Programa Corrigido

of 25 /25
1 15CNG / 8CLBG 15CNG / 8CLBG A GEOTECNIA E OS DESAFIOS SOCIETAIS 19-23 de junho 2016 FEUP, Porto

Embed Size (px)

Transcript of Programa Corrigido

  • 115CNG / 8CLBG

    15CNG / 8CLBG

    A GEOTECNIA E OS DESAFIOS SOCIETAIS19-23 de junho 2016 FEUP, Porto

  • 315CNG / 8CLBG

    BOAS-VINDASPg. 4

    A Sociedade Portuguesa de Geotecnia (SPG), a Associao

    Brasileira de Mecnica dos Solos e Engenharia Geotcnica (ABMS)

    e a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP)

    do-lhe as boas vindas ao 15 Congresso Nacional de Geotecnia e

    ao 8 Congresso Luso-Brasileiro de Geotecnia, que se realizam no

    campus da FEUP de 19 a 23 de junho de 2016.

    BEM-VINDO

    NDICE

    PROGRAMA GERALPg. 10

    EXPOSIO TCNICAPg. 35

    EXPOSITORES E PATROCINADORESPg. 36

    PROGRAMA SOCIALPg. 46

    JOVENS GEOTCNICOSPg. 13

    PROGRAMA DETALHADOPg. 14

    VISITAS TCNICASPg. 34

    TEMASPg. 5

    COMISSESPg. 6

    INFORMAES GERAIS / MAPA DA FEUPPg. 8

    MAPA DO PORTOPg. 47

  • 4 519-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    A SPG, a ABMS e a FEUP,

    que prepararam ao longo do

    ltimo ano, com entusiasmo,

    estes dois eventos, sentem-se

    recompensadas pela adeso da

    comunidade geotcnica luso-

    brasileira, expressa pelo nmero

    e pela qualidade dos trabalhos

    submetidos e pelas inscries

    registadas.

    Em complemento com a ampla

    participao, o conjunto de

    palestras programadas, quer

    pelos temas abordados, quer

    pelo prestgio dos palestrantes,

    permite prever que um elevado

    nvel cientfico e tcnico ser

    atingido.

    O programa social foi encarado

    com particular cuidado, de

    modo a potenciar o convvio

    entre participantes e a fruio

    do Porto, na semana em que se

    celebram as festas de S. Joo,

    padroeiro da cidade.

    Desejamos-lhe uma agradvel e

    frutuosa participao. Estamos

    sua completa disposio para

    o que entender necessrio.

    Seja bem-vindo!

    O 15CNG/8CLBG uma

    oportunidade para partilha

    de conhecimentos de

    Geotecnia, to presente

    nos desafios societais da

    atualidade. No novo contexto

    de desenvolvimento, em que

    os investimentos em obras

    pblicas so reequacionados

    visando um crescimento mais

    sustentvel, o encontro dos

    obreiros, presentes e futuros,

    desta mudana importante.

    Foram aceites 279 trabalhos

    apresentando-se no quadro

    adjacente a sua distribuio

    pelos diversos temas:

    TEMAS

    MELHORAMENTO E REFORO DE MACIOS22

    RECONHECIMENTO E CARACTERIZAO DE MACIOS39

    FUNDAES, INCLUINDO FUNDAES DE ESTRUTURAS NO MAR (NEARSHORE E OFFSHORE)34

    TALUDES E ENCOSTAS EM RISCO39

    GRANDES ESCAVAES E TNEIS32

    OBRAS GEOTCNICAS EM PORTOS E DE PROTEO COSTEIRA7

    BARRAGENS, INCLUINDO BARRAGENS DE REJEITOS DE MINAS22

    ATERROS EM INFRAESTRUTURAS DE TRANSPORTE E LOGSTICA17

    RECICLAGEM E APROVEITAMENTO DE RESDUOS20

    GEOTECNIA AMBIENTAL20

    TEMA NO ENQUADRVEL NOS ANTERIORES14

    PRMIO JOVENS GEOTCNICOS13 (9+4)

  • 6 719-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    Comisso Organizadora

    PresidenteManuel de Matos Fernandes (FEUP)Vice-PresidenteAntnio Topa Gomes (FEUP)

    Carlos Rodrigues (IPG)Castorina Vieira (FEUP)Celso Lima (EDP / FEUP) Cristiana Ferreira (FEUP) Eduardo Fortunato (LNEC / FEUP)Elisabete Esteves (ISEP) Isabel Figueiredo Lopes (CENOR)Jos Couto Marques (FEUP)Jos Quintanilha de Menezes (FEUP)Jos Leito Borges (FEUP)Mafalda Lopes Laranjo (IPVC)Mafalda Oliveira (Somincor / Lundin Mining)Nuno Arajo (U. Minho)Nuno Cristelo (UTAD)Paulo Lopes Pinto (FCTUC)Pedro Alves Costa (FEUP)Sara Rios Silva (FEUP)

    Comisso Cientfica

    Presidente do 15CNG Manuel de Matos Fernandes (FEUP) Alberto Sayo (PUC-Rio de Janeiro, Brasil)Alexandre Pinto (JetSJ / IST)Andr Assis (U. Braslia / ABMS, Brasil)Antnio Campos e Matos (FEUP / GEG)Antnio Correia Mineiro (UNL)Antnio Cristvo (Keller Terra)Antnio Gomes Coelho (LNEC / COBA)Antnio Gomes Correia (U. Minho)Antnio Pinelo (LNEC / CRP)Antnio Pinto da Cunha (LNEC)Antnio Roque (LNEC)Antnio Silva Cardoso (FEUP)Antnio Veiga Pinto (LNEC / Mecasolos)Antnio Viana da Fonseca (FEUP)Armando Anto (UNL)Baldomiro Xavier (Teixeira Duarte)Carlos Dinis da Gama (IST)Celso Lima (EDP / FEUP)Edmundo Vieira Simes (Mota-Engil)Eduardo Alonso (U. Pol. Catalunya, Espanha)Emanuel Maranha das Neves (IST)Fernando Pardo Santayana (CEDEX / SEMSIG, Espanha)Ivo Rosa (Teixeira Duarte)Jaime Santos (IST)Joo Bil Serra (LNEC)Joo Falco (Tecnasol)Joo Marcelino Mateus da Silva (LNEC)Joaquim Barreto (Ferconsult)Jorge Almeida e Sousa (FCTUC)Jorge Sousa Cruz (LCW Consult)Jos Alcino Rodrigues Carvalho (UNL)Jos Couto Marques (FEUP)Jos Delgado Rodrigues (LNEC)Jos Lus Vale (SPG, Carpitech)Jos Lus Antunes (Keller Terra)

    Jos Mateus de Brito (CENOR)Jos Vieira Lemos (LNEC)Jlio Barreiros Martins (U. Minho)Laura Caldeira (LNEC)Lus Lamas (LNEC)Lus Leal Lemos (FCTUC)Maria da Graa Lopes (ISEL)Maria de Lurdes Lopes (FEUP)Nuno Grossmann (LNEC)Nuno Guerra (UNL)Pedro Sco e Pinto (LNEC) Ricardo Oliveira (UNL / COBA)Ral Pistone (COBA)Rui Correia (LNEC)Rui Furtado (FCTUC)Vtor Cavaleiro (UBI)

    Comisso de Acompanhamento

    Presidente do 15CNGManuel de Matos Fernandes (FEUP) Jos Lus Vale (Presidente da Direo da SPG, Carpitech)Rui Correia (Presidente da Assembleia Geral da SPG, LNEC)Nuno Guerra (Vice-Presidente da Direo da SPG, UNL)Maria Lusa Braga Farinha (Secretrio-Geral da Direo da SPG, LNEC) Antnio Topa Gomes (Secretrio-Adjunto da Direo da SPG, FEUP)Ral Pistone (Tesoureiro da Direo da SPG, COBA)Antnio Gomes Correia (U. Minho)Joo Bil Serra (LNEC)Victor Cavaleiro (UBI)

    Comisso Organizadora

    Presidente da SPG Jos Lus Vale (Carpitech)Presidente da ABMS Andr Assis (U. Braslia, Brasil) Manuel Matos Fernandes (Presidente do 15CNG, FEUP, Portugal)Alexandre Gusmo (U.F. Pernambuco, Brasil)Antnio Topa Gomes (FEUP / SPG, Portugal)Jorge Almeida e Sousa (FCTUC, Portugal)Luciano Jacques de Morais (Mecasolo, Brasil)Maurcio Sales (U. F. Gois, Brasil)

    Comisso Cientfica

    Alessander M. Kormann (U. F. Paran / Fugro, Brasil)Antnio Gomes Correia (U. Minho, Portugal)Antnio Silva Cardoso (FEUP, Portugal)Antnio Viana da Fonseca (FEUP, Portugal)Bernadete R. Danziger (U. E. Rio de Janeiro, Brasil)Edgar Odebrecht (UDESC, Brasil)Emanuel Maranha das Neves (IST, Portugal)Fernando Schnaid (U. F. Rio Grande Sul, Brasil)Frederico Fernando Falconi (ZF Engenheiros Associados, Brasil)Hugo Cssio Rocha (Metr S. Paulo, Brasil)Jos Mateus de Brito (CENOR, Portugal)Jos Vieira Lemos (LNEC, Portugal)Laura Caldeira (LNEC, Portugal)Lus Edmundo Prado de Campos (U. F. Bahia, Brasil)Lus Leal Lemos (FCTUC, Portugal)Mrcio Almeida (U. F. Rio de Janeiro, Brasil)Pedro Sco e Pinto (LNEC, Portugal)Renato P. Cunha (U. Braslia, Brasil)Ricardo Oliveira (UNL / COBA, Portugal)Roberto Quental Coutinho (U. F. Pernambuco, Brasil)

    Comisso de Reviso

    Akira Koshima (Novatecna, Brasil)Andr Pereira Lima (UVA, Rio de Janeiro, Brasil)Antnio Alberto Correia (FCTUC, Portugal)Antnio Cristvo (Keller Terra, Portugal)Castorina Vieira (FEUP, Portugal)Celso Orlando (Themag, Brasil)Cristina Tsuha (U. So Paulo, Brasil)Joana Carreto (LNEC, Portugal)Jos Couto Marques (FEUP, Portugal)Madalena Barroso (LNEC, Portugal)Marcos Massao Futai (U. So Paulo, Brasil)Maria Lusa Braga Farinha (LNEC, Portugal)Marlsio Oliveira Jr. (Bureau de Projetos, Brasil)Nilton Campelo (U. F. Amazonas, Brasil)Paulo Csar de Almeida Maia (U. E. Norte Fluminense, Brasil)Rafaela Cardoso (IST, Portugal)Sandro Lemos Machado (U. F. Bahia, Brasil)Sara Rios Silva (FEUP, Portugal)Terezinha Espsito (U. F. Ouro Preto, Brasil)Tiago Miranda (U. Minho, Portugal)

    Jri dos Prmios Jovens Geotcnicos

    Presidente (Por delegao do Presidente da SPG) Antnio Topa Gomes (FEUP / SPG)

    Membro nomeado pela Assembleia Geral da SPG Teresa Santana (UNL)

    Alexandre Pinto (JetSJ / IST)Marlia Oliveira (LNEC)Ricardo Resende (ISCTE / IUL)

    COMISSESCOMISSES

    15CNGCongressoNacional deGeotecnia

    8CLBGCongressoLuso-Brasileiro de Geotecnia

  • 8 919-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    EXPOSIO TCNICA

    B001

    B002

    B003

    IPP

    FEUP

    LOCAL

    Os congressos tero lugar na

    Faculdade de Engenharia da

    Universidade do Porto:

    Rua Dr. Roberto Frias s/n,

    4200-465, Porto.

    HORRIO DO SECRETARIADO

    Domingo / 15:00 > 19:00

    2, 3 e 4feira / 8:30 > 18:00

    REDE INTERNET SEM FIOS

    Todos os edifcios possuem

    rede de internet sem fios.

    Para aceder rede deve:

    1. Selecionar feup.conferencias nas

    ligaes de rede disponveis

    2. Abrir o seu navegador de internet

    e se aparecer uma mensagem deve

    selecionar a opo Prosseguir para

    website

    3. Selecione a opo conferencias

    4. Nome de utilizador: 15cng

    5. Palavra-passe: junho2016

    EQUIPAMENTOS ELETRNICOS

    DE SINAL SONORO

    Solicita-se a todos os

    participantes que desliguem

    todos os equipamentos de sinal

    sonoro durante as sesses.

    ESTACIONAMENTO NA FEUP

    E ZONA ENVOLVENTE

    O estacionamento na zona

    envolvente da FEUP

    geralmente difcil. Por esse

    motivo, um nmero limitado

    de lugares foi reservado

    no parque da FEUP. No

    entanto, recomenda-se que

    os participantes utilizem os

    transportes pblicos (metro,

    txi ou autocarro) para se

    deslocarem FEUP.

    INSCRIES

    Scios SPG: 350

    No scios: 400

    Estudantes: 100

    A inscrio confere direito:

    1. Participao nas sesses tcnicas,

    Almoos e cafs nos dias 20, 21 e 22,

    2. Jantar do congresso,

    3. Participao nas visitas tcnicas

    (condicionada ao nmero de vagas)

    4. Atas em suporte digital.

    A inscrio dos estudantes no

    inclui o jantar do congresso nem

    as visitas tcnicas.

    Acessos suplementares ao jantar

    podem ser adquiridos junto do

    secretariado do congresso.

    INFORMAES GERAIS / MAPA DA FEUPINFORMAES GERAIS / MAPA DA FEUP

    APRESENTAES ORAIS

    As apresentaes podero ser

    efetuadas em portugus ou

    ingls. O tempo mximo de cada

    apresentao de 10 minutos,

    estando previsto um perodo no

    final das sesses para discusso.

    Os autores que vo apresentar

    os trabalhos devem deixar

    o ficheiro/arquivo com a

    apresentao na respetiva sala

    at 15 minutos antes do incio

    da sesso. No permitido o

    uso de computador pessoal. Nas

    apresentaes que contenham

    vdeos, animaes ou outros

    efeitos especiais recomenda-se

    a realizao de um teste antes

    da sesso.

