Psicologia da aprendizagem e da avaliação

of 20/20
PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM E DA AVALIAÇÃO
  • date post

    23-Jul-2016
  • Category

    Documents

  • view

    225
  • download

    6

Embed Size (px)

description

A principal preocupação do livro Psicologia da aprendizagem e da avaliação é trazer conceitos gerais, histórico e bases filosóficas da psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem, envolvendo o processo para aprender e suas diferentes características: concepções sobre a natureza humana, as fases evolutivas, tipos de avaliação, suas normas e técnicas.

Transcript of Psicologia da aprendizagem e da avaliação

  • PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM E DA AVALIAO

  • PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM E DA AVALIAO

  • 5Psicologia da aprendizagem e da avaliaoApresentao

    Apresentao

    Umcontedoobjetivo,conciso,didticoequeatendasexpectativasdequemleva

    a vida em constante movimento: este parece ser o sonho de todo leitor que enxerga

    oestudocomofonteinesgotveldeconhecimento.

    Pensandonaimensanecessidadedeatenderodesejodesseexigenteleitorque

    foi criado este produto voltado para os anseios de quem busca informao e

    conhecimento com o dinamismo dos dias atuais.

    Comessesideaisemmente,nasceramoslivroseletrnicosdaCengageLearning,

    comcontedosdequalidade,dentrodeumaroupagemcriativaearrojada.

    Emcadattulopossvelencontraraabordagemdetemasdeformaabrangente,

    associadaaumaleituraagradveleorganizada,visandofacilitaroaprendizadoe

    a memorizao de cada disciplina.

    A linguagem dialgica aproxima o estudante dos temas explorados, promovendo a

    interao com o assunto tratado.

    Aolongodocontedo,oleitorteracessoarecursosinovadores,comoostpicos

    Ateno, que o alertam sobre a importncia do assunto abordado, e o Para saber mais, que apresenta dicas interessantssimas de leitura complementar e curiosi- dadesbembacanas,paraaprofundaraapreensodoassunto,almderecursos

    ilustrativos, que permitem a associao de cada ponto a ser estudado. Ao clicar

    naspalavras-chaveemnegrito,oleitorserlevadoaoGlossrio,parateracesso

    definiodapalavra.Paravoltaraotexto,nopontoemqueparou,oleitordeve

    clicarnaprpriapalavra-chavedoGlossrio,emnegrito.

    Esperamosquevocencontrenestelivroamaterializaodeumdesejo:oalcance

    doconhecimentodemaneiraobjetiva,concisa,didticaeeficaz.

    Boa leitura!

  • 7Psicologia da aprendizagem e da avaliaoPrefcio

    Prefcio

    A psicologia pretende explicar o que as pessoas pensam e sentem. No uma

    cinciafcil.Afinal,tentarentenderamentedoserhumanonoalgosimplesde

    sefazer.

    Justamentepelacomplexidadedequeestacinciaserevestequeseidentificaa

    suaimportncianosmaisdiversoscamposdasrelaesinterpessoais.

    Nestematerial,apsicologiaserestudadapormeiodeduasvertentes:aprimei-

    raaPsicologiadoDesenvolvimento,que temporobjetivoexploraros fenme-

    nos comportamentais individuais, descrevendo as capacidades, potencialidades,

    limitaes,ansiedadeseangstiastpicasdecadafaixaetriadoserhumano.A

    segundaaPsicologiadaAprendizagem,readapsicologiaqueobserva,investi-

    ga, registra e analisa o processo por meio do qual o ser humano se apropria das

    formasdepensaredoconhecimentoprovenientedaexperinciahumanaapartir

    da interao social.

    Paraqueoestudopossaatingirseuimportanteobjetivo,elefoidivididoemquatro

    unidades. A primeira explora os conceitos principais dessas duas vertentes da

    psicologia,passandopelasfilosofiasdeAristteles,Scrates,PlatoeDescartes

    atchegaraEdwardThorndike,BurrhusFredericSkinnereEdwinR.Guthrie,

    psiclogosqueincentivarameorientaramainflunciadapsicologianoprocesso

    de desenvolvimento do indivduo.

