PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM … · SAFIER, F. Pré Cálculo. Coleção Schaum....

of 41 /41
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS GOVERNADOR VALADARES PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL MATRIZ 2012/2 Governador Valadares 2012

Embed Size (px)

Transcript of PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM … · SAFIER, F. Pré Cálculo. Coleção Schaum....

MINISTRIO DA EDUCAO

SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA CAMPUS

GOVERNADOR VALADARES

PROJETO PEDAGGICO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM

GESTO AMBIENTAL

MATRIZ 2012/2

Governador Valadares

2012

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

1 Perodo

Cdigo: EPL. 01 Disciplina: Escrita e Prticas Leitoras Carga horria: 80

Natureza: Obrigatria

Ementa: A linguagem; A lngua e a fala; Tcnicas de leitura e de redao; Produo de

textos; Variedades lingusticas; Tipologia textual; Redao tcnica e comunicao; Elementos

de Anlise do Discurso.

Objetivo Geral: Adquirir competncia leitora e competncia escritora internalizando, para

isso, diferentes habilidades de leitura e de escrita.

Objetivos Especficos: Dominar o padro culto da Lngua Portuguesa; identificar a ideia

central de um texto, de um discurso, de um livro etc; relacionar elementos textuais, temticos

e interpretativos de diferentes reas do conhecimento humano; argumentar de maneira

convincente sobre diferentes temas do conhecimento humano; exemplificar de forma prtica

elementos tericos e conceituais que possuam uma tendncia abstratizante; perceber e

internalizar os mecanismos mais tradicionais da explicao cientfica; reconhecer e

compreender os efeitos irnicos presentes em alguns textos e as vrias marcaes do discurso

ideolgico; saber produzir textos dissertativos e argumentativos levando em considerao os

elementos que compem o processo de textualidade.

Bibliografia Bsica:

BAGNO, M. Preconceito lingustico: o que , como se faz. So Paulo, Loyola, 2008.

DIAS, R.; FARIA, R. e JUC, L. Aprender a ler: metodologia para estudos autnomos.

Belo Horizonte. Editora UFMG, 2007.

FARACO, Carlos Alberto e TEZZA, Cristvo. Prtica de texto: lngua portuguesa para

estudantes universitrios. Petrpolis, Vozes, 2002.

Bibliografia Complementar:

FRANA, J.; Vasconcellos, A. Manual para normalizao de publicaes tcnico-

cientficas. Belo Horizonte. Editora UFMG, 2008.

MILLER, J. Hills. A tica da leitura. Ed. Imago, 1995.

TARNAS, Richard. A epopeia do pensamento ocidental. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil,

2003.

SILVA, Srgio Nogueira Duarte da. O portugus do dia a dia: como falar e escrever

melhor. Ed Rocco, 2004.

THEREZZO, Graciema Pires. Redao e leitura para universitrios. Ed. Alnea, 2009.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

1 Perodo

Cdigo: QAM. 01 Disciplina: Qumica Ambiental Carga horria: 80

Natureza: Obrigatria

Ementa: Propriedades gerais e caractersticas de elementos qumicos e de compostos

inorgnicos. Substncias puras e misturas. Tcnicas de separao de misturas. Estrutura

atmica e propriedades peridicas. Ligaes qumicas. Funes inorgnicas. Reaes

qumicas e estequiometria. Frmulas qumicas. Solues e anlise volumtrica. Reaes de

oxidao-reduo. Noes de termoqumica. Introduo Qumica Orgnica. Qualidade das

guas. Qumica da atmosfera. Ciclos biogeoqumicos. Poluio atmosfrica. Qumica do solo

e matria orgnica. Interaes gua, ar e solo.

Objetivo Geral: Relacionar os fundamentos da Qumica com as demais reas de

conhecimento, de modo a consolidar seus fundamentos bsicos na aquisio dos

conhecimentos necessrios no campo da Gesto Ambiental que preocupam a sociedade atual,

compreendendo suas dinmicas e seus papeis no ambiente.

Objetivos Especficos: Introduzir conceitos bsicos fundamentais da rea de qumica para o

aluno; ensinar os conceitos de frmula qumica, equao qumica e estequiometria

fundamentais para os clculos quantitativos em qumica; familiarizar o aluno com as

propriedades qumicas das solues aquosas e as principais reaes qumicas que em soluo

aquosa; a partir da compreenso das interaes/reaes qumicas que ocorrem no ambiente, o

aluno ser capaz de propor sistemas alternativos de controle e tratamento e monitoramento da

poluio com base na legislao ambiental.

Bibliografia Bsica:

KOTZ, J. C.; Qumica Geral e reaes qumicas, So Paulo: Cengage Learning, vol.1, 2009.

ROCHA, J. C.; ROSA, A. H.; CARDOSO, A. A. Introduo Qumica Ambiental. Porto

Alegre: Bookman, 2004, 160 p.

BROWN, LEMAY, BURSTEN. Qumica - A Cincia Central. 9 ed. Pearson Education Br

Bibliografia Complementar:

BAIRD, C. Qumica Ambiental. 2 ed. Porto Alegre: Bookman, 2002.

RUSSEL, J. B.; Qumica Geral. 2 ed. So Paulo: Makron Books, 1994.

BARBOSA, L. C. de A. Introduo Qumica Orgnica, So Paulo: Pearson, 2004, 311 p.

BRADY, James E.; HUMISTON, Gerard, E. Qumica geral. 2.ed. vols.1 e 2. Rio de Janeiro:

LTC, 2001.

ATKINS, P.; JONES, L. Princpios de Qumica: questionando a vida moderna e o meio

ambiente. 3 ed. Porto Alegre: Bookman, 2006, 968 p.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

1 Perodo

Cdigo: NCA. 01 Disciplina: Noes de Clculo Carga horria: 80

Natureza: Obrigatria

Ementa: Reviso de Matemtica - Reta real e ordenao, Expoente, fatorao de polinmios,

fraes e racionalizao. Funes, Grficos e Limites - O plano cartesiano e a frmula de

Distancia, Grficos de equaes, Retas no plano e inclinao, Funes, Funo exponencial,

Funes logartimicas, Limites, continuidade. Derivao - A derivada e a inclinao de um

grfico, Algumas regras de derivao, As regras do produto e do quociente, A regra da cadeia.

Objetivo Geral: Proporcionar aos alunos uma reviso de importantes contedos bem como o

a apresentao de contedos do clculo, limite e derivada, visando sua aplicao em

exerccios e problemas.

Objetivos Especficos: Proporcionar ao aluno a possibilidade de perceber e trabalhar a

matemtica em diversas situaes (tericas e/ou prticas); Incentivar o aluno a desenvolver

seu conhecimento sobre funes de forma a utiliz-lo para a interpretao e investigao de

situaes no cotidiano; Capacitar o aluno a descrever e estudar informaes atravs da leitura,

interpretao e construo de grficos e/ou tabelas.

Bibliografia Bsica:

EDWARD, C. H. & PENNEY, D. E. Clculo com Geometria Analtica, v. 1. Rio de

Janeiro: Editora Prentice Hall do Brasil Ltda. 1987.

FLEMMING, D. M. e GONALVES, M. B.. Clculo A, 5 ed. So Paulo: Makron Books.

1992.

MEDEIROS,S.S e MEDEIROS,E.S. Matemtica Para os Cursos De Economia,

Administrao e Cincias Contbeis. V.1. So Paulo: Editora Atlas.1999.

Bibliografia Complementar:

GUIDORIZZI, H. L.. Um Curso de Clculo, v. 1. So Paulo: LTC - Livro Tcnico e

Cientfico. 1985.

MEDEIROS, V. Z. Pr Clculo. Porto Alegre: Thonson Learning. 2006

IEZZI, G.; MURAKAMI, C. Fundamentos de Matemtica Elementar. Volumes 1, 2, 3, 4,

5, 6, 7, 8, 9, 10 e 11. So Paulo: Editora Atual,2006

RON LARSON e BRUCE H. EDWARDS. Clculo com Aplicaes, So Paulo: LTC

Livro Tcnico e Cientfico. 1985.

SAFIER, F. Pr Clculo. Coleo Schaum. Ed. Bookman, 2003.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

1 Perodo

Cdigo: EAM. 01 Disciplina: Educao Ambiental Carga horria: 40

Natureza: Obrigatria

Ementa: Introduo e histrico da educao ambiental. Conceito de educao ambiental.

Princpios de educao ambiental. Categorias de Educao ambiental; Poltica Nacional de

Educao Ambiental; Sugestes de Atividades de EA; Agenda 21; planejamento, elaborao

de projetos e metodologias utilizadas em educao ambiental.

Objetivo Geral: Apresentar informaes bsicas sobre educao ambiental, para que o

profissional, Gestor ambiental, possa participar ativamente como agente multiplicador e com

isso discernir e identificar aes de degradao ambiental que interfiram na qualidade de vida,

como tambm, planejar e implantar aes, utilizando instrumentos adequados para

sensibilizar e conscientizar diferentes atores sociais sobre a necessidade de preservao da

qualidade ambiental. Colaborando, assim, na tomada de decises ambientalmente corretas em

busca do desenvolvimento sustentvel.

Objetivos Especficos: Relatar os antecedentes histricos da educao ambiental no Brasil e

no mundo; Discutir os conceitos, princpios e categorias de educao ambiental; Identificar os

principais problemas ambientais do Brasil e do mundo; Identificar as atividades e

metodologias utilizadas em educao ambiental.

Bibliografia Bsica:

DIAS, G. F.. Educao Ambiental: Princpios e Prticas. 9 Ed. So Paulo. Gaia.2004.

DIAS, G. F. Elementos para Capacitao em Educao Ambiental. Ilhus, BA.Editus.

1999.

PHILIPPI, JR et al. Educao Ambiental e Sustentabilidade. Barueri, SP. Manole, 2005.

Bibliografia Complementar:

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura org. Pensar o ambiente: bases filosficas para a

educao ambiental. UNESCO, 2009.

CRESPO, Telson. Planeta gua: um guia de educao ambiental para conservao dos

recursos hdricos. ed. papel virtual, 1998

DIAS, Genebaldo Freire. Atividades interdisciplinares de Educao Ambiental. So Paulo.

Global/Gaia, 1994.

IBAMA. Pensando a praticando a educao ambiental na gesto do meio ambiente.

