PNLD lingua estrangeira

download PNLD lingua estrangeira

of 80

  • date post

    18-Dec-2015
  • Category

    Documents

  • view

    64
  • download

    47

Embed Size (px)

description

Apresentação do PNLD língua estrangeira

Transcript of PNLD lingua estrangeira

  • APresidncia da RepblicaMinistrio da EducaoSecretaria Executiva Secretaria de Educao Bsica

  • Ministrio da EducaoSecretaria de Educao Bsica

    Fundo Nacional de Desenvolvimento de Educao

    Anos Finaisdo Ensino Fundamental

    Guia de Livros Didticos PNLD 2011

    AAPRESENTAO

  • MINISTRIO DA EDUCAOSecretaria de Educao Bsica SEB

    Diretoria de Polticas de Formao, Materiais Didticos e de Tecnologias para Educao Bsica

    Coordenao-Geral de Materiais Didticos

    Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educao FNDE Diretoria de Aes Educacionais

    Coordenao-Geral dos Programas do Livro

    Equipe Tcnico-pedaggica da SEB Andra Kluge Pereira Ceclia Correia Lima

    Elizangela Carvalho dos Santos Jane Cristina da Silva

    Jos Ricardo Alberns Lima Lucineide Bezerra Dantas

    Lunalva da Conceio Gomes Maria Marismene Gonzaga

    Equipe de Apoio Administrativo Leandro Pereira de Oliveira

    Paulo Roberto Gonalves da Cunha Gabriela Brito de Arajo

    Neiliane Caixeta Guimares

    Equipe do FNDE Sonia Schwartz Edson Maruno

    Auseni Peres Frana Millions Rosalia de Castro Sousa

    Projeto Grfico e Diagramao Joo HumbertoCarlos DTarsoAlex Amorim

    Guia de livros didticos: PNLD 2011 : Apresentao. Braslia : Ministrio da Educao, Secretaria de Educao Bsica, 2010.

    76 p.

    ISBN 978-85-7783-030-5

    1. Livros didticos. 2. Apresentao. I. Brasil. Ministrio da Educao. Secretaria de Educao Bsica. II. Ttulo

    CDU 371.671

    Dados Internacionais de Catalogao na Publicao (CIP)Centro de Informao e Biblioteca em Educao (CIBEC)

  • S U M R I OOS PROGRAMAS DE MATERIAIS DIDTICOS 5

    PROGRAMA NACIONAL DO LIVRO DIDTICO PNLD 2011 12

    REFERNCIAS 15

    AGORA HORA DE REGISTRAR A ESCOLHA 171. Termo de Adeso 19

    2. Escolha pela Internet 19

    3. Senha 19

    3.1. Perda, roubo ou furto da senha 19

    4. Responsvel pela escolha 20

    5. Compromissos da escola 20

    6. Cdigo de Segurana 21

    7. Escolha 21

    8. Registro da Reunio de Escolha e Transparncia do Processo 22

    9. Normas de Conduta 22

    10. Recebendo livros 22

    11. Reserva Tcnica 23

    TRS PASSOS PARA O SUCESSO DO PROGRAMA NACIONAL DO LIVRO DIDTICO 25

    1. Conservao e Devoluo dos livros 26

    2. Remanejamento 26

    2.1. Siscort 26

    Compromissos da Escola PNLD 2011 28

    REGISTRO DA REUNIO DE ESCOLHA DE LIVROS DIDTICOSPNLD 2011 (6 ao 9 ano) 31

    Orientaes para o Registro da Escolha do PNLD 2011 33

    Portaria Normativa N 7, de 5 de abril de 2007 37

    Resoluo n. 60 de 20 de Novembro de 2009 43

    QUADRO COM OS CDIGOS DAS COLEES E DOS LIVROS 61

  • OS PROGRAMAS DE MATERIAIS

    DIDTICOS

  • A arte de ler a arte de pensar com um pouco de ajuda.mile Faguet

    mile Faguet, no texto acima, nos leva a ver o objeto livro para alm de um suporte para a produo escrita. O livro a que se refere o autor aquele que ajuda o leitor a exercitar sua capacidade de reflexo e crtica. Por arte entendemos a capacidade de produzir algo que provoque os sentidos. Assim, a leitura como a arte de pensar seria a transformao de uma arte a do autor em outra a do leitor numa espcie de releitura, que, por sua vez requer a apropriao e reelaborao. Tomamos esse sentido para explicitar os objetivos do Ministrio da Educao ao propor uma poltica de distribuio de materiais mais ampla, de forma a oferecer aos alunos da rede pblica, alm dos livros didticos, cujas resenhas compem este Guia, outros textos que possam contribuir significativamente para a formao de cidados crticos e participativos, capazes de pensar e reelaborar, de transitar com desenvoltura e independncia entre as diferentes esferas; indivduos inseridos nas relaes que se estabelecem por meio do texto escrito.

    A recente publicao do Decreto n 7.084, de 27 de janeiro de 2010, e o texto do artigo 32 da Lei de Diretrizes e Bases LDB do respaldo to almejada qualidade da educao, que se aproxima, cada vez mais, do reconhecimento do papel da leitura independente para a ampliao do universo de referncias dos alunos e, consequentemente, para a formao de indivduos capazes de ler, interpretar e reelaborar a realidade, por meio do acesso informao:

    Art. 32. O ensino fundamental obrigatrio, com durao de 9 (nove) anos, gratuito na escola pblica, iniciando-se aos 6 (seis) anos de idade, ter por objetivo a formao bsica do cidado, mediante: (Redao dada pela Lei n 11.274, de 2006)

    o desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como I meios bsicos o pleno domnio da leitura, da escrita e do clculo;a compreenso do ambiente natural e social, do sistema poltico, II da tecnologia, das artes e dos valores em que se fundamenta a sociedade;o desenvolvimento da capacidade de aprendizagem, tendo III em vista a aquisio de conhecimentos e habilidades e a formao de atitudes e valores;o fortalecimento dos vnculos de famlia, dos laos de IV solidariedade humana e de tolerncia recproca em que se assenta a vida social.

    J o Decreto n 7.084 estabelece como objetivos dos programas de distribuio de livros do Ministrio da Educao:

    Gui

    a de

    Liv

    ros

    Did

    tic

    os P

    NLD

    201

    1

    7

  • Art. 2 So objetivos dos programas de material didtico:

    melhoria do processo de ensino e aprendizagem nas escolas I pblicas, com a consequente melhoria da qualidade da educao;garantia de padro de qualidade do material de apoio II prtica educativa utilizado nas escolas pblicas;democratizao do acesso s fontes de informao e III cultura;fomento leitura e o estmulo atitude investigativa dos IV alunos; eapoio atualizao e ao desenvolvimento profissional do V professor.

    Os textos legais acima norteiam as aes j desenvolvidas por este Ministrio, por meio da distribuio do livro didtico, por meio do fomento s bibliotecas escolares e da formao continuada de professores. Dessa forma, e aproximando-se dos tipos de livros escolares propostos por Alain CHOPPIN (1992)1, o Ministrio da Educao vem, progressivamente, ampliando, nos ltimos anos, a distribuio de materiais de leitura para as escolas pblicas brasileiras.

    Assim o MEC distribui, atualmente: (I) no mbito do Programa Nacional do Livro Didtico PNLD, livros didticos a todos os alunos do ensino fundamental e mdio; obras complementares s reas do conhecimento para apoio ao processo de ensino e aprendizagem nos dois primeiros anos, distribudas s escolas pblicas que oferecem os anos iniciais do ensino fundamental; e dicionrios; (II) no mbito do Programa Nacional Biblioteca da Escola PNBE, livros de literatura para toda a educao bsica, incluindo a Educao Infantil de 0 a 5 anos e a Educao de Jovens e Adultos; peridicos voltados para a formao e atualizao dos professores, que sero distribudos ainda em 2010 para toda a educao bsica; e, finalmente, obras de cunho terico-metodolgico dirigidas aos professores da rede pblica.

    Essa diversidade de textos ainda no suficiente se pensarmos no volume de informao que circula diariamente e na necessidade de promover a leitura categoria de atividades significativas para a populao brasileira. Embora o livro didtico seja um apoio valioso para professores e alunos, os demais textos elencados acima, e que fazem parte dos programas de material didtico regulamentado pelo Decreto 7.084, so igualmente importantes para que se cumpra o objetivo de formar cidados para ler o mundo, para traduzi-lo e decifr-lo, nas palavras de Manguel (2006):

    1 Alain Chppin prope quatro tipos de livros escolares: (a) os manuais ou livros didticos, (b) os livros paradid-ticos ou paraescolares; (c) os livros de referncia; (d) as edies escolares de clssicos.

    Gui

    a de

    Liv

    ros

    Did

    tic

    os P

    NLD

    201

    1

    8

  • O astrnomo lendo um mapa de estrelas que no existem mais; o arquiteto japons lendo a terra sobre a qual ser erguida uma casa, de modo a proteg-la das foras malignas; o zologo lendo os rastros de animais na floresta; o jogador lendo os gestos do parceiro antes de jogar a carta vencedora; a danarina lendo as notaes do coregrafo e o pblico lendo os movimentos da danarina no palco; o tecelo lendo o desenho intrincado de um tapete sendo tecido; o organista lendo vrias linhas musicais simultneas orquestradas na pgina; os pais lendo no rosto do beb sinais de alegria, medo ou admirao; o adivinho chins lendo as marcas antigas na carapaa de uma tartaruga; o amante lendo cegamente o corpo amado noite, sob os lenis; o psiquiatra ajudando os pacientes a ler seus sonhos perturbadores; o pescador havaiano lendo as correntes do oceano ao mergulhar a mo na gua; o agricultor lendo o tempo no cu todos eles compartilham com os leitores de livros a arte de decifrar e traduzir signos (...) E, contudo, em cada caso o leitor que l o sentido; o leitor que confere a um objeto, lugar ou acontecimento uma certa legibilidade possvel, ou que a reconhece neles; o leitor que deve atribuir significado a um sistema de signos e depois decifr-lo. Todos lemos a ns e ao mundo nossa volta para vislumbrar o que somos e onde estamos. Lemos para compreender, ou para comear a compreender. (...)

    Aos programas de distribuio de livros Programa Nacional do Livro Didtico e Programa Nacional Biblioteca da Escola , s aes de formao inicial e continuada dos professores, s alternativas para democratizao do acesso de crianas, jovens e alunos escola e da permanncia desses educandos at a concluso de seus estudos, somam-se muitas outras iniciativas desenvolvidas por instituies como escolas pblicas e privadas, bibliotecas e organizaes sociais cujos objetivos so promover o acesso informao como forma de (re)conhecimento do mundo e conduzir os alunos reelaborao da realidade com base em suas prprias experincias, contribuindo para a percepo de si mesmo e do mundo.

    Como di