Sabadao 54

of 8/8
Fotos: Billy Mao DE 01 A 07 DE MARÇO DE 2014 - EDIÇÃO Nº 54 - ANO 2 - LENÇÓIS PAULISTA - CIRCULAÇÃO REGIONAL Farmácia Popular atenderá 12 horas diárias em Borebi Comerciantes têm prejuízo durante trote a morador do São José Diretor defende na Câmara municipal atraso de reajuste Moradores temem por velocidade em avenida Conta d’água fica mais cara com novos hidrômetros Máxima: 31C° Minina: 19C° Máxima: 33C° Minina: 21C° HOJE AMANHÃ Fonte: Climatempo Famílias de bairros di- ferentes da cidade vêm se surpreendendo a cada nova conta de água entregue pelo SAAE, de Lençóis Paulista, sempre pelo aumento cons- tante de consumo e do valor da conta. Levantamento fei- to pela reportagem do Jor- nal Sabadão do Povo identi- ficou situações idênticas em quatro bairros da cidade. Em todos, a reclamação é de que o valor da conta passou a subir mensalmen- te, desde que o SAAE fez a troca dos hidrômetros, aparelhos que registram o consumo de água. O SAAE alega que aparelhos velhos podem afetar leitura e que segue normas técnicas para tro- ca. Página 5 A Farmácia Popular que funciona dentro do prédio da Unidade de Saúde de Borebi passará, a partir deste mês- mês, a atender durante 12 horas por dia, de segunda a segunda-feira. Esta é a notícia comemorada pelo Setor de Saúde do município, durante esta semana e divulgada pela coordenadora Francine San- dri Lazari de Oliveira. “Desde o início do primei- ro semestre de 2013 atende- mos a demanda de remédios no horário normal de fun- cionamento da Unidade, agora passaremos a atender durante os finais de semana, ininterruptamente”, contou à reportagem do Sabadão do Povo. Francine disse também que devido a procura dos mo- radores, a prefeitura entendeu que estava no momento de instalar o atendimento. Além da farmácia, a frota de veícu- los usados para a Saúde está em ótimas condições e atende perfeitamente a população, segundo ela. “Entendo que a implantação da farmácia e a renovação da frota eram uma promessa da campanha do prefeito Manoel Frias Fi- lho que ele está cumprindo, só que aqui no atendimento estamos preparados para atender toda a população, independente de quem seja”, contou a coordenadora. Página 5 Na sessão mais longa do ano, até agora, a Câmara de Vereadores de Lençóis Paulista debateu na segunda-feira, dia 24, diversos projetos, mas prin- cipalmente a saúde financeira do município, após a audiência pública de avaliação de metas do orçamento do último período (terceiro quadrimestre) de 2013. A decisão da prefeitura de não pagar, no mês que vem, a corre- ção salarial e outros benefícios aos servidores municipais foi a base para o debate. A sessão foi encerrada próximo às 24h. Enquanto Lençóis Paulis- ta arrecadou, em 2013, R$ 179.168 milhões, mas tinha a previsão de arrecadar R$ 185 milhões, o município teve des- pesa de R$ 167.337 milhões, enquanto previa gastar R$ 175 milhões. Segundo o diretor de Finanças da prefeitura, Júlio Gonçalves, o ajuste entre o que foi previsto e o que foi efetivado, durante todo ano, tanto nas despesas como nas receitas, ocorreu devido à queda na arrecadação do mu- nicípio. Página 3 Moradores da região sul da cidade de Lençóis Paulista, que abrange os bairros Jardim Açaí, Residencial Athenas, Jardim Grajaú e Jardim Caju, têm utilizado a rede social Facebook para reclamarem sobre o excesso de velocidade dos motoristas pela Avenida Jácomo Augusto Paccola. A avenida já foi palco de vários acidentes, inclusive fatais. Segundo a reclama- ção de moradores, o que tem acarretado constantemente acidentes na via é a falta de atenção e a alta velocidade. A prefeitura municipal instalou redutores na avenida, visando, coibir os excessos, mas falta sinalização de solo no local. Página 6 Uma situação peculiar, vivida na noite da última terça-feira, dia 25, por um morador do bairro São José alerta para os problemas que os chamados “trotes” podem causa para os cidadãos, mas também para os comercian- tes, como demonstrou o ocor- rido. O morador, que preferiu não se identificar, contou que ao menos 14 mototaxistas e entregadores foram até a sua residência, praticamente ao mesmo tempo, para realizar entregas de produtos, que ele não havia pedido, ou atender a chamados por corridas que ele feito. Todos foram até o mesmo endereço a partir das 21h30 do dia 25. Os entregadores e mo- totaxistas foram chegando um após o outro e, depois de perguntar pelo proprietário da residência informavam que atendiam a pedidos feitos pelo telefone por uma mulher. Na Acilpa não há nenhum registro feito por comerciantes sobre trotes iguais ao desta semana, pelo menos nós últimos cinco anos. Página 7 TALENTO | O restaurador Luis Catena, entre peças que foram resgatadas dos mais diversos locais e fazem parte da história do país, em sua casa, em Borebi; ao lado, Sônia Aparecida Geraldi, de Lençóis Paulis- ta, que deixou a decoração de sua casa a cargo do restaurador; peças estão em todos os cômodos. “Ele tem uma facilidade para apurar aquilo que é realmente valioso”, diz Sônia. Página 5 SECO | Bebedouro sem torneira da praça de esporte e lazer Euclides Gerônimo Ribeiro, do Júlio Ferrari, onde falta manutenção e reparos de brinquedos e da quadra de futebol de areia, entre outros; diretorias anunciam reforma para próximas semanas Pagina 5
  • date post

    13-Mar-2016
  • Category

    Documents

  • view

    228
  • download

    2

Embed Size (px)

description

Jornal Sabadão do Povo. Distribuição gratis nas cidades de Lençóis Paulista, Borebi, Agudos e Macatuba. Busque seu exemplar impresso nos pontos de distribuição.

Transcript of Sabadao 54

  • Fotos: Billy Mao

    DE 01 A 07 DE MARO DE 2014 - EDIO N 54 - ANO 2 - LENIS PAULISTA - CIRCULAO REGIONAL

    Farmcia Popular atender 12 horasdirias em Borebi

    Comerciantes tmprejuzo durante trotea morador do So Jos

    Diretor defende na Cmara municipalatraso de reajuste

    Moradores temem por velocidade em avenida

    Conta dguafica mais cara com novoshidrmetros

    Mxima: 31CMinina: 19C

    Mxima: 33CMinina: 21C

    HOJE AMANH

    Fonte: Climatempo

    Famlias de bairros di-ferentes da cidade vm se surpreendendo a cada nova conta de gua entregue pelo SAAE, de Lenis Paulista, sempre pelo aumento cons-tante de consumo e do valor da conta. Levantamento fei-to pela reportagem do Jor-nal Sabado do Povo identi-ficou situaes idnticas em quatro bairros da cidade.

    Em todos, a reclamao de que o valor da conta passou a subir mensalmen-te, desde que o SAAE fez a troca dos hidrmetros, aparelhos que registram o consumo de gua.

    O SAAE a lega que aparelhos velhos podem afetar leitura e que segue normas tcnicas para tro-ca. Pgina 5

    A Farmcia Popular que funciona dentro do prdio da Unidade de Sade de Borebi passar, a partir deste ms-ms, a atender durante 12 horas por dia, de segunda a segunda-feira. Esta a notcia comemorada pelo Setor de Sade do municpio, durante esta semana e divulgada pela coordenadora Francine San-dri Lazari de Oliveira.

    Desde o incio do primei-ro semestre de 2013 atende-mos a demanda de remdios no horrio normal de fun-cionamento da Unidade, agora passaremos a atender durante os finais de semana, ininterruptamente, contou reportagem do Sabado do

    Povo. Francine disse tambm que devido a procura dos mo-radores, a prefeitura entendeu que estava no momento de instalar o atendimento. Alm da farmcia, a frota de vecu-los usados para a Sade est em timas condies e atende perfeitamente a populao, segundo ela. Entendo que a implantao da farmcia e a renovao da frota eram uma promessa da campanha do prefeito Manoel Frias Fi-lho que ele est cumprindo, s que aqui no atendimento estamos preparados para atender toda a populao, independente de quem seja, contou a coordenadora.Pgina 5

    Na sesso mais longa do ano, at agora, a Cmara de Vereadores de Lenis Paulista debateu na segunda-feira, dia 24, diversos projetos, mas prin-cipalmente a sade financeira do municpio, aps a audincia pblica de avaliao de metas do oramento do ltimo perodo (terceiro quadrimestre) de 2013. A deciso da prefeitura de no pagar, no ms que vem, a corre-o salarial e outros benefcios aos servidores municipais foi a base para o debate. A sesso foi encerrada prximo s 24h.

    Enquanto Lenis Paulis-ta arrecadou, em 2013, R$ 179.168 milhes, mas tinha a previso de arrecadar R$ 185 milhes, o municpio teve des-pesa de R$ 167.337 milhes, enquanto previa gastar R$ 175 milhes. Segundo o diretor de Finanas da prefeitura, Jlio Gonalves, o ajuste entre o que foi previsto e o que foi efetivado, durante todo ano, tanto nas despesas como nas receitas, ocorreu devido queda na arrecadao do mu-nicpio. Pgina 3

    Moradores da regio sul da cidade de Lenis Paulista, que abrange os bairros Jardim Aa, Residencial Athenas, Jardim Graja e Jardim Caju, tm utilizado a rede social Facebook para reclamarem sobre o excesso de velocidade dos motoristas pela Avenida Jcomo Augusto Paccola.

    A avenida j foi palco de

    vrios acidentes, inclusive fatais. Segundo a reclama-o de moradores, o que tem acarretado constantemente acidentes na via a falta de ateno e a alta velocidade.

    A prefeitura municipal instalou redutores na avenida, visando, coibir os excessos, mas falta sinalizao de solo no local. Pgina 6

    Uma situao peculiar, vivida na noite da ltima tera-feira, dia 25, por um morador do bairro So Jos alerta para os problemas que os chamados trotes podem causa para os cidados, mas tambm para os comercian-tes, como demonstrou o ocor-rido. O morador, que preferiu no se identificar, contou que ao menos 14 mototaxistas e entregadores foram at a sua residncia, praticamente ao mesmo tempo, para realizar entregas de produtos, que ele no havia pedido, ou atender

    a chamados por corridas que ele feito. Todos foram at o mesmo endereo a partir das 21h30 do dia 25.

