimentaes nos planos de sade

    Os scios da ASSEMP conveniados a plano de sade sabem que, anual-mente, nas datas de reajuste dos planos, a diretoria se empenha ao mximo para conseguir o menor ndice possvel, vi-sando resguardar os interesses financeiros dos associados.

    Neste ano no foi diferente. Inicialmente a ASSEMP foi surpreendida com a notificao da operadora Santa Casa Sade, informan-do que todos os contratos que atendiam os associados seriam rescindidos. A reao da

    diretoria foi imediata: dilogo com o scio, com os representantes da operadora, com a ANS e com o setor jurdico. No ltimo dia de janeiro chegou a notcia, ainda no-oficial, de que a operadora est disposta a negociar. Os resultados dessa nova etapa sero logo informados aos associados.

    J a Unimed, apesar de ter um plano equi-librado financeiramente, demandou um rea-juste conforme o previsto em contrato, que neste ano seria em torno de 8%. O presi-dente Angelo Flores pediu uma reunio com

    os representantes da operadora e conseguiu baixar esse percentual para 6,96%. Vitria da diretoria, vitria dos usurios.

    Jos Almir da Rosa

    Diretoria e operadoras realizam srie de negociaes

  • Janeiro/Fevereiro de 2013 I Edio 22513

    a aSSEMP vai at vOCProjeto ASSEMP Itinerante realizou 366 visitas em 2012

    O ASSEMP Itinerante, projeto que leva a Associao at o local de trabalho do servidor, fechou o ano de 2012 com nmeros expressivos. A equipe, com-postas de trs pessoas, realizou 366 aes em escolas, postos de sade e rgos ad-ministrativos da PBH, angariando 554 novos associados para a ASSEMP. No total, foram atendidos mais de 4.200 servidores. Alm de esclarec-los sobre benefcios e servios ofe-recidos pela entidade, so distribudos brin-des e folhetos informativos.

    O projeto ASSEMP Itinerante voltado para servidores da ativa que desejam conhe-cer mais sobre o trabalho desenvolvido pela Associao, mas devido rotina de trabalho no conseguem tempo para fazer uma visita sede da ASSEMP, na rua da Bahia.

    Quer agendar uma visita do ASSEMP Itine-rante em seu local de trabalho? Entre em contato pelo telefone 3237-5000 ou pelo e-mail [email protected]

    @

    ORAO DE UMA PESSOA IDOSA

    Autor desconhecido

    Bem-aventurados aqueles que compreendem meus passos vacilantes e minhas mos trmulas.

    Bem-aventurados os que levam em conta que meus ouvidos captam as palavras com

    dificuldade, por isso procuram falar-me mais alto e pausadamente.

    Bem-aventurados os que perceBem que meus olhos j esto nuBlados e minhas reaes so

    lentas.

    Bem-aventurados os que desviam o olhar, simulando no ter visto o caf que por vezes

    derramo soBre a mesa.

    Bem-aventurados os que sorriem e conversam comigo.

    Bem-aventurados os que nunca dizem: voc j me contou isso muitas vezes.

    Bem-aventurados os que saBem dirigir a conversa e as recordaes para as coisas dos

    tempos passados.

    Bem-aventurados os que me ajudam a atravessar a rua e no lamentam o tempo que me

    dedicam.

    Bem-aventurados os que me fazem sentir que sou amado e no estou aBandonado, tratando-

    me com respeito.

    Bem-aventurados os que compreendem quanto me custa encontrar foras para carregar

    minha cruz.

    Bem-aventurados os que amenizam meus ltimos anos soBre a terra.

    Bem-aventurados todos aqueles que me dedicam afeto e carinho, fazendo-me assim pensar

    em deus. quando entrar na eternidade, lemBrar-me-ei deles, junto ao senhor.