    Nasegundaunidade,oleitorconhecercomoossereshumanosaprendemequais

    soassuasfasesevolutivas.

    A terceira unidade trata dos objetivos da avaliao, trazendo uma importante

    reflexoacercadesseprocesso,quaisostiposdeavaliaoexistentesatualmente,

    quais as normas e tcnicas para construo de avaliao e os benefcios do

    processo de avaliao.

    Finalmente,naquartaunidade,realizadaumaimportanteeabrangentereflexo

    sobreaafetividade,aprendizagemeavaliao,aimportnciadofeedback na vida

    do aluno e a postura a ser adotada pelo educador no processo de avaliao.

    Trata-sedeumcontextosucinto,pormfundamentalparacompreenderaimpor-

    tncia da psicologia no desenvolvimento do indivduo.

    Desejamosumaboaleitura!

  • 9Unidade 1 - Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem

    UNIDADE 1PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E DA APRENDIZAGEM

    Captulo 1 Conhecendo os conceitos, 10

    Captulo 2 Umpoucodehistriaedefilosofia,13

    Glossrio,35

  • 10 Psicologia da aprendizagem e da avaliao

    1. Conhecendo os conceitos

    Para estudar a psicologia do desenvolvimento e a psicologia da aprendizagem

    necessriodefiniralgunsconceitosafimdequeseconheaostermosqueesto

    sendo adotados.

    Muitasdefiniesnosolineareseexatasechegamaseratmesmocontroversas,

    masseroapresentadasnestematerialparafacilitaroseuestudo.

    Psicologiaacinciaqueestudaocom-

    portamento e o pensamento humanos.

    Busca entender como o ambiente e a ex-

    perinciaafetamopensamentoeaao,

    e investiga de que maneira os fatores

    biolgicos e hereditrios influenciam no

    desenvolvimento das pessoas, acompa-

    nhandoatransformaodascrianasem

    adultos,examinandooqueestnocons-ciente e no subconsciente a partir de influnciassociais.acinciaquetenta

    explicar como as pessoas pensam, agem

    e sentem.

    Apsicologiamuitoampla,esuasreasabrangemapsicologiadodesenvolvimento

    eapsicologiadaaprendizagem,queserodefinidasaseguir.

    A psicologia do desenvolvimento tem como objeto de estudo os fenmenos

    comportamentais individuais ou em situao interacional do ser humano,

    descrevendoascapacidades,potencialidades,limitaes,ansiedades e angstias tpicasdecadafaixaetria.

    Esta rea da psicologia contribui para os estudos dos problemas emocionais

    (neuroses e psicoses, por exemplo), sociais (delinquncia, vcios e outros) eescolares(repetncia,evaso, distrbios de aprendizagem, por exemplo).

    Desse modo, a psicologia do desenvolvimento uma das bases para a psicologia

    da aprendizagem, e sua aplicao til para o trabalho de psiclogos, educadores,

    assistentessociaiseoutrosprofissionais.

    Paraentenderoprocessodedesenvolvimentodoserhumanonecessrioentender

    questesrelacionadasaprendizagem,pois,aoaprender,oserhumanotransforma

    seucomportamento,eissoinfluenciaseudesenvolvimento.

    Por essa razo, importante conhecer a psicologia da aprendizagem.

    Psicologiadaaprendizagemareadapsicologiaqueobserva,investiga,registra

    e analisa o processo por meio do qual o ser humano se apropria das formas

  • 11Unidade 1 - Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem

    de pensar e do conhecimento proveniente da experincia humana, a partir da

    interao social.

    A psicologia da aprendizagem aplicada educao e busca mostrar como

    possvel a aquisio do saber e da cultura acumulados pela interao entre

    professorealunos.

    Mas o que aprendizagem?

    Aprendizagem um termo muito utilizado na linguagem popular e, muitas vezes,

    comacepodiferentedaadotadaporpsiclogoseeducadores.