    Os entregadores e mo-totaxistas foram chegando um aps o outro e, depois de perguntar pelo proprietrio da residncia informavam que atendiam a pedidos feitos pelo telefone por uma mulher. Na Acilpa no h nenhum registro feito por comerciantes sobre trotes iguais ao desta semana, pelo menos ns ltimos cinco anos. Pgina 7

    TALENTO | O restaurador Luis Catena, entre peas que foram resgatadas dos mais diversos locais e fazem parte da histria do pas, em sua casa, em Borebi; ao lado, Snia Aparecida Geraldi, de Lenis Paulis-ta, que deixou a decorao de sua casa a cargo do restaurador; peas esto em todos os cmodos. Ele tem uma facilidade para apurar aquilo que realmente valioso, diz Snia. Pgina 5

    SECO | Bebedouro sem torneira da praa de esporte e lazer Euclides Gernimo Ribeiro, do Jlio Ferrari, onde falta manuteno e reparos de brinquedos e da quadra de futebol de areia, entre outros; diretorias anunciam reforma para prximas semanas Pagina 5

  • OPINIO2

    FALE CONOSCO

    CNPJ: 14.647.331./0001-22 IE: 416.050.229.111

    Jornalista Responsvel: Tnia Morbi - Mtb: 52.193Redao e administrao Lenis Paulista

    Av. Jos Antonio Lorenzetti, 537Telefone (14) [email protected]

    CONTATO COMERCIAL: (14) [email protected]

    Sugesto de Pautas: (14) 3263-1740

    Registrado no Cartrio de Registros de Pessoas Jurdicasde Lenis Paulista sob nmero 008 - Folha 15 - Livro B1

    TODOS OS ARTIGOS SO DE RESPONSABILIDADEDE SEUS AUTORES

    Tiragem: 3.000 exemplaresCaderno DeCasaEmCasa: 20.000 exemplaresLenis Paulista - Borebi - Agudos - Macatuba

    EDITORIALPraa ocupada

    LENIS PAULISTA, DE 01 A 07 DE MARO DE 2014

    www.sucatanovaquadrinhos.blogspot.comSabado online: issuu.com/billymao/docs/

    Reflexo

    PROvRbIO InDIAnO

    Wellington Anselmo mArtins

    Borebi: os sonhos esto sendo realizados?

    Eu morei desde criana em Borebi. E sempre defendi e votei nesse grupo que hoje o 22. Por isso s vezes sinto saudades da cidade e das pessoas de l. E sempre me pergunto: como est a poltica em Borebi? Ser que aqueles nossos projetos antigos, hoje, j foram ou esto sendo concretizados pelo 22?

    NA EDUCAO1) Ns falvamos que os professores de

    Borebi eram desvalorizados, ganhavam pouco demais. Hoje j houve um aumento significa-tivo do salrio dos professores municipais? A administrao 22 est valorizando o salrio dos seus mestres?

    2) Vamos a necessidade de um diretor con-cursado na escola, um educador que pudesse fazer um projeto pedaggico permanente frente da educao borebiense. Hoje j foi feito esse concurso? E o novo diretor da escola est fazendo um bom trabalho como profissional concursado?

    3) Todos que trabalhvamos na escola de Borebi, no ensino mdio noturno, percebamos como era alta a quantidade de falta dos professo-res (que vinham da regio) e, por isso, como era ruim que os alunos borebienses tivessem tantas aulas vagas, e isso acontecia principalmente por causa da escola de Borebi estar vinculada a uma D.E. muito distante (Ja), ento se fazia necessrio trazer Borebi para a D.E. mais pr-xima (Bauru), que a D.E. qual pertencem Lenis e Agudos por exemplo. Hoje j foi feita essa transferncia para a D.E. mais prxima, de Bauru? E a administrao 22 ajudou a acabar com o problema dos alunos que toda semana ficavam sem aula no perodo noturno?

    4) L atrs, ns reclamvamos que o prdio

    da escola era mal usado, porque haviam salas vazias enquanto existiam salas de aula superlota-das de alunos. Esse problema das salas gigantes, com mais de 25 alunos, j foi resolvido? Hoje os professores de Borebi j trabalham com turmas pequenas de modo a melhorar a ateno dada a cada aluno, individualmente?

    NOS GASTOS DA PREFEITURA1) Um dos campees de reclamao anti-

    gamente, eram os altos salrios que o antigo governo pagava aos secretrios e tambm ao prefeito da poca. Hoje, com o 22 no poder, os secretrios esto ganhando salrios bem meno-res, salrios condizentes com a realidade simples da populao borebiense? E j h projeto de diminuir o salrio do prefeito para o prximo mandato? E esses salrios j esto disponveis no site de Borebi, na internet, para que o povo tenha conhecimento de onde est indo o seu dinheiro?

    2) A Lei de Transparncia dos gastos pblicos municipais est sendo cumprida pelo 22? Os gastos mensais da prefeitura com salrios, festas e outros projetos diversos j esto disponveis no site da prefeitura? Ou seja, aquele nosso sonho antigo de transparncia com o dinheiro do povo j est sendo concretizado hoje?

    3) Por falar em projetos da prefeitura, uma grande promessa do grupo 22 era a construo de um Distrito Industrial na cidade. Hoje esse excelente projeto j est funcionando? Foi posto em prtica para beneficiar o povo borebiense?

    NA JUVENTUDE1) Antigamente, ns vamos o problema das

    drogas como algo muito importante a ser com-batido em Borebi, pois Borebi uma cidade pequena e havendo uma epidemia de uso de

    drogas, ento as consequncias de sade e se-gurana sero ruins para a cidade inteira. Hoje, na administrao 22, esse problema das drogas j est controlado em Borebi? Os projetos de conscientizao dos jovens esto funcionando e dando certo? O tratamento e acompanhamento dos jovens que j so usurios de drogas est dando bons frutos? E a prefeitura, ela est dando um apoio srio Polcia Militar para combater o trfico dentro da cidade?

    2) Aquela Secretaria da Juventude que se falou na ltima campanha eleitoral do 22, e que era um projeto para priorizar e dar a ateno de-vida s necessidades dos jovens borebienses, j existe? E o secretrio da juventude est fazendo um bom trabalho na cidade?

    Enfim, todos aqueles sonhos que sonhamos juntos l atrs, j esto sendo concretizados hoje em Borebi? Sinceramente, eu espero que sim. Pois o meu voto e o meu apoio ao Man Frias (22) sempre custou muito caro para mim. Por isso, eu que ontem fiz tanta crtica ao 45, agora tenho o dever de fazer uma autocrtica ao 22.

    O primeiro ano de mandato j foi. Restam trs. E muito importante que no nos esquea-mos dos ideais que nos moviam l atrs. E que o governo 22 aproveite esse tempo restante para realizar o sonho pelo qual tanta gente de Borebi deu a cara a tapa, o sonho de fazer de Borebi realmente um lugar melhor para o seu povo! Sem distino ou excluso de absolutamente ningum! Fazer dias melhores para todos, pois essa foi a grande promessa que levou o 22 at o poder.

    Wellington Anselmo Martins, professor, mes-trando em Filosofia, graduado em Filosofia, colunista poltico.

    BillY mAo

    Dias melhores para todos, todos os dias

    Esta semana uma srie de questes feitas por um ex-morador de Borebi, sobre os rumos que a atual administrao est tomando, bombou na rede social Facebook, principal meio para disseminao de informao na internet (veja na coluna abaixo)

    Acompanho as histrias de Borebi desde a dcada de 80. Naquele tempo, chegar a Borebi pelas estradas de terra era uma tremenda aven-tura, principalmente para um adolescente cheio de vontade de desbravar os caminhos desconhe-cidos. Ia de bicicleta e, uma ou duas vezes, a p.

    A eleio ao cargo mximo da administrao do municpio, do atual prefeito Manoel Frias Filho foi uma prova para quem no acredita que, mesmo algo estando bom, pode ainda melhorar. E isso perceptvel em todo canto de Borebi. At 2013, a cidade parecia que murchava a cada dia, as pessoas pareciam tristes nas ruas. Tinha-se a impresso, quando qualquer um chegava a Bo-rebi, que havia chegado a uma grande fazenda, onde s existia o Coronel, o painho de todos. Parecia que as pessoas, antes de fazer qualquer coisa, mas qualquer mesmo, iam pedir beno ao painho primeiro. E no quero desmerecer o ex-prefeito no. Foi pelas mos dele que Borebi

    comeou a mudar. Mas o tempo foi longo para poucos resqucios desta mudana.

    Hoje, quem chega a Borebi respira um ar diferente, se sente chegando a uma cidade que floresce, a uma cidade que busca pela felicidade, mesmo aquela simples felicidade. Percebe-se, no sorriso das pessoas que elas voltaram a acreditar que dias melhores so todos os dias. Tanto as pessoas acreditam no desenvolvimento de Bo-rebi e tambm em sua felicidade, que elas esto investindo na cidade. So novas lojas, pontos comerciais, restaurante. Hoje perceptvel a segurana do sorriso das pessoas de Borebi.

    As 12 principais perguntas que correram pelo Face podem facilmente ser respondidas pelo que a populao de Borebi vive hoje.

    Hoje faz exatamente 14 meses deste novo mandato. pouqussimo tempo para mudar uma herana poltica e histrica de 20 anos. Qualquer um que coloque a faca no pescoo de outro cobrando uma mudana extremada, estar cometendo um grande erro. Uma injustia.

    Mas, mesmo sendo um curtssimo perodo, a mudana no municpio nunca foi to visvel. No h desmandos por parte do prefeito. Po-rm, a oposio ao prefeito e aos anseios da

    A segurana brasileira est cada vez mais precria. Desde as capitais, at o interior. Roubaram nossa paz, nossa liberdade, nossa segurana de andar nas ruas sem nos pre-ocupar se seremos furtados. No estamos mais seguros em lugar nenhum. Ns, povo honesto, que trabalhamos sol a sol, segunda a segunda, para termos honestamente o que nos convm, nos vemos em uma eterna falta de liberdade, sem saber se quando sairmos de casa voltaremos com as mesmas coisas que samos, se voltaremos inteiros. Os furtos so muitos e ocorrem com freqncia. Cad a segurana?

    As leis no os punem adequadamente,

    Priso ao ar livre

    esto livres, por toda a parte. Somos obriga-dos a colocarmos cercas eltricas, alarmes e cmeras de seguranas em nossas casas, para poder viver um pouco em paz. Ladres no s de bens materiais, mas tambm de sossego. Roubaram-nos a paz, roubaram-nos a delcia de ir aos parques, fazer caminhada noite, roubaram nossa liberdade. E at mesmo no trabalho estamos sujeitos a sermos atacados.

    Somos refns do medo, da angstia, do trauma levado pra toda a vida. No merecemos passar por tal situao.

