Percepção de professores do ensino fundamental acerca do ... ?· Romano (Século V, ano 476) e a...

download Percepção de professores do ensino fundamental acerca do ... ?· Romano (Século V, ano 476) e a Queda…

of 86

  • date post

    10-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    212
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Percepção de professores do ensino fundamental acerca do ... ?· Romano (Século V, ano 476) e a...

  • FACULDADE DE CINCIAS DA EDUCAO E SADE - FACES CURSO: PSICOLOGIA

    Percepo de professores do ensino fundamental acerca do processo

    de Incluso: um projeto de pesquisa-ao.

    Priscila Souza Leo

    Braslia

    Novembro/2008

  • Priscila Souza Leo

    Percepo de professores do ensino fundamental acerca do

    processo de Incluso: um projeto de pesquisa-ao.

    Monografia apresentada como requisito para concluso do curso de Psicologia do Centro Universitrio de Braslia- UNICEUB. Prof. orientadora Dr. Eileen Pfeiffer Flores

    Braslia

    Dezembro, 2008

  • FACULDADE DE CINCIAS DA EDUCAO E SADE - FACES CURSO: PSICOLOGIA

    Esta monografia foi aprovada pela comisso examinadora composta por:

    __________________________________________________________ Orientadora: Prof. Eileen Pfeiffer Flores

    __________________________________________________________ Prof. Maria do Carmo de Lima Meira

    __________________________________________________________ Prof. Maria Eleusa Montenegro

    A Meno Final obtida foi:

    _______________________

    Braslia, dezembro, 2008

  • iii

    Aos meus pais pelo amor, suporte e dedicao que permitiram a realizao de um sonho.

  • iv

    Agradecimentos

    Agradeo a Deus por estar sempre iluminando minha vida;

    Aos meus pais pelo apoio financeiro e por estarem sempre ao meu lado presenciando cada

    passo do meu crescimento profissional;

    Aos meus irmos pelas risadas, abraos, companheirismo e amor;

    Aos meus familiares por incentivarem meus passos dando-me apoio durante toda a

    caminhada;

    Aos meus primos pelas festas, piadas e risadas que alegraram todos meus momentos de

    angstia, carncia e solido;

    Aos meus amigos e amigas, desde os de infncia at os que recentemente conheci, pelo

    carinho, pacincia, compreenso e incomparvel apoio;

    Thais Bruzzi, uma grande amiga, pelas revises, pelos conhecimentos que me transmitiu

    durante o meu tempo de estgio e pelo incentivo;

    Ana Kely, companheira de estgio, pelo exemplo de fora e determinao;

    Ao grupo que durante toda trajetria compartilhou sambas e encontros maravilhosos;

    professora Eileen Flores pelo seu profissionalismo, dedicao, pacincia e amizade que

    tanto colaboraram para a elaborao deste trabalho;

  • v

    Resumo

    A presente monografia investigou a concepo de professores do ensino fundamental de uma escola pblica do Distrito Federal, sobre processo de incluso e proporcionou, atravs de reunies e dinmicas, um espao para reflexo. Foram feitas entrevistas, antes das reunies e aps as reunies com duas professoras. As reunies aconteceram por meio de dinmicas e uma palestra. Os dados das entrevistas foram transcritos, analisados e separados em trs categorias: concepo de incluso, dificuldades encontradas no processo de incluso e nomenclaturas utilizadas para designar as pessoas com necessidades educacionais especiais. As professoras conceberam incluso sob diferentes enfoques, com muitas definies prticas que se aproximavam dos princpios da integrao e poucas definies, quase todas baseadas em teorias, que se referiam ao processo de incluso. Os participantes indicaram durante as dinmicas muitas dificuldades para a realizao da incluso, dentre elas, a falta de formao especializada, a falta de profissionais qualificados e com experincia prvia, o excesso de alunos nas salas de aula e a falta de infra-estrutura e recursos adequados. O professor deficiente visual convidado para ministrar a palestra, afirmou que para ele no existe incluso e exemplificou com suas experincias de vida, o que fez com que os demais professores refletirem sobre sua atuao em sala de aula. Portanto, os dados permitiram identificar que o processo de incluso ainda depende de vrios aspectos e que ainda ocorre a proposta da integrao dentro de escolas inclusivas. Para que o processo de incluso ocorra efetivamente, so necessrias profundas transformaes na estrutura das escolas, redefinio dos cursos de formao dos professores e apoio das famlias e da Secretaria de Educao, principalmente na reformulao do processo educacional.

    Palavras-chave: Pesquisa-ao, Incluso escolar, Concepo de professores.

