Processo Saúde Doença pré-histórica Período nômade •Busca de sobrevivência: alimentos,...

Click here to load reader

  • date post

    07-Mar-2018
  • Category

    Documents

  • view

    216
  • download

    3

Embed Size (px)

Transcript of Processo Saúde Doença pré-histórica Período nômade •Busca de sobrevivência: alimentos,...

  • Processo Sade-

    Doena

  • O processo sade-doena

    Doena tem sempre afligido o ser

    humano

    Estudos paleontolgicos: infeco,

    inflamao, tumores, traumatismos

    Egito: poliomielite,

    esquistossomose, tuberculose

  • TUDO RELATIVO?

    Processo sade doena relativo?

    Por qu?

  • O processo sade-doena

    Processo sade-doena

    significados dependendo da

    poca e enfrentamentos

    mediante a cultura e formas

    de organizao

  • Processo sade-doena

    Perodo Nmade

    Perodo Agrcola

    Perodo Industrial

  • Sociedade pr-histrica

    Perodo nmade

    Busca de sobrevivncia: alimentos, animais

    ferozes e clima;

    Religioso e sobrenatural do mundo

    sade/doena

    Demnios e espritos malignos

    doena/morte

    Cura feiticeiros evocando espritos do

    bem

  • Sociedades antigas

    Perodo agrcola

    Deixam de ser nmades

    Pecuria e comrcio

    Grandes civilizaes: Assrios, Caldeus,

    Egpcios

    Surgimento da doena devido somente

    fatores externos

  • Sociedades antigas

    Perodo agrcola

    As origens do universo esto na matria-

    prima Fatores externos:

    gua Fogo

    Ar Terra

  • Sociedades antigas

    Perodo agrcola

    Povos orientais: fatores externos desequilibrando yin e yang (homem e corpo ativos no processo)

    ORGANISMO PROCESSO ATIVO

    Desequilbrio entre os elementos humores que compem o

    organismo humano.

  • Sociedades antigas

    Perodo agrcola

    Grcia Hipcrates: Pai da Medicina

    Explicao racional das doenas

    Observao emprica

    Importncia do ambiente

    Sazonalidade

    Trabalho

    Posio social

    Afastava o sobrenatural

  • Sociedades antigas

    Perodo agrcola

    Idade Mdia: Cristianismo

    Cristos purificao e expiao dos pecados

    Pagos possesso do diabo ou feitiaria

    Epidemias Castigo Divino

    Retrocesso terico-metodolgico na

    medicina ocidental

  • Sociedades antigas

    Perodo agrcola

    Lepra: grande praga da Idade Mdia

    Teoria dos miasmas

  • Teoria dos Miasmas

    A origem das doenas situava-se na m

    qualidade do ar, proveniente das

    emanaes oriundas da decomposio de

    animais e plantas.

    Esta teoria dominou o pensamento mdico

    at metade do Sc. XIX

  • Sociedade industrial moderna

    Perodo industrial

    Renascimento

    Salto qualitativo nas cincias

    Transio do feudalismo para o capitalismo

    Empirismo: observao e explicao

    racional para os fenmenos naturais

  • Sociedade industrial moderna

    Perodo industrial

    Revoluo Francesa urbanizao pases europeus

    Sistemas de fbricas explicao social da causalidade das doenas

    Luis Pasteur concepo monocausal

    Avano da clnica

    e dos

    conhecimentos dos

    conceitos de

    causalidade

  • MODELOS EXPLICATIVOS DO

    PROCESSO SADE-DOENA

    Modelo monocausal

    Modelo multicausal

    Histria Natural da Doena

    Determinao Social da Doena

  • Modelo Monocausal

    Agente biolgico desequilbrio doena

    Doena delimitada somente no BIOLGICO

    Avanos na microbiologia

    Objetivo da cincia: sintetizar drogas

    Confesso que ao pensar numa doena nunca tive a inteno de lhe encontrar seu remdio, pelo contrrio,

    de encontrar um remdio capaz de preven-la.

    Pasteur

  • Modelo multicausal

    Incorpora fatores scio-econmicos,

    culturais, fsico qumicos;

    Condies de trabalho e de vida

    Natureza somente quantitativa

  • Histria natural da doena

    Modelo de Leavell & Clark (1965)

    Nveis de ao em sade

    Desconsidera o carter histrico e

    social da doena

    nfase s doenas infecciosas

  • Histria natural da doena

    PERODO PR-

    PATOGNICO

    PERODO PATOGNICO OU

    CLNICO

    Promoo

    da Sade

    Proteo

    especfica

    Diagnstico e

    tratamento

    precoce

    Limitao

    do dano

    Reabilitao

    PREVENO

    PRIMRIA

    PREVENO

    SECUNDRIA

    PREVENO

    TERCIRIA

  • Determinao social da doena

    Estrutura social

    Desenvolvimento das foras produtivas

    Relaes de produo momento histrico

    e espao social

  • Conceitos de Sade

    Sade um estado completo de

    bem-estar fsico, mental e social e

    no apenas a mera ausncia de

    doenas.

