Sabadao 69

of 8/8
14 DE JUNHO DE 2014 - EDIÇÃO Nº 69 - ANO 2 - LENÇÓIS PAULISTA - CIRCULAÇÃO REGIONAL Máxima: 28 Minina: 16C° Máxima: 27C° Minina: 17C° HOJE AMANHÃ Fonte: Climatempo Matriz Rua Anita Garibaldi, 650 Centro - Lençóis Paulista/SP (14) 3264-3340 3263-3985 Filial Av. Pe. Salútio R. Machado, 563 Centro - Ao lado do Fórum (14) 3264-8248 KOUBO - A FRUTA QUE EMAGRECE! Prefeitura gasta meio milhão mas não quer discutir Facilpa Força Tática detém dois por roubo em Lençóis Paulista Ovnis assustam moradores e instiga a curiosidade geral Fotos: Billy Mao NO SINAL - O caos no trânsito lençoense é um problema diário que se avoluma nos horários de pico. Foto feita durante a travessia do semáforo da 25 de Janeiro dá uma amostra do cenário. Apesar disso, muitos motoristas não respeitam a sinalização na cidade. Página 6 NA FRENTE - Na capital, Paulo Skaf deverá ser a opção do 2º turno com apoio do PT. Skaf na inauguração do Sesi local, ao lado do presidente Pita, com a famíla Trecenti ao fundo, que doou a área para a escola. Se Alckmin não se reeleger no 1º turno, manter-se no governo será difícil. Política: Página 3 NA FUMAÇA - Bombeiros apagam incêndio em um caminhão que estava estacionado em uma rua do Jardim América. Logo depois do primeiro jogo da Copa, vizinhos perceberam a fumaça e chamaram a Brigada Militar. Ninguém se machucou, mas o veículo ficou com a cabine destruída. Página 4 NA ESTRADA, garotos brincam com pipa na margem da SP 300. Agora é temporada de pipas e período de férias escolares; com a falta de opções, crianças se expõem aos riscos, buscando alternativas para diversão Página 6 NO NÚCLEO, garotos jogam bola, uma das poucas opções de diversão nas férias. Praça recebeu manutenção e areia no campo a pouco tempo. Outros pontos da cidade, como o Parque Paradão, recebem manutenção regularmente Página 6 Borebi terá mais 200 casas populares até 2015 O Koubo é uma opção natural para quem busca emagrecer de forma rápida, segura e saúdavel. Qualidade e eficiência comprovados pela Anvisa BRINCADEIRA NO CÉU Em breve, a cidade de Borebi deve se transfor- mar em um canteiro de obras, com a expectativa de que 200 moradias po- pulares sejam construí- das, em parceria entre a Prefeitura Municipal e os governos Estadual e Federal, além da Estação de Tratamento de Esgoto, cujas obras devem ter início nos próximos dias. Na última quarta-feira, dia 11, o prefeito Manoel Frias Filho (PR) acertou os últimos detalhes antes do início da construção de 50 casas que serão insta- ladas em uma área cedida pela empresa Angicu´s. As moradias serão cons- truídas com recursos do Ministério da Pesca, atra- vés do Programa Nacio- nal de Habitação Rural. O PNHR destina recur- sos do Orçamento Geral da União (OGU) para agricultor familiar ou trabalhador rural, para a aquisição de material de construção, construção, conclusão ou reforma e ampliação de moradias em área rural. Página 5 BRINCADEIRA NO CHÃO Nem a prefeita Izabel Lo- renzetti (PSDB), nem repre- sentantes da Associação Rural de Lençóis Paulista atenderam ao convite da Câmara e com- pareceram ao encontro mar- cado para a última segunda- -feira, 9, quando se pretendia debater possíveis mudanças no formato da Facilpa e no uso do recinto onde a feira é realizada. A prefeitura gastou em 2014, mais de 600 mil com a festa que é defendida como particular, só que utili- za área e estrutura municipal. Mudança do formato poderia beneficiar a todos, segundo a Câmara e, principalmente, o povo. Página 3 O assunto ovni esteve pre- sente em várias edições do jornal Sabadão do Povo que agora, volta ao tema depois que um lençoense relatou ter visto várias luzez estranhas cortanto o céu da cidade durante uma madrugada da semana passada. Por se tornar motivo de chacota e brincadeiras, muita gente não comenta sobre esses avista- mentos que vêm, dia a dia, se tornando mais comum. Também na semana pas- sada, um objeto aparentando ser um balão rasgou o céu lençoense. O objeto era avermelhado com tons azu- lados e depois mudou de cor. Página 7 Dois adolescentes foram detidos na madrugada de quarta-feira, dia 11, após praticarem assalto a um ho- tel localizado às margens da rodovia Marechal Rondon (SP-300). Eles se envolveram em acidente durante o roubo. Outros dois envolvidos con- seguiram fugir, mas um deles foi preso na tarde do mesmo dia. O grupo estava a pé e se- gundo informações da Polícia Militar, divulgadas durante a semana, após a tentativa frustradas eles renderam a atendente de um hotel e rou- baram de sua carteira cerca de R$ 300,00 e documentos pessoais. Página 4
  • date post

    13-Feb-2016
  • Category

    Documents

  • view

    220
  • download

    1

Embed Size (px)

description

Jornal semanal com distribuição gratuita.

Transcript of Sabadao 69

  • 14 DE JUNHO DE 2014 - EDIO N 69 - ANO 2 - LENIS PAULISTA - CIRCULAO REGIONAL Mxima: 28Minina: 16C

    Mxima: 27CMinina: 17C

    HOJE AMANH

    Fonte: Climatempo

    MatrizRua Anita Garibaldi, 650

    Centro - Lenis Paulista/SP(14) 3264-3340

    3263-3985

    FilialAv. Pe. Saltio R. Machado, 563

    Centro - Ao lado do Frum(14) 3264-8248

    KOUBO - A FRUTA QUE EMAGRECE!

    Prefeitura gasta meio milho mas no quer discutir Facilpa

    Fora Ttica detm dois por roubo em Lenis Paulista

    Ovnis assustam moradores e instiga a curiosidade geral

    Fotos: Billy Mao

    NO SINAL - O caos no trnsito lenoense um problema dirio que se avoluma nos horrios de pico. Foto feita durante a travessia do semforo da 25 de Janeiro d uma amostra do cenrio. Apesar disso, muitos motoristas no respeitam a sinalizao na cidade. Pgina 6

    NA FRENTE - Na capital, Paulo Skaf dever ser a opo do 2 turno com apoio do PT. Skaf na inaugurao do Sesi local, ao lado do presidente Pita, com a famla Trecenti ao fundo, que doou a rea para a escola. Se Alckmin no se reeleger no 1 turno, manter-se no governo ser difcil. Poltica: Pgina 3

    NA FUMAA - Bombeiros apagam incndio em um caminho que estava estacionado em uma rua do Jardim Amrica. Logo depois do primeiro jogo da Copa, vizinhos perceberam a fumaa e chamaram a Brigada Militar. Ningum se machucou, mas o veculo ficou com a cabine destruda. Pgina 4

    NA ESTRADA, garotos brincam com pipa na margem da SP 300. Agora temporada de pipas e perodo de frias escolares; com a falta de opes, crianas se expem aos riscos, buscando alternativas para diverso Pgina 6

    NO NCLEO, garotos jogam bola, uma das poucas opes de diverso nas frias. Praa recebeu manuteno e areia no campo a pouco tempo. Outros pontos da cidade, como o Parque Parado, recebem manuteno regularmente Pgina 6

    Borebi ter mais 200 casas populares at 2015

    O Koubo uma opo natural para quem busca emagrecer de forma rpida, segura e sadavel.Qualidade e eficincia comprovados pela Anvisa

    BRINCADEIRA NO CU

    Em breve, a cidade de Borebi deve se transfor-mar em um canteiro de obras, com a expectativa de que 200 moradias po-pulares sejam constru-

    das, em parceria entre a Prefeitura Municipal e os governos Estadual e Federal, alm da Estao de Tratamento de Esgoto, cujas obras devem ter

    incio nos prximos dias.Na ltima quarta-feira,

    dia 11, o prefeito Manoel Frias Filho (PR) acertou os ltimos detalhes antes do incio da construo de

    50 casas que sero insta-ladas em uma rea cedida pela empresa Angicus. As moradias sero cons-trudas com recursos do Ministrio da Pesca, atra-

    vs do Programa Nacio-nal de Habitao Rural. O PNHR destina recur-sos do Oramento Geral da Unio (OGU) para agricultor familiar ou

    trabalhador rural, para a aquisio de material de construo, construo, concluso ou reforma e ampliao de moradias em rea rural. Pgina 5

    BRINCADEIRA NO CHO

    Nem a prefeita Izabel Lo-renzetti (PSDB), nem repre-sentantes da Associao Rural de Lenis Paulista atenderam ao convite da Cmara e com-pareceram ao encontro mar-cado para a ltima segunda--feira, 9, quando se pretendia debater possveis mudanas no formato da Facilpa e no

    uso do recinto onde a feira realizada. A prefeitura gastou em 2014, mais de 600 mil com a festa que defendida como particular, s que utili-za rea e estrutura municipal. Mudana do formato poderia beneficiar a todos, segundo a Cmara e, principalmente, o povo. Pgina 3

    O assunto ovni esteve pre-sente em vrias edies do jornal Sabado do Povo que agora, volta ao tema depois que um lenoense relatou ter visto vrias luzez estranhas cortanto o cu da cidade durante uma madrugada da semana passada. Por se tornar motivo de chacota e brincadeiras, muita gente no

    comenta sobre esses avista-mentos que vm, dia a dia, se tornando mais comum.

    Tambm na semana pas-sada, um objeto aparentando ser um balo rasgou o cu lenoense. O objeto era avermelhado com tons azu-lados e depois mudou de cor. Pgina 7

    Dois adolescentes foram detidos na madrugada de quarta-feira, dia 11, aps praticarem assalto a um ho-tel localizado s margens da rodovia Marechal Rondon (SP-300). Eles se envolveram em acidente durante o roubo. Outros dois envolvidos con-seguiram fugir, mas um deles

    foi preso na tarde do mesmo dia. O grupo estava a p e se-gundo informaes da Polcia Militar, divulgadas durante a semana, aps a tentativa frustradas eles renderam a atendente de um hotel e rou-baram de sua carteira cerca de R$ 300,00 e documentos pessoais. Pgina 4

  • LENIS PAULISTA, 14 DE JUNHO DE 2014OPINIO2

    Quer fazer parte da Pgina de Opinio? Escreva um artigo sobre algum assunto que voc ache relevante expressar e envie para [email protected] at a quarta-feira da semana e poderemos publica-lo. Coloque nome, formao, endereo e RG.