2000.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

PORTO, Maria de Ftima Melo Maia. Manual de saneamento e proteo ambiental para os

municpios. Educao ambiental: conceitos bsicos e instrumentos de ao. DEAS/UFMG, 1996.

1 Perodo

Cdigo: ECO. 01 Disciplina: Ecologia e Biodiversidade Carga horria: 80

Natureza: Obrigatria

Ementa: Origem da vida, evoluo e panorama histrico das classificaes dos seres vivos.

Introduo aos grandes grupos de seres vivos: linhagens procariticas e eucariticas.

Conceitos de Biodiversidade. Estrutura dos ecossistemas; Energia e Matria nos

Ecossistemas; Ciclos biogeoqumicos; Fatores limitantes; Ecologia de Populaes;

Organizao e Dinmica das Comunidades; Ecossistemas brasileiros; Sucesso Ecolgica.

Mtodos e tcnicas para avaliar a Biodiversidade. Biodiversidade e indicadores de qualidade

ambiental: espcies-chave e tipos funcionais em comunidades biticas. Preservao e manejo

da biodiversidade. Bioprospeco.

Objetivo Geral: Compreender a importncia da Ecologia e Biodiversidade para a

manuteno do ecossistema e da vida humana, bem como, identificar fatores que a ameaam e

conhecer algumas formas de manejar a Biodiversidade visando a sua conservao.

Objetivos Especficos: Provocar nos alunos a percepo de que a questo ambiental

resultado da forma como a sociedade interage com o meio ambiente, ou seja, do processo de

transformao da natureza pelos indivduos em nveis locais, globais, individuais e coletivos;

Levar o aluno a conhecer os diferentes tipos de seres vivos e sua coexistncia para o

equilbrio do nosso ecossistema; Tornar o aluno capaz de confeccionar, avaliar, executar

estudos da Biodiversidade; Ser capaz de escolher o melhor manejo possvel para preservao

da Biodiversidade, mantendo assim o equilbrio do ecossistema; Entender a coexistncia dos

seres vivos, suas formas de convivncia, como importante manter o equilbrio ecolgico.

Bibliografia Bsica:

LEWINSOHN, T. M. & PRADO, P.I. Biodiversidade Brasileira: Sntese do Estado Atual

do Conhecimento. Ed. Contexto, 2003. 176 p.

RICHLEFS, R. E. A Economia da natureza. Editora Guanabara Koogan, 6 edio, 2010.

570 p.

WILSON, E. O. Biodiversidade. Ed. Nova Fronteira, 1997. 680 p.

Bibliografia Complementar:

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

CULLEN JR, L. RUDRAN, R. & VALLADARES-PADUA, C. Mtodos de estudo em

biologia da conservao e manejo da vida silvestre. Curitiba - Paran -

Brasil:Editora da Universidade Federal do Paran, 2003, 665p.

DAJOZ, R. Princpios de Ecologia. Editora Artmed, 7 edio, Porto Alegre-RS, 2008. 520

p.

ODUM, E. P. Ecologia. Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro-RJ,1988. 433p.

PINTO-COELHO, R. M. Fundamentos em Ecologia. Editora: Artmed, Porto Alegre-RS,

2006. 252p.

RAVEN, P.H.; EVERT, R.F.; EICHHORN, S.E. Biologia Vegetal. Editora Guanabara

Koogan, 7 edio, Rio de Janeiro-RJ, 2007. 830p.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

1 Perodo

Cdigo: INF. 01 Disciplina: Informtica Carga horria: 40 Natureza: Obrigatria

Ementa: Introduo informtica: conceitos bsicos; noes bsicas dos principais

elementos de hardware e software. Conceitos bsicos de Internet. Uso de planilha eletrnica

para elaborao e manipulao de dados matemticos e estatsticos, atravs de suas

ferramentas, aplicadas na Gesto Ambiental.

Objetivo Geral: Capacitar o aluno com uma base tecnolgica em informtica para que tenha

conhecimento das terminologias bsicas de Informtica bem como a compreenso do

funcionamento bsico do computador e os componentes que o cercam e uso de planilhas

eletrnicas.

Objetivos Especficos: Compreender a diferena entre Hardware e Software; Diferenciar os

tipos de Software; Entender os principais conceitos de redes (internet); Conhecer as principais

funes, grficos, tabelas do Excel 2010; Desenvolver habilidades na criao de planilhas

para o uso do Gestor Ambiental.

Bibliografia Bsica:

CAPRON. H.L, JOHNSON. J.A. Introduo informtica. 8 Edio. So Paulo:

Pearson:2004

MANZANO, Andr Luiz N. G.. Estudo Dirigido de Microsoft Office Excel 2010 4. Ed. So

Paulo: rica, 2010

TOSTES, Renato Parrela. Desvendando o Microsoft Excel 2010 - Guia Passo a Passo Para

as Ferramentas Mais Utilizadas. 1 Ed. So Paulo: Campus,

Bibliografia Complementar:

CURTIS, Frye. Trad. SOUSA; Teresa Cristina Felix. Passo a Passo: Excel 2010. 1 Ed: So

Paulo. Bookman

MANZANO. Andr Luiz N. G., MANZANO, Maria Izabel N. G. Internet - Guia de

Orientao. 1. Ed. So Paulo: rica, 2010.

MANZANO, Andr Luiz N. G., MANZANO, Maria Izabel N. G. Estudo Dirigido de

Informtica Bsica. 7. Ed., revista e ampliada. So Paulo: rica, 2007.

MANZANO. Jos Augusto N. G., MANZANO, Andr Luiz N. G.. Estudo Dirigido de

Microsoft Office Excel 2010 - Avanado. 4. Ed. So Paulo: rica, 2004.

LAPPONI, L. C. Estatstica Usando o Excel. 4. Ed. So Paulo: Campus, 2005.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

2 Perodo

Cdigo: ADM. 02 Disciplina: Elementos de Administrao Carga horria: 80

Natureza: Obrigatria

Ementa: Administrao: grandes reas funcionais e as ferramentas gerenciais. Administrao

Sistmica: a empresa como um sistema aberto. Estrutura organizacional, evoluo horizontal,

vertical, terceirizao (desverticalizao). Planejamentos estratgico, ttico e operacional.

Nuances da Gesto de Pessoas. Motivao e satisfao. Noes bsicas de Contabilidade

Gerencial. Tpicos avanados em Administrao.

Objetivo Geral: Proporcionar aos estudantes conhecimentos sobre os aspectos necessrios

para o seu crescimento pessoal e profissional, para que consigam lidar com as atribuies

educadoras, formadoras e capacitadores inerentes ao trabalho de Tecnologia em Gesto

Ambiental.

Objetivos Especficos: Promover a compreenso dos fundamentos bsicos relacionados

administrao, gesto de pessoas e a plena interao das pessoas no seu ambiente de trabalho;

Identificar as teorias da administrao para melhor interagir no ambiente do trabalho;

Compreender a estrutura organizacional, suas formas de concepo e suas caractersticas para

melhor alocao do homem em seu meio organizacional; Lidar com gerenciamento contbil

pessoal e do empreendimento, de forma a transp-lo aos conhecimentos da prpria

contabilidade ambiental, ativo e passivo ambiental.

Bibliografia Bsica:

CARVALHO, Marly Monteiro. Gesto da qualidade - Teoria e casos. Rio de Janeiro:

Campus, 2005. ed.1.

GIL, Antnio Carlos. Gesto de Pessoas: enfoque nos papis profissionais. So Paulo:

Atlas, 1ed. 2001, 9 tiragem, 312p.

MAXIMIANO, Antnio Csar Amaru. Introduo administrao. So Paulo: Atlas, 7ed.

2007.

Bibliografia Complementar:

CAMPOS, Luclia Maria de Souza. Auditoria ambiental: uma ferramenta de gesto /

Luclia Maria de Souza Campos , Alexandre de vila Lerpio. - - So Paulo: Atlas,2009.

CARVALHO, Marly Monteiro, RABECHINI Jr.,Roque. Construindo Competncias para

Gerencias Projetos. So Paulo: Atlas.

KWASNICKA, Eunica Lacava. Introduo administrao. 6. ed. Atlas, 2004.

RIBEIRO, Osni Moura. Contabilidade geral fcil. Rio de Janeiro: Saraiva, 1999.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

TACHIZAWA, Takeshy; CRUZ JNIOR Joo Benjamim da; ROCHA, Jos Antnio de

Oliveira. Gesto de negcios: vises e dimenses empresarias da organizao. So Paulo:

Atlas. 2006. ed.3

2 Perodo

Cdigo: GEF. 02 Disciplina: Geografia Fsica Carga horria: 80

Natureza: Obrigatria

Ementa: Mineralogia e petrografia: princpios bsicos. Estrutura e composio da terra.

Geodinmica interna e externa. Introduo geologia do Brasil. Mapas geolgicos. O

processo de intemperismo nas diferentes regies do globo terrestre. Fatores e processos de

formao do solo. Principais propriedades fsicas e qumicas dos solos. Classificaes

taxonmicas e utilitrias dos solos. Estudos das formas de relevo, gnese e evoluo.

Conceituaes e terminologias especficas da geomorfologia. Anlise das inter-relaes:

rocha x solo x clima x relevo. Unidades morfoestruturais do globo terrestre. Processos

endgenos no medelado do relevo. Teorias geomorfolgicas. Teorias e tcnicas de

mapeamento geomorfolgico.

Objetivo Geral: Proporcionar aos Tecnlogos em Gesto Ambiental uma viso geral do

histrico da geologia e da geomorfologia no Brasil e no globo, a composio e distribuio da

mineralogia da terra, juntamente com os mecanismos que influenciam na formao e

esculturao do modelado terrestre em conexo direta com os procedimentos metodolgicos

cientficos usados para um bom crescimento do profissional.

Objetivos Especficos: Avaliar os efeitos dos eventos naturais sobre os diferentes ambientes

antropizados e naturais para serem adequadamente aplicados dentro dos contedos referentes

ao contexto da geologia e da geomorfologia, com o intuito de avaliar os diferentes cenrios

ambientais resultantes dos fenmenos naturais no Brasil; Apresentar o processo de gnese e

evoluo das formas de relevo e proporcionar a identificao das principais formas do relevo

terrestre, bem como a compreenso das relaes entre a modificao das formas do relevo e

os processos de degradao ambiental.

