Revista Agente Urgente #93

of 48 /48
ANO XIX Fevereiro / Março / Abril 2012 - Nº 93 ELA VAI VOLTAR! Pedreira Paulo Leminski reabrirá para shows após obras Tudo sobre o 18 º Salão Paranaense | Entrevista com Juliana Vosnika | Turismo na Colômbia

Embed Size (px)

description

Revista da Agência Brasileira de Agentes de Viagem - Seção Paraná

Transcript of Revista Agente Urgente #93

  • ANO XIXFevereiro / Maro / Abril

    2012 - N 93

    Ela vai voltar! Pedreira Paulo Leminski

    reabrir para shows aps obras

    Tudo sobre o 18 Salo Paranaense | Entrevista com Juliana Vosnika | Turismo na Colmbia

    FORTALEASUAS ALIANAS NO TURISMO

    MARQUE PRESENA NO18 SALO PARANAENSE DE TURISMO.Garanta j seu espao!

    Informaes e reservas:Tel.: 55 41 3223-3411 | Fax: 55 41 3324-9242

    [email protected]

    Valor - Associados ABAV-PR rea laranja: R$ 325,00/m2

    rea verde R$ 395,00/m2

    Valor No Associadosrea laranja : R$ 481,00/m2

    rea verde R$ 554,00/m2

    Trav. Nestor de Castro, 247 sl 16 | 80020-120 | Centro | Curitiba - PR.

    tel.: 55 41 3223-3411 | fax: 55 41 3324-9242

    [email protected] www.abav-pr.com.br

    42 Anos com o Agente de Viagens

    Aten

    o pa

    ra

    a nov

    a data

    :

    2 e 3

    de m

    aro d

    e 2012

    EXPO UNIMED CURIT IBA

    2 e 3 MARO2 0 12

  • fevereiro/maro/abril 20124 //informativo agente urgente

    Artigo: Mostra das regies tursticas traz O Paran que conhece o Paran ................ 10

    Aldo Rebelo:Mundial certo em Curitiba ..................12

    Afonso Pena, de So Jos dos Pinhais? ...18Incentivo ao desenvolvimento

    do litoral ....................................................20Ecomuseu reaberto

    com maquete gigante ................................28Cumbica, Viracopos e Braslia

    so privatizados .........................................30Cataratas oficialmente

    Maravilha da Natureza ..............................32Projetos com pases vizinhos devem

    fortalecer o turismo na fronteira ...............35Regulamentao de remessa de valores

    para coberturas de gastos no exterior .......36Artigo: Agentes de Viagens so

    a melhor opo para auxiliar o turista.......39

    Jornalista responsvel:Edson Gis Milito da Silva 490.445 V/TRedao e Editorao Eletrnica:RDR Comunicao - Diogo Dreyer eRudney FloresComercializao:Edson Milito Publicidade. Av. Cndido de Abreu, 660 - cj. 1908 - 80530-000 - Curiti-ba/PR - Fone/fax: (41) 3252-1203 [email protected] Comercial:Paulo MosimannColaborao: Flamma ComunicaoFoto da Capa:Carlos Ruggi/SMCSImpresso: Grfica AptaTiragem: 6.000 exemplares - distribuio gratuita, via mala diretawww.agenteurgente.com

    DIRETORIA: Presidente: Celso Jos TesserVice-presidentes: Roberto Bacovis e Fer-nando Valente. Diretor Secretrio e Ad-ministrativo: Lisandro do Nascimento Vasconcelos. Diretor Financeiro e de Patri-mnio: Luiz Benhur Loures. Diretor de Re-laes com o Mercado: Geraldo Jos Zai-dan Rocha. Diretor de Turismo Receptivo: Silvio Bertoldi. Diretora de Capacitao Profissional: Ana Paula Lacerda Garcia. Diretor de Servios aos Associados: Edson Luiz Wistuba.CONSElhO DElIbERATIvO:Titulares: Tricia Sander, Josanne Rizental Titulares: Roberto Bacovis, Fernando Va-lente, Geraldo Jos Zaidan Rocha, Silvio Bertoldi, Antonio Joo Monteiro de Aze-vedo, Eraldo Palmerini, Josanne Rizental Savas, Felipe Santiago Gonzalez, Maria Lu-cineide Nicolau Silva e Dirceu Luis Gambi-ni / Suplentes: Paulo Roberto Batista Sta-chowiak, Flvia Sandreschi Reis e Cludia Martins Lima CastroCONSElhO FISCAl:Titulares: Irene da Conceio Penna Fer-reira, Mauro Ehalt Lopes e Jeanine Degraf Enei / Suplentes: Pedro Kempe, Gil Hailton Pereira Miranda, e Lcia Jandira Fontoura.CONSElhO DE TICA:Joo Alceu Rigon Filho, Pedro Cristiano Vega Falcn e Elaine Schneider / Suplente: Meron Kuczuvel Filho. CONSElhO NA AbAv NACIONAl:Titulares: Antonio Joo Monteiro de Aze-vedo, Celso Jos Tesser, Roberto Bacovis, Felipe Santiago Gonzalez, Eraldo Palme-rini, Jos Roberto Ghisi, Geraldo Jos Zai-dan Rocha e Flvia Sandrechi ReisSuplentes: Tricia Sander, Fernando Ricott Valente e Pedro Cristino Vega Falcn.CONSElhO EDITORIAl:Antonio Joo Monteiro de Azevedo; Cel-so Jos Tesser; Roberto Bacovis; todos os demais diretores e delegados regionais; e Assessoria de Comunicao.

    Correspondncias para a redao:Travessa Nestor de Castro, 247 - 1 andar - conjs. 16 a 20 - 80010.120 - CentroCuritiba/PR. Fone: 55 41 3223-3411Fax 55 41 3324-9242.E-mail: [email protected]

    EXPEDIENTE

    DESTAquES ESPECIAIS

    Juliana vosnika: No comando do turismo curitibano ....... 14

    Presidente do Instituto Municipal de Turismo fala sobre sua gesto

    A volta da Pedreira ........................... 22-23Acordo pe fim ao imbrglio judicial e espao poder voltar a receber shows

    //ndice #93

    NOvIDADES EM uShuAIA PARA AS FRIAS DE JulhO

    No dia 13 de fevereiro, a Secretaria de Turismo de Ushuaia e a Aerolneas Argentinas reuniram os agentes de viagens na sede da ABAV-PR para uma mostrar as novidades do municpio argentino para a temporada de outo-no-inverno 2012. A ABAV-PR apoiou o evento e preparou um saboroso coffee brake para receber os agentes de

    viagens participantes. A capacitao foi ministrada por Cristiane Cavalli, a responsvel pelos assuntos internacio-nais da Secretaria de Turismo de Ushuaia.

    DIV

    ULG

    A

    O

    /FLA

    MM

    A C

    OM

    UN

    ICA

    O

    As novidades doTurismo para 2012 ............................ 24-25

    18 Salo Paranaense de Turismo estima receber perto de 5 mil profissionais

    Colmbia A joia do turismo sul americano ....... 26-27Conhea um dos pases que est revolucionando a indstria turstica PERIDICAS

    Editorial .................................................... 5Notcias da ABAV-PR ..................................7Notcias da ABAV Nacional .....................8-9Hotis ......................................................12Notcias de SC, por

    Paulo Mosimann ...................................15-17Avies ......................................................32Rotas Internacionais ................................34Ministrio do Turismo .............................34Navios ......................................................36Dicas de viagem ......................................38Agncias cadastradas

    na ABAV-PR ...........................................40-41Notcias do Trade............................. 42 e 44

    FORTALEASUAS ALIANAS NO TURISMO

    MARQUE PRESENA NO18 SALO PARANAENSE DE TURISMO.Garanta j seu espao!

    Informaes e reservas:Tel.: 55 41 3223-3411 | Fax: 55 41 3324-9242

    [email protected]

    Valor - Associados ABAV-PR rea laranja: R$ 325,00/m2

    rea verde R$ 395,00/m2

    Valor No Associadosrea laranja : R$ 481,00/m2

    rea verde R$ 554,00/m2

    Trav. Nestor de Castro, 247 sl 16 | 80020-120 | Centro | Curitiba - PR.

    tel.: 55 41 3223-3411 | fax: 55 41 3324-9242

    [email protected] www.abav-pr.com.br

    42 Anos com o Agente de Viagens

    Aten

    o pa

    ra

    a nov

    a data

    :

    2 e 3

    de m

    aro d

    e 2012

    EXPO UNIMED CURIT IBA

    2 e 3 MARO2 0 12

  • fevereiro/maro/abril 2012 //informativo agente urgente 5

    Para a ABAV-PR, o ano comeou acelerado. Antecipamos a realizao do 18 Salo Paranaense de Turismo, pois na data divulgada no ano passado para o evento foi marcado um outro importante encontro do segmento. Se-lecionamos a nova data para no haver confronto para os expositores. A partir desta deciso, tivemos que apertar o passo e correr para preparar tudo.

    Cientes do desafio, corremos con-tra o tempo, as festas de final de ano, Carnaval e o calendrio das empresas do segmento. O resultado um 18 Salo Paranaense de Turismo compe-

    tente, com programao de palestras consistentes, expositores animados e todo um esforo em proporcionar o acesso dos agentes de viagens ao evento. Com as caravanas, esperamos trazer agentes de viagens de outras localidades, nos dois dias de Salo.

    Se por um lado ver o evento acon-tecendo muito recompensador, por outro muito complicado estar sozi-nho. As parcerias da iniciativa privada viabilizam grande parte do evento, enquanto novamente o governo fe-deral vira as costas para esse, que o momento de encontro e discusso

    celso tesserPresidente ABAV-Pr

    Realizaremos um 18. Salo Paranaense de Tu-rismo competente, com programao de pales-

    tras consistentes e expositores animados.

    SUPERAO E RAA PARAALCANAR OBJETIVOS EM 2012

    do turismo no sul do pas e tambm no Mercosul. Mais uma vez, o Minis-trio do Turismo no incentivou o Sa-lo, ainda que a ABAV-PR estivesse de acordo com todas as exigncias legais.

    A Prefeitura de Curitiba, na pes-soa da presidente do Instituto Mu-nicipal de Turismo, Juliana Vosnika, e o Governo do Estado do Paran, personificado pelo secretrio de es-tado do Turismo, Faisal Saleh, buscam alternativas para mostrar uma Curi-tiba inovadora e diferenciada e um estado mltiplo em oportunidade de Turismo. Os expositores trazem suas

    novidades para a alta temporada de vendas. Espera-se que os agentes de viagens aproveitem tambm as opor-tunidades deste grande encontro, comparecendo no apenas Feira, mas tambm programao de pa-lestras sempre atrativa e variada.

    Que esses dois dias de evento se-jam repletos de bons negcios, novos contatos, aprendizado mtuo, alegrias e tambm boas perspectivas para esse ano que chega cheio de oportunidades!

    Celso TesserPresidente da AbAv-PR

    //editorial

    FOTO

    : KEL

    Ly K

    NEV

    ELS

  • 6 //informativo agente urgente fevereiro/maro/abril 2012

    notcias da ABAV-PR

    Vale registrar as imagens da festa de encerramento de 2011 da delegacia regional da ABAV-PR de Foz do Iguau. O evento aconteceu na noite de 14 de dezembro de 2012, contando com apoio da TAM Linhas Areas, CVC e GJP Hoteis, e foi prestigiado por cerca de 70 pessoas, entre proprietrios de agncias de viagens, personalidades do trade turstico e imprensa especializada. Entre as autoridades presentes no jantar, destacam-se: Felipe Gonzalez (Secretrio Municipal de Turismo de Foz do Iguau), Gilmar Piolla (superintendente de Comunicao da Itaipu), Guilherme Tell (Turismo Itaipu), Mauro Sebastiani (ABIH), Jaime Nascimento (presidente do Comtur), entre outros.

    Na ocasio, os vice-presidentes Roberto Bacovis e Fernando Valente homenagearam o empresrio Guilherme Paulus, presidente do conselho da CVC e presidente da GJP Hoteis, pelo empreendimento Iguassu Resort Hotel, que j considerado um dos melhores hotis do Brasil.

