Sabadao 76

Click here to load reader

  • date post

    01-Apr-2016
  • Category

    Documents

  • view

    223
  • download

    0

Embed Size (px)

description

Jornal semanal com circulação gratuita.

Transcript of Sabadao 76

  • MatrizRua Anita Garibaldi, 650

    Centro - Lenis Paulista/SP(14) 3264-3340

    3263-3985

    FilialAv. Pe. Saltio R. Machado, 563

    Centro - Ao lado do Frum(14) 3264-8248Procure o mais indicado para voc!

    Quer eliminar gordura ? Ns temos a soluo!CELISTAT E ORLISTAT

    2 DE AGOSTO DE 2014 - EDIO N 76 - ANO 2 - LENIS PAULISTA - CIRCULAO REGIONALMxima: 31CMinina: 15C

    Mxima: 31CMinina: 16C

    HOJE AMANH

    Fonte: Climatempo

    ARTE - Trabalho do artista Nno expe de forma simples a beleza da arte de rua. Posto do Jlio Ferrari

    ACATOU - O deputado Marco Feliciano (PSC) ao receber pedido do vereador Anderson Prado de Lima (PV)

    LIXO - Linguagem de pichadores, tem possibilidade de virar arte, mas, por enquanto, vandalismo. Posto da Cruzeiro

    Prefeita chama base aliada para definir Facilpa

    Prado consegue verbapara estudo do trnsitocom deputado do PSC

    NOVIDADES

    Pichaes invadem Lenis novamenteVeja matria sobre o assunto e o ato que est tirando o sono da populao e das autoridades lenoenses na Pgina 2

    A creche Lcio de Olivei-ra Lima, prxima Biqui-nha, no centro de Lenis Paulista manteve um de seus berrios sem funcionamen-to durante o primeiro semes-

    tre deste ano, deixando de atender at 12 crianas com idade entre seis meses e trs anos, devido falta de funcionrios.

    A informao foi con-

    firmada pela diretoria de Educao esta semana, aps questionamento da reporta-gem do jornal Sabado do Povo, em meio discusso que se acirrou nos ltimos

    dias, sobre o atendimento das creches municipais aps o acidente que deixou quei-maduras de segundo grau em uma criana de cerca de um ano, quando estava na

    creche Augusta Parpinelli Zillo, na Vila Cruzeiro.

    Alm do nmero insufi-ciente de vagas, que levou a assinatura de um TAC, em abril deste ano, entre

    o Ministrio Pblico e a prefeitura de Lenis Pau-lista, a falta de mo de obra, inclusive entre os cargos de diretores tambm ganhou repercusso. Pgina 5

    Idosa atropeladana Rua Paran

    Fotos: Billy Mao

    Fotos: Billy Mao

    Berrio de creche est fechado h seis meses por falta de funcionrios; prefeitura no pode contratar

    Alckmin antecipa a Dr. Pita reforma da UTI de hospital

    NOVIDADES

    O governador Geraldo Alckmin (PSDB) con-firmou ao presidente do Legislativo lenoense Humberto Jos Pita (PR), que o governo estadual ir liberar recursos para a reforma da UTI do hospital Nossa Senhora da Piedade, em 2015. O anncio foi feito nesta sexta-feira, dia 1, durante a abertura da Agrifam, organizada pela Fetaesp (Federao dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de So Paulo). Alckmin participou da abertura da feira de agricultura familiar que acontece at amanh, no recinto da Facilpa. Com ele estava uma caravana de secretrios estaduais, alm de autoridades ligadas ao setor. O candidato a senador por So Paulo, Gilberto Kassab (PSD), tambm esteve na abertura do evento. Pgina 6

    O pedido do vereador do PV e presidente da Acilpa (Associao Comercial e Industrial de Lenis Pau-lista), Anderson Prado de Lima, para a elaborao de um estudo de gerenciamento do trfego da cidade, feito ao deputado federal Marco Fe-liciano (PSC) foi atendido.

    O deputado esteve em Len-is Paulista no ms de junho,

    mas o escritrio poltico de Feliciano, em So Paulo, enviou ao vereador, na ltima quinta-feira, dia 31, uma carta confirmando o atendimento do pedido . No documento, a assessoria do deputado expli-ca que devido ao perodo elei-toral as emendas para repasse sero apresentadas no ms de novembro para que sejam includas no oramento

    de 2015.Feliciano esteve em Len-

    is para participar de um culto evanglico na igre-ja Luz para as Naes e, posteriormente, em uma reunio poltica, a pedido do presidente do PSC local, Washington Scarparo ouviu sobre um dos maiores pro-blemas da cidade que o caos no trnsito. Pgina 3

    A prefeita Izabel Lorenzetti (PSDB) convocou os vereadores de sua base de apoio para uma reunio, em sua casa, na tarde de ontem, para decidir sobre a rea-lizao da Facilpa. A reunio foi decidida depois que a Cmara, em unanimidade, negou o seu pedido para retirar da votao o projeto que trata da concesso do recinto e do formato da feira. O receio dos vereadores foi de que, retirando o projeto, a deciso dos rumos da Facilpa fosse tomada por decreto, sem dar direito Cmara de inter-ferir. Caf com Poltica Pgina 3

    Ser que vo esperar algum morrer? Essa a pergunta de moradores dos bairros So Joo, Contente e regio, e quem passa pelo cruzamento da Rua Paran e a Avenida Jos A. Lorenzetti, na altura do Jardim Nelli, devido quantidade de acidentes ocorri-dos no local. No incio da noite de quarta-feira, dia 30, uma senhora que atravessava a via foi atingida por um motociclista. Testemu-nhas contaram que a iluminao precria do local teria dificultado a viso do motociclista, j que ele estaria trafegando dentro da velocidade permitida. Pgina 6

  • LENIS PAULISTA, 2 DE AGOSTO DE 2014CIDADE2

    RUA RIO GRANDE DO SUL, 367FONE: 3269.2300

    RUA RIO GRANDE DO SUL, 367 - VILA CRUZEIRO - LENIS PAULISTA - SP

    DISQUE MARMITEX:FONE: 3269.2300

    PARTIR DE R$10,00

    Cerveja Brahma 300 ml - un.R$1,29

    Aucar cristalAlto Alegre - 5 KgR$6,99

    Franco inteiroSanta Ceclia - KgR$2,98

    Ms de aniversrio!

    CHEQUE PR PARA 40 DIAS

    Ofertas vlidas : 02-03-4/08/2014

    No ms de AGOSTO o Santo Expedito faz 31 anos e sero 31 dias presenteando voc!

    So 31 sorteios. Um por dia.Venha para o Supermercado Santo Expedito!

    Cuidando bem da sua

    famlia!

    Contra fil Angus Frigol - KgR$19,99

    VANDALISMO

    LIMPEZA DE TELHADOS - PEDRAS - FORROS - LAGESE IMPERMEABILIZAO - LIMPEZAS GERAIS

    Ligue e pea um oramento:

    14 - 3263.4528 e 9.97857646AV. 9 DE JULHO, 999 - CENTRO - LENIS PAULISTA

    ESTRUTURAS METLICASA | PORTES | GRADES | ESCADAS | MANUTENES DIVERSAS

    VRIAS OPES DE PORTES PARA SUA

    RESIDNCIAPichaes extrapolam poluio visuale causam danos materiais a moradoresAumento de pichaes foi mostrado pelo Sabado do Povo em abril; trs meses depois, cidade est tomada pelo vandalismo e pouco foi feito para evitar danos

    Parque Parado mais cuidado eseguro para o lazer durante o dia

    Billy MaoNa edio 60 do jornal Sa-

    bado do Povo, a chamada de capa apontava que a pichao estava avanando na cidade e nem prdios pblicos e templos religiosos eram pou-pados. A principal arma para identificar as pessoas que pra-ticam este tipo de vandalismo so as cmeras de segurana.