    AUDITRIO

    CH

    EC

    K-I

    N

    ALMOO

    COFFEE - BREAK

  • 10 1119-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    9:00 SESSO DE ABERTURA

    9:00 SESSES TCNICAS CLBG 1 / CNG 4

    9:00 SESSES TCNICAS CNG 6

    9:30 VISITAS TCNICAS

    11:00 Coffee-Break 11:00 Coffee-Break

    9:30 CONFERNCIA OBRAS SUBTERRNEAS E SUSTENTABILIDADE DAS CIDADES Andr Assis (U. Braslia, ABMS, Brasil)

    AUDITRIO

    11:30 CONFERNCIA25 ANOS DE INVESTIGAO NA FEUP NO DOMNIO DOS GEOSSINTTICOS Maria de Lurdes Lopes (FEUP)

    AUDITRIO

    11:30 CONFERNCIA A GEOTECNIA AO LONGO DA VIDA DAS INFRAESTRUTURAS DE TRANSPORTES Antnio Pinelo

    (LNEC, Centro Rodovirio Portugus)

    AUDITRIO

    10:00 ESTABILIZAO DE TALUDES E FUNDAES DE UMA GRANDE PLATAFORMA LOGSTICAS Grupo Jernimo Martins

    10:15 CONFERNCIA DIMENSIONAMENTO DE BARRAGENS COM FENDAS (SLIT DAMS) PARA CONTROLO DE MATERIAL SLIDO EM BACIAS DE REGIME TORRENCIAL Jorge Sousa Cruz (LCW Consult) AUDITRIO

    12:15 CONFERNCIAINTEGRAO DE MODELOS GEOLGICO-GEOTCNICOS E DADOS DE INSTRUMENTAO: UM CASO DESAFIADOR DE REFORO DE MACIO NA SERRA DO MAR BRASILEIRA Alessander Kormann

    (U. Paran, Fugro, Brasil)

    AUDITRIO

    12:15 CONFERNCIA EFECTOS DEL CLIMA EN TALUDES Y LADERAS Eduardo Alonso

    (U. Pol. Catalunya, Espanha)

    AUDITRIO

    11:45 TNEL DE GUAS SANTAS NA A4 Brisa

    11:00 Coffee-Break

    11:30 SESSES TCNICAS CNG 1

    13:00 Almoo 13:00 Almoo 13:00 Almoo

    14:30 SESSES TCNICAS CNG 2

    14:30 SESSES TCNICAS CLBG 2 / CNG 5

    14:30 SESSES TCNICASCNG 7

    16:00 Coffee-Break 16:00 Coffee-Break

    15:00 PRMIO JOVENS GEOTCNICOS DA SPG APRESENTAO DOS TRABALHOS FINALISTAS

    16:30 SESSES TCNICAS CNG 3

    16:30 CONFERNCIAMELHORIA E REFORO DE MACIOS: ASPECTOS TERICOS E CASOS DE OBRAS Maurcio Abramento

    (U. So Paulo, CEG Engenharia, Brasil)

    AUDITRIO

    16:30 SESSO DE ENCERRAMENTO

    17:15 CONFERNCIAOBRAS DE MELHORAMENTO E REFORO DE SOLOSPaulo Natrio (SOLETANCHE)

    AUDITRIO

    18:15 V LIO VICTOR DE MELLO LEAKAGE CONTROL USING GEOMEMBRANE LINERS Jean Pierre Giroud

    AUDITRIO

    18:00 SESSO TCNICA ESPECIAL BARRAGENS DE REJEITOS DE MINASRomero Gomes (U.F.Ouro Preto,Brasil)

    Eduardo Marques (U.F.Viosa, Brasil)

    Mafalda Oliveira

    (Somincor/LundinMining)

    19:00 PORTO DE HONRA 20:30 JANTAR LUSO-BRASILEIRO 20:30 JANTAR DO 15CNG/8CLBG

    PROGRAMA GERAL PROGRAMA GERAL

    15CNGCongressoNacional deGeotecnia

    8CLBGCongressoLuso-Brasileiro de Geotecnia

    19 JUNHO 20 JUNHO 21 JUNHO 22 JUNHO 23 JUNHO

  • 12 1319-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    PROGRAMA DETALHADO / NDICE

    09:30 > 12:10Pg. 14

    12:10 > 15:00Pg. 16

    15:00 > 16:50Pg. 18

    16:50 > 19:00Pg. 20

    20 JUNHO

    15:00 > 19:00Pg. 13

    10:00 > 12:45Pg. 34

    19 JUNHO

    23 JUNHO

    9:00 > 10:10Pg. 28

    10:10 > 15:00Pg. 30

    15:00 > 16:30Pg. 32

    22 JUNHO

    9:00 > 10:20Pg. 22

    10:20 > 15:10Pg. 24

    15:10 > 19:00Pg. 26

    21 JUNHO

    15:00 SESSO DE ABERTURA Manuel Matos Fernandes e Jos Lus Vale

    15:10 MODELING THE MECHANICAL BEHAVIOR OF SAND-CEMENT MIXTURES. Daniel Ribeiro

    15:25 GEOGRID-RESIDUAL SOIL INTERACTION UNDER MONOTONIC AND CYCLIC LOADING CONDITIONS. Fernanda Ferreira

    15:40 A CRITICAL OVERVIEW OF AXIALLY LOADED DISPLACEMENT PILES IN GRANULAR SOILS. Joo Angelino

    15:55 NUMERICAL METHODOLOGY TO MODEL HETEROGENEOUS ROCK MASSES. Marisa Pinheiro

    DISCUSSO

    16:30 Coffee-Break

    16:45 INTERPRETAO DE ENSAIOS LUGEON PARA A CARACTERIZAO HIDRULICA DE MACIOS ROCHOSOS. Alexandra Amaro

    16:58 RESISTIVIDADE ELCTRICA DE CAULINITE COMPACTADA E A SUA RELAO COM A SUCO. Ana Sofia Dias

    17:11 DIMENSIONAMENTO DE ESTACAS SOB ACES SSMICASCarlos Lagareiro

    17:24 COMPARAO ENTRE ANLISES DE ESTABILIDADE DETERMINSTICA E PROBABILSTICAS, APRESENTANDO UMA CONSEQUENTE ANLISE DE RISCO.

    Isabela Queiroz

    17:37 AVALIAO DA RESISTNCIA DO SOLO CRAVAO DE ESTACAS INSTALADAS EM CONDIES OFFSHORE. Joo Pedro Saraiva

    17:50 TALUDE NO MONTE GORDO, VILA FRANCA DE XIRA ANLISE DE SOLUES DE ESTABILIZAO. Rita Nunes

    18:03 VALIDAO DO COMPACTADOR MINIATURA DE HARVARD NO ESTUDO DE COMPACTAO DE SOLOS. Sara Lopes

    18:16 ROTURA DE FUNDO EM ESCAVAES DEVIDA A PERCOLAO ASCENDENTE. Vanessa Aleixo

    18:29 ANLISE DO COMPORTAMENTO DE MISTURAS DE SOLO E AGREGADOS DE RESDUOS SLIDOS EM ARACAJU-SE. Wilson Jnior

    DISCUSSO

    PRMIO JOVENS GEOTCNICOS EM LNGUA INGLESA

    Jri: Antnio Topa Gomes (Presidente), Alexandre Pinto (JetSJ / IST), Marilia Oliveira (LNEC), Ricardo Resende (ISCTE / IUL), Teresa Santana (UNL)

    PRMIO JOVENS GEOTCNICOS DA SPG

    Apresentao dos Trabalhos Finalistas

    PRMIO JOVENS GEOTCNICOS EM LNGUA PORTUGUESA

    Jri: Antnio Topa Gomes (Presidente), Alexandre Pinto (JetSJ / IST), Marilia Oliveira (LNEC), Ricardo Resende (ISCTE / IUL), Teresa Santana (UNL)

    PROGRAMA DETALHADO

    AUDITRIOSALAS

    19 J

    UN

    HO

    / 1

    5:0

    0 >

    19

    :00

  • 14 1519-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    9:30 CONFERNCIA C1Presidente: Ricardo Oliveira (UNL / COBA)

    OBRAS SUBTERRNEAS E SUSTENTABILIDADE

    DAS CIDADES.

    Andr Assis (U. Braslia, ABMS, Brasil)

    10:15 CONFERNCIA C2Presidente: Antnio Mineiro (UNL)

    DIMENSIONAMENTO DE BARRAGENS COM FENDAS

    (SLIT DAMS) PARA CONTROLO DE MATERIAL

    SLIDO EM BACIAS DE REGIME TORRENCIAL.

    Jorge Sousa Cruz (LCW Consult)

    11:00 Coffee-Break

    11:30 MOVIMENTOS ASSOCIADOS CONSTRUO DE DOIS TNEIS GMEOS.

    Tiago Cancela, Jorge Almeida e Sousa,

    Antnio Pedro. 1421

    ANLISE ESTTICA E DINMICA DE BARRAGENS

    GRAVIDADE EM PEQUENOS DESLOCAMENTOS.

    Maria Lusa Braga Farinha, Nuno Monteiro Azevedo,

    Joo Rocha de Almeida, Mariline Candeias. 1240

    ESTIMATIVA DO TEMPO DE VIDA TIL DOS TUBOS

    DE OBSERVAO INCLINOMTRICA COM RECURSO

    ANLISE DISTORCIONAL.

    Mariana Carvalho, Lus Coimbra, Francisco Salgado.

    1060

    SOLO GRAMPEADO EM REAS URBANAS, RETRO

    ANLISE DE UMA RUPTURA.

    Alexsander Silva Mucheti, Flvia Helena Corte,

    Paulo Jos Rocha de Albuquerque. 1001

    11:40 OBRAS SUBTERRNEAS DO CIRCUITO HIDRULICO - APROVEITAMENTO

    HIDROELCTRICO DE LACA (ANGOLA).

    Raul Pistone, Sandra Ferreira, Jos Pinto,

    Virglio Rebelo, Georgios Tziallas, Karsten Thermann,

    Jos Pacheco, Pedro Carvalho Th, Srgio Montenegro

    Kraemer, Elias Daniel Estvo. 1402

    MODELO DE INTERFACE PARTCULA ESFRICA/

    SUPERFCIE TRIANGULAR APLICADO

    ANLISE DA ESTABILIDADE DE FUNDAES

    DE BARRAGENS DE BETO.

    Nuno Monteiro Azevedo, Maria Lusa Braga Farinha,

    Joo Rocha de Almeida, Mariline Candeias. 1241

    DETERMINAO DE PARMETROS DE RESISTNCIA

    AO CORTE DE DEPSITOS PIROCLSTICOS

    POMTICOS POR ANLISE INVERSA A ROTURAS

    DE TALUDES. COMPARAO DE ANLISE ENTRE

    TCNICAS DE EQUILBRIO LIMITE E ELEMENTOS

    FINITOS.

    Paulo Amaral, Ana Malheiro, Filipe Marques,

    Letcia Moniz. 1063

    PERCEPO DE RISCO ASSOCIADO A

    DESLIZAMENTOS EM COMUNIDADES DA REA

    URBANA DE ANGRA DOS REIS, RJ, BRASIL.

    Fernanda Teles Gullo, Marcos Barreto Mendona. 1017

    11:50 O BIM APLICADO S GRANDES ESCAVAES. NOVAS FORMAS DE COMUNICAR O FASEAMENTO

    EXECUTIVO. O CASO DE UMA ESTAO DE METRO.

    Lus Ribeirinho, Andr Monteiro, Miguel Conceio. 1272

    INFLUNCIA DA UMIDADE DE COMPACTAO

    NA ESCOLHA DA GEOMETRIA E INCLINAO

    DOS ESPALDARES DE UMA BARRAGEM DE TERRA

    HOMOGNEA.

    Julin Buritic Garcia, Andr Pacheco de Assis. 1124

    CONTRIBUIO PARA A CARACTERIZAO

    DE PARMETROS DE RESISTNCIA AO CORTE

    DE PRODUTOS VULCNICOS POR ENSAIOS DE

    COMPRESSO TRIAXIAL.

    Letcia Moniz, Filipe Marques, Paulo Amaral,

    Ana Malheiro. 1064

    ESTABILIZAO DAS ARRIBAS DAS PRAIAS DA

    CALADA E DE SO BERNARDINO. DO PROJETO DE

    EXECUO CONCRETIZAO DAS OBRAS.

    Fernando Ferreira. 1032

    12:00 IP4 (A4) - TNEL DO MARO. DO ESTUDO GEOLGICO E GEOTCNICO DEFINIO DAS

    SOLUES DE PROJETO.

    Miguel F. Meneses Conceio, Joo B. Aldeias,

    Manuel J. A. Rodrigues Romeiro, Pedro C. Martins,

    Carlos J. Oliveira Baio, Lus P. C. Costa Gonalves,

    Rui Fernando Lus, Carlos, M. Charneca Russo,

    Bernardo P. B. Monteiro, Joo Azevedo. 1265

    EFEITOS DO TEOR DE FERRO NOS PARMETROS

    GEOTCNICOS DE DEPSITOS DE REJEITO DE

    MINERAO DE FERRO.

    Luango Augusto Feitosa Ahualli, Lus Fernando Martins

    Ribeiro. 1367

    APLICAO DA METODOLOGIA GSI EM ROCHAS

    METAMRFICAS BRASILEIRAS: FRAGILIDADES.

    Luana C. Pereira, Eduardo A.G. Marques. 1068

    ESTABILIZAO DA ESCARPA DAS FONTAINHAS,

    ENTRE AS PONTES LUIZ I E MARIA PIA, NO PORTO.

    Srgio Rosa, Pedro Chitas, Vitria Rodrigues,

    Hlder Pereira. 1038

    ST / CNG / 1.1 SESSO DA COMISSO PORTUGUESA DE TNEIS (CPT) Presidente: Joo Bil Serra (LNEC)Moderador: Ricardo Resende (ISCTE / IUL)

    20 J

    UN

    HO

    / 9

    :30

    > 1

    2:10

    PROGRAMA DETALHADO PROGRAMA DETALHADO

    AUDITRIOSALAS B001 B002 B003

    ST / CNG / 1.2BARRAGENS, INCLUINDO BARRAGENS DE REJEITOS DE MINAS

    Presidente: Antnio Viana da Fonseca (FEUP)Moderador: Luiz Fernando Martins (U. Braslia)

    ST / CNG / 1.3RECONHECIMENTO E CARACTERIZAO DE MACIOS

    Presidente: Antnio Gomes Coelho (LNEC / COBA)Moderador: Mrio Quinta Ferreira (FCTUC)

    ST / CNG / 1.4TALUDES E ENCOSTAS EM RISCO

    Presidente: Anna Laura Nunes (UFRJ)Moderador: Tiago Miranda (U. Minho)

  • 16 1719-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    12:10 IP4 (A4) - TNEL DO MARO. CONDICIONANTES GEOLGICAS E GEOTCNICAS NO LANAMENTO

    DO EMPREENDIMENTO EM CONCEO

    CONSTRUO.

    Bernardo P. B. Monteiro, Joo C. C. Azevedo. 1242

    TRATAMENTO PARA CONTROLO DA PERCOLAO

    PELO MACIO DA MARGEM DIREITA DA BARRAGEM

    DA QUIMINHA, ANGOLA.

    Pedro Guedes de Melo, Manuel Molares de Abril,

    Fernando Guedes de Melo, Alberto Costa Pereira, Joo

    Pedro Costa Pereira. 1220

    APLICAO DA CLASSIFICAO GEOMECNICA

    GSI (VERSO 2013) EM FRENTES DE ESCAVAO DE

    MACIOS ROCHOSOS HETEROGNEOS (TNEL DO

    MARO, NORTE DE PORTUGAL).