    Aprendizagemamodificaodocomportamentoapartirdeumprocessoativo

    e construtivo que possibilita ao aprendiz manipular estrategicamente os recursos

    disponveis,criandonovosconhecimentos,atitudeseemoescombasenaexpe-

    rincia,notreino,naobtenodeinformaesdoambienteenaintegraocoma

    estruturainformacionaljpresenteemsuamemria.

    Trata-se de um processo pessoal e gradual, em que aquilo que se aprende no

    sempreocorreto,poistambmsoaprendidoshbitosprejudiciaissade

    (comofumar),quenosonecessariamentedeliberados,masaprendidossemque

    sequer percebamos isso.

    ATENO! Aprender no simplesmente adquirir informao algo que vai alm disso. Nem toda mudana comportamental fruto da aprendizagem. Voc pode mudar seu comportamento por efeito do uso de um medicamento, ou por estar muito cansado, ou, at mesmo, em virtude de mudanas biolgicas, como a maturao sexual.

    Como vimos, a experincia tem um papel muito importante no processo de

    aprendizagem.

    A experincia ocorre quando a pessoa tem contato com algo, participa ou est

    exposta a eventos internos e externos aos quais sensvel.

    A mudana no comportamento que ocorre como resultado da experincia observvel, ou potencialmente observvel, e apresenta evidncias de que a

    aprendizagem ocorreu.

    Ressalta-se, tambm, a mudana no potencial para o comportamento, pois os

    efeitos permanentes da experincia nem sempre so aparentes. Nesse caso,

    ocorre amudanana capacidade, ou seja,napotencialidadepara fazer algo e,

    na disposio, na inclinao para o desempenho. A mudana pode permanecer

    latente, aguardando uma oportunidade para se revelar.

    Osestudosrelacionadosaprendizagemsomuitoutilizadoseconsideradosem

    pedagogia,cujoconceitoatualenglobaafilosofia,acinciaeatcnicadaeducao.

  • 12 Psicologia da aprendizagem e da avaliao

    Noentanto,analisandoaformaodapalavradeorigemgrega,temos:

    pais, paids = criana;

    agein = conduzir;

    logos = tratado;

    Portanto,apedagogiaestariarelacionadaeducaodecrianas.Assim,surgiuo

    termoAndragogia,jquenoscrianasaprendem,osadultostambmparticipam

    deprocessosdeaprendizagem.Andragogiaacinciaquebuscacompreendero

    processo de aprendizagem dos adultos.

    MalcomKnowles, consideradoumadas refernciasmundiais em educao de

    adultos, aborda comparativamente a pedagogia e a andragogia. Veja alguns

    tpicos abordados:

    Pedagogia Andragogia

    Ambiente de aprendizagem

    formale,geralmente,caracterizado por

    julgamentosdevalor.

    maisinformalecaracterizado pela

    cooperao e pelo respeito mtuo.

    ExperinciaGeralmente,aexperincia

    doprofessormaisvalorizada que a dos alunos.

    Emalgumassituaes,aexperinciaorecursomaisrico para a aprendizagem.

    Motivao

    resultadodeestmulosexternosaosujeitocomoaobteno de uma boa nota

    na prova.

    Mesmosensveisafatoresexternos, os de ordem

    interna motivam mais os adultos.

    Alm dos termos apresentados, outro muito utilizado ao abordarmos o conhecimento

    epistemologia,e,por isso, importanteconhec-lo.Aepistemologiaquestiona

    o modo como se conhece o mundo, indagando como o que considerado real,

    efetivamenteo.

    Umadasprincipaisreasdafilosofia,aepistemologiacompreendeapossibilidade

    doconhecimento,ouseja,sepossveloserhumanoalcanaroconhecimento

    total e genuno, analisando a origem do conhecimento.

    ATENO! Aqueles que estudam o conhecimento so chamados de epistemlogos. Um epistemlogo muito conhecido foi Jean Piaget, suo que viveu de 1896 a 1980 e fundou a epistemologia gentica, teoria do conhecimento com base no estudo da gnese psicolgica do pensamento humano.