    FOZ DO IGUAU RENE AGENTES DE VIAGENS EM FESTA

    FOTOS: MARCOS lAbANCA

  • 8 //informativo agente urgente fevereiro/maro/abril 2012

    notcias da ABAV-Nacional

    Em entrevista ao Portal Panro-tas, Antonio Azevedo, presidente da ABAV Nacional, destacou as mudanas j definidas para a pr-xima edio da Feira das Amri-cas, que neste ano ser realizada pela Promo Inteligncia, em lugar da Reed Exhibitions. A substitui-o da empresa ocorreu por dois motivos. Por um lado, a Reed no atingiu as expectativas que a ABAV Nacional tinha quando entregou a comercializao da feira para ela; por outro, houve certa deslealda-de da Reed com a ABAV ao pro-mover no Brasil a verso latino--americana da WTM, esclarece o presidente.

    Segundo Azevedo, este ser o ltimo ano da Feira das Amricas no Rio de Janeiro o evento ser realizado no Riocentro, entre os dias 24 e 26 de outubro. Com-pletamos um ciclo de dez anos do evento no Rio e hora de mudar. O associado quer essa mudana. Ele vai para a feira tambm para conhecer destinos e identificamos a saturao do Rio de Janeiro,

    MUDANAS NA FEIRA DAS AMRICAS

    A 40 edio do principal evento da ABAV Nacional, a Feira das Am-ricas, que ser realizada entre 24 e 26 de outubro, no Riocentro, no Rio de Janeiro, ser marcada por novi-dades. Entre elas esto facilidades para quem visita o evento com o intuito de fazer negcios, como o caso de rodadas de negcios e a criao de salas de treinamento, nas quais os expositores e visitantes po-dero interagir, com incremento das atividades de networking, alm de oferecer capacitao aos agentes de viagens.

    Alm disso, a Promo Inteligncia, empresa organizadora do evento, realizou uma criteriosa pesquisa de mercado e uma srie de visitas tc-nicas ao Riocentro para a otimizao do espao e a criao da planta bai-

    FEIRA TRAR NOVIDADES

    revela. Neste momento, a ABAV Na-cional estuda que destinos brasileiros poderiam receber a feira em 2013, deciso que deve ser anunciada nos prximos meses.

    Em seu ltimo ano no Rio, a Fei-ra das Amricas ter mudanas. Para valorizar os treinamentos e capacita-es, o pavilho 2 do Riocentro rece-ber o Congresso da ABAV. Assim, os agentes podero visitar a feira es-tando mais prximos dos seminrios e palestras que desejarem acompa-nhar, justifica Azevedo. No pavilho 3, a Amrica Latina estar reunida o que inclui os destinos brasileiros.

    O pavilho 4, dedicado ao setor privado, tem menos mudanas, mas abrigar neste ano o espao da Bra-ztoa. Faz mais sentido que as ope-radoras estejam com o trade, com as empresas, do que junto aos destinos, explica o presidente. As vendas de es-paos e estandes na Feira das Am-ricas j esto abertas informaes pelo fone (11) 3905-6300 e pelo e-mail [email protected] Outras informa-es no site www.feiradasamericas.com.br. ANTONIO AZEVEDO ANUNCIA NOVIDADES NA DA FEIRA DAS AMRICAS.

    DIV

    ULG

    A

    O

    AB

    AV

    NA

    CIO

    NA

    L

    xa da feira. De antemo, a empresa divulga que sero utilizados quatro pavilhes neste ano: trs voltados para a feira representando 18 mil m de rea construda, 12% a mais em relao ao ano passado e um dedicado exclusivamente ao Con-gresso da ABAV.

    Outras novidades so a criao de um espao focado no mercado corporativo, em parceria com a As-sociao Brasileira de Agncias de Viagens Corporativas (Abracorp), voltado exposio e divulgao do trabalho dos Conventions & Visi-tors Bureau, e a disponibilizao de sete bistrs temticos, que funcio-naro como polos gastronmicos regionais e oferecero aos partici-pantes uma grande variedade da culinria nacional e internacional.

    Com o objetivo de homenagear os 65 destinos indutores do desen-volvimento turstico regional, divul-gados pelo Ministrio do Turismo, a ABAV Nacional lanou a campanha O Nosso brasil. A ao contempla o envio de peas grficas no dia do aniversrio de cada cidade em que esto localizadas as 27 sedes estaduais da ABAV; para as agn-

    ABAV LANA CAMPANhA O NOSSO BRASIL

    cias de viagens associadas enti-dade cerca de 3,5 mil , alm de autoridades polticas e rgos tu-rsticos locais de cada destino ho-menageado. As primeiras cidades agraciadas com a campanha foram So Paulo e Macap, que comple-taram 458 e 254 anos, no dia 25 de janeiro e 4 de fevereiro, respec-tivamente.

    Confira a declarao de Antonio Azevedo sobre estudos publicados pela ABTA (Associao das Agncias de Viagens da Inglaterra) e ASTA (Associao das Agncias de Via-gens dos Estados Unidos):

    Os estudos recm-divulgados pela ABTA e pela ASTA so comple-mentares, relevantes e reveladores. Isso porque a tendncia do aumento da demanda pelo atendimento per-sonalizado das agncias de viagens qualificadas e posicionadas como consultorias de viagens, apontado pela ABTA, em nada conflita com o fato da rede de agenciamento tam-bm utilizar, cada vez mais, a inter-net, as redes sociais e os aplicativos para smartphones para facilitar o atendimento personalizado a seus clientes, como aponta o estudo da ASTA. O aumento no nmero de agncias de viagens que disponi-bilizam informaes, itinerrios e

    ESTUDOS ABTA E ASTAoutros servios aos seus clientes por meio de dispositivos mveis nos EUA, por exemplo, s ratifi-ca a busca constante das agncias pela oferta de servios sob medida. Seja na Europa, nos EUA, no Brasil ou em qualquer outra regio, as agncias de viagens devem recor-rer a recursos tecnolgicos apro-priados ao perfil dos seus clientes, para assegurar o mais importante: a excelncias do atendimento s suas expectativas.Outro fator que ajuda a demonstrar a convergn-cia dos resultados apontados pelas duas pesquisas, inditas e atuais, a crescente utilizao do CRM (Cos-tumer Relationship Management). As agncias de viagens que melhor conhecem os hbitos e as prefern-cias de seus clientes so aquelas que podem melhor ofertar servi-os, que asseguram a fidelidade de clientes cada vez mais exigentes.

    No final de janeiro, em Madri, A ABAV marcou presena, por mais um ano, na Feira Internacional de Turismo (Fitur), a maior do setor turstico em nmeros absolutos de participantes e visitantes. Na oca-sio, o presidente da entidade, An-tonio Azevedo, se encontrou com o ministro do Turismo, Gasto Vieira, para conversar sobre algumas aes

    ABAV NACIONAL NA FITURconjuntas com o MTur. Frequen-tador da Fitur desde 1998, este o primeiro ano em que Antonio Azevedo o faz como presidente da ABAV. Segundo ele, a feira sempre foi uma referncia para a Feira das Amricas, o que o levou a percor-rer com especial interesse as novas reas do evento, como a Fitur Tech, salo dedicado tecnologia.

  • fevereiro/maro/abril 2012 //informativo agente urgente 9

    Com a chegada do vero, a compra de pacotes tursticos cresce em todo o pais. A tendn-cia que, nessa poca do ano, em 2012, a procura por viagens domsticas e internacionais au-mente, em mdia, cerca de 12%, comparado com igual perodo de 2011.

    Porm, antes de efetuar a compra, o consumidor deve es-tar atento a algumas recomen-daes para no cair em golpes de empresas fraudulentas, que esto dispostas a atacar, princi-palmente, nos perodos de frias escolares, quando a demanda por pacotes tursticos maior, afirma Antnio Azevedo, presi-dente da Associao Brasileira de Agncias de Viagens ABAV Nacio-nal.

    A iniciativa da ABAV Nacional refora as aes empreendidas pelo Ministrio do Turismo em favor da divulgao de direitos e dicas para um turismo tranqilo e que, atravs do Guia de Bolso Viaje Legal, recomendam ao con-sumidor: Verifique junto ao Pro-con e as entidades de classe dos prestadores de servios tursticos como: ABAV, Associao Brasileira de Indstria de Hotis, entre ou-tras, para confirmar se existe algu-ma queixa ou denncia registrada contra o prestador escolhido.

    Modernamente posicionadas como consultorias de viagens, que atuam como mandatrias dos legtimos interesses de seus clientes, cada vez mais fldeliza-dos, as agncias de viagens as-sociadas ABAV possuem, obriga-toriamente, registro nos rgos competentes.

    ABAV ALERTA CONSUMIDOR SORE FRAUDES

    No incio da janeiro, a nova di-retoria da ABAV Nacional visitou o escritrio da TAP, em So Paulo. Na oportunidade foram discutidas as possibilidades de aes conjun-tas para os prximos anos e foi er-guido um brinde, atravs do tradi-cional porto de honra.

    A ABAV Nacional acredita que algumas aes em conjunto com a TAP podem trazer melhorias para o setor turstico como um todo. A companhia a empresa com o maior nmero de voos comerciais do Brasil para a Europa e atua como um hub, tanto do Brasil para Europa, como da Europa para o Brasil. Sabemos da motivao da area em construir um mercado

    TAP E ABAV BRINDAM PARCERIAmais forte e isso nos incentiva ainda mais a fechar parcerias, declarou Antonio Azevedo, o presidente da ABAV Nacional.

    A ABAV tem a maior feira da rea no pas, na qual esto to-dos os fornecedores que operam no Brasil. Desde que assumimos na TAP, em 2001, aumentamos a nossa participao no evento. Temos feito um grande esforo em levar operadores do mundo inteiro. o momento e o local em que tudo acontece, l que esto todos os principais ar-ticuladores do trade brasileiro, completou Mario Carvalho, dire-tor geral da TAP para a Amrica do Sul.

    No dia 8 de fevereiro, na sede da ABAV Nacional, em So Pau-lo, o ex-presidente da entidade, Carlos Alberto Amorim, o Kak, descerrou a sua placa na galeria de fotos de ex-presidentes da as-sociao. Na ocasio, estiveram presentes o atual presidente da ABAV Nacional e grande amigo de Kak, Antonio Azevedo, alm de vice-presidentes e membros dos conselhos fiscal e de tica, que fo-ram a So Paulo para participarem da segunda reunio da diretoria

    hOMENAGEM A KAK

    AO LADO DE AZEVEDO, KAK FAZ DISCURSO APS O DESCERRAMENTO DA SUA PLACA NA GALERIA DOS PRESIDENTES DA ABAV.

    da entidade na atual gesto.Para Azevedo, Kak merece a

    homenagem porque no fcil ser presidente da ABAV por tan-tos anos. A ABAV uma entidade muito motivadora, mas que exige muita dedicao. Ele fez algumas inovaes, mudanas necessrias, indicou alguns rumos e estamos procurando seguir esse caminho na mesma direo. Essa placa vai permitir que ele fique sempre nos olhando, servindo de guia para que ns sempre faamos o melhor

    DIV

    ULG

    A

    O

    AB

    AV

    NA

    CIO

    NA

    L

    para a ABAV.J Kak, declarou que o des-

    cerramento da placa momento especial, pois repreesnta um ciclo que se fecha. Todos esses anos que eu estive na presidncia da ABAV foram muito importantes, porque sempre tive uma relao muito boa com todos aqui dentro. Eu s tenho a agradecer entida-de e a todos os outros presidentes, pois cada um teve a sua importn-cia e contribuiu para o avano da associao, lembrou.

    ENCONTRO DA DIRETORIA DA ABAV NACIONAL COM A DIRETORIA DA TAP BRASIL.

    DIV

    ULG

    A

    O

    AB

    AV

    NA

    CIO

    NA

    L

  • fevereiro/maro/abril 201210 //informativo agente urgente

    Por Faisal saleh*

    A 8.Mostra das Regies Tursticas, que acontece paralelamente ao 18 Salo Paranaense de Turismo, dias 2 e 3 de maro no Expo Unimed em Curiti-ba, promovido pela Associao Brasi-leira de Agentes de Viagem do Paran (ABAV- PR), constitui-se numa grande vitrine e balco de negcios para nos-so estado.

