Prof. Douglas Monteiro. Disciplina: Fisiopatologia Clínica ... · PDF fileDisciplina:...

Click here to load reader

  • date post

    29-Oct-2018
  • Category

    Documents

  • view

    214
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Prof. Douglas Monteiro. Disciplina: Fisiopatologia Clínica ... · PDF fileDisciplina:...

  • Prof. Douglas Monteiro.

    Disciplina: Fisiopatologia Clnica em Neurologia

  • Uma das condies mais graves entre as sndromes incapacitantes.

    Incidncia:

    o 11.300 novos casos/ano

    o Faixa etria 20 a 24 anos

    o Proporo entre homens e mulheres 5:1

    o Nveis de leso Cervicais (58%) / Torcicas (35%) / Lombares (7%)

    Rede Sarah de Hospitais de Reabilitao (2008)

  • o Diminuio ou perda da funo motora e/ou sensria, podendo ser uma leso completa ou incompleta, devido ao comprometimento dos elementos neuronais dentro do canal vertebral.

    American Spinal Injury Association (ASIA)

  • TRAUMTICAS NO TRAUMTICAS

    80% DOS CASOS Fraturas-luxaes:

    Acidentes automobilsticos

    Quedas de alturas

    Esportes

    Acidentes de trabalho

    Ferimentos

    Armas de fogo

    Armas brancas

    20% DOS CASOS Infecciosas

    Neoplasias

    Vasculares

    Degenerativas

    Malformaes

  • o Leses Diretas arma branca e de fogo

    o Leses Indiretas fratura e/ou luxao com flexo, extenso, flexo-rotao ou compresso (por movimentos da cabea e tronco)

    reas mais comuns: C5-C7 / T12-L2

  • Tetraplegia:

    o Refere-se deficincia ou perda da funo motora e/ou sensorial devido ao dano dos segmentos cervicais da medula espinhal.

    o Altera as funes dos membros superiores, membros inferiores e tronco.

  • Paraplegia:

    o Refere-se deficincia ou perda da funo motora e/ou sensorial devido ao dano dos segmentos torcicos, lombares ou sacrais da medula espinhal.

    o Pode alterar as funes do tronco e/ou dos membros inferiores.

  • Tetraplegia

    Paraplegia

    Tetraparesia e Paraparesia designam as leses incompletas

  • LESES COMPLETAS LESES INCOMPLETAS

    No h funo motora ou sensorial abaixo do nvel da leso

    Causas:

    Transeco completa

    Compresso grave

    Comprometimento vascular extenso medula

    Prognstico mais reservado

    Preservao de alguma funo motora ou sensorial abaixo do nvel da leso

    Causas:

    Contuses (Presso sobre a medula de osso ou tecido deslocado)

    O retorno precoce da funo geralmente considerado um bom sinal de prognstico

  • Sndrome da Medula Anterior:

    Regio ventral da medula espinhal Perda motora completa inferiormente leso e perda do tato protoptico. Causa: Leses em flexo da regio cervical

    Trato corticoespinhal anterior

    Trato espinotalmico anterior

  • Sndrome Centromedular:

    Comprometimento motor (MMSS mais afetados que MMII) e sensorial (mais leves, ex: funo intestinal, vesical, sexual) Causas: Leses em hiperextenso da regio cervical

    Sangramento na substncia cinzenta

  • Sndrome da Medula Posterior:

    Preservao da funo motora Sensao de dor e toque leve, perda de propriocepo e sensao epicrticas (Ex: discriminao entre dois pontos) Pode apresentar ataxia profunda pela perda da propriocepo

    Grcil e Cuneiforme

  • Sndrome de Brown-Squard:

    Hemisseco medular Lado ipsolateral alterao da funo motora Lado contralateral: Perda de sensibilidade trmica e dolorosa Causas: Ferimentos por arma branca

    Trato corticoespinhal lateral

    Trato espinotalmico lateral

  • Sndrome do Cone Medular e da Cauda Equina:

    Cone Medular: perda motora e sensorial das extremidades inferiores e arreflexia da bexiga e dos intestinos Cauda Equina: perda da funo motora sem atividade reflexa abaixo do cone medular, na terminao da medula Causas: leses diretas, estenose e tumores

  • Nvel Neurolgico: Identificar o segmento mais distal da medula com funo motora e sensitiva normal em ambos os lados do corpo.

    Identificao do nvel motor:

    o Identificar o mitomo mais distal com funo normal, ou seja com fora suficiente para uso funcional.

    o Grau 3 de fora muscular = Funcionalidade

  • Identificao do nvel sensitivo:

    o Identificar o dermtomo mais distal com funo normal, ou seja com sensibilidade preservada.

    o 0 = ausncia de sensao

    o 1 = sensao diminuda

    o 2 = sensao preservada

    Sensibilidade ttil, trmica e dolorosa

  • A) Leso completa, nenhuma funo motora ou

    sensorial nos segmentos sacrais baixos (S4

    S5);

    B) Leso incompleta, nenhuma funo motora,

    mas alguma funo sensorial preservada abaixo

    do nvel neurolgico incluindo os segmentos

    sacrais S4 S5;

    C) Leso incompleta, funo motora preservada

    abaixo do nvel neurolgico, porm mais da

    metade dos msculos abaixo deste nvel

    apresentam grau de fora muscular, abaixo de 3;

    D) Leso incompleta, funo motora preservada

    abaixo do nvel neurolgico com pelo menos

    metade dos msculos abaixo deste nvel com

    grau de Fora Muscular > 3;

    E) Normal, funes motora e sensitiva intactas.

