Roraima a causa real da briga

Click here to load reader

Embed Size (px)

Transcript of Roraima a causa real da briga

  • 1. ATIVOS REAIS, NIBIO, PLASMA,FUSO NUCLEAR, ENERGIAE... RORAIMA POR QUE SER TO DIFCIL MANT-LA SOB O GOVERNO DO BRASIL? Por Rebecca Santoro 16 de maio de 2008 Clique

2. Voc sabe o que o 4 estado da matria? 3. Em agosto de 2005, um ex-conselheiro do presidente norte-americano Ronald Reagan disse, em entrevista ao jornalThe Australianque, se por um motivo qualquer, houvesse uma repentina venda macia de dlares, a Grande Depresso de 1929 pareceria um piquenique. Para se ter uma idia, o volume de dlares fora dos EUA cerca de quatro vezes o PIB daquele pas. Em tal situao, os dirigentes da oligarquia mundial, entre eles Warren Buffett e George Soros, dois dos maiores donos de ativos financeiros do mundo, vm transformando sua riqueza financeira em riqueza real, adquirindo ativos reais, como terras, bens de produo (indstrias e mquinas) e minerais preciosos. 4. Dominar todo o processo produtivo, desde a extrao ou a fabricao de matria-prima ao produto final, depois sua comercializao, no atacado e no varejo, pelo menos de todos os bens mais importantes para a vida moderna o sonho dourado das grandes oligarquias transnacionais. Depois vir o caos para o indivduo comum, em todo o planeta, especialmente para os considerados (por estas oligarquias) como sub-raa - na qual se encaixam os latino-americanos. Mas, por enquanto, seguem enganando a tudo e a todos por trs de causas humanitrias, ambientais, indgenas, de minorias de todos os tipos, etc. 5. Enquanto todo mundo embarca na canoa da financeirizao da economia como a forma mais vantajosa de ganhar dinheiro e de preservar o valor de seu capital financeiro, os que sabem dos planos futuros para o mundo, espertamente, compram terras, bens de produo e avanam sobre o domnio da explorao, extrao, manipulao e comercializao do universo das matrias primas, incluindo os minerais. Roraima no est sob disputa toa, dentro desse quadro. Sob o solo daquele Estado, especialmente nas reservas indgenas, esto, tambm, as maiores reservas de minerais preciosos e estratgicos do mundo - todos de qualidade excepcionalmente boa. H ouro, diamante, entre outros, e nibio, do qual o Brasil detentor de 98% das reservas mundiais. 6. Certamente o leitor j ouviu falar por a sobre a importncia do nibio para a indstria aeronutica e aeroespacial, bem como para a construo de dutos pelos quais podem ser transportados gua, petrleo e suas variantes a grandes distncias. Igualmente j deve ter ouvido falar que o Brasil, possuindo praticamente todas as reservas deste mineral no mundo, no poderia, como constam em tabelas oficiais, ser o exportador de apenas 40% do nibio que circula no planeta e nem ganhar to pouco com a comercializao de um produto que, s pelo fato de ser praticamente exclusivo e to necessrio, teria de ter seu preo estabelecido por quem produz (mais ou menos o que acontece com os produtores de petrleo). 7. Ora, nada disso que est exposto acima representa nenhuma novidade. A questo dos mistrios que envolvem o nibio brasileiro, sua produo e sua comercializao antiga e muito j foi falado sobre o assunto, embora no em rede nacional, em horrio nobre, nos grandes telejornais brasileiros.Mas agora h um fato novo para quem no costuma se inteirar sobre assuntos cientfico-tecnolgicos - talvez o grande responsvel pela questo da presso sobre a demarcao das reservas indgenas, especialmente as que se encontram sobre depsitos de nibio e em terras prximas s fronteiras do Brasil com outros pases. 