    FALE CONOSCO

    CNPJ: 14.647.331./0001-22 IE: 416.050.229.111

    Jornalista Responsvel: Tnia Morbi - Mtb: 52.193Redao e administrao Lenis Paulista

    Av. Jos Antonio Lorenzetti, 537Telefone (14) [email protected]

    CONTATO COMERCIAL: (14) [email protected]

    Sugesto de Pautas: (14) 3263-1740

    Registrado no Cartrio de Registros de Pessoas Jurdicasde Lenis Paulista sob nmero 008 - Folha 15 - Livro B1

    TODOS OS ARTIGOS SO DE RESPONSABILIDADEDE SEUS AUTORES

    Tiragem: 3.000 exemplaresCaderno DeCasaEmCasa: 20.000 exemplaresLenis Paulista - Borebi - Agudos - Macatuba

    EDITORIALSim, faltam opes e interesse

    billy mao

    Artigo pequeno sobre o passado

    Carga pesada pr. antonio carlos cabral

    H uma ilustrao muito usada que se refere a um homem que caminhava por uma estrada poeirenta carregando uma pe-sada mala. Para sua surpresa, um caminho parou e mandou que ele subisse na bolia. Aps alguns quilmetros o motorista in-comodado, perguntou ao carona porque ele continuava segurando a pesada mala. Ao que ele respondeu: O senhor j est me dando carona. Seria abuso pedir que levasse tambm minha mala.

    Essa pode ser uma parbola que ilustre algumas aes em nossa vida com relao a Deus. Apesar de sabermos que Ele quem nos mantm vivos, achamos que podemos carregar sozinhos as cargas desta vida. Por conta disso, no compartilhamos com Ele as nossas culpas, carregando-as du-rante dias, semanas, meses e at por anos, sem conseguir imaginar que possvel encontrar alvio e descanso enquanto na trajetria da vida.

    Vinde a mim, todos os que estai can-sados e sobrecarregados e Eu lhes darei descanso. Tomem sobre vocs o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e

    humilde de corao e vocs encontraro descanso para as vossas almas. Pois o meu jugo suave e o meu fardo leve (Mat. 11.28-30).

    Nossas cargas vo se acumulando quan-do pensamos que se formos a Deus em busca de perdo muito rpido, podemos tornar o perdo barato e inconsequente. Ou no achar necessrio envolver Deus em assuntos particulares criados por nosso egosmo, falta de humildade ou vaidades pessoais. Ou at mesmo achar que no possvel conseguir o perdo de Deus. O nosso Pai celeste sempre estar disposto a

    ouvir o pedido de um corao arrependido que busque perdo e descanso.

    O brao do Senhor no est encolhi-do que no possa salvar, nem o seu ouvido to surdo que no possa ouvir ( Is. 59.1). Essa promessa contm um oceano profun-do de bnos e prazeres. O gozo dessas promessas faz com que tenhamos um cu nesta vida. Nada agrada mais a Deus do que ver suas promessas em circulao. Ele tem prazer em ver seus filhos trazendo suas cargas e depositando-as diante de seu trono e com isso fazendo-nos mais puros e dignos.

    Deus no ficar menos santo ao nos conceder santidade. No ficar menos puro ao limpar-nos de nossos pecados. Por isso podemos buscar a Deus em qualquer momento, certos de que na presena Dele receberemos misericrdia e encontrare-mos graa que nos ajude nos momentos de necessidade ( Heb. 4.16).Pr.

    Antnio Carlos Cabral Bacharel em Teologia pela Faculdade Teolgica Batista Grande ABC.

    ribamar fonseca

    Complexo de vira-lata

    Sabado online: issuu.com/billymao/docs/

    Reflexo

    Disseminado pelos meios de comunicao os tradicionais e os modernos o complexo de vira-lata acabou sendo incorporado por um considervel contingente de brasileiros, a includos alguns famosos que, teoricamente, deveriam ser mais esclarecidos. Com a cha-mada Grande Imprensa, coadjuvada pelas redes sociais na internet, dizendo todo dia que o governo no presta e o Brasil est mal, criou-se um clima de pessimismo no pas, de tal modo que, segundo pesquisa do Datafolha, 36% dos brasileiros acham que a situao vai piorar, quase metade da populao (48%) acredita que o desemprego vai aumentar e 64% cr no crescimento da inflao.

    Esses nmeros, no entanto, refletem apenas a situao criada justamente pela sistemtica campanha contra o governo, em que notcias negativas e outras forjadas so assimiladas sem contestao, como se efetivamente o Brasil estivesse no fundo do poo. As pessoas se dizem indignadas com o que todo dia est estampado nos jornais. Essa estratgia, destinada a desgastar e enfraquecer o governo dentro de um projeto poltico que tem como beneficirio o senador tucano Acio Neves, foi revelada h meses numa inconfidncia do senador lvaro Dias, do PSDB do Paran, que chegou a adiantar, inclusive, que os seus efeitos seriam sentidos aps um perodo de maturao. precisamente o que est acontecendo agora.

    As pesquisas so parte desse plano, que envolve um trabalho bem articulado na In-ternet, onde as postagens tendenciosas so compartilhadas por quem acredita alguns

    ingenuamente outros apaixonadamente que est prestando um bom servio ao pas. O pla-no funciona mais ou menos assim: a Grande Midia lana alguma coisa podre no ar e, em seguida, o instituto de pesquisa do esquema vai ver se o mau cheiro se espalhou. E as pessoas desavisadas obviamente manifestam a sua indignao com o fedor. Esse clima, no entanto, tende a mudar na medida em que o governo tiver condies de mostrar a realidade no horrio eleitoral gratuito na TV, porque hoje as noticias positivas so ignoradas, quan-do no distorcidas.

    O estrago, porm, j foi feito. Alvo de um bombardeio dirio de notcias negativas e tendenciosas, como naquela histria de que gua mole em pedra dura tanto bate at que fura, parte expressiva da populao passou a dar crdito a tudo o que dizem os veculos de comunicao de massa comprometidos com o projeto eleitoral tucano. At figuras famosas do cenrio nacional, como o escritor Paulo Coelho e o poeta Ferreira Gullar, e entidades como a CNBB se deixaram influenciar e engrossaram o coro de crticas ao governo, tendo a Copa de Futebol como pretexto. No o caso do apresentador Fausto e do joga-dor Ronaldo, porque ambos trabalham para a Globo e, portanto, esto agradando aos patres quando criticam o governo.

    O complexo de vira-lata, porm, se espalhou entre os brasileiros e hoje os complexados no criticam apenas o governo, mas esculhambam o prprio pas. A Copa foi o pretexto idiota criado pelo bem montado plano oposicionista

    para minar o governo e depreciar o Brasil, o que levou at empresas como a Ellus a se julgar no direito de agredir o nosso pas utilizando um desfile em que suas modelos usaram uma cami-seta com a frase Abaixo este Brasil atrasado. E enquanto maus brasileiros depreciam o seu prprio pas, imaginando-se politicamente corretos, alguns lderes estrangeiros, como o presidente venezuelano Nicols Maduro e o Prmio Nobel da Paz Jos Ramos Horta, o defendem, isso sim, uma vergonha para os que amam esta terra descoberta por Cabral.

    Contra o derrotismo e o pessimismo desses maus brasileiros, no entanto, que torcem para tudo dar errado mesmo com prejuzos para eles prprios, levantam-se algumas vozes como a da empresria Luiza Trajano, dona do Magazine Luiza, por exemplo, que depois de destacar os avanos conquistados pelo Brasil em todos os setores de atividades taxas de desemprego e inflao menores do que muitos pases da Europa, entre outros lembrou que aqueles que se envergonham do seu pas deve-riam deix-lo e morar em outro lugar. o caso do Fenmeno, que alm de envergonhado se declarou tambm insatisfeito. Aqueles que assumiram o complexo de vira-lata, portanto, deveriam comear a pensar em mudar de pas, j que tudo leva a crer que a Copa ser um su-cesso e a presidenta Dilma Rousseff reeleita.

    Ribamar Fonseca jornalista, membro da Academia Paraense de Jornalismo e da Academia Paraense de Letras; tem 16 livros publicados

    Absolutamente, ningum gosta de viver de passado. Principalmente, se esse passado ape-nas remete a situaes tristes e de desespero. Estes fantasmas que teimam em rondar os pen-samentos mais positivos e prsperos dos seres servem, em dado momento, para lembrar-nos que necessrio seguir em frente e acreditar que as mudanas podem, tambm, serem muito positivas, mesmo estando acostumados com algo que nos parece to normal.

    Relembrando a campanha passada, quando o atual prefeito de Borebi enfrentou a tradio que manteve, por tanto tempo, uma nica pessoa no poder - j que o ex prefeito chegou ao m-ximo da poltica separando-se conjugalmente, aparentemente de fachada, para poder eleger a

    esposa ao Executivo - me veio o fato de Lenis Paulista j estar a 15 anos e meio sob o mesmo domnio poltico. Dai que fui rever a quantidade de moradias construdas neste perodo e fiquei surpreso. possvel contar quais bairros foram criados em quase duas dcadas de poderio poltico. Neste tempo, o Plano Diretor foi mo-dificado para favorecer uns em detrimento de outros (ser?). Mas, realmente era complicado construir casas sendo que no existem novas empresas para alocar os pais de famlia.

    Depois da mudana da ltima eleio, Bo-rebi, uma cidade que infinitamente menor que Lenis Paulista est se preparando para somar quase 300 moradias populares. Isso em pouco mais de um ano de mandato do

    atual prefeito. Borebi estaria construindo o equivalente a 50% de casas, se contarmos que na cidade tem hoje cerca de 500 moradias, em pouco mais de um ano. Enquanto isso, Len-is teria construdo pouco mais de mil mo-radias populares, representando pouco mais de 10% em relao a quantidade de casas da cidade - coisa de 19 mil residncias - durante as quase duas dcadas dos mesmos tucanos.

    De fato preciso viver o presente com muita alegria e felicidade, mas bom dar uma olhadinha para trs, de quando em vez, para no se perder de vista a realidade da histria e se manter acordado da sonolncia que tenta nos induzir, dia aps dia. Um pequeno artigo para pensar o passado.

    Dvida do poder pblico com o jovem enorme.

    O apoio zero.

    NARDELI DA SILVA

    A Copa do Mundo trouxe, para centenas de crianas e adolescentes lenoenses, alm da expectativa de ver campe a seleo brasilei-ra de futebol, um ms de frias adiantadas, j que as escolas anteciparam as frias de meio de ano. O fato tem seu lado no to bom, j que adianta uma constatao feita h algum tempo sobre a carncia de bons espaos p-blicos onde possam aproveitar o momento to esperado. A falta destes espaos para crianas e adolescentes, no entanto, apenas um vis da deficincia do municpio em ofe-recer entretenimento pblico populao, j que jovens e adultos, durante a maior parte do ano, tambm no encontram bons progra-mas ou espaos para desfrutar.

    Para a publicao de uma matria especial nesta edio, este jornal percorreu bairros de todas as regies da cidade e mostra que a falta de investimento em parques e praas de esportes e lazer um problema que preci-sa ser resolvido, embora seja mais ou menos grave, de acordo com a localizao do bair-ro. Assim, o Parque Parado continua sendo referncia de conservao e manuteno, no centro da cidade, enquanto quadras de es-porte seguem abandonadas em regies mais distantes, como os limites da Cecap.