  • Sumrio

    Dedicatria ----------------------------------------------------------------------------------------------- iii

    Agradecimentos ----------------------------------------------------------------------------------------- iv

    Resumo ---------------------------------------------------------------------------------------------------- v

    Introduo ------------------------------------------------------------------------------------------------- 1

    Captulo 1 - Da Integrao ao Processo de Incluso ------------------------------------------------ 4

    1.1 Breve histrico da deficincia --------------------------------------------------------------------- 4

    1.2 Da Segregao Integrao ----------------------------------------------------------------------- 6

    1.3 Um Novo Paradigma: Sob o Olhar Da Educao Inclusiva ---------------------------------- 11

    1.4 Formao dos Professores como a base do processo de Incluso --------------------------- 14

    1.5 Benefcios da Incluso ----------------------------------------------------------------------------- 17

    1.6 Concepo de Professores sobre a Incluso ---------------------------------------------------- 19

    Captulo 2 A pesquisa-Ao ------------------------------------------------------------------------ 22

    2.1 Definio -------------------------------------------------------------------------------------------- 22

    2.2 Ciclo e Participao -------------------------------------------------------------------------------- 25

    2.3 Pesquisa-ao benfica e eficaz ------------------------------------------------------------------ 27

    Captulo 3 A Pesquisa de Campo ------------------------------------------------------------------ 30

    3.1 Metodologia ----------------------------------------------------------------------------------------- 30

    3.2 Resultados e Discusso ---------------------------------------------------------------------------- 31

    Consideraes Finais ----------------------------------------------------------------------------------- 40

    Referncias Bibliogrficas ----------------------------------------------------------------------------- 42

    Apndice A Termos de Consentimento Livre e Esclarecido ----------------------------------- 47

    Apndice B Entrevistas semi-estruturadas -------------------------------------------------------- 50

    Apndice C - Entrevistas Transcritas --------------------------------------------------------------- 53

  • A educao inclusiva surgiu muito recentemente na sociedade brasileira com o intuito

    de provocar mudanas no desenvolvimento e exerccio da cidadania. O conceito de incluso

    nasceu com o objetivo de no apenas integrar as pessoas com necessidades educacionais

    especiais nas escolas, mas de receb-las com respeito independente de gnero, etnia, idade ou

    classe social.

    Antes da incluso, h muitos anos, os deficientes eram considerados aberraes,

    castigo de Deus, seres malficos, improdutivos e no dignos de viver com os ditos normais.

    Com o passar do tempo, foram conquistando espao na sociedade e passaram a ser acolhidos

    e assistidos em necessidades bsicas de alimentao, abrigo e educao. Entretanto, essa

    conquista ocorreu lentamente. Primeiro, os deficientes deixaram de ser vistos como criaturas

    demonacas e passaram ser segregados, isolados e excludos em asilos e manicmios, de

    modo que no se misturassem com os ditos normais. Como a segregao vista como uma

    prtica intolervel e excludente surge ento o termo integrao. Tal termo fundamentado e

    baseado no argumento de que todos os deficientes teriam o direito de participar de todos os

    programas e atividades cotidianas disponibilizadas s crianas normais. Porm, na

    integrao que surgem as classes e escolas especiais onde os deficientes deveriam passar

    perodo integral ou parcial. A integrao passa a ser vista ento como um processo onde o

    deficiente deve ser preparado em escolas especiais com outros deficientes para depois assumir

    um lugar na sociedade dos normais.

    A proposta da incluso que visa no deixar ningum excludo surge por volta de 1994

    com a Declarao de Salamanca. Na incluso necessrio que todos os alunos faam parte do

    processo mesmo que no apresentem causa orgnica ou deficincia fsica. Ou seja, a nfase

    ampliada de modo a se considerarem as necessidades e peculiaridades de cada pessoa.

  • 2

    A incluso escolar implica no aluno estar na escola, participando, aprendendo e

    desenvolvendo. Sendo assim, a escola deve reestruturar-se, adaptar-se e transformar-se para

    inserir todas as crianas em suas classes regulares.

    Neste processo de incluso escolar os professores tm um papel relevante, pois

    ocupam um lugar privilegiado de mediadores, onde o sucesso ou insucesso dos alunos

    depende em grande parte, de atitudes, crenas e comportamentos deles. Portanto, para lidar

    com tantas diferenas no ambiente da sala de aula h que se ter um preparo.

    pensando em como os professores enxergam e vivem esse processo de incluso que

    surgiu o objetivo desta pesquisa.

    Pretendeu-se analisar a percepo de professores do ensino fundamental de uma escola

    pblica na Ceilndia acerca do processo de incluso e realizar, diante disso, um trabalho

    reflexivo junto com os professores que oferecesse subsdios para aumentar conhecimentos

    sobre o assunt