Primeiros Socorros - Intoxicações

download
  • date post

    20-Dec-2014
  • Category

    Healthcare
  • view

    753
  • download

    41

Embed Size (px)

description

Como prevenir, diagnosticar e tratar intoxicaes para quem socorrista. Intoxicao alimentar, qumica, por drogas, etc.

transcript

  • 1. INTOXICAES SENAC/Mossor RN Qualificao Tcnica em Guia de Turismo Regional Disciplina: Primeiros Socorros Aline Nobre Jailma Nunes Viana de Oliveira Ndrila Priscila da Silva

2. Intoxicao por alimentos O Intoxicao alimentar ou gastrintestinal um problema de sade causado pela ingesto de gua ou alimentos contaminados por bactrias, vrus ou por fungos encontrados em certos vegetais e produtos qumicos. O A contaminao pode ocorrer durante a manipulao, preparo, conservao e/ou armazenamento dos alimentos. 3. Causas da intoxicao alimentar O A infeco bacteriana a principal causa de intoxicao alimentar. O A Salmonella transmitida pela ingesto de alimentos, especialmente carne, ovos e leite, que foram contaminados ao entrar em contato com as fezes de animais infectados. O O Staphilococus aureus encontrado na pele das pessoas sem causar danos, mas a intoxicao provocada por uma toxina que a bactria produz e contamina os alimentos no momento do seu preparo ou manuseio. 4. Sintomas da intoxicao alimentar O Os efeitos da intoxicao alimentar aguda so todos parecidos: Nuseas e vmitos; Febre e diarreia; Dor abdominal e mal estar. O Nos casos mais graves podem ocorrer desidratao, perda de peso e queda da presso arterial. 5. Diagnstico e Tratamento O O diagnstico clnico e leva em conta os sintomas da doena. Exames de laboratrio de fezes ajudam a reconhecer o parasita que causou a infeco e a orientao do tratamento. O O paciente com intoxicao alimentar deve fazer repouso e ingerir muito lquido. Em casos graves, deve-se indicar medicamentos para controlar as nuseas e os vmitos e a reposio de lquidos e sais. 6. Dicas para evitar a bactria Salmonella! 7. Intoxicao por medicamento O As famlias brasileiras comumente mantm em casa medicamentos estocados; nessas farmcias caseiras so encontrados: analgsicos, antibiticos, sedativos, antiinflamatrios e produtos naturais. Muitos realizam a automedicao o que pode ocasionar a intoxicao por medicamentos. O A desinformao sobre os riscos da automedicao, o acesso muitas vezes difcil uma consulta mdica e a facilidade de adquirir medicamentos no Brasil contribuem para que ocorra as intoxicaes por medicamentos 8. Voc Sabia... O As intoxicaes e reaes adversas por medicamentos esto no 1 lugar como agente de intoxicao nos centros de farmacovigilncia no Brasil; O Cerca de 17% dos medicamentos usados por idosos so considerados desnecessrios ou perigosos. Um problema tambm a ida a vrios especialistas que prescrevem remdios isoladamente; O A intoxicao por medicamentos est como causa de mais de 30% das internaes hospitalares do mundo. 9. Antiinflamatrios No Esteroidais (AINES) O a classe de medicamentos mais vendido no Brasil. O Existem mais de 50 AINES diferentes no mercado. O Muitos dos AINES disponveis tem efeitos indesejveis, especialmente em idosos. 10. Sintomas da intoxicao por medicamentos O Dentre todas as manifestaes, podemos citar: Vmitos e dores abdominais intensas; Dificuldade para respirar e suor excessivo; Perda da conscincia e paralisia; Diarreia e sensao de queimao na boca, na garganta e no estmago; Hlito com odor ftido; Mudana de cor nos lbios e convulses. 11. Tratamento e Preveno O Antes de tudo, necessrio acionar o servio de urgncia e emergncia. Enquanto aguarda o resgate, pode-se fazer o seguinte procedimento: O Manter a vtima aquecida. Ento, observar o ritmo da respirao. No oferea lquidos. Tente encontrar a embalagem do medicamento para facilitar o atendimento e o tratamento adequado pelo mdico. O Evite a automedicao! O Mantenha medicamentos e produtos de limpeza longe do alcance das crianas; no guarde remdios vencidos; leia atentamente a bula e siga as orientaes do mdico. 12. Intoxicao por substncias qumicas O Tudo o que est em nossa volta no mundo fsico feito de substncias qumicas. Alguns deles so produzidos pelo homem. Esto nos medicamentos, cosmticos, produtos de limpeza, etc. Porm, os qumicos produzidos pelo homem, assim como os naturais, podem causar efeitos prejudiciais. O A intoxicao por substncias qumicas pode ocorrer por ingesto (via oral), inalao (via respiratria) e pelo contato direto com a pele. 13. Intoxicao por ingesto O Sintomas: Hlito com cheiro de veneno ou txico; Descolorao dos lbios; Dor e ardncia no estmago; Inconscincia; Vmito. O Tratamento: Eliminar restos de vmito e alimentos da boca da vtima, para esta no sufocar; deixar a vtima em repouso e agasalhada at a chegada do atendimento 14. Intoxicao por inalao 15. Preveno da intoxicao por inalao O Os casos de intoxicao por inalao podem ser evitados se forem tomados alguns cuidados: Fechar o registro de gs aps o uso; Ao utilizar substncias txicas abrir portas e janelas; No deixar o carro ligado em ambiente fechado; Utilizar mscaras ao trabalhar em locais de risco. 