Sabadao 57

Click here to load reader

  • date post

    28-Mar-2016
  • Category

    Documents

  • view

    227
  • download

    0

Embed Size (px)

description

Jornal semanal com distribuição gratuita em Lençóis Paulista, Borebi, Agudos e Macatuba.

Transcript of Sabadao 57

  • DE 22 A 28 DE MARO DE 2014 - EDIO N 575 - ANO 2 - LENIS PAULISTA - CIRCULAO REGIONAL Mxima: 29CMinina: 19CMxima: 28CMinina: 18C

    HOJE AMANH

    Fonte: Climatempo

    Fotos: Billy Mao

    XERIFE - O Delegado do Conselho Parlamentar, vereador Anderson Prado, fomentou a instaurao da Ati-vidade Delegada, que estava parada

    A prefeita Izabel Lorenzet-ti (PSDB) assinou, na quarta--feira, dia 19, convnio para a implantao da atividade de-legada em Lenis Paulista, junto ao Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Segurana Pblica. As cidades de Santos, Iper e Quat tambm assinaram o convnio na mesma sole-nidade. Alm do governador Geraldo Alckmin, o secre-trio da Segurana Pblica, Fernando Grella participou da cerimnia.

    Aps a assinatura, no foi divulgado o nmero de poli-ciais que deve atuar em Len-is Paulista, j que o efetivo ainda ser definido entre a

    Polcia Militar e a prefeitura. As outras cidades j tinham o nmero definido e 40 PMs devem atuar em Santos, oito em Quat e at quatro por dia em Iper.

    Os municpios firmaram o convnio por perodos diferentes, que variam entre um e cinco anos, mas podem ser ampliados. Pela atividade delegada, policiais militares auxiliam em aes nas ci-dades durante suas horas de folga, aumentando o efetivo policial nas ruas. Os policiais podero combater danos ao patrimnio pblico e fiscali-zar a perturbao do sossego, entre outras posturas previs-tas na legislao municipal.

    Em Lenis Paulista, a prefeitura disponibilizou R$ 150 mil no oramento deste ano para implantao do servio, recurso composto de R$ 100 mil sugeridos pelo Executivo e outros R$ 50 mil de emenda feita ao oramento de 2014, pelos ve-readores Anderson Prado de Lima (Prado) e Ailton Tip Laurindo, do PV, e Jonas de Sousa (Solidariedade).

    Implantada pioneiramente na capital em 2009, a ativi-dade delegada j desenvol-vida em outras 36 cidades. A ao beneficia todos ns, tanto prefeitura quanto a so-ciedade, afirmou a prefeita Izabel Lorenzetti.

    Atividade delegada autorizada para Lenis

    Depois de uma abertura solene, na quinta-feira, dia 20, no Ginsio de Esportes Archangelo Brega, que contou com uma participao macia de atletas, pblico e de autoridades, inclusive com a presena da primeira dama do Estado, Lu Alckmin, neste sbado continuam as competies dos Jogos Regionais do Ido-so, que terminam amanh. Hoje, a partir das 8h, tem disputa de bocha, damas, xadrez e natao. E neste domingo, dia 23, acontecem as finais da bocha e do vlei, quando ser contabilizada a pontuao geral e conhecida a cidade campe dos jogos, e as que ficaro em segundo e terceiro lugares.

    Jogos dos Idosos tm sbado de competies

    A Zilor destinou mais R$ 160 mil para a constru-o do Teatro Municipal de Lenis Paulista por meio da Lei de Incentivo Cultural (Lei Rouanet). Desde 2007, a empresa apoia esta iniciativa e j repassou cerca de R$ 2 milhes para a obra.

    O valor permitir Alic (Associao Lenoense de Incentivo Cultura), res-ponsvel pela captao de recursos, d continuidade na construo da segunda etapa, que compreende

    a fase de construo da parte cnica do teatro, climatizao, sistema de iluminao, forro, reves-timento e pisos externos.

    Para Jlio Antnio Gon-alves, diretor de finanas da prefeitura e diretor finan-ceiro da Alic, o recurso ser fundamental para o projeto. Com essa destinao da Zilor e ajuda tambm de outras empresas, vamos dar um passo importante para a concluso dessa fase, destaca Gonalves.

    Jlio afirma, ainda, que

    a previso oramentria para essa etapa de R$ 2,5 milhes e at o momento j foram investidos R$ 1,7 milhes. Estamos avanando nas obras. Por isso, contamos muito com a ajuda dos parceiros para entregar esse presente comunidade.

    O Teatro Municipal de Lenis Paulista ter apro-ximadamente 600 lugares e ser o centro de um com-plexo de cultura e lazer em uma rea de dois mil metros quadrados.

    Zilor destina mais R$ 160 mil paraa construo do Teatro Municipal

    Agudosdever ter novarodoviria

    Segundo a prefeitura de Agudos, at setembro deste ano a populao da cidade contar com um novo ter-minal rodovirio. O pr-dio est sendo construdo na Vila Santa Ceclia, ao lado da Legio Mirim, em uma rea de 1.300 metros quadrados. Servios de alvenaria, hidrulica, tubu-laes eltricas e estrutura metlica esto em estgio avanado na obra. Pgina 6

    ESTRELA - Rodeada pelos vereadores lenoenses Nardeli da Silva, Dr. Pita e Ailton Tip, na foto, a deputada Rita Passos recebeu homenagem de Cidad Lenoense na quinta-feira, 20, na Cmara. Outros nomes conhecidos da cidade tambm foram homenageados. Pgina 3

    Acidente comhelicptero naFacilpa: faltouplanejamento

    A reportagem do jornal Sabado do Povo teve acesso ao relatrio final elaborado pelo SIPAER (Sistema de Investigao e Preveno de Acidentes Aeronuticos), do CE-NIPA (Centro de Inves-tigao e Preveno de Acidentes Aeronuticos), de So Paulo, sobre o aci-dente envolvendo um he-licptero que caiu no Lago da Prata, durante voo sobre o recinto Jos Oliveira

    Prado, durante a Facilpa, em maio de 2012. No acidente, trs pessoas ficaram feridas com gra-vidade. De acordo com a investigao, como no foi realizado um estudo preliminar da rea em que foi realizado o voo, e como o piloto no ha-via voado anteriormente naquela regio, a falta de planejamento contribuiu para a coliso contra a rede eltrica. Pgina 5

    Famlia acusa PS de mau atendimento a beb de um ano

    Os familiares do pequeno Joo Gabriel, de um ano, se revoltaram esta semana com o atendimento que o beb teria recebido no Pronto Socorro Munici-pal, de Lenis Paulista. O menino foi internado em estado grave, na quinta--feira, dia 20, no hospital de Macatuba e transferido no mesmo dia para o Hospital Estadual de Bauru, segun-do os familiares, com gua

    nos pulmes e pneumonia, depois de ser atendido trs vezes no Pronto Socor-ro Municipal. Na noite de quinta-feira, por telefone, de Bauru, a av Maria de Lurdes Faioli conversou com a reportagem do jornal Sabado do Povo. Segundo ela, o neto passou por um procedimento para tirar gua do pulmo e permanecia in-ternado na UTI do HE sem previso de alta. Pgina 5

    Em mais de dois anos de circulao, gua sempre foi destaque em

    matrias do Jornal Sabado do Povo.22 de maro, Dia Mundial da gua

    Veja um resumo na pgina 2.

  • DIA DA GUA2LENIS PAULISTA, DE 22 A 28 DE MARO DE 2014

    Bem mais precioso: gua que nos mantmEm mais de dois anos de circulao do Sabado, vrias reportagem sobre o tema gua fizeram parte das pautas levanta-das; no poderamos deixar de citar algumas dessas matrias publicadas sobre um assunto to srio e que envolve a todos

    O Sabado do Povo, des-de seu incio em outubro de 2011, se envolve nas causas ambientais, principalmente, no tema gua. Lenis Paulista cortada pelo Rio Lenis e Crrego da Prata. Um abastece diariamente o consumo de gua da cidade e o outro, certamente ser fonte de captao no futuro.

    Diante disso, o Rio Len-is sempre esteve nas p-ginas do Sabado e em 22 de outubro de 2011, em sua edio nmero 4, ainda como Jornal de Sbado, foi publicado: SAAE des-peja 100% de esgoto no Rio Lenis. Esta matria mostrava que a ETE que de-veria tratar o esgoto que era jogado no rio estava parada, esquecida no tempo depois de investimento pesado e o esgoto despejado direta-mente nas gua. A matria, ao que parece, cooperou em incentivar a busca, por parte do poder pblico, em resolver o problema.