  • Tecendo Histrias

    Aposentado que dedicou mais de 30 anos de trabalho Prefeitura conta sua trajetria e os diversos cargos que ocupou na PBH

    Janeiro/Fevereiro de 2013 I Edio 22514

    No muito difcil perceber que caris-ma e humildade so caractersticas de Jos Alves. No sem motivo, seu apelido no bairro Boa Vista, onde mora h anos, vice-prefeito. A filha mais velha, Maria Rosalina Alves, explica que no s pelo fato de o pai ter trabalhado dcadas na Prefeitura. Houve um tempo em que ele era ajudante de fiscal, trabalhava pren-dendo camel irregular na Praa Sete e em outros pontos da cidade. Naquela poca, havia muitas bancas de sardinha em Belo Horizonte e, toda vez que uma era apreen-dida, ele trazia caixas e mais caixas do pei-xe pra casa e distribua entre os vizinhos e amigos, conta a filha. Alm disso, o aposentado trabalhou um

    perodo como vigia no Parque Municipal de Belo Horizonte. Dessa forma, ganha-va ingressos para diversos brinquedos, que tambm eram repassados para a vi-zinhana e amigos. No tive nenhuma funo na Prefeitura da qual eu desgos-tasse. O salrio era pouco, mas a gen-te era muito feliz, se divertia durante o trabalho. Estvamos sempre rindo e brin-cando, finaliza.

    Aos 88 anos, Jos Alves tem dificul-dades para lembrar os cargos que ocupou durante sua vida profissio-nal. Mas se engana, e muito, quem pensa que o esquecimento causado pela idade ou por qualquer outro tipo de problema de memria ou lucidez. Seu Jos demora a enu-merar os cargos porque, durante os 32 anos em que trabalhou na Prefeitura de Belo Ho-rizonte, desempenhou as mais variadas fun-es. Comecei a trabalhar na PBH com 15 anos, para ajudar no sustento da casa, con-ta, orgulhoso.

    Nascido e criado em Belo Horizonte, o apo-sentado ainda lembra o nmero do primeiro Boletim de Matrcula (BM) que recebeu ao ingressar na Prefeitura, em 1940. Anos de-pois, o registro foi trocado por outro, que permanece at hoje. Seu primeiro cargo, que relata com satisfao, foi na extinta Turma do Ferrinho, responsvel por capinar as plantas rasteiras que cresciam entre as pedras do calamento nas ruas da capital.

    Depois da Turma do Ferrinho, Seu Jos ocupou, entre outras funes, os cargos de varredor de rua, ajudante de caminho, ajudante de fiscal, coletor de lixo, porteiro e rondante, cargo que foi seu preferido. O rondante era como o Guarda Municipal de hoje, mas no precisvamos andar armados, porque a cidade ainda era muito tranquila. Nosso uniforme era um bon da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte e um colete, e

    nossa funo era vigiar, explica. Durante o tempo em que trabalhou na

    PBH, Jos Alves vivenciou os mandatos de 15 prefeitos. Entretanto, destaca as ad-ministraes de Amrico Renn Gianetti (1951-1954), Amintas de Barros (1959-1963), Oswaldo Pieruccetti (1965-1967 e 1971-1975) e a que considera a melhor delas at hoje, a de Juscelino Kubitschek (1940-1945). Ele era um prefeito muito bom e justo, enfatiza.

    Daquele tempo, ele se recorda, com certo saudosismo, dos benefcios que desfrutava como servidor pblico. No viaduto da Flo-resta, por exemplo, a Prefeitura mantinha um armazm no qual os servidores podiam adquirir mantimentos a um preo diferencia-do, descontado diretamente na folha de pa-gamento. Alm disso, seu Jos e a famlia tambm podiam contar com atendimento mdico no antigo Hospital Municipal, hoje Odilon Behrens. Ele tambm tinha passe li-vre no bonde eltrico.

    Para ajudar no sustento da famlia, en-to composta pela esposa Maria Gonalves, que faleceu em 2003, e por mais cinco fi-lhos, Jos costumava aproveitar qualquer atividade extra que aparecia. No meu con-tracheque constava o pagamento pelo que era chamado de atividade extraordinria. Tudo que sobrava de servio eu e um ami-go fazamos, para ganhar um dinheirinho a mais, lembra.