Bibliografia Bsica:

TEIXEIRA, W.; MOTTA de TOLEDO, M. C.; FAIRCHILD, T. R. et al. (Org.).Decifrando a

Terra. So Paulo: Oficina de textos, 2003.

LEINZ, V.; AMARAL, S. E. do. Geologia geral. So Paulo: Nacional, 2001.

LEPSCH, I. F. Formao e conservao dos solos. So Paulo: Oficina de Textos, 2002

Bibliografia Complementar:

BIGARELLA, J. J. Estrutura e origem das paisagens tropicais e subtropicais.

Florianpolis: UFSC, 2003.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

GUERRA, A. J. T. e CUNHA, B.S. Geomorfologia e Meio Ambiente. Rio de Janeiro: Edt.

Bertrand Brasil, 2003, 4.edio.

POPP, J. H. Geologia Geral. Rio de Janeiro: Edt LTC, Brasil, 2010, 6.edio

SALGADO-LABORIAU, M. L. Histria Ecolgica da Terra. So Paulo: Edt Edgar

Blcher, 1994, 2.edio

VITTE, A.C. e GUERRA, A. J. T. Geografia Fsica no Brasil. Rio de Janeiro: Edt. Bertrand

Brasil, 2004, 1.edio.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

2 Perodo

Cdigo: EST. 02 Disciplina: Estatstica Bsica Carga horria: 80

Natureza: Obrigatria

Ementa: Conceitos introdutrios. Tcnicas de amostragem. Sries e grficos estatsticos.

Estatstica descritiva. Probabilidade. Distribuies de probabilidade: Binomial e Normal.

Correlao e regresso linear.

Objetivo Geral: Oferecer ao estudante do Curso de Gesto Ambiental o suporte necessrio

para coletar dados, organiz-los, fazer anlises e interpretaes.

Objetivos Especficos: descrever e interpretar informaes do campo, na rea de gesto

ambiental sob o aspecto estatstico; compreender os procedimentos tcnicos e de clculos

essenciais ao trabalho estatstico quanto aos mais diferentes tipos de dados; analisar,

descrever, organizar e interpretar informaes sobre o aspecto estatstico para a tomada de

decises; criar tabelas e grficos que auxiliem na tomada de decises, partindo de uma

situao problema; planejar, estruturar e realizar trabalhos de pesquisa na rea de Gesto

Ambiental; discutir e relatar os resultados obtidos a partir de pesquisas de campo.

Bibliografia Bsica:

TRIOLA, Mario F. Introduo estatstica. Rio de Janeiro: LTC, 1999.

CRESPO, Antnio Arnot. Estatstica Fcil. 10 edio. So Paulo: Saraiva, 1993.

MORETTIN, Pedro Alberto & BUSSAB, Wilton de Oliveira. Estatstica bsica. 5 Ed. So

Paulo,Saraiva, 2005

Bibliografia Complementar:

COSTA NETO, P.L. de O. Estatstica. So Paulo: Edgard Blucher, 2005.

FONSECA, J. S.; MARTINS, G.A. Curso de Estatstica. 6 edio. 11 reimpresso. So

Paulo: Atlas, 1996.

NOVAES, Diva Valrio, Cileda Queirs; Silva Coutinho. Estatstica para Educao

Profissional . 1 edio. So Paulo: Atlas, 2009.

TIBONI, Conceio Gentil Rebelo. Estatstica Bsica: para os cursos de administrao,

cincias contbeis, tecnolgicos e de gesto. 1 edio. So Paulo: Atlas, 2010.

VIEIRA, Snia. Elementos de estatstica. 5 edio. So Paulo: Atlas, 2012.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

2 Perodo

Cdigo: CAR. 02 Disciplina: Cartografia Aplicada Carga horria: 80

Natureza: Obrigatria

Ementa: Introduo Cartografia. Formas da Terra e representao da superfcie. Cartografia

e Meio Ambiente. Escala. Sistemas de Coordenadas. Projees: definies, tipos, usos,

classificao. Representao de elementos em uma carta. Cartografia Temtica. Curvas de

Nvel e Perfil Topogrfico. Planimetria e altimetria: conceitos fundamentais e aplicaes

ambientais.

Objetivo Geral: Proporcionar aos alunos do curso de Gesto Ambiental elementos bsicos

para perceber, compreender, relacionar e comunicar as relaes que se estabelecem no

Espao, de maneira a se posicionar conscientemente frente tais transformaes

Objetivos Especficos: Reconhecer a importncia do conhecimento dos conceitos bsicos de

cartografia para a compreenso das relaes e inter-relaes que ocorrem no espao

geogrfico; Identificar, descrever, compreender, analisar e representar os sistemas naturais;

Selecionar a linguagem cientfica mais adequada para tratar a informao espacial,

considerando suas caractersticas e o problema proposto; Elaborar mapas temticos e outras

representaes grficas; Contribuir para a interpretao do mapa topogrfico, relacionando os

elementos da base fsica e ao antrpica; Proporcionar e reconhecer a importncia da

aplicao das vrias etapas de construo de um documento cartogrfico; Fornecer a

informao do modo mais adequado, atravs da linguagem grfica, respeitando as regras da

semiologia grfica.

Bibliografia Bsica:

FITZ, Paulo Roberto. Cartografia bsica. Ed. Oficina de textos, 2008.

OLIVEIRA, Curio de. Curso de Cartografia Moderna. IBGE, Rio de Janeiro, 1993.

NOVO, Evelyn M. L. de Moraes. Sensoriamento Remoto. So Paulo: Edgard Blucher Ltda,

1992.

Bibliografia Complementar:

JOLY, Fernand. A cartografia. 1 ed. So Paulo. Papirus.2005

FLORENZO, Teresa Gallotti. Iniciao em Sensoriamento Remoto. 3.ed. Oficina de

Textos, So Paulo, 2011.

MARTINELLI, Marcelo. Cartografia temtica: caderno de mapas. 1. ed. EDUSP, So

Paulo, 2003.

MARTINELLI, Marcelo. Curso de Cartografia Temtica. 5. ed. Contexto, So Paulo,

2010.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

FLORENZO, Teresa Gallotti. Imagens de satlites para estudos ambientais. 1. ed. Oficina

de Textos, So Paulo, 2002.

2 Perodo

Cdigo: ICF. 02 Disciplina: Introduo as Cincias Fsicas Carga horria: 80

Natureza: Obrigatria

Ementa: Introduo Fsica. Cinemtica da Partcula. Dinmica. Trabalho e Energia.

Hidrosttica. Hidrodinmica. Termodinmica. tica. Eletromagnetismo. Experimentos.

Objetivo Geral: Proporcionar aos alunos contato e aprendizagem de conhecimentos bsicos a

respeito da chamada Fsica Geral, abordando conceitos bsicos e fundamentais nos ramos da

Mecnica, Fludos, tica, Termodinmica e Eletromagnetismo de forma introdutria. Buscar-

se- a formao de subsdios mnimos necessrios para a compreenso dos fenmenos fsicos,

soluo de problemas simples e para aplicaes na rea de formao tecnolgica do aluno.

Objetivos Especficos: Demonstrar o papel da Fsica como cincia bsica e essencial no

entendimento e soluo dos diversos problemas tecnolgicos modernos; Proporcionar aos

estudantes situaes de aprendizagem que contribuam para uma boa compreenso dos

fenmenos fsicos contemplados na ementa da disciplina, tanto do ponto de vista terico

como experimental; Contribuir para a aprendizagem de conceitos mais amplos atravs do uso

do formalismo matemtico e do mtodo cientfico experimental, prprio da Fsica, facilitando

o desenvolvimento de raciocnio lgico, indutivo e dedutivo; Estimular o desenvolvimento do

conhecimento tecnolgico dos alunos, atravs da resoluo de problemas relacionados

Mecnica, Fludos, Termodinmica, tica e Eletromagnetismo por meio de aplicaes e

situaes especficas; Gerar subsdios para que o aluno possa ler, interpretar e redigir de

forma correta documentos contendo dados cientficos envolvendo grandezas e modelos

fsicos; Preparar o aluno para as disciplinas do ciclo de formao profissional que envolvam o

conhecimento fsico bsico.

Bibliografia Bsica:

DOCA, Ricardo Helou; BISCUOLA, Gualter J. & BAS, Newton V. Tpicos da Fsica,

Volumes I, II e III, So Paulo: Saraiva, 2007.

GASPAR, A. Fsica, Volume nico, So Paulo: tica, 2009.

LUIZ, Antnio Mximo R. & LVARES, Beatriz A. Curso de Fsica, Volumes I, II e III,

So Paulo: Scipione, 2005.

Bibliografia Complementar:

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

HALLIDAY, DAVID; RESNICK, ROBERT; WALKER, JEARL. Fundamentos de Fsica -

VOL. 1; Editora LTC; Edio 8 ED. | 2009; ISBN 9788521616054

HALLIDAY, DAVID; RESNICK, ROBERT; WALKER, JEARL; Fundamentos de fsica -

vol. 3 eletromagnetismo; Editora LTC; Edio 8 ED. | 2009; ISBN 9788521616078

SERWAY, Raymond A. & FAUGN, Jerry S. College Physics, second edition, Saunders

College Publishing,1989.

SEARS, FRANCIS; YOUNG, HUGH D.; FREEDMAN, ROGER A.; ZEMANSKY, MARK

WALDO, Fisica 2 - Termodinamica e Ondas. 12 EDIO 2008. Editora Pearson

Education. ISBN 9788588639331

TORRES, Carlos Magno, FERRARO, Nicolau Gilberto, SOARES, Paulo Antnio de Toledo,

PENTEADO, Paulo Cesar. Fsica - Cincia e Tecnologia; ISBN: 9788516028194

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

3 Perodo

Cdigo: CLI. 03 Disciplina: Climatologia Geral Carga horria: 80

Natureza: Obrigatria

Ementa: Estrutura e composio da atmosfera terrestre. Radiao solar. Temperatura do ar e

do solo. Psicometria. Classificao climtica. Zoneamento agroclimtico. Circulao da

atmosfera, tempo e clima. Efeitos e fontes de poluio do ar. Meteorologia. Mudanas

climticas naturais. Clima e mudanas climticas antrpicas. Mudanas globais e

biodiversidade: Impactos das mudanas globais no clima brasileiro. Circulao atmosfrica. O

Fenmeno ENOS.

Objetivo Geral: Proporcionar aos alunos contato e aprendizagem de conhecimentos bsicos a

respeito da Climatologia.