  • Comprometimento de toda a musculatura, com exceo de alguns msculos da face e do pescoo

    Fazem uso de ventilao

    mecnica

  • Msculos preservados:

    (Diafragma, ECOM, trapzio)

    Dependente nas AVDs

    CR motorizada com controle mentoniano

  • Movimentos preservados:

    aduo/abduo escapular;

    RE/RI; flexo-extenso ombro

    (discreta);

    Flexo do cotovelo.

    Semi-dependentes nas AVDs

    com adaptaes (apoio mvel

    para brao ou offset)

    http://maonarodablog.com.br/wp-content/uploads/2010/05/DSC05000640x480.jpg
  • Importante aquisio:

    extenso do punho

    (que juntamente com a retrao

    dos flexores dos dedos pode

    substituir a preenso).

  • Movimentos preservados: Cabea, ombro, flexo-extenso do cotovelo, prono-supinao, e flexo-extenso do punho Independente na alimentao; ajuda nas transferncias (tbua) Consegue rolar e sentar na cama e mover-se sentado (push-up)

  • Preservada toda a musculatura de

    MMSS;

    Independentes nas AVDs;

    CR a longas distncias

  • T2 todos os msculos de

    cabea e MMSS;

    Deambulao como exerccio

    (muleta + TL + CP + coluna

    superior).

    http://www.ortopedicoshop.com.br/ecommerce_site/arquivos3897/arquivos/1245247982.jpg
  • T6-T10 intercostais;

    paravertebrais; abdominais

    Deambulao domiciliar

    (muletas + TL + CP)

  • Msculos preservados:

    Iliopsoas, sartrio e quadriceps

    (com fora diminuda)

    Deambular com uso de tutor

    longo + muletas =

    DEAMBULADOR COMUNITRIO

    http://www.ortopedicoshop.com.br/ecommerce_site/arquivos3897/arquivos/1245248158.jpg
  • Bom controle da extenso do

    joelho (quadrceps com mais fora)

    Deambular com rtese joelho -

    tornozelo - p e com muletas

    canadenses

  • Msculos preservados: Tibial anterior, fibular longo/curto, flexor longo/curto do hlux, flexor curto dos dedos, glteo mdio (fora diminuda). Movimento de dorsiflexo presente. Deambulao com rtese tornozelo-p e muletas canadenses.

    http://www.ortopedicoshop.com.br/ecommerce_site/arquivos3897/arquivos/1245251286.jpg
  • Msculos preservados: apresenta apenas fraqueza de glteos e isquiostibiais Deambulao sem auxlio ou apenas com bengala

    http://www.ortopedicoshop.com.br/ecommerce_site/arquivos3897/arquivos/1227133351.jpg
  • 1 Fase: CHOQUE MEDULAR - Rompimento dos axnios; - Leso das clulas nervosas; - Ruptura dos vasos sanguneos.

    Hemorragia, edema e necrose na substncia cinzenta

    (08 horas)

    Formao de tecido cicatricial e cisto aps 1 a 4

    semanas

  • 1 Fase: CHOQUE MEDULAR - Perodo de arreflexia, atonia e atrofia

    - Perda sensitiva abaixo do nvel da

    leso

    - Perda completa do controle da

    bexiga e dos intestinos

    Em geral dura em torno de 24 horas,

    mas pode levar semanas e at meses.

    Reflexo bulbocavernoso positivo

  • 2 Fase: ESPSTICA OU REFLEXA

    - Paralisia Espstica

    - Hiperatividade dos reflexos de estiramento

    (automatismos)

    - Clnus

    Reorganizao sinptica alterada diminuio da

    inibio pr-sinptica

    Em geral atinge um plat aps 01 ano de leso.

  • Osteo-musculares Ossificao Heterotpica (10-20%): - Osteognese nos tecidos moles abaixo do nvel da leso - Grandes articulaes: quadril e joelho - Sintomas: tumefao, diminuio da ADM, aumento da temperatura

    - Etidronato dissdico;

    - Resseco cirrgica;

    - Movimentao e posicionamento.

  • Osteo-musculares Osteoporose: - Dismineralizao ssea - Dficit de sustentao de peso e contrao muscular

    - Suplemento de clcio

    para preveno

  • Osteo-musculares Contraturas e Deformidades (10%): - Desequilbrio muscular em torno de uma articulao - Posicionamento prolongado na CR

    - Liberao do tendo;

    - Injeo de botox.

  • Osteo-musculares Dor (50%): - Dor radicular; Dor mecnica; Dor irradiada - Imobilizao e repouso;

    - Medicamentos para dor;

    - Medidas antiinflamatrias.

  • Tegumentar lcera de Presso (56%): - Presso prolongada da pele excedendo a presso arterial

    - Interveno cirrgica;

    - Antibiticos;

    - Suporte nutricional.

  • lcera de Presso

  • Circulatrias Hipotenso Ortosttica: - Queda da presso quando o paciente deslocado da

    posio horizontal para a vertical.

    Perda do controle simptico e vasoconstrico

    Comum em leses cervicais/torcicas altas.

    Tontura e sensao de vmito

    - Medicao para aumentar a PA.

  • Circulatrias Trombose Venos