    Em novembro do mesmo ano a ao para concluir a ETE j estava a todo vapor e o SAAE buscava apoio na Secretaria de Saneamento: Soluo para ETE pode chegar a R$ 2 milhes.

    Um ano e oito meses depois da estao ser inau-gurada e depois de quatro meses da publicao da matria, o municpio rece-beu repasses de verbas e era anunciado que a ETE

    funcionaria ainda em 2012: Estao dever funcio-nar ainda em 2012, era a manchete no dia 18 de feve-reiro na edio nmero 21.

    Em agosto de 2012, mes-mo com falta de chuva, o SAAE informava que no haveria falta de gua no municpio devido aos afluentes do Rio Lenis, que mantinham a captao em nvel satisfatrio.

    Na edio 58, com o nome Sabado, o jornal denunciava o despejo ilegal de entulhos e restos indus-triais muito prximo ao rio: gua poder sofre con-taminao com despejo ilegal de entulhos.

    Na mesma edio em que o jornal anunciava uma parceria entre pre-feitura, Ong WWF e Zilor, visando a preservao da Bacia do Rio Lenis, com medidas ambientais e de estudo de impacto, era tambm denunciada a mortandade de peixes em Alfredo Guedes nas guas do principal rio do municpio: Preservao de Bacias do Rio Lenis une Zilor, Ascana, WWF e prefeitura.

    Finalmente, em 15 de dezembro de 2012 foi anun-ciado o incio dos testes da estao de tratamento que livraria o rio de poluentes orgnicos produzidos na cidade. Nesta data, o diretor do SAAE, Jos Antonio

    Marise, comemorava a finalizao de um rduo processo em busca de coo-perar com a boa qualidade da gua do Rio Lenis: Estao de tratamento entra em fase final de testes.

    Em 19 de janeiro de 2013 a gua e o clima deram uma mostra de suas for-as e casas voltaram a ser inundadas, ruas e o ptio do SAAE, em Lenis Pau-lista. Em Borebi, estouro de lagoas causou interrup-o da pista de acesso

    cidade com o rompimento do asfalto da avenida: O medo... da gua!

    A ETE volta a ser notcia no Sabado: Espuma no Rio expe poluio urba-na. A matria publicada no dia 18 de maio de 2013 mostrava que os reflexos da estao estavam apare-cendo. Uma enorme quan-tidade de espuma escorria pelas guas do rio a partir das escadas de aerao. O problema foi apontado pelo vereador Ailton Tip Lau-rindo, durante uma sesso

    da Cmara. Na ocasio o gegrafo Kludio Cffani Nunes defendeu que poluen-tes, no apenas residenciais, poderiam ser os causadores de tanta espuma que, para o ambientalista fundador da Ong Vidgua, no seriam nada comuns.

    No dia 24 de agosto uma boa notcia ao lenoense envolvendo o lquido pre-cioso foi publicada como manchete do Sabado do Povo: Lenis no far repasse por custo de cap-tao de gua em 2013, diz SAAE.

    Em Borebi, a ateno para a gua toma corpo com a eleio do prefeito Ma-noel Frias Filho. O prefeito foi em busca da construo da ETE daquele municpio e conseguiu do governo do estado todo o apoio para a obra: ETE sai do papel em apenas oito meses de mandato de Man Frias, na edio do dia 31 de agos-to. Atualmente, o projeto da ETE passou da fase de licitao e dever comear as obras ainda este ano.

    Em fevereiro de 2014 a manchete do Sabado apontava o problema de assoreamento no Lago da Prata. O assunto envolve um dos principais afluentes do Rio Lenis, colocando em risco uma fonte primor-dial de gua para o desen-volvimento do municpio na regio sul. EDA ir

    avaliar assoreamento do Lago da Prata e uso cor-reto do solo.

    A troca dos hidrme-tros em vrios pontos da cidade gerou uma enorme discusso em redes sociais quanto qualidade e o tipo dos equipamentos que esto sendo instalados nas casas dos consumidores. A discussso coloca em evidncia tanto o con-sumo, quanto a gesto desse contingente hdrico pela autarquia municipal. Conta dgua fica mais cara com novos hidrme-tros. O diretor do SAAE informou que o aumento nos valores cobrados se deve ao alto consumo. Explicao contestada por consumidores ouvidos pelo jornal.

    Pode parecer pouco, mas a gua est intrnseca em nossas vidas. Nossa prpria composio 74% lquida. Os assuntos sobre a gua apontados pelo jornal desde sua fundao esto, em sua maioria, li-gadas ao rgo municipal: o SAAE. Isso pelo fato da autarquia ser a principal responsvel pela gua, sua distribuio, captao e cuidados. Alis, o SAAE dever sempre ser o setor municipal mais preocupa-do com a qualidade e tudo que diz respeito a gua em Lenis Paulista.

    Feliz Dia da gua.

    LIMPA? | Lagoa de tratamento de gua: fis-calizao em estabelecimentos ainda falha e ajuda na criao de espuma no rio Lenis

  • POLTICA 3

    Fotos: Billy Mao

    LEGISLATIVO

    Estava escrito - Conforme foi antecipado aqui na Coluna, o vereador Reginaldo C. Martins, de Borebi, renunciou ao cargo de presidente do Legislativo para deixar a cadeira ao vice Ama-rildo Bueno. A manobra teria sido arquitetada pela cpula do PSDB da cidade, ainda na campanha de 2012.

    No faz mal - Segundo foi divulgado na imprensa, Amarildo pretente que seja ainda mais dura a oposio ao prefeito Mano-el Frias Filho, PR. A estratgia do presidente recm empossado continuar a mesma da base em 2013. Tudo que Man Frias fizer para o municpio, os vereadores devero dizer para o povo que fo-ram eles quem conseguiram, tentando dimimuir os feitos do pre-feito e sua equipe. Os vereadore citados no atenderam as ligaes por telefone do Sabado.

    Desrespeito - A matria do Sabado que informou um ab-surdo ocorrido na prefeitura de Borebi, em 1999, quando uma assinatura apareceu em um documento depois de 25 anos do suposto autor estar morto foi assunto em todos as rodinhas de conversa da cidade.

    Desrespeito 2 - Um documento supostamente assinado pelo dono de rea em Borebi causou estranheza em muita gente. O proprietrio havia falecido em 1974 e a assinatura apareceu em 1999. Para alguns, o que ocorreu foi uma psicografia (quando a alma de um falecido se apossa de um vivo e escreve, tipo Chico Xavier). Para a Coluna, isso brincar com a famlia dos faleci-dos. E brincadeira de mal gosto.

    Desrespeito 3 - O imbrglio dever ser encaminhado ao Minis-trio Pblico e um exame grafotcnico (para descobrir quem po-deria ter assinado) poder ser pedido sobre o documento. Com-provado uma possvel fraude, a coisa dever tomar outro rumo.

    No deu - A oposio borebiense, aquela que busca prejudicar no s o atual prefeito, mas, com reflexos no prprio cidado, denunciou Manoel Frias na Polcia Federal, em Bauru, por pos-svel compra de votos. Man Frias foi ouvido por um delegado e deu sua verso do caso. Disse que foi procurado para dar di-nheiro a um grupo. Diante de sua recusa em dar dinheiro, foi agredido verbalmente e por pouco, tambm fisicamente.

    Lepo lepo - Depois disso, Man recebeu uma ligao do mesmo grupo que o acusou de ter prometido uma quantia em dinheiro. Man novamente negou ao telefone. O prefeito contou tudo isso ao delegado que tomava seu depoimento. O que o prefeito no sabia que o delegado tinha um CD gravado com a ligao do dia fatdico que comprovava a conversa, exatamente da forma como Frias contou. A tentativa de incriminar o prefeito falhou mais uma vez e a denncia deve ser arquivada.

    Negativo - O TRE, atravs do Cartrio Eleitoral, rejeitou as contas da Campanha Eleitoral de 2012 dos candidatos aos car-gos de prefeito e vice , respectivamente, Antonio Carlos Vaca e Anderson Pinheiro de Ges, o Chiquinho, ambos do PSDB de Borebi. A desaprovao se deu pela ineficcia na apresentao de extratos bancrios completos e nomenclatura da conta elei-toral de 2012.

    Descontrole - A desobedincia ao disposto no artigo 40, 8, da Resoluo TSE 23.376/2012 representou vcio que impossibili-tou o efetivo controle por parte da Justia Eleitoral sobre a regu-laridade na arrecadao e aplicao de recursos da campanha.

    Negado - A informao do Cartrio pelo processo n 52195 de Prestao de Contas de SP, sob o nmero 52195.2012.626.0161, aponta o registro da desaprovao no dia 29/1/2014. Uma dvida deliberada sobre desaprovaes dessa magnitude quanto a ca-pacidade real de um gestor em manipular o dinheiro pblico, se eleito, enquanto uma simples prestao de contas desaprovada.

