PARQUE DO FLAMENGO - · PDF file900 mm de diâmetro, atravessa o Aterro do Flamengo e...

Click here to load reader

  • date post

    08-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    216
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of PARQUE DO FLAMENGO - · PDF file900 mm de diâmetro, atravessa o Aterro do Flamengo e...

  • PARQUE DO FLAMENGOGRUPO DE TRABALHO E A SURSAN

  • APRESENTAO DO ARQUITETO ARMANDO ABREU

    CURRICULUM VITAE

    FORMAO

    Colgio de Aplicao da Faculdade Nacional de Filosofia da UFRJ

    Faculdade Nacional de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ - Diplomado em 1961

    CARGOS PBLICOS NO GOVERNO DO ESTADO DA GUANABARA

    Contratado pela Superintendncia de Urbanizao e Saneamento - SURSAN em 1961

    Superintendente de Obras Civis,

    NO GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FISCALIZAO DE OBRAS

    Subsecretrio de Coordenao do GEROE. Obras civis do Parque do Flamengo,

    NA PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Jardins do Museu do MAM

    Superintendente de Planejamento Urbano Viaduto de Mangueira

    Subsecretrio Municipal de Obras e Servios Pblicos Palcio da Justia

    Subsecretrio Municipal de Planejamento e Coordenao Geral Juizado de Menores

    Assistente do Tribunal de Contas do Municpio do Rio de Janeiro Avenida Perimetral, trecho da Praa Mau

    FUNES PBLICAS Edifcio Terminal Menezes Cortes

    Membro nato da Comisso do Plano da Cidade - COPLAN Planetrio da Gvea

    Membro nato da Comisso do Sistema Municipal de Planejamento OBRAS NA GUANABARA

    Membro nato e Secretrio Executivo da COMTEC Reforma e ampliao em Hospitais

    Presidente do Conselho de Administrao da COMLURB Construo de Centros Mdicos

    Presidente da Comisso do Sistema Municipal de Planejamento - CSMP Construo do Instituto Sarah Kubitschek, PLANEJAMENTO COORDENAO EXECUTIVA Construo de diversas escolas.

    Plano Urbanstico Bsico da Cidade do Rio de Janeiro - PUB - RIO

  • FLAMENGO ANTES DO ATERRO

  • ANTES DO GRUPO CONSTRUO DO MONUMENTO

  • GRUPO DE TRABALHO PARA URBANIZAO DO

    ATERRADO GLRIA - FLAMENGO

    Carlos Lacerda da janela de seu apartamento no 13 andar do nmero 224 da Praia do Flamengo e o Parque que levaria no futuro o seu nome.

    Constitudo por 7 membros, por

    fora do decreto que o criou, o

    Grupo de Trabalho para a

    Urbanizao do Aterrado Glria-

    Flamengo tinha como presidente Lotta Macedo Soares

    Para sua formao inicial Lotta convocou:

    Affonso Eduardo Reidy e Jorge Machado Moreira (projeto arquitetnico) Berta Leitchic (engenharia)

    Ethel Bauzer Medeiros (recreao) - Carlos Werneck de Carvalho, Srgio Bernardes e Hlio Mamede

    (desenvolvimento de projetos) - Luiz Emygdio de Mello Filho, botnico, era diretor do Departamento

    de Parques e Jardins da Secretaria de Obras Pblicas-GB.

    Hlio Modesto no era membro do grupo, propriamente, mas fazia importante ligao entre o grupo e o

    restante da administrao estadual.

  • O GRUPO

    Funcionrios do Barraco em 1965.

    Em p da esquerda para a direita: Juan Delis Scarpellini Ortega (arquiteto),

    Jlio Csar Pessolani Zavala (arquiteto),

    Dona Lotta, Olvio (copeiro), Srgio Rodrigues e Silva (arquiteto), Swany

    (secretria) e David (motorista do trenzinho).

    Agachados: Gelse Paciello da Motta (arquiteto), Marclio Pereira (jardineiro) e

    Fernanda Noviz Oliveira (secretria).