Objetivos Especficos: Reconhecer as diferenas bsicas entre clima e tempo; Compreender

as mudanas climticas atuais atravs dos mecanismos que atuaram nas mudanas climticas

passadas; Interpretar os tipos de classificaes climticas identificando as falhas de cada tipo;

Conhecimento dos conceitos bsicos de climatologia e formas de aplicao; Inferir a

importncia da disciplina como bsica de outras das grades curriculares de diferentes cursos;

Conceituar e descrever os principais fenmenos associados climatologia e meteorologia.

Bibliografia Bsica:

AYAODE, J. D. Introduo climatologia para os trpicos. Rio de Janeiro: Bertrand do

Brasil, 1991.

CAVALCANTI, I.F.A et all Organizadores. Tempo e Clima no Brasil. So Paulo, Oficinas

de Textos, 1 Edio, 2009.

VIANELLO, R. L., ADIL, R. A. Meteorologia bsica e aplicaes. Viosa: Universidade

Federal de Viosa: 2010, 2.edio.

Bibliografia Complementar:

MENDONA, Francisco e OLIVEIRA-DANNI, Ins Moresco. Climatologia noes bsicas

e climas no Brasil. Ed. Oficina de textos. So Paulo, 2007.

MONTEIRO, C. A. F., e MENDONA F. Clima Urbano. So Paulo: Edt. Contexto, 2003,

1.edio.

OLIVEIRA, Gilvan Sampaio. O El nio e voc o fenmeno climtico. So Jos dos

Campos SP, Transtec Editorial, 1 Edio. 2000.

VIANELLO, R. L., ADIL, R. A. Meteorologia bsica e aplicaes. Viosa: Universidade

Federal de Viosa: 2010, 2.edio.

SALGADO-LABOURIAU, Maria La. Histria Ecolgica da Terra. So Paulo: Edt. Edgar

Blcher Ltda, 2010, 2.edio.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

3 Perodo

Cdigo: POA. 03 Disciplina: Poluio Ambiental Carga horria: 80

Natureza: Obrigatria

Ementa: Poluio das guas e Qualidade das guas Conceito. Padres de Qualidade da

gua. Tipos e fontes de Poluio. Danos causados pela poluio. Controle da Poluio.

Poluio do ar. Fontes poluidoras: principais fontes especficas e mltiplas. Padres de

qualidade do ar. Efeitos da poluio atmosfrica. Tcnicas de controle da poluio do ar.

Outras formas de poluio e controle: Poluio sonora, poluio visual, Poluio radioativa,

trmica, visual, marinha, solos, luminosa e etc.

Objetivo Geral: Apresentar informaes bsicas sobre a poluio ambiental e aspectos legais

e institucionais, para que o profissional tecnlogo possa participar ativamente como agente de

preveno e controle e com isso discernir e identificar fontes de poluio ambiental que

interfiram na qualidade de vida, colaborando, assim, na tomada de decises referente

segurana do cidado sempre em busca da melhoria da qualidade de vida.

Objetivos Especficos: Reconhecer os diferentes tipos de poluio e suas consequncias ao

ambiente; Identificar as medidas de controle para os diversos tipos de poluio e sua

aplicabilidade.

Bibliografia Bsica:

BRAGA, B et al.. Introduo Engenharia Ambiental. So Paulo. Prentice Hall. 2002.

DERSIO, Jos Carlos. Introduo ao controle da poluio ambiental. 2 Ed. So Paulo:

Signus Editora, 2000.

MATOS, Antnio Teixeira. Poluio Ambiental: impactos no meio fsico. ed.UFV. Viosa,

2010.

Bibliografia Complementar:

GOMES, J.. Poluio atmosfrica - um manual universitrio. Porto. PUBLINDUSTRIA-

Edies Tcnicas. 2010

MILLER JR.,G.T.. Cincia Ambiental. So Paulo. CENGAGE. 2006

HINRICHS, R.A.; KLEINBACH, M. e REIS, L.B.. Energia e meio ambiente - Traduo da

4a ed. norte-americana. So Paulo. CENGAGE. 2011

THOMAS, J.M. e CALLAN, S. J.. Economia Ambiental. So Paulo. CENGAGE. 2009.

THOMAZ, P.. Poluio difusa. So Paulo. Navegar. 2006

VON SPERLING, Marcos. Introduo qualidade de gua e tratamento de esgotos. 3

Ed. Belo Horizonte: Departamento de Engenharia Sanitria e Ambiental; Universidade

Federal de Minas Gerais.452p.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

3 Perodo

Cdigo: MET. 03 Disciplina: Metodologia da Pesquisa Cientfica e Tecnolgica

Carga horria: 80 Natureza: Obrigatria

Ementa: Para o desenvolvimento desta disciplina, sero trabalhados os aspectos essenciais da

Metodologia Cientfica, a saber: conceitos de cincia, mtodo cientfico, hipteses, variveis,

probabilidade, validade, fidedignidade, amostragem; delineamentos de pesquisa; metodologia

qualitativa e quantitativa; caracterizao da linguagem cientfica e do sistema de produo

cientfico; elaborao de pesquisa acadmico-cientfica; tica na pesquisa; tcnicas de

apresentao.

Objetivo Geral: Proporcionar aos alunos contato e aprendizagem de conhecimentos bsicos a

respeito dos conhecimentos bsicos acerca do que cincia e mtodo cientfico.

Objetivos Especficos: Entender os conceitos principais da pesquisa acadmico-cientfica:

hipteses, variveis, probabilidade, validade, fidedignidade, amostragem, entre outros;

Conhecer os delineamentos de pesquisa, bem como as metodologias qualitativa e quantitativa;

Estar familiarizado com a linguagem cientfica e com a produo cientfica de sua rea;

Estruturar e apresentar uma pesquisa acadmico-cientfica; Ser tico na produo de trabalhos

acadmico-cientficos.

Bibliografia Bsica:

CERVO Amada L et al. Metodologia cientfica. 6 Ed. Editora :Pearson,So Paulo , 2007.

SAMPIERI, Roberto Hernadz et al .Metodologia de pesquisa. ed. McGraw-Hill, So Paulo,

2003.

ASSOCIAO BRASILEIRA DE NORMAS TCNICAS. NBR14724: Informao e

documentao: trabalhos acadmicos: apresentao. Rio de janeiro, 2002.

Bibliografia Complementar:

ASSOCIAO BRASILEIRA DE NORMAS TCNICAS. NBR10520: apresentao de

citaes em documentos. Rio de janeiro, 2002.

COZBY, Paul C. Mtodos de pesquisa em cincias do comportamento. Traduo de Paula

Inez

FRANA, Jnia Lessa; VASCONCELLOS, Ana Cristina de. Manual para normalizao de

publicaes tcnico-cientficas. 8 ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia cientfica. 5 ed. So

Paulo: Atlas, 2010.

SANTOS, Joo Almeida; PARRA FILHO, Domingos. Metodologia Cientfica. 2 ed. So

Paulo: Cengage Learning, 2011.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

3 Perodo

Cdigo: SMA. 03 Disciplina: Sade e Meio Ambiente Carga horria: 40

Natureza: Obrigatria

Ementa: Conceitos bsicos: Sade, Doena, Processo sade doena e Meio ambiente. O que

epidemiologia e sua aplicao na sade pblica. Noes de parasitologia humana: Doenas

de veiculao hdrica. Saneamento bsico e sua relao com doenas transmissveis. Doenas

transmitidas por vetores (Dengue, Malria, Leishmaniose e Doena de chagas). O lixo urbano

e suas implicaes na sade do homem. Acidentes com animais peonhentos (Cobras,

Escorpio e aranhas).

Objetivo Geral: Apresentar aos discentes conceitos bsicos de sade e meio ambiente

enfocando a importncia de ambiente saudvel para a manuteno da sade humana.

Objetivos Especficos: Afirmar a necessidade do cuidado com a gua para consumo j que

est pode ser meio de disceminao de doenas; Demonstrar como o cuidado com o lixo

urbano e hospitalar j que est pode contribuir para a criao de vetores que podem transmitir

doenas; Enfatizar a ateno com animais peonhentos.

Bibliografia Bsica:

BONITA, R.; BEAGLEHOLE, R.; KJELLTROM, T. Epidemiologia bsica. 20 ed. So

Paulo: Santos, 2004.

MINAYO, M. C. S.; MIRANDA, A.C. Sade e ambiente sustentvel: Estreitando ns. Rio

de Janeiro: Fiocruz, 2002.

PHILLIPI Jr., A. Saneamento, Sade e Ambiente- Fundamentos para um

desenvolvimento sustentvel. So Paulo: Manole, 2004.

Bibliografia Complementar:

ALMEIDA-FILHO, N.;BARRET, M.L. Epidemiologia e sade. Fundamentos, mtodos e

aplicaes. So Paulo: Guanabara Koogan, 2011.

FREITAS, C.M.; PORTO, M.F. Sade, Ambiente e Sustentabilidade. Rio de Janeiro:

Fiocruz, 2006.

MIRANDA, A.C.; BARBELLOS, C.; MOREIRA, J.C.; MONKEN, M. Territrio,

Ambiente e Sade. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2008.

RIBEIRO, H. Olhares geogrficos - Meio ambiente e sade.So Paulo: Senac-So Paulo,

2005.

SALDIVA, P.; et al. Meio ambiente e Sade: o desafio das metrpoles. So Paulo: Editora

Instituto Sade e Sustentabilidade, 2010.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

3 Perodo

Cdigo: GAV. 03 Disciplina: Gesto de reas Verdes e Unidades de Conservao

Carga horria: 40 Natureza: Obrigatria

Ementa: Parques e jardins urbanos; Histrico da criao das unidades de conservao;

Sistema Nacional de Unidades Conservao, Categorias: Proteo integral e de uso

sustentvel; Como implantar uma unidade de conservao; Plano de manejo; conselho gestor;

Reservas da biosfera.

Objetivo Geral: Apresentar informaes bsicas sobre gesto de reas verdes e unidades de

conservao, para que o profissional, gestor ambiental, possam atuar participando ativamente

na construo/criao destes espaos, seja no planejamento ou na execuo do Sistema

Nacional de Unidades de Conservao, buscando sempre a melhoria da qualidade ambiental e

consequentemente da qualidade de vida, colaborando assim, na tomada de decises

ambientalmente corretas em busca do desenvolvimento sustentvel.