  • 13Unidade 1 - Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem

    2.Umpoucodehistriaedefilosofia

    DesdeaAntiguidade,eramrealizadosestudoseinvestigaessobreaaprendizagem.

    Naquelapoca,ospovosdoEgito,daChinaedandia,daAntiguidadeOriental,

    utilizavam-sedospressupostosdaaprendizagemparatransmitirastradieseos

    costumes.

    Gregos e romanos, povos da Antiguidade Clssica, possuam duas linhas

    relacionadasaprendizagem:apedagogiadapersonalidade,quevisavaformao

    individual, e apedagogiahumanista, cujo objetivo eradesenvolver apessoade

    modo universal.

    Scrates, PlatoeAristtelesforamimportantesfilsofosdesteperodo.

    Scrates acreditava que o homem era composto de dois princpios: alma (ou esprito) e corpo. Para ele, a aprendizagem comea a partir do momento em que se

    admite a prpria ignorncia e que o indivduo, ento, se abre para o novo e para o

    despertardoconhecimentoquejpossuinaalma.oautordafamosafrase:Sei

    quenadaseiefoiumdefensordodilogocomomtododaeducao.

    Platoconsideradooprimeiropedagogodahistria.Segundoele,oobjetivodaeducaoeraaformaodohomemmoral,quepudesseviveremumEstadojusto.

    Eleacreditavaque,pormeiodoconhecimento,seriapossvelcontrolarosinstintos,

    agannciaeaviolncia.Paraele,osestudantesdeveriamficarvontadepara

    que pudessem vivenciar o aprendizado, desenvolvendo-se livremente. Seguindo

    essa linha de raciocnio, o conhecimento no seria transmitido aos alunos, eles

    deveriamserorientadosaprocurarasrespostasdesuasinquietaes,rejeitando,

    assim,mtodosdeensinoautoritrios.

    Plato Scrates Aristteles

  • 14 Psicologia da aprendizagem e da avaliao

    Aristteles considerava a imitao o princpio do aprendizado, assim, os bons hbitoseramformadosnascrianascombasenosexemplosdadospelosadultos.

    Paraele,aeducaoeraresponsvelpelocarterdoaluno.

    Oensinodequalquerofcio,comolereescrever,erarealizadoapartirdarepetio

    deexercciosgraduados,ouseja,cadavezmaisdifceis.Erautilizadoomtodo

    catequticocompostodeperguntaserespostas,deformaoraleescrita.Oaluno

    tinhadedecorarasrespostas,reproduzindoliteralmente,deformamecnica,as

    palavrasapresentadaspeloprofessor.

    Na Idade Mdia, surgem as escolas do pensamento:

    Escola Patrstica, representada por Santo Agostinho (354 a 430 d.C.), cujoobjetivoeraexplicaradoutrinacrist;

    EscolaEscolstica, representadaporSoTomsdeAquino (1226-1274),quebuscavaaharmonizaoentreafcristearazo.

    Nesseperodo,muitasescolassooficinasemqueas ideiassotransmitidascomo

    mercadorias.Oshomensrecebemensinamentosblicosedeofcioseasmulheresen-

    sinamentosrelacionadosadministraointernadeumacasa,visandoaomatrimnio.

    As escolas surgidas nessa pocatm o intuito de atender a uma demanda da nova

    classe social quenoprecisava trabalharparagarantir sua sobrevivncia,mas

    quetinhanecessidadedeocuparotempoociosodeformadigna.

    MuitasescolasdaIdadeMdiasocontroladaspelaIgreja,seguindoseusideaise

    suasrestriesmorais.

    Omtododeaprendizagemcentralizadonoprofessor.Seletemacessoaoslivros,

    por exemplo. responsvelporlereexplicarostextos,enquantooestudantedeve

    absorver e memorizar o contedo apresentado.

    PARA SABER MAIS! Vale a pena ler o especial Pensadores da Educao publicado no site Educar para crescer. Disponvel em: . Acesso em: 20 jan. 2015.