    Cludio Santa, Lus Gonalves, Helder Chamin. 1104

    USO DE MODELOS PREDITIVOS DA PROFUNDIDADE

    DO SOLO NA AVALIAO DA AMEAA DE

    DESLIZAMENTOS RASOS POR MEIO DE MTODOS

    PROBABILSTICOS.

    George Fernandes Azevedo, Eduardo Montoya Botero,

    Maria Tmara de Moraes Guimares Silva,

    Hernn Eduardo Martnez Carvajal,

    Newton Moreira de Souza, Edwin Fabian Garcia

    Aristizbal. 1108

    12:20 GEOENGENHARIA, ESTRUTURAS GEOLGICAS E TNEIS HIDROELTRICOS.

    Nadir Plasencia, Celso Lima. 1354

    REGIONALIZAO DE PARMETROS GEOTCNICOS

    E SUA APLICAO EM ANLISE DE PERCOLAO.

    Fernanda de Almeida Furtado, Francisco Hiago de

    Siqueira Gomes, Vanda Tereza Costa Malveira. 1039

    APLICABILIDADE DO MTODO NO DESTRUTIVO

    TIME DOMAIN REFLECTOMETRY (TDR) EM SOLO

    GRAMPEADO.

    Ana Paula Mikos, Manuela Cabral Caetano, Larissa

    Roedel, Vtor Pereira Faro, Liamara Paglia Sestrem,

    Alessander Christopher Morales Kormann, Sidnei

    Helder Cardoso Teixeira. 1131

    12:30 SIMULAO NUMRICA DA ESCAVAO FASEADA DA CENTRAL DO APROVEITAMENTO

    HIDROELCTRICO DE VENDA NOVA III.

    Magda Queralt, Carlos Esteves, Celso Lima. 1349

    COMPORTAMENTO DE ATERRO EXPERIMENTAL

    SOBRE UM DEPSITO DE REJEITOS DE OURO.

    German Luis Gonzales, Alberto Sayo, Ana Cristina

    Sieira. 1452

    ANLISE DE RISCO DE ESCORREGAMENTOS COM

    BASE NO NDICE ACUMULADO DE PLUVIOSIDADE:

    UM ESTUDO DE CASO NA SERRA DO MAR

    BRASILEIRA.

    Nelson Henrique Joly, Liamara Paglia Sestrem,

    Alessander Christopher Morales Kormann, Vtor

    Pereira Faro, Andrs Miguel Gonzlez Acevedo. 1135

    DISCUSSO DISCUSSO DISCUSSO DISCUSSO

    13:00 Almoo

    14:30 ESTABILIZAO DE SOLOS COM GEOPOLMEROS PARA CAMADAS DE LEITO DE ESTRADAS.

    Carlos Rodrigues, Pedro Rodrigues, Nuno Cruz, Sara

    Rios, Antnio Viana da Fonseca. 1096

    AVALIAO DOS EFEITOS DE SOBREDRAGAGEM

    (OVERDREDGING) E EROSO EM CORTINAS DE

    CAIS.

    Alessandro Reina Torres, Francisco de Rezende Lopes.

    1134

    CONCEO E DIMENSIONAMENTO DAS

    FUNDAES DO WATERFRONT INTEGRATED

    RESORT EM COLOMBO, SRI LANKA.

    Lus Branco, Pedro Neto, Renato Bastos. 1013

    ANLISE NUMRICA ATRAVS DO TEOREMA

    CINEMTICO DA ROTURA DE FUNDO DE

    ESCAVAES PROFUNDAS POR PERCOLAO

    ASCENDENTE.

    Las Andrade Viana, Nuno M. da Costa Guerra,

    Armando M. S. Nunes Anto. 1046

    14:40 UM SISTEMA INTEGRADO PARA A OPTIMIZAO DE TERRAPLENAGENS.

    Manuel Parente, Antnio Gomes Correia, Paulo Cortez.

    1342

    CURVAS DE FRAGILIDADE SSMICAS PARA MUROS

    CAIS DE CAIXOTES.

    Joana Chourio, Rui Carrilho Gomes. 1191

    ESTACAS MOLDADAS IN SITU COM UTILIZAO

    DO TUBO TREMIE. AVALIAO DA INFLUNCIA DA

    COMPOSIO DO BETO NOS RESULTADOS DAS

    OPERAES DE BETONAGEM.

    Ivo Rosa, Ana Chaves, Lus Nery. 1040

    SIMULAES NUMRICAS DE ESCAVAES DE

    TNEIS PRXIMOS AO CONTATO SOLO-ROCHA.

    Lorena Fernandes Oliveira, Rogrio Barbosa Viana

    Lima, Paulo Gustavo Cavalcante Lins. 1105

    14:50 ASPETOS GEOTCNICOS DA ANLISE ESTRUTURAL DE VIAS FRREAS EM OPERAO. UM CASO DE

    ESTUDO.

    Eduardo Fortunato, Andr Paixo, Joo Loureiro,

    Francisco Asseiceiro, Nuno Cruz, Jorge Cruz. 1026

    ANLISE DE RECALQUES POR ETAPAS

    CONSTRUTIVAS DE UM CAIS DE ATRACAO EM

    ANGRA DOS REIS.

    Ana Luiza Rossini V. de Oliveira, Alessandra Conde de

    Freitas, Bernadete R. Danziger. 1250

    ANLISE DA CAPACIDADE DE CARGA DE ESTACA

    PRMOLDADA EM SOLO POROSO POR MEIO DOS

    ENSAIOS DMT E CPT.

    Olga L. R. Esparza, Paulo J. R. Albuquerque. 1071

    ANLISE DE UMA ESCAVAO PROFUNDA

    CONSIDERANDO O COMPORTAMENTO NO LINEAR

    DO BETO ARMADO DA PAREDE DE CONTENO.

    J. Cndido Freitas, Miguel Ferraz, M. Matos Fernandes,

    Carlos Flix. 1439

    20 J

    UN

    HO

    / 1

    2:10

    > 1

    5:0

    0

    PROGRAMA DETALHADO PROGRAMA DETALHADO

    AUDITRIOSALAS B001 B002 B003

    ST / CNG / 2.1 SESSO DA COMISSO PORTUGUESA DE GEOTECNIA DE TRANSPORTES (CPGT) Presidente: Eduardo Fortunato (LNEC / FEUP)Moderador: Jos Neves (IST)

    ST / CNG / 2.2OBRAS GEOTCNICAS EM PORTOS E DE PROTEO COSTEIRA

    Presidente: Alexandre Pinto (JetSJ / IST)Moderador: Paulo M. Ramos (Teixeira Duarte)

    ST / CNG / 2.3FUNDAES

    Presidente: Victor Cavaleiro (UBI)Moderador: Joo Falco (Tecnasol)

    ST / CNG / 2.4GRANDES ESCAVAES E TNEIS

    Presidente: Alexandre Gusmo (U. Pernambuco)Moderador: Antnio Pedro (FCTUC)

  • 18 1919-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    15:00 AVALIAO DO DESEMPENHO DE ATERROS DE TRANSIO EM VIAS-FRREAS.

    Eduardo Fortunato, Andr Paixo, Cristina Alves

    Ribeiro, Nuno Pinto, Rui Calada. 1025

    CARACTERIZAO DO MATERIAL DE

    TAMPONAMENTO NUMA PEGA DE FOGO E A SUA

    INFLUNCIA NA REDUO DA FRAGMENTAO

    SECUNDRIA.

    Nelson M. Oliveira, Pedro S. Andrade, Fernando P.

    Figueiredo. 1098

    SOLUES DE FUNDAO EM ARMAZNS NO

    SOBRALINHO, ALVERCA.

    Alexandre Pinto, Rui Tomsio, Guilherme Pisco, Pedro

    Pedrosa. 1088

    SIMULAO NUMRICA DA CONSTRUO DE

    TNEIS: ANLISES BIDIMENSIONAIS VS ANLISES

    TRIDIMENSIONAIS.

    Emanuel Marques, Antnio Pedro, Jorge Almeida e

    Sousa. 1197

    15:10 RECICLAGEM DE ESCRIAS DE ACIARIA E RESDUOS DE CONSTRUO E DEMOLIO EM

    CAMADAS DE DRENAGEM DE OBRAS GEOTCNICAS

    E INFRAESTRUTURAS DE TRANSPORTE.

    Antnio Jos Roque, Rui P. M. de Almeida, Paula F. da

    Silva. 1416

    INTEGRIDADE E VALIDAO ESTRUTURAL DE

    FUNDAES MARTIMAS PORTURIAS EM OBRAS

    DE AMPLIAO DE CAIS ESTUDO DE CASO:

    PORTO DO RIO GRANDE - BRASIL.

    Cristhyano Cavali Da Luz, Eduardo Ratton, Philipe

    Ratton, Eduardo Teixeira da Silva. 1404

    ESTACAS CARREGADAS LATERALMENTE NO TOPO

    EM SOLO COLAPSVEL.

    Roberto Kassouf, Marccella B. M. Silva, Gentil Miranda

    Jr, David Carvalho. 1130

    ANLISE NUMRICA DAS DEFORMAES

    CAUSADAS POR UMA ESCAVAO.

    Tiago Moreira, Antnio Pedro, Jorge Almeida e Sousa.

    1196

    15:20 ESTUDO DA CALIBRAO DA TCNICA TDR USADA PARA ESTIMATIVA DA UMIDADE VOLUMTRICA DE

    SOLOS DA GRANDE VITRIA, E.S.

    Ktia V. Bicalho, Josiane C. Gramelich. 1226

    CONCEO E CONSTRUO DE UM PONTO

    DE APOIO A OPERAES MARTIMAS NO SOYO,

    ANGOLA.

    Joo Pina, Joo Vasconcelos, Baldomiro Xavier. 1027

    ANLISE NUMRICA DE UMA ESTACA PR-

    MOLDADA DE CONCRETO SUBMETIDA A ESFOROS

    HORIZONTAIS NO TOPO, EM SOLO DE DIABSIO.

    Mairon M. Marzola, Paulo J. R. Albuquerque . 1070

    ESTUDO E PROPOSTA DE SOLUO PARA O

    ARQUEAMENTO DE TENSES COM BASE NA

    AVALIAO DAS BARRAGENS DE SILVEH IR E

    KARKHE - IR.

    Andr Dantas, Roberto Jnior. 1023

    15:30 ANLISES DE MDULOS DE RESILINCIAS DE MISTURAS DE SOLO COM RESDUOS DE

    CONSTRUO PARA APLICAO EM

    OBRAS VIRIAS.

    Enio Fernandes Amorim, Lus Fernando Martins

    Ribeiro. 1370

    TRATAMENTO NUMRICO DE SINGULARIDADES NO

    MODELO DOS ESTADOS CRTICOS.

    Joo Marado, Jos Couto Marques. 1400

    15:40 NOVA VIA FRREA BOUGHEZOUL DJELFA (ARGLIA) ENQUADRAMENTO E ESTUDOS

    GEOLGICOS E GEOTCNICOS, ELEMENTOS

    ESSENCIAIS AO DESENVOLVIMENTO DO PROJETO

    DE TERRAPLENAGEM.

    Tiago Mides, Mrio Pedrosa. 1066

    DISCUSSO DISCUSSO DISCUSSO DISCUSSO

    16:00 Coffee-Break

    16:30 REMEDIAO IN-SITU DE REA IMPACTADA COM BRIO ATRAVS DE TRINCHEIRAS DRENANTES E

    RECIRCULAO DE EFLUENTES.

    Manoel Nobre, Rosane Nobre, Paulo Pereira. 1081

    INSTABILIDADE GEOMORFOLGICA OCORRIDA

    EM JUNHO DE 2014 NO LUGAR DE SO MIGUEL

    ARCANJO (ILHA DO PICO).

    Ana Malheiro, Paulo Amaral, Filipe Marques, Letcia

    Moniz. 1059

    ESTACAS PROFUNDAS DE GRANDE DIMETRO

    FUNDAES DO VIADUTO LOUKKOS - LINHA DE

    ALTA VELOCIDADE DE MARROCOS CASO DE

    OBRA.

    Diogo Daniel, Joo Trindade, Pedro Rei. 1139

    IDENTIFICAO DO PERFIL DE VELOCIDADES DO

    TERRENO EM MEIO URBANO UTLIZANDO MTODOS

    DE ONDAS SUPERFICIAIS.

    Ftima Gouveia, Isabel Lopes, Rui Carrilho Gomes.

    1168

    16:40 SISTEMA DE MONITORIZAO MULTITCNICA A IMPLEMENTAR NO MOVIMENTO DE VERTENTE QUE

    AFETA A POPULAO DA FAJZINHA (ILHA DAS

    FLORES - AORES).

    Filipe Marques, Paulo Amaral, Ana Malheiro, Letcia

    Moniz, Auldia Cmara. 1062

    ANLISE DE FUNDAES PROFUNDAS INSTALADAS

    EM TALUDES DE OBRAS PORTURIAS.

    Vanessa Borges, Paulo Pinto, Jos Grazina. 1296

    MODELO BI-DIMENSIONAL DO TERRENO BASEADO

    NO MTODO DAS ONDAS SUPERFICIAIS.

    Brbara Peniche, Isabel Lopes, Rui Carrilho Gomes.

    1170

    20 J

    UN

    HO

    / 1

    5:0

    0 >

    16

    :50

    AUDITRIOSALAS B001 B002 B003

    ST / CNG / 3.1 SESSO DA COMISSO PORTUGUESA DE GEOTECNIA AMBIENTAL (CPGA) Presidente: Maria de Lurdes Lopes (FEUP)Moderadora: Celeste Jorge (LNEC)

    ST / CNG / 3.2TALUDES E ENCOSTAS EM RISCO

    Presidente: Francisco Salgado (LNEC)Moderador: Carlos Baio (CENOR)

    ST / CNG / 3.3FUNDAES

    Presidente: Ktia Bicalho (U. Esprito Santo)Moderador: Armando Anto (UNL)

    ST / CNG / 3.4RECONHECIMENTO E CARACTERIZAO DE MACIOS

    Presidente: Rui Calada (FEUP)Moderador: Pedro Guedes de Melo (UNL)

    PROGRAMA DETALHADO PROGRAMA DETALHADO

  • 20 2119-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    16:50 (cont.) REMEDIAO IN-SITU DE REA IMPACTADA COM

    BRIO ATRAVS DE TRINCHEIRAS DRENANTES E

    RECIRCULAO DE EFLUENTES.

    Manoel Nobre, Rosane Nobre, Paulo Pereira. 1081

    INFLUNCIAS GEOLGICAS, GEOMORFOLGICAS

    E GEOTCNICAS NOS MOVIMENTOS DE MASSA

    OCORRIDOS NOS DIAS 11 E 12 DE JANEIRO DE 2011,

    EM NOVA FRIBURGO, RIO DE JANEIRO, BRASIL.