    Da Carne - Em Lenis o repasse de recursos do Legislativo para entidades foi aprovado em definitivo. Os vereadores aprovaram o aditamento de convnios entre a prefeitura municipal e diversas entidades filantrpicas para o repasse de recursos destinados pela Cmara, atravs de emendas feitas ao oramento deste ano, que retiraram verbas do prprio oramento do Legislativo.

    Pouquinho mais - Foram beneficiados Hospital Nossa Se-nhora da Piedade, Adefilp, APAE, Ocas, Asilo, Lar da Criana, Casa Cape e Associao Protetora dos Animais.

    LENIS PAULISTA, DE 22 A 28 DE MARO DE 2014

    Aprovada em primeira votao lei que exclui bancos de parcelamentoProjeto original beneficiava todas as empresas, mas Cmara decidiu que os bancos, maiores devedores da prefeitura, devem quitar total das dvidas

    Tania MorbiFoi aprovado em primeira

    votao, com duas emendas, o projeto de parcelamento de dbitos de grandes devedores do municpio, excluindo o bancos. A votao ocorreu na sesso do Legislativo da segunda-feira, dia 17.

    Pelo projeto original, de autoria do Executivo, todos que possussem dvidas com o municpio, a partir de R$ 270 mil, poderiam parcelar seus dbitos pelo prazo de 120 a 360 parcelas, dependendo do valor da dvida, que seria corrigida anualmente pelo IPCA (ndice de Preos ao Consumidor Amplo), adotado como ndice oficial do muni-cpio. A proposta enviada Cmara pelo Executivo no definia o nmero de vezes que o devedor poderia fazer o parcelamento do montante de sua dvida, em caso de atraso no pagamento das parcelas.

    Duas emendas, apresenta-das pelos vereadores Ailton Tip Laurindo, Anderson Prado de Lima - ambos do PV - e pelo presidente da Mesa, Humberto Jos Pita (PR), aprovadas esta semana, mo-dificaram estes dois pontos.

    Na primeira, os vereadores excluram os bancos, maiores devedores do municpio, do

    direito de parcelamento, fato que foi aprovado de forma unnime por todos os verea-dores, desde a apresentao da emenda. Fora do benefcio, os bancos tero que fazer o paga-mento vista, aps tramite das aes na Justia.

    Na segunda emenda, os ve-readores trataram da inadim-plncia ao programa de par-celamento. No texto original, a lei previa que o devedor perderia o benefcio do par-celamento, caso atrasasse o pagamento de trs parcelas, mas no determinava quantas

    vezes ele poderia reparcelar o montante devido. Com a emenda, ficou estabelecido que, em caso de o contribuinte romper o parcelamento, pode-r aderir novamente ao pro-grama apenas uma nica vez.

    O projeto tramitava na Cmara desde agosto do ano passado. Desde o incio nos posicionamos contrrios ao parcelamento pelos bancos e tivemos adeso unnime dos colegas. Tivemos este cuidado atendendo ao clamor das ruas, que ns no temos que fazer favor algum aos bancos,

    disse Tip.O banco vai brigar at

    o ltimo momento para no pagar este imposto, mas uma hora vo ter que pagar, se o juiz entender que a dvida existe, em uma nica vez ou atravs do parcelamento pelo Cdigo Civil, com 30% vista e seis parcelas, no mximo, disse o vereador Andr Sasso (PSDB), o Cagarete.

    J Nardeli da Silva (PROS), destacou o apoio que o parce-lamento d aos empresrios lenoenses que enfrentam dificuldades financeiras.

    A emenda ao projeto de concesso do recinto Jos Oliveira Prado Associa-o Rural, para realizao da Facilpa, que limitava o valor dos ingressos cobrados para acesso aos shows pagos promovidos durante a feia, foi retirado por seu autor, o vereador Jonadabe Jos de Souza (SDD). Jonas retirou a emenda que limitava o valor do ingresso em R$ 15, considerando que, mesmo sem a participao da Comis-so legislativa que deveria acompanhar a organizao do evento, a feira deste ano j est pronta, e por isso no

    seria possvel interferir em sua arrecadao.

    Mas, substituindo a emen-da, o vereador e o presidente da Mesa, Humberto Jos Pita (PR) apresentaram projeto de lei com a mesma finalidade, de limitar o valor do ingresso. Na justificativa do projeto, os vereadores defenderam que o valor seja reajustado anual-mente com base na variao anual do IPCA (ndice Nacio-nal de Preos ao Consumidor Amplo), j que o evento realizado em rea pblica, a qual, embora cedida em concesso temporria, deve ser utilizada com o princpio

    de acesso amplo e irrestrito, sem a cobrana de preos proibitivos aos cidados. Os vereadores tambm lembra-ram que a prefeitura subsidia, com recursos pblicos, parte da promoo do evento.

    O projeto foi encami-nhado para anlise das co-misses permanentes da Cmara, mas a pedido do vereador Nardeli da Silva (PROS) deve ser votado apenas aps a realizao da edio da Facilpa deste ano. O pedido de sobrestamento do projeto, feito por ele, foi aprovado por todos os vereadores.

    Limite no valor de ingresso da Facilpa fica para 2015

    Retomando uma iniciativa de 2003, o vereador Nardeli da Silva (PROS) relanou o pro-jeto Um inalador a mais, um paciente a menos, que visa conseguir doaes de inala-dores para pacientes carentes.

    Segundo ele, ao objetivo conseguir doaes destes equipamentos para que sejam destinados a pacientes que necessitam deste tipo de aten-dimento com grande frequ-ncia, e que, por no terem o aparelho em casa, necessitam ir diversas vezes a postos de sade ou ao Pronto Socorro.

    Em 2003, quando promoveu a campanha pela primeira vez, foram doados 47 inaladores, o que representa que o mesmo nmero de pacientes deixou de ir, em mdia, at trs vezes por semana a uma das unidades de

    sade, de acordo com o vereador.A diretoria de Sade vem

    fazendo o levantamento para identificar o nmero exato de pessoas que atualmente fazem o uso de inaladores com gran-de frequncia, mas segundo Nardeli, a estimativa que cerca de 80 pacientes estejam nesta situao.

    Como no se trata de equi-pamento de alto custo, que tem preo mdio de R$ 120, o idealizador da campanha espera conseguir um bom nmero de doaes. Em 2003, empresrios doaram at 10 equipamentos. Claro, que vamos aceitar qual-quer colaborao, mas acredito que vamos conseguir um bom nmero de inaladores e assim promover este conforto para essas pessoas, que necessitam do atendimento, disse Nardeli.

    Nardeli lanacampanha por inaladores

    Cmara entrega Diploma de Mrito

    FORA | Vereadores aprovaram com unnimidade a proposta de excluir os bancos do parcelamento de dvidas com a prefeitura

    PARABNS | As homenagens a Pitoli e ao time de vlei foram realizadas na sesso de segunda-feira, dia 17. As outras homen-gens ocorreram na noite de quinta-feira

    A semana foi de homenagens na Cmara de Lenis Paulista. Por indicao do vereador Nar-deli da Silva (PROS), foram entregues na quinta-feira, dia 20, Ttulos de Cidadania para diver-sos profissionais e empresrios.

    Receberam os mdicos Da-niel Ramos Parente, Joo Carlos Lavieri Orsetti, Nivaldo Ribeiro e o presidente do Legislativo Humberto Jos Pita. Tambm receberam ttulos Amarildo da Silva Reis, Nilson Aparecido Minatel, Paulo Roberto da Silveira, Valdionor Souza Sil-va, Wanderlei Pires Cardoso e Wilson Parella, e com Moes de Congratulaes, o locutor Cristiano Castelhano e o mas-sagista Carmo Vicente de Paula.

    Familiares e amigos dos homenageados acompanharam a cerimnia. A prefeita Izabel Lorenzetti participou, assim como os vereadores Andr Paccola Sasso e Emerson Carrit Coneglian (ambos do PSDB).

    No incio da semana, du-rante a sesso legislativa, fo-ram feitas duas homenagens,

    com entrega do Diploma do Mrito Esportivo Lenoense.

    O primeiro a receber foi o professor de Kung Fu, membro da Associao Garra de Tigre de Kung Fu Hun Gar Adriano Pitoli. A indicao foi do ve-reador Gumercindo Ticianelli Jnior (DEM),.