    DofinaldosculoXVIatosculoXVIIIsurgiramduasorientaesmetodolgicas:

    o empirismo e o racionalismo. O primeiro sustenta a importncia da observao

    e da experimentao; o segundo busca na razo os recursos para recuperao da

    certezacientficaetemcomoconeofilsofoRenDescartes(1596-1650).

    ATENO! Ren Descartes considerado o precursor do racionalismo e o pai da filo-sofia moderna. o autor da seguinte frase: A proposio Penso, logo existo a pri-meira e a mais certa que se apresenta quele que conduz seus pensamentos com ordem. Alm de Descartes, Spinoza (1632-1677) e Leibiniz (1646-1716) tambm foram respon-sveis pela introduo do racionalismo na filosofia moderna.

  • 15Unidade 1 - Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem

    O racionalismo influencia a concepo inatista da aprendizagem no contexto

    educacional. O inatismo baseia-se na crena de que as caractersticas e capa-

    cidadesbsicasde cada serhumano, comopersonalidade, valores, comporta-

    mento,pensamento,entreoutras,soinatas,ouseja,jestoprontasoupoten-

    cialmentedefinidasnomomentodonascimento.Dessemodo,otipodeensino

    baseado nessa concepo pressupe que o educador deve interferir omnimo

    possvel,apenasestimulandocaractersticasquejexistemeorganizandooco-

    nhecimento para o aluno.

    ATENO! Uma das crticas ao inatismo a impossibilidade de mudana, j que o indivduo nasce com o potencial de desenvolvimento definido. De acordo com esse ponto de vista, o meio em que a pessoa cresce no importante na formao de suas estruturas cognitivas.

    A outra abordagem que surgiu neste perodo e citada anteriormente o empirismo,

    que,comoracionalismo,umadascorrentesformadorasdafilosofiamoderna.

    De acordo com o empirismo, as pessoas nascem com a capacidade de aprender e

    asexperinciasadquiridasaolongodavidadeterminamoseudesenvolvimento.

    No contexto educacional, o empirismo influencia a concepo ambientalista de

    aprendizagem, inspirada na epistemologia empirista e positivista, alm de ter inspirado um tipo de ensino que se baseia na imitao, na memorizao, na

    repetio e na cpia.

    ATENO! Locke utilizou a expresso latina tbularasa, j usada por Aristteles, para ressaltar que a mente nasce vazia, ou seja, sem conhecimento inato. Essa expresso tem o sentido de folha de papel em branco.

    AlgunsdosrepresentantesdoempirismosoosfilsofosinglesesFrancisBacon

    (1561-1626),ThomasHobbes(1588-1679)eJohnLocke(1632-1704)eofilsofo

    escocsDavidHume(1711-1776).

    ATENO! O empirismo criticado por acreditar que a verdade nica e cabe apenas ao outro descobri-la. Dessa forma, o papel da educao simplesmente transmitir contedo, e o aprendizado se resume a decorar o que foi transmitido.

    NocomeodosculoXIX,surgiramasteorias associacionistas, e diversos pen-sadorescomearamaanalisaro impactodasrelaessociaisparaoensinoea

    aprendizagem,comacrenadequeaeducaofosseresultadodeumarelaode

    estmulo e recompensa.

    Aindahoje,possvelcitarvriosexemplosdeaprendizagemporassociao.

    Vejaalguns:

  • 16 Psicologia da aprendizagem e da avaliao

    1. Oferecimentode

    recompensas, como

    presentes, para

    crianasqueobtm

    sucesso escolar.

    2. Castigos para

    alunos que

    fracassamna

    escola.

    3. Sobremesa, balas,

    chocolates e

    guloseimas para

    crianas que comem

    tudo o que as mes

    colocam no prato.

    No incio dos anos de 1900, os psiclogos, especialmente os estadunidenses,

    voltaram--se aos aspectos mais objetivos do comportamento, dando origem ao

    behaviorismo ou comportamentalismo.

    Obehaviorismoacreditaqueapsicologiaacinciaqueestudaocomporta-

    mentoobservveleexplicaaaprendizagemcomoaspectoscomportamentaisa

    estmulosfsicos.