    Andr de Souza Avelar, Rodrigo Vinagre, Willy

    Alvarenga Lacerda. 1149

    SOLUO DE FUNDAES COM COLUNAS DE JET

    GROUTING NA PONTE SOBRE O RIO LIKOUALA

    MOSSAKA EM ETOUMBI NA REPUBLICA DO CONGO.

    Nuno Vaz, Elsa Nunes, Joo Gonalves. 1174

    CORRELAES ENTRE RESULTADOS DE ENSAIOS

    DE PENETRAO DINMICA (DP) COM O ENSAIO

    STANDARD PENETRATION TEST (SPT).

    Andr Filipe Afonso, Antnio Miguel Paula, Manuel Braz

    Csar. 1186

    17:00 AVALIAO LABORATORIAL DA RESISTNCIA MECNICA DE RCD ESTABILIZADOS COM CINZAS

    ATIVADAS PARA APLICAES GEOTCNICAS.

    Nuno Cristelo, Castorina S. Vieira, Pedro Filho, Filipe

    Almeida, Maria de Lurdes Lopes. 1003

    SOLUES DE ESTABILIZAO DE TALUDE NA

    AUTOESTRADA A15.

    Rui Tomsio, Alexandre Pinto, Pedro Olivena. 1155

    CONSIDERAES SOBRE AS FUNDAES POR

    MICROESTACAS DO EDFICIO DILI FINANCIAL

    BUSINESS CENTER EM DILI, TIMOR.

    Antnio Baptista, Nuno Vaz, Jaime Santos, Cristina

    Alves, Rui Silva. 1189

    A IMPORTNCIA DA REDUNDNCIA NA DEFINIO

    DOS PROGRAMAS DE PROSPECO. O CASO DE UM

    EMPREENDIMENTO NA VENEZUELA.

    Pedro Guedes de Melo. 1219

    17:10 AVALIAO DOS RECALQUES A LONGO PRAZO NOS ATERROS SANITRIOS DE MINAS DO LEO E SO

    LEOPOLDO (RS/BRASIL).

    Rinaldo Pinheiro, Gabriela Salamoni, Marilia Teixeira,

    Jonathan Medeiros. 1014

    NUMERICAL ANALYSIS OF SLOPE FAILURE IN

    GRANITIC SOIL SLOPES: LIMIT EQUILIBRIUM VS

    FINITE ELEMENT. APPROACHES.

    Manuel Neves, Victor Cavaleiro, Alexandre Pinto. 1207

    SAPATAS REFORADAS COM SAIA ESTRUTURAL:

    ENSAIOS 1G EM MODELOS REDUZIDOS.

    Diogo Alves, Jos Grazina, Paulo Pinto. 1283

    ESTUDO COMPARATIVO ENTRE SPT E SSMICA

    RASA PARA DETERMINAO DE PARMETROS

    GEOTCNICOS EM UMA REA DE CAAPAVA DO

    SUL, RS.

    Luisa Barbosa Pereira, Pedro Cruz de Moura Lima,

    David Silva de Queiroz, Anna Maria de Carvalho Lucas,

    Jose Waldomiro Jimenez Rojas, Marcus Vinicius

    Aparecido Gomes de Lima. 1288

    17:20 REMEDIAO AMBIENTAL DA MINA DE URNIO DE PRADO VELHO, DO PROJETO DE EXECUO

    CONCRETIZAO DAS OBRAS.

    Fernando Ferreira, Edgar Carvalho. 1033

    ENCOSTA DO PARQUE DE TRANSFORMADORES

    E COMPORTAS - APROVEITAMENTO

    HIDROELCTRICO DE LACA.

    Sandra Ferreira, Raul Pistone, Jos Pinto, Virgilio

    Rebelo, Pedro de Carvalho Th, Srgio Montenegro

    Kraemer, Elias Daniel Estevo. 1192

    MODELAO NUMRICA DE ENSAIOS DE CARGA EM

    MODELOS REDUZIDOS DE SAPATAS REFORADAS

    COM SAIA ESTRUTURAL.

    Joana Silva, Jos Grazina, Paulo Pinto, Crin Ferreira.

    1284

    CORRELAO ENTRE ENSAIOS SPT E PANDA 2

    (PENETRMETRO LEVE DE ENERGIA VARIVEL) EM

    ATERRO COMPACTADO DE BARRAGEM COM SOLO

    TROPICAL.

    Renato Resende Angelim, Caio Sales Campos, Yanko

    Batista Llobet, Maurcio Martines Sales, Renato Pinto

    da Cunha. 1330

    17:30 BIORREMEDIAO DE SOLOS CONTAMINADOS COM BTEX.

    Maria Manuela Carvalho, Maria Cristina Vila, Maria

    Teresa Oliva-Teles, Antnio Fiza. 1360

    A APLICAO ROCKPATH - FERRAMENTA PARA A

    ESTIMAO PRELIMINAR DE REAS POTENCIAIS DE

    PROPAGAO DE BLOCOS ROCHOSOS EM ARRIBAS

    INSTVEIS.

    Joo Brissos, Andr Sanches, Paulo S Caetano. 1203

    HIDROJATEAMENTO EM SOLOS ARGILOSOS:

    ESTUDO EM MODELOS REDUZIDOS.

    David Loureno, Fernando Schnaid. 1210

    ESTUDO DO CONTACTO E FECHO EM

    DESCONTINUIDADES ROCHOSAS ATRAVS DE

    DIGITALIZAO TRIDIMENSIONAL.

    Ricardo Resende, Jos Muralha, Ana Ramos, Eduardo

    Fortunato. 1083

    17:40 REABILITAO AMBIENTAL DA REA DE DEPOSIO DE RESDUOS PERIGOSOS EM SO

    PEDRO DA COVA.

    Antnio Jos Roque, Vitor Monteiro. 1414

    DISCUSSO DISCUSSO DISCUSSO DISCUSSO

    18:15 V LIO VICTOR DE MELLO Presidente ISSMGE : Roger Frank

    Presidente ABMS : Andr Assis

    Presidente SPG : Jos Lus Vale

    Diretor DEC / FEUP: Antnio Silva Cardoso

    LEAKAGE CONTROL USING

    GEOMEMBRANE LINERS.

    Jean Pierre Giroud

    20 J

    UN

    HO

    / 1

    6:5

    0 >

    19

    :00

    AUDITRIOSALAS B001 B002 B003

    PROGRAMA DETALHADO PROGRAMA DETALHADO

  • 22 2319-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    9:00 ANLISE MECNICA E AVALIAO MICROBIOLGICA DE SOLOS MELHORADOS COM

    ENZIMAS PARA APLICAO EM PAVIMENTAO.

    Jos Adriano Cardoso Malko, Patricia sterreicher-

    Cunha, Michle Dal To Casagrande. 1015

    UTILIZAO DE SOLO RESIDUAL DO GRANITO NA

    CONSTRUO DE ATERROS REFORADOS COM

    GEOSSINTTICOS RESISTNCIA AO ARRANQUE

    DOS REFOROS.

    Fernanda Bessa Ferreira, David Miranda Carlos,

    Castorina Silva Vieira, Maria de Lurdes Lopes. 1067

    SOLUES DE ESCAVAO E CONTENO

    PERIFRICA PARA A CONSTRUO DOS PISOS

    ENTERRADOS DA AMPLIAO DO CENTRO

    SANTANDER TOTTA EM LISBOA.

    Rui Tomsio, Alexandre Pinto, Catarina Fartaria. 1154

    METODOLOGIA DE OTIMIZAO DO LOCAL DE

    SONDAGENS DOS PLANOS DE PROSPEO EM

    MACIOS ROCHOSOS.

    Marisa Pinheiro, Xavier Emery, Lus Lamas, Tiago

    Miranda. 1137

    9:10 INCREASING THE VELOCITY OF ALKALI ACTIVATED REACTIONS USED IN SOIL STABILISATION.

    Sara Rios, Nuno Cristelo, Tiago Miranda, Ernesto Lucas,

    Edgar Soares, Joel Oliveira. 1018

    FORAS DE TRAO MOBILIZADAS EM MUROS

    REFORADOS COM GEOSSINTTICOS.

    Michael Vargas, Ennio M. Palmeira, Eder C. G. Santos,

    Ewerton C. A. Fonseca. 1069

    CONTENO PERIFRICA DE PARQUE PBLICO DE

    ESTACIONAMENTO NA AVENIDA INFANTE SANTO,

    EM LISBOA.

    Patrcia Almeida, Pedro Neto, Miguel Pires. 1055

    ZONAMENTO DE RISCO DE TALUDES INSTVEIS NA

    LINHA DO DOURO APLICANDO A CLASSIFICAO

    GEOMECNICA SLOPE MASS RATING.

    Isabel Pena, Tiago Mides, Mrio Pedrosa. 1177

    9:20 ANLISE DA EVOLUO DA RIGIDEZ INICIAL EM UM SOLO SILTOSO ESTABILIZADO COM CAL

    SUBMETIDO A DIFERENTES TEMPOS DE CURA.

    Amanda Dalla Rosa Johann, Antnio Viana da

    Fonseca, Nilo Cesar Consoli. 1153

    EFEITO DO TIPO DE SOLO NA DANIFICAO

    MECNICA DE GEOSSINTTICOS SOB CARGA

    REPETIDA.

    Francisco Violante, Jos Ricardo Carneiro, Maria de

    Lurdes Lopes. 1080

    SOLUO MISTA DE PAREDE TIPO BERLIM

    DEFINITIVA COMBINADA COM PAREDE DE

    COLUNAS DE JET GROUT ARMADA. ANLISE PELO

    MTODO DOS ELEMENTOS FINITOS.

    Lus Barros, Jos Leito Borges. 1091

    MODELAGEM GEOLGICA POR MEIO DE EQUAES

    MULTIQUDRICAS.

    Josiele Patias, Jorge Kazuo Yamamoto, Dbora de

    Oliveira Fernandes. 1234

    9:30 MISTURAS DE SOLO-BORRACHA PARA ISOLAMENTO DE VIBRAES.

    Sara Rios, Antnio Viana da Fonseca, Magdalena

    Kowalska, Malgorzata Kijanka. 1204

    RESISTNCIA DE GEOSSINTTICOS DANIFICAO

    MECNICA SOB CARGA REPETIDA E ABRASO.

    Filipa Escrcio, Jos Ricardo Carneiro, Maria de Lurdes

    Lopes. 1079

    PAREDES MISTAS TIPO BERLIM DEFINITIVAS

    COMBINADAS COM PAREDES DE COLUNAS DE JET

    GROUT ARMADAS. ANLISE DA INFLUNCIA DA

    RIGIDEZ FLEXO DE CADA UMA DAS PAREDES.

    Lus Barros, Jos Leito Borges. 1092

    CARACTERIZAO GEOTCNICA DE LITOTIPOS

    BASLTICOS DA REA DA BARRAGEM DE ITAIPU.

    Dbora de Oliveira Fernandes, Jorge Kazuo Yamamoto,

    Josiele Patias. 1236

    9:40 AVALIAO DA RESISTNCIA COMPRESSO SIMPLES E DA PLASTICIDADE DE SOLOS

    ARGILOSOS ADITIVADOS COM CIMENTO

    PORTLAND.

    Guilherme Almeida, Michle Casagrande, Erinaldo

    Cavalcante. 1214

    EFEITO DE CATIES METLICOS NA RESISTNCIA

    DE GEOTXTEIS DE POLIPROPILENO TERMO-

    OXIDAO.

    Jos Ricardo Carneiro, Paulo Joaquim Almeida, Maria

    de Lurdes Lopes. 1393

    SOLUES DE CONTENO PERIFRICA E DE

    RECALAMENTO DE FACHADAS DO EDIFCIO

    LIBERDADE 203, NA RUA ROSA ARAJO, LISBOA.

    Ana Pereira, Miguel Rendo, Joo Valadas, Alexandre

    Pinto, Rodrigo Portela. 1248

    WEATHERING PROFILES OF BASALTS AND

    TUFFS FROM MAPLETON-MALENY PLATEAU A

    GEOTECHNICAL APPROACH.

    E. A. G. Marques, D. J. Williams, L. C. R. Andrade. 1410

    9:50 AVALIAO DA INCLUSO DE FIBRAS DE SISAL NA RESPOSTA TENSO E DEFORMAO DO SOLO.

    Mariana Vela Silveira, Michle Dal To Casagrande.

    1244

    EFEITO DE ESTABILIZANTES UV NA RESISTNCIA

    DE GEOTXTEIS FOTODEGRADAO: O CASO

    PARTICULAR DO CHIMASSORB 944.

    Jos Ricardo Carneiro, Paulo Joaquim Almeida, Maria

    De Lurdes Lopes. 1394

    INFLUNCIA DO NVEL DE PR-ESFORO NA

    ESTABILIDADE GLOBAL DE CORTINAS MULTI-

    ANCORADAS.

    Cludia Santos Josefino, Nuno M. da Costa Guerra,

    Armando M. S. Nunes Anto. 1331

    CORRELATIONS BETWEEN GEOMECHANICAL

    PROPERTIES AND PHYSICAL INDICES FOR SOME

    HIGH-GRADE METAMORPHIC ROCKS FROM BRAZIL.

    Stephane Andry Reis Cerrato, Eduardo Antonio Gomes

    Marques. 1411

    10:00 EXECUO E CONTROLO DA QUALIDADE APLICADO NA CONSTRUO DE ATERROS EM

    SOLO-CIMENTO.

    Eduardo Mira Fernandes, Bernardo P. B. Monteiro, Pedro

    Antunes, Joana Ramalho, Joo P. Simes. 1357

    CONSIDERAES SOBRE PROJETO E CONTROLE

    DE EXECUO DE REFORO DE SOLOS MOLES

    UTILIZANDO COLUNAS DE MATERIAL GRANULAR.

    Giana Laport Alves Souza, Marcus Pacheco, Rubenei

    Novais Souza, Eduardo Arreguy Viana. 1374

    SOLUES DE CONTENO PERIFRICA

    UTILIZADAS NO EDIFCIO FPM 41, EM LISBOA.

    Xavier Pita, Alexandre Pinto,Filipe Veloso,Nuno Lopes.

    1075

    CARACTERIZAO E ESTIMATIVA DE RESISTNCIA

    TRAO DE ROCHAS DA PROVNCIA

    PEGMATTICA DE SO JOO DEL REI, MINAS

    GERAIS, BRASIL.

    Klinger Senra Rezende, Eduardo Antonio Gomes

    Marques, Andr Lenke Lorenzoni. 1428

    10:10 AVALIAO DO COMPORTAMENTO MECNICO DE UM SOLO REFORADO COM FIBRAS EM

    CARREGAMENTO ESTTICO E CCLICO, DE MUITO

    PEQUENAS A GRANDES DEFORMAES.

    Cludio Pereira, Cristiana Ferreira, Raquel Carvalho,

    Antnio Gomes Correia. 1376

    CONSTRUCTION OF DIAPHRAGM WALLS IN

    COMPRESSIBLE GROUND.