8. Voc sabe o que o plasma? Sabe que a energia conseguida atravs da manipulao adequada dos tomos neste reconhecido quarto estado da matria (alm dos j bastante conhecidos: slido, liquido e gasoso) pode vir a substituir com sucesso tudo o que se usa para obter energia a partir da manipulao dos ncleos atmicos?O quarto estado da matria - o plasma - j conhecido desde os meados dos anos 40 e constitui, na verdade, 95% do nosso universo visvel. O plasma existe, por exemplo, em relmpagos e raios, que ionizam o ar, transformando-o em plasma. Tambm pode ser visto em um dos maiores e mais famosos espetculos naturais da Terra, a chamada aurora boreal, que ocorre normalmente prximo aos plos da terra. O sol uma grande bola de plasma. Manipulado pelos homens, podemos observar o plasma, por exemplo, numa lmpada fluorescente em funcionamento, nos letreiros de neon das ruas e mesmo nos j famosos televisores de parede. 9. Como se sabe, toda a matria do Universo feita de tomos, que, por sua vez, so compostos de pequenas partculas possuidoras de cargas que esto sempre em movimento: os prtons (com carga positiva), os nutrons e os eltrons (com carga negativa), sendo que estes tm maior liberdade de locomoo, por ficarem em volta do tomo. O estado fsico em que cada substncia se encontra devido velocidade desse movimento e pode ser afetado por energia, por calor e por presso. Nas substncias slidas, os tomos esto muito juntos, portanto suas partculas (e eles prprios) tm pouca liberdade de movimento. 10. Nos lquidos, os tomos e suas partculas tm mais liberdade de movimento; nos gasosos, os tomos esto totalmente livres para se mover com grande espao entre si. Quando atinge o estado de plasma, a matria se modifica radicalmente: os tomos deixam de ser tomos por um breve momento, quando o ncleo de prtons e nutrons se desgruda de seus eltrons, que passam a se mover muito rpido e independentemente. Durante esses violentos movimentos muitas partculas colidem entre si, liberando grande energia e fazendo com que a substncia adquira inmeras propriedades incomuns, como magnetismo, condutividade eltrica, grande calor, entre outras. 11. As formas mais comuns de fazer um gs se transformar em plasma (esse processo se chama "ionizar"), aquecendo-o a temperaturas extremamente altas - o que acelera o movimento dos eltrons, desprendendo-os do ncleo, ou passando atravs do tomo uma corrente eltrica to forte que faa com que seus eltrons sejam forados a se soltar do ncleo. Quanto menos eltrons houver no sistema, mais fcil e menos energia ser necessria para fazer com que o gs atinja o estado de plasma. O plasma depende, ento, do gs com o qual voc quer faz-lo, da presso/temperatura existente e da quantidade de energia (calor ou voltagem) que voc precisa para separar os eltrons dos ncleos. Para diferentes aplicaes, exigem-se tambm plasmas de diferentes densidades, temperaturas e ons: para plasmas densos, quentes e de ons leves, temos a fuso termonuclear controlada (FTC) dos istopos leves do hidrognio e do hlio. Para plasmas densos, mornos e de ons pesados, propulso e tochas a plasma. Para plasmas pouco densos, frios e de ons pesados, h a implantao inica, processos de esterilizao e lmpadas fluorescentes. 12. Agora que voc j tem uma idia do que seja o plasma e de como se d sua manipulao para a obteno de energia, vamos falar sobre a busca de alternativas para a utilizao do petrleo como =ne fonte de energia. A energia nuclear j teve um futuro promissor, na dcada de 50, quando se dizia que era uma energia to barata que nem valeria a pena cobrar por ela. Acontece que a realidade se encarregou de destruir essa esperana, depois dos acidentes de Tree Miles Island, em 1979, e de Chernobyl, em 1986.Mas, agora, com a progressiva crise do petrleo, os reatores atmicos voltaram ao jogo energtico global. A mais nova gerao de reatores, chamados defast-breeder , acaba com um outro dilema que envolvia o uso de energia nuclear - onde armazenar o lixo atmico. Isto porque osfast-breederconsomem quase todo o combustvel, composto de urnio e plutnio, usado na produo de energia e ainda podem aproveitar os rejeitos deixados por outras usinas. Mas h um porm. A nova gerao de reatores usada para beneficiar o urnio e o plutnio, usa uma tecnologia que, na prtica, tambm pode ser aplicada para fazer plutnio usado em bombas atmicas. 