    No merecemos sermos amarrados nas cordas da impunidade, sermos apontados diante da arma da maldade. No merecemos

    entrar em nossa residncia e nos deparar com tudo quebrado ou furtado, tudo aquilo que durante anos, lutamos para conseguir. No merecemos a justia nula. No merecemos que tirem a vida de pessoas honestas. No merecemos sermos humilhados diante de um olhar frio e palavras estpidas muitas vezes acompanhadas de agresso.

    Ns, que damos duro na vida, vivemos aprisionados pela insegurana. Vivemos por trs das celas, enquanto deveria ser ao contrrio.

    Sabrina Lopes Gutierres estudante de Publicidade e Propaganda

    sABrinA gUtierres

    Existe um provrbio indiano que diz: Quan-do dois elefantes travam uma luta em cima de um gramado; quem perde a

    grama...

    populao insiste em gritar inverdades pelos quatro quantos sobre a atual administrao.

    Se perguntarem eu digo: Sim, preciso ter fiscalizao por parte da populao e que se esclarea qualquer dvida.

    Penso que Borebi no seja apenas 22 ou 45, essa era j passou. Fosse assim, have-ria uma segregao pontual e continuada na cidade onde apenas os escolhidos receberiam benefcios, como j ocorreu por quase 20 anos, antes de 2013.

    Questionamentos como os que foram apre-sentados so realmente importantes para uma real democracia, porm, jogar no colo apenas de uma pessoa apenas logr-lo ao indivi-dualismo que corrompe. Como j aconteceu em Borebi.

    O primeiro passo para que Borebi realmente mude, foi dado e com muita honra. Cabe agora as pessoas se colocarem a pensar e deixar de se achar o centro de tudo. E, ai sim, pregar a unio das foras. As foras da populao, do Legis-lativo e da administrao para juntos darem continuidade s mudanas que comearam em outubro de 2012, fazendo com que, os dias se-jam melhores para todos. Indiscriminadamente.

    Informao divulgada esta semana pela diretoria de Finanas da prefeitura muni-cipal de Lenis Paulista mostra uma das causas da forte queda na arrecadao do ICMS. Apenas um dos itens que compem o ndice de Participao dos Municpios e serve como base de clculo do imposto foi o responsvel pela queda de 12% na arre-cadao do ICMS do municpio.

    A informao refora o perodo pessi-mista por que passa a economia local e mostra que, o que a princpio se tentou vender apenas como um desequilbrio na folha do servidor municipal - que no refletia a falta de caixa para manuteno e investimentos - parece ser um proble-ma bem maior que pode afetar, em curto prazo, diretamente a vida da maioria dos lenoenses.

    A queda do repasse do ICMS para o municpio, causada por uma diversidade de fatores, que inclui a possibilidade de aquisio de uma mquina de lavar ou uma geladeira por parte das famlias mais carentes, atravs da queda do IPI, vem sendo anunciada desde meados de 2013 pela equipe financeira da administrao como um alerta vermelho, que logo teria reflexos.

    A questo macro por isso no pode ser considerada apenas pelo olhar restrito da poltica, mas a forma de lidar com ela to poltica quanto administrativa.

    Matria publicada nesta edio mostra o abandono de uma das praas da cidade, localizada em um dos bairros mais popu-losos de Lenis, onde grande o nme-ro de ocorrncias envolvendo o trfico e consumo de drogas, principalmente entre jovens. A praa vem sendo substituda, na velha frmula de que onde o Estado no est, o trfico e a violncia imperam. A cena de crianas brincando e jovens pra-ticando esportes em um local saudvel foi substituda por uma cena obscura de um local que no atrai para nada que seja saudvel.

    O que aproxima os jovens e crianas do bairro com a forma como as grandes empresas preenchem seus documentos fiscais ou com as decises do Governo Fe-deral em no cobrar impostos o governo municipal, que precisa se equilibrar ago-ra em uma situao esperada, mas que talvez no tenha sido tratada da melhor maneira.

    Muitas obras, como creches e postos de sade, foram realizadas em Lenis nos ltimos tempos, sendo 99% das vezes garantidas exclusivamente por dinheiro que o municpio no tinha, vindo do Esta-do ou do Governo Federal. A imagem de que a cidade prosperava de forma segura e que estava inatingvel a qualquer crise financeira agora parece que comea a se desfazer, apesar desses investimentos.

    Ter um dos maiores oramentos da re-gio no garantiu ao municpio, ao que parece, a segurana necessria para atra-vessar a tormenta que est instada. O quanto isso representar de reflexo para o cidado que mora no bairro que no possvel ainda de se avaliar.

    Mas, a administrao tem o desafio em suas mos. A primeira deciso j toma-da, alm de no agradar aos diretamente atingidos servidores pblicos afetou a imagem de Lenis Paulista alm-muros, entre os acostumados a ver apenas o ce-nrio das obras em construo.

    O quanto a vida de cada um ser atingi-da que deve ser a preocupao de todos, e a opo de quem vai ocupar a praa pas-sa diretamente por essa questo.

  • Fotos: Billy Mao

    POLTICA 3

    LEGISLATIVO

    Sopa - A preocupao de parte dos vereadores oposicionistas ao governo Man Frias em Borebi pede a beno ao eterno painho, todos os sbados em um reduto tucano, na cidade de Agudos. Fontes agudenses relataram que no encontro posto mesa um jornal de Agudos e o Sabado do Povo, para discuti-rem os assuntos publicados.

    Acusa - Em busca de inibir a circulao do Sabado em Bore-bi, vereadores teriam protocolado uma denncia contra o jor-nal na promotoria em Lenis Paulista. direito do vereador e do cidado fiscalizar aquilo que envolve o Executivo. E o jornal apoia a atitude. Tem que esclarecer.

    Aqui no - A busca dos vereadores seria quanto a inexistentes irregularidades cometidas pelo Executivo borebiense na con-tratao do jornal para a publicao dos atos oficiais. O que os vereadores no querem saber que o processo foi feito sob orientao da prpria Promotoria Pblica que pediu a realiza-o da contratao da forma que ocorreu, isso, ainda em 2013.

    Ai sim? - Porm, informaes de um interlocutor da prpria Cmara de Borebi, aponta que, possivelmente, a irregularida-de estaria na contratao para publicao de editais da prpria Casa de Leis. O Legislativo estaria pagando mensalmente um preo fechado para publicao, tanto de publicidade, quanto de atos oficiais.

    Em causa prpria - Outro ponto mostrado pelo interlocu-tor que a contratao de um ex-vereador para a assessoria da Cmara, teria ocorrido tambm de forma nebulosa. Quando o ex-vereador e ento candidato a vice prefeito na eleio passa-da perdeu o pleito, teria sido orquestrada a aprovao para sua contratao, assim se mantendo tudo entre amigos, j que ele era verador da base tucana.

    Vigilncia... - Fora do perodo eleitoral, o ex-prefeito de Bo-rebi estaria fazendo um grande estoque de remdios em sua casa para quando comear de fato a campanha. Nas rodinhas de conversas sobre poltica, comenta-se que a estratgia seria mostrar que mesmo fora da prefeitura, ele estaria ajudando mais a populao que a Unidade de Sade. Com cestas bsicas estaria acontecendo a mesma coisa.

    ...Sanitria - Estes possveis medicamentos estariam sendo estocados e entregues para parte da populao sem o conheci-mento de um enfermeiro ou um mdico credenciado para tal ato. Algo, no mnimo, perigoso.

    O DAEE - Departamento de guas e Energia Eltrica rgo responsvel pelo coordenao do Programa gua Limpa, rea-lizou em 26/02/14 a abertura dos envelopes referentes a lici-tao pela modalidade de Concorrncia Pblica para a contra-tao de empresa para a execuo de obras da construo do Sistema de Afastamento e Tratamento de Esgoto Sanitrio no Municpio de Borebi.

    Aposta - A obra orada em R$3.669.874,93 ser totalmente custeada com recursos do Governo do Estado de So Paulo, e segundo comentrio do prprio governador ao prefeito Manoel Frias, de Borebi, foi um dos pouqussimos municpios contem-plados com 100%. Sorte? No, isso competncia e resultado de um trabalho srio cujo objetivo melhorar a qualidade de vida da populao.

    De botas - Enquanto o Man trabalha incansavelmente para transformar Borebi no pas das maravilhas, o ano perdido pela Branca de Neve continua aprontando suas trapalhadas. Ele no perde por esperar. Agora, se gaba por ser o caador de gigantes e dorme tentando esquecer da surra de cinta, em praa pblica, dada por Alice.

    Fora - Um deputado federal da regio onde circula o Sabado do Povo teria elogiado a crescente imagem da ex- prefeita de Pederneiras, Ivana Camarinha. Ivana j estaria, segundo o de-putado federal, na lista dos possveis eleitos na campanha des-te ano para a Assemblia Paulista, caso ela realmente se lance como candidata, desbancando vrios nomes da velha poltica.

    A opo - Ivana teria na bagagem a juventude poltica e uma fora nesta microrregio, inclusive arranhando a hegenomia de figures de Bauru, devido seu desempenho na administrao de Pederneiras e ainda, mais notoriedade, por ter conseguido emplacar seu sucessor, mesmo sob forte artilharia de coman-dados e do alto escalo do PSDB.

    Cartaz - A ex-prefeita teve destaque durante a inaugurao da unidade do SESI em Agudos, quando o pr-candidato ao Governo Paulista, Paulo Skaf, a chamou para compor o palan-que durante a solenidade. Em entrevista cedida ao Sabado do Povo, Ivana no confirmou sua pr-candidatura, porm infor-mou que est preparada para novos desafios e que na hora cer-ta definir seu caminho poltico.

    Aperto - Diferente de outras audincias pblicas apresentadas pelo diretor Financeiro da prefeitura de Lenis Paulista, J-lio Gonalves, na Cmara Municipal, a que ocorreu na ltima segunda-feira, 24, foi um tanto tensa. Os vereadores no per-deram a oportunidade de questionar o diretor sobre possveis sadas para adequar a folha de pagamento aos ndices estveis. Jlio segurou a peteca.

    Aperta - O presidente da Casa, Dr. Pita foi categrico quando questionou o diretor sobre o aluguel do prdio da antiga Casa Me Piedade pela prefeitura, que est j h seis meses fecha-do, conforme publicou com exclusividade o jornal Sabado. Quando fui alugar a sede da Cmara queriam me acusar de improbidade administrativa. Pagar por tanto tempo um imvel fechado, sem uso, no pode ser apontatodo como irregularida-de tambm? perguntou.

    Mais do mesmo - Jlio Gonalves informou que o aluguel es-taria sendo pago para a adequao do prdio, assim como ocor-re com o Centro do Empreendedor, um prdio alugado onde j foram gastos vrios milhares de reais.

    Caneta - No caso da pergunta do presidente, Dr. Pita, tem o fato de o convnio para a criao do CAPs AD no ter sido fir-mado ainda, conforme nota da assessoria de comunicao da Sade, portanto, um gasto desnecessrio em um momento de sobriedade com o dinheiro pblico.

    Balo... - A questo de gerao de emprego em Lenis Pau-lista, alis, um assunto que em todos os momentos est pre-sente. Nas rodas de discusso, a lentito com que a empresa Volato, de avies, constroi seu hangar no aeroporto municipal, virou motivo de piadas.

    ... De ensaio - Parece que a proposta de criar empregos no ae-roporto, assunto com destaque, inclusive no Sabado do Povo que estampou por vrias edies a proeza, no decola. Na C-mara, a doao usada como referncia de falta de vagas no municpio. Da tribuna da Cmara o verador Ailton Tip Lau-rindo disse que as conversas eram de qu a empresa seria at concorrente da Embraer. Pode isso???

    Tela quente - As sesses da Cmara de Lenis Paulista sero transmitidas pela TV Prev, de Bauru. A gravao acontece na segunda-feira, mas, a transmisso ocorrer sempre na tera--feira, s 19:00 horas.

    Ah, t - Nos altos escales polticos as conversas ficaram em volta da deciso do Supremo Tribunal Federal, que absolveu pelo crime de formao de quadrilha acusados do mensalo, du-rante esta semana. A mxima que se ouviu de alguns mais ante-nados com as manobras polticas foi que se o presidete Joaquim Barbosa agir com tanto mpeto sobre o mensalo mineiro e o propinoduto do PSDB quanto agiu sobre o mensalo petista. A resposta pode ajudar a definir a imagem pblica to polmica do presidente do STF.

    LENIS PAULISTA, DE 01 A 07 DE MARO DE 2014

    Diretor defende na Cmara deciso de adiar reajusteDurante audincia de avaliao de metas, diretor financeiro da prefeitura disse que PASEP e fim das horas extras podem equilibrar situao da folha, mas no definiu data para a estabilizao da pasta

    Tnia MorbiNa sesso mais longa do

    ano, at agora, a Cmara de Vereadores de Lenis Pau-lista debateu na segunda-feira, dia 24, diversos projetos, mas principalmente a sade financeira do municpio, aps a audincia pblica de avalia-o de metas do oramento do ltimo perodo (terceiro qua-drimestre) de 2013. A deciso da prefeitura de no pagar, no ms que vem, a correo salarial e outros benefcios aos servidores municipais foi a base para o debate. A sesso foi encerrada prximo s 24h.

    Enquanto Lenis Paulis-ta arrecadou, em 2013, R$ 179.168 milhes, mas tinha a previso de arrecadar R$ 185 milhes, o municpio teve des-pesa de R$ 167.337 milhes, enquanto previa gastar R$ 175 milhes. Segundo o diretor de Finanas da prefeitura, Jlio Gonalves, o ajuste entre o que foi previsto e o que foi efetivado, durante todo ano, tanto nas despesas como nas receitas, ocorreu devido queda na arrecadao do mu-nicpio.

    A reduo do repasse do FPM (Fundo de Participao dos Municpios), por parte do Governo Federal, e do ICMS (tributo estadual) foram as principais causas da queda, segundo Jlio. O mesmo ar-gumento embasou a deciso da prefeitura em no fazer o reajuste aos servidores.

    Aps a exposio, todos os vereadores fizeram ques-tionamentos ao diretor, sendo que os vereadores da base aliada da prefeita Izabel Lo-renzetti (PSDB) indagaram Gonalves por respostas que a administrao j havia divulgado ou que ainda no tem, como por exemplo, quais outras medidas foram tomadas para equilibrar as finanas e quando ser feito

    o reajuste dos salrios.Entre as medidas para en-

    xugar a folha de pagamento - que j haviam sido apontadas pele o questionamento legal da incorporao do PASEP (Programa de Formao do patrimnio do Servidor Pbli-co) como despesa de pessoal a que ganhou fora junto aos setores financeiro e jurdico. Segundo Jlio, o repasse de R$ 1,8 milho feito para o programa, a partir de 2013, foi contabilizado como des-pesa de pessoal, o que inchou a folha da prefeitura. Agora, com base em decises de ou-tros Estados, a administrao municipal de Lenis deve fazer o questionamento legal. Somados, o valor do PASEP e a economia com o corte das horas extras, j divulgado, seriam suficientes para equi-librar a folha de pagamento da prefeitura.

    A arguio dos vereadores do PV que mais exigiu do di-retor. Anderson Prado indagou sobre notcia veiculada com

    exclusividade pelo Sabado do Povo, sobre o aluguel pago pela prefeitura por um imvel que est fechado e no tem previso de uso.

    A confirmao da informa-o foi feita na semana pas-sada pela diretoria de Sade, responsvel pela locao, que afirmou ainda que apesar de no saber quando ir utilizar o imvel, tem previso de fazer uma reforma no local, onde a administrao pretende instalar a segunda unidade do CAPS, programa que aten-de dependentes qumicos, que ainda no tem convnio assinado com o Ministrio da Sade que confirme sua implantao. O aluguel men-sal de R$ 5.300 e j foram pagos pelo prdio mais de R$ 30 mil. O diretor se limitou a confirmar que existe o contra-to de locao e projeto de se adequar o espao, inclusive com recursos j previstos para a obra.

    Prado tambm questionou se a implantao da Ativi-dade Delegada poderia ser prejudicada devido ao cenrio econmico do municpio, mas o diretor garantiu que o conv-nio est em posse do Governo do Estado para ser assinado e que assim que isso ocorrer, o municpio ter condies de arcar com o que for definido.

    Ailton Tip reforou junto a diretor seu posicionamento contrrio s incorporaes de salrios feitas em mais de 90 cargos concursados da pre-

    feitura municipal, como um dos causadores dos problemas com a folha de pagamento do servidor. Mas, tambm acu-sou a prefeitura de fazer um pssimo planejamento do dinheiro pblico, nos ltimos quatro anos, considerando a quantidade de contrataes feitas no perodo.

    Para exemplificar, Tip mencionou os cerca de 500 servidores contratados que es-to em fase probatria (avalia-o durante os dois primeiros anos de trabalho) e o ltimo concurso de 2010, cujos par-ticipantes no podero ser contratados.

    Jlio Gonalves defendeu a administrao justificando que a prefeitura fechou 2013 com as contas em dia, por-que no gastou mais do que arrecadou. Para os cargos em estgio probatrio, alegou que se trata de funes onde existe um alto ndice de faltas por parte dos servidores, por isso houve a deciso de contratar. O diretor no comentou sobre o concurso especificamente.

    Nardeli da Silva (PROS) pediu que, apesar da crise, a prefeitura mantenha transpa-rncias nas decises tomadas. Nos anos de eleio natu-ral que se maquie tudo. Ns temos um compromisso com o povo lenoense. Se virmos que vai vir crise por ai, vamos falar a verdade, para sermos sinceros com a populao. O povo lenoense no aceita ser surpreendido, disse.

    Aps receber informaes da prpria prefeitura, o vere-ador Anderson Prado de Lima (PV) comentou na tribuna da Cmara, a necessidade de mudanas na formao e ma-nuteno da Comisso Civil da Prefeitura, que segundo ele, presenta a Santa Inquisio para os servidores pblicos municipais. Imagine o servi-dor pblico que tenha que en-frentar a Comisso Civil. Eu no teria coragem, nem como vereador. Respeito a todos, mas a comisso representa a linha de frente do poder Exe-cutivo, disse.

    Segundo Prado, 14 servi-dores indicados pela admi-nistrao formam a comis-so responsvel, entre outras coisas, por avaliar processos

    disciplinares envolvendo ser-vidores pblicos. A iseno da atuao destes integrantes, que alm de serem indicados pelo Executivo recebem bene-fcios mensais para integrar o grupo, j vem sendo questio-nada h algum tempo tambm pelos vereadores Ailton Tip (PV) e Jonadabe de Souza (Solidariedade). Ser que essa comisso civil funciona de verdade? O nmero de reclamaes de servidores que chegam at mim revela que no, que ela um rgo amedrontador, avaliou.

    Para Prado, o grupo no deveria ter remunerao ou ento sua formao ser sub-metida a eleio, como ocorre com a Cipa (Comisso Interna de preveno de Acidentes).

    Comisso Civil Santa Inquisio para servidores, diz vereador Prado

    24H | Sesso longa teve audincia e questionamentos de vereadores

    CRTICO| Prado, durante sesso legislativa

    PESO E MEDIDA| Dr. Pita, durante sesso

  • POLCIA4

    A Casa Caiu

    LENIS PAULISTA, DE 01 A 07 DE MARO DE 2014

    Motociclista fratura p em acidente no Pq. Rondon

    Uma jovem motociclista teve fratura em um dos ps, depois de ser atingida por um caminho, na noite de segunda-feira, dia 25, na Ave-nida Prefeito Jcomo Nicolau Paccola, Parque Residencial Rondon.

    Segundo contou polcia, o acidente ocorreu quando a jovem, que conduzia sua motocicleta Honda/CG Titan, iria ultrapassar o caminho Mercedes-Benz MB1113, car-regado de uva. Os dois vecu-

    los seguiam no mesmo sentido da via, mas a motociclista no teria visto o caminhoneiro dar seta para converso, o que fez com que ela fosse atingida e jogada ao solo, quando o ve-culo entrou esquerda, o que permitido no local.

    O caminhoneiro perma-neceu no local do acidente at que a jovem fosse socor-rida por uma ambulncia do Pronto-Socorro Municipal, onde foi atendida e passaria por exames.

    Homem detido por danificar carros oficiais em Macatuba

    Na segunda-feira, dia 24, um homem de 28 anos foi detido em flagrante, em Ma-catuba, aps danificar trs veculos da prefeitura, dois deles com o uso de tijo-los. Ele pagou fiana de R$ 724,00 e ir responder em li-berdade pelos crimes de dano qualificado e resistncia.

    Aps discutir com a namo-rada, F.J.B. fez uso de bebida alcolica e de entorpecentes. Por volta das 13h, ele saiu de casa bastante alterado e arremessou tijolo contra a lateral esquerda de uma van da prefeitura que passava pela rua.

    Na sequncia, o homem seguiu at a Avenida Coronel Virglio Rocha e arremessou outro tijolo na direo de

    uma kombi, pertencente ao municpio, que estava aco-plada a uma carretinha com ferramentas. Aps o segundo ato de vandalismo, ele fugiu para sua residncia.

    A Polcia Militar foi acio-nada e seguiu at o imvel acompanhada de um fun-cionrio da prefeitura, que estava em uma Saveiro. F.J.B. recebeu a equipe com uma te-lha nas mos e saiu correndo por cerca de dois quarteires.

    Na fuga, ele se enroscou em uma cerca de arame far-pado. O homem retornou e, ao se aproximar de casa, atingiu a porta da Saveiro da prefeitura, danificando o retrovisor. Aps os danos em srie, ele foi levado dele-gacia e autuado em flagrante.

    Menores com droga no CajuDois menores foram flagra-

    dos com cocana e maconha no campo de areia do Jardim Caju, na manh de tera-feira, dia 25.

    Segundo informaes da Polcia Militar, durante pa-trulhamento prximo ao lo-cal, na Rua Verglio Borante, policiais avistaram os rapazes escondendo algo em meio grama. Ao realizarem a abor-dagem foram encontradas

    com um deles duas pores de maconha prontas para venda. Uma poro de cocana foi encontrada no cho. Cada por-o pesou cerca de um grama.

    Embora nada de ilcito tenha sido encontrado com o outro menos, os dois foram conduzidos delegacia e liberados sob a responsabi-lidade de seus responsveis. As drogas foram apreendidas.

    ESPORTE

    Caratecas conquistam medalhas em AgudosOs atletas da academia de

    carat Samuray garantiram a participao na prxima fase classificatria para o Cam-peonato Paulista deste ano, depois de conquistarem cinco medalhas na primeira etapa de classificao, no sbado, dia 22, em Agudos.

    Os atletas Rafaela Mar-al, Edilson Aroca, Fernando Garcia Toledo Mayron Aroca e Bruno Braga competiram pela classificao entre mais de 200 atletas de 25 acade-mias do estado de So Paulo. Os classificados participam do Estadual nas cidades de Valinhos e Louveira.

    Segundo o professor Edil-son Arouca, o nvel das lutas

    da classificatria estava muito alto.

    O resultado fruto, se-gundo ele, do empenho dos atletas. A academia Samuray desenvolve a mais de 15 anos o Projeto Carat Social, que d oportunidade a mais de 50 alunos sem custo nenhum, atravs do apoio de parceiros como as empresas Ventura FM, Frigol, Padarias Padokas, Grmio Lwart, Corcril e Jor-nal Sabado, alm da prefei-tura municipal e diretoria de Esportes.

    De acordo com Arouca, em breve o projeto social ser rea-lizado no Ginsio de Esportes Toniquinho, no Ncleo Luiz Zillo.

    Um projeto de lei, apre-sentado na ltima sesso do Legislativo, pretende tornar eficaz o recolhimento de ve-culos abandonados pelas ruas de Lenis Paulista. A autoria do vereador Andr Paccola Sasso (PSDB).

    A nova proposta altera artigos da Lei Municipal 4219, que trata da retirada de veculos abandonados e cria mecanismos para acelerar os procedimentos antes do recolhimento, se espelhando em lei semelhante da cidade de Botucatu.

    Segundo Sasso, a lei de 2011 prev que o proprietrio do veculo deve ser notificado antes que haja o recolhi-mento, procedimento quase impossvel de ser realizado, dependendo das condies

    Cagarete prope lei mais eficaz para veculo abandonado na rua

    fsicas, como a falta de pla-cas e no caso de veculos queimados. E quando no se encontra o proprietrio, qual o peso da notificao?, indagou o vereador.

    Para facilitar o trmite

    legal, a nova proposta cria uma forma mais eficaz de no-tificao. A notificao, neste caso, se no for possvel de ser feita atravs de identifi-cao do proprietrio atravs do cadastro do DETRAN

    (Departamento Nacional de Trnsito), ser feita atravs de adesivo, colado no pr-prio veculo determinando prazo para que o proprietrio ou interessado se manifeste a respeito. Caso no haja demonstrao de interesse, o veculo ento poder ser removido e submetido a lei-lo. O dinheiro proveniente do leilo ser depositado em conta em favor do pro-prietrio (quando houver identificao), caso no apa-rea ningum para retirar o dinheiro, ser revertido para diretoria de Meio Ambiente, que ficaria responsvel por fiscalizar essa situao.

    O projeto deu entrada no Legislativo e aps anlise dos vereadores ser submetido votao em plenrio.

    A Secretaria de Segurana Pblica promove desde as 18h de sexta-feira, dia 28, at s 12h de da prxima quarta-fei-ra, dia 5, a Operao Carnaval 2014, com a participao de todas as unidades de polcia Militar, Choque e Grupamen-to areo. Mas, a ateno por parte da Polcia Rodoviria reforada devido ao grande movimento de veculos nas rodovias de todo Estado, tanto no sentido para o litoral, quan-to para o interior do Estado.

    Por isso, o policiamento rodovirio permanecer em re-gime especial de trabalho, com reduo de folgas e emprego do efetivo administrativo em apoio, atuando nos cerca de 22 mil quilmetros de rodovias do Estado, segundo a SSP.

    Para a regio de Bauru, que

    abrange 183 municpios e 3.734 quilmetros de pista simples e 721 quilmetros de pista dupla, a prioridade ser evitar os aci-dentes no perodo noturno.

    Durante o perodo, os po-liciais militares rodovirios empregaro, em todo Estado, em mdia diria, cerca de 700 viaturas e 349 etilmetros, po-pularmente conhecidos como bafmetro, com a novidade do uso do etilmetro passivo, que registra o uso de lcool mesmo que a medio seja feita a par-tir de 15 centmetros da boca de uma pessoa. A operao tambm contar com radares portteis para a fiscalizao de velocidade e binculos para a fiscalizao de infraes em movimento, principalmente de motociclistas, e tambm equipamentos denominados

    OCR Embarcados, verso m-vel do radar inteligente fixo.

    Outro fator de ateno especial por parte da SSP a caracterstica festiva do fe-riado prolongado. Por isso a prioridade reduzir o nme-ro de acidentes e de vtimas, atravs da intensificao da fiscalizao do consumo de bebidas alcolicas ou drogas ilcitas. Motorista flagrado dirigindo sob a influncia de lcool ser penalizado com multa de R$ 1.915,40, reteno do veculo e sus-penso do direito de dirigir por doze meses, alm de res-ponder criminalmente pela sua conduta, dependendo das circunstncias, com pena de deteno de seis meses a trs anos.

    Outra recomendao da

    SSP que os motoristas evite viajar em horrios de pico. Segundo a Secretaria, durante os feriados prolongados as ro-dovias registram um aumento mdio de 30% no movimento, sendo que em alguns esse aumento pode ultrapassar 100%. O recomendado evi-tar viagens das 6h s 13h deste sbado e das 12h at s 24h do dia quarta-feira, dia 5.

    O DER (Departamento de Estradas de Rodagem) e as concessionrias de ro-dovias disponibilizam em seus perfis de redes sociais, em tempo real, o acompa-nhamento do movimento nas principais rodovias que destinam ao litoral paulista, bem como ao interior do Estado, inclusive com esti-mativa do tempo de viagem.

    Operao Carnaval ter uso de bafmetro passivo e preveno de acidentes pela PM

    O pedreiro Valdemir Go-mes dos Santos e sua esposa registraram um Boletim de Ocorrncia na Delegacia de Polcia de Lenis Paulista por uma situao inusitada: um veculo foi deixado na garagem da casa alugada por eles e at a tarde de quinta--feira, no havia sido retirado.

    O pedreiro contou que estava em busca de um im-vel para alugar e encontrou a casa vazia na Rua Princesa Izabel, nmero 170. O casal falou com o proprietrio e acertou que ficaria com a casa. Segundo o pedreiro, o proprietrio informou que o veculo que estava na gara-gem teria sido levado para l para ser guardado por uns dias e que o dono do

    carro iria busc-lo. Acontece, de acordo com Valdemir, que apenas um rapaz foi ao local e depenou o carro, largando a carcaa na garagem. Quando chegamos nesta casa s havia lixo e muito mato. Usavam esta casa para consumo de drogas e prostituio. Com o tempo fomos ajeitando de vagar, porque no tenho condies de reformar, principalmente porque alugada e esse carro j estava ai e ningum apareceu para buscar, contou Valdemir.

    Agora o proprietrio do imvel pediu a casa e quer que Valdemir e sua famlia saia do imvel e que ele d um fim a carcaa do veculo. Ele quer que eu saia at o dia oito e desaparea com esse carro, como se fosse meu, mas no .

    Quando mudei aqui ele j es-tava ai, no responsabilidade minha, desabafou.

    Sem saber qual atitude to-mar, j que alem de sair da casa, precisa conseguir outra para alugar, Gomes espera o apoio da prefeitura para resolver o problema e j teria procurado ajuda para achar uma sada.

    Sei que no posso mexer no carro porque no meu, mas o proprietrio da casa quer que eu tire, estou meio sem saber o que fazer. Acho mesmo que vou deixa-lo ai, do jeito que estava quando mudei para esta casa. O jornal Sabado no conseguiu contato com o dono do imvel.

    Famlia no sabe o que fazer com carro abandonado no quintal

    SADA| Braslia largada por anos na rua

    MEDALHA| Equipe da academia Samuray

    Fotos: Billy Mao

    Servios durante o perodo de Carnaval

    Durante o perodo de Car-naval apenas alguns servios da prefeitura de Lenis Pau-lista estaro em funcionamen-to. Devido s alteraes no sistema de coleta de lixo, no feriado do dia 4, tera-feira, haver coleta de lixo apenas nos bairros Vila Cachoeiri-nha, Jardim Europa, Maria Luiza III, Residencial Aa I e II, Jardim Santana, Jardim Graja, Residencial Athenas, Jardim Caju I e II, Jardim Iba-t, Jardim Itamaraty, Jardim Lago Da Prata. Nos dias 3 e 5 de maro a coleta de lixo ser realizada normalmente.

    As creches municipais fun-

    cionam na segunda, dia 3, fecham na tera-feira, dia 4, e voltam na quarta-feira, dia 5. O expediente no pao municipal e demais diretorias com setores administrativos retornam na quarta-feira, aps o meio dia.

    Os bancos estaro fechados na segunda e tera-feira, e o atendimento ao pblico ser retomado somente na Quarta--Feira de Cinzas, a partir das 12h. As contas de consumo, como gua, energia e telefone, e carns com vencimento nes-te perodo podero ser pagos no primeiro dia til aps o feriado, sem acrscimo.

  • GERAL 5LENIS PAULISTA, DE 01 A 07 DE MARO DE 2014

    Farmcia Popular em Borebi ter atendimento durante 12 horas dirias a partir de maro

    CHEIO | Medicamentos disponveis para a populao atravs da Farmcia Popular, que atender 12 horas dirias em Borebi

    Antiqurio restaura parte da histria do Brasil, em Borebi

    O gosto por aquilo que belo levou um jovem de 20 anos a se iniciar na arte da restaurao. Luiz Catena, de 42 anos, hoje antiqurio, dedi-ca cerca de outros 20 anos ao restauro de mveis antigos em Borebi e tudo comeou quando trabalhava em uma fazenda e viu demolirem uma capela. Da capela, sairam alguns oratrios que seriam destrudos. Ime-diatamente Luiz, uma figura simples e conhecida da cidade, resolveu levar tudo para casa, e de alguma forma, restaur-los. Enquanto no iniciava a em-preitada, deixou os oratrios naquilo que viria a ser a cal-ada de sua casa, no centro da cidade. Uma visitante de So Paulo, que estava em Borebi, viu as relquias e ofereceu um bom valor para lev-las para a capital.

    Da comeou a saga de restaurador de Catena, que j teve mveis de pessoas impor-tantes nas mos, como o ex--presidente Rodrigues Alves. Catena fala pouco e conta que autodidata. Foi aprendendo aos poucos os gostos dos clien-tes e parte da histria.

    Para encontrar as rarida-des que, muitas vezes esto escondidas em fazendas anti-gas, Luiz conta com a ajuda

    de vendedores de brechs. Antes eu viajava muito. Ia at as fazendas para descobrir mveis antigos. Era um ver-dadeiro garimpo, s que hoje, alm de estar mais escasso, tenho pessoas que me avisam quando sabem de algum m-vel. Ai vou olhar, diz.

    Luiz conta que gosta de viver entre os mveis que se-

    ro recuperados e pelo menos 20 ces fazem companhia diariamente ao artista. Fui encontrando um, depois ou-tro. Eu gosto deles, me fazem companhia. Agora nasceu uma ninhada.

    Alm de antiguidades em mveis, Luiz tambm tem alguns quadros de natureza morta do pintor Clvis Gra-

    ciano que estima ter um bom preo no mercado. No toda hora que a gente acha quadros originais assim e com a pintura em boa qualidade, conta. Clvis Graciano nasceu em Araras em 29 de janeiro de 1907 e faleceu na capital, So Paulo, em 29 de junho de 1988. Foi pintor, desenhista, cengrafo, figurinista, gra-

    vador e ilustrador. Em 1927 empregou-se na Estrada de Ferro Sorocabana, em Con-chas, interior do Estado de So Paulo, passando a pintar postes, tabuletas, letreiros e avisos para as estaes ferro-virias. Suas obras esto espa-lhadas por museus e acervos particulares. Luiz detm dois quadros do pintor.

    A clientela de Luiz seleta e vive tanto no interior paulis-ta, quanto na capital. Ele est com uma pea para efetuar os

    reparos necessrios que diz estar ficando escassa no mer-cado: so os primeiros mveis feitos em srie, produzidos na ustria. Luiz Catena tem uma namoradeira de 1835 estilo Ton (?) feita inteiramente com madeira de coqueiro onde foi usada uma tcnica de dobramento das fibras fa-zendo com que o mvel fique com formas curvelneas. fantstico ter nas mos parte da histria e poder restaurar tudo isso, conta feliz.

    A Farmcia Popular que funciona dentro do prdio da Unidade de Sade de Borebi passar, a partir deste ms, a atender durante 12 horas por dia, de segunda a segunda--feira. Esta a notcia come-morada pelo Setor de Sade do municpio, durante esta semana e divulgada pela co-ordenadora Francine Sandri Lazari de Oliveira.

    Desde o incio do pri-meiro semestre de 2013 atendemos a demanda de remdios no horrio normal de funcionamento da Uni-dade, agora passaremos a atender durante os finais de semana, ininterruptamen-te, contou reportagem do Sabado do Povo. Francine disse tambm que devido a procura dos moradores, a prefeitura entendeu que estava no momento de ins-talar o atendimento. Alm da farmcia, a frota de veculos usados para a Sade est em timas condies e atende perfeitamente a populao, segundo ela. Entendo que

    a implantao da farmcia e a renovao da frota eram uma promessa da campanha do prefeito Manoel Frias Fi-lho que ele est cumprindo, s que aqui no atendimento estamos preparados para atender toda a populao, independente de quem seja, contou a coordenadora.

    O Sabado do Povo pu-blicou no incio de 2013 a precariedade em que se encontrava a Farmcia Mu-

    nicipal dentro da unidade. Uma imensa quantidade de caixas completamente va-zias fazia parte do estoque naquela poca. Outra parte dos medicamentos estaria fora do prazo de validade, segundo informao extra-oficiais daquele ano.

    Para Francine, tanto Bore-bi quanto outras cidades do mesmo porte no comportam uma Farmcia 24 horas. Aqui somos uma Unidade

    Bsica, teramos que adequar isso e mesmo assim, a demanda no to grande, dis-se. Porm, aponta a coordenadora, temos atendi-mento mdico no perodo da noite aqui, ou seja, de-pois das 18 horas, ento a farmcia suprir a carncia daqueles que so atendidos neste horrio.

    Francine apon-

    Vivendo em Borebi desde criana, Luiz Catena garimpa antiguidades em stios e fazendas do Estado de So Paulo

    ta que a contratao de dois farmacuticos est sendo providnciada para que o servio possa ser oferecido.

    Temos a padronizao dos medicamentos, o Dose Certa e temos uma Relao Municipal de Medicamen-tos. Essa relao nos ajuda a manter os medicamentos mais procurados e manter tambm um controle mais apurado de nosso estoque. Tudo que sai daqui feito com receitas. Nenhum me-dicamento entregue sem que algum mdico tenha prescrito.

    Francine Sandri conta que a Sade de Borebi uma das mais organiza-das e atuantes da regio. Quando no consegui-mos atender aqui fazemos o encaminhamento para especialistas e um veculo leva estas pessoas para hospi tais onde possam fazer a consulta. Ningum fica sem atendimento, garante a coordenadora de Sade.

    Snia Aparecida Barbosa Geraldi cliente de Luiz Catena e define o antiqurio como sendo um profissional competente. Ele tem uma facilidade para apurar aqui-lo que realmente valioso e competentssimo na restau-

    rao. Toda a decorao de casa entreguei para que ele fizesse, contou.

    Sonia tem de namoradeira at guarda-roupa, de apa-relhos decorativos cris-taleiras. Tudo encontrado e restaurado pelo artista.

    Luiz competente em sua arte

    TALENTO | O restaurador Luis Catena, entre peas que fazem parte da histria do pas, em sua casa em Borebi -talento raro; Acima, pea autraca do sculo dezenove, feita com tiras ded madeira de coqueiro brasileiro e detalhe de pregos feitos mo, do incio do sculo passado.

    Fotos: Billy Mao

    Visivelmente h muito tem-po sem receber qualquer tipo de melhoria, a praa de espor-te e lazer Euclides Gernimo Ribeiro, localizada no Con-junto Habitacional Maestro Jlio Ferrari, construda sobre uma eroso, para ocupar um espao de degradao ambien-tal, deixou de ser opo para qualquer um de seus adjetivos.

    Com mato tomando conta do campo de areia que at esta semana tinha mais terra - no possvel a prtica do esporte. Com os brinquedos enferrujados ou quebrados seria impensvel permitir que crianas se divertissem no local, sem se expor ao risco de acidentes graves.

    Na sexta-feira, dia 28, um grupo de adolescentes estava na praa utilizando os bancos, nica opo para quem passa pelo local para um descanso. Segundo eles, no possvel usar a praa, que tem sido mais procurada para consumo de drogas, devido suas condies, que favorecem o anonima-to, inclusive pela iluminao precria. Em torno da praa o mato est alto e na praa a gra-ma tambm precisa de poda.

    Uma me, que pediu anoni-mato, lamentou a falta de opo de lazer no bairro, um dos mais populosos da cidade. Segundo ela, o espao j foi muito bom para as crianas brincarem, mas hoje devido falta de manuten-

    o e limpeza no possvel mais que as mes utilizem. A moradora contou que recente-mente um criana se machucou ao tentar jogar bola no campo e cair sobre as moitas de mato carrapicho que tm espinhos perfurantes.

    Alm do mato que ocupa os espaos, caladas quebradas, falta de gua e torneira onde deveria ser um bebedouro, a pista de skate est com piso velho e sem pintura, em al-guns pontos construdos para manobras, os ferros esto sol-tos. No local tambm faltam lixeiras e onde elas existem, esto quebradas.

    Na diretoria de Meio Am-biente, responsvel pela ma-

    nuteno e corte da grama, a previso que os trabalhos comecem o mais tardar na semana aps o Carnaval.

    J a diretoria de Esportes, responsvel pela manuteno dos equipamentos de recrea-o e esportivos, disse que no tinha nenhuma reclamao de moradores registrada, mas que tomando conhecimento do fato, iria providenciar as reparaes necessrias, como no caso dos brinquedos que devem ser retirados e encami-nhados para reforma, e depois recolocados.

    Sobre a pista de skate, a diretoria informou que j tem o oramento para incio da reforma.

    Praa do Jlio Ferrari deixou de ter esporte e lazer

    ABANDONO | Mato impede uso de campo e brinquedos quebrados impedem crianas de brincar

  • GERAL6

    SAlGADA | Tales da conta de gua do SAAE com valores maiores depois da troca de hidrmetro; diferena ocorre em vrios bairros

    LENIS PAULISTA, DE 01 A 07 DE MARO DE 2014

    MEIO AMBIENTE

    Rdio Fama 87.9 FMA RDIO COMUNITRIA DE BOREBI

    Velocidade problema em avenida com histrico de acidentesMoradores da regio sul da

    cidade de Lenis Paulista, que abrange os bairros Jardim Aa, Residencial Athenas, Jardim Graja e Jardim Caju, tm utilizado a rede social Facebook para reclamarem sobre o excesso de velocidade dos motoristas pela Avenida Jcomo Augusto Paccola.

    A avenida j foi palco de vrios acidentes, inclusive fatais. Segundo a reclama-o de moradores, o que tem acarretado constantemente acidentes na via a falta de ateno e a alta velocidade. A prefeitura municipal ins-talou redutores na avenida, visando coibir os excessos o que, aparentemente, est funcionando.

    A equipe do Sabado do Povo permaneceu por um determinado tempo obser-vando o fluxo da avenida, na tera-feira, dia 25, e durante o tempo em que esteve no local no flagrou nenhum veculo em alta velocidade. Mas, de acordo com os moradores que divulgaram os supostos abusos, existem trechos em

    que os motoristas aproveitam para acelerar.