    Uma das opes para esporte e lazer conti-nua sendo as quadras de escolas municipais, que embora atendam exclusivamente alunos da rede municipal, deixam de serem ofertas quando a rede tambm entra em recesso, o que ocorre normalmente nos meses de julho e dezembro. Assim, o perodo de frias para estudantes lenoenses o que menor ofere-ce opes de entretenimento e lazer.

    Entre os diversos riscos existentes nesta po-ltica, est um que a mesma matria especial demonstra, quando no mpeto de se divertirem crianas margeiam as rodovias da cidade em bus-ca dos melhores ventos para soltar suas pipas.

    Mas, se isso ocorre entre adolescentes, para os adultos a situao s corrobora a total falta de iniciativa da administrao municipal leno-ense quando o assunto oferecer diverso populao: diverso gratuita e democrtica populao, inclusive por sua localizao.

    O tema, alis, tem algum tempo que res-soa entre outros poderes como o Legislativo, onde vereadores cobram desde o ano passa-do que, ao menos, se discuta o assunto, na tentativa de encontrar caminhos que possam levar oferta sadia de algo que possa entre-ter os jovens lenoenses. O uso do recinto da Facilpa uma opo, que tambm sequer foi discutida pela administrao, apesar da insis-tncia de vereadores.

    A administrao municipal lenoense pode-ria se utilizar da mxima popular que sempre norteou a oferta pblica de diverso para a po-pulao, que prega que o brasileiro gosta mes-mo de po e circo. Porm, os nmeros dis-parados do envolvimento de crianas e jovens com drogas cada vez mais destruidoras seria um argumento para calar qualquer defesa no sentido de que a diverso no importante para a parcela jovem da sociedade. Tambm defender que esta parcela atendida, tentar convencer de algo publicamente impossvel, j que o clamor to grande que seria unssono se reunido em apenas uma reivindicao. Po-rm, nada continua sendo feito.

    Assim, enquanto a administrao se man-tm conservadora, sob o pretexto da austeri-dade, assim como parece manter aes que teimam em privilegiar grupos, a criana de grande parte da cidade continua sem campo, quadras ou parques pblicos adequados para se divertir, com segurana, prximos de suas casas, e o jovem permanece nas mesmas pra-as e quadras, se reunindo para beber e ver os amigos, por no contarem com nada mais saudvel ou interessante para fazer.

  • POLTICA 3

    PBLICO

    FESTA | Vereadores querem discutir a Fa-cilpa porque tem dinheiro pblico envolvido; fiscalizao trabalho do Legislativo

    POVO | Dod quer saber da opinio pblica

    LENIS PAULISTA, 14 DE JUNHO DE 2014

    Que feio - Um interlocutor no Pao das Palmeiras informou Coluna que algum do Executivo teria ligado para Bombeiros, Po-lcia e outros setores da sociedade para que no participassem da audincia pblica proposta pela Cmara Municipal para discutir o formato da Facilpa. A desculpa para o pedido de que a audincia seria estritamente poltica.

    Mesma Fita - No de hoje que o Executivo encara problemas p-blicos levantados pelos vereadores como sendo pura poltica, e se utiliza da mxima para se livrar de polmicas. Os membros do Exe-cutivo parecem se esquecer que tudo poltica e, principalmente, quando o assunto diz respeito a populao e ao dinheiro pblico. No caso da Facilpa deste ano, o investimento da Prefeitura passou do meio milho de reais. Dinheiro pblico, pago pela populao.

    Na mdia - Dinheiro pblico tambm foi para pagar publicida-de em veculos de comunicao de Lenis Paulista. O valor, em 2013, chegou a quase meio milho. Sem contar os valores pagos com publicao de atos oficiais, proposta por lei. Em 2014, j foi gasto um tero deste valor entre agncias de propaganda, anncio em jornais, revistas e televiso.

    S por isso? - Desse bolo, dividido entre os jornais de Lenis, ape-nas trs deles recebem sua fatia. O Sabado do Povo tem ficado de fora, inclusive de campanhas como a da dengue, que so importantes para a populao. Isso deve ocorrer, no caso do Sabado, pelo fato de publicar aquilo que pertinente ao muncipe, ao cidado e nem sempre ao que interessa ao Poder Executivo, como foi o caso da fal-ta de pagamento do funcionalismo pblico e outros tantos assuntos mostrados pelo jornal de forma clara, tica e com respeito ao leitor.

    Simpatia - O Sabado entende que quem est no Poder gosta apenas de ver publicado os louros conseguidos, seja da forma que for, e que quando seus deslizes, suas fraquezas e erros so mostrados cria-se uma antipatia. Porm, os gastos em publicidades correm o risco de estarem viciados, ou seja, serem destinados sempre para os mesmos e de forma contnua. Com o tempo, a frmula mais do mesmo tende a falhar.

    Quem poder me defender? - Essa relao da imprensa com candidatos e pessoas pblicas bem complicada quando um lado defende o interesse da comunidade e o outro interesse de um gru-po ou apenas seus prprios interesses, independentemente da po-sio poltica.

    Na campanha - Em 2013 a prefeita Izabel Lorenzetti (PSDB) teve negado um pedido de indenizao por danos morais contra o jornal Correio Regional, de Agudos, e Jos Henrique Del Rio por divulgao de matrias, supostamente, difamatrias, durante o pe-rodo eleitoral, em 2008.

    Vidraa - Para o desembargador, a autora da ao quando regis-trou sua candidatura, se limitou a declarar seu patrimnio de R$ 66.415,81 e no mencionou inmeros imveis que se encontravam em seu nome. Vale lembrar que a autora, a partir do momento que decidiu se candidatar a prefeita, tornou-se uma mulher pblica, e deve aceitar ser alvo de severa fiscalizao e de crticas da imprensa que, sem dvida, exerce a funo social de levar o conhecimento da populao os acontecimentos da vida poltica e econmica do Esta-do Democrtico de Direito, declarou o desembargador na ocasio.

    Defesa - Tambm na ocasio, a assessoria de imprensa da pre-feitura disse imprensa regional que o pedido de indenizao foi feito por se tratar de ato e ataques pessoais e no polticos contra a prefeita.

    Toga - Na poca, o advogado do Jornal Correio Regional, Daniel Jos Ranzani, disse que com aquela deciso os direitos constitucio-nais da imprensa foram garantidos pelo Judicirio, vetando qual-quer tipo de censura, principalmente porque as matrias foram eticamente corretas, dando inclusive oportunidade para a prefeita se manifestar.

    D zero para ela! - Na outra ponta das discordncias da impren-sa e pessoas pblicas, o prefeito de Pederneiras, Daniel Pereira de Camargo, ganhou um processo por difamao proposto contra uma jornalista que atuava na cidade, durante a campanha da lti-ma eleio, defendendo os interesses de um candidato do PSDB, contra o PV. Embora ser processado por pessoa pblica natural da profisso de jornalista, a profissional em questo teria calunia-do o atual prefeito para beneficiar outro candidato apoiado por ela. Neste caso, a Justia deu parecer favorvel pesssoa pblica, por entender que o que havia sido publicado fugia da tica profissional e do que prega o jornalismo: que publicar a verdade dos fatos.

    Jogo pesado - Segundo informaes de Pederneiras, dos bastido-res polticos, o prefeito Daniel no exigiu a indenizao financeira que teria direito, mas apenas que ficasse reconhecido que a jorna-lista errou ao acus-lo para beneficiar seu adversrio, colocando em xeque sua credibilidade de profissional da comunicao.

    Ventrloquo - As declaraes do prefeito de Borebi, Manoel Frias Filho no cairam muito bem na Cmara Municipal daquela cidade. Os vereadores Amarildo Bueno e Joo Lima usaram de um jornal de Agudos para atacar o atual prefeito. Joo Lima disse ao peridi-co agudense que o povo est sentindo a falta do ex-prefeito.

    Bina - O Sabado do Povo procurou novamente, durante esta se-mana pelos vereadores borebienses por telefone e no foi atendido. A reportagem ligou para os nmeros com final ...864, de Joo Lima e ...465, de Amarildo. O Sabado do Povo sempre se disps a dar espao para os vereadores de Borebi, mas por razes desconheci-das a base oposicionista do Legislativo se recusa a se manifestar.

    De novo... - Corre em Borebi que a ex-prefeita e ex-primeira dama Leila Ayub dever concorrer como candidata nas prximas eleies, levando em conta que o ex-prefeito poder ficar fora do preo, por estar comprometido com o Tribunal de Contas. Leila teria comeado a fazer suas boas aes distribuindo material esportivo.

    ...Oh, no - Outra informao de bastidor que a ex-prefeita, aquela, da poca da suposta falsificao de documento imobi-lirio envolvendo o terreno onde seria construda a rodoviria, caso noticiado pelo Sabado, estaria distribuindo cestas bsi-cas com intenses polticas. Claro, tudo suposio, at que se prove o contrrio, mas...

    Conta rpida - O prefeito Manoel Frias Filho (PR) anunciou esta semana a construo de mais 200 casas em Borebi. 50 delas por um programa rural. Somando as casas entregues por Man, mais as que foram anunciadas, teremos um total de 295 casas. Isso em 1,5 ano de mandato. Em Lenis Paulista, em mais de 15 anos de PSDB, com Marise e Izabel Lorenzetti, sero pouco mais de mil moradias populares. Se comparado, Borebi que tem pouco mais de dois mil habitantes construir muito mais casas em relao a Lenis, que tem cerca de 70 mil habitantes. pouco?

    Prncipe - A Cmara de Vereadores de Lenis Paulista rece-beu uma visita, no mnimo inusitada, na manh de quinta-fei-ra. O empresrio Moiss Rocha se rendeu aos encantos da nova sede administrativa e foi conhecer de perto um dos principais e mais bonitos ponto poltico da cidade.

    Foto: Billy Mao

    Prefeita repassa R$500 mil, mas no quer discutir Facilpa

    Tnia MorbiNem a prefeita Izabel Lo-

    renzetti (PSDB), nem re-presentantes da Associao Rural de Lenis Paulista atenderam ao convite da Cmara e compareceram ao encontro marcado para a l-tima segunda-feira, 9, quando se pretendia debater possveis mudanas no formato da Facilpa e no uso do recinto onde a feira realizada. A audincia, na qual os assun-tos seriam debatidos, estava prevista para antes da sesso da Cmara e a maioria dos vereadores estava presente.

    Desde o ano passado, a Cmara tenta contribuir para que o principal evento de entretenimento de Lenis Paulista volte a ser popular. Uma comisso de vereadores foi formada para acompanhar a organizao da feira em 2014, porm, segundo eles, a Associao Rural de Lenis Paulista, cuja diretoria organi-za a feira h vrios anos, no teria convidado o grupo para nenhuma reunio ou encontro onde o evento fosse tratado.

    A audincia de segunda--feira foi mais uma tentativa do Legislativo de contribuir, de acordo com seu presidente Humberto Jos Pita (PR), na organizao da feira. Mas, a tentativa foi frustrada no-vamente, embora tramite na Cmara o projeto de autoria da prefeita Izabel que renova a concesso do direito de uso do recinto espao pblico pertencente ao municpio de Lenis Paulista Associa-o Rural.

    Aps a negativa de parti-cipao dos representantes da associao e da prefeita,

    Convidados, prefeita e diretoria de ARLP no compareceram reunio com vereadores; em ofcio, Izabel Cristina disse que analisaria, posteriormente, resultado da reunio; ARLP no se manifestou

    os vereadores se reuniram a portas fechadas e definiram propostas de mudanas para a feira (veja nesta pgina), alm de lamentarem a ausncia dos convidados.

    Uma das propostas que a Prefeitura invista os recursos que j destina para o evento, exclusivamente para custear o acesso gratuito da populao feira. Com isso, os cerca de R$ 500 mil que todos os anos so destinados pela adminis-trao municipal para custear, entre outros, teles, baias e banheiros qumicos, poderiam garantir que mais shows com artistas de renome no pas fos-sem oferecidos gratuitamente populao, assim como o acesso com entrada gratuita ao recinto em mais dias de feira. Pela proposta, outros dias de evento seriam custeados pela

    ARLP com a cobrana de in-gressos, mas sem investimento de dinheiro pblico.

    A disponibilidade do recin-to para outros eventos, que no os que so organizados pela Associao Rural, tam-bm foi um ponto debatido entre os vereadores e aprova-do por todos.

    O presidente do Legislativo lamentou a falta dos convi-dados e reforou o carter de contribuio do convite. A ideia da Cmara sim-plesmente discutir o uso do recinto. Existe consenso en-tre os vereadores de que no queremos, de maneira alguma, interferir na forma como a associao faz a Facilpa. Mas, gostaramos, enquanto cida-dos lenoenses, que a festa da Prefeitura fosse separada da Facilpa e que fosse melho-

    rada a situao do recinto, explicou.

    Para Pita, a manuteno que a Prefeitura d ao recin-to o ano todo no pode ser usufruda apenas pela As-sociao. Queramos saber por que a Prefeitura paga a manuteno do recinto o ano todo e o recinto continua para a Associao.

    A comisso da Cmara formada para acompanhar a organizao da Facilpa vai tentar uma nova reunio com os diretores da ARLP para apresentar as sugestes. Caso a reunio no ocorra, as pro-postas devem ser includas no projeto de concesso do recinto, em forma de emendas. A concesso do direito de uso do recinto da Prefeitu-ra. No queremos vantagens nenhuma para ns, queremos o melhor para a comunidade e o melhor que a festa da Pre-feitura no tenha participao da Associao e vice-versa. Somos a favor da festa, mas que respeitem esta Cmara. Se a Cmara no quiser, no vota o projeto (de concesso), mas a prefeita pode conceder o uso do recinto por decreto. Queremos que a Prefeitura pague pelo que direito, no por baias de cavalos. Vamos tentar reunio com ARLP tantas vezes quanto forem necessrias. O projeto (de concesso) est na Cmara, se no houver interesse, de nenhum lado, vamos fazer as emendas e votar, disse Pita.

    A prefeita Izabel encami-nhou um ofcio dizendo que no iria participar da reunio porque queria deixar para a Cmara discutir a Facilpa sem a sua interferncia.

    Ailton Tip (PV). Ns sabemos que a Facilpa pode melhorar, mas queremos que a Associao permanea a frente da Facilpa. Queremos a integrao do Parque do Povo com a Facilpa, a abertura do recinto para o povo. A sede da Associao l dentro, ficaria muito mais bonito se tivesse sede na cidade. Que o dinheiro seja usado para os shows, e que no outro final de semana a associao fique livre para cobrar.

    Jonadabe de Souza (SDD). Todos os vereadores optaram que a Facilpa tem que ser uma festa popular, pblica, para a famlia, e no outro final de semana, eles cobram o que quiserem. O projeto (de con-cesso) est sendo discutido e no houve interesse por parte da diretoria e da prefeita. Eles no tm coragem de assumir responsabilidade e discutir o projeto. A responsabilidade

    A Prefeitura Municipal de Lenis Paulista gastou, em 2013, cerca de R$ 430 mil com publicidade institucional em veculos de comunicao e na contratao de agncias de publicidade, e embora te-nha reduzido a dotao inicial do oramento deste ano para R$ 287 mil, at o ms de maio j tinha gasto o mesmo valor que os cinco primeiros meses do ano passado.

    As informaes foram di-vulgadas durante a sesso da

    Cmara de segunda-feira, 9, pelo vereador Anderson Prado de Lima (PV), que recebeu resposta das diretorias de Pla-nejamento e Finanas a um requerimento sobre os gastos pblicos feitos pela administra-o municipal com publicidade.

    A divulgao, de acordo com o vereador, importante para que a distribuio dos recursos pblicos seja justa entre os di-versos meios de comunicao da cidade, e no prestigiem apenas os maiores grupos. Po-

    deria elencar vrias coisas que poderiam ser feitas na cidade com meio milho de reais, mas lgico que alimentar a imprensa tem seu valor. A questo : quem est sendo alimentado?, disse.

    Para Prado, importante que todos os gastos da adminis-trao sejam divulgados, e os feitos com publicidade tambm, uma vez que a propaganda ofi-cial tem forte relao com ten-dncias polticas defendidas ou rechaadas por governantes, em sua opinio. Acompanharei de

    perto, talvez por ser da rea de comunicao, por saber quanto custa uma agenciamento, meia pgina de jornal. Tambm por entender um pouco de inves-timento e tendncia poltica. A discusso nesta Casa de Leis salutar para o andamento da cidade, da sociedade e da co-munidade e, saber quais so as empresas prestadoras de servi-os da rea de publicidade para o poder pblico uma questo tambm de prestao de servi-o, concluiu.

    Prefeitura gastou mais de R$ 400 mil compublicidade em 2013 e mantm gastos este ano

    O que os vereadores sugeriram ou disseram sobre a Facilpa

    no nossa, se acontecer ou no (a Facilpa em 2015) o povo est vendo que porque eles no tm interesse.

    Dod Santana (PSDB). Se no der a concesso, vo dizer que a os vereadores acabaram com a Facilpa, mas de todo jeito, vo falar. T virando briga polti-

    ca. Devemos fazer uma pesquisa para o povo opinar.

    Nardeli da Silva (PROS). Acho que o recinto deve ser dis-ponibilizado para outros eventos. Ns precisamos do espao para o lazer. A dvida da Prefeitura Municipal, do Poder Executivo, com os nossos jovens enorme.

    Em muitas cidades do Estado e diversas do pas, acabou a festa o festeiro entrega a chave para a Prefeitura e o prefeito faz as suas aes. Se Associao for entregar (a organizao da Fa-cilpa) tem que entregar para a Prefeitura, ter a responsabilida-de de entregar para a Prefeitura a tempo de ela fazer (a feira).

    Andr Sasso (PSDB). No existe guerra ou duelo de interesses. Concordo que o recinto tem que ser aberto para a populao, que a Associao continue organizando e que (a feira) seja dividida em dois fi-nais de semana diferentes. Em um, shows pagos e, no outro, gratuitos, com os mesmos recursos da Prefeitura, para manter qualidade dos shows, e toda a estrutura da feira dis-posio da populao. Depois de debater em conjunto sobre o formato da feira a concesso do recinto pode ser votada tranquilamente.

    por Tania Morbi

  • TETO | Entrada do Stio da Angicos; no detalhe, rea aonde devero ser cons-trudas mais 50 casas, em Borebi

    ELE | Man Frias no Conjunto Habi-tacional feito pelo CDHU

    ETE | rea onde sero construdas as lagoas de captao do esgoto que saem de Borebi

    A CASA CAIUCOLUNA POLICIALFotos: Billy Mao

    Borebi vai se transformar em canteiro de obras com construo de novas casas e ETEPlanejando o futuro da cidade, desafio agora ser implantar o Distrito Industrial e conseguir atrair empresas para fomentar o desenvolvimento e gerar emprego e renda para o cidado borebiense

    BOREBI - POLCIA 4LENIS PAULISTA, 14 DE JUNHO DE 2014

    Tania MorbiEm breve, a cidade de Bore-

    bi deve se transformar em um canteiro de obras, com a ex-pectativa de que 150 moradias populares sejam construdas, em parceria entre a Prefeitura Municipal e os governos Esta-dual e Federal, alm da Esta-o de Tratamento de Esgoto, cujas obras devem ter incio nos prximos dias.

    Na ltima quarta-feira, dia 11, o prefeito Manoel Frias Filho (PR) acertou os ltimos detalhes antes do incio da construo de 50 casas que sero instaladas em uma rea cedida pela empresa Angicus. As moradias sero construdas com recursos do Ministrio da Pesca, atravs do Programa Nacional de Habitao Rural. O PNHR destina recursos do Oramento Geral da Unio (OGU) para agricultor fami-liar ou trabalhador rural, para a aquisio de material de construo, construo, con-cluso ou reforma e ampliao de moradias em rea rural.

    Pelo programa, podem ser beneficiadas pessoas f-sicas, trabalhadores rurais e agricultores familiares, com renda familiar bruta anual de no mximo R$ 15 mil, ou R$ 1.250,00 mensais. Os imveis tem valor final de at R$ 65 mil e cada proprietrio ir pagar R$ 1 mil pelo imvel, sendo o valor total parcelado em R$ 250 por ano. Assim, em

    quatro anos o imvel estar quitado.

    A liberao da construo das casas do programa do Mi-nistrio da Pesca foi interme-diada pelo deputado estadual Sebastio dos Santos (PRB).

    Em entrevista, o doador da rea onde devero ser constru-das as 50 casas do programa rural, Gilmar Pires Moraes, proprietrio da empresa que

    Outra obra que deve movi-mentar a cidade a construo da ETE (estao de Tratamen-to de Esgotos). Na quarta--feira, 11, o prefeito Manoel Frias Filho fez a entrega do ltimo documento referente ao municpio, previsto no convnio com a Secretaria de Saneamento e Recursos Hdricos, atravs do DAAE (Departamento de guas e Energia Eltrica) para daraan-damento e incio as obras de construo da estao.

    Como os recursos para a obra j estavam liberados pelo Programa gua Limpa (um total de mais de R$ 3 milhes) e at mesmo a licitao da empresa que far a estao de tratamento j havia sido realizada, de acordo com o prefeito, agora

    Alm das moradias para zona rural, a Prefeitura de Borebi tambm est em acer-to final para incio das obras de mais 150 casas que sero construdas pela CDHU (Com-panhia de Desenvolvimento Habitacional de Urbano) do governo do Estado.