16. Intoxicao por contato com a pele OH substncias que penetram no nosso organismo atravs da pele: inseticidas usados na lavoura, tintas e vrios outros produtos qumicos. Em contato com a pele, algumas dessas substncias so absorvidas sem provocar leses aparentes. Outras, no entanto, podem causar queimaduras. 17. Intoxicao por plantas venenosas O As plantas ornamentais podem esconder perigo por trs de sua beleza, pois apresentam princpios ativos capazes de causarem graves intoxicaes, quando ingeridas, ou irritaes cutneas, quando tocadas. Geralmente, a intoxicao por plantas acontece por desconhecimento do potencial txico da espcie e na maioria das vezes os envolvidos so crianas. 18. Tipos e Sintomas da Intoxicao por plantas venenosas O A intoxicao pode ser aguda, quando decorre de um breve contato ou ingesto do componente txico capaz de gerar manifestaes graves em um pequeno espao de tempo, ou crnica, decorrente da ingesto continuada acidental ou proposital de certas espcies de vegetais. O Alguns sinais e sintomas de envenenamento por plantas so: Inchao no Local; Salivao abundante; Dificuldade e dor ao Engolir; Vmito; Pele quente, seca e avermelhada; Pulso rpido e fraco; Vista embaraada; Pupila reduzida; Olhos e Boca secos; Comportamento Alterado; Convulses; Inconscincia. 19. Previna-se! Mantenha as plantas venenosas fora do alcance das crianas; Procure identificar se possui plantas venenosas em sua casa e arredores. Oriente as crianas para no colocar plantas na boca e nunca utiliz-las como brinquedos (fazer comidinhas, tirar leite, etc.); Ao manusear plantas venenosas use luvas e lave bem as mos aps esta atividade. Em caso de acidente, guarde a planta para identificao e procure imediatamente orientao mdica. Evite comer folhas, frutos e razes desconhecidas. No h regras ou testes seguros para distinguir as plantas comestveis das venenosas. Nem sempre o cozimento elimina a toxicidade da planta; 20. Intoxicao por drogas O Vtimas relacionadas com drogas podem ter pnico e reaes de ansiedade. importante manter a calma e falar lentamente. Tranquilize a vtima. Explique que a busca de ajuda foi correta. Use o nome da pessoa. Fale apenas frases simples. Seja sincero e compreensivo, e no tente ser conselheiro. No faa julgamentos. No se apavore; mesmo que tenha cometido um erro, mantenha a segurana. 21. Classificao 1. DEPRESSORA: Embora legalmente prescritos por mdicos, ocorrem com certa freqncia os abusos e intoxicaes. importante lembrar que muitas vezes as medicaes so adquiridas nas ruas atravs de passadores e podem estas ser adulteradas 2. ESTIMULANTE: Esta categoria inclui uma variedade de substncias usadas para diminuir o apetite, combater a fadiga e o cansao, e geralmente fazem o indivduo sentir-se alto. De uso legal ou ilegal, fazem parte de um grande consumo por usurios de drogas. 3. DESPERSONALIZANTE: Cocana. 22. MACONHA O que : substncia alucingena cujo princpio ativo (THC) obtido a partir de uma planta conhecida como Cannabis Sativa. Forma: cigarros feitos com as folhas e brotos, secos e picados, da planta. Efeitos procurados: sensao de bem-estar, relaxamento, aumento da percepo das imagens e cores. Efeitos colaterais: boca seca, diminuio da coordenao motora, prejuzo da ateno e concentrao, aumento de apetite, crises de ansiedade. Alteraes de comportamento: variao de humor, lentificao do raciocnio Riscos: maior risco de acidentes pela piora da ateno, quadros agudos de ansiedade e parania. Uso prolongado: pessoa pode ficar mais lenta, desmotivada e deprimida, com piora da memria. Tambm h maior risco de infertilidade e cncer de pulmo. 23. COCANA O que : substncia estimulante feita a partir de uma planta conhecida como coca e, modificada em laboratrio. Forma: p que aspirado ou injetado (dissolvido em gua), pedra (crack) ou pasta (merla), que fumada em "cachimbos". Efeitos procurados: prazer, euforia, energia, diminuio do cansao. Efeitos colaterais: acelerao dos batimentos do corao, aumento da temperatura, crises de ansiedade. Alteraes de comportamento: agressividade, delrios, irritao, depresso. Riscos: Desejo de repetir o uso para obter os efeitos desejados, com aumento de doses para se chegar a efeitos ainda mais intensos. Risco de overdose com convulso e parada cardaca. Uso prolongado: dependncia, agressividade, problemas cardacos, alterao em sistema nervoso, sangramento nasal. 24. LSD (CIDO LISRGICO) O que : droga sinttica, alucingena. Status: droga ilcita. Forma: cartela em que pingada uma gota do cido. A cartela colocada sob a lngua. Efeito procurado: Acelerao do pensamento, alucinaes visuais, auditivas e tteis . Efeitos colaterais: ansiedade, quadros paranides (viagens de horror ou "bad trips"), transpirao excessiva, acelerao de batimentos cardacos. Alteraes de comportamento: instabilidade de humor, flash backs (volta das sensaes experimentadas, em geral ruins, mesmo no tendo consumido a droga). Riscos: desencadeamento de quadros psicticos ou ainda induo de comportamentos de risco por conta da interpretao errada da realidade.