    Informao da poca re-passada pela assessoria da prefeitura apontava para o funcionamento de apenas algumas cmeras em pontos estratgicos da cidade e que no havia definio de data para a implantao de outros aparelhos em outros locais da cidade. Porm, placas e postes esto instalados em alguns bairros, mas sem o equipamento que permite a

    Billy MaoApesar de pequenas falhas,

    o Parque Parado,situado no centro de Lenis Paulista, no final da Rua 15 de Novembro considerado, por frequentadores, mais seguro durante o dia, e mais tranquilo para prtica de lazer.

    O Sabado do Povo conver-sou com frequentadores e cons-tatou que algumas reclamaes so pontuais, como um nico banheiro que existe no parque - usado pelas escolinhas de futebol, que utilizam o campo para treinos - e a falta de mais

    identificao de vndalos.O problema que incomo-

    da a populao diariamente tambm causa medo e indig-nao. Na Cmara Municipal, vereadores questionaram as aes que deveriam ocorrer e cobraram a administrao sobre a instalao dos equi-pamentos de filmagem. O as-sunto j havia ganhado espao na Casa de Leis depois que o Sabado publicou matria sobre o caso, desta vez o coro do Legislativo veio depois que um morador reclamou sobre pichaes em sua residncia, depois de terminar pintura em muro e portes.

    As pichaes no so pon-tuais e muito menos locali-zadas apenas nos bairros da cidade. Mas, chamaram ainda mais a ateno dos moradores

    depois que a Rua Pedro Na-tlio Lorenzetti e Avenida 9 de Julho amanheceram com pichaes do incio ao fim em seus prdio e casas.

    Uma moradora que pediu anonimato informou que pi-chadores pularam o muro de sua residncia para deixar a marca na parede de mais de oito metros de altura. No da para identificar as pessoas que fazem isso e nem se uma rivalidade entre gangues. Quando acordamos de madru-gada, com barulhos, estava l a pichao, pela metade. Temos medo de que possam fazer algo, j que conseguem fazer isso sem que sejam pe-gos, disse temerosa.

    O Sabado conseguiu apu-rar que no outro dia, no final da madrugada o grupo voltou para terminar o servio. Sem reconhecer os rapazes, alguns trabalhadores teriam visto um pequeno grupo munido com bambus e baldes, pulando um muro de residncia. Como ainda estava escuro, ningum foi identificado.

    Ainda na Cmara, verea-dores pretendem criar Leis que monitorem quem compra

    determinados tipos de tintas nas casas especializadas do municpio.

    Na outra pontaCom apoio do Grupo

    Lwart, o artista Nno esteve em Lenis Paulista atravs do ProAC para fazer vrias incurses em grafite. Nno grafitou prdios pblicos e alguns muros previamente escolhidos, demonstrando que arte de rua pode ser feita com responsabilidade e acrescentar cultura cidade.

    Mas no s artista reno-mado que faz bons trabalhos. Em Lenis Paulista, o artista Cristiano Pacola, o Pacolinha, vem desenvolvendo um traba-lho onde aplica a arte do graffi-ti em projetos comerciais como a fachada da academia Garra de Tigre, na Vila Cruzeiro. Pacolinha tambm tem produ-zido vrios trabalhos sociais, em busca de parcerias para o custo dos produtos usados. Os trabalhos de grafite do artista podem ser vistos no prdio do Corpo de Bombeiros, no muro do almoxarifado municipal, na Avenida Padre. Salstio e em outros pontos da cidade.

    u

    pontos de hidratao. Para um frequentador, o par-

    que um timo local para colocar a sade em dia. Venho aqui todas as tardes, fao alongamen-tos e caminhadas, depois, sigo para minha casa, disse. Outro frequentador apontou que a falta de mais iluminao, quando co-mea a escurecer no final da tarde, colabora para que as pessoas no avancem para o perodo da noite. Apesar da iluminao, os arredo-res ficam escuros e vrios usurios de drogas acabam aparecendo por aqui, contou.

    O rio Lenis que passa ao lado do Parque outro atrativo para quem busca algumas horas de descontrao. Uma moradora do Jardim Maria Luza, contou que gosta de ir ao parque por ser bem frequentado durante o dia e aponta o rio como um atrativo a mais. Gosto de pescaria, mas aqui s para passar o tempo. Venho com meu irmo, que gosta

    muito de pesca. Este parque mais tranquilo. Outro dia havia famlias fazendo piquenique, com toalhas na grama e as crian-as brincando. Gosto daqui, falou.

    As escolinhas de futebol tam-

    bm encontram espao no par-que. Na tarde de tera-feira, enquanto um grupo usava o campo de futebol, outro apro-veitava uma das poucas quadras da cidade, que ainda tem areia, para treinar.

    Leite Pantalat caixinha - litroR$2,29

    leo de sojaSuavit - Lt R$2,48

    ANUNCIE NO

    SABADO DO POVO

    VOC QUER REALMENTE DIVULGAR SEU PRODUTO?

    QUER QUE ELE SEJA LEMBRADO E CONSUMIDO? 32631740

    32631740

    ARTE | Trabalho em grafite de Pacolinha

    SUJEIRA| Muros e casas pichados sujam o visual da cidade e causam prejuzo e medo a moradores, que sentem invaso de pichadores

    LAZER SEGURO| Apesar de dias frios, movimento em parque grande, principalmente durante o dia, j que iluminao no d segurana noite

    Fotos: Billy Mao

  • Calote - A notcia de que a prefeitura no sabe quando pode-r dar o reajuste ao funcionrio pblico municipal demonstra claramente que a preocupao em manter intocveis os car-gos de alto escalo, continua ser a mxima na administrao.

    Calote 2 - Na campanha de reeleio da eleio passada um diretor municipal teria afirmado para uma centena de pes-soas que o alto escalo estaria seguro at o final do mandato. J os cho de fbrica, no teriam tanta segurana assim.

    Situao difcil - O problema neste caso que a folha de pagamento no pode estourar, j que beira o limite pruden-cial. A prefeita estaria temendo cometer improbidade admi-nistrativa e ficar carimbada!

    Quem? - Uma fonte no Pao Municipal contou a Coluna que mesmo que os servidores comissionados fossem demitidos pou-ca coisa mudaria na situao. O corte, segundo a fonte, teria que ser mais profundo. Teria que acontecer uma fora tarefa na re-duo de cargos e salrios. Mais ai surge outra pergunta: quem se submeteria a reduzir seus proventos para acontecer o reajuste que poder sofre um grande calote este ano?

    No breu - Enquanto vrios municpios do Estado se deba-tem na Justia para no ter que arcar com o nus da infraes-trutura da iluminao pblica, em Lenis, a foto de entrega de geladeiras pela CPFL ilustrada com a imagem da pre-feita. A demonstrao de que a prefeitura dever assumir a conta vai ficando cada dia mais clara.

    Santinho - No haver auxlio transporte para alunos que ini-ciarem os estudos neste 2 semestre. So palavras sadas da C-mara Municipal. Mais uma vez a promessa vai ficar no papel e, ao que parece, a prefeitura no vai cumprir a lei, mais uma vez.

    Nada fcil - Outra conversa que chegou at a Coluna que devido aos percalos no decorrer deste segundo mandato da prefeita Izabel (PSDB), sua aceitao estaria caindo. Isso pode estar ocorrendo se levada em considerao a dificuldade em administrar a cidade devido todos os problemas externos.

    O comeo do comeo - Na contramo est correndo o ve-reador Anderson Prado que no perdeu tempo e enfiou um pe-dido de recurso para o estudo do trnsito ao deputado Marco Feliciano (PSC) que esteve em Lenis. O estudo dever ser feito por um engenheiro de trfego de uma empresa respeitada do ramo e com know-how. Depois, com o estudo em mos, vem a parte mais difcil: convencer o departamento de trnsito municipal que o estudo srio e deva ser colocado em prtica. No duvide, ser outra batalha. Olhe l se no for necessrio a populao propor um plebiscito para a aplicao do estudo. Da forma que o trnsito flui na cidade, nada impossvel.

    Plano... - Outro ponto que favoreceria essa queda a acen-tuao de opinio do cidado sobre o caos no trnsito, os pro-blemas relativos a Sade e a falta de emprego.

    ... De governo - Para fazer um sucessor, a prefeita ter que apostar todas as fichas no prximo ano e parte de 2016. Claro, at l muita coisa dever acontecer e poder mudar o rumo de muita outras coisas. Esperemos que para melhor.