    Organizao Mundial da Sade (OMS), 1948

  • Processo sade-doena

  • Conceitos de Sade

    A sade um direito de todos e dever do Estado, garantida mediante polticas sociais e econmicas que visam reduo do risco de doenas e de outros agravos, e o acesso

    universal e igualitrio s aes e servios para sua promoo, proteo e

    recuperao.

    Constituio Brasileira de 1988

  • Conceitos de Sade

    A existncia de sade, que fsica e mental, est ligada a uma srie de condies irredutveis umas

    s outras. Um conceito ampliado no poderia ento considerar sade s como resultante das

    formas de organizao social da produo. Pois produzida dentro de sociedades que, alm da

    produo, possuem certas formas de organizao da vida cotidiana, da sociabilidade, da afetividade, da sensualidade, da subjetividade, da cultura e do lazer, das relaes com o meio ambiente. antes

    resultante do conjunto da experincia social, individualizado em cada sentir e vivenciado num

    corpo que tambm, no esqueamos, biolgico.

    Vaitsman, 1992

  • Conceitos de Sade

    A sade est baseada na felicidade a

    felicidade de abraar e fazer palhaadas e

    achar alegria na famlia e nos amigos,

    satisfao no trabalho e xtase na natureza

    e nas artes.

    Terapia do Amor Patch Adams (2002)

  • O amor contagioso...

  • Processo Sade-Doena

    CONCEITO

    ESTTICO

    CONCEITO

    DINMICO

  • A VISO DE PROCESSO

    A abordagem de processo diz respeito

    a nossa vida cotidiana, numa

    sociedade no esttica, ou seja em

    constante MUDANA

    Por exemplo, na vida afetiva:

    Aprender

    Amar

    Superar perdas, etc

  • SADE COMO NO ESTAR DOENTE

    Concepo negativa do processo

    sade- doena

    CONCEITO ESTTICO

  • SADE COMO QUALIDADE DE VIDA

    Concepo positiva do

    processo sade doena

    POLTICAS PBLICAS SAUDVEIS

    MUNICPIOS SAUDVEIS

    CONCEITO DINMICO

  • Determinantes e condicionantes

    do processo sade-doena

    Sociais

    Igualdade de direitos;

    Satisfao das necessidades bsicas;

    Educao e acesso informao;

  • Determinantes e condicionantes

    do processo sade-doena

    Culturais

    Costumes

    Ao de parteiras, benzedeiras,

    prticas religiosas

  • Determinantes e condicionantes

    do processo sade-doena

    Psicolgicos

    Papel da sexualidade

    Importncia dos afetos

    Auto estima auto aceitao

  • Determinantes e condicionantes

    do processo sade-doena

    Ambientais

    Relao com a natureza

    Qualidade do ar e da gua

    Manuteno das espcies da fauna e

    flora

    Conservao dos nichos ecolgicos

  • Fatores

    genticos

    Fatores

    espirituais

    Fatores

    polticosFatores

    econmicos

    Fatores

    culturais

    Fatores

    educacionais

    Fatores

    ambientais

    Fatores

    psicolgicosFatores

    sociais

  • Campos da Sade Lalonde (1974)

    Estilo de

    Vida

    Influncias

    ambientais

    Influncias

    genticas e

    biolgicas

    Natureza e

    extenso dos

    servios de

    sade

  • Determinantes no Processo Sade-

    Doena

  • Os genes carregam a

    arma.

    O estilo de vida puxa o

    gatilhoDr. Elliot Joslin

    Fatores de Risco relacionados ao

    estilo de vida

  • Holismo e Sade

    Nova racionalidade: percepo holstica do

    ser

    Integralidade e humanidade do ser humano

    Interior (Homeostase) + Exterior (Ecologia)

    Modelo cientfico baseado na inter relao

    de tudo com tudo e todos;

  • ?

    Holismo e Sade

  • Holismo e Sade

    http://www.buratto/otica/Duas67.html

  • Holismo e Sade

  • The Image Disappears - Original de Salvador Dali - 1938

    http://www.dali-gallery.com/

  • Tudo

    o que

    parece ser?

  • J que no vejo,

    no existe !

  • Promoo da Sade

    I Conferncia Internacional de Promoo da

    Sade

    Ottawa, 1986 consolidou a viso holstica

    Sade deve ser vista como um recurso para a vida e no como objetivo de viver e que as condies.

    Os recursos fundamentais para a sade so paz, habitao, educao, alimentao, renda,

    ecossistema estvel, recursos sustentveis, justia social e eqidade.

  • A terra no pertence ao homem; o homem que pertence terra. Disto temos certeza.

    Todas as coisas esto interligadas, como o sangue que une uma famlia. Tudo est

    relacionado entre si. O que fere a terra fere tambm filhos da terra. No foi o homem

    que teceu a trama da vida: ele meramente um fio da mesma. Tudo que ele fizer

    trama, a si prprio far.

    (Trecho da carta do Cacique Seattle ao Presidente dos EUA em 1855).