regras de futsal

download regras de futsal

of 14

  • date post

    12-Mar-2016
  • Category

    Documents

  • view

    213
  • download

    1

Embed Size (px)

description

meu trabalho

Transcript of regras de futsal

  • Confederao Brasileira de Futebol de Salo - Futsal Fundada em 15 de Junho de 1979

    FUTSAL - Esporte genuinamente brasileiro

    Novas regras do futsal

    2011

  • Confederao Brasileira de Futebol de Salo - Futsal Fundada em 15 de Junho de 1979

    FUTSAL - Esporte genuinamente brasileiro

    Rua Coronel Ferraz, 52 - Edifcio Dona Bela - Bloco B Fortaleza Cear Brasil CEP: 60.060-150 Tel. 55.85.3533.8300 Fax: 55.85.3253.6425 e-mail: cbfs@cbfs.com.br

    Futsal do Brasil passa a adotar novidades na regra em 2011 A temporada de 2011 ainda nem comeou, mas o futsal brasileiro j tem novidades importantes. A partir do dia 1 de janeiro, passaram a vigorar as novas regras da modalidade e, por isso, rbitros, jogadores e comisso tcnica tero que ficar atentos s mudanas, aprovadas em setembro de 2010 pela comisso de arbitragem para futsal da Federao Internacional de Futebol (FIFA). Dentre as novidades, duas chamam mais a ateno. A primeira a que envolve a participao dos goleiros na partida e a segunda trata de lances que ocorrem aps o apito final do cronmetro. Outras mudanas tambm sero aplicadas, como a possibilidade de cobrar o tiro lateral sem a bola em cima da linha e a delimitao da rea reservada aos tcnicos. Para o diretor de arbitragem da Confederao Brasileira de Futebol de Salo (CBFS), Paraguassu Fisch de Figueiredo, as novas regras fazem parte da inteno da Fifa de difundir a prtica do futsal pelo mundo. Nossos jogos so vistos em todo o mundo e, por isso, temos que nos adaptar a essas regras, pois o futsal brasileiro referncia na modalidade, afirmou. Segundo ele, as mudanas no Brasil s passaram a valer a partir do dia 1 de janeiro, pois, no h como alterar as regras durante a temporada. A Fifa decidiu pela alterao no fim de setembro, mas nossas competies j estavam em andamento. Por isso, nas competies nacionais elas s comeam a valer a partir de 2011, explicou. Porm, todas as competies internacionais da modalidade disputadas a partir de setembro de 2010 j foram realizadas de acordo com as novas regras. Dentre elas, podem ser destacadas o 6 Grand Prix de Futsal, o Campeonato Sul-Americano sub-20, o I Torneio Mundial de Futsal Feminino e todos os amistosos da Seleo Brasileira. Mudanas O goleiro a posio mais afetada pelas novas regras, segundo Paraguassu. A principal mudana que, a partir de agora, quando o arqueiro efetuar o arremesso de meta, ele no mais poder receber a bola em qualquer parte da quadra sem ela tocar no adversrio. Caso ele receba a bola sem ela pegar em algum jogador do outro time, ser dado tiro livre indireto, explicou o diretor de arbitragem. Alm disso, com a bola em jogo, o goleiro s poder receber a bola no campo de ataque, o que ir alterar a utilizao do goleiro-linha. Segundo Paraguassu, a mudana quer evitar que os times usem a estratgia para, na expresso do futsal, cozinhar o jogo. No ter mais aquilo de ficar tocando a bola e fazendo o tempo correr. Por isso mudaram a regra, disse o dirigente. A ltima mudana em relao ao goleiro que, no arremeso lateral, ele s poder receber o passe no seu campo de defesa uma vez. Outra alterao importante trata do apito final do cronmetro. Agora, se um jogador chutar a bola e disparar o sinal do fim da partida, o rbitro deve esperar a concluso da jogada para encerrar o jogo. Caso a bola entre no gol ou toque no goleiro e ultrapasse a linha, o gol validado. No entanto, caso ela toque em qualquer outro jogador, a jogada terminada e a arbitragem pode encerrar a partida. Antes disso, o disparo da sirene significava automaticamente o final do jogo. As outras mudanas que Paraguassu destaca so a possibilidade de cobrana do lateral at a 25 cm para fora da linha lateral e a sada de bola do crculo central. Agora, para valer o gol, a bola tem que tocar em algum jogador adversrio. A ltima alterao destacada pelo diretor de arbitragem a possibilidade de iniciar a partida com uma equipe ou at as duas possuindo apenas o goleiro e dois jogadores de linha.

    Confira abaixo o novo texto das regras

  • Confederao Brasileira de Futebol de Salo - Futsal Fundada em 15 de Junho de 1979

    FUTSAL - Esporte genuinamente brasileiro

    Rua Coronel Ferraz, 52 - Edifcio Dona Bela - Bloco B Fortaleza Cear Brasil CEP: 60.060-150 Tel. 55.85.3533.8300 Fax: 55.85.3253.6425 e-mail: cbfs@cbfs.com.br

    REGRA 01 - QUADRA DE JOGO

    4- REA PENAL

    No sero permitidas marcaes na rea penal que no estejam previstas na regra. (Marcao dos cinco metros onde o goleiro deve ficar)

    8- ZONA DE SUBSTITUIES E REA TCNICA

    2. A rea tcnica dever ser marcada junto zona de substituies, a uma distncia de 0,75 (setenta e cinco) centmetros da linha lateral, no mesmo alinhamento do incio da zona de substituies e terminando 1 (um) metro aps o trmino da zona de substituies, fechando at o alinhamento dos bancos de reservas, onde o tcnico ou treinador poder permanecer em p e passar as instrues para sua equipe.