    Neste caso, as moradias sero semelhantes as 94 que fo-ram entregues, no ano passado, durante a visita do governador Geraldo Alckmin a Borebi. Na ocasio, o governador anun-ciou a construo de 100 casas para atender a demanda do municpio, j que mais de 300 famlias haviam se inscrito para concorrer ao sorteio das

    mais emprega em Borebi, a Agicos, disse que fica emo-cionado quando pensa que ir beneficiar 50 famlias bo-rebienses e demonstrou isso durante a entrevista. Eu ve-nho de uma famlia humilde, precisei trabalhar muito para chegar at aqui. Sei que para quem trabalhador como eu, ter uma casa onde possa abri-gar a famlia a melhor coisa

    que pode acontecer, contou.Gilmar disse ainda que

    quando o prefeito o procurou para conversarem sobre a rea ele mesmo ficou empolgado com a possibilidade de ajudar. Borebi ainda uma cidade pequena e muita gente daqui precisa de moradia. Estou vendo o esforo do prefeito Man Frias e vou ajud-lo no que eu puder, afirmou.

    casas. Mas, nesta sexta-feira, dia 13, o prefeito Man Frias entregaria ao secretrio-adjun-to de Habitao Marcos Penido um ofcio sobre a incluso de outras 50 casas. O projeto j aprovado na Secretaria prev a edificao de 150 imveis.

    Temos que adequar a nossa demanda, a necessidade da nossa populao, ao que ofe-rece os governos em termos de moradia. Com essas novas casas, praticamente, Borebi ir zerar seu dficit habitacional, ou pelo menos, vai reduzir muito, transformando o setor habitacional da cidade, em pouco mais de um ano e meio, comemorou o prefeito.

    Mais 150 casas pela CDHU em Borebi

    s esperar que as mquinas comecem a trabalhar efetiva-mente na ETE.

    Esse um momento im-portante para nossa cidade, porque mostra que ela pode crescer e de desenvolver, basta que todos trabalhem e queiram o melhor para Borebi, disse Man Frias.

    Com a construo da ETE Borebi d mais um salto rumo ao desenvolvimento da cidade e passar a colaborar efetiva-mente com o Meio Ambiente. As barreiras burocrticas fize-ram com que o projeto ficasse engavetado e esquecido pelas administraes passadas da cidade, mas com esforo e apoio do governo estadual o projeto deixou o papel para beneficiar a populao de Borebi, finalizou o prefeito.

    Rdio Fama 87.9 FMA RDIO COMUNITRIA DE BOREBI

    Dois adolescentes foram detidos na madrugada de quarta-feira, dia 11, aps praticarem assalto a um ho-tel localizado s margens da rodovia Marechal Rondon (SP-300). Antes de serem detidos, ele se envolveram em um acidente. Outros dois acusados conseguiram fugir a p, mas um deles foi preso no mesmo dia.

    A primeira tentativa de roubo foi a um motel, localiza-do na Rua Inglaterra. Porm, a ao do grupo foi percebida e a tentativa frustrada. O grupo estava a p e segundo infor-maes da Polcia Militar, divulgadas durante a semana, aps a tentativa frustrada de roubo ao motel, os quatro renderam a atendente de um hotel e roubaram de sua car-teira cerca de R$ 300,00 e do-cumentos pessoais. O veculo da vtima, um Corsa Sedan foi usado para a fuga, que ocorreu pela rodovia.

    Ao entrar na cidade, o gru-po se deparou com uma viatu-ra da Fora Ttica da PM, que iniciou acompanhamento do veculo suspeito, em direo Vila Contente. Durante a fuga, prximo ao Rio Len-

    is, os bandidos sofreram um acidente e fugiram a p, inclusive atravessando parte do rio. Os policiais persegui-ram os suspeitos e detiveram os dois adolescentes, de 16 e 17 anos. Eles estavam com um simulacro de pistola. Encaminhados delegacia, os dois foram autuados em flagrante por roubo e forma-o de quadrilha, apreendidos e colocados disposio da Justia.

    No mesmo dia, por volta das 16h, aps denncia, equi-pes do radiopatrulhamento foram at um matagal no Jardim Primavera, conheci-do como ponto de consumo de drogas, e detiveram M. S., de 21 anos, que j tinha priso temporria decretada por participao no roubo. O jovem ainda tentou fugir, mas foi localizado prximo a um brejo. Com ele, a PM apreen-deu uma poro de maconha. No local, os policiais aborda-ram ainda trs adolescentes e apreenderam um vaso com p de maconha. M. foi con-duzido Cadeia Pblica de Ava. O quarto envolvido no roubo, j foi identificado e est sendo procurado.

    Na segunda-feira, dia 9, a Polcia Militar de Lenis Paulista apreendeu ps e se-mentes de maconha na casa de um adolescente de 17 anos, que foi apreendido. Por volta das 15h20, uma equipe que fazia patrulhamento pelo bairro Maestro Jlio Ferrari abordou dois adolescentes de 17 anos que apresentavam comportamento suspeito, em uma praa do bairro.

    Na casa de um deles, os

    policiais encontraram cinco gramas de crack, seis gramas de maconha, 10 ps e sementes da droga, 20 munies calibre 32, uma munio de calibre .380, duas balanas de preciso e duas cmeras de vigilncia.

    A dupla foi conduzida delegacia e o adolescente responsvel pelas drogas e munies foi autuado em fla-grante e apreendido, perma-necendo disposio da Vara da Infncia e da Juventude.

    Militar prende um eapreende dois menores aps roubo

    PM apreende ps e sementes de maconha

    FOGO| Um incndio em um caminho que estava estacionado na rua Arlindo Torres da Silva, no Jardim Amrica, chamou a ateno e assustou moradores vizinhos no incio desta noi-te, logo aps o trmino do primeiro jogo da Copa onde o Brasil ganhou o jogo por 3X1 da Crocia. Uma moradora chamou o Corpo de Bombeiros que conseguiu conter o fogo. O caminho ficava constantemente estacionado na rua e suspeita-se que pode ter sido um ato criminoso.

    Municpio aguarda incio das obras da ETE, por empresa contratada

  • AVISO | Foto do momento em que mquinas trabalhavam na constru-o da rotatria da Vila cruzeiro; precisou da interveno de vereador

    VAGA | Vista area da Usina Barra Grande

    GERAL 5LENIS PAULISTA, 14 DE JUNHO DE 2014

    NAS CASAS E NO COMRCIO

    Vagner Gonalves/Prefeitura Municipal de Lenis Paulista

    Billy Mao

    Da redaoA Prefeitura de Lenis

    Paulista venceu uma queda de brao com o Legislativo e, di-retamente, atingiu moradores e, principalmente, comercian-tes ao vencer uma Ao Direta de Inconstitucionalidade pro-posta contra a Lei 4.534, que previa que a administrao municipal e suas autarquias avisassem com antecedncia a realizao de obras ou manu-teno da rede de esgotos que necessitassem de interdio de ruas e avenidas da cidade.

    A lei foi promulgada pelo presidente do Legislativo Humberto Jos Pita (PR), aps o projeto de autoria dos vereadores Anderson Prado de Lima e Ailton Tip Laurindo, ambos do PV, ser aprovado pelos vereadores, vetado pela prefeita Izabel Lorenzetti (PSDB) e ter o veto derrubado em plenrio, por unanimidade. Mas, a prefeita ingressou com

    Prefeitura recorre ao STF para nocomunicar obras antecipadamenteAdministrao historicamente recorre a Adin sempre que vencida por unanimidade pelo Poder Legislativo

    a ao contra a lei, que foi julgada procedente.

    A iniciativa dos vereadores verdes do ano passado e

    ocorreu aps a manifestao de comerciantes que se senti-ram prejudicados depois que a Prefeitura interditou uma re-

    gio na Vila Cruzeiro, durante a construo da rotatria entre as avenidas Jcomo Nicolau Paccola e Cruzeiro do Sul. A

    reclamao dos comerciantes de que foram pegos de sur-presa e por no poderem se adequar a tempo s mudanas, tiveram prejuzos em suas vendas durante o perodo de interdio.

    Apresentado, o projeto teve o apoio inclusive da base de apoio da prefeita, que alm de aprovar o projeto, aprovou a derrubada dos vetos deter-minados pelo Executivo. Na poca, o lder da prefeita na Cmara, Andr Paccola Sasso (PSDB), afirmou que o apoio da bancada considerou que a prefeitura poderia usar formas que no gerassem custo para prestar a informao, como atravs dos agentes comunit-rios de sade. Tenho certeza que tem que ser feito isso (a comunicao), porque quem paga imposto precisa ter a rua de seu estabelecimento aberta, ou ser antecipadamente comu-nicado (sobre fechamento).

    Por isso sou favorvel a que esse projeto seja colocado em prtica, afirmou Sasso, na ocasio.

    Para vetar o projeto, o Executivo utilizou as mesmas alegaes que foram aceitas pelo STF (Supremo Tribunal Federal), que julgou que a Cmara estava legislando sobre matria especfica do Executivo e que a lei criaria despesas ao municpio, ini-ciativa tambm vedada ao Legislativo.

    A deciso de recorrer ao STF para ter mantidas as suas avaliaes em relao a projetos promulgados pelo Legislativo historicamente comum por parte da admi-nistrao municipal de Len-is Paulista que diante de situes onde a Cmara unnime, por entender que o benefcio para o cidado, a prefeitura recorre a constitu-cionalidade da Adin.

    Da redaoVo at amanh as inscri-

    es para o processo seletivo da Zilor, que destina 20 vagas de estgio remunerado em nvel superior, para alunos do terceiro ou o quarto ano da faculdade. Para participar, o interessado precisa acessar o site da empresa (www.zilor.com.br) at 15 de junho, cli-car no link Trabalhe Conosco e fazer a incluso dos dados para cadastrar o currculo. A carga horria das atividades de 30 horas semanais.

    Os estagirios sero acom-panhados pelos gestores da Zilor e faro parte de um Pro-grama de Desenvolvimento em que recebero orientaes sobre Mercado de Trabalho e Carreira; tica, Postura Profissional e Comunicao; Noes de Planejamento e Administrao do Tempo; Atitude Empreendedora; Re-lacionamento Interpessoal e Trabalho em Equipe.

    Para Claudia Marie Ue-mura Kunimi, coordena-dora de Planejamento e

    Desenvolvimento de Pes-soas, a empresa est ofere-cendo uma oportunidade de aprendizado e crescimento profissional para os jovens das comunidades onde a Zilor tem atuao. Nosso objetivo contribuir com a formao profissional do estagirio, com acompanha-mento das suas atividades e do seu desenvolvimento, destaca Kunimi.