    Oprimeiropesquisador a estudar o comportamentalismo foi o psiclogo russo,

    IvanPavlov(1849-1936),queestudouocomportamentodeces.Seuobjetivoera

    comprovarocondicionamentoclssico.

    Umdos experimentosmais famososdePavlov foi observar o comportamento

    de ces para provar que era possvel associar um comportamento a um

    condicionante.Oexperimentoconsistiaemtransferirarespostadeumestmulo

    paraoutrodaseguinteforma:semprequeeleapresentavaumpedaodecarne,

    ocosalivava.Emseguida,passouaapresentarumpedaodecarneetocar

    um sino simultaneamente. Algum tempo depois, apenas ao tocar o sino o co

    jsalivava.

  • 17Unidade 1 - Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem

    Confiraaexplicaodoexperimentodeformagrfica:

    Alimento(estmuloespecfico) Salivao(respostanoaprendida)

    Campainha (estmulo condicionado) Resposta de orientao (ouvidos aguados)

    Alimento + campainha Salivao

    Campainha (estmulo condicionado) Salivao (resposta condicionada)

    Fonte:adaptadodeLefranois,G.R.Teorias da aprendizagem. SoPaulo:CengageLearning,2013,p.37.

    Esseexperimentocontribuiuparaochamadocondicio-

    namentoclssico,queafirmaquetodososcomporta-

    mentos poderiam ser trabalhados na relao estmu-

    lo-resposta.

    ATENO! O condicionamento clssico estudou as res-postas involuntrias do comportamento, como saliva-o, medo, sudorese e outras reaes sobre as quais no se tem controle absoluto.

    Os estudos de Pavlov serviram de base para a formulao da teoria do

    condicionamento operante, desenvolvida pelo psiclogo estadunidense Edward

    Thorndike (1874-1949) e, posteriormente, pelo psiclogo estadunidense Burrhus

    FredericSkinner (1904-1990).Nessecondicionamento,umestmulooferecido

    visando a determinada resposta; portanto, o processo de condicionamento no

    iniciado pelo prprio organismo, mas depende da atuao do ambiente sobre ele.

    Thorndike levou em conta que a aprendizagem humana depende da maturao

    doindivduo,damotivao,doexerccioedosefeitosdasprpriasresoluesde

    problemas,formulandoasseguintesleisdeaprendizagem:

    Leidoefeito:osucessoreforaasconexesnervosaseoinsucessoasenfraquece.

    Leidoexerccioourepetio:quantomaisvezesumestmuloutilizado,maisforteelesetorna,equantomenosutilizado,maisfracofica.

    Leidamaturidadeespecfica:paraqueaaprendizagemsejaefetiva,necessrioqueosujeitoestejapreparadoparaestabelecerumaligaoentreumestmulo-

    resposta.

    Thorndike estabeleceu a base para o condicionamento operante, mas Skinner

    consideradooresponsvelpelodesenvolvimentodesseconceito.

    Paraentenderocondicionamentooperante,precisoentenderdoistermos:reforo

    e punio.

  • 18 Psicologia da aprendizagem e da avaliao

    Reforo: estmulo que fortalece uma resposta, incentivando a ocorrncia e arepetio de um comportamento.

    Punio:estmuloquediminuiousuprimeocomportamento,fazendoqueelesejaevitado.

    O condicionamento operante ocorre da seguinte maneira:

    Observequeoreforoprovocaarepetiodaresposta.

    Tantooreforocomoapuniopodemserpositivosounegativos.

    No reforo positivo, ocorre aapresentao de um estmulo agradvel aps um comporta-mento desejado. Por exemplo,elogiaraquelequeseesforanasatividades escolares.

    No reforo negativo, ocorre a re-moodeumeventodesagradvelapso comportamentodesejado.Por exemplo, se o doente tomar os comprimidos deixa de sentir dores.

    Estmulo Resposta

    Punio

    Reforo

    Supresso da resposta

    Psicologia da aprendizagem

  • 19Unidade 1 - Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem

    Na punio positiva, ocorre a apresentaodeumaconsequn-cia desagradvel aps a real-izao de um comportamento no desejado.Porexemplo,quandoacriana tem mau comportamento e repreendida.