    Otimista - Uma dessas mudanas, segundo o vereador Tip, tem que ser o humor da administrao. Para ele, que tem cobra-do e apontado solues, a prefeita Izabel e seu vice Marise esto muito pessimistas em relao aos rumos da cidade. Lenis pujante, no merece este pessimismo todo, disse.

    Cad? - Com todo esse cuidado com o dinheiro pblico que a prefeitura tem demonstrado, suas diretorias esto deixan-do passar um dado importante. Vrios impressos com infor-mao do municpio esto circulando sem os valores gastos. Quando a informao mostrada, em alguns casos, sai apenas o valor da impresso, que normalmente baixa, porm o preo da produo omitido. Que o grosso do negcio.

    POLTICA 3LENIS PAULISTA, 2 DE AGOSTO DE 2014

    Confirmao de verba garante que estudo seja feito pela primeira vez na cidade, mas mudanas efetivas dependem da Prefeitura

    FIM DO CAOS?

    Tnia MorbiO pedido da prefeita Izabel

    Lorenzetti (PSDB) para retirar da votao o projeto de lei que altera a concesso do recinto Jos Oliveira Prado (Facilpa) Associao Rural de Lenis Paulista foi rejeitado pelos vereadores, na sesso de volta do recesso parlamentar, na se-gunda-feira, dia 28. A deciso foi unnime.

    O receio dos vereadores foi de que, com a retirada do pro-jeto a prefeita determinasse a concesso Associao sem submeter sua deciso Cma-ra, atravs de decreto, dando direito da entidade continuar usufruindo do espao pblico pelo tempo que o Executivo julgasse correto.

    Com a negativa dos verea-dores, o projeto de concesso fica adiado por tempo indeter-minado e a discusso sobre os moldes de realizao da feira e explorao do espao pblico aguarda a reunio proposta no-vamente pela Cmara, que deve ocorrer neste ms de gosto.

    Por duas vezes a Cmara tentou promover o encontro, que no aconteceu pela falta tanto de representantes da prefeitura quanto da entidade.

    Cmara nega retirada de projetoda Facilpa pedida pelo Executivo

    A expectativa dos vereadores que o encontro de agosto ocorra, por ter sido proposto pela base de apoio prefeita, com aprovao de todos os vereadores, para que as pen-dncias relativas concesso sejam resolvidas.

    O que no mudaA Lei 4.454, de maro de

    2013, determina a concesso do recinto Associao Rural at dezembro de 2014, alm de estabelecer outros detalhes para o uso do espao pblico pela entidade, como a respon-

    sabilidade por autorizar ou no a utilizao do recinto por outras entidades para a reali-zao de eventos e promover adequaes de acessibilidade, entre outros.

    Em junho de 2013, a pre-feitura encaminhou projeto alterando a lei e estabelecendo que a Associao poderia usu-fruir do recinto at dezembro de 2016. No mesmo projeto, o Executivo incluiu a Casa Abrigo Amorada entre as enti-dades assistenciais que podem usufruir gratuitamente do es-pao para venda de produtos,

    durante a Facilpa.Mas, o projeto recebeu

    emenda que determina o li-mite de R$ 15 para a cobrana de shows durante a Facilpa, e os vereadores aguardavam encontro com a prefeitura e representantes da ARLP para decidir outros detalhes.

    O pedido negado esta se-mana foi justamente para a retirada do projeto que altera a lei, permanecendo assim, o limite at dezembro deste ano para a concesso do recinto e a emenda que estabelece o limite da cobrana em shows.

    Aps cinco meses, desde que anunciou que no poderia conceder o reajuste da maio-ria dos servidores pblicos, devido ao desequilbrio entre as finanas e a folha de paga-mento, a prefeitura de Lenis Paulista divulgou esta semana que no tem previso para o pagamento do reajuste, j que as medidas tomadas para equacionar o problema no foram eficientes. Outra infor-mao de que a prefeitura no ir pagar os meses em atraso, impondo uma perda, at agora, de cinco meses de reajuste aos trabalhadores.

    A informao sobre a inefi-cincia das medidas para equi-librar a folha de pagamento e arrecadao foram enviadas ao vereador Jonadabe Jos de Souza (SDD), em resposta a um requerimento de sua auto-ria, mas tambm divulgadas no prprio site da prefeitura, em um texto assinado pela prefeita

    Prefeitura diz que no sabe quandoir pagar reajuste a servidores

    Izabel Lorenzetti (PSDB)O texto pontua os pagamen-

    tos feitos at agora, que esto previstos em lei, como sendo motivo de comemorao. Entre eles, a premiao por mrito e progresso salarial. Mas, tambm ressalta que as metas estabelecidas em junho para manter o equilbrio entre arrecadao e folha de paga-mento no foram alcanadas.

    A prefeitura afirma que ten-ta no voltar a atingir o ndice prudencial entre a folha e a arrecadao, o que implicaria em restries administrao municipal, mas no aponta quais novas medidas estariam sendo implantadas para atingir o objetivo, inclusive a reduo de cargos de confiana ou comissionados.

    Cerca de 1.300 servidores esto sem reajuste dos sal-rios este ano. A deciso pelo adiamento do pagamento, que por lei deveria ser feito anual-

    mente em maro, foi aprovada na Cmara.

    Apesar da prefeitura de Lenis Paulista enfatizar a perda de arrecadao como motivo das dificuldades, na

    regio prxima ao municpio, todas as cidades concederam o reajuste, inclusive aquelas com queda importante de ICMS, como o caso de Ma-catuba.

    Deputado far repasse para estudo do trnsitoBilly Mao - Tania MorbiA soluo para os proble-

    mas do trnsito lenoense, que atingem motoristas e pedes-tres, deu um passo importante durante esta semana. O pedido do vereador do PV e presi-dente da Acilpa (Associao Comercial e Industrial de Len-is Paulista), Anderson Prado de Lima, para a elaborao de um estudo de gerenciamento do trfego da cidade, feito ao deputado federal Marco Feliciano (PSC) foi atendido.

    O deputado esteve em Lenis Paulista no ms de junho, mas o escritrio poltico de Feliciano, em So Paulo, enviou na quinta-feira ao vereador, uma carta afirmando o atendimento do pedido de re-passe de verbas. No documento a assessoria do deputado explica que devido ao perodo eleitoral, as emendas para repasse sero apresentadas no ms de novem-bro para que sejam includas no oramento de 2015.

    Feliciano esteve em Lenis Paulista no ms passado para participar de um culto evangli-co na igreja Luz para as Naes e, posteriormente, em uma pe-

    quena reunio poltica, a pedido do presidente do PSC local, Wa-shington Scarparo ouviu sobre um dos maiores problemas da cidade que o caos no trnsito.

    Washington contou ao Saba-do que disse pessoalmente ao

    deputado que Lenis precisava de apoio. Convidei todos os ve-readores para participar do culto. Foram os vereadores Jonadabde de Souza, Gumercindo Ticianelli e Anderson Prado, alm do ex--prefeito Jos Antonio Marise.

    Depois do culto, pedi que ao Marco que ouvisse o que eles tinham a dizer. O Prado pediu apoio para o assunto do trnsito e, como estamos vendo, foi pron-tamente atendido, comemorou Washington.

    Na ltima eleio Feliciano teve cerca de trs mil votos na cidade. O partido acredita que o deputado ter volumosos um milho de votos na eleio de ou-tubro prximo. Mesmo depois da polmica envolvendo seu nome.

    Para Prado, que se diz feliz com a notcia, a resposta de Feli-ciano resultado de seu trabalho como vereador e presidente de uma conceituada associao. difcil separar a Acilpa disso porque se no tivssemos con-seguido esse apoio do deputado certamente a associao se es-foraria para pagar o estudo, contou. O desenvolvimento do estudo contido na proposta da TTC Engenharia, empresa de re-nome internacional na realizao deste tipo de trabalho, foi orado em R$ 57 mil, mas o deputado prope repasse de R$60 mil.

    Ainda segundo o vereador, mesmo tendo o estudo pago atra-

    vs de repasse, ser necessrio a interveno da Prefeitura para realizar as mudanas apontadas pelo engenheiro de trfego. No posso esquecer que isso apenas parte do processo. o primeiro passo. Este estudo ser ao incio das mudanas que devero ser feitas pela prefeita e, tanto a Acil-pa, quanto a populao sabem que a prefeitura que poder, de fato, aplicar o que for apontado pelo levantamento da TTC, adiantou.

    Para Scarparo, que trouxe o deputado, a conquista do ve-reador representa que Lenis Paulista pode ser atendida por outros deputados que no, ape-nas, pelos que so conhecidos na cidade. Por isso fiz questo de convidar os vereadores para que conhecessem o que o de-putado Feliciano tinha a dizer e ele foi pontual na resposta dos pedidos.

    Alm de formalizar e acenar positivamente sobre o repasse para o estudo do trnsito lenoen-se, os pedidos de Prado por uma ambulncia e por reforo no efeti-vo policial do municpio devero ser atendidos. Em ofcio endere-

    ado ao secretrio de Segurana Pblica do Estado, Fernando Grella Vieira, Feliciano informa a necessidade de ateno, por parte da secretaria, para o problema da falta de efetivo na cidade.

    InternacionalA pedido da Acilpa, a empresa

    TTC Solues em Mobilidade apresentou uma proposta tcnica com a descrio do Estudo de In-tervenes e Engenharia de Tr-fego da rea Central do munic-pio, que deve ser realizado entre ruas 25 de Janeiro, 9 de Julho, 7 de Setembro e Avenida Ubirama. Um dos objetivos proporcionar a reformulao viria, acessibi-lidade e organizao do trfego veicular e de pedestres. O prazo para entrega do estudo de 30 dias aps contrato.

    A TTC possui 30 anos de experincia e em sua carteira de clientes os maiores grupos em-presariais brasileiros do ramo da construo, diversas prefeituras e rgos pblicos do Brasil, rgos da ONU, alm de administraes pblicas de cidades do Mxico, Uruguai, Venezuela, Equador, entre outros pases.

    FIM DO TNEL| Estudo abre possibilidade de melhora efetiva no trnsito de Lenis

    S E G U R A | C o n c e s s o do recinto e mudanas no formato da feira tm novo lance do Executivo; peo agarrado ao cabresto, em rodeio da Facilpa

    FECHADO| Servidores chegam ao almoxarifado; perda de cinco meses de reajuste

    Fotos: Billy Mao

  • OPINIO4LENIS PAULISTA, 2 DE AGOSTO DE 2014

    FALE CONOSCO CNPJ: 14.647.331./0001-22

    IE: 416.050.229.111

    Jornalista Responsvel: Tnia Morbi - Mtb: 52.193Redao e administrao Lenis Paulista

    Rua Andr Bacili, 45 Telefone (14) [email protected]

    CONTATO COMERCIAL: (14) [email protected]

    Sugesto de Pautas: (14) 3263-1740

    Registrado no Cartrio de Registros de Pessoas Jurdicasde Lenis Paulista sob nmero 008 - Folha 15 - Livro B1

    TODOS OS ARTIGOS SO DE RESPONSABILIDADEDE SEUS AUTORES

    Tiragem: 3.000 exemplaresNa internet: http://issuu.com/billymao/docsCaderno DeCasaEmCasa: 20.000 exemplaresLenis Paulista - Borebi - Agudos - Macatuba

    EDITORIAL

    Sobre releasese poltica

    O fascnio da cruz PR. ANTONIO CARLOS CABRAL

    extraordinariamente significativo o fato de que Deus ofereceu ao seu Filho uma cruz para que por ela estabelecesse o momen-to supremo de redeno para a humanidade, com o preo da prpria vida. Redeno foi o que Cristo fez de forma voluntria, por inter-mdio da cruz para nosso perdo (Col. 1.7).

    A cruz era um instrumento de supl-cio, usado pelos assrios, persas, fencios, egpcios, gregos e romanos. Era formada geralmente por duas peas de madeira atravessadas uma sobre a outra, sobre as quais se prendia ou pregava os conde-nados que seriam executados. Usavam-se para as execues, trs formas de cruzes: A cruz latina que tinha sua parte inferior mais longa do que as outras que eram simtricas. A cruz de Santo Antonio que era em forma de T e a cruz de Santo Andr, que era na forma de X. O fato de se publicar na cruz a acusao, indica que Jesus foi crucificado em uma cruz latina (Marcos 15.26).

    Era uma pena cruel, uma espcie de sadismo legalizado, de tortura lenta des-tinado a indivduos da pior espcie. Dela ningum saia com vida. Por isso, os cristos de Corinto, dominados pelas escolas de pensamento da Grcia, tinham dificuldade em aceitar a morte de Cristo na cruz e ela se tornou para eles loucura ( I Cor. 1.23-25).

    Alm do sofrimento fsico, devemos sempre lembrar que Jesus o fez em substituio, ainda levando sobre si as enfermidades de nossas almas, transgresses e iniquidades (Isaas 53.4-5).

    Quando em sua cruz Jesus exclamou: Est consumado, por certo, um clamor em voz alta, estava decretando sua vitria con-tra o pecado, morrendo com um vencedor que completou de forma magistral o que viera fazer, o que tambm nos faz sempre lembrar que a morte do Salvador na cruz, foi o meio para satisfazer a justia de Deus. A graa de Deus, estava personificada em Jesus e a cruz o smbolo por excelncia dessa personificao.

    A cruz de Cristo a evidncia maior da graa de Deus, porm no a prpria graa. Todo o poder para vencer as artimanhas malignas vem do Cristo da Cruz e jamais da cruz de Cristo. Obviamente h muitas cruzes. So cruzes estilizadas em prata, ouro ou diamantes, de alto valor, no entanto, sem poder. A cruz de Cristo no pode ter seu fascnio ofuscado, ou seja, per-der o resplendor do seu irresistvel poder de atrao a Jesus. O apstolo Paulo declarou: J estou crucificado com Cristo e vivo no mais eu, mas Cristo vive em mim, e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na f do Filho de Deus (Glatas 2.20).

    Assim nem uma cruz sem o evangelho, nem um evangelho sem a cruz. O evangelho da cruz em sua centralidade e o poder a Jesus Cristo e Este crucificado. Afinal, fascinante ver o ser humano totalmente humilhado pela sua condio de pecador, rendendo-se aos ps da cruz de Cristo, emocionado cantando o hino a f crist tradicional: Foi na cruz, foi na cruz, onde um dia eu vi, meu pecado castigado em Jesus. Foi ali pela f, que meus olhos abri e eu agora me alegro em sua luz.

    isto, nada mais do que isto.

    Antnio Carlos Cabral Bacharel em Teolo-gia pela Faculdade Teolgica Batista Grande

    PAULO PAIM

    LEONARDO SAKAMOTO

    Sim ao voto facultativo

    O taxista reaa? Seja mais que ele

    Sabado online: issuu.com/billymao/docs/

    Reflexo

    chargesdodenny.blogspot.com

    O voto, no Brasil, sempre foi obrigatrio, desde a sua instituio pela Constituio outorgada de 1824. A obrigatoriedade foi confirmada, poste-riormente, pelo Cdigo Eleitoral de 1932 e pela Constituio de 1934.

    A Constituio atual consagra a obrigatoriedade do alistamento eleitoral e do comparecimento s urnas para os maiores de 18 anos e torna faculta-tivo para os analfabetos e aqueles entre 16 e 18 anos e acima de 70 anos. Mas essa j no mais uma situao pacfica entre ns e, por isso mesmo, mudanas talvez sejam necessrias na lei.

    O assunto foi trazido s ruas pelos manifestantes de junho de 2013 refiro-me, claro, aos legti-mos! e, com isso, ganhou, de novo, espao na agenda nacional. Pesquisas realizadas desde 2010 mostram que vem aumentando a parcela da popula-o que deseja que o voto no seja mais obrigatrio.

    Em dezembro de 2012, o DataSenado e a Agn-cia Senado realizaram enquete no site do Senado para saber a opinio de internautas sobre uma das 23 proposies que tramitam no Congresso para instituir o voto facultativo a partir dos 16 anos, a PEC n 55, de 2012. Dos 2.542 internautas que participaram, 85% foram favorveis mudana da Constituio.

    A populao brasileira vem se convencendo ao longo do tempo de que o voto facultativo melhor que o obrigatrio. Comeamos a perceber o que a grande maioria dos pases do mundo j entendeu.

    Segundo a Agncia Central de Inteligncia dos EUA, dos 236 lugares do mundo onde h eleies, em apenas 24 o voto obrigatrio. Desses 24, s quatro ustria, Blgica, Chile e Cingapura esto includos entre os chamados pases desen-volvidos, de acordo com o critrio do ndice de Desenvolvimento Humano.

    Os argumentos a favor do voto facultativo so muitos. O primeiro deles que o voto um direito do cidado, no um dever.

    A verdadeira democracia somente se constri a partir do desejo sincero de participao dos cida-dos, como ensina Alexis de Tocqueville, em seu clssico Democracia na Amrica. Desse modo, o processo eleitoral se tornar mais qualificado. S votaro os eleitores que estiverem conscientes de sua escolha, de acordo com David Fleischer, professor emrito de Cincia Poltica da Univer-sidade de Braslia.

    O ministro Marco Aurlio Mello, que deixou recentemente a presidncia do Tribunal Superior Eleitoral, disse, ao sair daquela Corte, que hora de avanarmos e pensarmos no voto facultativo, deixando de tratar os cidados brasileiros como tutelados. A mudana tambm mudar o compor-tamento da classe poltica, estimulando-a a ter um desempenho altura, para que o eleitor se sinta motivado a votar.

    Alm disso, a busca de votos seria diferente, o esforo dos candidatos se daria no atacado, e no

    no varejo, reduzindo-se a chance da compra de votos ou do voto de cabresto.

    Penso que est na hora de acabarmos com a ilu-so de que o voto obrigatrio pode gerar cidados politicamente evoludos. Esta uma grande fal-cia. No h outro caminho pelo qual isso possa ser buscado que no a educao formal de qualidade.

    A questo da legitimidade que o voto obrigatrio conferiria s eleies outra falcia. Uma massa de eleitores desinformados, que vende seu voto porque obrigado a votar, tambm diminui a legitimidade do sistema, e de uma forma muito mais nefasta. Isso sem contar com o fato de que no comparecer s urnas tambm uma forma de se expressar.

    A deciso de votar deve ser do eleitor. E tanto mais ele se engajar quanto mais acirrada for a disputa e quanto mais ele perceber que o resulta-do das eleies influenciar sua vida negativa ou positivamente.

    Se precisamos de uma reforma poltica urgente, este pode e deve ser um primeiro passo importan-tssimo. A democracia regime que se aperfeioa a cada dia. Dar ao cidado brasileiro a liberdade plena de escolha fundamental.

    Deve ser dele, e somente dele, a deciso sobre o que fazer com o seu direito de escolha e de ma-nifestao poltica.

    Paulo Paim Senador pelo PT do Rio Grande do Sul

    O que fazer quando um taxista comea a defen-der barbaridades na sua frente? Preso ao banco de trs, voc pode pedir para parar e descer. Discutir com ele at o destino final. Ou jogar o mesmo jogo e ver o que acontece.

    Resolvi colocar em prtica a sugesto de uma amiga:

    - Por favor, aeroporto de Congonhas. Pode ir pela Henrique Schaumann.

    - pra j.[Na telinha de TV do txi] Dois menores foram

    apreendidos, na madrugada desta tera-feira, aps uma tentativa de roubo frustrada em Moema

    - Olha s Depois vem o pessoal dos direitos humanos e coloca tudo de volta nas ruas. Esse pas no srio. Dane-se que tem 14, 15, anos, tem que prender mesmo. Se tem idade para cometer crimes, tem idade para ir preso como se fosse de maior.

    - (Silncio meu)- Tinha que contratar uns policiais fora do ser-

    vio para dar uma coa nessa molecada. Assim, aprendiam o que os pais no ensinaram.

    - (Silncio meu)- Acho que tem que ter pena de morte. Vi na

    TV que nos Estados Unidos no tem crime porque tem pena de morte. Mata um ou dois desses com injeo e os outros vo pensar duas vezes antes de fazer porcaria.

    - Olha eu concordo inteiramente com o que o senhor disse. E acho que tem que impedir essa gente pobre da periferia de ter filho. Esterilizar toda essa mulherada mesmo para que no d luz bandidinho de merda. Outra medida im-portante seria colocar uns portes nas entradas de favelas e bairros pobres e s deixar eles sarem de dia para trabalhar. E se no tiverem trabalho, no saem. No sabe viver em socie-dade, toque de recolher! E quando resolver essa questo, tem que ir para outras, botar as coisas em ordem. Vagabundo que faz barbeiragem no trnsito tem que ir preso, gente que pula a cerca em casa tem que ir preso, bbado que fica enchendo a cara no bar e no trabalha tem que ir preso, quem sonega imposto tem que morrer!

    E sem essas coisas de julgamento, no. Faz e pronto, simples assim.

    - O senhor radical. No sei se concordo com tudo isso no

    - Por que? O senhor defende vagabundo, isso? Defende vagabundo?

    - No, mas tambm no assim.- Assim como?- Ah, no acho certo. Tem que ver quem a

    pessoa e coisa e tal. No pode fazer isso, no. No acho justo.

    O motorista no deu um pio at o destino final. Mas, certamente, vai pensar duas vezes da prxi-ma vez. Recomendo. Por uma vida com menos mimimi.

    Leonardo Sakamoto jornalista e doutor em Cincia Poltica. Cobriu conflitos armados e o desrespeito aos direitos humanos em Timor Leste, Angola e no Paquisto. Professor de Jornalismo na PUC-SP, coordenador da ONG Reprter Brasil.

    Embora conte com uma ampla e qualificada as-sessoria para divulgar as informaes que lhes so interessantes, a administrao pblica de Lenis Paulista patina no esclarecimento de fatos quan-do o assunto lhe espinhoso. Prova de que, se a assessoria direta importante para divulgar os atos praticados pela administrao que afetam positivamente a populao, apenas possuir bons profissionais, como o caso, talvez no seja mais suficiente para livrar o grupo que administra a ci-dade dos imbrglios criados por ele mesmo.

    Um exemplo foram as mudanas de nmeros repentina que a diretoria de Educao divulgou, aps o acidente envolvendo a criana na creche da Vila Cruzeiro, que teve queimaduras de segun-do grau. De sbito, mesmo aps o acordo firma-do com o Ministrio Pblico em abril deste ano, que determinava a criao de mais de 700 vagas em creches pelo municpio, apenas quase quatro meses depois, e exatamente uma semana aps divulgado do acidente com a criana, o nmero de vagas necessrias caiu em mais de 500.

    A explicao dada sugere que o setor respons-vel estaria exigindo documentos que comprovem a necessidade das vagas, o que segundo a prefeitura, classificaria as famlias necessitadas, sem excluso.

    A alegao beira o absurdo ao defender uma e negar outra, uma vez que a exigncia em si de documentos j beira a ilegalidade, j que o direito vaga em creche por crianas menores de cinco anos est previsto na Constituio Federal, com ressalva apenas para uma lei tipicamente tucana, ou seja, do Governo Estadual do PSDB, que permi-te o atendimento parcial, em escolas infantis, bur-lando pela metade o que rege a lei mxima do pas.

    Outra alegao esdrxula a de que os pedidos por vagas teriam duplicidade, o que se realmen-te existiu, pode demonstrar o descaso com que o acordo com o MP foi tratado, uma vez que definiu o cumprimento de algo que no existia, gerando ainda o questionamento do porque o cruzamen-to foi encerrado apenas agora, tanto tempo de-pois da assinatura do TAC.

    Mas, se na Educao as informaes mais confundem do que esclarecem, em outros se-tores da administrao alguns posicionamentos vo ficando mais claros, mesmo sem a ajuda de gabaritados profissionais da comunicao. Um deles so as decises do Executivo em relao tentativa de discusso que a Cmara tem feito sobre a realizao da Facilpa.

    Depois de se negar a conversar com os vereadores, o Executivo investiu diretamente para retirar o pro-jeto que define a concesso do recinto onde a feira promovida e, ao no conseguir, chamou seus le-gisladores aliados para, em uma reunio na tarde de ontem, definir o que se quer para o assunto. A pauta deve ser novamente a retirada do projeto - fora, j que os vereadores da base votaram a favor da retira-da do projeto - para que um decreto do Executivo de-fina, de forma nada democrtica, o rumo do evento.

    No bastasse, a informao divulgada pela pr-pria administrao de que o Executivo no sabe quando poder pagar o reajuste deste ano aos servidores, pode demonstrar que o fato do mu-nicpio ter mais dificuldades que os seus vizinhos para equilibrar suas contas tem relao com o fato de que nem tudo foi exatamente explicado como deveria, para que se entendesse o que se passa com as contas pblicas locais.

    Assim, razovel esperar que, finalmente, a ad-ministrao comece a divulgar todas as informa-es de forma transparente, para no correr o ris-co de se perder definitivamente em sua prpria linha de atuao, algo que depois nenhum bom jornalista, agncia de propaganda, marketing ou publicidade vai conseguir reverter.

    A coragem a primeira das qualidades humanas porque garante todas as

    outras.

    Aristteles

  • GERAL 5LENIS PAULISTA, 2 DE AGOSTO DE 2014

    CRISE NA ADMINISTRAO

    Creche permanece seis meses com berrio fechado e deixa de atender crianas no centro

    Tania MorbiCom previso de concluso

    ou incio nos prximos meses, as diversas obras de construo e ampliao promovidas pela prefeitura de Borebi tm transfor-mado a cidade em um verdadeiro canteiro de obras. As obras j em andamento incluem a ampliao do posto de sade Joo Raposo dos Reis, construo de um novo posto de sade e de uma nova creche, e estao de tratamento de esgoto.

    O cronograma de ampliao do posto de Sade prev a entrega do prdio novo at dezembro des-te ano, mas por estar adiantada, a expectativa de que a ampliao seja concluda em 30 dias, segun-do a empresa GDR Projetos e Construes, que realiza a obra. Os recursos de R$ 216 mil so do programa estadual Qualis UBS II, que destina verba para ampliao e reforma de unidades de sade.

    Segundo Michele Fernandes D. Paulo, chefe de equipe da Sade, esto sendo construdas quatro salas que iro organizar

    o atendimento ao pblico. Com a instalao de duas salas para a farmcia, consultrio odontolgi-co e ultrassonografia na parte da frente do posto, no ser preciso que o morador que procure por estes servios tenha que entrar no prdio principal. Para que a populao tenha acesso fcil,

    rpido e seguro. Ento a ideia facilitar para a populao, disse.

    Francine S.L. de Oliveira, co-ordenadora da Sade em Borebi, informou que no novo posto de sade que est sendo construdo com verba do programa do Go-verno Federal Requalifica UBS de R$ 200 mil ser implantado o

    Programa de Sade da Famlia, que hoje funciona no posto de sade. Para esta obra a prefei-tura destinou R$ 135 mil como contrapartida e a expectativa de que seja entregue at outubro deste ano.

    A nova creche, cuja constru-o tambm deve ser concluda em trs meses, tem projeto ino-vador que atender as crianas da cidade com mais conforto e segurana. Sero sete salas de aulas, duas de berrio, cozinha, lactrio, refeitrio e banheiros adaptados.

    Tanto na nova creche como no posto de sade a prefeitura ser responsvel pela compra de mobilirios.

    A arquiteta responsvel por todas as obras da prefeitura de Borebi Mariana Guerreiro Ku-ninari, adiantou outras que iro contribuir com a qualidade de vida da populao. A que deve ter incio ainda em agosto a cons-truo das 50 casas do PNHR (Programa Nacional de Habita-o Rural), cuja documentao e cadastro das famlias j foram

    enviados e esto sob anlise da Caixa Econmica Federal, que aprova o incio da construo das moradias. Pelo projeto, cada famlia contemplada pagar ape-nas 6% do valor do imvel, cerca de R$ 1 mil, em quatro parcelas anuais, e os outros 96% ficam por conta do governo federal.

    Outra obra a reforma total da escola municipal Prof. Iracema Leite e Silva que ir receber R$ 700 mil do Fundo de Desenvol-vimento da Educao destinados para troca de redes eltrica e hidrulica, portas, janelas, lousa, telhado, alm de pintura geral e obras de acessibilidade.

    Outros R$ 500 mil sero des-tinados para a pavimentao e re-cape de ruas do municpio, como a continuidade da Elias Rocha, que ainda tem pavimento de terra, e outras do distrito empresarial. Com a reforma do ginsio de esportes, ao custo de R$ 200 mil, os investimentos tambm contemplam a rea de esporte e lazer do municpio.Neste dois casos, os recursos tambm so da Caixa Econmica Federal.

    Para Mariana, a maior dificul-dade depois de aprovado o pro-jeto vencer a parte burocrtica. Entre o anuncio de uma obra at que ela comece na prtica um longo perodo que a populao no acompanha, mas que muito trabalhoso, de documentao e projetos, disse.

    Mas, mesmo depois de projeto aprovado, quando a obra tem in-cio, por algumas vezes, seu anda-mento atrasa, sem que a prefeitura possa fazer nada a no ser esperar, pois a realizao depende da libe-rao de verbas dos governos que fazem a liberao parcelada. importante que a populao saiba que o municpio recebe recursos para essas obras, no pode in-vestir dinheiro prprio, depende que as verbas sejam liberadas para dar continuidade. Ento, o cronograma, as vezes, atrasa, mas temos feito tudo dentro dos prazos de documentao para que as verbas sejam garantidas. Depois, o andamento das cons-trues depende da liberao dos recursos pelos governos do Estado e Federal, explicou.

    Obras em Borebi garantem qualidade de vida populao

    Tnia MorbiA creche Lcio de Oliveira

    Lima, prxima Biquinha, no centro de Lenis Paulista manteve um de seus berrios sem funcionamento durante o primeiro semestre deste ano, deixando de atender at 12 crianas com idade entre seis meses e trs anos, devido falta de funcionrios.

    A informao surge em meio discusso que se acir-rou nos ltimos dias, sobre o atendimento das creches municipais aps o acidente que deixou queimaduras de segundo grau em uma criana de cerca de um ano, quando estava na creche Augusta Par-pinelli Zillo, na Vila Cruzeiro, e a informao exclusiva do Sabado do Povo sobre o atendimento pelo Tribunal de Justia a um pedido por vaga em creche em Lenis.

    Alm do nmero insufi-ciente de vagas, que levou a assinatura de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), em abril deste ano, entre o Mi-nistrio Pblico e a prefeitura de Lenis Paulista, a falta de mo de obra, inclusive entre os cargos de diretores tambm ganhou repercusso. Segundo apurou o jornal, na creche Augusta Parpinelli, da Vila Cruzeiro, a diretora divide seu horrio de trabalho com a

    Apesar de TAC e de questionamentos por vagas, creche no atendeu no primeiro semestre por que prefeitura no contratou funcionrios que atendessem a demanda na Lcio de Oliveira Lima; vagas devem ser preenchidas agora

    escola Irma Carrit, no mesmo bairro, e na creche Lcio de Oliveira, no Centro, a diretora tambm responsvel pela creche Neide Madeira Dias, que fica na Cecap.

    A creche, onde antes fun-cionava uma escola mu-nicipal, foi reformada em novembro de 2012. Cerca de 80 alunos de at quatro anos podem ser atendidos na cre-che, deixados principalmente por mes que trabalham no centro da cidade. Entre a reforma do prdio e o mobi-lirio, a prefeitura investiu cerca de R$ 730 mil.

    Segundo a diretoria de

    Educao, a creche atende neste ano o nmero de crian-as adequados sua estrutu-ra fsica e de funcionrios, e sobre a duplicidade na dire-o das unidades, informou que os diretores respondem por mais de uma apenas em locais com menor nmero de alunos ou classes.