    A outra homenagem foi para a equipe masculina de vlei adaptado que se sagrou campe dos Jogos Estaduais do Idoso, em Santos, no ano passado. A iniciativa foi dos vereadores Cagarete e mer-son Carrit Coneglian, ambos do PSDB, mas uma Moo de Congratulaes foi enviada equipe tcnica assinada por Cagarete e pelo presidente do Legislativo Dr.Pita (PR).

    Familiares e amigos tambm prestigiaram as homenagens. A diretora de Promoo Social Eli-zabeth Athanzio, a coordenado-ra Maria Helena Dalben Paulino acompanharam a cerimnia.

    Os dois eventos da semana foram conduzidos pelo diretor da Cmara Gensio Simes.

  • OPINIO4 LENIS PAULISTA, DE 22 A 28 DE MARO DE 2014

    FALE CONOSCO

    CNPJ: 14.647.331./0001-22 IE: 416.050.229.111

    Jornalista Responsvel: Tnia Morbi - Mtb: 52.193Redao e administrao Lenis Paulista

    Av. Jos Antonio Lorenzetti, 537Telefone (14) [email protected]

    CONTATO COMERCIAL: (14) [email protected]

    Sugesto de Pautas: (14) 3263-1740

    Registrado no Cartrio de Registros de Pessoas Jurdicasde Lenis Paulista sob nmero 008 - Folha 15 - Livro B1

    TODOS OS ARTIGOS SO DE RESPONSABILIDADEDE SEUS AUTORES

    Tiragem: 3.000 exemplaresCaderno DeCasaEmCasa: 20.000 exemplaresLenis Paulista - Borebi - Agudos - Macatuba

    EDITORIAL

    Nossa dvida ser paga pelagua

    Sabado online: issuu.com/billymao/docs/

    Reflexo

    MANUELA D VILA

    Uma reflexo

    BILLY MAO

    Temos muito o que comemorar no Dia da gua

    Escrever sobre gua para uma pessoa como eu, que v o desenvolvimento da sociedade sendo possvel apenas atravs do uso consciente dos recursos naturais e, principalmente, sobre o uso correto desses recursos e da gua, no nada fcil.

    A ltima lembrana que tenho de algo inusitado com gua de muito tempo. No me recordo o nome da senhora que morava no bairro Marim-bondo, mas me lembro de t-la visto uma nica vez, carregando uma lata dgua na cabea. Quem mora no bairro h bastante tempo, deve lembrar--se. Sei que ela ia at a Biquinha, enchia sua lata, colocava na cabea e ia para a casa. Meu pai me contou depois desse ocorrido, que era comum as mulheres carregarem as lata na cabea. Naquele tempo, j havia gua encanada. Penso que seja pelo hbito que ela fazia isso ou no porque no queria utilizar gua tratada.

    A escassez desse recurso to rico est levando o governo estadual paulista a tentar at a transposio de rios para sanar o problema que dia a dia vai cres-cendo e colocando o cidado da capital paulista em risco. Basicamente, o que o governador quer fazer mais ou menos como se pegssemos as guas que correm para os municpios de Borebi e Lenis Paulista e transpusssemos para que corressem em direo a Bauru, atravs do Rio Batalha.

    Os rios Lenis e Batalha nascem em Agudos e cada um corre para um lado da serrinha de Agudos,

    ou da Jacutinga. Mas este assunto para o estu-dioso Sidney Aguiar que fez um trabalho sem nenhum tipo de apoio pblico de georreferen-ciamento do Rio Lenis onde so apontadas de forma clara estas questes geogrficas.

    Voltando mulher da lata, o que possvel perceber quanto ao meio ambiente e a gua em Lenis Paulista que empresas com porte e conscincia ambiental, alm das prprias respon-sabilidades, conseguem diminuir o impacto de suas produes trabalhando o ativo ambiental de forma ampla. Recentemente, a Ong WWF plantou em parceria com empresas lenoenses, mais de 10 mil hectares de mudas nativas em vrias reas dentro do municpio, na Bacia Hidrogrfica do Rio Lenis. Outra empresa mantm seus canteiros de reflorestamento. E as que trabalham diretamente com a terra, tratam do assunto degradao com muito mais ateno e responsabilidade.

    E os prestadores de servios? E as pequenas e mdias empresas? Esto agindo da mesma forma? Essas perguntas so pontuais. No ano passado o jornal Sabado do Povo publicou matria que apontava uma enorme quantia de espuma escorren-do pelas guas do Rio Lenis depois da descarga das lagoas de tratamento de esgotos construdas pelo SAAE. Na ocasio, o fundador da Ong Vi-dgua, Klaudio Cffani, de Bauru, apontou um fator que necessrio levar em conta: depois de

    O coronel Marcos Pontes d credibilidade ao nosso projeto de EXTREMA DIREITA. Ns (do novo partido, o Partido Militar Brasileiro: PMB) estamos EXTREMA DIREITA de tudo o que existe na poltica, disse o capito Augusto Rosa, capito da Polcia Militar e fundador do PMB, em publicao recente da Revista poca.

    Pensemos com seriedade: o extremismo dentro da poltica sempre se mostrou sangrento e injusto ao longo da Histria, a EXTREMA DIREITA do Nazismo alemo (em nome do seu nacionalismo) matou milhes de pessoas do povo; a EXTREMA ESQUERDA do Comunismo sovitico (em nome

    A Extrema Direita, a PM e o Marcos Pontes

    do seu igualitarismo) tambm matou milhes do seu povo.

    Ou seja, o extremismo, que algo prximo do fanatismo, sempre muito perigoso na pol-tica! Ainda mais se vier de pessoas j ligadas ao Exrcito ou Polcia, que exatamente o que acontece com esse novo partido poltico que os militares esto tentando montar no Brasil.

    Detalhe importante: eles dizem que querem defender uma EXTREMA DIREITA patriota no Brasil, mas posam para fotos com a bandeira dos EUA ao fundo (tal como est publicado na internet a foto de Marcos Pontes junto da bandeira

    do outro pas, os EUA)... Aiai... Enfim, neste ano que o Brasil lamenta os 50

    anos do Golpe Militar dado em 1964, temos que abrir os olhos para esse pessoal militar, que se diz patriota de EXTREMA DIREITA, e que agora quer voltar a entrar na poltica brasileira (em vez de combater o crime, que o que os policiais militares, por exemplo, devem continuar fazendo como prioridade, e no poltica).

    Wellington Anselmo Martins, professor, mes-trando em Filosofia, graduado em Filosofia, colunista poltico.

    wELLINgtON ANsELMO MArtINs

    pronto todo o sistema da ETE, foi ou esto sendo verificados possveis pontos de despejo de sapo-nceos, leo ou produtos altamente poluentes no rio? Particularmente, penso que sim, mas no foi noticiada nenhuma autuao por parte do SAAE em qualquer local, sobre este assunto.

    Quando foi apresentada aquela espuma sob as guas do rio, na Cmara, a sensao que senti foi a de que estava novamente sendo enganado. Que todo o dinheiro gasto em uma empreitada to alardamente anunciada, no passava de mais uma fraude. Sou cidado, tenho direito de pensar assim. Mas a afirmao era que o processo estava apenas no incio e aquela espuma era normal.

    No deve ser nada fcil para um gestor ter que trabalhar com possibilidades to fora de seu controle, como o caso de despejos irregulares e irresponsveis. O meio ambiente e a gua que nos mantm vivos, diariamente, no do trgua para ms gestes, eles esperam aes e nos devolvem aquilo que produzimos. No fosse uma ao pon-tual mostrada pelo Sabado a Rocinha hoje, deveria ser o mais novo lixo de Lenis Paulista. Dezenas e dezenas de caminhes de entulho e lixo foram jogadas naquela regio e tudo isso muito prximo do Rio Lenis, que abastece uma popu-lao inteira. Depois de tanto tempo parece que o despejo irresponsvel cessou. E os contaminantes deliberadamente despejados no rio, cessaram?

    O que no entendo so as pessoas que repro-duzem a violncia e escrevem na internet como se isso no significasse nada. Como vamos en-frentar a violncia no Brasil com essa postura? Como construir uma sociedade mais generosa, humana, respeitosa?

    Na madrugada de segunda, cheguei da de-legacia de polcia em casa, como outros tantos brasileiros chegam, aps serem vtimas da violncia urbana - cansada, perplexa, triste e contraditoriamente feliz por estarmos ali, vivos. Repassava em minha cabea detalhes do assalto - como a feliz coincidncia de meu enteado no estar no automvel - quando fui surpreendida por uma ligao de um jornalista. Nosso boletim de ocorrncia com todos os seus detalhes - como o fato de reconhecermos ou no os ladres - estava nas mos da imprensa e eles, os jornalistas, tele-fonaram na madrugada. Foi pela imprensa que minha me ficou sabendo. No tive nem sequer tempo de telefonar. Claro, entendo o trabalho dos jornalistas. Tenho dificuldade de entender o vazamento do boletim de ocorrncia.

