O JOANINO - paroquias-ribeira-fornelos- filezemos; recorda-nos que nem sempre o que reluz é...

Click here to load reader

  • date post

    13-Feb-2019
  • Category

    Documents

  • view

    212
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of O JOANINO - paroquias-ribeira-fornelos- filezemos; recorda-nos que nem sempre o que reluz é...

A liturgia do 28 Domingo do Tempo Comum convida-nos a refletir sobre as escolhas que fa-

zemos; recorda-nos que nem sempre o que reluz ouro e que preciso, por vezes, renunciar a certos valores perecveis, a fim de adquirir os valores da vida verdadeira e eterna.

Na primeira leitura, um sbio de Israel apresenta-nos um hino sabedoria. O texto convida-nos a adquirir a verdadeira sabedoria (que um dom de Deus) e a prescindir dos valores ef-meros que no realizam o homem. O verdadeiro sbio aquele que escolheu escutar as propos-tas de Deus, aceitar os seus desafios, seguir os caminhos que Ele indica.

O Evangelho apresenta-nos um homem que quer conhecer o caminho para alcanar a vida eter-na. Jesus convida-o renunciar s suas riquezas e a escolher caminho do Reino caminho de partilha, de solidariedade, de doao, de amor. nesse caminho garante Jesus aos seus discpu-los que o homem se realiza plenamente e que encontra a vida eterna.

A segunda leitura convida-nos a escutar e a acolher a Palavra de Deus proposta por Jesus. Ela viva, eficaz, atuante. Uma vez acolhida no corao do homem, transforma-o, renova-o, ajuda-o a discernir o bem e o mal e a fazer as opes corretas, indica-lhe o caminho certo para chegar vida plena e definitiva. In Dehonianos

I Leitura: Is 53, 10 - 11;

Salmo Responsorial: Salmo 32 (33);

II Leitura: Heb 4, 14 16;

Evangelho: Mc 10, 35 - 45.

O JOANINO N 1016 14 a 20 de Outubro de 2018

XXVIII DOMINGO DO TEMPO COMUM

LITURGIA DA PALAVRA Domingo XXIX do Tempo Comum

21 de Outubro de 2018 Primeira Leitura:

Leitura do Livro de Isaas Aprouve ao Senhor esmagar o seu servo

pelo sofrimento. Mas, se oferecer a sua vida como sacrifcio de expiao, ter uma descendncia duradoira, viver lon-gos dias, e a obra do Senhor prosperar em suas mos. Terminados os sofrimen-tos, ver a luz e ficar saciado na sua sa-bedoria. O justo, meu servo, justificar a muitos e tomar sobre si as suas iniquida-des.

Palavra do Senhor. Salmo Responsorial:

Desa sobre ns a vossa misericrdia, porque em Vs esperamos, Senhor. Segunda Leitura:

Leitura da Epstola aos Hebreus Irmos: Tendo ns um sumo sacerdote

que penetrou os Cus, Jesus, Filho de Deus, permaneamos firmes na profisso da nossa f. Na verdade, ns no temos um sumo sacerdote incapaz de se compa-decer das nossas fraquezas. Pelo contr-rio, Ele mesmo foi provado em tudo, nossa semelhana, excepto no pecado. Vamos, portanto, cheios de confiana ao trono da graa, a fim de alcanarmos mi-sericrdia e obtermos a graa de um aux-lio oportuno.

Palavra do Senhor. Aleluia: Mc 10, 45

O Filho do homem veio para servir e dar a vida pela redeno de todos. Evangelho: Mc 10, 35 45.

ENTRE O VATICANO E O CAMPO GRANDE

(cont)

Talvez por isso, e sobretudo pela deter-

minao e exemplo do Papa Francisco, o ponto de partida foi escutar os jovens, as suas opinies, sonhos, problemas e difi-

culdades. Com diferentes ferramentas, sendo a mais relevante, talvez, a realiza-o da reunio pr-sinodal, em maro deste ano, entre trs centenas de jovens de todo o mundo. Essa auscultao che-gou a milhares de jovens, milhes, mes-mo, se tivermos em conta a escala que cada acontecimento pode ter tido, assim como as opinies e partilhas que aconte-ceram pelas redes sociais. Nmeros ex-pressivos, que provocam as lideranas catlicas na procura de linguagens e pro-jetos que aproximem a juventude das estruturas eclesiais; mas estatisticamente pouco relevantes, se compararmos com grupos que seguem dolos do presente, em constante mutao, e gostos das camadas juvenis em qualquer instante de uma estrela da bola, da msica ou do ci-nema. De facto, as novas geraes parti-cipam, geram grupos, fazem comunidade, tm no seguimento uma prtica do quoti-diano.

No Campo Grande, a reunio entre al-gumas dezenas de pais aconteceu tambm por causa das novas geraes, no lana-mento de um ano de atividades dirigidas a trs centenas de jovens. Neste caso, no uma reunio de um ms, como a pr-sinodal, mas de encontros semanais, ao longo de um ano, para avanar num itine-rrio formativo proposto pelas Mission-rias Verbum Dei e 50 animadores. Na apresentao do projeto, a sintonia com as causas que levaram o Papa a convocar o Snodo dos Bispos foi evidente: o obje-tivo de reunies semanais dos grupos, como so chamados, descobrir uma marca em cada jovem que possa ser o ponto de partida para a descoberta de um sentido para a sua vida, de uma vocao, tendo por horizonte um encontro, sem data marcada: o que acontece com Jesus. Com esta metodologia, que se distancia de qualquer prtica teraputica ou consul-ta de mbito psicolgico e muito menos parte da verticalidade de um pressuposto moralista ou normativo, a proposta dirigi-

da aos jovens no Campo Grande tem um problema: no consegue acolher todos os que pretendem percorrer o itinerrio for-mativo dos grupos.