  • Janeiro/Fevereiro de 2013 I Edio 22515

    Carta do Leitor

    Ateno: a ASSEMP e o Notcia Urgente no se responsabilizam pelas informaes dos anncios. Proibida a veiculao de anncios de pessoa jurdica. Anncios longos sero editados.

    Classificados Social

    LIVRO

    Textos e Contextos Atravs dos Tempos. Obra de Isidro Passos e Roberto Dornas, com as principais obras e estilos de poca da literatura brasileira. R$ 60.

    ISIDRO PASSOS

    3444-8089

    CORTINAS E PERSIANAS

    Cortinas e persianas com variedade de tecidos de bom gosto e tima qualidade. Preos especiais para associados. R. Bernardo Guimares, 1875 - Lourdes.

    LUIZ RAFAEL

    3646-7868 / 9901-7868

    CENTRO AUTOMOTIVO

    Centro Automotivo Dom Henrique. Mecnica, lanternagem, pintura, instalao de som e acessrios, eltrica de autos. Aceita-se carto de credito.

    MARION DO ROSRIO MOURA

    3483-7272 / 8807-5410

    EXCURSO

    Maro: excurso para Uberaba e Arax, com reunio de psicografia. Agosto: Caldas Novas Hotel Hot Springs. Penso completa.

    WANDA JAPOLINO AURICHO

    3466-2621 / 9617-1147

    MASSAGENS TERAPUTICAS

    Massagens Teraputicas de Shiatsu. Drenagem linftica reiki canalizao da energia universal csmica. Cursos e atendimento. 20% de desconto para associados.

    BENEDITA DE SOUZA

    3461-1433 / 9644-8876

    VENDE-SE

    Excelente rea de 8.423 m em Mocambeiro (distrito de Matozinhos). Direto com proprietria.

    JISLENE DE JESUS CORREA

    2515-7924 / 9865-0457

    ALUGUEL

    Quarto, sala, banheiro, cozinha azulejada, rea independente, Bairro Santa Ins, prximo ao metr.

    SANDRA VIEIRA

    3463-7038

    PSICOLOGIA E PSICANLISE

    Atendimento clnico e escolar. Desconto de 50% para associados e familiares. Consultrio no Santo Agostinho entre Avenidas Amazonas e Contorno.

    NILZA OLIVEIRA

    3291-5851 / 9641-5851

    AUTO SOCORRO FM MOURA

    Transporte com segurana. Melhor custo e beneficio para proteo de seu veiculo.

    MARION DO ROSRIO MOURA

    3483-7326 / 9629-9404

    CARRO

    Vendo ou troco um Fiat Palio Weekend 1.4, cor prata, nica dona, 2008 / 2009. S no tem Ar. R$ 28.700

    NGELA MARIA TAVARES

    9309-6375

    VENDE-SE

    Vendo Gol 1.0 2007 / 2008, cor vermelha, nica proprietria, com trava e alarme. R$18.500.

    ANA LUCIA ANDRADE

    9950-1501

    VENDA, ALUGUEL OU TROCA

    Vendo, alugo ou troco casa no condomnio Fazenda Solar, Igarap a 80 km de Belo Horizonte, 5 quartos, sala, copa, rea de lazer. Terreno com 1.280 m e 180 m construdo.

    JOANA RIBEIRO DE ASSIS

    3481-7912 / 8886-6522

    BEB CONFORTO

    Vendo Beb conforto Galzerano, cinza, excelente estado, pouqussimo uso. R$ 150,00.

    ROSANA PEREIRA

    3283-2354

    VENDA OU TROCA

    Vendo ou troco casa de 90m: 3 qtos, sala, copa, cozinha, banheiro, varanda, garagem e rea cobertas. 4 linhas de nibus, comrcio e escolas locais. Bairro So Marcos, parte alta.

    OLVIA RODRIGUES ARAJO

    2551-2323 / 9644-9010

    VIAGEM

    Carnaval em Curiri com caf e almoo R$ 550,00.