  • O GRUPO DE TRABALHO

    Este Grupo, segundo Enaldo Cravo Peixoto (5), era formado pelos seguintes profissionais: Affonso Eduardo Reidy, Jorge Machado Moreira Srgio Bernardes, Hlio Mamede, Maria Hanna Siedlikowski, Juan Derlis ScarpelliniOrtega e Carlos Werneck de Carvalho (arquitetos); Berta Leitchic (engenheira), Luiz Emygdio de Mello Filho (botnico), Mag Costa Ribeiro e Flvio de Britto Pereira (assessoria em botnica); Ethel Bauzer Medeiros (especialista em recreao), Alexandre Wollner (programao visual), Roberto Burle Marx e Arquitetos Associados: Fernando Tbora, John Stoddart, Julio Csar Pessolanie Mauricio Monte (paisagistas), Srgio Rodrigues e Silva e Mrio Ferreira Sophia (desenhistas), Fernanda Abrantes Pinheiro (secretria), Ressalta-se tambm a importncia dos trabalhos do Laboratrio de Hidrulica de Lisboa (estudos hidrulicos), de Richard Kelly (iluminao) e do urbanista HelioModesto,

  • BURLE MARX MAGU E LOTA

  • PROJETO DO PARQUE DO FLAMENGO

  • SURSAN E AS OBRAS

  • EQUIPE DA SURSANSECRETRIOS DE OBRAS ENALDO CRAVO PEIXOTO E RAYMUNDO DE PAULA SOARES

    DIRETORES DO DURB PAULA SOARES, MARCOS TAMOYO, JOAQUIM CHAVES E RONALD YOUNG

    DIRETORES DA 1 DIVISO DE OBRAS GILBERTO MORAND PAIXO, CLUDIO SATURNINO BRAGA, ALFREDO BITENCOURT COSTA E GASTO HENRIQUE SENGS

    ENGENHEIROS: HUMBERTO CESAR CARONE GLIO, CUSTDIO MEIRELES DE MIRANDA, SERGIO SCHMELFENG, FERNANDO NOVAES, EDSON VASSALO, NELSON DIAS LOPES

    ARQUITETOS: GELTON PACIELLO DAMOTTA, ALVA ATHOS FAGERLANDE, ARMANDO IVO DE CARVALHO ABREU

    PROJETOS, ENGENHEIROS: JOO ALVES DE MORAES, WALDIR JOS DE MELO,AFFFONSOAUGUSTO CANEDO NETTO.NELSON ARAUJO LIMA,ANTONIO SOARES VEIGA, JOS CARLOS COELHO LEAL, JOS VIRIATO PINTO.

    PROJETOS ARQUITETOS: WALTER IANNEBELI, FRANCISCO VERTA,PETAIN CESAR HABIB MATTAR,PAULO GERMANO DOS SANTOS TERRA,MARIA DE LOURDES DERENUSSON,SONIA MARIA PIRES DE MATTOS, PAULO ROBERTO MARTINS DE SOUZA,DILSON GESTAL PEREIRA,SGIO GONALVES DE OLIVEIRA,ARTHUR CESAR DE MENEZES SOARES,AUGUSTO IVAN DE FREITAS PINHEIRO,IDELCYRGONALVES LOPES, MARLO DA COSTA E SOUZA, LETICIA MAMAGIANO HAZAN

    TOPOGRAFIA: MAURICIO LOBO, ODIN MATHIESEN. FISCAIS DE CAMPO: LVARO, MOZART, MARZEU, OLIVEIRA, MORENO E OUTROS.

    CONTROLE TECNOLGICO: JULIO FERRARINI MAIONE.

    E MUITOS OUTROS QUE SE ENVOLVERAM DIRETA OU NDIRETAMENTE.

  • O ATERRADO

    O RIO CARIOCA

  • INCIO DAS PISTAS

  • O ATERRO EM CONSTRUO

  • O INTERCEPTOR SUBMARINO

  • O INTERCEPTOR OCENICO

    Na 1 etapa com extenso aproximada de 4.000 m, com incio na Estao

    Elevatria da Glria, Rua do Russel n 1, se desenvolver ao longo do Aterrado

    Glria-Flamengo, da Av. Oswaldo Cruze da nova praia de Botafogo, at

    Estao Elevatria de Botafogo, entre as Avenidas Nestor Moreira e Pasteur.

    Na 2 etapa o Interceptor Ocenico ir em direo a Copacabana at o incio da

    futura linha de lanamento submarino.

    O Interceptor constitudo por uma galeria de concreto, com seo inicial de

    1,10 m e 2,00 m de altura, atingindo 2,70 m por 3,00 m de altura, no final da 1

    etapa.

    O incio se d na Rua do Catete, prosseguindo pela Rua Silveira Martins, com

    900 mm de dimetro, atravessa o Aterro do Flamengo e desemboca no trecho

    inicial do Interceptor. Outro coletor vindo de Laranjeiras, pela Rua Machado de

    Assis, com dimetro variando de 900mm a 1.100 mm, desembocando no

    Interceptor aps atravessar as pistas da Praia do Flamengo.