    Na punio negativa, um evento agradvel removido aps a re-alizao de um comportamento no desejado. Por exemplo, se acrianafazbirranaruadeixadepoder ver televiso durante uma semana.

    Skinner foi o responsvel pela criao damquina de ensinar, planejada com

    basenoconhecimentocientficosobreocomportamentocomopropsitodesero

    maiseficientepossvelnatarefadeensinar.Aideiaeraapresentarumaquesto

    paraoalunoe,combasenaresposta,fornecerumreforopositivo(casoestivesse

    correta) ou negativo (caso estivesse errada).

    PARA SABER MAIS! Assista ao vdeo disponvel no Youtube Skinner fala sobre a

    Mquina de Ensinar em que o prprio Skinner apresenta os princpios da mquina de ensinar e seus impactos na educao. Disponvel em: . Acesso em: 20 jan. 2015.

    ATENO! A corrente behaviorista sugere que seja utilizada a instruo programada no ambiente de ensino, ou seja, o aluno deve aprender com base em algumas etapas, projetadas para alcanar determinados objetivos que devem ser formulados e conduzidos pelo professor. Essa corrente recebe crticas por desconsiderar o processo de construo do conhecimento do aluno.

  • 20 Psicologia da aprendizagem e da avaliao

    Na dcada de 1930, os psiclogos estadunidenses Edwin R. Guthrie (1886-

    1959), Clark L. Hull (1884-1952) e Edward C. Tolman (1886-1969) estudaram

    as leis da aprendizagem. Para Guthrie, as respostas formam os componentes

    daaprendizagem, emvezdaspercepes oudos estadosmentais. ParaHull, a

    foradohbitoumdosprincipaisaspectosdaaprendizagemqueseprocessa

    gradualmente,paraalmdosestmulosoriginadospelas recompensas.Porfim,

    Tolman acredita que o sujeito aprende de acordo com o objetivo que pretende

    alcanar,percebendooserhumanonasociedadeemqueestinserido.

    Nessa poca, surge tambm o epistemlogo e pensador suo Jean Piaget (1896-

    1980),consideradopormuitosonomemaisimportantedaeducaonosculoXX

    ecomgrandeinfluncianapedagogiacontempornea.

    Piaget contribuiu muito com os seus estudos sobre o desenvolvimento mental e

    sobre o processo de construo do conhecimento.

    A teoria piagetiana afirma que o indivduo est em constante interao com o

    meio ambiente e que essa interao resulta em uma mudana contnua chamada

    adaptao. A aprendizagem, portanto, o conjunto de mecanismos criados e

    realizados pela pessoa na tentativa de se adaptar ao meio ambiente e ocorre de

    acordo com dois movimentos simultneos e integrados: a assimilao e a adaptao.

    A assimilao a integrao de um novo conceito s estruturas cognitivas

    j presentes, ou seja, o indivduo responde s situaes usando atividades ou

    conhecimentosjaprendidosouqueestopresentesdesdeonascimento.

    Aacomodaoacriaodeumanovaestruturaoumodificaodeumaestrutura

    existente, resultando em mudana.

    Para entender melhor esses conceitos, acompanhe o exemplo:

    Imagineumacrianaaprendendoonomedosanimais.Elaconheceocachorro,j

    quetemumnasuacasa.Derepente,elav

    um cavalo e exclama: Que cachorro enorme!

    O que aconteceu?

    As estruturas cognitivas da criana levam-na

    a pensar que o cavalo um cachorro grande

    (anda sobre quatro patas, tem pelo, rabo,

    focinhoetc.).

    Esse um exemplo de aprendizagem por

    assimilao (incluso do novo a uma

    estrutura existente). A criana integrou o novo

    conhecimento ao seu repertrio atual.