13. A nica tecnologia capaz de dissipar todas as dvidas sobre os reatores atmicos a fuso nuclear. A idia produzir energia a partir de tomos de hidrognio, obtendo, como resultado da reao, o inofensivo gs hlio. Seria o fim dos dejetos radioativos e do temor de material desviado para fazer bombas.Por isso, no ano passado, um consrcio internacional formado por Coria do Sul, Japo, Estados Unidos, Unio Europia, Rssia e China decidiu construir um prottipo de 6 bilhes de euros (cerca de R$ 18 bilhes). A mquina - O ITER (International Thermonuclear Experimental Reactor) - est em construo na cidade francesa de Cadarache e dever entrar em operao em 2015. O reator uma grande cmara de ao em forma de pneu, com um volume equivalente a meia piscina olmpica. Dentro dele, campos magnticos sero utilizados para tentar fazer o gs hidrognio chegar a uma temperatura superior a 100 milhes de graus Celsius - isto seis vezes mais quente que o ncleo do Sol. 14. Ora, que recipiente suportaria tamanha temperatura sem simplesmente se dissolver? Para resolver esse problema, criou-se uma espcie de campo magntico (um im gigante feito de nibio - resistente a altas temperaturas) que faz com que todo o processo de liberao de energia com as fuses ocorra a uma distncia controlada das paredes dos recipientes. Se a tcnica da fuso nuclear for dominada, a era do petrleo finalmente ter chegado ao fim, no planeta. Estamos quase chegando em Roraima... Vamos continuar. Na poca em que foi formado o consrcio para fabricar este reator, cogitou-se,emmanchetes jornalsticaspelo mundo , a entrada do Brasil no grupo, por uma questo muito simples: que o pas tropical do carnaval mais famoso e do futebol mais belo do mundo, tambm o mais rico do planeta, se no praticamente o fornecedor exclusivo, de ummineralzinhochamado NIBIO, do qual o pas detm entre 95 e 98% das reservas mundiais e que fundamental na construo do primeiroaparelhozinhogerador de energia em grande escala que pode mudar a histria da matriz energtica utilizada pela humanidade. S isso. No tem nibio, no temaparelhozinho . 15. Divulgava-se at hoje que estariam no Centro-Oeste dois teros das reservas de nibio do Brasil.Agora, sabe-se que, em Roraima, bem dentro da reserva indgena Raposa da Serra do Sol, se definitivamente demarcada em terras contnuas, alm de outras importantes riquezas minerais, est a maior reserva de nibio do planeta.Ora, desapropriar do estado brasileiro uma terra que fica bem no meio do pas bem mais complicado do que numa terra que fica na sua fronteira norte (lembrar da j demarcada reserva Yanomami, que, junto Raposa do Sol, praticamente fechar toda a fronteira norte daquele estado, em forma de reserva indgena e ambiental), grande parte da qual faz fronteira com a Venezuela - pas governado por um projeto de ditador que patrocina e se alia a tudo quanto terrorista do mundo, desde as FARC at Al Qaeda, inclusive munici ando estes grupos com armas e urnio, fazendo, parece, de tudo para ser invadido militarmente (e leia-se aqui, por homens daBlack Water- uma das empresas privadas de formao de combatentes para-militares que teve enorme expanso depois que o Secretrio de Defesa do EUA, Donald Rumsfeld, resolveu tirar do Pentgono, isto , do estado norte-americano, a hegemonia sobre as decises e mobilizaes de guerra - so americanos contra americanos: l tambm h vendilhes da ptria). 