Objetivos Especficos: Caracterizar o histrico das unidades de conservao e das reas

verdes no Brasil e no mundo; Discutir sobre a importncia e potencialidades das unidades de

conservao e reas verdes; Interpretar e utilizar as definies, normas aplicveis e

potencialidades presentes nas unidades de conservao e reas verdes; Identificar as possveis

formas de gesto de reas verdes, parques e jardins urbanos.

Bibliografia Bsica:

BRASIL. Lei Federal n 9.885 de 18 de julho de 2000 Institui o Sistema Nacional de

Unidades de Conservao da Natureza e d outras providncias. [Dirio Oficial da Repblica Federativa do Brasil], Braslia, 18 jul. 2010.

MILANO, M. S. Unidades de conservao conceitos e princpios de planejamento e gesto

FUPEF 1989.

PHILIPPI JNIOR, Arlindo; et all. Meio Ambiente, direito e cidadania Signus, SP, 2000.

Bibliografia Complementar:

GATTO, Alcides. Implantao de Jardins em reas Verdes. Aprenda fcil. Viosa, 2007.

IBAMA, GeoBrasil Perspectivas do Meio Ambiente no Brasil 1 Braslia 2002.

MMA. Unidades de Conservao do Brasil. Braslia. 76 p.

COSTA, Patrcia Crtes. Unidades de Conservao: Matria-prima do Ecoturismo.

Aleph, 2002.

VILACA. J. Plantas Tropicais: Guia Prtico para o novo paisagismo brasileiro. Nobel,

2005.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

3 Perodo

Cdigo: LLA. 03 Disciplina: Legislao e Licenciamento Ambiental

Carga horria: 80 Natureza: Obrigatria

Ementa: Introduo ao Direito Ambiental. Fundamentos constitucionais do Direito

Ambiental. Legislao ambiental brasileira. Sistema Nacional de Meio Ambiente. Sistema

Estadual de Meio Ambiente. Controle pela administrao pblica. Reparao do dano

ambiental. Responsabilidade penal das pessoas jurdicas. Ao civil pblica. Ao popular.

Estudo de impactos ambientais (EIA/RIMA). Licenciamento Ambiental no Brasil, resolues

CONAMA. Licenciamento Ambiental no Estado de Minas Gerais, Resolues COPAM.

Objetivo Geral: Fomentar no discente o interesse e o entendimento das principais normas

legais e regulamentaes que regem a matria ambiental em mbito federal, estadual e

municipal.

Objetivos Especficos: Formar gestores ambientais comprometidos e esclarecidos sobre os

aspectos legais relativos ao uso dos recursos naturais e os desdobramentos e mecanismos

legais que podem ser acionados de forma a precaver e/ou reparar os danos ambientais.

Bibliografia Bsica:

FARIAS, P. J. L. Competncia Federativa e proteo ambiental. Porto Alegre: SAFES,

1999.

MACHADO, P. A. L.. Direito ambiental brasileiro. So Paulo: Malheiros, 2005.

TRINDADE, A. A. C. Direitos humanos e meio ambiente: paralelo dos sistemas de

proteo ambiental. Porto Alegre: SrgioAntnio Fabris. 1993.

Bibliografia Complementar:

IBAMA. Cartilha do Licenciamento Ambiental. 2 Ed. Braslia, 2007.

LEITE, J. R. M. Dano ambiental: do individual ao coletivo extrapatrimonial. Teoria e

prtica. REVISTA DOS TRIBUNAIS, 4. Ed., 2011.

LEMOS, P. F. I. Direito Ambiental: responsabilidade civil e proteo ao meio ambiente.

REVISTA DOS TRIBUNAIS, 3. Ed., 2010.

MILAR, E. Direito do Ambiente: a gesto ambiental em foco. REVISTA DOS

TRIBUNAIS, 7. Ed., 2011.

TRENNEPOHL, C.; TRENNEPOHL, T. Licenciamento ambiental. Impetus, 4. Ed., 2011.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

4 Perodo

Cdigo: SGA. 04 Disciplina: Sistemas de Gesto Ambiental Carga horria: 40

Natureza: Obrigatria

Ementa: A questo ambiental sob o enfoque econmico. Introduo ao Sistema de Gesto

Ambiental (ISO-14001 e 14004). Objetivos, finalidades, fundamentos e princpios bsicos da

gesto ambiental. Anlise de ciclo de vida de produtos. Modelos de SGA na micro e pequena

empresa e no ambiente rural. Avaliao ambiental inicial (ISO-14004). Poltica ambiental.

Planejamento do processo de um SGA. reas e/ou servios envolvidos na elaborao,

implementao e operao do SGA. Medio e avaliao do SGA. Gesto Ambiental dos

municpios.

Objetivo Geral: Tem como objetivo desenvolver a viso sistmica e o conhecimento de

sistemas de gesto ambiental de acordo com a norma NBR ISO 14.001:2004, bem como

discutir o processo de implantao da mesma em diferentes tipos de organizaes

Objetivos Especficos: Conhecer, interpretar e aplicar a norma ISO 14.001:2004; Descrever

as tcnicas para implantao de SGA; Planejamento do processo de um SGA; Desenvolver

todas as etapas de um processo de implantao de SGA; Medio e avaliao de um SGA

Bibliografia Bsica:

DONARE, Denis. Gesto Ambiental na Empresa. 2 ed. So Paulo: Atlas, 2008

MOREIRA, Maria Suely. Estratgia e Implantao do Sistema de Gesto Ambiental (Modelo

ISO 14000), Nova Lima: INDG Tecnologia e Servios Ltda. 2006

PHILIPI JNIOR, Arlindo, ROMERO, Marcelo de Andrade e BRUNA, Gilda Carllet. Curso de

Gesto Ambiental. Barueri-SP: Manole, 2004.

Bibliografia Complementar:

ABNT. NBR ISO 14001: Sistema de Gesto Ambiental Especificao e diretrizes para uso.

Rio de Janeiro, 2004.

ISO 14001/BS 7750: Sistema de gerenciamento ambiental. So Paulo: INAM, 1995

LOPES, I. V. Gesto Ambiental no Brasil: experincia e sucesso. 4 ed. Rio de Janeiro: Fundao

Getlio Vargas, 2001.

MACEDO, R. K. Gesto Ambiental: Os instrumentos Bsicos para a gesto de territrios e de

unidades produtivas. Rios de Janeiro. ABES. AIDIS,1994.

SEIFFERT, M. E. B. ISSO 14001 Sistemas de gesto ambiental: implementao objetiva e

econmica. 3 ed. So Paulo: Atlas, 2008

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

VITERBO JNIOR, E. Sistema Integrado de Gesto Ambiental: como implementar um

sistema de gesto que atenda norma ISO 14001, a partir de um sistema baseado na norma ISO

9000. So Paulo: Aquariana, 1998.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

4 Perodo

Cdigo: GRH. 04 Disciplina: Gesto de Recursos Hdricos Carga horria: 80

Natureza: Obrigatria

Ementa: Fundamentos do gerenciamento integrado de recursos hdricos, efeitos de cargas

poluidoras sobre os ecossistemas aquticos, estudo de processos do ciclo hidrolgico:

precipitao, escoamento superficial, infiltrao e evapotranspirao, anlises de dados

hidrolgicos com uso de ferramentas de apoio deciso, regionalizao hidrolgica, vazes

de referncia para outorga de direito de uso de recursos hdricos, elementos de hidrogeologia,

a poltica nacional de recursos hdricos e o sistema nacional de gerenciamento de recursos

hdricos.

Objetivo Geral: Prover conhecimentos fundamentais sobre a dinmica hidrolgica e

hidrogeolgica das bacias hidrogrficas, bem como os mecanismos e ferramentas de gesto

integrada e participativa das guas atualmente vigentes no Brasil.

Objetivos Especficos: Desenvolver e despertar no discente o interesse pela hidrologia e o

entendimento do papel do gestor ambiental neste novo paradigma de gesto integrada e

participativa de recursos hdricos; Desenvolver no discente o raciocnio lgico e a base

tcnica necessria elaborao de documentos e outros produtos de carter tcnico relativo

avaliao de componentes hidrolgicos e de disponibilidade hdrica de bacias hidrogrficas;

Bibliografia Bsica:

BRASLIA. Introduo ao gerenciamento de recursos hdricos. 2001

MARTINS, R. C. Uso e gesto dos recursos hdricos no brasil. 2 ed. So Paulo. Oficina de

textos, 2006.

NELSON L. S. P.; HOLTZ, A. C. T. MARTINS, J. A. GOMIDE, F. L. S. Hidrologia bsica.

Edgard Blucher, 1976.

Bibliografia Complementar:

TUCCI, C.E. M. Hidrologia: cincia e aplicao. Porto Alegre: UFRGS, 2004.

REBOUAS, A. da C. guas doces no Brasil: capital ecolgico, uso e conservao. 3

edio. So Paulo: Escrituras, 2008.

MIERZWA, J. C.; HESPANHOL, I. gua na indstria. 1 edio. So Paulo: Oficina de

Textos, 2005.

ESTEVES, F. de A. Fundamentos de Limnologia. 3 edio. Rio de Janeiro: Intercincia,

2011.

TOMASZ, P. NAVEGAR. Clculos hidrolgicos e hidrulicos para obras municipais.1

edio 2011. So Paulo.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

4 Perodo

Cdigo: GEL. 04 Disciplina: Gesto e Tratamento de Efluentes Lquidos

Carga horria: 80 Natureza: Obrigatria

Ementa: Introduo. Estudos de concepo de sistemas de esgotos sanitrios. Redes de

esgotos sanitrios. Sistemas simplificados de redes coletoras. Estaes elevatrias. Principais

atividades industriais e seus efluentes. Padres de lanamento de efluentes. Princpios e

tratamento de guas residurias. Tratamento preliminar. Tratamento primrio. Tratamento

anaerbio. Tratamento aerbio. Lagoas de estabilizao. Tratamento tercirio.

Objetivo Geral: Ao final do curso o aluno dever ser capaz de caracterizar os efluentes lquidos, analisando seus possveis impactos ao meio ambiente, identificar suas fontes e

propor alternativas de preveno e controle.