    Laure Cabasse, Francesca Chiericato, Sandro Gomes,

    Olivier Hayes. 1390

    POTENCIAIS FONTES DE ERRO NA REALIZAO

    E INTERPRETAO DE ENSAIOS DE BENDER

    ELEMENTS EM AMOSTRAS RECONSTITUDAS DE

    AREIA.

    Antnio Pedro, Paulino Santos, Lus Arajo Santos,

    Paulo Coelho, David Taborda. 1434

    ST / CLBG / 1.1 MELHORAMENTO E REFORO DE MACIOS

    Presidente: Marcus Pacheco (UERJ)Moderadora: Rafaela Cardoso (IST)

    21 J

    UN

    HO

    / 9

    :00

    > 1

    0:2

    0

    PROGRAMA DETALHADO PROGRAMA DETALHADO

    AUDITRIOSALAS B001 B002 B003

    ST / CLBG / 1.2MELHORAMENTO E REFORO DE MACIOS

    Presidente: Fernando Pardo Santayana (SEMSIG / CEDEX)Moderadora: Bernadete Danziguer (UERJ)

    ST / CNG / 4.1GRANDES ESCAVAES E TNEIS

    Presidente: Jos Luis Antunes (Keller Terra)Moderador: Jorge Quelhas (Metro do Porto)

    ST / CNG / 4.2RECONHECIMENTO E CARACTERIZAO DE MACIOS

    Presidente: Marcus Massao Futai (U. So Paulo)Moderador: Nuno Cruz (Mota-Engil)

  • 24 2519-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    10:20 FATORES QUE CONDICIONAM A CAPACIDADE DE DESCARGA DE DRENOS VERTICAIS PR-

    FABRICADOS.

    Elisa Silva, Nuno Salsa. 1456

    ESTRUTURA DE CONTENO PERIFRICA

    EXECUTADA COM A TECNOLOGIA DE CUTTER SOIL

    MIXING NO PARQUE DE ESTACIONAMENTO DO

    LARGO DO AMBIENTE EM LUANDA ANGOLA.

    Artur Peixoto, Pedro Gomes, Marco Baptista. 1326

    REALIDADE VIRTUAL APLICADA S OBRAS

    SUBTERRNEAS.

    Ricardo Resende, Margarida Espada, Tiago Pedro. 1095

    ESTRUTURA DE CONTENO PERIFRICA

    EXECUTADA COM A TECNOLOGIA DE CUTTER SOIL

    MIXING NO EDIFCIO MAY FLOWER EM ANTIBES

    FRANA. Pedro Gomes, Artur Peixoto, Rui Borges. 1328

    DISCUSSO DISCUSSO DISCUSSO DISCUSSO

    11:00 Coffee-Break

    11:30 CONFERNCIA C3Presidente: Waldemar Hachich (U. So Paulo)

    25 ANOS DE INVESTIGAO NA FEUP NO DOMNIO

    DOS GEOSSINTTICOS

    Maria de Lurdes Lopes (FEUP, Portugal)

    12:15 CONFERNCIA C4Presidente: Laura Caldeira (LNEC)

    INTEGRAO DE MODELOS

    GEOLGICOGEOTCNICOS E DADOS DE

    INSTRUMENTAO: UM CASO DESAFIADOR

    DE REFORO DE MACIO NA SERRA DO MAR

    BRASILEIRA

    Alessander Kormann (U. Paran, Fugro, Brasil)

    13:00 Almoo

    14:30 RESISTNCIA DO SOLO MOLE DO BAIXO MONDEGO QUIMICAMENTE ESTABILIZADO E REFORADO COM

    FIBRAS METLICAS.

    Vanessa Antunes, Paulo J. Venda Oliveira, Antnio A.

    S. Correia. 1297

    A UTILIZAO DE SISTEMAS DE CONFINAMENTO

    DE AREIAS EM MATERIAL GEOSSINTTICO PARA

    PROTEO COSTEIRA EM PORTUGAL.

    Maria de Lurdes Lopes, Luciana das Neves, Francisco

    Taveira Pinto, Fernando Veloso Gomes. 1432

    INFLUNCIA DA FUNDAO E DO SOLO NA

    FREQUNCIA NATURAL DE TORRES ELICAS.

    Yna Almeida Ferreira, Marcos Massao Futai. 1227

    IDENTIFICAO DO MECANISMO DE ROTURA DE UM

    TALUDE NA REGIO DE SO PAULO, BRASIL.

    Pedro Guedes de Melo, Antnio Cristvo. 1222

    14:40 NANOTECNOLOGIA APLICADA NA ESTABILIZAO QUMICA DE SOLOS.

    A. A. S. Correia, M. S. M. R. Moura, V. S. F. Antunes, M. G.

    Rasteiro. 1243

    ATERROS DE TRANSIO A OBRAS DE ARTE:

    O CASO PARTICULAR DE PONTES INTEGRAIS.

    Catarina Fartaria, Alexandre Pinto. 1460

    ANLISE COMPARADA DO COMPORTAMENTO DE

    ENSOLEIRAMENTOS ESTAQUEADOS E GRUPOS

    CORRESPONDENTES DE ESTACAS. Hugo A. da S.

    Mendona Pereira, Antnio Viana da Fonseca. 1251

    ESTUDO SOBRE CICATRIZAO DA SUPERFCIE DE

    RUPTURA EM SOLOS LATERTICOS BRASILEIROS

    APS ALGUM TEMPO DE REPOUSO. Leonardo De

    Bona Becker, Willy Lacerda, Ana Paula Fonseca. 1225

    14:50 ESTUDO DA PERMEABILIDADE DE MISTURAS SOLO-LIGANTE.

    Manuel A. M. Silva, A. A. S. Correia, P. J. Venda Oliveira.

    1247

    AVALIAO EXPERIMENTAL E NUMRICA DO

    COMPORTAMENTO DE UMA ESTRUTURA DE

    SUPORTE EM SOLO REFORADO COM BANDAS

    DE POLISTER. Nuno Cristelo, Carlos Flix, Maria de

    Lurdes Lopes. 1016

    ANLISE DE PROVAS DE CARGA EM ESTACAS

    HLICE CONTINUA COM PONTA APOIADA EM

    ARENITO. Juliane Andria Figueiredo Marques, Ricardo

    Figueiredo Marques, Paulo Jos Rocha Albuquerque,

    Pedro Henrique Hoss. 1252

    CRITRIOS DE GESTO NA REABILITAO DE

    TALUDES EM VIAS RODOVIRIAS EM EXPLORAO.

    Maria da Trindade Martins, Lara Martins, Ana Rosa,

    Joo Azevedo, Bernardo Monteiro. 1263

    15:00 BIOESTABILIZAO DE UM SOLO ARENOSO POR INTERMDIO DA PRECIPITAO DE CARBONATO DE

    CLCIO POR VIA ENZIMTICA.

    Joo P. S. F. Carmona, Paulo J. Venda Oliveira, Lus J. L.

    Lemos. 1299

    USO DE RESDUOS DE CONSTRUO E DEMOLIO

    EM ATERROS REFORADOS COM GEOGRELHAS.

    ESTUDO DA DANIFICAO E DA RESISTNCIA DA

    INTERFACE.

    Paulo M. P. Pereira, Castorina Silva Vieira, Maria de

    Lurdes Lopes. 1413

    DIMENSIONAMENTO SSMICO DE FUNDAES

    SUPERFICIAIS.

    Jaime Alberto Santos, Pedro Miguel Sereno. 1254

    ANLISE DA ESTABILIDADE DE TALUDE UTILIZANDO

    DADOS GEOFSICOS EM UMA REA NO MUNICPIO

    DE CAAPAVA DO SUL, RS.

    Luisa Barbosa Pereira, Pedro Cruz de Moura Lima,

    David Silva de Queiroz, Jose Waldomiro Jimenez Rojas,

    Marcus Vinicius Aparecido Gomes de Lima. 1286

    21 J

    UN

    HO

    / 1

    0:2

    0 >

    15:

    10

    PROGRAMA DETALHADO PROGRAMA DETALHADO

    AUDITRIOSALAS B001 B002 B003

    ST / CLBG / 2.1 MELHORAMENTO E REFORO DE MACIOS

    Presidente: Maurcio Sales (U. F. Gois)Moderador: Antnio Alberto Correia (FCTUC)

    ST / CNG / 5.1SESSO DA IGS-PORTUGAL COMISSO PORTUGUESA DE GEOSSINTTICOS

    Presidente: Flvio Montez (HUESKER - Brasil)Moderadora: Madalena Barroso (LNEC)

    ST / CNG / 5.2FUNDAES

    Presidente: Ivo Rosa (Teixeira Duarte)Moderador: Pedro Neto (AdF Consultores)

    ST / CNG / 5.3TALUDES E ENCOSTAS EM RISCO

    Presidente: Ana Sieira (UERJ / ABMS-Rio)Moderadora: Sandra Ferreira (COBA)

  • 26 2719-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    15:10 UTILIZAO DA BIOTECNOLOGIA PARA A ESTABILIZAO DE SOLOS: INFLUNCIA DO TIPO

    DE SOLO.

    Lus D. Freitas, Paulo J. Venda Oliveira. 1405

    BARRAGENS DE ATERRO COM GEOMEMBRANA.

    ANLISE DE PERCOLAO DA BARRAGEM DO PICO

    DA URZE, PORTUGAL.

    Joo Figueira, Laura Caldeira, Emanuel Maranha das

    Neves. 1359

    VIBRAES NO INTERIOR DE EDIFCIOS DEVIDO

    AO TRFEGO FERROVIRIO SUBTERRNEO.

    VALIDAO EXPERIMENTAL DE UM MODELO

    NUMRICO ABRANGENTE.

    Patrcia Lopes, Pedro Alves Costa, Jsus Fernndez,

    Antnio Silva Cardoso, Rui Calada. 1325

    ESTUDO GEOTCNICO E SEDIMENTOLGICO EM

    ENCOSTAS SUSCETVEIS A DESLIZAMENTOS NA

    BACIA DO RIBEIRO CONTAGEM - DF/BRASIL.

    Ligier Braga, Rogrio Uagoda, Hernn Carvajal. 1295

    15:20 INFLUNCIA DO TEOR EM MATRIA ORGNICA NA REDUO DAS DEFORMAES DE FLUNCIA POR

    PR-CARGA - ANLISE LABORATORIAL.

    Andreia F. V. Vieira, Paulo J. Venda Oliveira, Antnio A.

    S. Correia. 1431

    ENVELHECIMENTO DE GEOMEMBRANAS DE PEAD

    EXPOSTAS S CONDIES CLIMATICAS DURANTE

    12 ANOS.

    Amlia Reis, Madalena Barroso, Maria da Graa Lopes.

    1363

    INSTALLATION EFECTS OF STONE COLUMNS

    AND ITS CONTRIBUTION TO SOIL LIQUEFACTION

    MITIGATION.

    Antnio Cristvo, Ablio Nogueira, Rodney

    Hutchinson, Steven Roberts, Alexandre Pinto. 1435

    IDENTIFICAO DO ESTADO DE CONDIO DE

    TALUDES EM ROCHA ATRAVS DA APLICAO DE

    FERRAMENTAS ESTATSTICAS AVANADAS.

    Joaquim Tinoco, Antnio Gomes Correia, Paulo Cortez,

    David Toll. 1344

    15:30 ESTUDO EXPERIMENTAL DO COMPORTAMENTO CCLICO DE LONGA DURAO DO SOLO RESIDUAL

    DO GRANITO DO PORTO ARTIFICIALMENTE

    CIMENTADO.

    Fabrizio Panico, Antnio Viana da Fonseca. 1041

    UTILIZAO DE GEOSSINTTICOS EM ATERROS

    E SUA INFLUNCIA NO DIMENSIONAMENTO DE

    PAVIMENTOS DE INFRAESTRUTURAS RODOVIRIAS.

    Jos Neves, Margarida Gonalves, Helena Lima. 1111

    REFORO DE FUNDAES DA PONTE DA VALA

    NOVA EM PORTUGAL.

    Alexandre Pinto, Rui Tomsio, David Brito. 1087

    PROJECTO GEOTCNICO PARA A ESTABILIZAO

    E CONTENO DE UM TALUDE NA EM530-1 EM

    BUCELAS.

    Alexandra Rosa, Magda Roque, Lurdes Pimenta,

    Ricardo Sardinha, Vernica Pereira. 1268

    DISCUSSO DISCUSSO DISCUSSO DISCUSSO

    16:00 Coffee-Break

    16:30 CONFERNCIA C4Presidente: Pedro Sco e Pinto (LNEC)

    MELHORIA E REFORO DE MACIOS: ASPECTOS

    TERICOS E CASOS DE OBRAS

    Maurcio Abramento

    (U. So Paulo, CEG Engenharia, Brasil)

    17:15 CONFERNCIA C5Presidente: Luiz Guilherme de Mello

    (Vecttor / U. So Paulo)

    OBRAS DE MELHORAMENTO E REFORO DE SOLOS

    Paulo Natrio (SOLETANCHE)

    18:00 SISTEMAS DE DISPOSIO DE REJEITOS DE MINERAO - CENRIOS, PERSPECTIVAS E

    DESAFIOS TECNOLGICOS.

    Romero Gomes (U. Ouro Preto)

    18:20 CADASTRO E CLASSIFICAO DE RISCO DE BARRAGENS DE REJEITO NO BRASIL - ESTGIO

    ATUAL

    Eduardo Marques (U. Viosa)

    18:40 INSTALAO DE RESDUOS DO CERRO DO LOBO, DA MINA DE NEVES CORVO, PORTUGAL. PROJETO,

    CONSTRUO, ALTEAMENTOS, MONITORIZAO E

    EXPANSO. ESTADO ATUAL E DESAFIOS FUTUROS.

    Mafalda Oliveira (Somincor / Lundin Mining)

    19:00 DEBATE

    21 J

    UN

    HO

    / 1

    5:10

    > 1

    9:0

    0

    PROGRAMA DETALHADO PROGRAMA DETALHADO

    AUDITRIOSALAS B001 B002 B003

    SESSO TCNICA ESPECIAL BARRAGENS DE REJEITOS DE MINAS Presidente: Rui Correia (LNEC)Moderador: Alberto Sayo (PUC / RJ)

  • 28 2919-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    9:00 ANLISE DINMICA DO FLUXO DE DETRITOS EM LAJAS, COSTA RICA.

    Ana Maria Valverde, Alberto S. F. J. Sayo, Anna Laura

    L. S. Nunes. 1450

    AVALIAO DA SEGURANA PARA CENRIOS DE

    ROTURA PELA FUNDAO DA BARRAGEM DE FOZ

    TUA.

    Margarida Espada, Jos Muralha, Jos Vieira de Lemos,

    Nadir Plasencia, Jos Paixo. 1362

    TERMINAL DE CONTENTORES DE KAMSAR.

