Revista Solucao 200505

download Revista Solucao 200505

of 63

  • date post

    12-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    167
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Revista Solucao 200505

Publicao institucional da ESAB Brasil Abril / 2005

1904 - 2004 ESAB 100 anosUm sculo de desenvolvimento em soldagem e corte.

Rua Zez Camargos, 117 Cidade Indstria Cep. 32210-080 Contagem / MG

NDICE

Autobiografia de Oscar Kjellberg O inventor do eletrodo revestido descreve seu trabalho e sua vida.

5

Oscar Kjellberg inventor e visionrio Quem foi Oscar Kjellberg? O que o motivou?

8

Descobrindo novas fronteiras Um sculo de expanso global A ESAB, que comeou bem pequena em 1904, agora uma empresa internacional. Leia tudo sobre a expanso da ESAB durante um sculo de soldagem.

16

Uma tarefa diferente Esta histria nos leva de volta a 1914, quando Ragnar Asander viajou de tren para a Rssia para consertar uma serraria usando o mais novo mtodo de soldagem de Oscar Kjellberg.

26

Uma histria da Soldagem Este artigo ressalta a histria da soldagem a arco que comeou no final do sculo XIX.

30

Da vareta de solda ao sucesso - Revelando a histria do eletrodo revestido O sucesso do eletrodo revestido durante o sculo XX.

34

Soldagem de navios, uma questo de classificao As regras unificadas das Sociedades Classificadoras so uma valiosa ferramenta na construo de navios.

39

Avanos na tecnologia de soldagem ilustrados em selos postais Dr. Sejima analisa a histria da soldagem atravs de uma seleo de imagens tiradas de sua coleo de selos.

42

Aos inoxidveis - passado, presente e futuro Este artigo resume sucintamente a histria do desenvolvimento do ao inoxidvel e analisa algumas tendncias futuras.

45

O futuro da soldagem e da junta Desde a inveno do eletrodo revestido, h 100 anos, vrios outros processos de soldagem foram inventados. O que o futuro nos reserva?

52

A histria da soldagem em alumnio Para apreciar a histria da soldagem em alumnio, importante conhecer a histria do material em si.

59

E D I TO R I A L

Este nmero especial da Revista Soluo uma traduo da Revista Svetsaren, comemorativa do centenrio da ESAB, ocorrido em 12 de setembro de 2004. Para ns, da ESAB Brasil, uma oportunidade de reafirmarmos nosso compromisso de trazer para nossos clientes e para a comunidade da soldagem a melhor tecnologia em processos, mtodos e produtos para soldagem e corte, princpios que estiveram sempre presentes na nossa Empresa, nesses cem anos de existncia. 2005 trs para ns outro motivo de puro orgulho, com as comemoraes, em setembro, do cinqentenrio da instalao da nossa Fbrica de Eletrodos de Contagem (MG), que marcou o incio de uma relao de parceria e compromisso com o desenvolvimento do Brasil, que perdura at hoje. Naquele longnquo 1955, quando a famlia Pareto se associou ESAB Sucia para criar aquela que viria a ser a maior empresa de soldagem e corte da amrica Latina, um sentimento se incorporou ao esprito da nossa Empresa e se mantm at hoje: acreditar no Brasil, na capacidade dos brasileiros e na superao permanente de desafios para crescer e se fortificar. Iniciamos este novo perodo da nossa histria com esprito renovado de nossos fundadores. Estamos investindo em novos mercados, novas tecnologias, novos produtos, ampliando nossa capacidade de produo. Temos uma longa histria a nos suportar. Temos um longo futuro ainda por construir. Nossos agradecimentos a todos os colaboradores que, nesses 50 anos, ajudaram a formar a ESAB de hoje.

No dia 12 de setembro de 2004, comemoramos 100 anos de ESAB. O mundo est agora muito diferente daquele que Oscar Kjellberg, fundador da ESAB, conheceu no princpio do sculo passado. Naquela poca, a fabricao pesada em ao estava centrada na Europa e Estados Unidos, enquanto que hoje a geografia de produo literalmente global, com novas economias na sia e mercados emergentes definindo o ritmo na construo de navios e de outras indstrias de consumo intensivo de ao. Ao longo dos perodos subseqentes, muitos materiais e processos surgiram criando oportunidades de expanso e desenvolvimento. O sucesso de nossa indstria, e da forma como a servimos melhor, sempre dependeu da troca ativa de idias, tcnicas e experincias entre clientes, fornecedores, institutos de soldagem e nossos prprios engenheiros. Por quase setenta anos Svetsaren tem sido uma pea chave na motivao desse intercmbio. O meu obrigado especial a Bertil Pekkari, coordenador aposentado da Svetsaren, que, juntamente com o editor Ben Altemhi e outros membros da equipe editorial, compilaram esta edio especial centenria e deram continuidade a uma longa tradio como guardies desta extraordinria revista informativa. Jon Templeman Diretor-Presidente ESAB Holdings Limited

Edio Especial - Traduo da Revista Svetsaren, editada pela ESAB da Sucia, em comemorao aos 100 anos da Empresa.Publicao institucional da ESAB Brasil Rua Zez Camargos, 117 Cidade Industrial Cep. 32210-080 Contagem MG marketing@esab.com.br - www.esab.com.br Diretor Presidente Dante de Matos Diretor de Vendas Newton de Andrade e Silva Diretor Industrial Lus Cludio Assis de Mattos Diretor Financeiro Ernesto Eduardo Aciar Gerente de Marketing Antonio Plais Produo: Prefcio Comunicao 31-3372-4027

4

Autobiografia de

Oscar KjellbergViaje de volta a maro de 1918 e leia como o inventor do eletrodo revestido descreve sua vida e seu trabalho.

