Origem e evolução da internet

of 29/29
Universidade Federal do Piauí – UFPI Campus Senador Helvídio Nunes de Barros Profº Fredison Muniz Picos – Pi, Novembro de 2012
  • date post

    06-Jun-2015
  • Category

    Education

  • view

    1.810
  • download

    0

Embed Size (px)

description

Uma breve apresentação falando sobre a origem e evolução da internet.

Transcript of Origem e evolução da internet

  • 1. Universidade Federal do Piau UFPI Campus Senador Helvdio Nunes de Barros Prof Fredison Muniz Picos Pi, Novembro de 2012

2. Origem e Evoluo da Internet 3. O que internet? Quando ela surgiu? 4. A Internet uma rede capaz de interligar todos os computadores do mundo. Surgiu em plena Guerra Fria. Criada com objetivos militares, seria uma das formas das foras armadas norte-americanas de manter as comunicaes em caso de ataques inimigos que destrussem os meios convencionais de telecomunicaes(ataque nuclear), pela ento conhecida ARPANET (Advanced Research and Projects Agency). 5. A Internet surgiu a partir de um projeto da agncia norte-americana Advanced Research and Projects Agency (ARPA) objetivando conectar os computadores dos seus departamentos de pesquisa. A Internet nasceu partir da ARPANET, que interligava quatro instituies: Universidade da Califrnia, LA e Santa Brbara; Instituto de Pesquisa de Stanford e Universidade de Utah, tendo incio em 1969. 6. Equipe da empresa BBN Technologies que desenvolveu o servidor IMP, o que viabilizou o funcionamento da Arpanet 7. Desenvolvimento da Internet 8. No ano de 1990 a Internet comeou a alcanar a populao em geral. Neste ano, o engenheiro ingls Tim Bernes-Lee desenvolveu a World Wide Web, possibilitando a utilizao de uma interface grfica e a criao de sites mais dinmicos e visualmente interessantes. A partir deste momento, a Internet cresceu em ritmo acelerado. 9. O Criador da Web Tim Berners - Lee 10. A internet no Brasil No Brasil a internet se desenvolveu junto ao meio acadmico e cientfico, e at poucos anos o acesso era restrito a professores e funcionrios de universidades e instituies de pesquisa. Somente no ano de 1995 a internet deixou de ser privilgio das universidades e da iniciativa privada para se tornar de acesso pblico. 11. No ano de 1987, foi realizada uma reunio na Universidade de So Paulo, na qual estavam presentes representantes do governo, e da Embratel, com o objetivo de criar uma rede que visava interligar a comunidade acadmica e cientfica do Brasil com outros pases com a finalidade de trocar informaes. 12. Em 1989, a Universidade Federal do Rio de Janeiro tambm se conectou Bitnet atravs de uma universidade americana, tornando-se a terceira instituio a ter acesso a essa tecnologia. Nesse ano, foi criada, com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientfico e Tecnolgico (CNPq), a Rede Nacional de Pesquisa (RNP), que durante a dcada de 1990 foi a responsvel por fornecer acesso a internet a aproximadamente 600 instituies, ou seja, por volta de 65 mil usurios. 13. Os Servios da Internet 14. E-mail o servio bsico de comunicao em redes de computadores. O processo de troca de mensagens eletrnicas bastante rpido e fcil, necessitando apenas de um programa de correio eletrnico e do endereo eletrnico dos envolvidos. O endereo eletrnico de um usurio contm todas as informaes necessrias para que a mensagem chegue ao seu destino. Ele composto de uma parte relacionada ao destinatrio da mensagem e uma parte relacionada localizao do destinatrio, no formato: [email protected] 15. Lista de Discusso So comumente usadas como meio de comunicao entre pessoas interessadas em discutir temas especficos atravs do correio eletrnico. Uma lista de discusso, tambm chamada de Mailing List, uma lista de endereos eletrnicos. As listas so implantadas atravs de programas conhecidos como servidores ou processadores de listas. So estes programas que permitem que os usurios entrem nas listas, saiam das listas e as mensagens sejam repassadas sem que um ser humano precise ser envolvido. O servidor mantm uma lista de endereos eletrnicos de todos os usurios que esto inscritos em uma lista de discusso. Quando um usurio envia uma mensagem para o endereo de uma lista, o processador automaticamente redistribui essa mensagem a todos os seus participantes. 16. News A Usenet News prov um servio semelhante ao de listas de discusso, porm com maior abrangncia e facilidade de participao, alm de ser estruturado de forma bastante diferente do servio de listas. Os grupos de discusso (ou news) constituem um servio de difuso e intercmbio de mensagens trocadas entre usurios da rede sobre vrios assuntos especficos. Ao contrrio das listas de discusso, em que as mensagens so enviadas para cada membro da lista, as mensagens de news so enviadas para um determinado computador da rede e, ento, re-enviadas, em bloco, para os computadores que aceitam esse servio. As mensagens podem ser lidas por qualquer usurio desses computadores, bastando que ele tenha acesso a um programa especfico de leitura de news; no h assim a necessidade de se subscrever em grupos de discusso, como ocorre no servio de listas. 17. Telnet Depois do Correio Eletrnico, o Telnet o recurso mais conhecido. um servio que permite ao usurio conectar-se a um computador remoto interligado rede. Uma vez estabelecida a conexo, o usurio pode executar comandos e usar recursos do computador remoto como se seu computador fosse um terminal daquela mquina que est distante. Para utilizar o Telnet, em primeiro lugar deve-se saber o nome do computador ou host que se deseja acessar. Normalmente, esta mquina solicitar a identificao do usurio e tambm uma senha. 18. FTP o servio bsico de transferncia de arquivos na rede. Com a devida permisso o usurio pode copiar arquivos de um computador remoto para o seu computador ou transferir arquivos do seu computador para um computador remoto. Mas, para isso, o usurio precisa ter permisso de acesso ao computador remoto. Para facilitar o acesso de usurios a determinadas mquinas, que mantm enormes repositrios de informao, foi criado o FTP Annimo. No necessrio uma permisso de acesso; o usurio se identificar comoanonymous. No h qualquer limitao quanto ao tipo de informao que pode ser transferida. Esse servio pressupe que o usurio conhece a localizao eletrnica do documento desejado, ou seja, o endereo do computador remoto, os nomes dos diretrios onde o arquivo se encontra e, por fim, o nome do prprio arquivo. 19. WWW uma grande teia mundial onde possvel acessar hipertextos (documentos que podem ter textos, imagens, sons e vdeos), que so documentos que possuem a caracterstica de ter "links" (ligaes) pelos quais se pode saltar de uma parte para outra de um mesmo documento, ou para outro documento. (Se desejar mais detalhes clique aqui). Esta ltima caracterstica permite que todos os arquivos armazenados em todos os servidores possam ser acessados, desde que os "links" sejam corretos. Assim sendo, criou-se a possibilidade de procurar informaes em um volume de dados enorme e impossvel de ser atingido, antes da internet. Esses documentos so acessados por meio de programas navegadores (browsers) que possibilitam a visualizao do contedo das pginas. Os navegadores tambm incluem outros recursos por meio de alguns programas (plug-ins e add-ons) que se incorporam ao navegador (ex.: som, imagem 3D, vdeo e de FTP. 20. IRC ou CHAT O Internet Relay Chat (IRC) um servio semelhante aos fruns de discusso pblicos (as News), com a diferena de que as discusses em directo, isto , pode "conversar" (sob a forma de mensagens de texto) com vrias pessoas em qualquer parte do mundo, ao mesmo tempo. Para se utilizar o IRC, necessrio um programa (cliente) de IRC, como acontece com todos os outros servios da Internet. Um desses programas o mIRC (talvez o mais utilizado), mas existem outros como o Microsoft Comic Chat. Cada utilizador no IRC identificado por um nome (nickname), que escolhido pelo prprio cada vez que se liga a um servidor de IRC. 21. Evoluo da Internet A rede internacional de computadores - a internet - est crescendo. No ano passado, totalizou 2,3 bilhes de internautas em todo o mundo, de acordo com a International Telecommunication Union (ITU).A Lei de Moore previu que chips podem, em um intervalo de dois anos, dobrar o poder de processamento. J a banda larga fez com que as pessoas conseguissem ficar mais tempo conectadas. O resultado: smartphones e tablets. Por ele, acompanhamos o avano da tecnologia trazendo novidades em ritmo estonteante. Com 22. Curiosidade! Voc sabia que de todos os internautas do mundo a maioria sitico? Que 3 em cada 4 funcionrios admitem gastar mais que 30 minutos na internet durante o horrio de trabalho? Que so enviados 210 bilhes de e- mails por dia? Sendo 80% deles spams? 23. O futuro da internet 24. Ipv6 Alm de aumentar a quantidade de endereos disponveis, o IPv6 tambm visa um melhoramento na qualidade do servio. Outra possibilidade trazida pelo IPv6 de conectar-se internet atravs de qualquer lugar do mundo com apenas um endereo, tornando mais literal o sentido de rede de computadores. Isso significa que voc pode conectar-se a qualquer rede com o mesmo IP que voc utiliza em casa, por exemplo, e sem a necessidade de um roteador. 25. Rede mais inteligente Quer chamemos de rede semntica ou rede de dados interligados A rede onipresente Vamos conseguir acessar a internet onde quer que estejamos, fazendo o que for, quase sem precisar de nenhum aparelho. Poderemos v-la por nossos culos, ou por meio de algum visor que passaramos a usar, por exemplo. 26. A rede de celulares Pesquisas em reas como compresso de informao se tornam ainda mais vitais. Uma rede sustentvel O pesquisador Andy Hopper, da Universidade de Cambridge, lidera um programa chamado Computao pelo Futuro do Planeta. Um de seus alunos, por exemplo, est tentando criar um monitor pessoal de energia que use a nova rede de objetos para juntar todos os tipos de informao de sensores online que monitoram o uso de energia. 27. Obrigado! Perguntas?