  • 21Unidade 1 - Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem

    Prosseguindo com o exemplo, imagine que o adulto, acompanhando a criana,

    diga:noumcachorro.outroanimal,chamadocavalo.Nessemomento,a

    crianapercebequeexistemalgumascaractersticasquediferenciamocachorrode

    umcavalo,ecriaumanovaestruturacognitiva,jquenohnenhumaestrutura

    existente para cavalo.

    Esse processo, para Piaget, a acomodao, a qual envolve a teoria de ensino

    baseadanoconfrontodoconhecidocomonovo.

    Como exemplos de forma de assimilao tm-se amanipulao dos objetos, a

    pesquisa e a coleta de dados, e como exemplos de acomodao existem o ensaio e

    oerro,areflexoeareorganizaooureelaboraodedados.

    ATENO! Nenhum comportamento s assimilao ou s acomodao, pois ambas acontecem juntas.O balano entre os dois processos (assimilao e acomodao) a equilibrao.

    Ocorre,porexemplo,quandoumapessoatemcontatocomumnovoobjeto,gerando

    umconflito,oquecausadesequilibrao.Paraconheceresseobjeto,oindivduo

    precisaseacomodaraeleemodificar-separaentopoderlidarcomele.

    Ocrescimentodaintelignciaocorreemconstantedesequilibraoeequilibrao,

    que um processo dinmico.

    Uma contribuio relevante da teoria piagetiana a estruturao dos perodos de

    desenvolvimento,quemarcamotipodeaprendizagemparaoqualacrianaest

    preparada.

    De acordo com essa teoria, o desenvolvimento cognitivo no ser humano ocorre

    em quatro estgios: sensrio-motor, pr-operacional (pr-operatrio), operatrio

    concretoeoperatrioformal.

    ConheceremosmaissobreessesestgiosnaUnidade2.

    AteoriadePiaget,emsuaessncia,umateoriadodesenvolvimentohumano,com

    nfasenagnese(oudesenvolvimento)doconhecimento,oquePiagetchamoude

    epistemologia gentica. No entanto, tambm uma teoria de aprendizagem, em que:

    a aquisio do conhecimento um processo desenvolvimentista que ocorre de formagradualpormeiodainteraodacrianacomoambiente;

    Novoobjeto Desequilbrio

    Assimilao

    Acomodao

    Equilibrao

  • A principal preocupao do livro Psicologia da aprendizagem e da avaliao trazer conceitos gerais, histrico e bases filosficasdapsicologiadodesenvolvimentoedaaprendizagem,envolvendo o processo para aprender e suas diferentescaractersticas:concepessobreanaturezahumana,asfasesevolutivas, tipos de avaliao, suas normas e tcnicas.

    PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM

    E DA AVALIAO

    ISBN 13: 978-85-221-2245-5ISBN 10: 85-221-2245-8

    CapaFicha catalogrficaRostoCrditosApresentaoPrefcioUNIDADE 1- PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E DA APRENDIZAGEM1. Conhecendo os conceitosMas o que aprendizagem?

    2. Um pouco de histria e de filosofiaO que aconteceu?

    Glossrio Unidade 1

    UNIDADE 2- O PROCESSO DE APRENDER1. Como o ser humano aprendeExemplo 1Exemplo 2Exemplo 3Fases evolutivasSociointeracionismoNeonativismoTeoria das teoriasPrimeiro ano de vidaPrimeira infnciaIdade do jogoIdade escolarAdolescnciaJuventudeFase adultaVelhice

    Glossrio Unidade 2

    UNIDADE 3- AVALIAO1. Conceito de avaliao2. Objetivos da avaliao3. Tipos de avaliaoAvaliao diagnsticaAvaliao formativaAvaliao somativa

    4. Normas e tcnicas de construo de avaliaoAvaliao oralTestes, provas e exerccios com questes abertas (dissertativas)Testes, provas e exerccios com questes fechadasObservaoEntrevistaBenefcios do processo de avaliao

    Glossrio Unidade 3

    UNIDADE 4- PSICOLOGIA E AVALIAO1. Afetividade, aprendizagem e avaliaoFeedback: importante etapa da avaliao

    2. Postura do educador no processo avaliativoGlossrio Unidade 4

    Referncias4Capa