    A soluo ideal para o destino final do sistema de interceptores o

    encaminhamento de todos os efluentes sanitrios para uma zona situada entre

    o Arquiplago das Cagarras e a Ilha Redonda, atravs de uma linha de

    lanamento submarino com incio nas vizinhanas do Arpoador.

    Adilson Sera da Motta

  • Lotta, Carlos Lacerda, Enaldo Cravo Peixoto e Marcos Tamoio em visita as obras do Parque - 1963

  • PRAIA DO FLAMENGO

  • O MATERIAL DO ATERRADO

    Quando Carlos Lacerda assumiu o governo da Guanabara o morro de Santo Antnio j estava completamente arrasado e o aterramento ainda por se completar.

    A soluo foi lanar mo da areia do fundo da baia da Guanabara e da remoo de terra, pedras e entulhos dos tneis em construo.

    A draga Ster foi a salvao para a complementao do aterro.

  • A ILUMINAO

    Escreve ela ao Governador, j chegamos a uma concluso sobre os postes para iluminao do Aterro.

    A concluso foi pelo nome de um especialista: Richard Kelly, e os postes de iluminao com 45 metros de altura!

  • CORETO PISTA DE DANAS E PAVILHESPROJETO DO ARQ. AFFONSO EDUARDO REIDY

    TEATRINHO DE MARIONETES PROJETO DO ARQ. CARLOS WERNECK

  • CORETO, PISTA DE DANA E PAVILHOPROJETO DO ARQ. AFFONSO EDUARDO REIDY

  • PAVILHODOMORRO DA VIUVAPROJETO DO ARQ. AFFONSO EDUARDO REIDY

  • O PAVILHO CHINSPROJETO DO ARQ. AFFONSO EDUARDO REIDY

  • O CORETO - PROJETO ARQ. AFFONSO EDUARDO REIDY

  • PISTA DE DANA - PROJETO DO ARQ. AFFONSO EDUARDO REIDY

  • MAQUETE DOS JARDINS DO MAM PROJETO DE ROBERTO BURLE MAX

  • TANQUE DE MODELISMO NAVAL

  • MONUMENTO AOS MORTOSPROJETO DOS ARQUITETOS MARCOS KONDER NETTO E HELIO RIBAS MARINHO

  • MONUMENTO A ESTCIO DE SPROJETO DO ARQ. LUCIO COSTA

  • MAM E O TEATROPROJETO DO ARQ. AFFONSO EDUARDO REIDY

  • MAM E A MARINA

  • JARDINS DO MAM PROJETO DE ROBERTO BURLE MAX

  • VISTA AREA DO PARQUE

  • TREVO RECEM INAUGURADO

  • TREVO DOS ESTUDANTES

  • PARQUE BRIGADEIRO EDUARDO GOMES

  • VISTA DO PARQUE - JARDINS DE ROBERTO BURLE MAX

  • ENALDO CRAVO PEIXOTO E LOTA MACEDO SOARES

  • BIBLIOGRAFIA

    PARECER CLAUDIA GIRO, arquiteta e urbanista do IPHAN 2011

    A COMISSO DO PLANO DA CIDADE, Um Modelo De Gesto E Um Plano De Obras Para A Cidade Do Rio De Janeiro, arquiteta VERA F. REZENDE

    ACERVO JOS DE OLIVEIRA REIS, Arquivo da Cidade do Rio de Janeiro, consultas anos 2003 e 2004.

    ENTREVISTA COM JOS DE OLIVEIRA REIS em maio de 1992.

    ENTREVISTA COM JOS OTACLIO DE SABOYA RIBEIRO FILHO em maro de 2002 e junho de 2004.

    ENTREVISTA COM OS ARQUITETOS STLIO ROXO, SYLVIO PROENA E RACHEL SISSON em novembro de 2002.

    RELATRIO APRESENTADO A ILMA. CMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO. Por H. DE BEAUREPAIRE-ROHAN. 1843

    MEMRIA DA DESTRUIO Rio Uma Histria Que Se PerdeuPrefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Arquivo da Cidade

    A ZONA PORTURIA DO RIO DE JANEIRO: Antecedentes E Perspectivas. FERNANDO FERNANDES DE MELLO

    ,A EVOLUO URBANA DO RIO DE JANEI