Pesquisa Brasileira de Midia 2014

download Pesquisa Brasileira de Midia 2014

of 152

Embed Size (px)

Transcript of Pesquisa Brasileira de Midia 2014

  • 1.1 PESQUISA BRASILEIRA DE MDIA 2014 SECRETARIA DE COMUNICAO SOCIAL DA PRESIDNCIA DA REPBLICA Braslia, fevereiro de 2014 HBITOS DE CONSUMO DE MDIA PELA POPULAO BRASILEIRA

2. 2 3. 3 Braslia, fevereiro de 2014 SECRETARIA DE COMUNICAO SOCIAL DA PRESIDNCIA DA REPBLICA PESQUISA BRASILEIRA DE MDIA 2014 HBITOS DE CONSUMO DE MDIA PELA POPULAO BRASILEIRA 4. 4 Secretaria de Comunicao Social da Presidncia da Repblica Dados Internacionais de Catalogao na Publicao (CIP) B823p Brasil. Presidncia da Repblica. Secretaria de Comunicao Social. Pesquisa brasileira de mdia 2014 : hbitos de consumo de mdia pela populao brasileira. Braslia : Secom, 2014. 151 p. : il. 1. Comunicao de massa Brasil. 2. Consumo de mdia Brasil. 3. Populao brasileira. I. Ttulo. CDD 302.230981 Copyright 2014 - Presidncia da Repblica. Secretaria de Comunicao Social SECOM. Publicao de cunho informativo e de prestao de servio. Todos os direitos reservados. Verso eletrnica disponvel no stio: http://www.secom.gov.br/ Contato: fale.secom@presidencia.gov.br 5. 5 Apresentao......................................................................................................................... 7 Introduo............................................................................................................................... 9 Uma Pesquisa Representativa.............................................................................. 11 Especificaes Metodolgicas.............................................................................. 13 Captulo 1 Televiso........................................................................................................... 19 Captulo 2 Rdio................................................................................................................ 35 Captulo 3 Internet............................................................................................................ 47 Captulo 4 Jornal Impresso............................................................................................ 63 Captulo 5 Revista Impressa.......................................................................................... 73 Captulo 6 Confiana na Mdia...................................................................................... 81 Captulo 7 Veculos Pblicos Estatais........................................................................ 113 SUMRIO 6. 6 7. 7 apresentao a pesquisa brasileira de mdia A primeira edio da Pesquisa Brasileira de Mdia traz um retrato representativo e preciso sobre o uso que os brasileiros declaram fazer, atualmente, dos meios de comunicao social. Continua sendo predominante a presena da TV nos lares do Pas, apesar do rpido crescimento da internet. Nada menos que 97% dos entrevistados afirmaram ver TV, um hbito que une praticamente todos os brasileiros, com independncia de gnero, idade, renda, nvel educacional e localizao geogrfica. A internet e o rdio so meios de comunicao tambm muito presentes na vida das pessoas, ainda que em menor grau: 61% tm o costume de ouvir rdio e 47% tm o hbito de acessar a internet. J a leitura de jornais e revistas impressos menos frequente e alcana, respectivamente, 25% e 15% dos entrevistados. Esse padro de respostas se confirma quando os entrevistados indicam o meio de comunicao preferido. Ou seja, ainda que usem vrios, com o qual se tem mais proximidade, por seu contedo e caractersticas (como mobilidade, dinamismo e custo). O meio de comunicao preferido pelos brasileiros a TV (76,4%), seguido pela internet (13,1%), pelo rdio (7,9%), pelos jornais impressos (1,5%) e pelas revistas (0,3%) outras respostas somam 0,8%. A pesquisa, realizada em outubro e novembro de 2013, tambm traz dados que permitem observar uma tendncia para os prximos anos. Entre os mais jovens, na faixa de 16 a 25 anos, a preferncia pela TV cai a 70% e a citao internet sobe a 25%, ficando o rdio com 4% e os demais com menes prximas de 0%. Como em outros pases, devemos continuar assistindo tambm no Brasil a um crescimento da adeso aos meios digitais de comunicao nos prximos anos. A Pesquisa Brasileira de Mdia , portanto, um passo muito importante no aperfeioamento das aes que j vm sendo adotadas pela Secretaria de Comunicao Social (SECOM) da Presidncia da Repblica nos ltimos anos. Os parmetros de atuao visam a garantir eficincia, maior visibilidade das aes e dos programas de governo e transparncia na alocao dos recursos de publicidade. Os desafios no so poucos nem pequenos. Novos meios assumem participaes significativas na preferncia da populao, como os canais digitais. Ao governo cabe estar atento a essas tendncias, procurando sempre a maior qualidade na sua comunicao, de forma tcnica e transparente. A partir desta edio, a SECOM pretende repetir, a cada ano, a Pesquisa Brasileira de Mdia, tornando-a uma referncia tecnicamente slida e nacionalmente representativa dos hbitos que os brasileiros tm quando ligam a TV ou o rdio, acessam a internet ou abrem os jornais e as revistas. 