Objetivos Especficos: Apresentar o estado da arte sobre a gesto e tratamento de efluentes

lquidos bem como aspectos legais e institucionais, para que o profissional tecnlogo possa

participar ativamente como agente de preveno e controle; Discernir e identificar fontes de

efluentes lquidos que interfiram na qualidade do meio ambiente, colaborando, assim, na

tomada de decises referente melhoria ambiental sempre em busca da melhoria da qualidade

de vida.

Bibliografia Bsica:

BRAILE, P.M & CAVALCANTI, J.E.W.A.(1979). Manual de tratamento de guas

residurias industriais. So Paulo, CETESB. 764 p.

VON SPERLING, Marcos. Introduo qualidade de gua e tratamento de esgotos. 3

Ed. Belo Horizonte: Departamento de Engenharia Sanitria e Ambiental; Universidade

Federal de Minas Gerais.452p.

ALEM SOBRINHO, Paulo. TSUTYA, MARCOS TEIXEIRA (1999). Coleta e transporte

de esgoto sanitrio. Escola Politcnica, USP, So Paulo. 547p.

Bibliografia Complementar:

JORDO, E.P.; PESSOA, C.A..Tratamento de Esgotos Domsticos. 6 Ed. ABES. 2011.

CAVALCANTI, J.E.W.A.. Manual de Tratamento de Efluentes Industriais. 2 Ed. ABES.

2012.

NUVOLARI, A. et. al.. Esgoto Sanitrio. 2 Ed. Edgard Blucher. 2011

Metcalf & Eddy, Inc., Wastewater Engineering: Treatment and Reuse. 4 Ed. McGraw-

Hill. 2002.

Metcalf ; Eddy an AECOM Company. Water Reuse: Issues, Technologies, and Applications. McGraw-Hill. 2007.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

4 Perodo

Cdigo: GEP. 04 Disciplina: Geoprocessamento Carga horria: 80

Natureza: Obrigatria

Ementa: Conceitos gerais sobre SIGs e geoprocessamento, tipos de dados geogrficos,

estruturas de dados em SIGs: matricial e vetorial, arquitetura de SIGs, GPS, Consulta

espacial, fundamentos de sensoriamento remoto, cartografia em SIGs, Ferramentas de anlise

espacial em ambiente SIG, Modelos Digitais de Elevao, Aplicaes das geotecnologias na

anlise de componentes ambientais.

Objetivo Geral: Prover conhecimentos gerais sobre o uso de geotecnologias no planejamento

ambiental e na elaborao de solues para problemas ambientais espacialmente distribudos.

Objetivos Especficos: Desenvolver nos discentes habilidades no uso de Sistemas de

Informaes Geogrficas (SIG), como ferramenta de apoio solues para problemas

ambientais; Despertar nos discentes a capacidade para criar solues e vislumbrar aplicaes

da ferramenta SIG na anlise e planejamento ambiental.

Bibliografia Bsica:

ASSAD, Eduardo Delgado; SANO, Edson Eyii. Sistemas de Informaes Geogrficas:

Aplicaes na Agricultura. 2 ed. Braslia: EMBRAPA SPI / EMBRAPA-CPCAC, 2003.

434P.

MONICO, Joo Francisco Galera. Posicionamento pelo NAVSTAR-GPS: Descrio,

fundamentos e aplicaes. So Paulo: UNESP, 2000. 287p.

ROCHA, Czar Henrique Barra (2002) - Geoprocessamento: Tecnologia Transdisciplinar,

2 Edio do Autor, revista, atualizada e ampliada, Juiz de Fora, MG, 220p.

Bibliografia Complementar:

MENEGUETTE, Arlete A. C. Introduo ao geoprocessamento. Presidente Prudente, Ed.

Da autora, 1994. 29p.

MOREIRA, Maurcio Alves. Fundamentos do Sensoriamento Remoto e Metodologias de

Aplicao. 4 Ed. Viosa: UFV, 2011. 422 p.

LANG, Stefan; BLASCHKE, Thomas. Anlise da paisagem com SIG. 1 Ed. So Paulo:

oficina de textos, 2008. 384 p.

MORAN; Emilio F., BATISTELLA; Mateus. Geoinformao e monitoramento ambiental

na Amrica Latina. 1 Ed. So Paulo: Editora SENAC, 2008. 288 p.

FLORENZANO, Teresa Galloti. Iniciao em Sensoriamento Remoto. 3 Ed. So Paulo:

Oficina de textos, 2011. 128 p.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

4 Perodo

Cdigo: RSO. 05 Disciplina: Responsabilidade Socioambiental

Carga horria: 40 Natureza: Obrigatria

Ementa: A relao entre tica e meio ambiente. O pensamento tico acerca da gesto atual

do meio ambiente: direitos e deveres em relao ao meio ambiente; degradao ambiental e

custos sociais. As possveis vantagens sociais e econmicas de uma gesto consciente dos

recursos ambientais o desenvolvimento sustentvel.

Objetivo Geral: Apresentar aos alunos, as preocupaes contemporneas com uma gesto

mais transparente e voltada para a sustentabilidade tendo a tica como componente central.

Objetivos Especficos: Refletir sobre conceitos relevantes referentes Responsabilidade

scioambiental e sua relao com as preocupaes e busca de uma gesto mais transparente e

voltada para a sustentabilidade, tendo tica como componente central; Desenvolver a viso

sobre a gesto socioambiental como novo elemento para o desenvolvimento econmico

empresarial; Formar gestores que compreendam a dimenso socioambiental como parte

integrante do Sistema de Gesto de sua empresa; Avaliar os fatores crticos de sucesso de um

projeto de responsabilidade socioambiental; Discutir sobre as melhores prticas de

responsabilidade socioambiental; Apresentao da relao entre estes temas e seu reflexo

sobre as organizaes e os seus profissionais que se voltam para entender e incorporar

princpios direcionadores para o bem estar de todos os pblicos com os quais se relacionam.

Bibliografia Bsica:

LEFF, Enrique. Saber Ambiental: Sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. 5

ed.Petrpolis RJ: Vozes, 2007.

NALINI, J.R. tica ambiental. 2a ed.Campinas-SP: Millenium. 2003.

VEIGA, Jos Eli da. Desenvolvimento sustentvel: o desafio do sculo XXI. 2. ed.

Garamond, 2006.

Bibliografia Complementar:

BERT, Rodrigo. Gesto Socioambiental no Brasil. 1. ed. Saraiva, 2009.

JAMIESON, Dale. tica e Meio Ambiente - Uma Introduo. 1. ed. SENAC, 2010.

SACHS, Ignacy. Caminho para o desenvolvimento sustentvel. 2. de. Garamond, 2002.

SANTILLI, Juliana. Socioambientalismo e novos direitos. 1. ed. Peirpoles, 2005.

VEIGA, Jos Eli da. Economia Socioambiental. 1. ed. SENAC, 2009.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

5 Perodo

Cdigo: GEA. 04 Disciplina: Gesto e Tratamento de Emisses Atmosfricas

Carga horria: 40 Natureza: Obrigatria

Ementa: Principais poluentes atmosfricos: fontes, classificaes e efeitos sobre a sade

humana e os ecossistemas, padres de qualidade do ar e de emisses atmosfricas,

monitoramento da qualidade do ar: indoor, outdoor e emisses; mtodos indiretos de controle

de emisses atmosfricas, mtodos diretos de controle de emisses atmosfricas: coletores por

via seca e via mida, critrios para deciso sobre os equipamentos a serem operados no

controle da poluio atmosfrica.

Objetivo Geral: Prover conhecimentos bsicos sobre a poluio atmosfrica e os

procedimentos de gesto ambiental aplicados ao controle e monitoramento de poluentes

atmosfricos em fontes mveis e estacionrias.

Objetivos Especficos: Formar gestores ambientais que conheam os principais poluentes

atmosfricos, seus efeitos sade humana e ao meio ambiente, bem como os equipamentos e

mtodos de monitoramento e controle de suas emisses em fontes mveis e estacionrias;

Desenvolver no discente a conscincia sobre seu papel na implementao de prticas de

gesto ambiental sustentvel em indstrias e demais fontes potenciais de poluentes

atmosfricos; Desenvolver no discente o raciocnio lgico e a base tcnica necessria para a

tomada de deciso quanto escolha pelo mtodo de monitoramento e/ou controle da poluio

atmosfrica em fonte estacionria mais aplicvel em cada situao particular.

Bibliografia Bsica:

ALVARES-JUNIOR, M. et al. Emisses atmosfricas. Braslia: SENAI 2002.

DERSIO, J. C. Introduo ao controle da poluio ambiental. 2 Ed. So Paulo: Signus

Editora, 2000.

CRUZ, A. P. F. N. da. Tutela ambiental do ar atmosfrico. Editora Esplanada, 2002. 215p.

Bibliografia Complementar:

BRAGA, B. et al.Introduo a engenharia ambiental: o desafio do desenvolvimento

sustentvel. 2 Ed. Pearson Prentice Hall, 2005.

VASCONCELOS, E. A. de. Transporte e Meio Ambiente. OFICINA DE TEXTOS. 1

edio. 2006.

LACAVA, P. T. Emisses em processos de combusto. 1 edio. UNESP. 2003 .

MACINTYRE, A. J . Ventilao industrial e controle da poluio atmosfrica. LTC. 2

edio. 1990.

LORA, E. E. S. Preveno e controle da poluio nos setores energtico, industrial e de

transporte. INTERCINCIA. 2 edio. 2002.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

5 Perodo

Cdigo: GRS. 05 Disciplina: Gesto e Tratamento de Resduos Slidos

Carga horria: 80 Natureza: Obrigatria

Ementa: Conceitos, definies; formas e tipos de resduos; gerao de resduos slidos e

impactos ambientais; caracterizao dos resduos domiciliares, de servios de sade e

industriais; Acondicionamento, coleta, transporte, tratamento e disposio final; Aspectos

legais relacionados aos resduos slidos; A importncia do gerenciamento Integrado de

Resduos slidos.

Objetivo Geral: Apresentar informaes bsicas sobre gesto e tratamento de resduos

slidos, para que o profissional, Gestor ambiental, possa participar ativamente como agente

multiplicador e com isso discernir e identificar a degradao ambiental e na qualidade de vida

causada pela gerao, o no tratamento e a disposio final inadequada, como tambm,

planejar e implantar aes, utilizando instrumentos adequados para sensibilizar e

conscientizar diferentes atores sociais sobre a necessidade de repensar, reduzir, reutilizar,

reciclar e recusar produtos que agridam o meio ambiente. Colaborando, assim, na tomada de

decises ambientalmente corretas em busca do desenvolvimento sustentvel.