O Papa Francisco deseja que o dilogo com os jovens acontea sem preconceitos e tenha por origem a histria de vida de cada rapariga e de cada rapaz. Felizmen-te, essa metodologia acontece em muitas dinmicas juvenis, como na Parquia do Campo Grande. S necessrio que essa marca se transforme em matriz na relao com todos os jovens. Paulo Rocha

D. ANTNIO MARTO

O cardeal portugus D. Antnio Marto,

bispo de Leiria-Ftima, vai tomar posse a 25 de novembro da Baslica de Santa Maria Sopra Minerva, em Roma, o ttulo que lhe foi atribudo pelo Papa no consis-trio de 28 de junho deste ano.

A informao foi enviada hoje Agn-cia ECCLESIA pelo Gabinete de Infor-mao e Comunicao da Diocese de Leiria-Ftima.

Este ato continua a tradio centenria de se conceder uma igreja de Roma a todos os cardeais criados para auxiliarem o Papa no governo da Igreja. Com o pas-sar do tempo e visto que a maioria dos membros do colgio cardinalcio mantm as suas funes nas dioceses de origem, o ttulo entregue passou a ser de carter mais honorfico, precisa a nota de im-prensa.

A Baslica de Santa Maria Sopra Miner-va tinha sido entregue, no sculo XVIII, ao cardeal Guilherme Henriques de Car-valho, 9. patriarca de Lisboa, que tam-bm foi bispo de Leiria.

O cardeal Antnio Marto passa assim a direito a ter o seu braso na fachada desta igreja, que continua a ser dirigido pelo seu reitor.

O Gabinete de Informao e Comunica-o da Diocese de Leiria-Ftima precisa que, na rea atualmente ocupada pela

baslica, havia, no perodo pr-cristo, trs templos dedicados a Minerva, sis e Serapis; da a designao de Sopra Mi-nerva expresso italiana que significa sobre Minerva.

D. Antnio Marto sucede no ttulo a Cormac Murphy-OConnor, arcebispo de Westminster e presidente da Conferncia Episcopal Catlica da Inglaterra e Pas de Gales, falecido em 2017.

No consistrio, alm do barrete e do anel cardinalcios, o Papa atribui a cada cardeal uma igreja de Roma que simbo-liza a participao na solicitude pasto-ral do pontfice na cidade.

Cada cardeal inserido na respetiva ordem (episcopal, presbiteral ou diaco-nal), uma tradio que remonta aos tem-pos das primeiras comunidades crists de Roma, em que os cardeais eram bispos das igrejas criadas volta da cidade (suburbicrias) ou representavam os pro-cos e os diconos das igrejas locais.

D. Antnio Marto foi criado cardeal-presbtero com o ttulo de Santa Maria sopra Minerva.

O bispo de Leiria-Ftima foi nomeado cardeal pelo Papa Francisco no dia 20 de maio; o quinto cardeal portugus do sculo XXI e o segundo a ser designado no atual pontificado.

No ltimo sbado, o cardeal Antnio Marto membro do Dicastrio para os Lei-gos, a Famlia e a Vida, informa a Sala de Imprensa da Santa S.

Antnio Augusto dos Santos Marto nasceu a 5 de maio de 1947, em Tronco, Concelho de Chaves, Diocese de Vila Real; foi ordenado padre em Roma, em 1971 e a 10 de novembro de 2000 foi nomeado bispo auxiliar de Braga, pelo Papa Joo Paulo II, tendo passado pela Diocese de Viseu antes de ser escolhido por Bento XVI, em 2006, como bispo de Leiria-Ftima.

Portugal teve at hoje com 44 cardeais, a comear pelo chamado Mestre Gil, es-colhido pelo Papa Urbano IV (1195-1264).

OC

FICHA TCNICA Propriedade: Parquia de S. Joo da Ribeira Diretor: Pe. Manuel de Almeida e Sousa

Publicao: Semanal Tiragem: 300 Ex. tel. 258 944 132 E-mail: [email protected] Site: www.paroquias-ribeira-fornelos-serdedelo.com - Isento a) n 1 art 12 DR 8/1999 de 9 de junho.

Dia Hora Intenes

Tera 16

19:00

- Albino Paulo Gomes de Oliveira (28/30) - m. c. Famlia (pg); - Guilhermina Oliveira, Familiares e Almas do Purgatrio (13/100) - m. c. Marido (pg); - Jos Dias Fernandes, Esposa e Genro - m. c. Famlia.

Quin. 18

19:00 - Guilhermina de Oliveira, Familiares e Almas do Purgatrio (14/100) - m. c. Marido (pg); - Albino Paulo Gomes de Oliveira (29/30) - m. c. Famlia (pg).

Sb. 20

19:15

Igreja do Senhor da Cruz de Pedra: - Albino Paulo Gomes de Oliveira (30/30) - m. c. Famlia (pg); - Maria Ascenso Oliveira Pimenta Vieitas - m. c. Marido e Filhos; - Manuel Gonalves Saraiva, Jlia da Silva Maia e Familiares - m. c. Filhos.

Dom. 21

07:00

11:00

XXIX Domingo do Tempo Comum

- Agostinho da Cunha Vasconcelos, Amndio de Oliveira Gonalves e Rosa Barros da Costa - m. c. Armandina; - Joo Correia Amorim e Esposa - m. c. Ana Arajo Amorim; - Deolinda Cerqueira Nogueira (aniv. nas) - m. c. sobrinha Ascenso Lopes. - Albino Paulo Gomes de Oliveira (1/10) - m. c. Famlia (pg); - Amndio Baptista Gonalves e Francisco da Conceio Guerreiro - m. c. filho