8. 8 9. 9 INTRODUO uma pesquisa representativa especificaes metodolgicas 10. 10 11. 11 UMA PESQUISA REPRESENTATIVA A representatividade nacional da Pesquisa Bra- sileira de Mdia sua principal caracterstica, indita nesse tipo de estudo no Brasil. Foram estabelecidas amostras que retratam adequada- mente cada um dos 26 Estados e o Distrito Fe- deral (DF). Essa deciso metodolgica permite conhecer de modo mais preciso os padres de comportamento dos brasileiros em cada Unida- de da Federao (UF). Outros estudos, muito difundidos no setor pri- vado, privilegiam ou limitam suas amostras aos grandes centros urbanos, o que reduz ou at mes- mo elimina a presena do interior do Pas, onde mora aproximadamente metade da populao brasileira. No setor pblico, entretanto, a natu- reza da relao entre governos e cidados exige uma comunicao para todos, e no apenas com brasileiros-consumidores. Esse objetivo imps um desenho de pesquisa mais representativo, mas de modo algum sim- plificou o desafio. A permanente evoluo tec- nolgica sobre a qual se estabelece a atividade dos meios de comunicao cria um sistema complexo e difcil de ser mensurado. Se o con- tedo da internet tem alcance global, o alcance da televiso e das revistas impressas tende a ser nacional ou estadual, enquanto o de jornais im- pressos e de rdios costuma cobrir um conjunto de municpios e em poucos casos toda a Unida- de da Federao. Por esse motivo, com amostras estaduais e do DF, esta pesquisa descreve melhor os hbitos com relao ao uso da internet, da TV e das re- vistas impressas. Porm, pode subdimensionar o uso de jornais impressos e rdios com grande leitura/audincia em microrregies pouco repre- sentativas do conjunto da populao da UF. S amostras representativas de cada microrregio descreveriam precisamente a penetrao desses veculos uma opo dispendiosa e financeira- mente invivel. Outro aspecto tambm relevante da pesquisa que todas as citaes a veculos de comunicao privados foram feitas de modo espontneo, asse- gurando a cada um deles a mesma probabilidade de serem mencionados pelos entrevistados. Em nenhum caso, foram estimulados nomes ou feitas referncias indiretas a veculos de comunicao, salvo os pblicos ou estatais. O trabalho de campo desta pesquisa deu-se entre os dias 12 de outubro e 6 de novembro de 2013, 12. 12 quando 200 pesquisadores aplicaram 75 per- guntas a 18.312 brasileiros em 848 municpios. A elaborao do questionrio, a coleta de dados, a checagem e o processamento dos resultados es- tiveram a cargo do IBOPE Inteligncia, empresa contratada em 2013, por meio de licitao, pela Secretaria de Comunicao Social da Presidncia da Repblica. A concepo do projeto contou com a partici- pao de diversos especialistas. Em duas roda- das de reunies tcnicas em Braslia, nos meses de dezembro de 2012 e fevereiro de 2013, nove professores e pesquisadores de opinio pbli- ca de diferentes universidades contriburam com o desenho do questionrio: Edison Nunes (PUC-SP), Emerson Cevi (UFPR), Leandro Molhano (FGV-RJ), Lcio Renn (UnB), Mara Telles (UFMG), Marcelo Simas (IUPERJ), Mathieu Turgeon (UnB), Pedro Mundim (UFG) e Rachel Meneguello (Unicamp). Lapsos do projeto que tenham persistido, contudo, so de inteira res- ponsabilidade da SECOM. O banco de dados que resultou do trabalho tem cerca de 2 milhes de clulas. Apenas um extrato dessas informaes compe o presente relat- rio, que naturalmente no esgota os cruzamen- tos e as anlises possveis. Por isso, os interessa- dos podem obter os microdados para o Brasil ou por UF mediante simples solicitao eletrnica (fale.secom@presidencia.gov.br). Alguns conceitos e perguntas utilizados no ques- tionrio desta pesquisa foram inspirados em es- tudos internacionais como os conduzidos pelo European Social Survey (ESS) ou o Latin American Public Opinion Project (Lapop) e em pesquisas desenvolvidas no Brasil pelos institu- tos IBOPE Inteligncia, Datafolha e Meta. Em v- rios casos, estudos cuja longevidade inspira este projeto. Ano a ano, a Pesquisa Brasileira de Mdia pretende descrever as mudanas tecnol- gicas e comportamentais que afetam a utilizao dos meios de comunicao pelos brasileiros, alm de contribuir para a qualificao da comunicao entre o Governo Federal e a sociedade. 13. 13 Este captulo apresenta as principais etapas do processo de planejamento, coleta e processa- mento de informaes realizadas na Pesquisa Brasileira de Mdia, pelo instituto IBOPE Inteli- gncia, e pretende retratar um panorama geral do estudo, do ponto de vista metodolgico. Sero abordados os seguintes pontos: Objetivos da pesquisa; Instrumento de coleta; Plano amostral; Coleta de dados; Validao dos resultados; Codificao; Processamento de dados. 1 Objetivos da Pesquisa 1.1 Objetivo geral da pesquisa Conhecer os hbitos de consumo de mdia da populao brasileira (segundo estratos de lo- calizao geogrfica e de corte socioeconmi- co) a fim de subsidiar a elaborao da poltica de comunicao e divulgao social do Execu- tivo Feder