    Tendo como tema central O Para-n que Conhece o Paran, nesta edi-o, a Secretaria de Estado do Turismo apresentar as dez regies tursticas paranaenses. Um evento estratgico de mobilizao, promoo e apoio a comercializao dos produtos e rotei-ros tursticos desenvolvidos a partir do processo de regionalizao. uma grande oportunidade para as regies exporem em um s local seus atrati-vos e servios tursticos, mostrando a diversidade turstica paranaense aos agentes de mercado, gerando neg-cios e fortalecendo a Marca Paran.

    Estaremos apresentando tambm aos visitantes, em especial aos agen-tes de viagem elos de ligao com o mercado, importantes canais de distri-buio para os produtos paranaenses. Alm das regies tursticas e respec-tivas instncias de governana, apre-sentaremos o novo portal da internet, com o firme propsito de fortalecer a Marca Paran, a cultura da viagem e da hospitalidade e o Pacto Paran pelo Turismo.

    O Salo um dos mais importan-tes eventos de turismo realizados no Paran, Sul do Brasil e Mercosul, des-tinado aos profissionais do setor com objetivo de fortalecer o segmento, ca-pacitar profissionais e promover par-cerias de negcios e contatos.

    A exemplo das edies anteriores, a Mostra, assim como o Salo, con-ta com a parceria do Sebrae Paran, atravs da insero de seus programas regionais de turismo nos balces das regies, e do Portflio 15x15, evento que apresentar produtos tursticos do Paran, que se destacam em dife-rentes atividades e segmentos, com o grande intuito de aproximar vendedo-res de compradores.

    PACTO PARAN PARA O TuRISMOA atividade turstica no Paran

    apresentou, segundo pesquisas da Secretaria de Estado do Turismo, uma variao positiva de 43,1% nos lti-mos oito anos. Isto se deve introdu-o de novos hbitos de consumo na

    //artigo

    Mostra das regies tursticas traz O Paran que Conhece o Paran

    populao, como a internet, a venda direta de viagens em lojas, shoppings e, principalmente, com o aumento de renda da classe C.

    Alm disso, os incentivos dados aos municpios para desenvolverem o turismo como atividade econmica de grande retorno a partir de polti-cas de descentralizao, com foco na municipalizao e na regionalizao, implementadas pelos governos fede-ral e estadual, a partir de 1994 e 2004, respectivamente, contriburam signifi-cativamente.

    DIV

    ULG

    A

    O

    SET

    UA atividade turstica no Paran apresentou, segundo pesquisas da Secretaria de Estado do Turismo, uma variao positiva de 43,1%

    nos ltimos oito anos.FAisAl sAleh, secretrio de estAdo de turismo do PArAn

    Passando do aspecto de concor-rncia para o de cooperao, ressal-ta-se que os estados do Paran, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul formam a Comisso Permanente do Codesul Turismo Brasil Sul, que tem como finalidade unir os respectivos rgos oficiais de turismo, dentro de uma viso de ges-to estratgica e compartilhada, vol-tada ao desenvolvimento, promoo, divulgao e comercializao dos produtos tursticos de forma integra-da e regional.

    J dentro do mercado fornece-dor do estado, esto os gestores da oferta tcnica formada pelos pres-tadores de servios tursticos das ati-vidades de hospedagem, alimenta-o, agenciamento, transporte, lazer, recreao e eventos que, segundo a Relao Anual de Informaes So-ciais (Rais), somaram 16.692 esta-belecimentos em 2010. Ressalta-se que dentro do Cadastur (Sistema de Cadastro de pessoas fsicas e jurdicas que atuam no setor do turismo), exe-cutado pelo Ministrio do Turismo em parceria com os rgos estadu-ais de turismo, existem cadastrados, aproximadamente, 1.200 guias de tu-rismo e 2.300 estabelecimentos.

    J na oferta diferencial, repre-sentada pelos atrativos tursticos, ou seja, o que atrai os turistas ao estado, temos uma diversidade expressiva, com produtos segmentados distribu-dos nas dez Regies Tursticas do Pa-ran, de forma e integrada.

    Com base no Plano de Aes do Sistema da Secretaria de Estado do Turismo que tem como horizonte temporal 2014, iniciou-se o desafio de fortalecer a Marca Paran. Para isso busca-se o DNA Turstico dos Municpios, ou seja, aquilo que se constitui na essncia dos produtos que se quer ofertar para alcanar o desenvolvimento scio-econmico do estado.

    A partir do descobrimento e/ou afloramento dessa essncia, torna-se o reconhecimento e o apoderamento da comunidade pelo seu potencial, despertando-a para a cultura da via-gem e da hospitalidade.

    Por outro lado, oferece-se s agn-cias e operadoras o conhecimento da singularidade do produto parana-ense, instigando-as e capacitando--as para a distribuio e a comercia-lizao dos mesmos nos diferentes mercados. Assim como acelera-se o associativismo, possibilitando a inte-grao de pequenas e grandes em-presas que atuam direta ou indireta-mente na atividade, o fortalecimento das instncias de governana estadu-al, regionais e municipais, utilizando o conhecimento tecnolgico como base do processo mercadolgico e transversal.Transversalidade esta que ter como dnamos a sociedade e a economia do Paran, que levaro ao Pacto Paran para o Turismo, com seu reconhecimento como setor es-tratgico, facilitador da integrao institucional e promotor de negcios.

    * Faisal saleh secretrio de estado do Turismo do Paran

    AO LADO, BANNER DE PROMOO QUE O GOVERNO DO ESTADO IR UTILIZAR NA 8. MOSTRA DAS REGIES TURSTICAS.

  • fevereiro/maro/abril 2012 //informativo agente urgente 11

    C

    M

    Y

    CM

    MY

    CY

    CMY

    K

    AF ASA 0025-11CE AN CONHEA SC MULHER PG SIMPLES 290x385mm 002 CRV.pdf 1 2/17/12 4:23 PM

  • fevereiro/maro/abril 201212 //informativo agente urgente

    Hotis

    bOuRbON JOINvIllE CElEbRA CIDADEConhecida pela imigrao alem, Joinville a maior cidade catarinense, completando 161 de fundao no dia 9 de maro. Par-ticipando das comemoraes, o Bourbon Joinville preparou uma tarifa especial para quem for aproveitar a festa: diria a partir de R$ 178 em apartamento individual ou duplo superior, incluindo caf da manh servido no restaurante, cortesia de uma criana de at 11 anos no mesmo aparta-mento que dois adultos. A promoo vli-da entre 9 a 11 de maro de 2012.

    DEvIllE COMEMORA RESulTADOSAtuando em seis estados brasileiros, a Rede Deville teve 17% de crescimento na receita em 2011. Os investimentos realizados no perodo passaram dos R$ 18 milhes, com reformas e atualizaes em vrios hotis, nova sede administrativa e investimento em novos programas de treinamento e de gesto. A rede projeta novos investimen-tos nos prximos anos. Em 2012, injetare-mos mais R$ 12 milhes na modernizao e ampliao dos hotis. At 2013, todas as unidades tero sido revitalizadas, destaca Jayme Canet Neto, presidente Deville.

    REFORMAS NO RIO OThONCom um investimento de US$ 1 milho, as salas de eventos do primeiro andar do Rio Othon Palace, em Copacabana, tero suas reformas completadas at o final de maro, informa Fernando Chabert, diretor-geral da Rede ao site Panrotas. Segundo ele, na se-quncia, sero realizadas reformas em mais seis andares do mesmo hotel, alm de me-lhorias no Bahia Othon (Salvador) e na uni-dade da rede em Belo Horizonte. Em maio, outro projeto a ser iniciado o do retrofit do Califrnia Othon, tambm no Rio.

    bRISTOl vIllA PASSAREDOLocalizado a apenas uma hora de Curitiba, o Bristol Villa Passaredo Hotel um recanto de paz e tranquilidade ou um centro de es-portes radicais, reunindo opes para todos os estilos em um s hotel. O ambiente des-taca um bonito jardim com um boulevard para descanso, coreto para casamentos ao ar livre e um lago com pista de caminhada para um entardecer romntico. O Villa Pas-saredo fica no km 643 da BR-376, em Tiju-cas do Sul (PR). Contato e mais informaes pelo fone: (41) 3629-8800.

    EXPANSO hOlIDAy INN EXPRESSEm fevereiro, a rede britnica de hotis In-terContinental Hotels Group (IHG) anunciou a inaugurao de cinco novos hotis no Bra-sil integrando-se aos 12 j em operao no pas. Quatro deles j esto em proces-so de construo: Macei (AL), Rio Branco (AC), Porto Velho (RO) e Belm (PA). O lti-mo, em So Lus (MA), tem contrato assina-do, mas as obras ainda no foram iniciadas.

    Em visita a Curitiba, no dia 13 de fevereiro, Aldo Rebelo, ministro do Esporte, destacou o cumprimento do cronograma das obras para a Copa 2014 em Curitiba e o empenho dos governos municipal, estadual e do Clube Atltico Paranaense pelo anda-mento das obras no estdio Arena da Baixada. Estamos tranquilos quanto a Curitiba. A Copa j uma realidade na cidade. As obras aqui esto em curso e dentro do cronograma previsto. Curi-tiba tem a particularidade de j ter to-mado providncias para a Copa antes das outras cidades, afirmou.

    O prefeito Luciano Ducci, tam-bm presente no encontro, lembrou das obras em andamento na cidade. Temos mais de R$ 420 milhes em investimentos em vrias obras de in-fraestrutura e mobilidade urbana e as obras do PAC da Copa esto prati-camente todas licitadas, confirmou. Curitiba tem experincia em rece-ber grandes eventos e uma boa rede hoteleira. O cronograma de obras do estdio e da cidade est rigorosamen-te em dia, completou o governador Beto rixa, outra autoridade a visitar a Arena.

    Recebidos pelo presidente do Atl-tico, Mrio Celso Petraglia, Rebelo, Ducci e Richa assistiram a um vdeo do projeto final do estdio e da arena multiuso que ser construda ao lado da estdio. Temos certeza que vamos inaugurar a nova Arena no primeiro semestre de 2013, disse o presidente rubro-negro.

    O ministro tambm falou sobre as

    //copa 2014

    obras de mobilidade da capital para-naense e disse que todas esto den-tro do cronograma. Com as garantias dos governos municipal, estadual e federal, no teremos qualquer pro-blema com prazos em Curitiba, rela-tou. Alm das intervenes do PAC da Copa, Curitiba tem investimentos em outras 15 grandes obras. Os recursos so do municpio, do governo do es-tado, Banco Interamericano de Desen-

    FOTO

    S: B

    RU

    NN

    O C

    OV

    ELLO

    /SM

    CS

    Rebelo: Mundial certo em Curitibaem visita s obras da arena, ministro do esporte garantiu participao da cidade no evento esportivo

    volvimento (BID) e da Agncia France-sa de Desenvolvimento. O secretrio municipal da Copa, Luiz de Carvalho, afirmou que o mundial de futebol vai proporcionar grandes investimentos na cidade, deixando um legado muito importante. Por isso, a importncia da responsabilidade do Governo do Paran e da Prefeitura de Curitiba na aplicao dos recursos pblicos, lem-brou.

    DUCCI, REBELO, RICHA E O ASSES-SOR DO MINISTRIO, RICARDO GOMyDE, VISITAM AS OBRAS DA ARENA DA BAIxADA ACOMPA-NHADOS POR MRIO CELSO PE-TRAGLIA, PRESIDENTE ATLTICO.

    OBRAS NO ESTDIO J ESTO EM ANDAMENTO, COM PREVISO DE TRMINO EM 2013.

  • ABAV AGENTE URGENTE PASCOA c.indd 1 17/02/12 17:32

  • fevereiro/maro/abril 201214 //informativo agente urgente

    Juliana Vellozo Almeida Vosnika as-sumiu a presidncia do Instituto Mu-nicipal de Turismo Curitiba Turismo no incio de 2009. O rgo foi criado pelo ento prefeito reeleito Beto Ri-cha (hoje governador do Paran) e tem funo de secretaria municipal.

    Graduada em Economia pela UFPR, Juliana Vosnika especialista em Ges-to Estratgica de Empresas Tursticas e j atuou como diretora-executiva do Curitiba Convention & Visitors Bureau, entre 2007 e 2008. Foi tambm dire-tora de Turismo da Prefeitura Munici-pal de Curitiba, entre 2003 e 2005.