    Um problema identificado foi a falta de sinalizao dos redutores da avenida na altura da divida entre os bairros Caju e Graja. A pintura de solo no foi feita e por isso, motoristas

    Consrcio intermunicipal sada para gesto de resduosTnia Morbi

    Lenis Paulista sediou na quarta-feira, dia 26, o seminrio do projeto Girem (Gesto Integrada de Res-duos Municipais), promovido pela Diretoria Estadual de Meio Ambiente, e um dos principais assuntos debati-dos entre os ?? municpios participantes foi a regionali-zao da gesto de resduos, principalmente gerados pela construo civil.

    O evento foi coordenador por Denise Cavalcanti, diretora de Polticas Pblicas da Dire-toria de Meio Ambiente do Es-tado de So Paulo e teve como principal objetivo orientar os municpios na elaborao de seus Planos de Resduos Sli-dos, no atendimento implan-tao das polticas estadual e federal de resduos.

    Alm disso, os municpios

    puderam conhecer mais sobre a regionalizao da gesto de resduos, principalmente atravs da formao de con-srcios intermunicipais, pauta

    que vem crescendo no Estado, segundo a diretora. Tanto a poltica nacional estabele-ce o consorcio como forma prioritria para obteno de

    recursos para manejo, limpeza urbana, quanto lei federal de saneamento bsico estabelece que o consrcio pblico a nica forma possvel para

    fazer gesto associada dos servios de saneamento em geral. Este o tipo de arranjo intermunicipal que tende a se tornar o mais utilizado em todo Estado para melhorar a gesto de resduos, principal-mente em municpios meno-res que contam com menos recursos e muitas vezes no tem como ter aterro sanitrio prprio mesmo que sejam em vala, afirmou. O consorcio de servios pblicos vem sendo apontado como sada h vrios anos para a soluo do resduo da construo civil, um grave problema que vem sendo diagnosticado pela diretoria, de acordo com Denise.

    VerdeAzulSobre a pontuao de Len-

    is Paulista no programa estadual Municpio Verde-Azul, cuja nota do Plano de

    Resduos Slidos tem valor importante, a diretora ressal-tou a qualidade do documento elaborado pela diretoria muni-cipal de Meio Ambiente. Foi um dos melhores que a gente analisou na coordenadoria de planejamento ambiental e inclusive eu mesma solicitei que o evento (desta semana) fosse aqui por conta do plano ter sido um dos melhores. Lenis realmente apresentou documentos muito bons, por isso quisemos prestigiar o municpio, afirmou.

    Alm do reconhecimento pela qualidade do Plano de Resduos elaborado por sua diretoria, o diretor Benedito Martins lembrou que a realiza-o do seminrio no municpio j conta pontos para a classifi-cao de Lenis no programa VerdeAzul do ano que vem. (Tnia Morbi, com assessoria)

    Usurios reclamaram com o Jornal Sabado do Povo e em rede social, na internet; Saae diz que trocou hidrmetros antigos

    Meio Ambiente altera coleta de lixo

    A diretoria de Agricultura e Meio Ambiente vai promover alteraes nos horrios e dias do servio de coleta de lixo, em alguns bairros da cidade, a partir do dia 3 de maro, prxima segunda-feira.

    O objetivo das alteraes aperfeioar a realizao do trabalho, mantendo o mesmo padro de qualidade, segun-do a assessoria. Um panfleto ser distribudo junto com as contas de gua no ms de maro, informando os novos horrios e dias da coleta, mas apenas nos bairros em que ocorrero as mudanas.

    Atualmente, sete equipes compostas por um motorista e quatro coletores executam o servio no permetro urba-no e na rea rural. Cerca de 1.040 toneladas de lixo so recolhidas mensalmente.

    Agendamentos Alguns servios disponi-

    bilizados pela diretoria de Sade sofrero alterao por causa do feriado de Carna-val. No haver expediente nas unidades de sade e Cen-tral de Regulao nos dias 3 e 4 de maro. O atendimento ser restabelecido na quarta--feira, a partir das 12h.

    Tnia MorbiFamlias de bairros di-

    ferentes da cidade vm se surpreendendo a cada nova conta de gua entregue pelo SAAE (Servio Autnomo de gua e Esgoto), de Lenis Paulista, sempre pelo mesmo motivo: aumento constante de consumo e do valor da conta.

    Um levantamento feito pela reportagem do Jornal Sabado do Povo identificou situaes idnticas em pelo menos quatro bairros dife-rentes da cidade. Em todos, a reclamao dos moradores de que o valor da conta passou a subir mensalmente, desde que o SAAE fez a troca dos hidrmetros, aparelhos que registram o consumo de gua.

    Uma dessas famlias de Mrcia Leme que reside na Vila Mamedina. Ela contou que por ter a mesma rotina em sua residncia, a mdia de valor da conta de gua girava em torno dos R$ 50,00 e R$ 60,00.

    Desde que a substituio do relgio de gua, como conhecido o aparelho, foi feita em dezembro, a conta passou a subir cerca de R$ 20,00 por

    SAAE troca hidrmetros e contas de gua sobem em vrios bairros

    ms, indo de R$ 58,00 em novembro para R$ 130,00 na conta entregue esta semana, com vencimento para maro.

    Da primeira vez subiu de R$ 58,00 para R$ 88. A gente estranhou, mas acho que era normal, mas depois foi subin-do todos os meses. Daqui a pouco vai ter que uma pessoa de casa trabalhar s para pagar a conta de gua, disse.

    A dona de casa contou que o pai teve o cuidado de verificar se havia vazamento que justificasse o aumento do consumo, j que a rotina da casa se manteve, mas com torneiras desligadas, o hidr-metro no se movimentou, mostrando que no problemas no encanamento.

    Mrcia foi uma das pes-soas que divulgaram o fato no Facebook. Mas, afirmou que na rua onde mora, ao menos outras duas famlias tiveram aumento de consumo e na conta depois da troca de hidrmetros. Outras famlias dos bairro Jlio Ferrari, Jar-dim Ubirama e Jardim Caju tambm esto sem saber o que fazer com a alterao na conta de gua.

    O SAAE confirmou que a troca dos hidrmetros possi-velmente causou o aumento das contas, mas porque os apa-relhos antigos no estariam registrando a real quantidade de gua gasta pelas famlias. Segundo o diretor, Jos Ant-nio Marise, a autarquia segue normas tcnicas que deter-minam que os hidrmetros sejam trocados a cada cinco anos. Estamos trocando os mais antigos. Todo o ms o SAAE tem um meta de troca de hidrmetros, disse.

    O fato de as reclamaes virem de bairros diferentes,

    segundo o diretor, porque o controle feito pela idade dos aparelhos.

    Marise garantiu a quali-dade dos equipamentos ins-talados. A possibilidade de marcar para maior quase nula. Porm disse que o aumento natural na troca dos aparelhos seria de 5% a 8% no valor das contas.

    O diretor relacionou ainda o aumento natural no consumo da cidade, sentido pela autar-quia, devido ao forte vero e a falta de chuvas no perodo. E lembrou que este ano o SAAE no reajustou a tarifa de gua.

    que no conhecem o trecho tinham dificuldade em trans-por o obstculo, sem afetar o veculo.

    No final de semana um poste de iluminao pblica na mesma avenida foi derru-bado, provavelmente em uma

    coliso, mas como o choque teria ocorrido durante a noite, no foi possvel identificar envolvidos no acidente.

    A queda complicou o trn-sito durante todo o domingo, dia 23, mas o poste foi substi-tudo durante a semana.

    VERDE | A diretora, durante evento realizado na Casa da Cultura

    VELOCMETRO | Moradores temem que acidentes voltem a ocorrer

    Fotos: Billy Mao

  • GERAL 7

    O relacionamento amo-roso pode bater de frente com os seus interesses profissionais. Talvez seja necessrio sacrificar um para que o outro cresa. Aproveite para aprofund-

    ar naquilo que de seu interesse, mas procure agir nos bastidores. O clima em seu lar estar mais ameno.

    Saia de cima do muro e de-fina o que realmente quer na rea afetiva. Ser preciso serenidade para manter a harmonia no ambiente de trabalho. Nas finanas, fuja

    de negcios arriscados. Se surgir algum desentendimento familiar, fique esperta, pois seu orgulho pode fazer uma situao desconfortvel durar um tempo maior.

    Estranha Noite Michel Ramalho - estranhanoite.blogspot.com

    Michel Ramalho

    HORSCOPO

    ARI

    ES

    TOU

    RO

    GEM

    EOS

    CAN

    CR

    LE

    O

    VIRG

    EM

    LIBR

    A

    ESCO

    RPI

    O

    SARG

    ITRI

    O

    CAPR

    IC

    RNIO

    AQU

    RIO

    PEIX

    ES

    As conquistas e reconcili-aes esto favorecidas. Na vida conjugal, o cime pode desgastar a unio. No trabalho, ser nos bas-tidores que conseguir se da bem. Nas finanas, um

    aumento salarial chegar em boa hora. Supere os choques de opinies em casa com uma boa dose de tolerncia.

    Este um bom perodo para se aproximar ainda mais de quem ama. Se rolar menti-ras ou segredinhos, aposte no dilogo para resolver qualquer mal-entendido. Al-guns de seus planos profissio-

    nais podem no sair como deseja. Mas nada de desanimar. Coloque seus gastos na ponta do lpis. Boa fase pra pequenas reformas em casa. Aproveite seu bom gosto para dar toques especiais na decorao.

    Na vida a dois, bom man-ter aquilo que acontece en-tre voc e o par em segredo. No trabalho, no insista em assuntos ou projetos que no vingaram at agora. Nas finanas, aja com mais

    disciplina. Procure se acalmar e evitar as variaes constantes de humor, pois as pessoas prximas podero se irritar.

    Se estiver sozinha, aposte na discrio para laar o corao do paquera. Voc estar se sentindo mais segura para se ex-pressar. No trabalho, ser

    prestativo lhe trar benefcio. Nas fi-nanas, um dinheiro inesperado pode chegar s suas mos. Fase benfica para se relacionar com familiares.

    Se voc e o par estavam estremecidos, essa uma boa hora para tentar uma reconciliao. Abra-se ao dilogo e ver como tudo entra nos eixos. Deixe a individualidade de lado e

    invista no trabalho em equipe. Se sentir disposto a colocar ordem nos assuntos pendentes relacionados aos familiares.

    O romance inspira cuida-dos. A distncia pode se tornar o seu maior obs-tculo. No trabalho, seus anseios podem no cor-responder ao que os out-ros esperam de voc. No

    se incomode e siga seu caminho. Tente gastar pouco em tudo. Parentes que mo-ram em outro lugar podero fazer uma visita surpresa, trazendo muita alegria.