    Um pouco depois, fui para a internet agra-decer as pessoas que, carinhosamente, estavam preocupadas e nos escreviam.

    Tive acesso a comentrios inacreditavelmente maldosos relacionados ao que nos aconteceu. Motivados por dois jornalistas, diziam que, por ser comunista, merecia ser assaltada, pois estava distribuindo renda. Fazendo deboche com o assalto e com a minha ideologia, como se o fato de eu defender distribuio de renda mais justa justificasse a violncia que sofri. Um dos jornalistas chegou a chamar de gesto de solidariedade o assalto. Algo to maniquesta como dizer que algum que no de esquerda

    defende a misria ou como defender que algum de direita seja torturado para ver como a ditadura militar doeu nos comunistas. Um desrespeito com a situao que vivi, tpico de quem totalitrio, no me respeitando enquanto indivduo porque penso diferente.

    Li tambm que o que passamos havia sido pou-co. Que deveria ter sido violentada por defender direitos humanos. No imagino por que minha luta em defesa da livre orientao sexual, direitos das mulheres, condies carcerrias dignas, me faa merecedora de ser morta em um assalto mo armada. Mais um gesto tpico dos que no respeitam quem pensa diferente.

    Mais ainda: outros tantos diziam que os ladres estavam certos em roubar de mim por ser depu-tada, pois polticos so todos ladres e apenas estavam pegando de volta o dinheiro roubado do povo. Como nunca roubei um centavo, no tenho centavo algum para devolver. O salrio que recebo como parlamentar, h dez anos, devolvo com atuao sria e comprometida. Muitos podem no concordar com minhas ideias, mas ningum pode questionar com solidez a minha seriedade e honestidade. E mais, os corruptos devem ser tirados da poltica de forma democrtica com julgamento pelos espaos adequados e no sendo vtimas de violncia ou bandidagem.

    Claro que entendo a indignao da populao com os polticos! essa indignao que me mo-tiva h 15 anos, e me faz lutar para mudar a po-ltica e, sobretudo, a forma como so financiadas as campanhas. Entendo as pessoas que pensam diferente de mim. E as respeito. Mas, para mim, o protesto contra a m poltica deve ser feito, em outubro, nas urnas. Contra as ideias que no concordamos tambm. Assim a democracia.

    Que ela viva!O que no entendo so as pessoas que repro-

    duzem a violncia e escrevem na internet como se isso no significasse nada. Como vamos en-frentar a violncia no Brasil com essa postura? Como construir uma sociedade mais generosa, humana, respeitosa?

    Alguns podem se perguntar: E sobre os la-dres, ela no vai falar? Sobre esses, falei com a polcia. Quero que todos paguem pelos erros que cometem, quem me assaltou inclusive. Contra a criminalidade, a violncia, o trfico de drogas, que transformam nossas cidades em palco de guerra, luto h quinze anos de minha vida. H dez anos com mandatos. Apresentei leis, apro-vei algumas. Disputei, por exemplo, duas vezes a prefeitura por entender que poderia mudar muitas questes na cidade. Perdi. Respeitei os vencedores.

    Inspirada num pensamento de Nietzsche, Quem combate monstruosidades deve cuidar para que no se torne um monstro. E se voc olhar longamente para um abismo, o abismo tambm olha para dentro de voc, quando fui para Braslia transformei uma frase em mantra - no vou me transformar naquilo que combato.

    Luto por uma cultura de paz, que respeite as diferenas e construa relaes mais solidrias e generosas entre as pessoas. Que o abismo no olhe tanto para dentro de ns e que possam refle-tir sobre a violncia que cometeram contra mim e minhas pessoas queridas em cada comentrio desses. Lutar para mudar o Brasil, com amor no corao, vale mais a pena.

    Manuela Dvila deputada federal pelo PCdoB/RS (publicado em brasil247.com)

    SO BENTO

    A responsabilidade dos governantes em pro-mover a conscientizao de suas populaes sobre a importncia do correto uso da gua, pode estar ficando tardia, j que a natureza parece j ter comeado a cobrar a conta do desperdcio e mau uso de seu bem mais va-lioso, ocorridos durante tanto tempo.

    O Vero de 2014, que terminou dois dias an-tes do Dia Mundial da gua, comemorado hoje, em alguns pontos do pas foi o mais quente e seco dos ltimos 30 anos. Mesmo para quem est longe de estudos e levanta-mentos climticos, essa informao no pas-sa despercebida, j que se afirmou nos lti-mos meses, em forma de muito calor na pele, aumento no nmero de doenas ligadas ex-posio ao sol e muita dificuldade em manter o abastecimento de gua para boa parte da populao.

    Em So Paulo, maior cidade do Brasil, a fal-ta dela tem causado muita dor de cabea ao PSDB de Geraldo Alckmin, e j gerou um clima nada amistoso com o governo do Rio de Janeiro, a quem os paulistas foram pedir gua, literalmente, no como bons vizinhos que enfrentam problemas pontuais, mas atravs do Governo Federal, tentando impor uma soluo que ainda pode gerar muitos outros problemas.

    Por outro lado, nunca houve registro de uma cheia to devastadora no outro extremo do pas. O Rio Madeira continua subindo na ci-dade de Porto Velho, estado de Rondnia, chegando a 19,38 metros nesta sexta-feira, dia 21, segundo aferio da Agncia Nacio-nal de guas (ANA). O recorde histrico havia sido registrado em 1997, quando subiu 17,52 metros acima do nvel normal.

    Segundo a Defesa Civil de Rondnia, mais de 3.100 famlias foram afetadas no Estado, principalmente em Porto Velho e na regio metropolitana, com 1.752 famlias desaloja-das e 873 desabrigadas. A previso que at o fim do ms o rio chegue a 19,45 metros e depois se estabilize, segundo a coordenao de comunicao da Defesa Civil estadual.

    Isso significa, no mesmo pas, em um extre-mo, milhares de pessoas sofrendo, longe de suas moradias, sem saber quando voltaro para seus lares devido s inundaes, e de outro, uma populao inteira apreensiva, co-ando a sentir fortemente os reflexos da falta de gua. Isso, no Estado mais rico do pas.

    Tudo porque a natureza respondeu a tudo o que tem sofrido. Se a conta das interfern-cias ocorridas em funo da construo de usi-nas hidreltricas, isso dever ser apurado, se o aquecimento global, todo podem colaborar e cobrar para que as decises que afetam a muitos tenham o maior grau de responsabili-dade possvel com o meio ambiente.

    O certo que a agua no escolhe onde quer e no quer ir. a ao do homem que decide o seu destino. O certo que algo de muito diferente tem ocorrido, com maior intensida-de, principalmente ns ltimos anos, e vem amedrontando a todos. No Brasil, por sua extenso geogrfica, os reflexos do mal que causamos natureza ficam ainda mais fortes vero seco e quente de um lado e chuva em demasia de outro.

    Com o incio da temporada de outono e in-verno poderemos ter mais uma vez a mostra do que esta por vir. Mas, as pessoas devem natureza muito mais do que lembrar-se de economizar gua neste dia pode pagar. A d-vida bem maior e, com certeza, ser cobra-da de todos.

    A Cruz Sagrada seja a mi-nha Luz. No seja o drago o meu guia. Retira-te satans. Nunca me aconselhes coisas vs. mau o que tu me ofe-reces. Bebe tu mesmo o teu

    veneno.

  • GERAL 5LENIS PAULISTA, DE 22 A 28 DE MARO DE 2014

    der Azevedo/JC Bauru

    Tni

    a M

    orbi

    A reportagem do jornal Sabado do Povo teve acesso ao relatrio final elaborado pelo SIPAER (Sistema de Investigao e Preveno de Acidentes Aeronuticos), do CENIPA (Centro de Investiga-o e Preveno de Acidentes Aeronuticos), de So Paulo, sobre o acidente envolvendo um helicptero que caiu no Lago da Prata, durante voo sobre o recinto Jos Oliveira Prado, durante a realizao da Facilpa, em maio de 2012. No acidente, trs pessoas ficaram feridas com gravidade. De acordo com a investigao, como no foi realizado um estudo preliminar da rea em que foi realizado o voo, e como o piloto no havia voado anteriormente naquela regio, a falta de planejamento con-tribuiu para a coliso contra a rede eltrica.