    Em entrevista exclusiva Agente Urgente, a presidente fala sobre sua gesto frente do Instituto, os princi-pais projetos e aes do rgo, alm dos preparativos de Curitiba como sede da Copa do Mundo de Futebol 2014.

    Faa um balano de sua gesto

    frente ao Instituto Municipal de Turis-mo, comentando as principais aes. Avalie tambm a evoluo da rea do turismo na capital nos ltimos anos.

    Juliana vosnika Em nossa ges-to, conseguimos aumentar significa-tivamente o nmero de turistas que visitam a cidade, alm do aumento do tempo de permanncia e do gas-to mdio dirio. Em 2011, o nmero de turistas que vieram a Curitiba foi de 3.642.704 visitantes, um aumento de 16% desde 2009 e de 63% desde 2005. A Linha Turismo chegou marca de 5 milhes de embarques em 2011, e com bom atendimento, pois temos a maior frota de nibus do gnero do pas nove nibus double-decker e cinco nibus do tipo jardineira. O n-mero de embarques no ano passado foi de 607.263, crescendo 16% desde 2009 e 124% desde 2005. Esse cres-cimento tambm resultado da im-plantao do nibus de dois andares, em complemento ao modelo de jardi-neiras. J o gasto mdio dirio cresceu 20% desde 2009, em 2011 chegou a US$ 97,26. Outra ao recente do Ins-tituto foi o lanamento do Guia Fau-na e Flora, elaborado com a inteno de promover a educao ambiental e o ecoturismo de observao. O guia tem cem pginas com as principais espcies de 12 parques de Curitiba. Para este ano, teremos o calendrio de eventos Curta Curitiba o Ano Intei-ro, que facilitar a vida de quem quer acompanhar de perto a programao cultural e esportiva da cidade. Com o calendrio, as agncias de turismo po-dero se programar para vender pa-cotes. E os turistas que vm cidade para negcios vo querer permanecer mais dias para participar dos eventos culturais, esportivos e de lazer. O ca-lendrio oficial contempla cerca de 40 eventos, entre eles grandes gerado-res de fluxo turstico, como o Natal, o

    //entrevista

    DIV

    ULG

    A

    O

    /IN

    STIT

    UTO

    MU

    NIC

    IPA

    L D

    E TU

    RIS

    MO

    Juliana Vosnika:No comando do turismo curitibano

    Festival de Curitiba, a Oficina de M-sica, a Casa Cor, a Virada Cultural e o Festival Lupaluna (de msica pop). No mbito do Conselho Municipal de Tu-rismo, envolvemos um nmero maior de entidades participantes hoje so 39 e criamos a proposta para a Pol-tica Municipal de Turismo de Curitiba, at hoje inexistente, que vai subsidiar o Plano de Desenvolvimento de Turis-mo do Municpio.

    Fale sobre o projeto Curta Curiti-ba, suas principais aes e resultados at o momento.

    Curta Curitiba a marca que tem como objetivo promover a cidade e estimular o turista a experimentar e vivenciar: a gastronomia, a programa-o cultural, a vida noturna, as feiras livres e as reas verdes da cidade. Em 2011, uma das principais aes foi o lanamento da Central de Atendimen-to Curta Curitiba Experience, na Rua 24 horas, que foi revitalizada. O espao um ponto de informaes tursticas e comercializao de produtos e ser-vios tursticos feita em parceria com o Ncleo Receptivo de Turismo. Tam-bm apresentamos o vdeo institucio-nal Quando Vier a Curitiba, a verso reduzida (Curta Curitiba 30 Segundos) e o aplicativo para tablets e celulares Curta Curitiba, lanado no 17 Salo Paranaense de Turismo. A ferramen-ta gratuita foi criada em parceria pelo Instituto Municipal de Turismo Curi-tiba Turismo, Curitiba Convention & Visitors Bureau, Associao Brasileira de Bares e Restaurantes do Paran (Abrasel-PR) e Sebrae-PR. O aplicativo traz informaes sobre atrativos turs-ticos obrigatrios, servios, meios de hospedagem, gastronomia e orienta-es sobre como se locomover na ci-dade. mais um instrumento para fa-cilitar a estada do turista em Curitiba e para divulgar a cidade. Outras novi-dades em que trabalhamos so o pro-duto Curta Curitiba a P, em parceria com a Fundao Cultural de Curitiba, roteiro turstico com destaque para a regio central, e o calendrio de even-tos Curta Curitiba o Ano Inteiro, para promover o turismo durante todos os meses, na divulgao dos eventos que gerem fluxo de visitantes. O objetivo que os eventos sejam formatados em pacotes tursticos e ofertados s agn-cias e operadoras de turismo.

    Como a Prefeitura de Curitiba est se preparando para a Copa do Mun-do? Como esse grande evento pode atrair mais visitantes para a capital paranaense?

    A Prefeitura Municipal de Curitiba est realizando obras de estruturao urbana e mobilidade, executadas sob a gesto do prefeito Luciano Ducci e, atravs do Instituto Municipal de Tu-rismo, atua na capacitao de profis-

    sionais do turismo com a Oficina de Sensibilizao para o Atendimento ao Turista. O curso ministrado por tcnicos do Instituto Municipal de Tu-rismo. Em 2011, foram realizadas 47 oficinas, com 1.193 participantes. A oficina composta por uma palestra e city tour com a jardineira da Linha Turismo. Tambm para a Copa, temos projetos de sinalizao turstica, sina-lizao para pedestres e faremos, em parceria com o governo federal, a me-lhoria da acessibilidade nos atrativos tursticos. O projeto envolve o Institu-to de Pesquisa e Planejamento Urba-no de Curitiba (Ippuc), as secretarias da Pessoa Com Deficincia, do Meio Ambiente, Obras Pblicas e a Urbani-zao de Curitiba S/A (Urbs). Para me-lhor atender os turistas, os Postos de Informao Turstica, administrados pela Prefeitura, hoje no total de nove, sero revitalizados, com unificao de linguagem e da comunicao visual. Temos tambm, h algum tempo, par-cerias com empresas como o Shop-ping Estao e o Coritiba Football Club para a criao de novos postos.

    A AbAv-PR vai realizar uma nova edio do Salo Paranaense de Turis-mo nos dias 2 e 3 de maro prximos. qual a importncia deste evento para o turismo da cidade, qual sua influn-cia no trade?

    O Salo Paranaense de Turismo um dos principais eventos do setor no Brasil, um importante gerador de fluxo de visitantes para Curitiba e apresenta o trabalho competente desenvolvido pela Associao Brasileira de Agncias de Viagens no Paran, que a cada ano se supera.

    A ABAV representa uma das maio-res ferramentas de comercializao dos destinos tursticos. Por saber da importncia do evento, o Instituto Municipal de Turismo sempre lana suas campanhas no salo. Posterior-mente, elas so apresentadas em ou-tros eventos do setor, como o Festival das Cataratas, de Foz do Iguau, e a Feira das Amricas, no Rio de Janeiro. Neste ano, apresentaremos no Salo Paranaense o novo conceito Curta Curitiba o ano inteiro, com seu calen-drio de eventos.

    Em nossa gesto, conseguimos aumentar sig-nificativamente o nmero de turistas que visi-tam a cidade, alm do aumento do tempo de

    permanncia e do gasto mdio dirio.juliAnA VosnikA, Presidente do instituto curitiBA de turismo

  • notcias de SC paulo mosimannENOTURISMO CONQUISTA O SEU ESPAO

    As baixas temperaturas repre-sentam um atrativo especial na serra catarinense. Alm disso, vol-ta e meia, a neve emoldura as suas paisagens no inverno. Esse clima super agradvel e romntico vem estimulando cada vez mais a apos-ta de vrias cidades da regio na produo de vinhos finos de altitu-de. Foi assim que o cultivo de uvas especiais e o processo industrial em centenas de vincolas recm--inauguradas se transformaram em atrativos tursticos certos na serra de Santa Catarina.

    Segundo fontes empresariais, desde 2000, mais de R$ 150 mi-lhes foram investidos no plantio de vinhedos com uvas de cepas europeias e instalao das vinco-las. As mais conhecidas ficam em So Joaquim, Bom Jesus da Serra, Campos Novos e Caador, cidades em que o clima tem caractersti-ca especial no vero, dias de sol e noites frias em razo da altitude (superiores a 900 metros). Confor-me produtores, esse um diferen-cial muito positivo. As oscilaes do tempo proporcionam uma com-binao que atrasa a maturao da uva e concentra mais cor e acar na fruta, segundo pesquisas da Epagri (empresa de pesquisa agro-pecuria de Santa Catarina).

    vISITASUnidas em entidades, apoiadas

    pelo governo estadual, prefeituras e entidades federais como o Sebrae, vrias vincolas j se dedicam ao seg-mento do enoturismo. Um projeto no qual os visitantes acompanham o processo de produo do vinho, de-gustam e podem at participar da co-lheita da uva, que ocorre entre abril e maio, na regio.

    A indstria do turismo se organi-za de tal forma, que em trs cidades j existem projetos em andamento para a instalao de hotis, pousadas e restaurantes com menu que venha a combinar pratos com o vinho. Para profissionalizar esses projetos e or-ganizar as visitas, o fluxo turstico e a divulgao, entra em cena a Acavitis (Associao Catarinense dos Produto-res de Vinhos Finos de Altitude), que rene 28 vincolas.

    A Acavitis uma associao de pro-dutores que atuam nas regies de So Joaquim, Caador e Campos Novos. Nos vinhedos esto plantadas apenas castas vinferas, um novo terroir para os vinhos brasileiros de qualidade. No site da entidade (www.acavitis.com.br), constam a histria das vincolas, sugestes de roteiros, menus e todos os contatos para os interessados em degustao, visitao e compra dos vi-nhos da Serra Catarinense. Os preos

    AS VINCOLAS ESTO PRODUZINDO VINHOS QUE J ESTO SENDO PREMIADOS.

    DIV

    ULG

    A

    O

    /AC

    AV

    ITS

    mdios dos vinhos tintos e brancos variam de R$ 25 a R$ 250 a garrafa.

    PREMIAOSeis vinhos de altitudes de Santa

    Catarina foram escolhidos entre os Top Ten da Expovinis 2011, a maior feira de vinhos da Amrica Latina. As vincolas premiadas foram a Quinta Santa Maria, Villa Francioni, Sanjo, Vi-nhedo do Monte Agudo e Santo Em-lio. Os vinhos catarinenses premiados figuraram em cinco daz dez categorias do concurso. So eles: Villa Francioni Sauvignon Blanc 2009 e Sanjo Nbio

    Sauvign on Blanc 2008 (categoria Branco Sauvignon Blanc); Monte Agudo Terroir de Altitudes Chardon-nay 2008 (categoria Branco Char-donnay); Sanjo Maestrale Integrus 2008 (categoria Branco Outras Cas-tas); Quinta Santa Maria Portento 2006 (categoria Doce/Fortificado) e Santo Emlio Leopoldo Cabernet Sauvignon Merlot 2007 (categoria Tinto Nacional). Mais informaes sobre roteiros tursticos so obtidos junto ao Serra Catarinense Conven-tion & Visitors Bureau, no site www.serracatarinense.com.

    ATRAES DO TURISMO RURALSanta Catarina prdiga tambm

    em atraes nas serras, nos campos, nas matas, nas trilhas, nos seus rios e numa gama de atraes que inte-gram sua maravilhosa diversidade voltada ao segmento do Turismo Rural. Confira os destaques do que cada regio oferece aos turistas, que j podem ir programando ro-teiros para os perodos de maro a agosto. Em todos os lugares e regi-es, os visitantes encontram muita hospitalidade, boa rede hoteleira, restaurantes tpicos e muita paz em meio a tantas belezas naturais, onde constante a preocupao com a proteo ao meio ambiente e tudo que o cerca. Todos as opes e ofer-tas de cada regio esto detalhados no site www.santur.sc.gov.br.

    Caminho dos Prncipes Devido proximidade da Serra do Mar, a regio Norte apresenta roteiros va-riados. A sua escolha pode ser tan-to pelas pousadas e hotis-fazenda perto das belas praias e enseadas da Baa de Babitonga, at os encantos da Serra do Mar e da Serra Geral. O clima serrano e a cultura da erva mate do um sabor especial ao seu passeio.

    Encantos do Sul O Turismo Ru-ral na regio Sul tem tempero ita-liano. Todo passeio pode terminar

    numa vincola ou cantina tradicional para degustao das delcias pro-duzidas pelos prprios fazendeiros. Para quem gosta de uma boa pes-caria, divertir-se nos parques aqu-ticos e ainda passear a cavalo pelas dunas da praia.

    Grande Florianpolis O Litoral Centro uma das mais diversificadas regies de turismo rural de Santa Catarian. A facilidade de locomoo pela Rodovia BR-101 permite que se mude de cenrio rapidamente. Em poucas horas, pode-se sair dos encantos da ilha de Santa Catarina para as delcias das guas termais de Santo Amaro da Imperatriz e guas Mornas. Na regio Litoral Centro, o turismo rural concilia perfeitamente o mar e a montanha.

    Grande Oeste O Oeste catari-nense famoso por suas estncias termais e por abrigar na mesma regio culturas com caractersticas campeira e europeia. Extensas fa-zendas no estilo colonial do o tom buclico do turismo rural na regio, onde os campos abertos pedem lon-gos passeios a cavalo ou charrete e matas com muito verde ainda fazem parte da paisagem.

    Serra Catarinense A paisagem da regio serrana, aliada s baixssi-mas temperaturas, fazem o turista se sentir em outro pas. L, o turis-

    mo rural ganha um ar rstico e intros-pectivo, e a tradio campeira pode ser observada em todos os cantos. No estilo das acomodaes dos hotis--fazenda, na paisagem da serra, na mata das araucrias, na culinria e, principalmente, nos costumes do dia--a-dia das pessoas. Os aventureiros encontraro opes para trekking, escaladas, rafting, trilhas para moun-tain bike e passeios a cavalo.

    vale do Contestado Belas e si-nuosas estradas conduzem o viajante pelos caminhos do vale do Contes-tado. Uma vasta regio de mltiplas paisagens, gentes e culturas. Nesse roteiro, as estradas oferecem um vi-sual parte, ora margeando planta-es agrcolas e pomares, ora cortan-do matas. s vezes, a estrada ganha

    maior ondulao, quando acom-panha a geografia dos vales e, em outras, a topografia de planalto, mas sempre com um mesmo colo-rido exuberante.

    vale Europeu Muito conheci-do por suas festas de outubro, o vale do Itaja oferece boas opes de turismo rural o ano inteiro. Alm das atraes j conhecida,s como as cidades de arquitetura germnica, centro de compras e de deliciosos cafs coloniais, essa regio ainda guarda belssimos se-gredos. Pode-se encontrar incont-veis cascatas e trilhas no meio da floresta, paredes para os amantes dos esportes radicais como escala-da ou as emoes de fazer rafting nas corredeiras do rio Itaja-Au.

    CASA DO TURISTA EM FRAIBURGO, NO VALE DO CONTESTADO.

    DIV

    ULG

    A

    O

    /SA

    NTU

    R

  • fevereiro/maro/abril 201216 //informativo agente urgente

    notcias de SC paulo mosimannCICLOTURISMO COSTA VERDE E MAR Deste setembro de 2009, Santa Catarina conta com o circuito oficial

    de Cicloturismo Costa Verde e Mar. Com cerca de 270km e passando por 11 municpios, o primeiro cir-cuito organizado para cicloturismo no pas que inclui litoral e interior. So lindas estradinhas de terra cor-tando morros de mata atlntica e plancies de arrozais, combinadas com muita praia, orlas tursticas, ciclovias e mirantes. A regio bas-tante procurada por turistas devido s suas belezas naturais. O percurso, que um circuito fechado, inicia-se em Balnerio Cambori passado por Itaja, Navegantes, Penha, Balnerio Piarras, Lus Alves, Ilhota, Cambo-ri, Porto Belo, Bombinhas, Itape-ma, e retorna novamente para Bal-nerio Cambori todos municpios que integram a Amfri (Associao dos Municpios da Foz do Rio Itaja).

    PERCuRSOTodo o percurso sinalizado com

    setas amarelas e permite que o ci-clista possa pedalar de forma auto-

    guiada. As pernas ou trechos de pedalada so de cerca de 50km e contam sempre com um local para pernoite, no final de cada etapa. As-sim como no Vale Europeu e outros circuitos, o viajante recebe uma cre-dencial que receber os carimbos de cada uma das cidades por onde passar.

    Ao final, depois de completar o circuito, o participante recebe um certificado de concluso. Alm dis-so, recebe tambm um guia com-pleto com todas as informaes e detalhes que precisa para percorrer de forma autnoma todo o trajeto para cada trecho, h mapas, plani-lhas de navegao, perfis de altitu-de, classificao de dificuldade fsica e tcnica, alm de dicas e recomen-daes. A implementao deste cir-cuito resultado de uma parceria entre o Clube de Cicloturismo do Brasil, a Amfri/Citmar e a ACBC (As-sociao de Ciclismo de Balnerio Cambori). Mais informaes esto disponveis no site www.costaver-demar.com.br.O CIRCUITO DE CICLOTURISMO PASSA POR 11 CIDADES DA REGIO DA FOZ DO RIO ITAJA.

    CA

    RLO

    S B

    EPP

    LER

    /AM

    FRI/

    CIT

    MA

    R

    ROTEIRO DAS CERVEJARIAS ARTESANAISBlumenau, Brusque, Joinville,

    Pomerode, Gaspar, Indaial, Jara-gu do Sul e Timb so cidades ca-tarinenses que integram o j con-sagrado Roteiro das Cervejarias Artesanais de Santa Catarina. To-das as cervejarias seguem a Lei de Pureza Alem, a Reinheitsgebot, de 1516, que limita em quatro os ingredientes permitidos: gua, l-pulo, malte e fermento. Cada lugar tem seus sabores e diferenciais, sempre com pratos e petiscos de-liciosos acompanhando a cerveji-nha to apreciada pelos brasileiros e turistas que nos visitam.

    Uma boa opo pra comear o roteiro o Museu da Cerveja (Rua xV de Novembro, Praa Her-clio Luz, Blumenau). L, esto expostos equipamentos, peas, documentos e textos histricos relacionados fabricao do lqui-do precioso. Em Blumenau, outra visita imperdvel a Cervejaria Ei-senbahn Rua Bahia, 5.181 Salto

    Weissbach; fone (47) 3488-7371. possvel conhecer as etapas do processo de fabricao e degustar os 13 tipos de cerveja e 4 tipos de chope num minipub. A visitao (R$ 5) d direito a um chope de 300 ml, retirado direto do tanque de fabricao.

    Tambm em Blumenau, a Wun-der Bier Rua Fritz Spernau, 155; fone (47) 3339-0001 um caste-lo estilizado, com um restaurante e mesas ao ar livre. A visitao bem interessante, permite se pro-var o chope direto das autoclaves; oferece tambm chope schwartz (preto) e um feito de vinho. A Bier-land Rua Gustavo Zimmermann 5.361; fone (47) 3337-3100 , ou-tra de Blumenau, uma homena-gem Terra da Cerveja. A fbrica possui um bar anexo, no qual os vi-sitantes podem visitar e degustar os chopes e cervejas nas varieda-des pilsen, bock, weizen e pale ale.

    Em Brusque, est localizada a

    Zehn Bier Rua Benjamin Cons-tant, 24; fone (47) 3351-0033. Fundada em 2003 pela famlia Zen, uma das mais tradicionais de Brusque, oferece trs estilos de cerveja: pilsen, bock e porter. Em Gaspar, a Das Bier Rua Bonif-cio Haendchen, 5.311; fone (47) 3397-8600 oferece loiras (pilsen) e morenas (braunes).

    A receita da Cervejaria Heimat Rua Marechal Deodoro da Fon-seca, 1.498; (47) 3333-1793 , de Indaial, exclusiva de famlia. Foi trazida ao Brasil em 1932 pelo imi-grante alemo Paul Nuber, que elaborava cerveja e abastecia a re-cm fundada colnia Heimat (ter-ra natal, em alemo).

    Inaugurada em 2007, a Kni-gs Bier Rua Erich Sprung, 215; fone (47) 3370-5544 , de Jaragu do Sul, tem seu nome em home-nagem aos reis do tiro e s socie-dades de tiro que preservam essa tradio alem. L, encontra-se oi

    chope pilsen (no filtrado), pilsen fest (uma verso mais leve) e um bock adocicado.

    A Opa Bier Rua Dona Francis-ca, 11.560; fone (47) 3435-4707 , de Joinville, abriu as portas em 2006. Fabrica chope nas verses pale ale, porter, weizen, pilsen e sem lcool. A Schornstein Rua Hermann Weege, 60; fone (47) 3387-6655 , de Pomerode, se prope a fazer cerveja com alma. Fica em um prdio tombado pelo patrimnio histrico, com cerca de 50 anos e com um chamin de 30 metros de altura. Oferece cho-pe pilsen, pilsen cristal, pale ale, weiss e bock. A Cervejaria Borck, da cidade de Timb e se locali-za no Mdio Vale do Itaja Rua Pomeranos 1.963; fone (47) 3382-0587. Foi a pioneira no conceito de microcervejaria artesanal em Santa Catarina, no ano de 1996. Produz chope nas verses pilsen e malzbier.

  • fevereiro/maro/abril 2012 //informativo agente urgente 17

    notcias de SC paulo mosimann

    INOVAO NO RAMO DE TURISMORomero e Mattos Negcios Imo-

    bilirios, Hospedagem e Turismo a mais nova e atuante opo no mercado de Santa Catarina. A apos-ta da empresa o atendimento com exclusividade, personalizao e inovao.

    A meta criar uma experincia inesquecvel para o turista que usu-frui dos servios de hospedagem e

    turismo para da propor negcios imobilirios e investimentos.

    O leque de servios de hospe-dagem e turismo amplo: central de reservas e hospedagens; paco-tes nacionais e internacionais; city tours e receptivos; aluguel de bi-cicletas; mergulho; ingressos para parques e shows; eventos; rafting; trilhas; paraquedismo; aluguel de

    PASSARELA DA BARRA: NOVO CARTO POSTALO prefeito de Balnerio Cambo-

    ri, Edson Renato Dias, assinou, no dia 15 de fevereiro, a autorizao de incio da obra da Passarela da Barra. A cerimnia, que ocorreu em frente Praa do Pescador, no bair-ro da Barra, reuniu autoridades e a comunidade. O prazo para conclu-so da obra de dez meses. Tenho certeza de que este foi o momen-to que a Barra mais esperou: de se libertar da BR-101, da balsinha e seus horrios, comentou Dias

    O prefeito apresentou detalhes do projeto comunidade. Esta uma nova fase para a regio sul da cidade e toda esta concepo sur-giu de um desenho em um guar-danap, revelou. Ele lembrou do

    novo espao dedicado aos pescado-res da regio que a obra proporcio-nar. O presidente da Companhia de Desenvolvimento & Urbanizao de Balnerio Cambori (Compur), Ni-nio Gontijo, salientou que o projeto veio sendo aperfeioado com o tem-po para ter esta grandiosidade.

    Ele agradeceu o apoio da comu-nidade. Osnlio de Souza, presiden-te da Associao dos Moradores do bairro da Barra, considera a obra o mais novo atrativo turstico da cidade e disse ter orgulho da longa histria que a construo da passarela.

    O local passou por interveno da prefeitura, atravs da secretaria de Obras, que trabalhou na preparao do canteiro para comear a constru-

    o do mais novo carto-postal de Balnerio Cambori, alm da trans-ferncia das estruturas de atraca-o da balsa que faz a travessia da comunidade pelo Rio Cambori. Em funo disso, os locais para embar-que e desembarque da balsa esto funcionando em novo endereo: na Rua Manoel R. dos Santos, em frente Rua Jardim da Saudade, conhecida tambm como rampa do Pescador (no bairro da Barra), e na rua 4.550, ao lado do Mercado Pblico do Peixe, com acesso pela avenida Normando Tedesco. Foi mantido o mesmo hor-rio de funcionamento, todos os dias da semana, das 6h 1h da manh.

    Mais que mobilirio urbano com arquitetura moderna, a nova traves-

    sia permitir o acesso gratuito, 24 horas por dia. O projeto prev es-trutura de concreto, ao e vidro, a uma altura de 25 metros acima do nvel do rio, duas torres de acesso nas extremidades com dois eleva-dores cada e espao para instala-o de dois restaurantes, um em cada ponta da passarela. So, no total, 196 metros de comprimento e um vo central livre de 116 me-tros.