    Diogo Cerqueira, Diogo Silva. 1313

    ANLISE DO COMPORTAMENTO DE UMA AREIA

    REFORADA COM FIBRAS DE POLITEREFTALATO DE

    ETILENO (PET) SUBMETIDA A ENSAIOS TRIAXIAIS.

    Phillipe C. Senez, M. D. T. Casagrande. 1020

    9:10 AVALIAO DETERMINSTICA DA SUSCEPTIBILIDADE A MOVIMENTOS DE TERRENO

    NA VERTENTE SUL DE ODIVELAS.

    Laura Murtinha, Celeste Jorge, Ana Paula Fernandes

    da Silva. 1383

    COMPORTAMENTO DA BARRAGEM DE

    MONTESINHO DURANTE O PRIMEIRO ENCHIMENTO.

    Joo Marcelino, Joo Manso, Andr Serrano. 1238

    ASPECTOS DE PROJETO E EXECUO DAS

    FUNDAES DA VIA MANGUE, RECIFE, BRASIL.

    Alexandre Duarte Gusmo, Gilmar Brito Maia. 1336

    DESEMPENHO MECNICO DE ALVENARIA DE BTC

    ESTABILIZADOS ATRAVS DA ATIVAO ALCALINA

    DE CINZAS VOLANTES.

    Edgar Soares, Rui A. Silva, Tiago Miranda, Daniel

    Oliveira, Dinis Leito, Nuno Cristelo, Juliana Oliveira.

    1022

    9:20 EVOLUO DO CONTEXTO LEGISLATIVO PORTUGUS NO ORDENAMENTO DO TERRITRIO

    PARA A DEFINIO DE CRITRIOS EM ESTUDOS DE

    RISCO DE INSTABILIDADES GEOTCNICAS.

    Celeste Jorge. 1385

    ESTADOS LIMITES EM SOLOS DE BARRAGENS

    DE REJEITOS PARA AVALIAO DE

    LIQUIDIFICABILIDADE PELA TEORIA DOS ESTADOS

    CRTICOS.

    Antnio Viana da Fonseca, Catarina Ramos, Daniela

    Coelho, Marisa Soares, Janine Figueiredo. 1271

    REFORO DA FUNDAO DA PONTE FERROVIRIA

    DO TUA NA LINHA DO DOURO O PAPEL DA

    MONITORIZAO NA AVALIAO CONTINUADA

    DA INTEGRIDADE DA ESTRUTURA CENTENRIA

    EXISTENTE.

    Jos Nuno Figueiredo, Paulo Pinho, Nuno Dias, Jaime

    Santos, Carlos Baio, Teresa O. Santos, Jos Muralha,

    Maria Eugnia Resende. 1347

    O EFEITO DE CHIPS DE PNEU EM UMA AREIA

    REFORADA.

    Natalia Durn, Michle Casagrande. 1212

    9:30 AVALIAO GEOLGICO-GEOTCNICA EM REAS DE SUSCEPTIBILIDADE MOVIMENTOS DE MASSA

    EM RIO PIRACICABA (MG).

    Las E. de Assis, Eduardo A. G. Marques, Sady J. C.

    Menezes, Cleverson A. de Lima, Agnes C. S. Faria,

    Anna C. B. G. Lacerda. 1423

    PERCOLAO NA FUNDAO DE BARRAGENS DE

    BETO: ESTUDO PARAMTRICO DA EFICINCIA DE

    UMA CORTINA DE IMPERMEABILIZAO.

    Tiago Costa, Teresa Santana. 1277

    FUNDAES DO EDIFCIO DE PARQUEAMENTO E

    OFICINAS DE MANUTENO DO METRO LIGEIRO DE

    MACAU.

    Ana Vazquez, Marta Carreira, Alexandre Pinto. 1366

    RESDUOS E RECURSOS: O POTENCIAL DA

    ECONOMIA CIRCULAR.

    Diana Nicolau. 1373

    9:40 ESTABILIZAO DE TALUDE COM A TCNICA DE SOLO GRAMPEADO: INFLUNCIA DA INCLINAO

    DOS GRAMPOS.

    Ana Carolina C. de Menezes, Luiz Vinicius de C. Rangel.

    1433

    PERDAS DE GUA PELA ALBUFEIRA DA BARRAGEM

    DE OUIZERT. ESTUDOS DE DIAGNSTICO E DE

    REABILITAO.

    Lurdes Pimenta, Magda Roque, Ricardo Sardinha, Jos

    Martins Carvalho, Khaled Djir. 1307

    CARACTERIZAO DA FUNDAO DE

    PAVIMENTOS COM OS RESULTADOS DO ENSAIO DO

    PENETRMETRO DINMICO LIGEIRO.

    David Michel Pires Rodrigues, Antnio Miguel Verdelho

    Paula, Hermnia Maria Mesquita Morais, Manuel

    Joaquim da Costa Minhoto. 1185

    ANLISE DO COMPORTAMENTO DE MISTURAS DE

    SOLO ARGILOSO COM CINZA VOLANTE DE CARVO

    MINERAL E CAL PARA APLICAES GEOTCNICAS.

    Amanda Meliande, Michle Casagrande. 1381

    9:50 ANLISE DE FLUXOS DE DETRITOS NA REGIO SERRANA DO RIO DE JANEIRO, BRASIL.

    Andrea Balbuzano Pelizoni, Anna Laura L S Nunes.

    1448

    BARRAGENS DE ATERRO - ANLISE DE

    ESTABILIDADE PARA DIFERENTES CONDIES DE

    ESVAZIAMENTO EM REGIME TRANSITRIO.

    Sara Lopes, Teresa Santana. 1318

    A UTILIZAO DO ENSAIO DE PIEZOCONE PARA

    ESTIMATIVA DA ESPESSURA DE UMA CAMADA DE

    SOLO MOLE.

    Raphael Felipe Carneiro, Bernadete Ragoni Danziger,

    Denise Maria Soares Gerscovich. 1438

    PLANO METODOLGICO PARA O

    APROVEITAMENTO DE REJEITOS ORIUNDOS DE

    PROCESSOS HIDROMETALRGICOS DO NQUEL E

    COBALTO. Eveln R. Sosa, Luis F. M. Ribeiro, Rafael Q.

    Puchol, Sergio R. Betancourt. 1368

    10:00 ESTABILIZAO DE TALUDES ROCHOSOS NO PORTO SUDESTE RIO DE JANEIRO, BRASIL.

    Anna Laura L. S. Nunes, Marcelo G. Rios, Monique L.

    Sobral, Andrea B. Pelizoni. 1449

    ANLISE DE FIABILIDADE DE ESTABILIDADE DE

    TALUDES EM BARRAGENS DE ATERRO.

    Cludia Ferreira, Teresa Santana. 1319

    EFEITOS DA EXECUO DO ATERRO SOBRE OS

    IMPULSOS E ESFOROS ATUANTES EM MUROS DE

    SUPORTE EM CONSOLA.

    Pedro Miguel D. P. B. Guerra, Nuno M. da Costa Guerra.

    1061

    ANLISE DO PROCESSO DE RESSECAMENTO

    EM CAMADAS DE COBERTURA DE ATERROS

    SANITRIOS UTILIZANDO RCC E FIBRAS DE PET.

    Conceio de M. C. Costa, Cludia Mrcia C. Gurjo,

    Luis Fernando M. Ribeiro. 1369

    ST / CNG / 6.1 TALUDES E ENCOSTAS EM RISCO

    Presidente: Luis Leal Lemos (FCTUC)Moderador: Jaime Santos (IST)

    22 J

    UN

    HO

    / 9

    :00

    > 1

    0:1

    0

    PROGRAMA DETALHADO PROGRAMA DETALHADO

    AUDITRIOSALAS B001 B002 B003

    ST / CNG / 6.2BARRAGENS, INCLUINDO BARRAGENS DE REJEITOS DE MINAS

    Presidente: Saturnino Chembeze (SMG / U. Eduardo Mondlane)Moderador: Carlos Esteves (EDP)

    ST / CNG / 6.3FUNDAES

    Presidente: Ecidinia Pinto Soares (U. Minas Gerais)Moderador: Jos Filinto Trigo (ISEP)

    ST / CNG / 6.4RECICLAGEM E APROVEITAMENTO DE RESDUOS

    Presidente: Antnio Roque (LNEC)Moderadora: Joana Careto (LNEC)

  • 30 3119-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    10:10 ANALISE DE SOLUES ENTRE PAREDE DE CONTENO DO TIPO BERLIM E MURO DE

    ALVENARIA DE PEDRA PARA ESTABILIDADE GLOBAL

    DE TALUDES.

    Joo Rodolfo de Bulhes Medeiros, Alfredo Nunes

    Silva Neto, Andr Felipe Cavalcanti Machado Botelho,

    Joaquim Teodoro Romo de Oliveira. 1365

    EXECUO DE TRABALHOS GEOTCNICOS

    NA CONSTRUO DO APROVEITAMENTO

    HIDROELCTRICO DO BAIXO SABOR.

    Pedro Jorge M. A. Barros, Juan Secades Suarez. 1403

    USO DE RESDUOS DE CONSTRUO E DEMOLIO

    (RCD) RECICLADOS EM OBRAS GEOTCNICAS.

    APLICAO VIVEL?

    Castorina Silva Vieira. 1215

    10:20 AVALIAO LABORATORIAL DA SUFUSO EM SOLOS DE GRANULOMETRIA DESCONTINUA

    SUJEITOS A ESCOAMENTO ASCENDENTE.

    Laura Caldeira, Ricardo Correia dos Santos, Emanuel

    Maranha das Neves. 1447

    INVESTIGAO GEOTCNICA DE ESPESSURA

    DE PAVIMENTO FLEXVEL COM GPR NA BR-153-

    ANPOLIS-GO.

    Antonio Lzaro Ferreira Santos, Rafael Arajo Rocha,

    Welitom Rodrigues Borges, Rafael Pereira Lima,

    Isabela Resende Almeida, Lucas Pereira Gonalves.

    1408

    DISCUSSO DISCUSSO DISCUSSO DISCUSSO

    11:00 Coffee-Break

    11:30 CONFERNCIA C6Presidente: Antnio Gomes Correia (U. Minho)

    A GEOTECNIA AO LONGO DA VIDA DAS

    INFRAESTRUTURAS DE TRANSPORTES

    Antnio Pinelo (LNEC, Centro Rodovirio Portugus)

    12:15 CONFERNCIA C7Presidente: Emanuel Maranha das Neves (IST)

    EFECTOS DEL CLIMA EN TALUDES Y LADERAS

    Eduardo Alonso (U. Pol. Catalunya, Espanha)

    13:00 Almoo

    14:30 ANLISE DE DESLOCAMENTOS MEDIDOS COM CONVERGENCIOMETRO DE HASTE NO TNEL

    SABUGAL-MEIMOA.

    Vtor Santos, Pedro Olivena, Paula F. da Silva, M.

    Graa Brito. 1029

    COMPORTAMENTO DA CONDUTIVIDADE ELTRICA

    MEDIANTE VARIAES NOS PARMETROS DE

    COMPACTAO DOS SOLOS.

    Joo Marcos Vaillant, Rafaela Cardoso. 1036

    MELHORAMENTO DE UM SOLO ARENOSO ATRAVS

    DE BIO-CIMENTAO.

    Rafaela Cardoso, Rita Pedreira, Sofia Duarte, Gabriel

    Monteiro. 1194

    UMA CONTRIBUIO PARA A CARACTERIZAO

    DA ARGILA DE LONDRES.

    Ana Teresa Carvalho. 1323

    14:40 CARACTERSTICAS RELEVANTES PARA DEFINIR O RMR E ENQUADRAR O MACIO NO ZONAMENTO

    GEOTCNICO EM TNEIS.

    Vtor Santos, Jorge Neves, Eduardo Gomes, Fernando

    Ferreira. 1030

    PAREDES LATERAIS E GEODRENOS VERTICAIS

    EM ATERROS SOBRE SOLOS MOLES. ANLISE

    TRIDIMENSIONAL PELO MTODO DOS ELEMENTOS

    FINITOS.

    Fbio Almeida, Jos Leito Borges. 1093

    AVALIAO DE TRAO EM ENSAIOS COM

    PLSTICO MOLE IMERSO EM LIXIVIADO DE RSU EM

    DIFERENTES TEMPOS DE EXPOSIO.

    Fernanda Feltrim, Juliana L. Rose, Ronaldo L. S. Izzo,

    Andr B. Machado, Wagner Teixeira. 1019

    RECONHECIMENTO E CARACTERIZAO DOS

    SOLOS DO PROJETO DE INTEGRAO DO RIO SO

    FRANCISCO BANCO DE DADOS.

    Alfredo Nunes da Silva Neto, Joaquim Teodoro Romo

    de Oliveira. 1205

    14:50 VSE TIET (LINHA 6 METR SP - BRASIL) - POOS SECANTES MLTIPLOS - ESTACO DE

    GRANDE DIMETRO COM SISTEMA DIFERENCIADO

    DE LANAMENTO DE ARMADURA E JET-GROUTING.

    Bruno Filipe Moreira. 1329

    CASE STUDY: PRELIMINARY FIELD TESTING AS A

    BASIS OF DESIGN FOR GROUND IMPROVEMENT

    USING VIBROCOMPACTION AT LOM CONTAINER

    TERMINAL - TOGO.

    Antnio Cristvo, Miguel Figueres, Alexandre Pinto,

    Paulo Rosa. 1151

    ESTUDO DOS CONDICIONANTES NA FORMAO

    DO OCRE EM FILTROS GEOTXTEIS.

    Luiza G. C. S. Correia, Maurcio Ehrlich, Marcos B.

    Mendona. 1065

    O PROJETO GEOSIG.

    Cludia Pinto, Isabel Moitinho de Almeida, Gabriel

    Almeida, Paulo Pais, Ana Lusa Domingos. 1216

    22 J

    UN

    HO

    / 1

    0:1

    0 >

    15:

    00

    PROGRAMA DETALHADO PROGRAMA DETALHADO

    AUDITRIOSALAS B001 B002 B003

    ST / CNG / 7.1 GRANDES ESCAVAES E TNEIS

    Presidente: Luis Lamas (LNEC)Moderador: Rui Gomes (IST)

    ST / CNG / 7.2ATERROS EM INFRAESTRUTURAS DE TRANSPORTE E LOGSTICA

    Presidente: Joo Marcelino (LNEC)Moderador: Paulo da Venda Oliveira (FCTUC)

    ST / CNG / 7.3GEOTECNIA AMBIENTAL

    Presidente: Jos Vieira de Lemos (LNEC)Moderadora: Manuela Carvalho (ISEP)

    ST / CNG / 7.4RECONHECIMENTO E CARACTERIZAO DE MACIOS

    Presidente: Antnio Campos e Matos (FEUP)Moderadora: Nadir Plasencia (EDP)

  • 32 3319-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    15:00 IP4 (A4) - TNEL DO MARO. DAS SOLUES DE PROJETO REALIDADE EM OBRA.