    TAC e os nmerosUm TAC foi assinado em

    abril deste ano entre o Minis-trio Pblico e a prefeitura de Lenis Paulista deter-minando que as 779 vagas, divulgadas pela administrao municipal, que faltariam na

    creches seriam criadas paula-tinamente at 2016.

    Mas, aps a repercusso do caso da criana queima-da, a prefeitura divulgou novos nmeros para a lista de espera, que caiu para 298, uma diferena de 481 vagas, explicada como sendo devido a no apresentao de docu-mentos pelas famlias que comprovem a necessidade da vaga ou por no precisarem mais deixar as crianas sob a guarda do municpio.

    No entanto, o direito creche por crianas menores de cinco anos est previsto na Constituio Federal (art. 208,

    inciso IV), sem limitar este direito apenas a aquelas que comprovarem a necessidade, atravs de documentos ou outros meios.

    A diretoria defende que o recadastramento foi feito de acordo com as regras do TAC, e que no usa crit-rios de excluso.

    NmerosH um ano, a prefeitura

    de Lenis Paulista divulgou que a lista de espera por vagas em creche era de pouco mais de 400, durante a inaugu-rao da creche Iara Maria Giovanetti Campanholi, do Jardim Santa Terezinha. Na ocasio, tambm foi anun-ciada a liberao de recursos pelo Governo do Estado para a construo de outras duas creches, uma no bairro Jardim Maria Luiza IV, prximo escola do Sesi, e outra no Jardim Ibat. A previso na poca era que as obras Maria Luiza IV comeassem ainda em 2013 e a entrega em 2014.

    Sobre as obras, a Educao informou que a expectativa que as duas creches viabiliza-das por convnio com o Go-verno do Estado de So Paulo sejam entregues em 2015. A obra da creche do Jardim Maria Luza IV j foi licitada e a creche do bairro Graja,

    est em fase de elaborao do projeto, que responsabilida-de do FDE.

    Sobre uma creche na Vila Repke, a informao que o levantamento topogrfico do terreno foi feito para elabora-o do projeto da obra.

    Segunda instncia Tambm pela falta de

    vagas em creches, como o jornal publicou com exclu-sividade na semana passada, a me de uma criana menor de dois anos teve que recor-rer da deciso da Justia em Lenis Paulista e garantir a vaga atravs de deciso do Tribunal de Justia de So Paulo. A deciso de segunda instncia foi publicada no ltimo dia 21, e a prefeitura tinha at o dia 31 de julho para receber a criana na creche mais prxima de sua residncia.

    Desde o ltimo dia 21, segundo a prefeitura, a dire-toria de Educao vem con-vocando as famlias das 298 crianas que teriam direito vagas em creche para que apresentem documentos e possam garantir suas vagas.

    Com o preenchimento des-tas vagas, a prefeitura cumpri-ria o que determinou o TAC, que previa a criao de 305 vagas este ano.

    Um grupo de 12 trabalha-dores aguarda desde 2011 para receber salrios e outros direitos trabalhistas depois de serem dispensados sem justa causa por uma empresa contratada pela prefeitura municipal de Lenis Paulista para a construo da creche Maria Moretto Boso, no Jardim Primavera. Aps o rom-pimento do contrato, devido a falhas na execuo da obra, os trabalhadores foram demitidos sem receber pelo tempo traba-lhado e sem terem a baixa do registro profissional em carteira.

    Segundo Aguinaldo Galdino dos Santos, de 43 anos, ele e os demais trabalhadores foram con-tratados pela empresa Mastersul Construtora Ltda, de So Carlos, depois que a empresa venceu a concorrncia aberta pela prefei-

    tura para construo da creche. Foram cinco meses de trabalho.

    Ele conta que desde o comeo houve dificuldade para receber os salrios e que os materiais para a obra eram comprados por ele, com recursos entregue em dinheiro pelo responsvel pela empresa. A empresa tambm no teria feito os depsitos referentes ao FGTS dos trabalhadores.

    A reportagem do jornal Sabado do Povo tentou por diversas vezes contato com a empresa, atravs do telefone referente ao endereo que consta do cadastro da Receita Federal e Jucesp, mas o nmero constava como no existente.

    Ao serem demitidos, os traba-lhadores procuraram o sindicato da categoria em Bauru, mas as aes movidas contra a empre-

    sa no tiveram resultados, at o momento. Como o caso de Gilberto Moraes Gomes, de 36 anos, que tambm trabalhou e no recebeu. O JSP fez contato por telefone com o setor jurdico do sindicato, que ficou de retor-nar a ligao, o que no ocorreu at o fechamento da edio.

    Aguinaldo contratou um ad-vogado particular para dar conti-nuidade a ao, na espera de que a justia seja feita. Mas, disse que o que mais deixou o grupo indignado, foi o posicionamento da prefeitura diante do problema. Foi a prefeitura que contratou e empresa. Como que ela faz isso com uma empresa que no registra funcionrios, no paga direito e no faz o acerto. Na mi-nha opinio, a prefeitura tambm tem que ser responsvel quando

    acontece uma coisa assim, disse Aguinaldo.

    Na prefeitura, a informao de que a empresa foi notifi-cada, multada, teve resciso do contrato e suspenso do direito de participar de licitao e con-tratar com a prefeitura por dois anos, mas que a administrao no tem relao direta com os trabalhadores, que apenas foram aconselhamos a procurar por um advogado na poca. Informou ainda que exige documentos constantes na lei de licitaes, inclusive certido trabalhista, mas que devido atual legisla-o e decises do Tribunal de Contas, estamos impossibilita-dos de fazer muitas exigncias na hora de selecionar as empre-sas que iro prestar servios para a Municipalidade.

    Trabalhadores da creche do Jardim Primavera aguardampor direitos trabalhistas sem receber h trs anos

    VAZIO | Creche foi criada para atender mes que trabalham no centro

    BOLSO | Aguinaldo e Gilberto so dois dos 12 trabalhadores que no receberam direitos

    CANTEIRO | Obra no Posto de Sade uma entre as vrias realizadas no municpio

    Fotos: Billy Mao

    Foto: Tania Morbi

  • POLCIA6LENIS PAULISTA, 2 DE AGOSTO DE 2014

    NA ESTRADA DIREITO E

    CIDADANIA

    DIREITO E

    CIDADANIARailson Rodrigues

    O programa DIREITO e CIDADANIA pode ser visto tambm no meu canal do Youtube:

    www.youtube.com.br/RailsonRodrigues7Mande suas sugestes e dvidas para

    [email protected] ou ligue para a redao(14) 3263.1740

    Estudante de DireitoAssessor LegislativoApresentador do ProgramaDireito e Cidadania na TVLP

    Depois de interditarem com madeira e pneus, na tera--feira, dia 29, uma vicinal que liga Borebi a Iaras, um grupo de integrantes do MST (Mo-vimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) se reuniu com o prefeito de Agudos, Everton Octaviani, e de Bore-bi, Manoel Frias, em Agudos, para tratar da quebra de limi-nar de reintegrao de posse do acampamento onde os integrantes esto, expedida no ltimo dia 22 de julho. O MST tm at o dia 4 de agosto para sair de onde esto acampados.

    Durante a reunio, ficou acertado que o municpio de Agudos ir tomar providn-cias em relao ao pedido de reintegrao. O jornal Sabado do Povo apurou que o prefeito Everton telefonou para o advogado do Incra, em Bauru, sobre a possibilidade da publicao de um decreto

    Aps bloqueio de estrada, MST decide esperar por soluo definida em Agudos

    municipal que determine a rea onde est o grupo como sendo de servido, neste caso, no ficando sujeita reintegrao. A deciso, segundo apurou o jornal, ocorreu porque trata-se de um terreno prximo estrada vicinal que est localizada no

    municpio de Agudos.Segundo o dirigente do

    MST, Paulo Beraldo, o intuito da interdio foi reivindicar uma explicao quanto ao pe-dido de reintegrao. Nosso acampamento fica s margens de uma fazenda, localizado em uma vicinal de Agudos. O

    proprietrio da fazenda pediu a liminar de reintegrao de posse, mas estamos em uma estrada rural e no na proprie-dade dele. No entendemos essa deciso. Na segunda--feira, o grupo fez uma ma-nifestao prximo ao assen-tamento, em Agudos, e na tera interditou a Borebi. Nos dois casos, a manifestao foi pacfica e acompanhada pela Polcia Militar.