    Segundo o relatrio, o pi-loto Paulo Jos Okumura, de 35 anos, estava qualificado para o voo e possua bastante experincia, alm de estar com licena e demais documentos exigidos em ordem. Porm, a aeronave registrada na ca-tegoria Transporte Pblico Privado no era autorizada a realizar o tipo de voo que fazia na ocasio do acidente. As ca-dernetas de motor e clula e o dirio de bordo, ainda segun-do o relatrio, estavam com as escrituraes desatualizadas. Os documentos indicam, por exemplo, quando foi a ltima reviso da aeronave. Porm, o relatrio tambm concluiu que no houve falha no motor que pudesse contribuir com a queda.

    Uma das recomendaes do relatrio a intensificao da fiscalizao em eventos de

    grande porte, como a Facil-pa, para coibir operaes de aeronaves que infrinjam os regulamentos aeronuticos e coloquem em risco a vida das pessoas.

    A oferta de voo panormi-co, como foi feita, segundo a investigao, tambm infrin-giu normas de segurana, que probem voos sobre cidades, povoados, lugares habitados ou sobre grupos de pessoas ao ar livre, em altura inferior a 300 metros, acima do mais alto obstculo num raio de 600 metros em torno da aeronave.

    No acidente, aps a deco-lagem, a aeronave - que fazia voos panormicos durante o dia e era usada noite pelo locutor de rodeio da feira para entrar na arena - colidiu com fios de alta tenso e em seguida chocou-se contra o lago. O piloto fraturou o

    tornozelo direito, os passa-geiros Moacir Damasceno Lopes Filho e Erisvaldo Serafim Avelino tiveram fe-rimentos graves e permane-ceram internados na UTI do hospital de Base, de Bauru. O terceiro passageiro, Rodri-go Evangelista dos Santos, teve escoriaes pelo corpo.

    O helicptero se quebrou em trs pedaos, aps o cho-que com a gua do lago. A cabine foi a parte que sofreu mais danos. Suas partes fo-ram retiradas da gua no dia seguinte, por mquinas da prefeitura de Lenis Paulista.

    O objetivo da investigao, segundo o relatrio, reco-mendar o estudo e estabele-cer providncias de carter preventivo, no sendo assim recomendado para a apurao de responsabilidades civil ou criminal.

    Helicptero caiu na Facilpa por falta de planejamento Laudo do SIPAER aponta falha no planejamento de voo realizado sobre o recinto; helicptero no era habilitado

    Termina amanh, a 19 Semana do Teatro, realiza-da pela diretoria de Cultura de Lenis Paulista. Hoje, ainda possvel assistir ao espetculo Memrias de SantAnna, que ser apre-sentado na Casa da Cultura, a partir das 22h.

    Nele a Cia Cultural Ve-lhus Novatus, de So Jos dos Campos, apresenta a pea composta por cinco elementos: o Rio, a Reli-giosidade, a Festividade, a Fbrica e o Oficio, que norteiam a trama e revelam o tradicional bairro de San-tana. O espetculo aborda aspectos do bairro, apresen-tando canes e histrias de moradores locais que pautam a memria do lugar. A comdia dramtica tem durao de 70 minutos e direo de Wangy Alves.

    Encerrando a semana, neste domingo, dia 24, s 20h, tem o espetculo Muda

    Semana de Teatro termina amanhpor Amor, no Espao Cul-tural Cidade do Livro, com a Cia DVergente de Teatro, de Piracicaba.

    Baseado na commdia dell`arte, o espetculo Muda por Amor conta a histria de Lucinda, que

    apaixonada pelo Capito Rubiconde proibida do namoro pelo seu pai, o ava-rento Pantaleo. Lucinda se finge de muda com o intuito de sensibilizar seu pai e seu futuro namora-do, o Capito Rubiconde.

    Tabarin e Fritelin, dois servos pobres e famintos, ao ouvir de Pantaleo sobre a entrega de um pastelo a um determinado mensa-geiro tramam uma farsa e armam a maior confuso. A indicao livre.

    Integrantes e diretores da Associao dos Aposenta-dos, Pensionistas e Idosos de Lenis Paulista e Regio se reuniram na quarta-feira, dia 19, na sede administrativa da Cmara Municipal para discutir o fortalecimento da entidade, enquanto represen-tativa da classe.

    Foi debatida, entre ou-tros assuntos, a reformulao do Estatuto, como forma de dinamizar a entidade, pro-movendo sua credibilidade junto comunidade e seus representantes e assim pos-sibilitando o aumento de seu quadro de associados. Que-remos aumentar o nmero de associados para poder fazer mais por eles, disse Marcos Venditti, da diretoria da Asso-ciao (foto).

    O presidente do Legislativo

    Associao buscarepresentar idoso e aposentados

    CAIU | Aeronave afundou, aps queda no lago

    COMDIA | Pea que encerra evento ser apresentada neste domingo

    PREFEITURA MUNICIPAL DE BOREBIPublicao de extratos de contratos, conforme artigo 61, parg. nico da Lei Federal n 8.666/93 e artigo 2,

    inc. XX da Instruo - TCU n 028/99.

    Os familiares do pequeno Joo Gabriel, de um ano, se revoltaram esta semana com o atendimento que o beb teria recebido no Pronto Socorro Municipal, de Len-is Paulista. O menino foi internado em estado grave,

    Famlia acusa PS de mau atendimento a beb de um anona quinta-feira, dia 20, no hospital de Macatuba e trans-ferido no mesmo dia para o Hospital Estadual de Bauru, segundo os familiares, com gua nos pulmes e pneumo-nia, depois de ser atendido trs vezes no Pronto Socorro

    Municipal.Na noite de quinta-feira,

    por telefone, de Bauru, a av Maria de Lurdes Faioli conversou com a reportagem do jornal Sabado do Povo. Segundo ela, o neto passou a ter febre muito alta, dificul-

    dade para respirar e manchas pelo corpo a partir do ltimo domingo, dia 16.

    A famlia ento procurou o Pronto Socorro, porque no PSF da Vila Cruzeiro onde reside, no mantm pediatra para atendimento. A av

    contou que levaram o beb ao P.S. trs vezes, em todas elas foi atendido, chegou a ser submetido a exame de Raios-X, no domingo, mas o diagnstico foi de que no havia infeco e a prescrio, de acordo com a av, foi de remdios para controlar a febre e antibitico.

    Na terceira vez, madru-gada de quinta-feira, ele foi novamente liberado, depois de receber dipirona e soro. Mas, durante o dia, como sua respirao parecia mais difcil, a famlia procurou um pediatra no hospital de Macatuba, que fez o enca-minhamento de urgncia, em uma UTI neonatal, com diagnstico de que a criana tinha gua nos pulmes e uma grave pneumonia, con-tou a av. Joo Gabriel deu entrada no mesmo dia no Estadual e no incio da noi-te, de acordo com a av, foi submetido a uma puno da gua dos pulmes e passou a ser tratado da pneumonia. Se a gente tivesse dinheiro, tinha pagado por uma con-sulta antes. Foi um descaso o que fizeram. Ele foi muito mal tratado, faltou compe-tncia dos mdicos do Pron-to Socorro, afirmou Maria de Lurdes por telefone.

    Todos os atendimentos

    foram feitos pelo Pronto Socorro e o menino no foi encaminhado para tratamen-to no hospital Nossa Senhora da Piedade.

    A famlia no descarta processar os mdicos ou o Pronto Socorro pelo atendi-mento dado criana.

    Pronto SocorroA diretoria de Sade,

    atravs de sua assessoria, confirmou na sexta-feira, dia 21, que o menino Joo Gabriel foi atendido em trs ocasies no Pronto Socorro no perodo entre os dias 12 e 19 de maro. No dia 12 foi atendido pelo pediatra, no dia 16 passou por clni-co geral, que fez o pedido pelo Raio X, mas o exame estava, segundo a assesso-ria, limpo. Novamente foi atendido no dia 19 por pediatra. Nos trs atendi-mentos, no havia sintomas, nem sinais apontados pelos exames ambulatoriais e la-boratorais, que apontassem a necessidade de interna-o. Entretanto, a famlia foi orientada a voltar caso existisse piora do quadro, uma vez que comum a evoluo rpida de doenas respiratrias em crianas, disse a nota encaminhada pela diretoria.

    disps a assessoria jurdica da Casa para orientar a diretoria sobre formas legais de atingir seus objetivos.