    O espao interno ter dez metros de largura e funcionar como centro de vivncia. O proje-to conta com a parceira do Gover-no Estadual e a Badesc (Agncia de Fomento do Estado de Santa Cata-rina S.A.).

    lanchas e outras atividades nuticas; e consultorias para empresas hotelei-ras.

    Uma das atuaes mais fortes est voltada ao Clube do Investidor. A em-presa toma a frente em novos proje-tos, fragmentando grandes projetos em cotas, especialmente trabalhando com imveis exclusivos revenda. Os servios incluem vendas e captao de imveis nas cidades de Bombinhas, Porto Belo, Governador Celso Ramos, Itapema; Balnerio Cambori e Itaja.

    Outro projeto o do Shopping de Imveis, criado para captao de imveis de menor valor utilizando os mesmos como moeda de troca em novos investimentos. A Romero e Mattos rene a vivncia e o talen-to de dois jovens empreendedores Walter Romero e Mario Luis Mat-tos. Para contatos, o site www.romeroemattos.com.br. Fones: (47) 3363-9317 e (47) 9944-7937; e-mail [email protected]

  • fevereiro/maro/abril 201218 //informativo agente urgente

    //polmica

    Vizinho de Curitiba, o municpio de So Jos dos Pinhais, atualmente com 280 mil habitantes, possui o ter-ceiro PIB do Estado do Paran. O pro-gresso uma de suas marcas maiores e centenas de indstrias, incluindo potencias do setor automobilstico mundial, contribuem para um exce-lente ndice de ofertas de empregos.

    Na cidade, um dos maiores or-gulhos o Aeroporto Internacional Afonso Pena, maior do estado e um dos principais do Brasil. No momento em que o aeroporto est em obras, com ampliao do terminal de passa-geiros, com a possvel construo de uma nova pista e melhorias nos espa-os de estacionamentos e oferta de mais conforto e agilidade no atendi-mento, So Jos dos Pinhais se uniu em torno de uma campanha.

    O aeroporto de So Jos dos Pinhais e no de Curitiba. Estamos fazendo campanha para que isso seja respeitado e assim vamos aumentar a autoestima da populao so-jose-ense, garante o prefeito Ivan Rodri-gues (PTB).

    Ele explica que a campanha est indo muito bem. Primeiro, ns quere-mos que se cumpra a lei e que se d a denominao adequada e no se omita o nome da cidade que cedeu a rea para o aeroporto. J faz algum tempo, ns fizemos uma comunica-o oficial ao rgos responsveis como Anac e prpria Infraero, para que alertassem as companhias are-as sobre isso e passassem a citar So Jos dos Pinhais tambm em seus anncios e comunicados como a ci-

    Cidade-sede do maior aeroporto internacional paranaense quer ser citada como destino nos voos

    dade onde se encontra o aeroporto. Como isso no surtiu efeito, entra-mos com uma ao no Poder Judici-rio para que se faa cumprir o que de direito para o nosso municpio. O prefeito faz ainda uma ressalva: So Jos dos Pinhais apenas defende o que justo. Nada contra Curitiba. O aeroporto internacional pode ser de-nominado de Afonso Pena, de So Jos dos Pinhais, com o complemen-to de localizao na Regio Metropo-litana de Curitiba.

    bOM SENSONa opinio de Rodrigues, citar que

    o Aeroporto de Curitiba represen-ta um ato pejorativo, que alm de no ser verdadeiro, faz pouco de So Jos dos Pinhais, por sua importn-cia como uma das cidades que mais crescem na Regio Metropolitana da capital paranaense.

    uma questo de respeito e bom senso, com certeza. s observar os exemplos do aeroporto de Gua-rulhos, que tem seu nome sempre citado, sendo uma cidade vizinha a So Paulo. E o prprio aeroporto do Bacacheri, que assim conhecido, sendo um bairro da cidade de Curiti-ba. O equvoco esse, omitir o nome de So Jos. Como gestor pblico, que reside h 20 anos no municpio, tenho obrigao de fazer algo para que ocorra apenas justia para com a nossa cidade e para a nossa popula-o, diz o prefeito.

    Ele registrou ainda o fato de pes-soas que tentam confundir e pertur-bar a situao, citando que existem

    normais internacionais que rotulam o aeroporto pela sigla CWB, o que obri-garia a ser designado o Aeroporto Afonso Pena como sendo de Curitiba. Este mais um grave equvoco. Mas estamos empenhados nesta luta para que o aeroporto seja sempre citado como tendo sua localizao no muni-cpio de So Jos dos Pinhais, o que o certo, acentua.

    Rodrigues ainda faz um esclareci-mento. Ainda faz pouco tempo, uma grande emissora de rdio colocou a situao de forma errada, citando que a cidade recolhe impostos face a sediar o aeroporto. Na verdade, no recolhe. A administrao da Infraero, rgo federal. A nica van-tagem que podemos ter mesmo a divulgao do nome da cidade como referncia. O municpio, a propsito, tem alguns nus em relao ao aero-porto, como garantir excelente aces-sibilidade, melhorias e manuteno viria, segurana, frota de txis para atender os viajantes, etc, lembra.

    REPERCuSSOA deflagrao de uma grande cam-

    panha nacional e regional tem sido uma das ferramentas para a Prefeitu-ra de So Jos dos Pinhais defender a tese de localizao do aeroporto Afonso Pena como da cidade. Foram publicados anncios na grande mdia impressa e a internet tambm tem promovido fruns, debates e oxige-nao da campanha.

    Na avaliao do prefeito, a cam-panha encontra a repercusso espe-rada e vai ajudar em muito a escla-

    recer a nossa posio, que, repito, legtima e muito justa. Na internet foi um dos temas mais divulgados e debatidos recentemente, o que rea-firma que a opinio pblica entende e apoia a nossa luta. O fato j reper-cutiu tambm em Braslia. Na Cma-ra Federal, um deputado paranaense aproveitou o tema para apresentar projeto que denomine do local como Aeroporto Internacional de So Jos dos Pinhais Pres. Afonso Pena.

    uM POuCO DE hISTRIA

    Segundo fonte do site Wikipdia, o atual Aeroporto Internacional Afonso Pena foi aberto em 1944 como aerdromo militar na ento Colnia Afonso Pena, mu-nicpio de So Jos dos Pinhais. A iniciati-va da construo de um aerdromo foi do Exrcito dos Estados Unidos e contou com a participao do Ministrio da Guerra do Brasil. O objetivo era estratgico, pois, em plena Segunda Guerra Mundial e com o conflito se estendendo por mais tempo, o local serviria para que avies Aliados le-vantassem desta base para combater no Atlntico Sul a presena de submarinos e embarcaes blicas do Eixo.

    Outro detalhe para a escolha do local foi que os engenheiros militares america-nos selecionaram a regio devido forma-o de espessa nvoa, em algumas po-cas do ano, o que ajudaria na camuflagem contra qualquer ataque que porventura se chegasse a sofrer. Militarmente perfei-to na poca, hoje, comercialmente, um problema. Com o fim da guerra, em 1946, o aeroporto comeou a ser explorado co-mercialmente, recebendo fortes benef-cios ao seu redor com o advento da Copa do Mundo de 1950.

    Em 1974, a Infraero assumiu a admi-nistrao do aeroporto. O atual nome do aeroporto uma homenagem ao poltico mineiro Afonso Augusto Moreira Pena, presidente da repblica no incio do scu-lo 20 (1906 1909), mas no uma home-nagem direta. O local onde foi construdo o aeroporto era a antiga Colnia Afonso Pena e, em virtude desta denominao, manteve-se a homenagem.

    Afonso Pena, de So Jos dos Pinhais?

    O PREFEITO IVAN RODRIGUES INI-CIOU CAMPANHA PARA QUE SJP SEJA CITADA COMO DESTINO DOS VOOS PARA OAEROPORTO AFONSO PENA.

    DIV

    ULG

    A

    O

    /SEC

    RET

    AR

    IA D

    E C

    OM

    UN

    ICA

    O D

    A P

    SJP

    DIV

    ULG

    A

    O

    /SEC

    RET

    AR

    IA D

    E C

    OM

    UN

    ICA

    O D

    A P

    SJP

  • fevereiro/maro/abril 2012 //informativo agente urgente 19

    //destino iguau

    Novos investimentos garantidosA instalao dos 107 novos abrigos

    de pontos de nibus nos corredores tursticos garantir mais conforto e informao para usurios locais e tu-ristas, em Foz do Iguau. A medida a primeira de uma srie de aes estruturantes viabilizadas pela Secre-taria de Turismo para potencializar a infraestrutura do Destino Iguau at a Copa do Mundo 2014 e Olimpadas 2016.

    Os abrigos sero edificados em estrutura metlica, com cobertura termoacstica, placas de identifica-o das paradas, iluminao, bancos, cestos de lixo, espao para telefones pblicos e acessibilidade para por-tadores de deficincia. Alm do con-forto, os usurios locais e turistas que embarcarem em qualquer um dos novos abrigos tero disposio pai-nis com mapas do sistema de trans-porte coletivo, nas alas de embarque e desembarque, o que inclui itiner-rio, horrios conexes e baldeaes. Tambm podero visualizar mapas com a localizao dos principais atra-tivos e informaes tursticas em trs idiomas: portugus, ingls e espanhol. As orientaes detalhadas nos mapas seguem padres internacionais de representao grfica, utilizados nas principais capitais do mundo, todas consideradas referncia em transpor-

    te coletivo.O plano de trabalho j foi aprovado

    pelo Ministrio do Turismo (Mtur) e Caixa Econmica Federal. O incio das obras est previsto para abril. O inves-timento de R$ 850 mil. A proposta, elaborada pelo Foztrans (Instituto de Transporte e Trnsito), foi apresenta-da ao governo federal atravs do Si-conv (Sistema de Gesto de Convnios e Contratos de Repasse) no incio de 2011. A partir deste estgio, coube a Secretaria de Turismo viabilizar o in-vestimento necessrio junto ao Mtur. Atendendo orientaes do minist-rio, foi criado, junto ao Comtur, um grupo de trabalho especialmente para dar tratamento a assuntos de interes-se do turismo de Foz do Iguau en-quanto destino indutor, observa Rosa Maria Corbari Maccali, diretora de De-senvolvimento em Turismo de Foz.

    Outros dois projetos, estimados em R$ 6 milhes, com apoio do trade turstico de Foz, j esto no Siconv sob anlise de tcnicos do MTur. So ini-ciativas que vo ao encontro da expec-tativa de Foz do Iguau ser reconheci-da e acolhida como o 13 destino da Copa do Mundo de 2014. Para isso, indispensvel oferecer uma infraes-trutura adequada, correspondendo expectativa dos turistas e moradores, refora Felipe Gonzalez, secretrio de

    Turismo de Foz.Uma das propostas prev a cons-

    truo de um Portal de Entrada do Destino Indutor, associado a um Cen-tro de Atendimento ao Turista (CAT). O projeto leva assinatura do escritrio do arquiteto Oscar Niemeyer. O cone mundial da arquitetura ainda assina a obra da Unila (Universidade Fede-ral da Integrao Latino-Americana), em construo dentro da Itaipu Bina-cional, a Holoteca do Centro de Altos Estudos da Conscienciologia (Ceaec) e um obelisco na Ponte Internacional da Amizade todas localizadas em Foz do Iguau.

    Outra proposta em anlise a am-pliao e reforma do Terminal Interna-cional Rodovirio Miguel Samek. Os investimentos pblicos tambm re-foram a confiana do trade turstico local. So esperados mais de R$ 800 milhes. Na lista de obras, aparece a construo da Unila e da Segunda Pon-te ligando Brasil e Paraguai, ampliao do Aeroporto Internacional, reforma do Centro de Recepo de Visitantes de Itaipu, entre outros. Ainda esto sendo discutidos a duplicao da Ro-dovia das Cataratas, principal corredor turstico, e outros investimentos priva-dos na rea de turismo.

    AN

    TON

    IO L

    OP

    ES

    NOS PRxIMOS ANOS, SO ESPERADOS MAIS DE R$ 800 MILHES EM INVESTIMEN-TOS PBLICOS NO DESTINO IGUAU.