Objetivos Especficos: Descrever os conceitos, definies e tipos de resduos slidos gerados

em diferentes atividades associando-os com seus possveis impactos ambientais; Discutir a

importncia do destino final ambientalmente correto dos resduos slidos; Analisar a

importncia da Poltica Nacional de Resduos Slidos e outros documentos legais; Discutir as

principais formas de tratamento dos resduos slidos; Discutir a importncia do

Gerenciamento integrado de resduos slidos.

Bibliografia Bsica:

MONTEIRO, Jos Henrique Penido [et al.];. Manual de Gerenciamento Integrado de

Resduos Slidos. Coordenao Tcnica Victor Zular Zveibil. Rio de Janeiro: IBAM, 2001.

NETO, Joo Pereira Tinco. Gerenciamento do lixo urbano. Ed. UFV, Viosa, 2007.

ZANIN, Maria; MANCINI, Sandro D. Resduos plsticos: Aspectos Gerais e Tecnologia.

Editora Edufscar, 2004.

Bibliografia Complementar:

BRASIL. Lei Federal n. 10.305, de 27 de agosto de 2010. Dispe sobre resduos slidos,

institui a Poltica Nacional de Resduos Slidos e d outras providncias. [Dirio Oficial da

Repblica Federativa do Brasil], Braslia, 02 ago. 2010.

JACOBI, Pedro. Gesto compartilhada de resduos slidos no Brasil. Editora Annablume,

2006.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

PINHEIRO, Manoela; OLIVEIRA, Rosrio. Tratamento de resduos slidos. Universidade

do Minho,1994.

RIBEIRO, Daniel Vras; MORELLI, Mrcio Raymundo. Resduos slidos: Problema ou

oportunidade? Rio de Janeiro: Intercincia, 2009.

NETO, Joo Tinco Pereira. Manual de Compostagem: Processo de Baixo Custo. Ed.

UFV, Viosa, 2007.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

5 Perodo

Cdigo: APA. 05 Disciplina: Auditoria e Pericia Ambiental Carga horria: 40

Natureza: Obrigatria

Ementa: Conceitos de auditoria ambiental. Pr-Auditoria; Auditoria de Adequao; de

Conformidade. Ps-Auditoria. Diretrizes, escopo, planejamento e conduo da Auditoria

Ambiental. Instrumentos da Auditoria Ambiental. Auditoria de Sistemas de Gesto

Ambiental. O que percia ambiental? Percias e laudos ambientais. O processo de percia

ambiental. Tpicos avanados em Auditoria e Percia Ambiental.

Objetivo Geral: Promover o aprendizado multidisciplinar necessrio para o desempenho das

atividades de Auditoria, Percia e Gesto Ambiental. Neste nterim, pretende-se indicar

conceitos, aes, programas e polticas que possam conciliar crescimento com qualidade

ambiental, buscando um desenvolvimento preservacionista e uma competitividade atual e

futura capaz de enfrentar as novas exigncias do mercado e da sociedade contempornea.

Objetivos Especficos: Dotar os futuros profissionais do conhecimento necessrio para a

realizao de percias e auditorias ambientais e na elaborao de Sistemas de Gesto

Ambiental; Disponibilizar aos participantes ferramentas de auditoria como mecanismos

fundamentais para os atuais gestores de empresas; Proporcionar o entendimento das polticas

ambientais adotadas no Brasil, os fundamentos, objetivos e o funcionamento dos instrumentos

de gesto contidos nestas polticas; Proporcionar o entendimento da dinmica ambiental, das

regras legais estabelecidas, sua aplicabilidade no setor pblico e privado.

Bibliografia Bsica:

CAMPOS, Luclia Maria de Souza. Auditoria ambiental: uma ferramenta de gesto /

Luclia Maria de Souza Campos , Alexandre de vila Lerpio. - - So Paulo: Atlas,2009.

CUNHA, Sandra baptista da Cunha e GUERRA, Antonio Jos Teixeira. Avaliao e Pericia

Ambiental. 8a ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007.

SALES, Rodrigo. Auditoria ambiental: aspectos jurdicos. So Paulo: Ltr, 2001.

Bibliografia Complementar:

MEIRA, Rogrio Campos. Princpios da Qualidade volumes de 1 a 5. Srie Entendendo a

Qualidade. Porto Alegre: SEBRAE, 2003.

MOURA, L.A.A. Qualidade e Gesto Ambiental. So Paulo: Juarez de Oliveira,2002.

KWASNICKA, Eunica Lacava. Introduo administrao. 6. ed. Atlas, 2004.

TACHIZAWA, Takeshy; CRUZ JNIOR Joo Benjamim da; ROCHA, Jos Antnio de

Oliveira. Gesto de negcios: vises e dimenses empresarias da organizao. 3. ed.

Atlas, 2006.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

5 Perodo

Cdigo: RAD. 05 Disciplina: Recuperao de reas Degradadas Carga horria: 80

Natureza: Obrigatria

Ementa: Conceitos de degradao ambiental. Caracterizao de reas degradadas e atividades

degradadoras. Diferenas entre reabilitao, reposio, restaurao, recuperao. Prtica de Gesto,

Manejo e Recuperao de reas degradadas. Tcnicas de recuperao de reas degradadas.

Efeitos dos sistemas de manejo nas propriedades do solo. Desenvolvimento de sistemas

sustentveis para as atividades econmicas. Elaborao de planos de manejo e recuperao de

reas degradadas.

Objetivo Geral: Apresentar aos discentes do curso as principais tcnicas de recuperao de

reas degradadas, bem como as medidas mitigadores dos principais empreendimentos de

infra-estrutura.

Objetivos Especficos: Fomentar nos discentes o interesse e conhecimento sobre as

principais atividades degradadoras da qualidade ambiental e os mecanismos de recuperao e

restaurao ambiental de reas degradadas; Fornecer aos discentes o conhecimento sobre as

principais tecnologias e prticas conservacionistas que podem ser adotadas como alternativas

no processo de uso e explorao dos recursos naturais, sob o prisma do desenvolvimento

sustentvel; Formar gestores ambientais com recursos tcnicos suficientes para elaborao de

planos executivos para recuperao de reas degradadas, pelas mais variadas aes humanas,

calcados em solues tcnico-cientficas apropriadas para cada situao em particular.

Bibliografia Bsica:

ARAUJO, G. H. de S.; ALMEIDA, J. R. de; GUERRA; A. J. T. Gesto Ambiental de reas

degradadas. So Paulo: Bertrand Brasil, 2005.

MARTINS, S. V. Recuperao de matas ciliares. Viosa: Aprenda Fcil, 2001.

FURLAN, S. A. A Conservao das Florestas Tropicais. So Paulo: Atual,1999

Bibliografia Complementar:

RUDRAN, R.; VALLADARES - PADUA, C.; CULLEN-JUNIOR., L. Mtodos de estudos

em biologia da conservao e manejo da vida silvestre. 2Ed. Paran: UFPR, 2006.

GALVO, Antnio Paulo Mendes; PORFRIO-DA-SILVA, Vanderley. Restaurao

Florestal: Fundamentos e Estudos de Caso. EMBRAPA, 2005.

RODRIGUES, Delcio; MOERI, Ernesto. reas Contaminadas - Remediao e

Revitalizao. 3. ed. Signus, 2007.

RODRIGUES, Ricardo Ribeiro; LEITO FILHO, Hermgenes de Freitas. MATAS

CILIARES: Conservao e Recuperao. So Paulo: EDUSP, 2001.

FURLAN, Sueli ngelo. A conservao das Florestas Tropicais. Atual, 1999.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

5 Perodo

Cdigo: AIA. 05 Disciplina: Avaliao de Impactos Ambientais

Carga horria: 80 Natureza: Obrigatria

Ementa: Conceituao de impactos ambientais. EIA/RIMA e RAP: Histrico e evoluo,

Poltica e legislao. Avaliao de impactos ambientais no Brasil. Critrios para seleo e

licenciamento dos projetos. Competncia dos rgos federais, estaduais e municipais nos

EIA/RIMA e RAP. Estrutura dos EIA/RIMA e RAP. Termo de Referncia. Valoraes e

qualificaes dos impactos ambientais em ecossistemas terrestres. Caracterizao e avaliaes

dos impactos ambientais nos meios fsico, bitico e socioeconmico. Medidas mitigadoras e

compensatrias dos impactos ambientais. Elaborao e Anlise dos EIA/RIMA e RAP.

Impacto Ambiental das Grandes Obras; Problemas de Impacto Ambiental em Minas Gerais

Legislao Ambiental; Tcnicas de AIA Avaliao de Impacto Ambiental; Resoluo

CONAMA, FCE, FOBI, AAF, PCA, RCA, PTRF,PRAD, PBA; SISNAMA

Objetivo Geral: Provocar nos alunos a percepo de que a questo ambiental resultado da

forma como a sociedade interage com o meio ambiente, ou seja, do processo de

transformao da natureza pelos indivduos em nveis locais, globais, individuais e coletivos.

Objetivos Especficos: Tornar o aluno capaz de confeccionar, avaliar e executar estudos de

impacto ambiental e relatrios de impacto ambiental; Conhecer as diferentes concepes de

Educao ambiental e as prticas delas derivadas que coexistem na sociedade; Compreender o

processo administrativo da avaliao de impactos ambientais: instituies envolvidas, fases,

prazos e deveres do empreendedor; Identificar e aplicar as metodologias de avaliao dos

impactos ambientais adequadas a cada empreendimento; Demonstrar a dificuldade de

diagnosticar e prever os impactos socioambientais devido sua complexidade; Compreender

a importncia e extenso dos problemas de poluio e contaminao ambiental, destacando

causas e efeitos sobre o meio ambiente; Integrar equipe e/ou coordenar equipes na elaborao

de estudos de impacto ambiental de empreendimentos. Compreender o processo

administrativo da avaliao de impactos ambientais: instituies envolvidas, fases, prazos e

deveres do empreendedor; Identificar e aplicar as metodologias de avaliao dos impactos

ambientais adequadas a cada empreendimento; Propor medidas mitigadoras ou

compensatrias com a finalidade de reduzir ou minimizar os impactos negativos sobre o meio

ambiente; Aplicao das diferentes concepes de Educao ambiental e as prticas delas

derivadas que coexistem na sociedade.

