Os limites do nosso Universo A grande escala A pequena escala.

of 54/54
A MÚSICA DAS ESFERAS
  • date post

    21-Apr-2015
  • Category

    Documents

  • view

    105
  • download

    1

Embed Size (px)

Transcript of Os limites do nosso Universo A grande escala A pequena escala.

  • Slide 1
  • Slide 2
  • Os limites do nosso Universo
  • Slide 3
  • A grande escala
  • Slide 4
  • A pequena escala
  • Slide 5
  • LimiteConsequncia Nenhuma comunicao pode realizar-se com uma velocidade superior da luz no vcuo Nem todos podem comunicar no Universo A preciso com que conhecemos em simultneo a velocidade e a posio de um objecto est limitada universalmente No podemos conhecer com preciso a trajectria dos objectos ao nvel microscpico Os limites
  • Slide 6
  • A outra matria
  • Slide 7
  • Slide 8
  • Matria e anti-matria tm cargas elctricas opostas Podem separar-se com um campo magntico
  • Slide 9
  • A outra matria A anti-matria produzida diariamente na Terra naturalmente e nos laboratrios
  • Slide 10
  • A outra matria Quando matria e anti-matria entram em contacto aniquilam-se mutuamente O resultado so partculas de luz, fotes
  • Slide 11
  • A outra matria Inversamente, um foto pode espontaneamente converter-se num par partcula anti-partcula
  • Slide 12
  • A outra matria
  • Slide 13
  • Slide 14
  • Slide 15
  • velocidade distncia
  • Slide 16
  • Slide 17
  • Slide 18
  • Distncia galxia Velocidade de afastamento
  • Slide 19
  • Slide 20
  • De que feito o Universo?
  • Slide 21
  • Slide 22
  • Slide 23
  • O corpo negro
  • Slide 24
  • Intensidade Comprimento de onda
  • Slide 25
  • O corpo negro
  • Slide 26
  • Slide 27
  • Slide 28
  • As partculas de luz
  • Slide 29
  • As ondas de matria
  • Slide 30
  • Qual a natureza da matria?
  • Slide 31
  • Slide 32
  • Slide 33
  • Slide 34
  • Slide 35
  • Quanto ao neutro, ele no estvel: quando est isolado, fora de um ncleo, desintegra-se em trs partculas, um proto, um electro e um neutrino
  • Slide 36
  • Qual a natureza da matria? Quanto ao neutro, ele no estvel: quando est isolado, fora de um ncleo, desintegra-se em trs partculas, um proto, um electro e um neutrino
  • Slide 37
  • Qual a natureza da matria? Quanto ao neutro, ele no estvel: quando est isolado, fora de um ncleo, desintegra-se em trs partculas, um proto, um electro e um neutrino
  • Slide 38
  • Qual a natureza da matria?
  • Slide 39
  • As foras fundamentais Todas as foras conhecidas actuam por troca de partculas intermedirias As foras elctrica e magntica esto relacionadas: fora electromagntica Existem 4 foras fundamentais O alcance dessas foras diferente: para umas infinito, para outras a escala nuclear
  • Slide 40
  • As foras fundamentais
  • Slide 41
  • As partculas fundamentais
  • Slide 42
  • O Modelo Padro
  • Slide 43
  • Slide 44
  • Slide 45
  • Slide 46
  • Modus operandi
  • Slide 47
  • Slide 48
  • Ondas Comprimento de onda Velocidade de propagao Para poder ver um objecto temos de ter um comprimento de onda da ordem do seu tamanho
  • Slide 49
  • Acelerar para ver Para ver objectos minsculos como os quarks precisamos de minsculos comprimentos de onda Usamos as ondas de matria para os ver, por exemplo de protes Como o comprimento da onda de matria diminui com a velocidade da partcula associada, aceleramo-la At muito prximo da velocidade da luz! Para isso precisamos de aceleradores enormes
  • Slide 50
  • Slide 51
  • Alguns factos do LHC
  • Slide 52
  • 100 m
  • Slide 53
  • A experincia: Vrios aceleradores participam no processo de acelerao dos protes
  • Slide 54
  • Mapa do Universo Matria conhecida