Poluição do ar

Click here to load reader

  • date post

    03-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    8.784
  • download

    4

Embed Size (px)

Transcript of Poluição do ar

  • 1. A POLUIO Geografia 2009/2010

2. 3.

  • Primeiro queria falar sobre a poluio da gua, mas a professora mandou fazer sobre este tema: a poluio do ar.
  • Este trabalho contm vrias temas, os 6 principais so a poluio atmosfrica, a camada de ozono, as chuvas cidas, o efeito de estufa, o smog e o protocolo de Quioto.
  • A minha finalidade aprender mais sobre este tema e saber que so as consequncias se continuarmos a viver desta maneira.

4.

  • A POLUIO ATMOSFRICA

5.

  • A poluio atmosfrica qualquer alterao da composio qumica do ar, seja pela variao importante na proporo dos seus constituintes ou pela presena de substncias estranhas, que possa prejudicar a sade, provocar perturbaes nos seres vivos e no meio ambiente.
  • Ao alterar a composio natural do ar, os seres vivos so afectados e pode ser posta em causa a sua vida.

6.

  • As chuvas cidas
  • Aumento do efeito de estufa
  • Diminuio da camada de ozono

7.

  • Localizao adequadadas industrias, ou seja,afastamentode zonas residnciais;
  • Controlo das emissesdos meios de transportes;
  • Incentivo investigao e utilizao de combustveis mais ecolgicos;
  • Incentivo a aplicao de tecnologias menos poluentes;
  • Incentivo utilizao de transportes colectivos;
  • Melhoriados sistemas de transportes colectivos;
  • Instalao de equipamentos mais eficazes na reteno de poluentes;
  • Destruio da incineraode resduos domsticos e controlo da sua queima.

8.

  • AS CHUVAS CIDAS

9.

  • A poluio cida causada pelos fumos e gases libertados por fbricas, automveis e camies que trabalham com combustveis fsseis, como o carvo e o petrleo.
  • Os combustveis queimados para utilizao de energia, fazem ocorrer dois efeitos secundrios:
      • O enxofre mistura-se com o oxignio resultando dixido de enxofre
      • O azoto do ar e do combustvel transformam-se em xido de azoto
    • Estes transformaes do origem as chuvas cidas

10. 11.

  • Contaminao dos solos, causando a morte das plantas,
  • Contaminao de lagos fazendo o oxignio desaparecer e os peixes morrem;
  • Corroso de rvores fazendo as florestas ficarem nuas, ou seja, florestas nuas;
  • Corroso de monumentos, edifcios;
  • Distrbiosao nvel das cadeias alimentares;
  • Doenas , como por exemplo, asma, sinusite, conjuntivite, broncopneumonia e doenas cardiovasculares.

12.

  • Limpar o carvo antes de o queimar, ou seja, triturar e lavar com gua
  • O enxofre pode ser extrado do petrleo
  • O modo como os combustveis so queimados pode ser controlado para reduzir o xido de enxofre e o azoto
  • O enxofre pode ser separado por um processo chamado combusto

13.

  • Nos nossos dias, apenas metade do dixido de enxofre (a substncia que d origem s chuvas cidas) que existe na atmosfera de origem natural. O restante produzido pelo Homem. Nas regies industriais, at 90% do dixido de enxofre produzido pelo Homem
  • As chuvas cidas so 10 a 70 vezes mais cidas do que a no poluda
  • A acidez mais elevada torna-se destrutiva
  • A acidez das chuvas na Europa e Amrica do Norte aumentou drasticamente nas ltimas dcadas

14.

  • A CAMADA DO OZONO

15.

  • A atmosfera uma camada de gases que rodeia a terra e actua como um escudo que nos protege contra as radiaes solares.
  • Uma das partes mais importantes na atmosfera a camada de ozono. Mas para que serve exactamente essa camada?

16.

  • Para alm da distncia que nos separa do Sol, a camada de ozono permite-nos sobreviver na planeta terra. Na atmosfera existe um gs, o ozono, que filtra os raios ultravioletas. Essa camada de gs fica entre os 20 e 30 Km acima do solo. Se no houvesse o ozono, os raios ultravioletas (UV) passavam pela atmosfera e a temperatura aumentava que fazia como a vida na nossa planeta seria impossvel.

17.

  • No entanto, alguns gases criados pelos humanos, como, principalmente os CFCs, poluem a atmosfera e destroem a camada de ozono, que j esta muito menos espesso que antes. Por cima de Antrctida, por exemplo, h uma grande zona na atmosfera onde j s existe muito pouco ozono.

18.