Bibliografia Bsica:

IBAMA. Manual de impacto ambiental: agentes sociais, procedimentos e ferramentas.

Braslia, 1995, 132 p

HAMMES, V. S. Julgar, Percepo do impacto ambiental. Vol 4. Editora Globo, 2004. 223

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

SANCHES, Luis Henrique. Avaliao de impacto ambiental. Conceitos e Mtodos. Ed.

Oficina de texto, So Paulo. 2006.

Bibliografia Complementar:

CUNHA, Sandra Baptista da; Gerra, A. J. T, Avaliao e Percia Ambiental 11 ed. Rio de

Janeiro: Bertrand Brasil, 2010

DERISIO, Jos Carlos, Introduo ao controle de poluio ambiental. 3 ed. So Paulo:

Signus Editora, 2007

GUERRA, A.J.T.; CUNHA, S.B.da. Impactos Ambientais Urbanos no Brasil. Editora

Bertrand Brasil, 2001. 416 p.

MATOS, Antnio T. de Poluio Ambiental: Impactos no meio Fsico. Visoa, MG: Ed.

UFV, 2010

SANTOS, Rozely Ferreira dos.; Planejamento ambiental: teoria e prtica: So Paulo:

Oficina de Textos, 2004

Plantenberg Clarita Muller; Aziz Nacib A`b Saber (orgs.) Previso de Impactos: O estudo de

Impacto Ambiental no Leste, Oeste e Sul. Experincias no Brasil, na Rsia e na Alemanha/

Aziz Nacib A`b Saber, Clarita Muller-Plantenberg (orgs.) 2 ed. SP:Editora da Universidade de

So Paulo, 2006

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

OPTATIVAS

4/5 Perodo

Cdigo: GPA Disciplina: Gesto de Projetos Ambientais

Carga horria: 80 Natureza: Optativa

Ementa: Definio de Projeto e seus principais atributos e caractersticas; planejamento de

Projetos Ambientais: conceitos bsicos, o ciclo de vida e linhas bsicas da elaborao de uma

proposta; fontes de informao; problemas e acertos na apresentao de projetos;

financiadores; formatao de projetos; Processos administrativos envolvidos na gesto de

projetos. Critrios de Avaliao de Projetos. Estratgico das Organizaes. Anlise Ambiental

e Vantagem Competitiva. Dinmica competitiva e formulao de Estratgias. A formulao e

implementao estratgica de projetos e programas ambientais. Busca de fomento e alocao

de recursos dirigidos a projetos ambientais. Fundos e Programas de Financiamento.

Planejamento Gerenciamento de projetos Ambientais passo a passo. Gesto dos Custos.

Estudo dos riscos e Problemas

Objetivo Geral: Propiciar noes fundamentais sobre a produo do conhecimento cientfico,

ressaltando a importncia da teoria do conhecimento e o uso de tcnicas de pesquisa. Bem

como as diferentes formas de se faz-la em projetos ambientais.

Objetivos Especficos: Estimular o processo de elaborao de projetos ambientais, produo

e expresso do conhecimento, despertando no aluno interesse e valorizao deste em sua vida

pessoal e profissional; Proporcionar anlise de questes fundamentais da gesto de projetos

ambientais pela aplicao de tcnicas de estudo e pesquisa, objetivando a elaborao e

avaliao de projetos; Desenvolver habilidades e competncias da leitura crtica de textos

tcnicos e, consequentemente, competncias no planejamento de projetos.

Bibliografia Bsica:

KAHN, Mauro. Gerenciamento de Projetos Ambientais: Riscos e conflitos. Rio de Janeiro:

editora E-Papers, 2003.

LELIS, Joo Caldeira e TORRES, Cleber. Garantia de Sucesso em Gesto de Projetos. So

Paulo: Editora Brasport, 2009.

ROCHA, Jos Sales Mariano da. Manual de projetos ambientais. Santa Maria:Imprensa

Universitria, 1997.

Bibliografia Complementar:

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

CARVALHO, Marly Monteiro, RABECHINI Jr.,Roque. Construindo Competncias para

Gerenciar Projetos. Atlas, 2008.

FRANCO, M. da A. R. Planejamento Ambiental para a cidade

sustentvel.Coordenadoria de projetos Especiais do Ministrio da Marinha. ARAMAR

Centro Experimental de Aramar. Rio de Janeiro: CODESP, 1998.

KISIL, Rosana. Elaborao de Projetos e Propostas para Organizaes da

Sociedade Civil. Global, 2001.

MALTA, Cyra et. all. Elaborao de Projetos em meio Ambiente. Instituto Ecoar, 1995.

TACHIZAWA, Takeshy; CRUZ JNIOR Joo Benjamim da; ROCHA, Jos Antnio de

Oliveira. Gesto de negcios: vises e dimenses empresarias da organizao. Atlas,

2006.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

4/5 Perodo

Cdigo: AMA Disciplina: Agropecuria e Meio Ambiente

Carga horria: 80 Natureza: Optativa

Ementa: Evoluo tcnica de prticas Agropecurias. Impacto de tcnicas agrcolas sobre os

recursos produtivos. Contexto dos problemas ecolgicos na agricultura. Interpretao de

fatores envolvidos no processo produtivo. Estudo de tcnicas e processos produtivos

poupadores de energia e recursos. Sustentabilidade ecolgica da agricultura. Sistemas de

produo nos grandes ambientes agrcolas.

Objetivo Geral: Criar condies para a compreenso das diferenciaes das estruturas

agrrias face aos sistemas socioeconmicos e ambientais.

Objetivos Especficos: Apresentar a natureza das relaes de produo e de trabalho no seio

das atividades agrrias; Apresentar as transformaes recentes no campo, especialmente no

Brasil e suas consequncias ao meio ambiente; Proporcionar a analise meio ambiente,

produo e produtividade agrcola.

Bibliografia Bsica:

BRANCO, Samuel Murgel. Natureza e agroqumicos. So Paulo. Moderna, 1998.

LAMBERT, Marck. Agricultura e meio ambiente. Coleo preserve o mundo. So Paulo.

Scipione, 2002.

ROSA, Antnio Victor. Agricultura e meio ambiente. Coleo meio ambiente. So Paulo.

Atual, 1998.

Bibliografia Complementar:

AZEVEDO, A.C. Solos e ambiente. 1. Edio, Santa Maria, Ed. Pallotti, 2004

RESENDE, M. Curi, N. Rezende, S.B. Correa. G.F. Pedologia: bases para destino de

ambientes. 5a ed. Lavras: Editora UFLA, 2007.

PRIMAVESI, Ana. Manejo Ecolgico do Solo. So Paulo: Nobel, 2002.

RODRIGUES, Srgio de Almeida. Destruio e equilbrio. Coleo meio ambiente. So

Paulo, Atual, 1994.

TEIXEIRA, Wilson. Decifrando a Terra. So Paulo: Oficina de textos, 2000.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

4/5 Perodo

Cdigo: PLT Disciplina: Planejamento do Territrio Urbano e Rural

Carga horria: 80 Natureza: Optativa

Ementa: A cidade, o espao urbano e sua rede urbana e regional. A produo social do

espao urbano. Cidade e globalizao. O estado, a gesto publica e o planejamento. A

poltica urbana e a renovao da poltica urbanstica; Processos de interveno no espao

urbano. Abordagens tericas do territrio rural. Sociologia e desenvolvimento Rural.

Modernizao da agricultura e a questo agrria. O rural e o meio ambiente. Movimentos

sociais no campo. Processos de interveno no espao rural.

Objetivo Geral: Apresentar aos discentes do curso a importncia do planejamento dos

territrios urbano e rural no processo de gesto do ambiente.

Objetivos Especficos: Identificar os elementos geradores dos territrios urbanos e rurais;

Identificar e compreender a organizao das cidades e do campo; Concluir que as alteraes

ambientais dependem de fatores econmicos sociais e que o uso correto ou sustentvel dos

recursos naturais no somente uma questo tcnica; Avaliar criticamente o espao onde vive

e suas relaes diante do espao mundo, integrando-se conscientemente ao meio local e

nacional em que vive.

Bibliografia Bsica:

CORBUSIER, Charles Le. Planejamento Urbano. 3.Ed.Perspectiva, 2000. 200 p.

ETGES, Virgnia Elisabeta (Compilador). Desenvolvimento rural: potencialidades em

questo. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2001. 139P.

GUIMARAES, Pedro Paulino. Configurao Urbana: Evoluo, Avaliao, Planejamento

e Urbanizao. Editora Pr-Livros, 2004. 285 p.

Bibliografia Complementar:

ALMEIDA, J., NAVARRO, Z. (Orgs.). Reconstruindo a agricultura: idias e ideais na

perspectiva do desenvolvimento rural sustentvel. Porto Alegre: Editora da

Universidade/UFRGS, 1998.

BARDET, G. O Urbanismo. Campinas, Papirus, 1990 Branco, S.M. ecossistmica. SP,

ed.Edgard Blucher.

CAVALCANTI, C. (Org.). Desenvolvimento e natureza: estudos para uma sociedade

sustentvel. So Paulo: Cortez, 1998.

GRAZIANO DA SILVA, Jos. Tecnologia e agricultura familiar. Porto Alegre:

PGDR/UFRGS, 1999.

SOUZA, Marcelo Lopes de; RODRIGUES, Glauco; RODRIGUES, Glauco Bruce.

Planejamento Urbano e Ativismos Sociais. UNESP, 2004. 133 p.

MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO PROFISSIONAL E TECNOLGICA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAO, CINCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

CAMPUS GOVERNADOR VALADARES

COORDENAO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTO AMBIENTAL

Avenida Minas Gerais, n 5189, Ouro Verde Governador Valadares Minas Gerais CEP.:35.057-760

Ementrio 2012.2

4/5 Perodo

Cdigo: LIB Disciplina: Libras Carga horria: 80

Natureza: Optativa

Ementa: A organizao e o funcionamento da lngua brasileira de sinais LIBRAS. A

LIBRAS como lngua natural da comunidade surda. Aspectos fonolgicos, morfolgicos e

sintticos das lnguas de sinais. Histria da educao de surdos. Modelos educacionais na

educao de surdos. Legislao e educao de surdos. O desenvolvimento da criana surda.

Conceito e classificao da surdez. Pensamento e linguagem