  • Confederao Brasileira de Futebol de Salo - Futsal Fundada em 15 de Junho de 1979

    FUTSAL - Esporte genuinamente brasileiro

    Rua Coronel Ferraz, 52 - Edifcio Dona Bela - Bloco B Fortaleza Cear Brasil CEP: 60.060-150 Tel. 55.85.3533.8300 Fax: 55.85.3253.6425 e-mail: cbfs@cbfs.com.br

    REGRA 03 - NMERO DE JOGADORES

    2- vedado o incio de uma partida sem que as equipes tenham no mnimo 3 (trs) jogadores, nem ser permitida sua continuao ou prosseguimento se uma das equipes, ou ambas, ficar reduzida a menos de 3 (trs) jogadores na quadra de jogo.

    4-

    h) No pode ser feitas substituies durante o pedido de tempo tcnico. Aps o sinal informando o trmino do tempo tcnico, os jogadores devem retornar para dentro da quadra e fazerem as substituies.

    INFRAES E SANES

    11.Quando 2 jogadores sendo um de cada equipe forem expulsos ao mesmo tempo, e antes de transcorrido os dois minutos das expulses um outro jogador for expulso, se essa equipe sofrer um gol, poder repor imediatamente um jogador no tempo correspondente a primeira expulso e as outras reposies sero aps completado dois minutos de cada expulso;

    26. Se um jogador for expulso antes do incio do jogo, poder ser substitudo por um jogador do banco de reservas. Se um jogador do banco de reservas for expulso antes do incio ou durante o jogo, no poder ser substitudo

    RECOMENDAES:

    i) O jogador no pode executar nenhuma cobrana antes de entrar na quadra; j) No permitir nenhuma pessoa no banco de reservas que no esteja relacionado em smula;

  • Confederao Brasileira de Futebol de Salo - Futsal Fundada em 15 de Junho de 1979

    FUTSAL - Esporte genuinamente brasileiro

    Rua Coronel Ferraz, 52 - Edifcio Dona Bela - Bloco B Fortaleza Cear Brasil CEP: 60.060-150 Tel. 55.85.3533.8300 Fax: 55.85.3253.6425 e-mail: cbfs@cbfs.com.br

    k) No permitir que sejam feitas substituies tentando ludibriar arbitragem e a equipe adversria.

    REGRA 04 - EQUIPAMENTOS DOS JOGADORES 1- vedado ao jogador o uso de qualquer objeto reputado pelo rbitro como perigoso ou nocivo prtica do

    desporto. O rbitro exigir a remoo de qualquer objeto que, a seu critrio, possa molestar ou causar dano ao adversrio ou a si prprio. No podero usar piercing, brincos, pulseiras, cordes, colares, anis ou alianas. No sendo obedecido em sua determinao, ordenar a expulso do mesmo.

    DA COMISSO TCNICA

    Os membros da comisso tcnica podem permanecer no banco de reservas usando bermudas desde que tenham uma identificao do clube (nome ou escudo) ou agasalhos, desde que sejam uniformes dos clubes. No ser permitido uso de camisas sem mangas, sandlias ou chinelos, uso de qualquer tipo de aparelho de comunicao (rdio, telefone, etc...)

    DOS RBITROS

    3- Quando em baixas temperaturas podero usar camisas de manga longa, cala, cinto, meias e tnis brancos.

    5- Os rbitros no podem usar relgios ou qualquer tipo de jias.

    RECOMENDAES:

    p) O jogador que sair da quadra para arrumar o uniforme somente pode retornar com autorizao de um dos rbitros;

    q) No permitir o uso de tornozeleiras por fora dos meies, ainda que sejam da mesma cor dos meies.

    REGRA 05 - RBITRO PRINCIPAL E AUXILIAR

    w) O rbitro auxiliar deve estar preparado para assumir a funo de rbitro principal em caso de necessidade;

    z) Os rbitros devem usar sempre as sinalizaes corretas de acordo com o livro de regras.

    RECOMENDAES:

    c) Os rbitros sempre que possvel devem aplicar a lei da vantagem;

    d) Os rbitros devem considerar algumas circunstncias para decidirem se devem aplicar a vantagem ou interromperem o jogo dependendo da falta, local onde ocorreu, oportunidade clara de gol ou falta aps a quinta;

    e) Quando for caso de aplicao de carto devem paralisar o jogo para penalizar, caso no seja uma situao clara de gol;

    f) Um dos rbitros deve contar os quatro segundos levantando um dos braos na vertical e que a contagem fique pblica, de acordo com a regra, exceto nos tiros livres diretos que dever contar mentalmente para no confundir com tiro livre indireto;

  • Confederao Brasileira de Futebol de Salo - Futsal Fundada em 15 de Junho de 1979

    FUTSAL - Esporte genuinamente brasileiro

    Rua Coronel Ferraz, 52 - Edifcio Dona Bela - Bloco B Fortaleza Cear Brasil CEP: 60.060-150 Tel. 55.85.3533.8300 Fax: 55.85.3253.6425 e-mail: cbfs@cbfs.com.br

    g) Quando os rbitros perceberem que por questes tticas o jogador atrasa o reinicio de jogo, pode iniciar a contagem dos quatro segundos, mesmo que o jogador no esteja de posse da bola;

    h) A lei de vantagem quando aplicada, o rbitro que est no lance dever sinalizar com o uso de seus dois braos em um ngulo de 45 graus, apenas por alguns instantes, e aps a paralisao do lance, mandar marcar uma falta acumulativa para a equipe infratora.

    REGRA 06 - CRONOMETRISTA E ANOTA