    LUCI COSTA

    3456-6653 / 9989-5253

    AULA PARTICULAR DE INGLS

    Aulas inclusive aos sbados e nas frias. Floresta.

    ENI FERREIRA LIMA

    2515-2235 / 9748-9367

    REFEIES

    Congelados light, papinhas para bebs e comida para crianas. Alimentos saudveis e saborosos.

    ISABEL CRISTINA SILVA

    3484-5394

    ADVOCACIA

    Advocacia especializada em dvidas bancrias, reviso de aposentadoria, benefcios, inventrios, causas de famlia, acidentes de trnsito.

    DRA. NATHALIA

    2552-2667 / 9635-1815

    DENTISTA

    Clnica geral, endodontia, ortodontia, clareamento, implantodontia, periodontia, prtese, odontopediatria. Desconto p/ associados e familiares. Av. lvares Cabral, 374/1609.

    ANA LUIZA CARLOS

    3222-8132 / 9639-4105

    VIAGEM

    Caldas Novas, Trindade, Santurio Pai Eterno. 16 a 21 de maro. 4 dirias c/ penso completa. Hospedagem no diRoma Resort. nibus luxo. R$850 e 3x. EDNA MEYER

    3421-1322 / 9144-7600

    FOTOGRAFIA E FILMAGEM

    Casamentos, festas infantis, aniversrios, 15 anos, bodas, eventos empresariais e musicais, confraternizaes.

    ROSANA PEREIRA

    3283-2354

    Mais vivo do que nun-ca, o professor Isidro Passos continua viajando pelo mundo. Na foto ele posa em frente ao Coli-seu de Roma, na Itlia.

    Frequento o clube e sou scia des-de o incio. Defendo que ele continue e, juntamente com outras pessoas, queremos a participao efetiva dos servidores municipais na gesto e ad-ministrao do nosso patrimnio, pois foi construdo com o dinheiro da Be-prem. Temos pensado em vrias alter-nativas para a manuteno do clube, a exemplo dos contratos que a PBH faz com Inhotim e Vale Verde para a

    Escola Integrada; o direito de associa-o dos terceirizados da Caixa Escolar etc. Penso que os representantes no Conselho da Previdncia no devem tratar o clube separado do imvel, pois para a compra do terreno e construo do Lagoa Acqua Park a PBH utilizou os recursos da Beprem, ou seja, dinheiro da contribuio mensal dos servidores municipais.

    Maria da Consolao Rocha

    Dois trabalhadores foram flagrados realizando manuteno no telhado do edifcio da prefeitura, na avenida Afonso Pena, sem utilizar qualquer tipo de equipamento de proteo. Um desrespeito de quem, acima de todos, deveria zelar pelo bem-estar dos servidores e da populao.

    Flagrante na PBH

    A ASSEMP no liberar emprstimo no ms de maro. Os moti-vos so o significativo valor que j foi emprestado no ltimo ms e a necessidade da Associao de promover uma capitalizao visando despesas futuras. Informaes: 3237-5000.

    Emprstimo

    Notas

  • Associao dos Servidores Municipais da Prefeitura de Belo Horizonte Rua da Bahia, 1033 4 andar / Centro Belo Horizonte

    Acesse esta e as outras edies do jornal no www.assemp.org.br

    Encontre no diagrama os nomes de membros da diretoria e dos conselhos da ASSEMP:

    ANGELO FLORES - ANSELMO NASSIF - CARLOS ALBERTO - WILLIAM NAGEM - MARISTELA TEIXEIRA - MARIA DO CARMO - MANOEL CARDOSO - HORALDO SANTOS

    CAA-PALAVRAS Jogo das diferenas

    TorToO objetivo formar o maior nmero de palavras (com 4 letras ou mais) a partir do diagrama. Vale ligar letras adjacentes em qualquer sentido, mas no vale usar duas vezes a mesma letra.

    Etiqueta

    sudoku

    Janeiro/Fevereiro de 2013 I Edio 22516