16. E tem gente que acha que Chavez seria o chamado mal que vem para bem, por que estaria impedindo, ou pelo menos retardando, os norte-americanos de penetrarem com seus planos intervencionistas e imperialistas na Amrica-Latina... No est no. Est dando motivo - um atrs do outro, alis... Entenderam porque caciques indgenas patrocinados por ONGs estrangeiras e as prprias ONGs - agentes das oligarquias internacionalistas - esto sendo pagos a peso de ouro para exigir a demarcao de reservas indgenas e ambientais por todo o pas, especialmente da reserva Raposa da Serra do Sol em terras contnuas?Os ndios, manipulados e de olho comprido na "grana preta", acham que vo poder vender energia do Complexo de Contigo para o prprio Brasil e ainda explorar as riquezas minerais (e biolgicas) da regio para vender aos brasileiros e aos estrangeiros - tudo simples e roubado, assim, na mais petista cara-de-pau e em detrimento de toda a nao brasileira que, bem ou mal, tem gasto muito dinheiro com a regio, desde que o pas se tornou independente de Portugal. 17. Que direito reserva indgena para preservao de cultura esse que obriga um pas a ceder terras para ndios que vo viver na mais descarada "homem-branquice"? Se ainda fosse para viver de empreendimento turstico, como o fazem alguns ndios norte-americanos, v l, desde que em terras que no fossem ricas em minrios, de preferncia, e nem to absurdamente imensas. Essa teoria do direito terra a quem nela primeiro habitava e que no teve foras para expulsar os "inimigos" invasores, se aplicada ao p da letra, e no mundo todo, far com que tenhamos, todos, que devolver tudo aos primeiros filhos doshomo-sapiens . Ser o reino do coletivismo, idealizado pelos globalistas internacionalistas, cuja inspirao vem do mais velho e conhecido comunismo. 18. As oligarquias transnacionais investiram bilhes e bilhes de dlares para colocar as reservas indgenas bem em cima de nossas riquezas naturais e outros mais no sei quantos bilhes para impedir que explorssemos essa terra do Brasil, o que nos levaria, inevitavelmente, para os patamares do primeiro mundo, qui para a liderana mundial pacfica, com a qual milhares de oligarcas-comunistas-ambiciosos-ganaciosos-exploradores sairiam perdendo. E perdendo muito. quase impossvel lutar contra essa gente. H que se pensar em uma sada inteligente. E isso tem que ser pensado, em conjunto, por todos os amantes da liberdade individual e da paz, desde norte-americanos at chineses e brasileiros, de todas as raas e de todas as cores. uma luta do Indivduo contra a escravido coletivista. 19. Se tudo continuar como est, e mais uma grande reserva indgena acabar sendo definitivamente demarcada em rea contnua, em parte da fronteira norte do Brasil, tudo indica que, em breve, principalmente depois do pas ter assinado a Declarao dos Direitos dos Povos Indgenas, teremos homens daBlack Waterfazendo a segurana militar da mais nova nao do mundo, que rapidamente ser reconhecida pela ONU como legtima - no mnimo, alegando basear sua deciso em centenas de manifestos enviados mesma, em nome de ONGs, clamando por defesa dos povos indgenas daquela regio. E eu no vou nem falar da questo do abastecimento energtico da regio, originrio da Venezuela de Hugo Chavez - que pode cortar o fornecimento, caso o companheiro Lula venha a ter contrariada sua 'vontade' de demarcar a reserva em terras contnuas. 20. 21. 22. 23. 24. 25. PorRebecca Santoro 16 de maio de 2008 Msica:Tristesse - Dilermando Reis Formatao em PPS: ed.1000 26. Rebecca Santoro Formada em Comunicao Social - Jornalismo, pela PUC-RJ (1985), tendo ainda cursado mais trs perodos do curso de Economia(1987/88), a ttulo de especializao, na mesma Universidade. Para se aprimorar no lado tcnico da profisso, fez 4 perodos do curso de Telecomunicaes, na Estcio-RJ (1991/92). Lugares onde morou e estudou: New Jersey (USA), Rio de Janeiro (RJ), Campo Grande (MS), Braslia (DF), San Diego (Califrnia USA), Macap (AP) e Belm (PA). Trabalho: Vendedora; Reprter/Estagiria da Rdio Nacional (RJ); Proprietria e Editora responsvel pelo jornal Rio 1000s, especializado em lazer (RJ); Contato Publicitrio Agncia DIA DESIGN (RJ); ECO-92-RJ; Escritora e reprter freelancer.Site:infomix - cf.blogspot.com/ E-mail:[email_address] Fonte:http://www.parlata.com.br/colunistas_user.php?id_geral=40