  • So gases muito prejudiciais pela camada de ozono, foram probidos h algum tempo, mas mesmo assim continuam a destruir a atmosfera devido a sua longevidade de mais de 50 anos. Estes gases utilizam-se nos frigorificos, em aerossis (sprays) e em espumas sintticas para embalar. Temos que evitar usar estes produtos com CFCs. No entanto tambm existem os mesmos objectos mas sem os CFCs ou Halon (no caso dos extintores).

19.

  • Graas aos raios UV, uma das doenas mais frequentes desde do ano 2000 o cancro da pele
  • O fitoplncton serve de alimento para muitos animais marinhos, mas tambm muito sensvel aos raios UV e acabam por morrer se houver excesso destes raios, dando origem falta de alimento.
  • E o mais importante, se a camada de ozono continuar a ser destrudo, at houver muito pouco ou nenhum ozono na atmosfera, a sobrevivncia dos seres da planeta Terra ser posto em perigo.

20. O EFEITO DE ESTUFA 21.

  • O efeito de Estufa um fenmeno natural que regula a temperatura da Terra. Tal como um vidro numa estufa que mantm o calor no interior, a atmosfera permevel radiao solar mas limita a sada de calor (radiao de longo comprimento de onda - infra-vermelho).

22.

  • Dixido de Carbono(CO2) o responsvel por cerca de 55% do efeito de estufa.
  • Clorofluorcarbonetos(CFCs) so os responsveis no s por 24% do aquecimento global resultante do efeito de estufa, mastambm pela destruio da camada de ozono (que protege da radiao perigosa dos raios solares).
  • Metano um poderoso gs que produzido sobretudo pelos excrementos do gado bovino e pelas lixeiras e que provoca o efeito estufa.
  • cido Ntrico formado por micrbios, pela decomposio de fertilizantes qumicos e pela combusto da madeira e de combustveis fsseis.
  • Ozono originado pela poluio produzida no solo pelos veculos automveis, fbricas e refinarias de petrleo.

23.

  • Se a temperatura subir mais 4C:
  • Grande parte da Terra poder transformar-se num deserto;
  • Mudar a direco do vento e ir chover onde habitualmente no chovia;
  • O gelo dos plos comear a derreter e o nvel das guas do mar ir subir. Se subir trs ou quatro metros , as terras frteis ficaro alagadas, e pases como o Portugal, com cidades costeiras, correro perigo.

24.

  • Diminuir o abate progressivo de rvores e tentar reflorestar as reas que se encontram destrudas pelo Homem;
  • Utilizar transportes colectivos ou no poluentes;
  • Utilizar energias alternativas como a energia elica;
  • Limpar as matas de modo a tentar evitar incndios de grandes dimenses;
  • Controlar a emisso de gases por parte das indstrias (instalao de filtros);
  • Reduzir a queima de resduos urbanos, industriais, agrcolas e florestais tais como explosivos, resinas, tintas, plsticos e pneus;

25.

  • O SMOG

26.

  • O smog [do ingls 'smoke (fumo) + 'fog' (nevoeiro)] um fenmeno cada vez mais visvel nas grandes reas urbanas, em particular no Vero. Os principais constituintes do smog so os oxidantes fotoqumicos, como o ozono troposfrico e os peroxi-acetil-nitratos (PAN).

27.

  • O ozono troposfrico forma-se quando os xidos de azoto reagem com os compostos orgnicos volteis, na presena da luz solar.
  • O ozono, apesar da sua utilidade nas camadas superiores da atmosfera, um gs bastante txico para os seres humanos. Provoca irritaes e danos nos olhos, na pele e nos pulmes, seca as membranas protectoras do nariz e da garganta e interfere no sistema imunitrio. Este gs agrava tambm as doenas respiratrias como a asma, sendo por isso os portadores deste tipo de doenas e as crianas mais vulnerveis.
  • Outro problema do ozono troposfrico o facto de este transformar os hidrocarbonetos presentes na atmosfera, libertados devido ao mau rendimento dos motores de exploso, em compostos que se vo por sua vez associar ao dixido de azoto para formar um novo tipo de poluente, os PAN, o outro constituinte do smog.

28.

  • Os PAN, ao serem transportados pelo vento para as zonas agrcolas e florestais, atacam a vegetao, provocando a necrose das folhas, diminuindo o rendimento da fotossntese e, consequentemente, das culturas.

29.

  • O PROTOCOLO DE QUIOTO

30.

  • O protocolo de Quioto um tratado assinado por Vrios pases, no total 175, incluindo Portugal. Consiste em comprimissos mais rgidos para a reduo dos gases que provocam o efeito de estufa, considerados, de acordo com a maioria das investigaes cientficas, como causa do aquecimento global. Foi aberto para assinaturas no dia 16 de Maro de 1998 em Quioto (por isso o nome de protocolo de Quioto) e foi ratifica