    Divulgao

  • GERAL6LENIS PAULISTA, DE 22 A 28 DE MARO DE 2014

    Lenis ter representante na 4 Conferncia Estadual da Sade do TrabalhadorEvento visa retorno positivo para empregado e patres, economia de custos e promoo da Sade, diz Paulo Campanholi

    Da redaoOs lenoenses Joo Hen-

    rique Germino e Paulo Hen-rique Campanholi, ambos servidores pblicos muni-cipais de Lenis Paulista e interlocutores do CEREST (Centro de Referncia em Sade do Trabalhador da Regional Bauru) participa-ram da 4 Conferncia Ma-crorregional de Sade do Trabalhador e da Trabalha-dora, que foi realizada em Presidente Prudente, nos dias 10,11 e 12 deste ms, quando foram escolhidos os 12 delegados que repre-sentaro a macrorregio na Conferncia Estadual, entre eles, Joo Germino, que com outros dois delegados

    iro representar a regio do Cerest de Bauru, que abran-ge 38 municpios.

    Esta a primeira vez que um servidor pblico lenoense ir representar os municpios da regio do Cerest de Bauru.

    Participaram autorida-des, trabalhadores, usurios do SUS e profissionais envolvidos com a sade pblica da cidade-sede, dos municpios vizinhos e das regies de Bauru, Botucatu, Avar e Marlia. Nesta con-ferncia foram discutidas e criadas as 12 propostas que sero levadas Conferncia Estadual, uma delas de au-toria de Paulo Campanholi.

    A grande importncia

    de trabalharmos em nveis regionais para que pos-samos discutir as questes relacionadas aos nossos problemas locais de sade e, a partir da, elaborar-mos propostas que sero levadas a nveis estadual e nacional, declara Joo Germino. O servidor len-oense acredita que se os profissionais forem vistos de forma global e assisti-dos por setores unidos sade, como assistncia social, previdncia social, educao e esporte tero condies de se prevenir de problemas futuros.

    Segundo Paulo Campa-nholi, mesmo o SUS sendo uma poltica to grande de

    incluso social, nem sempre h reconhecimento do usu-rio do sistema pblico de sade como trabalhador. Justamente por isso, destaca que o grande evento que dis-cute a sade do trabalhador importante, pois provoca sensibilizao e visa trazer re-torno positivo para o prprio empregado, para os patres e para todo o sistema, com eco-nomia de custos, promoo e preveno em sade.

    A 4 Conferncia Esta-dual de Sade do Trabalha-dor e da Trabalhadora ser realizada nos dia 8 a 10 de maio, em So Paulo. A 4 Conferncia Nacional est agendada para 10 a 13 de novembro, em Braslia.

    O Grupo de Apoio aos Portadores de Sndrome de Down, de Lenis Paulista, realiza amanh, a partir das 8h, sua caminhada anual para marcar o Dia Inter-nacional da Sndrome de Down, lembrado em 21

    de maro. A sada ser de frente ao nmero 65 da Rua Manoel Amncio.

    Criado h dois anos, o GAPSDownLP luta pela in-cluso social e desenvolvi-mento de crianas carentes com Sndrome de Down. A

    ideia partiu da mdica Irene Alcdia da Costa Andrade, que percebeu a dificulda-de que muitas crianas, a maior parte delas caren-tes, tinham para acessar atividades consideradas fundamentais para o desen-

    volvimento e incluso.O grupo funciona como

    uma ponte, identificando crianas que precisam de auxlio e direcionando--as para atividades como natao, equoterapia, fisio-terapia e fonoaudiologia.

    Atualmente, so atendidas cerca de 20 pessoas. O grupo formado por vo-luntrios de todas as reas: dentistas, mdicos, psiclo-gos, professores de dana, terapeutas ocupacionais, entre outros profissionais.

    A principal ao do GAPSDownLp a cami-nhada anual. Quem quiser conhecer um pouco mais do trabalho do GAPSDownLp pode acessar a pgina do Facebook https://m.face-book.com/GAPSDownLp.

    GapsDownLP realiza caminhada neste domingo

    AGUDOS

    A prefeitura de Bore-bi tem enfatizado junto a proprietrios rurais a im-portncia da entrega, at o dia 31 de maro, da Di-pam (Declarao para o ndice de Participao dos Municpios), atitude que contribui para incrementar a arrecadao de impostos, principalmente o ICMS (Imposto Sobre Circulao de Mercadorias e Servios), revertidos em benefcios para sua populao. Alm disso, a administrao p-blica de Borebi tambm est empenhada em identificar, entre as grande empresas da regio, dados da Dipam

    Borebi espera incrementar arrecadao com Dipam de grandes empresas

    que podem contribuir com o aumento da arrecadao do municpio, onde est concentrada grande parte de sua produo.

    Segundo os setores Fi-nanceiro e Jurdico da pre-feitura, todo produtor rural deve entregar a declarao, quando houver venda refe-rente sua atividade para outro produtor rural, para pessoas fsicas,no Estado de So Paulo ou para outros estados e rgos pblicos.

    J nos casos em que a ven-da de um produtor rural fei-ta para uma pessoa jurdica, as empresasdevem informar esta ao pela GIA (Guia de

    Informao e Apurao do ICMS). Essas informaes no acarretam aumento da tributao ao declarante, mas so importantes para o municpio, pois o valor informado na DIPAM-A ou na DIPAM-B, includo no valor adicionado, principal fator que o Estado utiliza para compor o ndice e fazer o rateio da receita do ICMS entre os municpios.

    Entre as cinco grandes empresas que tm reas produtivas em Borebi, a prefeitura estima que as informaes da declarao estejam, possivelmente, in-crementando a arrecadao

    de ICMS de cidades da re-gio, mas tambm de outras mais distantes, como Mogi das Cruzes, sede de uma das empresas que mantm sua produo agrcola no muni-cpio de Borebi.

    O que pretendemos que as informaes enviadas sejam as mais corretas pos-sveis, refletindo a riqueza efetivamente produzida no municpio, pois assim a arrecadao de imposto do nosso municpio ter um forte impacto, o que rever-ter em obras e aes que melhoram a vida da popu-lao, explicou o prefeito Manoel Frias Filho.

    Na ltima tera-feira, dia 18, o prefeito de Agudos, Everton Octaviani (PMDB) assinou o protocolo de inten-es para a construo de 160 casas populares em Agudos. A assinatura foi acompanhada por Milton Dalari, presidente da CDHU (Companhia de De-senvolvimento Habitacional e Urbano), rgo responsvel pelas obras.

    O prefeito Everton destaca que este um momento muito importante para a cidade. A assinatura deste protocolo de intenes o resultado de um trabalho que comeou h muito tempo e que agora vai deixar de ser somente um projeto. Fico muito grato por participar de um processo, que um pouco demorado por causa de toda a burocracia que envolve o servio pblico no pas, mas que em breve vai

    Segundo a prefeitura de Agudos, at setembro deste ano a populao da cidade contar com um novo ter-minal rodovirio. O pr-dio est sendo construdo na Vila Santa Ceclia, ao lado da Legio Mirim, em uma rea de 1.300 metros quadrados. Servios de alvenaria, hidrulica, tubu-laes eltricas e estrutura metlica esto em estgio avanado na obra.

    A nova estrutura est em construo e o projeto pre-v modernas instalaes, incluindo, principalmente, sanitrios exclusivos para deficientes fsicos. O ter-minal ter, ainda, quatro boxes para bilheteria e ou-tros quatro para lojas, alm de estacionamento para veculos, rea para taxistas, embarque e desembarque em nibus, entre outras

    Mais uma vez, a Secretaria de Cultura de Agudos, com apoio da Prefeitura Municipal e parceria do Circuito Cultural Paulista traz para a cidade uma pea teatral gratuita. Meu chapu o cu ser apresentada dia 5 de abril, na Praa Tiradentes, a partir das 17h. A classificao livre e toda a populao agudense est convidada a participar do evento.

    No espetculo, duas lava-deiras desajeitadas se entre-poder transformar a realidade

    de 160 famlias agudenses, afirmou ele.

    Junto do prefeito, durante a assinatura dos documentos, tambm estavam presentes os vereadores Farid Ayub, Ant-nio Carlos Paschoal Jnior, Eliseu Tenrio Cavalcante, Patrick Rafael Ribeiro Tei-xeira, Paulo Vinicius Wolber e Reginaldo Cirilo. (Assessoria de Imprensa)

    acomodaes. A obra est orada em

    R$ 1,2 milho, valor libe-rado por meio de convnio entre o governo do Estado de So Paulo, o Depar-tamento de Estradas de Rodagem (DER) e a Pre-feitura de Agudos. Alm de moderno, o novo prdio ter condies de abrigar mais nibus e oferecer mais conforto aos usurios. Em relao localizao, o acesso ao terminal ficar mais fcil, principalmen-te por ficar em uma das entradas da cidade, mais precisamente na Avenida Richard Freudemberg com a Rua Capito Francisco Avato, ressalta o prefeito Everton Octaviani.