    As vagas so para estu-dantes de administrao de empresas, economia, agrono-

    Zilor abre vagas para estgio remunerado

    Contrato n: 08-A/2014Data: 03/01/2014Contratado: Organizao Cristo de Ao Social - OcasCNPJ: 50.848.316/0001-06Objeto: Este prestao do Servio de Acolhimento Institucional para as crianasValor: 4.000,00Vigncia: 02/03/2014Modalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 09/2014Data: 03/01/2014Contratado: REDE RIJOMAR DE RADIODIFUSO LTDA. Central de Produes,CNPJ: 00.024.238/0001-57Objeto: Este contrato tem como objeto a apresentao de 3 (trs) atraes musicais, as quais sero fornecidas pela empresa CONTRATADA, atravs das bandas baile: Edu Mello, Grupo Fuzuheyra e Felipe Costa, apresentadas ao pblico presente no Aniversrio da Cidade de BorebiValor: 6.400,00Vigncia: 02/03/2014Modalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 09-A/2014Data: 03/01/2014Contratado: Del Pois Ado & Ado Ltda. ME e Guivi Transportes Ltda.CNPJ: 11.095.459/0001-32 / 04.052.135/0001-51Objeto: Contrato Emergencial de prestao de servio de transporte de pacientes do municpio de Borebi para os hospitais da RegioValor: 1.58 kmVigncia: 02/04/2014Modalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 011/2014Data: 013/01/2014Contratado: RUBENS JOS VENTURINI TISZOLCZKICPF: 349.814.389-15Constitui objeto do presente contrato a prestao de servios profissionais de instruo de formao esportiva.Objeto: Valor: 5.000,00Vigncia: 13/03/2014Modalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 013/2014Data: 27/01/2014Contratado: Aparecida de Ftima Cavalheiro - Prof. LibrasCPF: 068.050.548-26Objeto: Contrato de prestao de servios para alunos especiais em intrprete de libras a ser ministrado aos alunos com carncias especiais da rede de ensino do municpio.Valor: 5.250,00Vigncia: 3 mesesModalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 014/2014Data: 20/01/2014Contratado: Carlos Alberto Silva Treinamentos - MECNPJ: 08.434,114/0001-51Objeto: O presente contrato tem por objeto a elaborao de Projetos de Segurana para comemora-o ao aniversrio de emancipao do Municpio de Borebi, Memorial de Clculo de Dimensionamento de Lotao, Laudo de Sadas de Emergncias, Projeto Tcnico de Segurana, Atestado de Brigada de Incndio, Calculo por rea referente a lotao mxima e mnima, Elaborao e Redao de Ofcios ao Corpo de Bombeiros para liberao do Evento, Memorial descritivo das estruturas existentes, Acompa-nhamento dos servios de fiscalizao durante o evento.Valor: 2.000,00Vigncia: 1 mesesModalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 015/2014Data: 22/01/2014Contratado: Arruda Ferreira & cia cilinca veterinria ltda-meCNPJ: 17.147.251/0001-04Objeto: O presente contrato tem por objeto o Atendimento clnico de animais - pequeno e grande porte; Vacinao de animais- grande e pequeno porte; Consulta e internamento de animais recolhidos da rua; Cadastro de animais atendidos; Conscientizao da populao em respeito ao controle e posse responsvel de animais; Campanha de castrao de animais da populao carente; Controle de animais doentes que apresentem risco sade pblica; Assistncia tcnica ao pequeno produtor.Valor: 5.100,00

    Vigncia: 3 mesesModalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 015-A/2014Data: 22/01/2014Contratado: TAPAJS BAURU CAMINHES E SERVIOS LTDACNPJ: 01.379.696/0001-71Objeto: Contrato Emergencial para fretamento de nibus com capacidade para at 46 pessoas sentadas, para transporte de alunos dos cursos tcnicos e universitrios residentes em Borebi, no perodo noturno, em horrios pr-determinados, para frequentar aulas nas diversas escolas Agudos e Bauru, fazen-do o percurso BOREBI-AGUDOS-BAURU e Vice-Versa.Valor: 20.700,00Vigncia: 2 mesesModalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 018/2014Data: 29/01/2014Contratado: 3T MEDIA SOLUTIONS ASSESSORIA E COMUNICAES LTDA.CNPJ: 07.126.215/0001-00Objeto: O presente contrato tem por objeto divulgao das caractersticas e curiosidades das cidades da rea de cobertura da TVTEM, divulgao dos pontos tursticos da cidade para sua regio, atrair visitan-tes e investidores, oferecer informaes sobre cada cidade populao da regio, criao e hospedagem de uma pgina da cidade junto ao Portal de Notcia da TVTEM.Valor: 7.920,00Vigncia: 11 mesesModalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 019/2014Data: 29/01/2014Contratado: ALESSANDRA MORITA KANAOKCPF: 248.978.248-77Objeto: O presente contrato, regular direitos, obrigaes, encargos e responsabilidades, decorrentes da transao comercial havida entre as partes, para CONTRATAO DE PRESTAO DE SERVIOS PSICOLGICOS PARA A DIRETORIA MUNICIPAL DE SADE DE BOREBI, conforme descrito no Anexo nico deste instrumento contratualValor: 2.400,00Vigncia: 2 mesesModalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 020/2014Data: 03/02/2014Contratado: MIRIAN ALVES DA SILVA REIS 38374624809.CPF: 19.515.252/0001-81Objeto: Constitui objeto do presente instrumento de contrato de prestao de servios de contao de histrias e aulas de iniciao teatral, para crianas e adolescentes, com idades entre 04 a 05 anos e 06 a 15 anos, residentes no municpio de Borebi e municpios do entorno da cidade, previamente agendados pelo Servio Municipal de Assistncia Social de BorebiValor: 7.950,00Vigncia: 10 mesesModalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 021/2014Data: 06/02/2014Contratado: ASSOCIAO COMUNIDADE TERAPUTICA RECOMEOCPF: 03690268/0001-90Objeto: Presente contrato, a prestao do Servio de Acolhimento Institucional para o dependente qumico.Valor: 7.200,00Vigncia: 6 mesesModalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 025/2014Data: 15/02/2014Contratado: EDUARDO PIZZO OTTOBONI - MECPF: 18.250.830/0001-32Objeto: Prestao de Servio para treinamento e capacitao de pregoeiro e equipe de apoio para desenvolver servios relacionados a trabalhos de compras e licitao para a Administrao Pblica com entrega de certificado e material de apoio.Valor: 7.600,00Vigncia: 1 msModalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 026/2014Data: 15/02/2014Contratado: JK COMERCIALIZAO E ASSISTENCIA TCNICA DE SOFTWARE E HARDWA-RE LTDACPF: 05.913.162/0001-34Objeto: O presente contrato tem por objeto a Contratao de empresa especializada para locao de software para implantao e informatizao de sistema geral do Departamento Municipal de Sade, com finalidade de informatizar o municpio na rede ambulatorial e hospitalar.Valor: 7.920,00Vigncia: 10 mesesModalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 027/2014Data: 03/03/2014Contratado: Empresa de Correios e TelgrafosCNPJ: 34.028.316/7101-51Objeto: O presente contrato tem por objeto a prestao, pela ECT, de servios e venda de produtos, que atendem as necessidades da CONTRATANTE, mediante adeso ao (s) Anexo (s) deste Instrumento contratual que, individualmente, caracteriza (m) cada modalidade envolvida.Valor: 8.000,00Modalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 027-D/2014Data: 04/03/2014Contratado: Dionizio Ceschini FilhoCPF: 037.053.028-41Objeto: O Contratado prestar servios de anlise qumica da gua distribuda pelo sistema de abastecimento da Contratante, comprometendo-se a:

    1.1 Preparar materiais e equipamentos de coletas;1.2 Efetuar uma vez por semana coletas de amostras de gua no sistema de abastecimentos;1.3 Operar equipamentos de medio de laboratrio e campo;1.4 Realizar anlises fsico-qumicos de pH, cor, turbidez, flor e cloro residual livre e bacteriolgicas de coliformes totais, escherischia coli e bactrias heterotrficas em amostras de gua para consumo humano;1.5 Realizar controle da qualidade da gua;1.6 Orientar controle da qualidade da gua;1.7 Interpretar resultados analticos;1.8 Emitir relatrios mensais.Valor: 7.900,00Vigncia: 10 meses - Modalidade:Dispensa de Licitao - Fundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 030/2014Data: 03/03/2014Contratado: TELEFONICA DO BRASIL S/ACNPJ: 02.558.157/0001-62Objeto: A contratada prestar servios de telefonia mvel pessoal (SMP), por meio de comutao de voz regidos pela Agencia reguladora - Anatel, referenciado as condies de quantidades e configura-es do anexo I.Valor: 5.418,00Vigncia: 12 mesesModalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 042/2014Data: 26/03/2014Contratado: Michel Ramlho da Silva MEICNPJ: 14.014.030/0001-61Objeto: O presente contrato tem por objeto a contratao de empresa para confeco de material impresso para cooperar aos demais materiais que comporo a Campanha da Dengue no Municpio de Borebi.Valor: 3.465,00Vigncia: 30 (trinta) diasModalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    Contrato n: 043/2014Data: 01/04/2014Contratado: Mariela Mani TostaCPF: 355.255.798-98Objeto: UM IMVEL COMERCIAL, localizado Rua 7 de Setembro, n 418-B, Centro, na cidade de Borebi-SP.Finalidade da Locao: INSTALAO DO ACESSA SO PAULOValor: 6.000,00Vigncia: 12 mesesModalidade: Dispensa de LicitaoFundamento: Lei 8.666/93

    mia, qumica, biologia, co-municao social e engenha-rias (agronmica, alimentos, produo, florestal, eltrica, mecnica e qumica) e sero distribudas entre as trs unidades da empresa, nas cidades de Lenis Paulista, Macatuba e Quat.

    Os selecionados atuaro nas reas Financeira, Gesto de Pessoas e Socioempresa-rial, Tecnologia Industrial, Manuteno, Laboratrio, Qualidade, Produo, Logs-tica e Agrcola.

    PREFEITURA MUNICIPAL DE BOREBI -ATO OFICIAL

  • Fotos: Billy Mao

    GERAL6LENIS PAULISTA, 14 DE JUNHO DE 2014

    Perodo de frias coloca em cheque opo de diverso para estudantes

    DIREITO AO LAZER

    Billy Mao - Especial para o Sabado do PovoO perodo de frias esco-

    lares o mais esperado pelos estudantes das escolas munici-pais e estaduais durante todo o ano. As frias deste ano tero um gosto diferente, por terem sido antecipadas e por isso coincidir com a realizao da Copa do Mundo no Brasil. O futebol, que o esporte nacional mais praticado e dever ser a vlvula de escape para muitos alunos que esto liberados das responsabilida-des escolares desde a ltima quarta-feira.

    Mas e para quem no f de futebol, o que resta de brin-cadeira? A resposta muito ampla se levado em conta que cada famlia tem suas particula-ridades, porm, se tambm for levado em conta que a maioria dos alunos que frequenta esco-las pblicas mora em bairros perfricos, as opes ficaro ainda mais restritas.

    O Sabado do Povo per-correu bairros da cidade esta semana para conferir o que estes alunos esto fazendo, nos primeiros dias de frias e constatou que muitos optam por soltar pipas, j que no contam com locais adequados nos bairros para prtica espor-tiva, por exemplo. Porm, a avaliao no apenas ruim quando se trata de quadras e campos pblicos, Do que ha de melhor - Parque Para do - at o que a de pior - quadra sem nome da Cecap - , o que parece mesmo definir o quanto de melhoria o local ir receber sua localizao.

    Pipa no asfaltoA reportagem do jornal

    constatou que algumas crian-as que moram em bairros prximos rodovia Marechal Rondon se expem ao risco de atropelamento na margem da

    via para soltar pipa. A pre-ferncia pelo local que alm de ser livre de fios, geralmente so os locais mais altos que so escolhidos para a prtica.