    Miguel F. Meneses Conceio, Joo B. Aldeias, Paulo

    J. N. Ferreira Barbosa, Carlos J. Oliveira Baio, Rui

    Fernando Lus, Cludio M. Morgado Santa, Carlos M.

    Charneca Russo, Lus P. C. Costa Gonalves, Bernardo

    P. B. Monteiro, Joo Azevedo. 1266

    ESTABILIZAO DE TALUDES E FUNDAES DE

    UMA PLATAFORMA LOGSTICA.

    Rui Tomsio, Alexandre Pinto, Vanessa Aleixo, Pedro

    Olivena. 1156

    MTODOS DE CARATERIZAO TRMICA DO

    SOLO PARA APROVEITAMENTOS GEOTRMICOS

    SUPERFICIAIS.

    J. D. Figueira, Ana Vieira. 1352

    INDICADORES DE MBITO GEOLGICO/

    GEOTCNICO COMO SUPORTE AO PLANEAMENTO

    URBANO.

    Pedro Leonardo, Maria Quintela, Andreia Vaz Leite,

    Cludia Pinto. 1217

    15:10 TNEL DO MARO LIES RETIRADAS DAS FASES DE ESCAVAO E REVESTIMENTO DEFINITIVO.

    Manuel Tender, Joo Couto, Joo Baptista, Antnio

    Garcia. 1074

    DEFORMAO DA FACE DE MUROS REFORADOS

    COM GEOSSINTTICOS.

    K. D. T. Monteiro, A. A. S. Correia, M. I. M. Pinto. 1282

    APLICAO DO PROGRAMA PS3D A PROBLEMAS

    AMBIENTAIS.

    Rogrio Mota. 1167

    REDUO DA INCERTEZA POR REAMOSTRAGEM E

    PS-PROCESSAMENTO DO MODELO GEOTCNICO

    CALCULADO.

    Adriano Coutinho da Silva, Cristiano Correia Schmidt,

    Jorge Kazuo Yamamoto, Josiele Patias, Debora de

    Oliveira Fernandes. 1235

    15:20 COMPARATIVE NUMERICAL STUDY OF 2D AND 3D FINITE ELEMENT MODELING OF HYDROPOWER

    TUNNEL: CASE STUDY FROM LESSER HIMALAYAN

    REGION OF NEPAL.

    Shyam Sundar Khadka, Antnio Topa Gomes, Seokwon

    Jeon, Ramesh Maskey. 1209

    CARTAS DE RESISTIVIDADE DE SOLOS ARGILOSOS

    COMPACTADOS.

    Rafaela Cardoso, Ana Sofia Dias, Vikas Gingine. 1290

    STUDY OF FILTER PAPER CALIBRATIONS ON

    THE DETERMINATION OF SOIL SUCTIONS OF

    UNSATURATED SOILS.

    Ktia V. Bicalho, Anita C. Chrystello, Kamila F.

    Cupertino, Jean-marie Fleureau, Antonio G. Correia.

    1230

    INFLUNCIA DA VARIABILIDADE DAS

    PROPRIEDADES FSICAS DA AREIA DE COIMBRA NA

    SUA PERMEABILIDADE.

    Luis M. Arajo Santos, Paulo A. L. F. Coelho, David M. G.

    Taborda. 1269

    15:30 CONCEO DO REVESTIMENTO DO DESARENADOR SUPERIOR DO REFORO DE POTNCIA DE VENDA

    NOVA III.

    Andr Ferreira, Cristina Sarmento, Celso Lima, Nadir

    Plasencia, Carlos Esteves. 1356

    ANLISE NUMRICA DE DIVERSAS SOLUES

    CONSTRUTIVAS DE ATERROS SOBRE SOLOS MOLES.

    Paulo R. C. Zacarias, Paulo J. Venda Oliveira, Luis J. L.

    Lemos. 1317

    MODELOS DE EROSO HDRICA EM AMBIENTE SIG -

    UM CASO DE ESTUDO.

    Ana Paula Leite. 1278

    GEOESTATSTICA NA MODELAO DA

    PERMEABILIDADE DA FUNDAO DE UMA

    BARRAGEM.

    Vasco Gavinhos, Jorge Carvalho, Victor Cavaleiro,

    Celso Lima. 1398

    15:40 TUNNEL LINER - EXECUO E PROBLEMAS TPICOS. Thiago Magalhes, Luiz Antonio Naresi Junior. 1420

    ESTUDOS GEOTCNICOS PARA PROJETO DE VIA

    FRREA ASSENTE SOBRE SUBLEITO DE SOLO

    LATERTICO NA REGIO NORTE DO BRASIL.

    Bruno G. Delgado, Jos Carlos Silva Filho, Antnio C. R.

    Guimares. 1407

    PROPRIEDADES HIDRULICAS DE SOLOS

    ALGARVIOS EM CENRIO PS-INCENDIO.

    Helena Fernandez, Rui Costa, Rui Lana, Soraia

    Almeida, Elisa Silva, Fernando Martins. 1457

    REQUALIFICAO DE ESPAO MUSEOLGICO: O

    CASO DAS GRUTAS ANTRPICAS DE LAPAS.

    Madalena Barroso, Filipe Jeremias, Jorge Simes,

    Joo Fernandes. 1458

    15:50 ENGENHARIA E LEGISLAO: PRTICAS CONTRATUAIS. ASPETOS CONTRATUAIS

    ESPECFICOS DA CONSTRUO SUBTERRNEA, EM

    ESPECIAL OS TNEIS.

    Gonalo Diniz Vieira, Joo Monteiro, Jorge Almeida e

    Sousa, Carlos Baio. 1334

    ATERRO DE GRANDE ALTURA, REFORADO COM

    GEOGRELHAS, NA PLATAFORMA LOGSTICA DE

    ALFENA.

    Jesus Ignacio Diego Pereda, Enrico Piolanti. 1427

    AVALIAO HIDROGEOLGICA DA INTERAO

    LAGOA - AQUFERO E DA QUALIDADE DA GUA

    PARA FINS DE ABASTECIMENTO EM UM SISTEMA DE

    FILTRAO EM MARGEM.

    Agnes Caroline Santos Faria, Eduardo Antonio Gomes

    Marques, Las Emily de Assis. 1429

    CARACTERIZAO DA RIGIDEZ INICIAL DA AREIA

    DE COIMBRA - LOTE I.

    Paulino Santos, Antnio Pedro, Paulo Coelho, Lus

    Arajo Santos, David Taborda. 1425

    16:00 PARMETRO GEOTCNICO DOS SOLOS ENTORNO DA VOOROCA DA AV. CONTORNO-ANPOLIS-GO,

    COMO SUBSDIOS A AVALIAO DOS PROCESSOS

    EROSIVOS.

    Antonio Lzaro Ferreira Santos, Antnio Viana da

    Fonseca, Janine Rodrigues Figueiredo, Antnio Topa

    Gomes, Leandro Gonalves Correa, Rafael Veloso De

    Moura, Marcos Henrique Damasceno Da Silva, Lucas

    Pereira Gonalves. 1401

    16:10 REFLEXES A RESPEITO DE RUPTURAS EM ATERROS SANITRIOS BRASILEIROS.

    Francisco de Oliveira, Thelma Sumie Kamiji. 1218

    DISCUSSO DISCUSSO DISCUSSO DISCUSSO

    22 J

    UN

    HO

    / 1

    5:0

    0 >

    16

    :30

    PROGRAMA DETALHADO PROGRAMA DETALHADO

    AUDITRIOSALAS B001 B002 B003

  • 34 3519-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    VISITAS TCNICAS

    9:30 PARTIDA DA FEUP

    10:00

    A plataforma logstica Norte do Grupo Jernimo Martins, em construo em Alfena, pelo

    consrcio Megavia/Restradas, uma obra de grande dimenso com uma componente

    geotcnica muito relevante, que obrigou a um conjunto variado de solues de fundaes

    e de estabilizao dos taludes.

    Tendo em conta as condicionantes geolgico-geotcnicas e topogrficas do local, foi

    necessria a definio de diversas solues de fundaes, designadamente a construo

    de uma plataforma de transferncia de carga, assim como a estabilizao de taludes de

    escavao, e a construo de aterro reforados com geogrelhas.

    11:45

    O alargamento do Tnel de guas Santas na A4, cuja construo foi consignada

    pela Brisa ao consrcio Ramalho Rosa Cobetar / Conduril / Amndio Carvalho, tem

    um comprimento total de 367 m e perfil transversal com 18,50 m de largura. Quando

    concludo, ir permitir criar 4 novas vias que, juntamente com as 4 vias existentes,

    ajudaro a resolver os habituais congestionamentos na zona.

    13:00 CHEGADA FEUP

    ESTABILIZAO DE TALUDES E FUNDAES DE UMA GRANDE PLATAFORMA LOGSTICA Grupo Jernimo Martins

    TNEL DE GUAS SANTAS NA A4 Brisa

    23 J

    UN

    HO

    / 9

    :30

    > 1

    3:0

    0PROGRAMA SOCIAL

    Em simultneo com o 15CNG/8CLBG decorrer uma Exposio

    Tcnica, localizada no corredor do Edifcio B da FEUP. A exposio

    estar aberta a todos os participantes entre os dias 20 e 22 de

    junho, no horrio correspondente ao do Congresso.

    EXPOSIO TCNICA

    1 TPF PLANEGE CENOR

    2 SPG

    3 TECNILAB

    4 JETSJ

    5 RODIO

    6 CIMERTEX

    7 GEOREA

    8 ATLAS COPCO

    9 HUESKER / ENRICO PIOLANTI

    10 GEOSIN-TENCATE

    11 COBA

    12 TEIXEIRA DUARTE / EPOS

    13 DEP. ENG CIVIL, FEUP

    14 A. BIANCHINI INGENIERO / MACCAFERRI

    1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14

  • 36 3719-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    EXPOSITORES E PATROCINADORES EXPOSITORES E PATROCINADORES

    A Conduril - Engenharia SA., constituda

    em 1959, hoje uma empresa internacional,

    presente em Portugal, Espanha, Cabo Verde,

    Senegal, Angola, Moambique, Malawi, Gabo

    e Zmbia.

    Desenvolve toda a sua atividade no domnio

    da Engenharia Civil, nomeadamente pontes,

    estradas, obras hidrulicas, tneis, etc.

    Temos por misso a criao duradoura

    de riqueza para os nossos acionistas e a

    sustentabilidade das melhores condies de

    trabalho para os nossos colaboradores como

    primeiro vetor da nossa responsabilidade

    social.

    Acreditamos que s podemos criar valor e

    riqueza, isto vencer, da forma certa ou seja:

    com franqueza, confiana e responsabilizao

    alicerada numa cultura de Integridade

    que significa: Honestidade, Transparncia,

    Justia e uma rigorosa adeso s regras e aos

    regulamentos. So estes os nossos Valores.

    www.conduril.pt

    Fundada em 1962, a COBA uma das maiores

    empresas portuguesas de consultores de

    engenharia e ambiente.

    Os servios que presta vo desde os estudos

    de base e de planeamento, de conceo e

    anlise de viabilidade tcnica, ambiental

    e econmica, de projeto para construo,

    bem como a gesto e fiscalizao das obras,

    at ao acompanhamento da operao e

    observao do seu comportamento.

    Para este efeito, a COBA conta com a

    colaborao de equipas pluridisciplinares

    altamente qualificadas, que cobrem todas as

    reas da sua interveno, nomeadamente da

    Engenharia Civil planeamento, geotecnia,

    estruturas, hidrulica, sanitria , Engenharia

    Eletrotcnica e Eletromecnica, Engenharia

    Ambiental, Engenharia Agronmica,

    Cincias Naturais e afins, permitindo o

    desenvolvimento de estudos e projetos com

    a mais elevada qualidade tcnica, numa base

    integrada e sustentada.

    A COBA tem como misso a completa

    satisfao dos seus clientes pela prestao

    de servios de elevada qualidade, dentro dos

    prazos e dos custos acordados e contribuir

    para o prestgio da engenharia portuguesa no

    pas e no estrangeiro. A COBA pretende ser

    uma empresa exemplar pela excelncia dos

    servios prestados, pela sua independncia

    no mercado onde se insere, pela motivao

    dos seus colaboradores e com completa

    autonomia financeira.

    A COBA est certificada segundo a Norma

    ISO 9001:2008 pela APCER Associao

    Portuguesa de Certificao, e detm o

    Estatuto de Gestor Geral da Qualidade de

    Empreendimentos de Construo conferido

    pela Comisso da Marca Qualidade do LNEC

    - Laboratrio Nacional de Engenharia Civil,

    com a mais alta classificao em todas as

    classes.

    www.cobragroup.com

    CONDURILCOBA

    A Brisa - Concesso Rodoviria, S.A. (BCR)

    foi criada para operar a concesso Brisa, na

    sequncia da reorganizao societria do

    Grupo Brisa. O seu objeto social prende-se

    com a construo, conservao e explorao

    de autoestradas e respetivas reas de

    servio, em regime de concesso, bem como

    o estudo e realizao de infraestruturas de

    equipamento social.

    A histria da concesso Brisa remonta a 1972,

    data da fundao do Grupo Brisa. Ao longo de

    quatro dcadas, a sua atividade deu origem

    ao principal eixo rodovirio que liga o pas

    de Norte a Sul e de Este a Oeste e com dois

    grandes eixos de acesso a Espanha.

    Nos termos do Contrato de Concesso, a

    Brisa Concesso Rodoviria ir operar esta

    rede fundamental at dezembro de 2035.

    A BCR partilha a cultura empresarial do Grupo

    Brisa, baseada nos valores da tica, Inovao

    e Excelncia e fortemente vocacionada para

    a promoo da mobilidade e da acessibilidade

    interurbana, inter-regional e internacional,

    com importantes benefcios econmicos e

    sociais para as atividades e as comunidades

    que serve. A responsabilidade social no Grupo

    Brisa assumida numa perspetiva de longo

    prazo, tendo como objetivo a criao de valor

    para os vrios stakeholders. Anualmente

    publicado um Relatrio de Sustentabilidade

    em que se comunica a poltica e principais

    vetores estratgicos, assim como o

    desempenho de vrios indicadores nas

    vertentes econmica, ambiental e social

    www.brisaconcessao.pt

    A Atlas Copco um fornecedor lder mundial

    de solues para a produtividade sustentvel.

    O Grupo disponibiliza aos clientes produtos

    inovadores em compressores, solues de

    vcuo e tratamento de ar, equipamentos de

    construo e minas, ferramentas eltricas

    e sistemas de montagem. A Atlas Copco

    desenvolve produtos e servios com foco

    na produtividade, na eficincia energtica,

    segurana e ergonomia. A empresa foi

    fundada em 1873, est sediada em Estocolmo,

    Sucia, e tem um alcance global que abrange

    mais de 180 pases. Em 2015, a Atlas Copco

    tinha uma receita de BSEK 102 (BEUR 11) e

    mais de 43 000 funcionrios. Saiba mais em

    www.atlascopcogroup.com.