  • fevereiro/maro/abril 201220 //informativo agente urgente

    //negcios

    O maior empreendimento tursti-co e de negcios do litoral do Paran foi inaugurado no dia 16 de dezem-bro de 2011, data em que o Sesc Caiob reabriu as portas para receber comercirios, dependentes, demais turistas e empresrios do comrcio de bens, servios e turismo. A nova estrutura do centro de turismo e la-zer, que conta com ampla rea para eventos corporativos, tem a inteno de promover o desenvolvimento da regio litornea em vrios aspectos. Para o prefeito de Caiob, Eduardo Dalmora, o Sesc Caiob vai acabar com a baixa temporada, pois vai ala-vancar o comrcio local e ter even-tos corporativos durante todo o ano.

    A construo est disposta em uma rea de 23 mil m, localizada beira-mar. So 137 apartamentos com mobilirio de alto padro e equi-pados com ar condicionado e televi-sores de plasma. A Ala das Piscinas conta com duas aquecidas para adul-tos e duas para crianas. Alm disso, h o Espao Fitness, uma moderna academia de ginstica com vista pri-vilegiada. O hotel possui tambm cl-nica de esttica, salas de jogos, qua-dras poliesportivas, sala de internet, uma confortvel sala de home thea-ter, brinquedoteca, um restaurante do Sesc para caf da manh e almoo aos hspedes, um Restaurante Escola do Senac e um Caf Escola do Senac.

    Alm de proporcionar lazer, o complexo conta com um centro de eventos. O Cine Sereia um auditrio confortvel e com tecnologia comple-ta para videoconferncias, ou pales-tras, por exemplo. No hotel, tambm h outro auditrio com capacidade para 600 pessoas, podendo ser divi-dido de forma modular em at qua-tro ambientes para atender a eventos simultneos. O Sesc Caiob benefi-ciar Matinhos, Guaratuba, Pontal do Sul e Caiob. Ir alavancar o turismo e dar continuidade na sustentabilida-de da economia no litoral, ao garantir um movimento permanente, explica Darci Piana, presidente do Sistema Fecomrcio Sesc Senac.

    No local, tambm sero ofereci-dos os servios do Sesc nas reas de cultura, educao, esportes, lazer e assistncia. Esse desenvolvimento contnuo do Sesc possvel graas unio de entidades no Paran. A inaugurao dessa unidade resulta-do de um fantstico crescimento do estado, enfatiza Piana. Atualmente, so 24 cidades do Paran que contam com unidades do Sesc, totalizando 36 pontos de atendimento.

    A abertura do Sesc Caiob se mos-trou um grande sucesso. A procura pelas reservas foi tamanha que fo-ram preenchidas todas as vagas para janeiro e fevereiro de 2012, segun-do confirma Leomir Vicenzi, gerente

    FOTO

    : IV

    O L

    IMA

    Incentivo ao desenvolvimento do litoral

    sesc Caiob inaugura grande centro de turismo, lazer e negcios em Caiob, em busca de alavancar o comrcio local

    A ALA DAS PISCINAS UMA DAS MUITAS ATRAES DO GRANDE EMPREENDIMENTO.

    de turismo do Sesc Paran, Leonir. Reservas para o ms de maro em diante podero ser efetuadas no site www.sescpr.com.br. Futuramente, os veranistas tambm podero contar com a possibilidade do day use, ser-vio que ser oferecido para quem quiser somente passar o dia no litoral e utilizar as opes de lazer hotel.

    CAPACITAO NO lITORAl Para qualificar a mo de obra de

    profissionais do comrcio do litoral, o Senac conta com uma unidade ane-xa ao Sesc Caiob, na qual cursos so realizados desde abril de 2010. As de-pendncias contam com infraestrutu-ra para aulas prticas de cabeleireiro, manicure e pedicure, e informtica. Temos a escola que sedia a parte terica, com salas de aula e ambien-te pedaggico. Para inovar, temos o Caf Escola e o Restaurante Escola dentro do Sesc Caiob. Vamos a toda a comunidade da regio a oportuni-dade de ter uma capacitao eficien-te na rea de gastronomia, diz Vitor Monastier, diretor regional do Senac Paran,.

    O secretrio de Trabalho, Empre-go e Promoo Social, Luiz Cludio Romanelli, salienta que o litoral pre-cisava de cursos de qualificao pro-fissional, para formar trabalhadores para o atendimento no comrcio. O turismo uma fonte inesgotvel de

    renda para todos, pontuou. O Secre-trio de Turismo, Faisal Saleh, con-corda e complementa que o empre-endimento tem alto valor agregado: O Sesc Caiob contribuir para a ge-rao de emprego e renda no litoral, na manuteno de servios que no ficam presos s na temporalidade do veraneio. Estamos colocando dis-posio dos empresrios do Paran e do pas todo o hotel, o centro de convenes. Desejamos que utilizem estes espaos em programas de qua-lificao, de gesto, de convenes de trabalho, enfim, em benefcio do comrcio de bens servios e turismo. Esse espao foi feito para incentivar o turismo e o comrcio do estado, prin-cipalmente do nosso litoral, que pre-cisa de um esforo muito grande para ser recuperado, completa Piana.

    REGISTRO EM lIvRO Sesc Caiob Centro de Turismo e

    Lazer Viagens s Grandes Desco-bertas do Nosso Litoral o nome do livro que registra a histria da uni-dade do Sesc, editado neste ano. Na obra, a autora Teresa Martins apre-senta a histria do litoral desde 1514 at os tempos de hoje, chegando ao perodo da inaugurao das instala-es, em 2011. Segundo Piana, essa uma contribuio da entidade para enriquecer a bibliografia e preservar os dados documentais da regio.

  • fevereiro/maro/abril 2012 //informativo agente urgente 21Selva Iryap sin Nmero - Casilla de Correo n11 - 3370 - Puerto Iguaz - Misiones - Argentina

    Hotel 5 Estrelas, localizado dentro das 600 hectreas da Selva Iryap. 162 apartamentos divididos em 5 categorias, todas com vista para a Selva. 8 sofisticas Vilas com Vista ao Rio Iguau. Restaurante Naipi Tiki Bar

    800m2 de piscinas. Spa exclusivo. Salas para todos os tipos de Eventos Sociais e Corporativos.

  • fevereiro/maro/abril 201222 //informativo agente urgente

    J so quase quatro anos de espe-ra, mas a luta pela reabertura da Pe-dreira Paulo Leminski est chegando ao fim. No ltimo dia 6 de fevereiro, a Prefeitura de Curitiba e o Minist-rio Pblico do Paran chegaram a um acordo para liberar o espao aps a implantao de uma srie de obras no local.

    S depois de concludas as obras prometidas pela prefeitura, que a juza Mariana Gusso, da 4 Vara da Fazenda Pblica de Curitiba, ir revo-gar a liminar que probe os shows.

    Na prtica, os shows voltam as-sim que a Pedreira receber a ade-quao necessria para que no haja mais prejuzo para os vizinhos. Ao mesmo tempo, essas exigncias faro com que os eventos realizados no lo-cal sejam mais profissionais, afirma o vereador Jonny Stica, que encabe-a a campanha A Pedreira Nossa! (www.apedreiraenossa.com.br).

    As intervenes (como, por exem-plo, sadas de emergncia, sinalizao e at a construo de um elevador) visam adequar a Pedreira s normas de segurana exigidas pelo Corpo de Bombeiros e pela Polcia Militar (PM).

    Alm das obras, a prefeitura apre-sentou tambm as informaes pe-didas pelo Ministrio Pblico e pelos moradores do entorno sobre reas de escape necessrias, laudo sonoro in-dicando os equipamentos ideais para evitar vazamento excessivo de som e

    //reabertura

    Acordo firmado entre Ministrio Pblico e Prefeitura de Curitiba pe fim ao imbrglio judicial que j se arrasta por quase quatro anos. Assim que passar por obras de readequao, a Pedreira Paulo leminski poder voltar a receber shows

    A vOlTA DA PEDREIRA

    at os procedimentos sugeridos para gerenciamento de trnsito e seguran-a da regio, elaborados por vrios rgos.

    Tudo isso faz parte do acordo fir-mado. Aps a liberao, quando um produtor quiser realizar um show, precisar utilizar o equipamento de som padro exigido pela prefeitura e depositar um cheque cauo para poder alugar a Pedreira. Haver fis-calizao antes do incio dos shows

    que poder at impedir a realizao do mesmo. Enfim, ser obrigatrio ao realizador seguir todas as exigncias que foram apresentadas hoje, expli-ca o vereador.

    Ainda no h prazo definido para o incio das obras, mas o vereador Stica afirma que buscar intermediar um calendrio juntamente prefeitura.

    PlANOA Pedreira ganhar novas rotas de

    fuga, um ponto de apoio da Polcia Militar e ter o porto de acesso alar-gado. Estas so algumas das benfei-torias detalhadas no plano de obras e aes apresentado pelo municpio. Aps a implementao do plano, a Pedreira ter condies de ser rea-berta para shows.

    O porto de entrada, com acesso pela Rua Joo Gava, ser alargado e ter mais de 12 metros de largura, segundo norma tcnica exigida pelo Corpo de Bombeiros. Do lado de den-tro, no paredo da lateral esquer-da do palco, sero construdas duas grandes escadas de emergncia, com um total de 7,7 metros de largura, o que dar acesso rea superior onde h estacionamento e heliponto.

    Todo o projeto de preveno de incndio e rotas de fuga foi aprovado pelo Corpo de Bombeiros, explica o

    assessor de Controle Externo da Procuradoria Geral do Munic-pio, Silvio Brambila. Segundo ele, o laudo tcnico aprovado pelos bombeiros tambm estipula a capacidade mxima da Pedreira em 27 mil pessoas.

    FISCAlIzAOSegundo o plano de obras

    e aes, as questes de som e horrios sero rigorosamente fiscalizados pelo municpio. Ha-ver um pagamento cauo an-tecipado que ir inibir violaes das regras estipuladas, afirma Brambila.

    O procurador explica que o municpio fez recentemente uma licitao para realizao de um laudo tcnico de sonoriza-o. Exigiremos equipamentos de som de primeira gerao, que garantem concentrao de som e evitam que o mesmo se espalhe para fora da Pedreira, diz Brambila.

    Outro item previsto no plano tem como objetivo organizar o trnsito na regio em dias de shows, com possibilidade de bloqueios de reas. O monitora-mento ser feito pela Secretaria Municipal de Trnsito.

    O ESPAO EST FECHADO PARA SHOWS DESDE 2008. DESDE ENTO, OS GRANDES EVENTOS MINGUARAM EM CURITIBA.

    A PEDREIRA PAULO LEMINSKI GANHAR NOVAS ROTAS DE FUGA, UM PONTODE APOIO DA POLCIA MILITAR E TER O PORTO DE ACESSO ALARGADO.

    FOTO

    : ALI

    CE

    RO

    DR

    IGU

    ES/D

    IVU

    LGA

    O

    FOTO

    : CA

    RLO

    S R

    UG

    GI/

    SMC

    S

  • fevereiro/maro/abril 2012 //informativo agente urgente 23

    Na prtica, os shows voltam assim que a Pedreira Paulo Leminskireceber a adequao e as obras necessrias para que no hajamais prejuzo para os vizinhos.jonny sticA, VereAdor e lder dA cAmPAnhA A PedreirA nossA!

    SEGuRANADentro do complexo da Pe-

    dreira, ser instalado um ponto de apoio da Polcia Militar, que tambm ser responsvel pelo Plano de Emprego de Policia-mento Externo Utilizado na Pe-dreira. O plano de obras e aes prev ainda que qualquer evento na Pedreira com pblico superior a 2 mil pessoas seja obrigatoria-mente analisado pela Comisso de Anlise de Eventos de Grande Porte da Prefeitura, que envolve secretarias municipais do Meio Ambiente e Administrao, Fun-dao Cultural de Curitiba e Pro-curadoria Geral do Municpio.

    CAMPANhAO acordo era um caminho at na-

    tural para o caso. Porm, para aconte-cer, foi preciso um empurrozinho de mais de 17 mil pessoas que apoiaram a campanha A Pedreira Nossa!. O movimento serviu no s como um contrapeso na discusso sobre a via-bilidade do melhor espao para shows de Curitiba, mas tambm teve partici-pao ativa e determinante em vrias etapas do processo que culminou no fechamento da Pedreira.