    Em todos os bairros vi-sitados pela reportagem foi possvel perceber que a brin-cadeira com pipa poder ser

    Assim como a falta de opo de lazer noturno em Lenis, crianas e alunos so privados do direito de brincar e se divertir nas frias escolares; praas clamam por manuteno e colocam em risco quem insiste em us-las

    ainda maior que a prtica do futebol. O problema que, alm do risco pelos locais escolhidos, o uso de cortantes ainda comum.

    Na praa e na areia Na Vila Cruzeiro e Jardim

    Amrica esto as melhores

    quadras para a prtica de fut-sal. No Jardim Amrica ainda tem um campo gramado de fu-tebol muito bem conservado.

    Em todos os bairros a maio-ria dos campos de areia neces-sita de manuteno.

    Mas, quando se muda de regio, tambm prxima

    rodovia, a situao fica muito diferente. Na Praa Fbio Jos de Souza no tem bancos, ilu-minao ou qualquer condio para que o local seja usado. Tambm na Cecap, entre a Rua Paulo Ronai e Avenida Carlos Drumond de Andrade a situao tambm precria.

    Como j foi mostrado em ou-tras edies do Sabado, a praa (que no tem placa de identi-ficao) est completamente abandonada h vrios anos. Alm de no oferecer condies de uso aos moradores e, agora, estudantes, a praa de esportes oferece risco de acidentes para quem insistir em us-la.

    Segundo informaes de jo-vens moradores, nunca foi dada manuteno quadra e no incio do ano, at as tabelas que exis-tiam no local foram retiradas.

    Ainda na Cecap, enquanto a rea de lazer Maria Jos Batista dos Santos tem todos os cui-dados possveis e manuteno constante, o campo de futebol de areia que existia no estdio distrital do bairro foi comple-tamente extinto. Sem manu-teno, o campinho de areia deixou de receber cuidados e foi retirado at as traves do local.

    No Ncleo Luiz Zillo, a praa Joo Marchioli, chamado de Praa de Esportes, aparen-temente no recebeu nenhuma ateno desde que foi cons-truda. Moradores da regio e at familiares do momeado j reclamaram por manuteno e iluminao, alm de outros cuidados como grama e bancos, mas a reivindicao at esta semana no havia sido atendida.

    No computadorNa contramo dos estu-

    dantes que buscam nas pipas e no futebol algo para passar o tempo, existem aqueles que preferem ficar no conforto de casa com videogames, TV e internet. Para esse perfil de

    estudante, que possuem renda familair mais elevada, a opo de ficar em casa acaba sendo uma extenso do que ocorre no perodo normal de aulas.

    No clubeOs alunos da rede pblica

    que so scios do nico clube privado da cidade, o Clube Es-portivo Marimbondo, encon-tram uma enorme modalidade de esportes e lazer para suprir as horas vagas do perodo das frias. Diferente daquilo que ocorre com o poder pblico, o clube privado beneficia seus scios com equipamentos que passam constantemente por manuteno, oferecendo se-gurana e qualidade de servio ao associado.

    ParquinhosNos parquinhos infantis,

    sejam construdos em reas de lazer, ou em praas esportivas, a avaliao tambm varia en-tre o pior e melhor. Na Praa Helco Carani, na So Joo, e na Praa de Esportes Euclides Jernimo Ribeiro esto os recordes de abandono.

    No bairro Maestro Jlio Ferrari a preocupao ainda maior, j que o parquinho est completamente apodrecido, sem qualquer tipo de manu-teno aparente.

    Outros locais visitados pela reportagem esto utilizveis, mas, muito longe daquilo que deveriam oferecer. A falta de manuteno geral.

    Enquanto providncias mais efetivas no so tomadas pela Prefeitura, a populao de diversos bairros continua privada de reas de lazer com bancos e iluminao adequada prximas de suas casas, e que poderiam ser usufrudos com seus familiares inclusive para torcer pela seleo brasileira de futebol, durante as frias em perodo de Copa.

    Da redaoNa segunda rodada do

    Campeonato de Futebol Ama-dor da Srie A, no domingo, dia 8, o placar dos trs jogos foram idnticos, com vitria de Alfredo Guedes, Grmio Cecap e Sport Lenis por 3 a 0. A competio organizada pela Liga Lenoense de Fu-tebol Amador, com apoio da Prefeitura Municipal, atravs da diretoria de Esportes. Ama-nh, tem rodada do Grupo B.

    O jogo Alfredo Guedes e Juventus marcou a reabilita-o de Alfredo Guedes, que vinha de uma derrota para o Paulistano. Situao contrria ao Juventus, que no mostrou o bom desempenho da pri-meira rodada.

    No segundo jogo, entre o

    Amador tem rodada com placar de 3 a 0 em trs jogos no Brego

    Grmio Cecap e Paulistano, o Grmio que havia vencido na primeira rodada, manteve o ritmo e voltou a vencer. O destaque no placar de 3 a 0 foi Joo Gorgnio, que marcou todos os gols da vitria do Grmio Cecap.

    Encerrando a rodada, o Sport Lenis, que havia perdido na estreia, venceu o P.S. Guedes tambm por 3 a 0, tambm com destaque para o jogador Jlio Silva, que marcou todos os gols do Sport.

    Com os resultados da ltima rodada, o Grmio Cecap lidera o Grupo A com 6 pontos ganhos. Alfredo Gue-des, Juventus e Sport Lenis esto empatados em segundo lugar, cada um com 3 pontos. O PS Guedes ainda no mar-

    cou pontos no campeonato.O Campeonato Amador

    tem amanh rodada vlida pelo Grupo B, no ginsio municipal Archangelo Bre-

    ga, o Brego. Jogam Grmio da Vila e Santa Luzia, s 8h; So Jos e So Cristvo, s 10h, e Palestra e Expressi-nho, s 15h.

    Secretaria de Assistncia So-cial de Borebi, em parceria com o Conselho Municipal de Assistn-cia Social realizou no dia 4 deste ms palestra para as famlias atendidas pelo CRAS (Centro de Referncia de Assistncia Social) abordando o tema Orientao sobre benefcios eventuais no mbito do SUAS (Sistema nico de Assistncia Social).

    O objetivo da palestra, segun-do a responsvel pelo SAS, Apa-recida de Cssia Barbosa Moraes, foi divulgar a Resoluo CMAS n 04, de 30 de abril de 2014 que regulamenta os benefcios even-tuais. A palestrante Jussara Ca-nella deixou claro aos presentes que o benefcio eventual uma modalidade de proviso de prote-o social de carter suplementar e temporrio voltado s famlias que se encontram em momentos de fragilidades em virtude de

    nascimento, morte, situaes de vulnerabilidades tempor-rias, e, de calamidade pblica. Os benefcios eventuais sero concedidos mediante critrios e parecer tcnico de profissional do CRAS, justificando a concesso e apontando as providncias para a superao das contingncias sociais que provocaram riscos e fragilizaram a manuteno da unidade familiar, a sobrevivncia de seus membros ou a manu-teno da pessoa, explicou a palestrante.

    O evento oportunizou o es-clarecimento de dvidas por parte da populao usuria e um bom debate. A divulgao dos benef-cios e servios um dos objetivos da equipe de Assistncia Social de Borebi, no sentido de forta-lecer a perspectiva do direito e a facilidade de acesso da populao usuria, complementou Cssia.

    SAS Borebi promovepalestra sobre benefcios eventuais de Assistncia

    NO CHO | Partida de uma das fases do Amador, realizada no Brego

    OPO | Crianas e jovens no tm muita opo de lazer neste perodo de frias; apesar de vrias praas de esporte distribudas pelos bairros, nem todas oferecem segurana e tem condies de uso; a falta de opo leva crianas a buscar nas pipas uma diverso e, com elas, o risco contido no mpeto da brincadeira, que em muitos bairros, como Primavera, Cecap e Repke levam as crianas para as margens das rodovia, correndo risco de acidentes

    LIXO | Adolescentes passam por quadra abandonada na Cecap: traves de gols e tabela de basquete foram tiradas, lixo e sujeira se acumulam na praa. Alambrado arrebentado oferece risco de acidentes

  • HORSCOPO - CULINRIA 7LENIS PAULISTA, 14 DE JUNHO DE 2014

    Fotos: Billy Mao

    HORSCOPO

    AR

    IES

    TO

    UR

    O

    GE

    ME

    OS

    CA

    NC

    R

    LE

    O

    VIR

    GE

    M

    LIB

    RA

    ESCO

    RPI

    O

    SARG

    ITR

    IO

    CAPR

    IC

    RNIO

    AQ

    U

    RIO

    PE

    IXE

    S

    Concilie melhor o seu tem-po para dar mais ateno ao romance, pois poder receber cobranas de quem ama. Na intimidade, quanto mais descontrao, melhor.

    No trabalho, h chance de alcanar os seus objetivos. Faa planos e aproveite as suas ideias, mas v com calma. Cuidado com oportunistas. Olho vivo com pessoa prxi-ma, nem todos so de confiana.

    A dois, estar mais reservada. No trabalho, desejar se dedi-car a atividades diferentes. Use a sua criatividade e alie-se aos colegas no trabalho. J em ma-tria de dinheiro, seja cautelo-

    sa. Em famlia, em vez de forar a barra para conseguir o que quer, aposte no dilogo. Ser mais fcil conseguir adeptos com bons argumentos do que com imposies.

    Tranquilidade nas coisas do corao, s tente dominar a insegurana. Ter vontade de se envolver. Muita coisa boa vai rolar na intimidade. Fique de antena ligada nas

    oportunidades. Mudana de emprego ou profisso promete ser benfica. Diminua os gastos e controle melhor seu oramen-to. Boa fase para reforar o amor pelos entes queridos.

    Um certo mistrio pode envolver a sua vida senti-mental. O romance pede cumplicidade. Seja discreta quanto ao seu caso. No se intimide diante dos obs-

    tculos. Trabalhe em equipe e lapide seus relacionamentos. Seja mais prudente nos gastos. Procure ser mais tolerante com os familiares, sem deixar que imprevistos af-etem seu humor.

    Traga outros estmulos para o seu romance e a paixo brilhar muito mais. Na vida sentimental, haver maior intimidade. No faa corpo mole diante das

    tarefas que parecem complicadas. Acelere o ritmo do seu trabalho. O dinheiro vir de acordo com o seu esforo. Em famlia, ter que ser flexvel para se adaptar a uma nova situao.

    A Lua Crescente aumenta a inspirao para amar. o momento ideal para mel-horar o relacionamento a dois. Forte sensualidade. A competitividade estar

    acirrada no trabalho. Vai produzir mais em grupo. As condies financeiras so tentado-ras, mas preciso respeitar a suas limitaes. Cuidado: voc pode se desentender com as pessoas que convive.

    Ter xito em conquista amo-rosa, mas no pegue tanto no p, pois pode assustar o seu par. Muita inspirao para amar. Procure trabalhar em equipe. Novas oportunidades

    devero aparecer. V atrs dos seus inter-esses materiais sem demora. Poder se li-gar mais nas pessoas prximas, s que tam-bm vai estar exigente. Controle-se!