N

asci na parquia de Arvika, em 21 de setembro de 1870, e fui o mais velho de cinco irmos. Minha me se chamava Karolina e meu pai Johannes Kjellberg, um trabalhador ferrovirio empregado por uma empresa britnica. Meu pai foi assassinado em Heatings, nos EUA. Sa da escola em 1886, quando ento comecei a pagar pela minha educao. Torneime um aprendiz na Oficina Mecnica de Kristinehamn e trabalhei em diferentes departamentos at a primavera de 1890, quando fui para o mar para obter qualificaes prticas de trabalho com maquinrio e para ganhar dinheiro para custear meus estudos superiores. Ao longo dos anos que se seguiram, trabalhei em vrios navios a vapor, dentre eles dois anos no Guernsey af Tnsberg, na poca o maior navio dos pases nrdicos. Em 1894 e 1895, trabalhei na Oficina Mecnica de Kockum, em Malm. Na primavera de 1896 me formei como segundo oficial de mquinas pela Escola Naval de Malm. Trabalhei como responsvel pela sala de mquinas em navios suecos, rus-

sos e noruegueses, em diversas guas. Em 1898, me qualifiquei como chefe de mquinas pela Escola Naval de Malm e imediatamente aceitei um emprego de chefe de mquinas na Hallands Angbats Aktiebolag. Durante vrios perodos de licena para estudo, trabalhei como aprendiz na Fretzner em Laura Hytte e na Ottenser Eisenwerk, as maiores e mais modernas oficinas de caldeiras a vapor da Europa, naquela poca. Em 1902, me formei como Engenheiro Naval pela Escola Tcnica de Bremen. Este ttulo me qualificava para trabalhar como engenheiroresponsvel nos maiores navios de passageiros da Alemanha. Em 1903, passei em um exame especial de Eletroengenharia na Escola Naval de Gteborg. Desde que iniciei minha carreira tcnica, me senti insatisfeito com os mtodos de reparo e de remendos usados nos navios, em suas caldeiras a vapor e nos componentes de mquinas em geral. Nos idos de 1900, comecei a investigar como qualquer um destes itens de equipamento

tinha sido reparado usando soldagem. Carregar grandes componentes de mquina para dentro de um alto-forno estava fora de questo, e era ento necessrio considerar o uso de eletricidade como o meio de aquecimento que poderia, na prtica, ser levado para a pea de trabalho em um arame de cobre. No entanto, primeiramente era necessrio estudar o que tinha sido feito nesta rea. Descobri que pessoas de diversos pases j haviam pesquisado sobre esse assunto

seriamente e, em 1864, uma patente relativa ao uso de eletricidade tinha sido registrada. Ao final da dcada de 1880, a literatura da poca mencionava com muito entusiasmo a soldagem eltrica. No entanto, os mtodos no obtiveram sucesso por vrias razes que os pesquisadores da poca ignoravam. A soldagem eltrica foi um fracasso total. Desta forma, o terreno era ainda virgem mas, como problemas existem para serem superados, decidi investigar por que os engenheiros daquela poca

5

no tinham analisado o assunto por completo. Estudos aprofundados sobre o que eles haviam feito provaram que esse era o problema. Obtive sucesso ao enxergar os erros dos meus predecessores e aprender com eles. Perseverei em meus experimentos e estes produziram resultados favorveis, endossando, assim, minha convico de que uma soluo poderia ser encontrada. No princpio de 1904, meus experimentos tinham avanado a tal ponto que o primeiro trabalho prtico poderia ter incio. O trabalho envolvia soldar os cilindros e as mangas do aparelho de ancoragem do canhoneiro H.M. Svensksund, que tinha congelado e quebrado. Este canhoneiro funciona at hoje sem problemas. Em meados de 1904, fundei a empresa Elektriska Svetsnings Aktiebolaget, da qual sou o presidente desde ento, para aproveitar o sucesso obtido no campo da soldagem eltrica. Nos anos de 1904, 1905 e 1907, as primeiras patentes foram registradas e obtidas. Dentre elas, a de 1907 estabelecia os fundamentos para uma era totalmente nova na soldagem eltrica, visto que essa inveno tornou possvel eliminar o oxignio do ar ao redor da pea de trabalho exposta ao calor da soldagem. A presena do oxignio tinha um efeito malfico e variava significativamente as propriedades mecnicas e qumicas da junta de solda.

A soldagem na parte inferior do objeto tambm se tornou possvel. Para alcanar isso, o efeito da gravidade no ferro fundido tinha que ser eliminado. Tal resultado foi alcanado manuseando as foras de adeso e coeso para produzir o que poderia ser descrito como uma fora ou movimento capilar conjugado que atuava no material metlico fundido e que tinha que ser transferido do eletrodo de trabalho para a pea. Como essa fora maior que a gravidad