    Foram reunies com moradores da regio, msicos, produtores, ad-vogados, promotores, procuradores, juzes, prefeito, vrias visitas ao F-rum, e at eventos como um que fi-zemos nas Runas do So Francisco. Tudo pra mostrar sociedade que muita gente desejava continuar vendo shows na Pedreira, lembra o vereador Jonny Stica. Vrios itens contidos no acordo, por exemplo, foram costura-dos nessas reunies promovidas pelo movimento. A audincia do ltimo dia 6 de fevereiro tinha sido determinada em novembro, quando o Ministrio Pblico e a Prefeitura Municipal no fecharam acordo, mas consideraram a possibilidade de resolver a questo.

    FOTO

    : GIL

    SON

    CA

    MA

    RG

    O

    O quE vAI MuDAR NA PEDREIRA

    O porto de entrada ser alargado e ter mais de 12 metros de largura;

    Do lado de dentro sero construdas duas grandes escadas de emer-gncia, com um total de 7,7 metros de largura;

    A capacidade mxima da Pedreira ser de 27 mil pessoas;

    Som e horrios sero rigorosamente fiscalizados pelo municpio. Ha-ver pagamento cauo antecipado para inibir violaes das regras;

    Exigncia de equipamentos de som de primeira gerao, que garan-tem concentrao de som e evitam que o mesmo se espalhe para fora da Pedreira;

    Bloqueios de reas prximas para trnsito que no seja de moradores. O monitoramento ser feito pela Secretaria Municipal de Trnsito;

    Dentro do complexo da Pedreira ser instalado um ponto de apoio da Polcia Militar;

    Qualquer evento na Pedreira com pblico superior a 2 mil pessoas ser obrigatoriamente analisado pela Comisso de Anlise de Eventos de Grande Porte da Prefeitura.

  • fevereiro/maro/abril 201224 //informativo agente urgente

    Nos dias 2 e 3 de maro, acontece o 18 Salo Paranaense de Turismo, no Expo Unimed Curitiba. O encontro, organizado e promovido pela Associa-o Brasileira das Agncias de Viagens do Paran (ABAV-PR) ser o primeiro evento de turismo do sul do pas em 2012, o que trar ainda mais oportu-nidades no mercado para quem par-ticipar do Salo. Qual agente de via-gens no quer saber primeiro de todas as novidades em termos de roteiros, destinos e servios para o seu clien-te? isso que o 18 Salo Paranaense de Turismo vai proporcionar, aliado a uma boa programao tcnica e 8 Mostra das Regies Tursticas do Paran, recomenda o presidente da ABAV-PR, Celso Tesser.

    Participam do evento todo o trade turstico: operadoras e agncias de viagens, hotelaria, companhias a-reas, locadoras de veculos, destinos nacionais e internacionais, compa-nhias de cruzeiros martimos, rgos oficiais do turismo e prestadores de servio do setor. Para esta edio, a ABAV-PR organizou oito roteiros de caravanas de agentes de viagens, pro-venientes do Paran, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. As caravanas so um atrativo a mais para o evento, pois o integrante j vem entrando no cli-ma do evento na viagem, faz amigos e participa de todas as atividades do Salo, comenta o vice-presidente da ABAV-PR, Roberto Bacovis.

    A expectativa da ABAV-PR supe-rar a marca do ano passado, quando reuniu 4,6 mil profissionais e cerca de 300 expositores. A gente trabalha para fazer sempre melhor do que j fez. Essa a filosofia de qualquer bom profissional e o que acreditamos na ABAV-PR, finaliza Tesser.

    O 18 Salo Paranaense de Turismo realizado com o patrocnio do Sebrae e da Tam, com o apoio de: Governo do Paran, Prefeitura de Curitiba, Institu-to Municipal Curitiba Turismo, BWT Operadora, Coris, Gol, Grupo BRT, Ser-ra Verde Express, Schultz e Travelport.

    CAPACITAO PROFISSIONAlA programao de palestras do

    Salo Paranaense de Turismo sempre chama a ateno. Neste ano, os ex-positores puderam participar da sua elaborao, indicando temas e pales-trantes que considerassem relevantes para ampliar a qualidade da progra-mao tcnica do evento.

    A ABAV-PR seguiu o exemplo da ABAV Nacional na Feira das Amri-cas 2011 e vai repetir as palestras de sexta no sbado. A ideia alternar os horrios e oferecer a mesma progra-mao, para dar oportunidade para os agentes de viagens assistirem ao que desejam, sem sobrecarga de conte-do. A proposta criar oportunidade

    KEL

    Ly K

    NEV

    ELS/

    RA

    FAEL

    KN

    EVEL

    S

    fevereiro/maro/abril 201224 //informativo agente urgente

    AS NOVIDADES DOTURISMO PARA 2012

    Primeiro evento do segmento no sul do pas, o 18 Salo Paranaense de Turismo estima receber

    perto de 5 mil profissionais, em dois dias de eventoFORTALEASUAS ALIANAS NO TURISMO

    MARQUE PRESENA NO18 SALO PARANAENSE DE TURISMO.Garanta j seu espao!

    Informaes e reservas:Tel.: 55 41 3223-3411 | Fax: 55 41 3324-9242

    [email protected]

    Valor - Associados ABAV-PR rea laranja: R$ 325,00/m2

    rea verde R$ 395,00/m2

    Valor No Associadosrea laranja : R$ 481,00/m2

    rea verde R$ 554,00/m2

    Trav. Nestor de Castro, 247 sl 16 | 80020-120 | Centro | Curitiba - PR.

    tel.: 55 41 3223-3411 | fax: 55 41 3324-9242

    [email protected] www.abav-pr.com.br

    42 Anos com o Agente de Viagens

    Aten

    o pa

    ra

    a nov

    a data

    :

    2 e 3

    de m

    aro d

    e 2012

    EXPO UNIMED CURIT IBA

    2 e 3 MARO2 0 12

    para visitantes e expositores acompa-nharem a programao e, por isso, va-mos seguir a ideia da ABAV Nacional. Para os palestrantes, a duplicidade da programao tambm uma tima oportunidade de replicar ainda mais seu conhecimento, observa Ana Pau-la Garcia, diretora de capacitao da ABAV-PR.

    Ao todo, sero nove palestras, uma mesa redonda e uma ao de capa-citao do Sebrae. Por intermdio da Domus Viagens, que expe no 18 Sa-lo Paranaense de Turismo, a palestra principal que fecha a programao ficou a cargo de Ricardo Velasco, ge-rente de vendas e marketing da Am-rica Latina da Akylanga Operadora, es-pecializada em receptivo na frica do Sul. O tema ser frica do Sul: Atrati-vos Tursticos e o Legado da Copa do Mundo 2010. Velasco mostrar mais do que as belezas do pas africano; mostrar o que aconteceu no pas em relao ao turismo com o evento es-portivo, fazendo um paralelo com o Brasil, que receber a Copa em 2014.

    Entre as temticas das demais ati-vidades, esto destinos, produtos e servios e qualificao profissional. Os destinos explorados no evento sero Barbados, Santiago do Chile, Vale Eu-ropeu Catarinense e Bonito (MS). No que se refere aos produtos e servios, esto capacitao de produtos e ser-vios LAN, dicas para orientar clien-tes no uso de dinheiro em viagens

    internacionais da Cotao Cmbio, comunicao e marketing digital com a Intelly, trens tursticos com a Serra Verde Express e turismo em ambien-tes naturais, com a Bertoldi Turismo.

    Nem toda a agenda vai se repetir nos dois dias do evento. Como opor-tunidade nica, esto a palestra da Infraero, sobre o desenvolvimento do aeroporto Internacional Afonso Pena, em So Jos dos Pinhais (PR); a mesa redonda Ser Turismlogo Faz a Dife-rena?, que promete levantar a dis-cusso sobre a importncia do diplo-ma de curso superior em Turismo; e o Espao Sebrae, que vai proporcionar um encontro sobre qualificao pro-fissional. A ABAV-PR procura trazer os temas mais atuais e relevantes para o dia a dia dos profissionais do Turis-mo, especialmente, os agentes de via-gens, aponta Ana Paula Garcia.

    PASSEIO DE TREMA BWT Operadora e a ABAV-PR le-

    varo 600 agentes de viagens para um passeio de trem de Curitiba para Morretes, na Serra do Mar parana-ense. O evento acontece no dia 4 de maro, domingo, e fecha a programa-o oficial do 18 Salo Paranaense de Turismo. Quem vier ao Salo pelas ca-ravanas da ABAV-PR j est automati-camente convidado para esse passeio. Agentes de viagens de Curitiba que forem ao estande da BWT Operadora nos dias do evento podero concorrer

    a cortesias.Para o presidente da ABAV-PR, Cel-

    so Tesser, esse passeio traz um dife-rencial para o evento, que pela primei-ra vez conta com um famtour ao final da sua programao. Todos os anos, recebemos pedidos deste e de outros passeios pelo Paran. Com essa cor-tesia da BWT Operadora, podemos mostrar aos agentes de viagens as particularidades de nosso estado e o programa diferenciado que os turistas podem usufruir por aqui, explica.

    O passeio percorre 110 quilme-tros viajando pela maior rea preser-vada de Mata Atlntica do Brasil e por uma ferrovia com mais de 126 anos de histria. O trem parte de Curitiba rumo cidade de Morretes, que rece-ber os participantes com um delicio-so barreado prato tpico da culinria local.

    AO PARA ARTESOSUma parceria indita com a em-

    presa Solidarium para o 18 Salo Paranaense de Turismo vai ajudar a tirar artesos brasileiros da pobreza. Sero distribudas, no evento, saco-las ecolgicas em algodo cru, para os visitantes guardarem a folheteria e demais materiais que receberam dos expositores do Salo. Essas sacolas es-to ajudando a tirar artesos de uma situao de pobreza, proporcionando uma vida mais digna para esses profis-sionais e suas famlias.

    Texto: Flamma Comunicao

    TODO O TRADE TURSTICO VAI PARTICIPAR DE MAIS UMA EDIO DO SALO PARANAENSE, QUE ACONTECE NOS DIAS 2 E 3 DE MARO.

  • fevereiro/maro/abril 2012 //informativo agente urgente 25

    apoio:

    Patrocnio:

    O ExPO UNIMED CURITIBA SER NOVAMENTE O PALCO PRINCIPAL DO EVENTO. PARA ESTA EDIO, A ABAV ORGANIZOU OITO ROTEIROS DE CARAVANAS DE AGENTES DE VIAGENS.

    KEL

    Ly K

    NEV

    ELS/

    RA

    FAEL

    KN

    EVEL

    S

  • O CENTRO HISTRICO DA CIDADE AMURALHADA DE CARTAGENA OFERECE Ex-CELENTES HOTIS BOUTIQUE, RESTAURANTES INTERNACIONAIS E LOJAS DIVERSAS.

    FOTO

    S: D

    IOG

    O D

    REy

    ER

    //destino

    Colmbiajoia do turismo sul-americanoa Agente urgente visitou um dos pases que est revolucionando a indstria turstica ao aliar polticas pblicas de qualidade a campanhas publicitrias certeiras. Mas nada disso seria suficiente se o destino no apresentasse algumas das belezas naturais mais marcantes do continente

    Por Diogo Dreyer

    Esquea tudo de ruim que voc j ouviu sobre a Colmbia. A realidade atual do pas, outrora atribulada por guerrilheiros e cartis de drogas, bem diferente daquela que frequenta-va noticirio internacional h at uma dcada.

    Natureza e cidades maravilhosas, povo alegre e receptivo, segurana exemplar, boa infraestrutura e preos convidativos para o turista (especial-mente o brasileiro) compem a nova cara da Colmbia. Tudo resultado de polticas pblicas que praticamente pacificaram o pas e o divulgaram ao

    exterior atravs de agressivas campa-nhas publicitrias por parte do gover-no.

    E isso, claro, significa mais dinheiro para o pas. Em 2011, o turismo con-tribuiu com 28 trilhes de pesos (US$ 15,7 bilhes) para o PIB colombiano. As visitas de estrangeiros ao pas pas-saram de 600 mil em 2000 para cerca de 1,4 milho em 2009, um crescimen-to anual mdio de mais de 10% (qua-se quatro vezes a mdia mundial!). A indstria de cr