    A Lua Crescente vai excitar o romance e estimula a sua criatividade e a atrao pelo mistrio. Momentos emocio-nantes podero ser vividos. Maneiras alternativas de

    ganhar dinheiro podem vir tona, porm, cuidado para no se sobrecarregar de trabal-ho. No faltar sensibilidade para melhorar o convvio familiar. Poder se divertir com amigos e familiares.

    Tudo bem no amor. Alts-simo astral para amar, mas cuidado com intromisses. Sentimentalmente, est na hora de romper com o pas-sado. Quem trabalha em

    casa conta com timas vibraes. Procure administrar melhor ao sua vida financeira, ou vai ter que fazer economia. Questes familiares podem tirar seu sossego.

    Nesta semana suas reaes tornam-se mais intensas. No radicalize em suas atitudes. Resolva os pro-blemas conversando. Ter mais vontade de amar. O

    aspecto lunar aumenta sua vontade de aprender e aperfeioar-se na profisso. Fique de olho nas oportunidades de pro-gresso que se abrem. Com os parentes, o astral ser timo.

    Clima meio tenso no amor. Para quebrar, demonstre sua generosidade a quem ama. Ter que se esforar no servio, por isso, no espere moleza. Mostre o

    quanto responsvel. Abra os olhos com gastos e investimentos arriscados. Respon-sabilidades e obrigaes podem ter um peso maior no astral familiar e devem concentrar suas atenes.

    Pare se se preocupar com o romance, hora de abrir a guarda e relaxar. No deixe que assunto financeiro in-terfira na relao. Estar motivada a buscar maneiras alternativas de ganhar din-

    heiro. Uma atividade informal pode ajudar a equilibrar o seu oramento. Nas questes domsticas ter determinao para resolver assuntos pendentes.

    Receitaspara voc!Por Paulo Campanholi

    TIRINHAS

    CUPIM NA LARANJA COM PUR DE CENOURA

    MODO DE PREPARO Elimine as aparas do cupim e coloque em uma panela de presso com o leo bem quente.

    Ao dourar de maneira uniforme, acrescente as cebolas, o suco de laranja, o sal e a pimenta-do-reino. Tampe e cozinhe por 1 hora e 35 minutos ou at a carne ficar bem macia. Retire do fogo, tire a presso da panela e abra-a. Retire a carne e as cebolas. Re-serve.

    Na mesma panela de presso incorpore a cenoura. Tampe. Cozinhe por mais 15 minutos. Retire do fogo, tire a presso da panela e abra-a.

    Passe a cenoura por um espremedor de batata, aparando em uma tigela. Misture 2 colheres (sopa) do molho de cozimento na cenoura.

    Sirva a carne fatiada com a cebola fatiada, o pur de cenoura e quiabo frito. Decore com salsinha. Bom apetite!

    Apario de ovnis assusta e empolgamoradores da cidade e da zona rural

    OLHA | Apesar das aparies, muita gente pode confundir ovnis com jatos que passam muito alto

    NO CU | Octaclio observou o objeto sobre sua casa acompanhado da filha e de seu neto

    Ingredintes:800 g de cupim2 colheres (sopa) de leo de soja2 cebolas mdias descascadas litro de suco de laranja2 colheres (ch) de sal1 colher (ch) de pimenta-do-reino3 cenouras mdias descascadas e em rodelas grossasPara acompanhar: quiabo fritoPara decorar: salsinha

    Billy MaoO assunto ovni esteve pre-

    sente em vrias edies do jornal Sabado do Povo que agora, volta ao tema depois que um lenoense relatou ter visto vrias luzez estra-nhas cortanto o cu da cidade durante uma madrugada da semana passada. Por se tornar motivo de chacota e brincadei-ras, muita gente no comenta sobre esses avistamentos que vm, dia a dia, tornando-se mais comum.

    Tambm na semana pas-sada, um objeto aparentando ser um balo rascou o cu lenoense. O objeto era aver-melhado com tons azulados e depois mudou de cor para tons verde-azulados. Primeiro, pa-recia vir da direo de Alfredo Guedes, em uma altitude apa-rente de mil metros. Quando se aproximou da cidade, subiu para uma altitude aparente de mais de trs mil metros.

    Morador de longas datas da gua do Caraguat, Octaclio Alves, 64 anos, contou em seu depoimento ao Sabado do Povo que em abril deste ano, enquanto conversava com sua filha no quintal do stio onde mora, percebeu no cu uma luz. Os dois, ento, passaram a observar o objeto que girava em seu prprio eixo em uma altura relativamente baixa. Estvamos conversando, quando percebi aquela luz pairando no ar. Minha filha fi-cou comigo observando. Meu neto tambm viu o objeto, que ficou parado no mesmo lugar por cerca de 40 minutos. En-tramos para casa e o objeto,

    que no conseguimos identi-ficar, ficou l, parado, contou.

    No foi a primeira experi-ncia de Octaclio. Quando es-tava entrando na fase adulta e era tratorista, presenciou uma cena digna de cinema. Duas luzes sobrevoaram o trator que ele usava no trabalho durante pelo menos uma hora. Contei o caso para vrios amigos, mas a maioria fazia piada e no acreditava. Certo dia, um amigo foi fazer meu trabalho no campo e tambm viu o fenmeno, disse, descre-vendo a dana das luzes, que pareciam soltar um rastro de partculas brilhantes sobre ele.

    Larissa Luchesi tem 17 anos e tambm j avistou coisas estranhas no cu. Era uma luz parecida com uma estrela, ela ficou parada por

    um tempo e depois comeou a ir de um lado para o outro, muito rpido. Mesmo assim, deu para v-la, e depois ela sumiu. Porm, ela ficou mais brilhante antes de sumir. Larissa observou esse fato em frente ao estabelecimento comercial de sua famlia, no Jardim das Naes.

    Tereza Leite de Lima uma senhora de 63 anos e fez um relato impressionante. Contou que voltava de Macatuba com seu marido, de moto, quando perceberam que uma forte luz os seguia.

    O casal no parou para ver do que se tratava, como acontece com a maioria das pessoas. Em princpio acha-ram se tratar de outro veculo que vinha tentando uma ultra-passagem com os farois altos.

    Mas perceberam que o objeto estava a uma altura elevada do asfalto. Alguns instantes depois o objeto sumiu.

    Em outra ocasio, no mes-mo local, o objeto novamente apareceu s que desta vez Tereza e o marido estavam de carro e ela pode perceber que se tratava de um objeto grande, com uma luz muito brilhante que fazia investidas sobre o veculo, at que desa-pareceu de repente. Ficamos assustados e sem saber o que era aquilo. Parecia um avio tentando nos alcanar, disse.

    Os relatos no param. Sa-mira Cardoso, moradora do Jardim Amrica, consegui ver com detalhes um objeto no final do ms passado em frente sua residncia.

    Segundo a mulher, ela per-cebeu algo estranho e viu que no se tratava de um avio. O que eu vi era uma bola doura-da com um circulo prata em volta e dava flashes coloridos de azul e vermelho. Conforme a gente olhava, ela ia se apro-ximando, at que sumiu. Vi uma vez, de madrugada perto das cinco da manh.

    Samira conta que um dia, quando viu novamente as luzes, chamou o marido e tambm sua vizinha, Maiara Lima, para que fossem teste-munhas do fato. Contei para minha vizinha que havia visto algo estranho e ela me pediu para cham-la quando acon-tecesse. Naquele dia, chamei ela e tambm meu marido. Foi assustador, pois parecia estar muito perto das casas, dava para ver detalhes. Me arrepia

    s de lembrar, contou.Flvia Soares disse repor-

    tagem que conseguiu ver por duas vezes objetos voadores no identificados em Lenis Paulista. Flvia contou que de sua casa na Avenida Padre Salstio Rodrigues Machado viu algo que parecia uma es-fera incandescente no cu. A bola de fogo se movimentava rapidamente. No era muito tarde da noite, havia acabado de escurecer quando percebi. Em outra ocasio, Flvia esta-va em uma chcara no bairro de Virglio Rocha quando viu o fenmeno. No sei explicar o que era, s sei que brilhava muito, contou.

    Por mais comum que as aparies possam ser, muita gente alm de no acreditar, faz deboche daqueles que relatam ter visto algo difrente. certo que em alguns casos os obje-tos podem ser bales, avies e at mesmo satlites ou lixo espacial refletindo a luz solar,

    porm, vrios relatos so re-cheados de detalhes e emoo.

    A reportagem do Sabado do Povo j seguiu por qui-lmetros, na zona rural, uma luz que aumentava e diminuia, mudando de cor. A mesma luz observada por moradores do Jardim Itamaraty e arredores. Um morador do Parque An-trtica fotografou o objeto que sobrevoou o Itamaraty.

    Nas redes sociais e na Inter-net existem inmeros relatos de avistamentos. Nada foi com-provado sobre seres de outros planetas nos visitando, porm, algo fora do normal pode estar acontecendo em nosso muni-cpio e tambm nos vizinhos. Talvez, o que ocorra que as pessoas estejam mais obser-vadoras e esses objetos menos cuidadosos.

    O certo que em dado momento a verdade dessas aparies e suas intenses vir a pblico e todos sabero, de fato, do que se trata.

    Motivo de piada, assunto ovni permanece oculto; poucos tm coragem de assumir que viram algo diferente no cu

  • LENIS PAULISTA, 14 DE JUNHO DE 2014SUA IMAGEM10

    AvilapanAvilapanPRODUTOS DE PADARIAS E CONFEITARIASFERMENTO FRESCO LEVASAF

    Elson Avila

    (14) 99643.4517Rua Otaviano Brizola, 168 - Vila Mamedina _ Lenis Paulista - SP

    Fone: 14-3263.7300 - e-mail: [email protected]

    ACEITA-SE CARTES DE CRDITO

    FESTA - Na ltima quarta-feira, dia 11 de junho, Carol completou 2 anos de idade. E recebeu os parabns dos pais Roger e Carla, da irm Isabely e de todos os amigos que desejaram muita sade e felicidade garotinha.

    FESTA - Igor Alexandre de Oliveira completa na segunda-feira, dia 16, 21 anos de idade, para orgu-lho dos pais Tnia e Billy, das avs Dita e Eurides, mas, principalmente, da irm Maria Clara. Sade e sorte o que todos de-sejam, agora que o jovem assumiu o leme de vez. Bjos de todos.

    MELHOR SADE - Alm da tradicional caminhada, no dia 13 de junho, a equipe da EACS (Estratgia de Agentes Comunitrios de Sade) do Jardim Ubirama promoveu um caf da manh com o grupo que faz controle de diabetes e hipertenso. O evento ocorreu na Praa da Rolamar, com muita msica e enfeites alusivos Copa do Mundo e festas juninas. No perodo da tarde, as atividades continuaram no salo da matriz de So Jos, com palestras sobre nutrio e qualidade de vida. Para os moradores do bairro que se interes-sarem toda sexta-feira, a partir das 7h30, a equipe realiza alongamentos e caminhada monitorada.

    Ktia Sartori/Assessoria de Imprensa

    _GoBack_GoBack_GoBack_GoBack