    A rea de negcios de Minas e Desmonte

    de Rocha fornece equipamentos para

    perfurao e escavao de rocha, bem

    como uma gama completa de consumveis

    e assistncia tcnica atravs de uma rede

    global. A rea de negcios inova para uma

    produtividade sustentvel na explorao

    mineira, tanto subterrnea como de

    superfcie, em infraestruturas, na construo

    civil, na prospeo de gua e em aplicaes

    geotcnicas. As principais unidades de

    desenvolvimento e fabrico dos produtos

    esto localizadas na Sucia, Estados Unidos,

    Canad, China e ndia.

    www.atlascopco.pt

    Fundada em 1964, com um capital social

    de 300 contos e 3 funcionrios, a Cimertex

    inicia a sua atividade dedicando-se

    comercializao de compressores e

    ferramentas pneumticas. Em 1968, surge a

    oportunidade de colaborar com a Komatsu, na

    altura fabricante de ps de rastos, buldozers

    e outro equipamento pesado. Volvidas

    quase cinco dcadas, a Cimertex afirma-se

    como um dos distribuidores mais antigos

    da marca, tendo colocado mais de 10.000

    equipamentos em Portugal. Expandindo-se

    rapidamente por Portugal e Ilhas, constri

    filiais prprias em Lisboa, Leiria, Vila Viosa

    e Madeira. De modo a dar a melhor resposta

    aos mercados locais, estabelece uma rede

    de agentes autorizados, hoje parceiros de

    sucesso e constituintes de uma densa rede

    comercial e de ps-venda. Criada em 1995, a

    Cimertex Angola hoje um fornecedor-chave

    do mercado de obras pblicas e indstria

    mineira. Sociedade de direito angolano,

    conta com as competncias da Cimertex

    SA para o importante desenvolvimento do

    negcio que a economia vem a impor. Em

    1991 a Komatsu decide lanar-se no fabrico

    de mquinas utilitrias - retroescavadoras,

    mini e midi escavadoras e mini ps em breve

    alargam a j extensa oferta da Cimertex.

    Seguindo a mesma linha estratgica de

    diversificao, a Cimertex obtm, em 1999, a

    distribuio exclusiva para Portugal e Angola

    da Sandvik Mining and Construction, linha

    completa de equipamentos para desmonte

    de rocha e indstria mineira. Em 2004, a vez

    de consolidar a oferta com equipamentos

    para fundaes da marca Casagrande. Em

    2005 inicia a representao da Valmet,

    equipamentos para a floresta, que entretanto

    integrada na Komatsu Forest. Em 2006

    inicia a comercializao dos empilhadores

    Hangcha. Em 2010 passa a representar a

    Merlo. De forma a ampliar a oferta para os

    portos, sucatas e reciclagem a Fuchs passa

    a fazer parte do portflio. Em 2015 a Jenz,

    refora a gama de equipamentos para a

    rea da floresta. Procurando a liderana na

    qualidade do servio prestado aos clientes,

    a Cimertex a primeira empresa do sector

    de equipamentos de construo a obter a

    certificao segundo a norma ISO 9002,

    hoje atualizada para a ISO 9001. A Cimertex

    afirma-se como uma das empresas mais

    slidas do mercado. Com um capital social de

    10M e cerca de 200 colaboradores, possui

    as competncias essenciais para encarar o

    futuro com otimismo.

    www.cimertex.pt

    BRISAATLAS COPCO CIMERTEX

  • 38 3919-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    Geobrugg o lder mundial em desenho

    e fabricao de sistemas de proteco e

    estabilizao de taludes, utilizando redes e

    malhas de arame de ao de alta resistncia.

    Com solues standard e desenhos

    medida do cliente, acumula muitos anos de

    experincia, como lder em tecnologia sua,

    desenvolve a sua actividade em estreita

    colaborao com prestigiadas universidades

    e institutos de investigao.

    reas de aplicao

    Proteco contra desprendimentos

    Estabilizao de taludes

    Proteco contra avalanches

    Suporte do terreno

    Barreiras para desporto motorizado

    Arquitectura

    Proteco contra impactos

    www.geobrugg.com

    Histria: Fundada em 2005, a GEOSIN nasce

    para assumir a representao da empresa

    lder mundial de geossintticos Polyfelt

    Geosynthetics Group para Portugal

    continental e ilhas. Iniciados j grandes

    projetos com relevantes nomes da rea

    da Construo Civil e Obras Pblicas, em

    2007, a empresa cresce qualitativamente

    complementando novas reas de negcio.

    Concluda a aquisio do grupo Polyfelt

    por parte da multinacional Royal TenCate,

    a GEOSIN torna-se assim a representante

    de novas solues tecnolgicas para

    diferentes setores de atividade em Portugal,

    nomeadamente na rea ambiental/

    tratamento de resduos e lamas, na proteo

    costeira, com tcnicas totalmente inovadoras.

    Em 2015, criada a GEOSIN

    GEOSYNTHETICS, concentrando a rea de

    negcio dos materiais geossintticos e os

    sistemas Geotube.

    Misso: A GEOSIN Geosynthetics tem como

    misso a comercializao de materiais e

    sistemas geossintticos, bem como o apoio

    tcnico nos estudos, projetos e instalaes

    em obra que os incorporem.

    Viso: A GEOSIN Geosynthetics pretende

    ser lder nos mercados em que atua, no

    que diz respeito ao comrcio de Materiais

    Geossintticos e Sistemas Geotube.

    Mercados em que atua: Portugal, Espanha,

    PALOPs.

    Materiais e Sistemas: A GEOSIN dispe de

    uma ampla gama de materiais geossintticos,

    da com excelente combinao de

    propriedades com as funes de separao,

    filtragem, proteo, reforo de solos, controlo

    da eroso superficial em taludes e reforo/

    reabilitao de pavimentos.

    TenCate Polyfelt TS

    TenCate Polyfelt F

    TenCate Polyfelt P

    TenCate Rock PEC

    TenCate Geolon PP

    TenCate Geolon PET

    TenCate Geolon Robulon

    TenCate Polyfelt DN/DC

    TenCate Polyfelt PGM-G

    Alm destes materiais geossintticos, a

    GEOSIN comercializa os sistemas TenCate

    Geotube. nas vertentes ambiental/gesto de

    lamas e proteo costeira.

    www.geosin.pt

    A EPOS uma empresa portuguesa,

    especialista e lder na execuo de grandes

    empreitadas de trabalhos subterrneos,

    com vasta experiencia de obras realizadas

    em diversos pases como Portugal, Angola,

    Arglia, Colmbia, Espanha e Venezuela.

    Apresenta como mais-valias: Elevada

    tecnologia nos meios de produo; Equipa

    especializada e multidisciplinar; Vasta gama

    de equipamento e solues tcnicas; Sistema

    de Gesto Integrada com certificaes ISSO

    9001, ISSO 14001, OHSAS 18001 e SA 8000;

    Experiencia de mais de 30 anos; Implantao

    produtiva internacional.

    Fundado em 1986, a EPOS reafirma a sua

    confiana no futuro, reforando a liderana

    atravs de uma permanente aposta na

    qualidade, na segurana, na vanguarda

    tecnolgica, no respeito pelo meio ambiente

    e pela responsabilidade social, assim como

    uma melhoria contnua da sua rendibilidade,

    garante de satisfao de clientes, accionistas

    e investidores. Estas referncias, que

    integram a cultura da EPOS desde a sua

    fundao, so responsveis pelas suas

    principais vantagens competitivas, base do

    crescimento passado e futuro.

    www.epos.pt

    A EDP uma empresa verticalmente

    integrada, sendo o maior produtor, distribuidor

    e fornecedor de eletricidade em Portugal,

    a terceira maior empresa de produo de

    eletricidade na Pennsula Ibrica e uma

    das maiores distribuidoras de gs na

    Pennsula Ibrica. A EDP mantm operaes

    significativas de eletricidade e gs em

    Espanha, sendo um dos maiores operadores

    de energia elica em todo o mundo em termos

    de produo de energia eltrica.

    A EDP Produo a empresa do Grupo EDP

    que opera na rea da gerao de eletricidade

    em Portugal, tendo por objeto a promoo,

    dinamizao e gesto, de modo direto ou

    indireto, de instalaes, empreendimentos

    e atividades na rea da produo e venda

    de energia, nomeadamente sob a forma

    de eletricidade, a elaborao de estudos e

    o desenvolvimento de projetos no mesmo

    mbito, bem como a prestao de quaisquer

    outros servios conexos.

    Com larga experincia nas vrias tecnologias,

    incluindo hdrica, trmica (carvo e gs),

    cogerao e biomassa, a EDP Produo hoje

    responsvel pela gesto de ativos de gerao

    que totalizam atualmente uma capacidade

    instalada superior a 9GW em Portugal.

    Com larga experincia no desenvolvimento

    de novos projetos, nas vrias tecnologias,

    encontra-se atualmente a desenvolver o

    maior programa hidroeltrico da Europa,

    com ~2 GW, incorporando as vertentes

    estudos, engenharia, gesto de projeto e

    obra, incluindo novas barragens e reforos

    de potncia, com ou sem capacidade de

    armazenamento por bombagem.

    www.edp.pt

    A GEOREA uma empresa de

    consultores de geologia de engenharia e

    geotecnia, dotada de meios tcnicos e

    materiais que garantem a elevada qualidade

    dos servios prestados.

    Distingue-se pela competncia,

    profissionalismo e dedicao dos seus

    recursos humanos, com uma viso moderna,

    dinmica e competitiva.

    A sua estrutura orgnica inclui

    tcnicos em engenharia, geologia, geologia

    de engenharia, geotecnia, geofsica e

    geotecnia ambiental com experincia

    comprovada em diversos projetos e obra de

    referncia.

    Possui um Sistema de Gesto da Qualidade

    certificado segundo as normas ISO 9001 e

    ISO 14001.

    Consciente que a procura de novos

    mercados crucial para o sector onde

    intervm, a internacionalizao da

    GEOREA concretizou-se em 2011 com a

    constituio da empresa ECM Engenheiros

    Consultores de Moambique.

    www.geoarea.pt

    GEOBRUGG GEOSINEPOSEDP GEOREA

    EXPOSITORES E PATROCINADORES EXPOSITORES E PATROCINADORES

  • 40 4119-23 de Junho 2016 Porto 15CNG / 8CLBG

    130 anos atrs ns desenvolvemos o Gabio,

    mudando significativamente o cenrio da

    engenharia civil, e continuamos a mudar at

    hoje. Trabalhamos todos os dias, com know-

    howmais que centenrio, para disponibilizar

    aos clientes, as melhores solues. Fazemos

    com que as inovaes aconteam em

    todo o mundo, compartilhamos a nossa

    Experincia Global e conhecimento local

    para multiplicar o retorno do investimento de

    clientes e parceiros, assim como oferecemos

    suporte contnuo para estabelecer relaes

    construdas sob slida confiana. Isto somos

    ns; a Maccaferri. Uma empresa global,

    com mais de 70 subsidirias operando em

    5 continentes, presena local em mais de

    100 pases e 3.000 colaboradores diretos;

    somos profissionais especializados e

    experientes no projeto e no desenvolvimento

    de solues avanadas para os mercados da

    engenharia civil, geotcnica e ambiental. No

    comercializamos simplesmente produtos, nos

    esforamos para sermos lderes em referncia

    tcnica na concepo e desenvolvimento

    de projetos. Estamos comprometidos em

    solucionar os problemas dos nossos clientes,

    oferecendo as melhores solues atravs de

    detalhada anlise, da mtua colaborao e

    da inovao. Hoje somos o lder incontestvel

    na fabricao e fornecimento de gabies e

    outras solues em malha hexagonal de tripla

    toro. Inspirados pela ambio de resolver

    problemas cada vez mais complexos, nossa

    expanso continua; hoje produzimos uma

    ampla gama de geossintticos, incluindo

    geogrelhas e geocompostos, em diversas

    fbricas ao redor do mundo.

    Na Maccaferri no vendemos simplesmente

    produtos: fornecemos as melhores solues

    de engenharia identificando, analisando e

    respondendo s necessidades especficas

    de cada cliente. Com a nossa competncia

    tcnica trabalhamos em parceria com os

    nossos clientes em todas as fases do projeto,

    visando a melhor relao custo/benefcio.

    Nossas melhores solues comeam na fase

    de concepo da soluo, com o objetivo

    de resolver um problema de engenharia.

    Prosseguimos atravs de todos os estgios

    de desenvolvimento, em constante sinergia

    com nossas unidades, fabricando e instalando

    solues em todo o mundo. As nossas

    solues so sempre o resultado final de

    grande integrao entre a nossa matriz,

    unidades locais e necessidades do cliente.

    www.maccaferri.com/es/pt-pt/

    A LIPOR a entidade responsvel pela

    gesto, valorizao e tratamento dos

    resduos urbanos produzidos pelos Municpios

    associados: Espinho, Gondomar, Maia,

    Matosinhos, Porto, Pvoa de Varzim, Valongo

    e Vila do Conde.

    A LIPOR trata anualmente cerca de 500 mil

    toneladas de resduos urbanos produzidos

    por 1 milho de habitantes. Sustentada nos

    modernos conceitos de gesto de RU, a LIPOR

    desenvolveu uma estratgia integrada de

    valorizao, tratamento e confinamento dos

    RU, baseada em trs componentes principais:

    Valorizao Multimaterial, Valorizao

    Orgnica e Valorizao Energtica,

    complementadas por um Aterro Sanitrio

    para receo dos rejeitados e de resduos

    previamente preparados.

    Ao assumir de forma clara que a gesto de

    resduos realizada na tica do recurso,

    a LIPOR firma todos os esforos na sua

    valorizao mais adequada, abordagem

    esta que tem por base a projeo de

    um modelo circular de negcios, e

    sustentada por projetos demostrativos das

    prticas circulares de suporte. A atuao

    da Organizao permite consolidar um

    posicionamento que se preconiza pela criao

    de valor no ciclo produtivo, caracterizado pela

    reintroduo do resduo como recurso na

    cadeia de valor.

    A nvel nacional, a LIPOR pretende ser

    impulsionadora da temtica da Economia

    Circular, atravs da partilha de novas

    estratgias e procura de solues mais

    eficazes.

    www.lipor.pt

    JETsj Geotecnia, Lda. uma empresa de

    estudos, consultas, projetos, fiscalizao,

    formao e assistncia a obras de Geotecnia,

    constituda em 2004, com a misso de

    satisfazer as expectativas dos seus Clientes,

    numa perspetiva de parceria, na ajuda

    tomada da deciso tcnica, ambiental e

    econmica mais acertada. O seu domnio

    principal de atuao atualmente o projeto

    de estruturas geotcnicas, em particular:

    - Escavaes e Contenes Perifricas;

    - Fundaes Especiais;

    - Estabilizao de Taludes;

    - Tratamento de Terr