    A rodoviria de Agudos funciona hoje na Rua 13 de Maio, no Centro da cidade (Assessoria de imprensa).

    gam s brincadeiras de lavar, vestir e passar as roupas que compem o cenrio de acro-bacias ao ar livre. A histria leva para as ruas uma narra-tiva alegre e feminina, com uma mistura de linguagens que permeiam o universo das acrobacias e do circo-teatro. A presena de um ser encan-tado, que em meio s mgicas e bagunas interage com as lavadeiras, resolvendo e pro-movendo os conflitos, traz um universo de fantasias.

    Convidamos os pais para que levem os filhos para esse divertido espetculo. Nosso objetivo , cada vez mais, permitir o acesso cultura para toda a populao. E essa mais uma boa oportunidade para todos aproveitarem, ressalta Marisa Octaviani, responsvel pela Cultura em Agudos. (Assessoria de im-prensa)

    Everton assina documentos para construo de 160 casas da CDHU em Agudos

    Agudos dever ter novarodoviria em setembro

    Cultura de Agudos traz pea teatral Meu chapu o cu

    TRABALHO | O promotor do MP do Tra-balho Jos Ruiz Maturana, durante o evento

    BUSCA | Prefeito Manoel Frias, de Borebi

    Divulgao

  • GERAL 7

    HORSCOPO

    AR

    IES

    TO

    UR

    O

    GE

    ME

    OS

    CA

    NC

    R

    LE

    O

    VIR

    GE

    M

    LIB

    RA

    ESCO

    RPI

    O

    SARG

    ITR

    IO

    CAPR

    IC

    RNIO

    AQ

    U

    RIO

    PE

    IXE

    S

    No campo afetivo, no exija demais do par. O corao est vago? No fique esperando pelo homem ideal. A Lua ga-rante muito romantismo. No trabalho, agarre as oportuni-

    dades de fazer parcerias com pessoas que tenham objetivos semelhantes aos seus. In-terferncias de parentes e problemas pessoais podem gerar um clima de mal-estar.

    As chances de encontrar uma nova paixo aumentam muito. Se tiver algum, pode convidar seu par para celebrarem juntos a fora do amor. Descubra seus talentos e explore melhor as

    suas qualidades no trabalho. Uma pessoa ou um assunto de fora pode beneficiar a sua vida financeira. A Lua indica mudanas e boas notcias em famlia.

    Tem par? Vnus a tornar mais compreensiva e pronta para acertar as diferenas. Sozinha? A fase tima para conquistas. Canalize a sua energia fsica e mental para

    o servio e s ter a ganhar. Conquistas esto a caminho. Voc vai estar bem de grana. Seu dinamismo dar as cartas, mas convm evitar desentendimentos com quem convive.

    Suas habilidades na arte da seduo vai surpreender o par. Na paquera, forte atrao fsica. Uma nova proposta de emprego deve atender suas expectativas

    de mudana. Fique de olho nas oportu-nidades de lucrar. Supere os contratem-pos com jogo de cintura. Assuntos liga-dos a bens podem interferir na paz de seu lar.

    A Lua promete colocar um amor em sua vida. Apenas no o idealize demais. Se comprometida, aproveite a boa vibrao lunar para deixar o sexo mais quente.

    No trabalho, no economize criatividade e concentre-se nas tarefas que faz mel-hor. Suas habilidades sero valorizadas. Valorize a integrao familiar.

    Se est s, poder ser mais fcil achar algum no seu meio social ou no ambi-ente de trabalho. Como par, aposte na conversa em qualquer circunstncia. No

    servio, invista no seu poder de con-vencimento. Rena pessoas queridas para conversar. Ter muito para ensinar e aprender. Agradar a todos no fcil, mas saber como agir.

    A dois, ter vontade de le-var o relacionamento com um pouco mais de privacidade. Viagem pode promover um reencontro feliz. No trabalho, o que no vai faltar fora de

    vontade para brigar por seus interesses. Se canalizar suas energias, colher bons fru-tos. Em famlia, vai agradar todos com um jeito mais carinhoso. Se planeja mudar de casa, aguarde boas notcias.

    A dois, aproveite: mais do que nunca, ser fcil se soltar na transa. Est s? A fase tima para conquis-tas. H chance de iniciar uma atividade com a qual

    sempre desejou trabalhar. As finanas vo contar com a proteo da Lua em seu signo. Lucros vista. Algum tipo de aborrecimento pode interferir na har-monia familiar. Evite conflitos.

    Se estiver sozinha, a paixo deve chegar de repente. Porm, evite se envolver em uma aventura s por prazer. No romance, acerte os ponteiros. Trabalhar em um local tranquilo ser mais

    produtivo. Nas finanas, os astros recomen-dam cautela em dobro. Revelao de seg-redo podem trazer problemas ao ambiente familiar.

    Vai ser difcil algum es-capar de suas garras. Se estiver a fim, vai conquistar mesmo. No amor, evite a rotina. No trabalho, some foras com os outros. Ati-

    vidades em equipe, grupos e associaes recebero proteo extra. Em relao a dinheiro, abra os olhos. Bom astral para investir em sonhos de famlia. Curta os parentes.

    Rever um ex-amor pode mexer com seus sentidos e balanar sua vida afetiva. Na vida a dois, prazer na certa, s no deixe seu cime passar dos limites.

    No trabalho, seus planos daro resultados. Incremente seu oramento com atividades que possa fazer em casa. bem provvel

    Tome a iniciativa e mostre quele paquera que voc est a fim. Se j tem seu par, no vale a pena perder momentos de puro xtase por causa de bobagens, certo? Pegue firme em suas tarefas e batalhe

    por suas ambies. Ter que equilibrar sua agenda para conseguir dar ateno famlia. Suas vitrias traro orgulho a todos.

    Estranha Noite Michel Ramalho - estranhanoite.blogspot.comTIRINHAS

    LENIS PAULISTA, DE 22 A 28 DE MARO DE 2014

    FRALDINHA ASSADA COM MOLHO DE COGUMELO

    Receitaspara voc!Por Paulo Campanholi

    FONES: 14. 3263.7300 / 9.9643.4517 - e-mail: [email protected]

    INGREDIENTES

    -2kg de fraldinha-2 colheres (sopa) de alho-5 ramos de alecrim-5 ramos de tomilho-200ml de vinho branco-1 cebola-Sal e pimenta-do-reino a gosto

    MOLHO COGUMELO-2 colheres (sopa) de manteiga sem sal- colher (sopa) de cebola picadinha-4 colheres (sopa) de creme de leite-4 colheres (sopa) de caldo de carne ( tablete diludo)-30g de cogumelos-1 colher (sopa) de conhaqueSal quanto baste

    MODO DE PREPAROFraldinha Tempere a fraldinha com sal e pimenta-do-reino. Junte o alho picado e a cebola bem picadinha, desfolhe e coloque as ervas e cubra com papel alumnio. Deixe marinar por 4 horas.Asse em temperatura baixa (150C) por aproximadamente 2 horas ou at a carne estar bem macia. Resfrie e fatie em pedados de aproximadamente 150g (aprox. 2 dedos de espessura).Molho cogumelo Derreta a manteiga e doure a cebola. Junte os cogumelos e flambe com o conhaque. Em seguida, acrescente o creme de leite e o caldo de carne. Corrija o sal. Doure a fraldinha na chapa e sirva com o molho regado por cima. BOM APETITE!

    PREFEITURA MUNICIPAL DE BOREBI - SP

    A prefeitura de Borebi se orgulha em poder devolver, em breve, 100% do esgoto tratado ao Crrego das Antas, que desgua no Rio Lenis. Sero

    mais de R$ 3 milhes em investimento na construo da

    Estao de Tratamento de Esgotos para oferecer mais sade populao e respeito ao Meio Ambiente.

    Temos muito que comemorar!!!

    22 de maro, Dia Mundial da gua!22 de maro, Dia Mundial da gua!

  • LENIS PAULISTA, DE 22 A 28 DE MARO DE 2014SUA IMAGEM8

    O Legislativo de Lenis Paulista aprovou a Lei Orgnica do Municpio que, em seu Pargrafo II, do Artigo 158, Captulo II - Do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais determina:Ao Municpio, visando garantir nveis satisfatrios de qualidade ambiental, proteo e recuperao do Meio Ambiente e uso adequado dos recursosnaturais, compete: promover a educao ambiental e a conscientizao pblica para a preservao, conservao e recuperao do meio ambiente.

    E hoje atua para seguir esta premissa de trabalho! - gua Vida!! Temos que conserv-la

    22 de MaroDia Mundial da gua

    22 de MaroDia Mundial da gua

    CMARA MUNICIPAL DE LENIS PAULISTA

    _GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack