Relação entre Fortalecimento Muscular e Encurtamento dos ...· Existem vários tipos de...

download Relação entre Fortalecimento Muscular e Encurtamento dos ...· Existem vários tipos de contração

of 17

  • date post

    03-Dec-2018
  • Category

    Documents

  • view

    214
  • download

    1

Embed Size (px)

Transcript of Relação entre Fortalecimento Muscular e Encurtamento dos ...· Existem vários tipos de...

  • UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA

    FCS/ESS

    LICENCIATURA EM FISIOTERAPIA

    PROJETO E ESTGIO PROFISSIONALIZANTE II

    Relao entre Fortalecimento Muscular e Encurtamento

    dos Isquiotibiais aps Aplicao de um Programa de

    Fora e de Reeducao Postural Global (RPG) em Jovens

    no Praticantes de Atividade Fsica

    Mariana Costa

    Estudante de Fisioterapia

    Escola Superior de Sade UFP

    29146@ufp.edu.pt

    Prof. Dra. Lusa Amaral

    Escola Superior de Sade UFP

    lamaral@ufp.edu.pt

    Porto, 27 de Janeiro de 2017

    mailto:29146@ufp.edu.ptmailto:lamaral@ufp.edu.pt

  • Resumo

    Objetivo: Avaliar o efeito da tcnica reeducao postural global (RPG) no aumento da

    flexibilidade e a eficcia de um protocolo de fortalecimento muscular dos isquiotibiais, assim

    como a relao entre fora muscular e flexibilidade. Metodologia: um estudo experimental

    longitudinal prospetivo com 19 elementos de ambos os sexos, com uma mdia de idade de

    22,161,43 anos, divididos aleatoriamente em trs grupos: o controlo (GC), o grupo GF que

    realizou fortalecimento muscular dos isquiotibiais e o grupo GFA que realizou o mesmo

    protocolo de fora seguido de duas posturas de RPG. Avaliou-se a flexibilidade, pelo teste Sit

    and Reach, em todos os participantes e a fora muscular, atravs do clculo de 1RM, no GF e

    GFA. Resultados: Aps a aplicao do protocolo de RPG verificou-se que o GFA aumentou

    significativamente a flexibilidade (p=0,027), porm s o GF relatou aumento de flexibilidade

    quando comparado com o GC. A fora muscular no aumentou significativamente nos grupos

    experimentais mas observou-se que os ganhos foram maiores no GFA do que no GF (p=0,013).

    Concluso: Os resultados sugerem que a flexibilidade potencia o aumento de fora muscular.

    Palavras-chave: Fortalecimento muscular, alongamento, encurtamento, RPG.

    Abstract

    Objective: Evaluate the effect of Global Postural Re-Education (GPR) when it comes to

    increasing flexibility and the efficiency of a hamstring strengthening muscular protocol, as

    well as the relationship between muscular strenght and flexibility. Methodology: It is an

    experimental longitudinal prospective study with 19 elements of both sexes, with an age

    average of 22.16 1,43 years old, split randomly in three groups: the controle (GC), the GF

    group who did hamstring muscular strengthening and the GFA group who did two GPR

    postures. The flexibility has been evaluated trough the Sit and Reach Test in all participants,

    and the muscular strength through the 1RM calculation in the GF and GFA group. Results:

    After the application of the GPR protocol, it was noticed that the GFA had increased

    significantly the flexibility (p=0,027), however only the GF group had improved flexibility

    when compared with the GC. The muscular strength was not significantly increased in the

    experimental groups, but were observed major gains in the GFA in comparison with the GF

    (p=0.013). Conclusion: The results show that flexibility potentiates the gain of muscular

    strength.

    Key words: Muscular Strengthening, stretching, shortening, GPR.

  • 1

    Introduo

    Existem vrios tipos de contrao muscular e, por isso, os exerccios de fora podem ser

    realizados de forma isomtrica, isotnica ou isocintica. A contrao isotnica responsvel

    pela formao de movimento contra resistncia, ocorrendo encurtamento ou alongamento do

    msculo. A contrao concntrica caraterizada por uma diminuio do comprimento

    muscular, sendo que a resistncia aplicada menor que a fora produzida pelo prprio

    msculo. A contrao excntrica ocorre quando a fora muscular menor que a resistncia

    imposta ao msculo, provocando um aumento do comprimento das fibras musculares

    (Faulkner, Brooks e Oplteck, 1993).

    A contrao concntrica a mais utilizada em programas de treino fsico, apresentando como

    inconveniente a perda do comprimento normal dos msculos estticos (Souchard, 1996). A

    escolha deste tema baseou-se no facto de, cada vez mais pessoas praticarem exerccio fsico

    sem acompanhamento profissional e sem a incluso de exerccios ou posturas que promovam

    o alongamento, podendo resultar em grandes ganhos de fora mas tambm em encurtamentos

    e leses musculares.

    Ao contrrio do que se pensa, os alongamentos, alm de ativarem a sntese proteica,

    estimulam a adio de sarcmeros em srie, impedindo o encurtamento do msculo. Deste

    modo, no interferem na hipertrofia muscular e, por isso, deveriam ser realizados quando se

    tem em mente esse objetivo em simultneo com a preservao do comprimento muscular

    (Salvini cit. in Marques, 2005).

    Hoje em dia sabe-se que o comprimento do msculo durante a construo de pontes cruzadas

    uma varivel importante que influencia a fora muscular. Os msculos apresentam um

    comprimento ideal, no qual so capazes de gerar a tenso mxima. Na maioria dos casos, esse

    comprimento prximo do ponto mdio entre o comprimento mnimo e o mximo, pois

    nesse local que a actina e a miosina se ligam de modo mais eficaz (Gordon, Huxley e Julian,

    1966 cit. in Huber e Wells, 2009). Deste modo, quando ocorre encurtamento muscular h uma

    alterao na relao entre o comprimento e a tenso do msculo, limitando-o na produo de

    tenso adequada. Essa alterao pode levar tambm a uma fraqueza muscular associada

    (Gossman, Sahrmann e Rose, 1982).

    Para que um treino de fora seja efetivo tambm necessrio ter em conta os princpios de

    treino. O princpio da especificidade baseia-se nas particularidades de cada atividade, sendo

    que o programa de treino deve focar as caratersticas fundamentais para o desempenho da

    atividade em questo, com o objetivo de obter as adaptaes especficas do treino (Harris e

  • 2

    Watkins, 2001). O princpio da sobrecarga baseia-se na aplicao de um estmulo progressivo,

    tendo em conta a constante evoluo do indivduo (Sanders e Sanders, 2003 cit. in Deliberato,

    2007). Segundo o princpio da reversibilidade as alteraes estruturais e funcionais so

    transitrias pois o msculo volta ao seu nvel inicial, caso deixe de ser submetido carga

    habitual. A variabilidade individual de cada um tambm fundamental, sendo necessrio

    adaptar o treino a cada de indivduo de acordo com as suas caratersticas genticas e

    biolgicas (Harris e Watkins, 2001).

    De forma a sobrecarregar o msculo, essencial aumentar o volume de treino e, por isso,

    aumentar o nmero de sries e repeties, estando sempre relacionado com a capacidade

    mxima do indivduo (1 RM) (Kisner e Colby, 2007). Para o clculo de 1 RM necessrio

    recorrer ao protocolo Knihts Daily Adjused Progressive Resistive Exercise (DAPRE)

    (Christopher e Rajiv, 2009). Atravs da realizao do teste de 1 RM procura-se determinar a

    quantidade mxima de carga que a pessoa consegue realizar apenas uma vez, em toda a

    amplitude de movimento, sem apresentar sinais de fadiga (Deliberato, 2007).

    Para alm do treino de fora, o treino da flexibilidade um componente essencial em

    qualquer programa de exerccio (Krivickas, 2001). A flexibilidade a amplitude de

    movimento de uma ou vrias articulaes e influenciada pelos tendes, ligamentos, ossos e

    msculo, sendo este ltimo o maior contribuinte (Anderson e Burke, 1991 e Corbin, 1984 cit.

    in Krivickas, 2001). E atravs dos alongamentos que se potencia a flexibilidade e a

    amplitude de movimento, melhorando o desempenho muscular dos indivduos (Souchard,

    1996).

    Na realizao de exerccio fsico e na prtica clnica so utilizados vrios tipos de

    alongamentos, sendo o alongamento esttico um dos mais comuns (Weijer, Gorniak e

    Shamus, 2003). Este utilizado para alongar isoladamente um msculo at um ponto

    tolervel e manter a posio por, aproximadamente, 30 segundos, sendo assim considerado

    segmentar (Teodori, Negri, Cruz e Marques, 2011). Por sua vez, o global alonga vrios

    msculos em simultneo, pertencentes mesma cadeia muscular, e parte do pressuposto de

    que um msculo encurtado cria compensaes em msculos prximos ou distantes (Souchard,

    1996).

    A Reeducao Postural Global (RPG), mtodo proposto por Philippe-Emmanuel Souchard

    visa promover o reequilbrio muscular e obter a flexibilidade ideal (Souchard, 1996). Este tipo

    de alongamento tem por base alongar vrios msculos organizados em cadeias, utilizando

    posturas mantidas por um perodo de tempo, entre 15 a 20 minutos (Teodori, Negri, Cruz e

  • 3

    Marques, 2011). Segundo o autor da tcnica, todas as posturas insistem sobre a flexibilizao

    dos msculos inspiratrios e tem como base estiramentos prolongados (Souchard, 1996).

    Este estudo apresenta como principal objetivo verificar se existe relao entre o

    fortalecimento muscular dos isquiotibiais e o seu encurtamento, caso no sejam realizados

    alongamentos. Para alm disso, pretende-se analisar se a tcnica de RPG tem efeitos no

    aumento da amplitude da cadeia posterior, assim como se o protocolo de fora muscular

    aplicado resultou em ganhos de fora.

    Metodologia

    Tipo de estudo

    Este um estudo experimental longitudinal prospetivo realizado na Universidade Fernando

    Pessoa.

    Amostra

    Para selecionar a amostra do presente estudo foram definidos como critrios de incluso

    indivduos voluntrios de ambos os gneros, assinar o consentimento livre e informado,

    apresentar idade compreendida entre os 20 e 25 anos e no praticar atividade fsica regular,

    com base