    Na vida a dois, o astral dos mais excitantes. No entanto, anseios diferentes podem estressar a relao. Vai se sentir disposto a en-carar qualquer tipo de mu-

    dana no setor profissional. Nas finan-as, pode ser prejudicada pelo excesso de confiana. Seja clara com os parentes em tudo que achar necessrio.

    Nem tudo sero flores no romance, mas nada de atitudes radicais com o par. tima fase para tratar de papis, escritos, contratos ou

    pr em ordem os seus documentos. Nas finanas, melhor fazer planos mais humildes. Tenha cautela para no se indispor com um parente mais velho.

    Voc poder se envolver com algum que faz parte do seu cotidiano. Uma abordagem mais ntima vir a calhar neste mo-mento. No trabalho, conte com a sorte e fique atenta

    s oportunidades. Tente encerrar dvi-das. Ter habilidade para tornar o rela-cionamento familiar mais harmonioso.

    Os momentos de lazer po-dem favorecer a conquista de quem est solteiro. A vida conjugal est protegi-da, mas tenha cuidado com a interferncia da famlia

    no romance. Poder ter dificuldade para trabalhar em equipe. Agarre a chance de melhorar os seus rendimentos. No eco-nomize ateno para os parentes.

    TIRINHAS

    Cristiano Taioque - facebook.com/sucatanovaquadrinhosOs espantalides

    LENIS PAULISTA, DE 01 A 07 DE MARO DE 2014

    FRANGO COM MOLHO DE SOJA, GENGIBRE E CEBOLINHA

    Receitaspara voc!Por Paulo Campanholi [email protected]

    Frango Ingredientes- Coxa e sobre coxa de frango 2 - Sal Q.B. - Glutamato monossdico QB - Pimenta do reino branca QB - Conhaque 10 ml- leo de soja 500ml - Molho de soja com gengibre e cebolinha Q.B. - Gema de ovo 1 - Farinha de trigo 6 colheres de sopa- Maisena 6 colheres de sopa

    Molho de soja com gengibre e cebolinha Ingredientes- Alho picado 02 dentes- Gengibre fresco picado Uma colher de sopa- Cebolinha cortada em rodelas 5 talos- leo de soja 50 ml- Molho de soja 75 ml- Molho ingls Uma Colher de sopa

    - Vinagre branco 50 ml- Sal Quanto baste- Glutamato nomossdico Meia colher de sopa- Acar Uma colher de sopa- gua 250 ml- Gema de ovo 1 - Farinha de trigo 6 colheres de sopa- Maisena 6 colheres de sopa

    Modo de preparo1. Desossar as coxas de frango. 2. Temperar o frango com o sal, glutamato, pimenta e conhaque e deixar descansar por 15 minutos. 3. Adicionar uma gema de ovo, passar pela farinha e depois pela maisena. 4. Fritar em leo bem aquecido, virando at dou-rar dos dois lados. 5. Retire do leo e escorra em papel toalha. 6. Corte em pedaos o frango. 7. Arrumar os pedaos numa travessa e cobrir com o molho quente.

    Modo de preparo1. Aquecer o leo de soja e dourar o alho e o gengibre. 2. Acrescentar os ingredientes restantes, exceto a cebolinha. 3. Assim que o molho ferver retire do fogo. Colocar a cebolinha somente na hora de montar o prato. Bom apetite.

    Cuide das crianas durante o CarnavalQuem tem filhos pequenos

    deve seguir algumas regras quanto ao vesturio, alimen-tao e hidratao com as crianas para que a comemo-rao durante o Carnaval seja tranquila. Quem d algumas dicas a pediatra Cristina Consolmagno Baptistella, que atende na rede pblica de Len-is Paulista. A programao de carnaval da diretoria de Cultura de Lenis ter desfile do Bloco pela Contra Mo, neste sbado, dia 1, matins nas quadras das escolas e show com a bateria da Escola de Samba guia de Ouro, de Bauru, na segunda-feira, dia 3, na Concha Acstica.

    Segundo a mdica, por ser um feriado prolongado, comum ocorrerem mudanas na rotina e isso pode afetar as crianas. Principalmente no caso dos menores, im-portante manter o horrio das refeies, no se esquecer da hidratao, protetor solar, e ficar sempre de olho, para que no ocorra nenhum incidente.

    Muitas pessoas no viajam, mas aproveitam a folga em

    chcaras ou barracas. um dia que o horrio das refei-es muda, o almoo sai mais tarde. Para a criana o ideal que a refeio continue sendo servida na hora habitual, diz.

    Na estradaQuem pode emendar o fe-

    riado e vai fazer uma viagem longa, tem que pensar no bem--estar das crianas. Segundo Cristina, isso significa fazer paradas regulares, a cada duas horas, dando tempo para que a criana v ao banheiro, corra e ande.

    Tambm bom evitar co-mer nas paradas beira da estrada, onde o risco de con-taminaes ou intoxicaes maior. Leve lanches de casa. Se tiver sacola ou cooler, vale a pena incluir sucos e frutas como parte do lanche.

    No descuide do protetor solar e do repelente, caso este-ja num ambiente onde existam pernilongos e insetos. Repita a aplicao do produto regu-larmente. Se estiver perto de piscinas, rios ou praia, oriente a criana a s entrar na gua na superviso de um adulto.

    Na matinQuem j preparou a fantasia

    e vai levar os pequenos para a matin, a principal dica da pe-diatra para que os pais con-siderem a vontade da criana. Se ela j brincou, tirou foto e enjoou da fantasia, troque por uma roupa mais confortvel. O carnaval deve ser uma expe-rincia divertida para a criana e no estressante, resume.

    HidrataoEssa dica vale para todo

    mundo. Hidratao pode ser feita com gua, chs, sucos, gua de coco. Refrigerantes devem ser evitados. No caso das crianas, a pediatra lem-bra que importante oferecer lquidos a todo o momento.

    AlimentaoEvite frituras nesse perodo,

    principalmente se estiver fora de casa. Estabelecimentos co-merciais, como lanchonetes e restaurantes, oferecem menor risco de contaminao do que barracas e produtos de vende-dores ambulantes, por exem-plo, devido s melhores con-dies de acondicionamento dos alimentos e higiene.

    Uma situao peculiar, vivida na noite da ltima tera-feira, dia 25, por um morador do bairro So Jos alerta para os problemas que os chamados trotes podem causa para os cidados, mas tambm para os comercian-tes, como demonstrou o ocorrido.

    O morador, que preferiu no se identificar, contou que ao menos 14 motota-xistas e entregadores foram at a sua residncia, prati-camente ao mesmo tempo, para realizar entregas de

    Trote em morador prejudica comerciantesprodutos, que ele no ha-via pedido, ou atender a chamados por corridas que ele feito. Todos foram at o mesmo endereo a partir das 21h30 do dia 25.

    Os entregadores e mo-totaxistas foram chegando um aps o outro e, depois de perguntar pelo proprietrio da residncia informavam que atendiam a pedidos feitos pelo telefone por uma mulher. Como no havia fei-to pedido algum, o morador solicitou que os funcionrios das empresas verificassem

    o nmero do telefone que havia sido usado para os pedidos, quando foi checa-do que alguns nmeros no existiam ou eram restritos. Alm dele, em sua residn-cia, segundo o morador, estava apenas sua esposa.

    Sem saber direito como agir, o morador acionou a Polcia Militar, mas o inusitado da situao tam-bm impediu que qualquer ocorrncia fosse registrada. Mas, logo se percebeu que se tratava de um trote con-tra o morador, que segundo

    ele, atingiu principalmente os comerciantes que foram usados. Se tentaram me atingir, no conseguiram, mas com certeza prejudica-ram os comerciantes, que tiveram prejuzos, disse.

    Nas tentativas de entregas havia desde frango xadrez, fraldas descartveis e me-dicamentos, a lanches de diversas lanchonetes da ci-dade, inclusive de algumas de pontos bem afastados do centro. Em comum a todas elas, estava o fato de que nenhuma empresa havia

    retornado a ligao que deu origem aos pedidos para confirmar o nome e o nme-ro do telefone, o que poderia ter evitado a situao, j que segundo o morador, seu nmero no consta da lista telefnica, por isso a pessoa que teria feito a brincadeira de mau gosto no poderia confirmar o telefone, sob risco de se denunciar.

    AcilpaNa Acilpa (Associao

    Comercial e Industrial de Lenis Paulista) no h

    nenhum registro feito por comerciantes sobre trotes iguais ao desta semana, pelo menos ns ltimos cinco anos. Apenas relatos espordicos sobre pedidos falsos, principalmente de pizzas e lanches.

    A orientao para que, quando desconhecerem o nome de quem faz o pedido ou o endereo, o comerciante pea um nmero de telefone fixo e cheque antes da entre-ga. Checar nome e telefone em listas telefnicas tambm uma sugesto da Acilpa.

  • LENIS PAULISTA, DE 01 A 07 DE MARO DE 2014SUA IMAGEM8

    Verdes - Os vereadores Anderson Prado de Lima e Ailton Tip Laurindo posam para a foto ao lado do veculo repassado ao Conselho Tutelar atravs de emenda feita pelo deputado Jos Luiz de Frana Penna, todos do PV.

    Visita - O terapelta Marcos Vendite esteve na Cmara Municipal para conhecer o prdio e agendar uma reu-nio no espao. O presidente Dr. Pita acompanhou Marcos e falou um pouco sobre o Legislativo.

    Visita - O terapelta Marcos Vendite esteve na Cmara Mu-nicipal para conhecer o prdio e agendar uma reunio no espao. O presidente Dr. Pita acompanhou Marcos e falou um pouco sobre o Legislativo.

    Planta - Cl[ovis Zafani e ua equipe durante plantio de mudas em terreno situado pr[oximo ao aero-porto municipal. No local foram plantadas mudas de [arvores frut[iferas e algumas esp[ecies da flora do Serrado.

    FONES: 14. 3263.7300 / 9.9643.4517 - e-mail: [email protected]

    JUNTOS E MISTURADOS - A escola Leonina Alves Coneglian, na Vila Cruzeiro, recebeu pais e alunos na manh do ltimo sbado, dia 22, dentro do projeto Dia na escola do meu filho, organizado pelo grupo de gestores. Alm de palestras para os jovens, lanches e sucos, houve apresentao de dana e apresentao de capoeira, entre outras atraes. Professores, pais e alunos puderam interagir sobre o cotidiano da escola, dentro da proposta do evento que aproximar a comunidade da vida escolar. Pelo sucesso, a iniciativa deve se repetir, segundo os organizadores.

    _GoBack_GoBack_GoBack_GoBack