    A assessoria da prefeitura de Agudos comunicou que o prefeito Everton ir ajudar grupo a providenciar os docu-mentos que comprovem que a rea em que eles estavam no privada.

    Em resposta, o grupo se comprometeu a liberar os pontos que estavam interdi-tados e no promover novas interdies nas estradas ou manifestaes at que os pe-didos sejam encaminhados.

    A Polcia Militar prendeu em flagrante um rapaz acusa-do de furto qualificado, ocor-rido na vila Virglio Capoani, prxima ao Frum do Traba-lho, na segunda-feira, dia 28. Para furtar um notebook o acusado teria estourado o vi-dro de uma janela, invadindo o imvel que estava vazio no momento.

    O rapaz foi percebido por uma vizinha que ouviu baru-lho na casa ao lado, mas sabia que o imvel estaria vazio naquele horrio. Seu filho viu quando um rapaz saia da casa carregando o equipamento. Ao perceber a testemunha, o acusado fugiu (seu nome no foi divulgado).

    A Polcia Militar foi acio-nada e passou a fazer buscas nas proximidades. Na estrada que liga ao bairro Rocinha, policiais militares localizaram o aparelho e o devolveram aos seus proprietrios.

    Durante patrulhamento na regio avistaram um rapaz

    Rapaz preso em flagrante por furtoque procurava por algo no meio do mato. Os PMs ques-tionaram o rapaz que acabou confessando ser o autor do furto e disse que estava pro-curando pelo notebook, j encontrado pelos policiais.

    O rapaz teve a priso em fla-grante ratificada na Delegacia de Polcia. Segundo informa-es, o rapaz seria usurio de drogas e conhecido dos meios policiais pela prtica de furtos.

    O Sabado do Povo publicou matria alertando sobre o alto ndice de furtos em residncias em sua edio 74. Casos, em sua maioria, no registrados oficialmente pelas vtimas.

    Outro caso: furto e rouboNo final de semana, um ho-

    mem de 27 anos foi preso de-pois de cometer um roubo e um furto seguidos, no sbado, dia 26. Ele foi detido pela popu-lao at a chegada da Polcia Militar. O caso aconteceu no bairro Jardim Nova Lenis.

    Segundo a Polcia Militar,

    Pedro Jnior de Andrade inva-diu a casa de uma senhora de 63 anos, que o flagrou entran-do no quarto onde ela dormia. A vtima passou por cirurgia nos olhos recentemente e no havia identificado o bandido em um primeiro momento. Minutos depois de empurr-la com violncia contra a cama, o assaltante fugiu levando a bolsa da vtima.

    Pouco depois, ele pulou o muro de uma residncia vi-zinha e furtou outros objetos,

    como um aparelho de DVD. No entanto, acabou surpre-endido por um morador da casa de 43 anos, que escutou os barulhos provocados pelo intruso. Minutos aps sair da residncia em questo, o suspeito foi abordado pela populao, que o segurou at a chegada da PM.

    Levado delegacia, An-drade teve a voz de priso ratificada por roubo e furto. Ele era egresso h 3 meses do sistema prisional em Getulina.

    A polcia deteve o acusado de atear fogo em um perua Kombi, pertencente pre-feitura municipal de Lenis Paulista, no final de semana. Larcio Pierin, 46 anos, foi acusado depois que uma testemunha viu quando um homem pulou o alambrado do prdio da Cozinha Pilo-to e ateou fogo no veculo. A ao criminosa tambm foi gravada por cmeras de segurana.

    A Polcia Militar foi acio-nada e, prximo ao local,

    Homem que incendiou perua da prefeitura tem distrbios mentais

    deteve Larcio, que carregava uma garrafa de aguardente e caixa de fsforo. Segundo o delegado Renzo Santi Barbin, a me de Larcio informou que o filho faz tratamento e foi internado vrias vezes. Um laudo do Pronto-Socorro constatou que ele tem distr-bios mentais.

    Durante a semana, a polcia aguardava a abertura de uma vaga em uma unidade psiqui-trica para que o acusado pu-desse continuar o tratamento interrompido. Como no a

    vaga no surgisse, o delegado pediu interveno do juiz para que Larcio possa continuar o tratamento.

    A famlia do acusado teria informado ao delegado que quando ele mistura os medica-mentos com bebida alcolica, acaba tendo surtos e danifi-cando objetos, inclusive com uso de fogo.

    De acordo com o delegado, nos ltimos meses, a Polcia Civil de Lenis Paulista re-gistrou apenas dois casos de incndio criminoso, incluindo

    o de anteontem. Uma terceira ocorrncia teria sido registra-da apenas pela Polcia Militar.

    Porm, o total de casos re-centes seria bem maior, como destacou o jornal Sabado do Povo em sua ltima edio. Os atentados passariam de oito, segundo registros da imprensa local, somando-se os casos ocorridos dentro de garagens, como de veculos estacionados na rua. Porm, a maioria dos ocorridos no teria sido registrada atravs de boletim de ocorrncia.

    Acontece desde ontem e vai at amanh, no recinto Jos Oli-veira Prado, a 11 Agrifam (Feira da Agricultura Familiar), realiza-da pela Fetaesp (Federao dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de So Paulo), segundo a assessoria do evento, apresen-tando novidades em pesquisa agrcola, comercializao de produtos e servios, e na atuao institucional no campo.

    A agricultura de preciso uma das novidades. Na rea de pesqui-sas agrcolas e na de comerciali-zao de produtos, os visitantes podem conferir equipamentos de alta tecnologia para o aprimora-mento da produo. A Embrapa Instrumentao apresenta um drone, que pode ser utilizado por pequenos produtores na gesto da lavoura. O conhecimento sobre agricultura de preciso ainda no

    Agrifam celebra Ano Internacional da Agricultura Familiar

    chegou a 10% dos agricultores familiares. Queremos contribuir para esse percentual mude, explica o presidente da Fetaesp, Braz Albertini.

    Um sistema de produo inten-

    siva de peixes est em exposio, demonstrado na rea de tecnolo-gias aplicadas, como alternativa de atividade e renda aos agricul-tores, j que pode ser instalada em pequenas propriedades com

    um circuito hidrulico fechado. Tambm participa da feira, em-presa que oferece servios de georreferenciamento e consultoria ambiental para enquadramento ao Novo Cdigo Florestal.

    Na rea comercial, novas marcas participam da Agrifam, com equipamentos de preciso, alm de tratores, caminhes, im-plementos, insumos entre outros.

    A Agrifam 2014 celebra nesta edio o Ano Internacional da Agricultura Familiar, estabele-cido pela Organizao das Na-es Unidas para a Agricultura e a Alimentao (ONU-FAO), com objetivo de promover uma agricultura familiar sustentvel ambiental e economicamente, atravs da conscientizao pbli-ca e poltica, alm de ampliar o potencial do setor de maneira si-nrgica. A 11 Agrifam gratuita.

    ImpostosVoc sabe quantos meses do ano precisa trabalhar exclusi-vamente para pagar seus impostos? E voc sabe quem o governante que recebe o dinheiro dos seus impostos? Seria o governador? Talvez o presidente? Ou seria o prefeito?! Esse foi o tema tratado no Programa Direito e Cidadania dessa semana.A diviso da competncia para recebimento dos nossos impos-tos est na nossa Constituio. Tentarei explicar essa diviso de maneira simples.

    Governo FederalGoverno federal aquele que fica em Braslia e tem como chefe o presidente da Repblica, que fica incumbido de receber os im-postos e dar a eles, sob a superviso da Cmara dos Deputados e do Senado, a destinao adequada.So ligados ao governo federal os Impostos de Importao (I.I), Impostos de Exportao (I.E), Imposto sobre Produtos Indus-trializados (I.P.I), Imposto sobre Operaes Financeiras (I.O.F), Imposto de Renda (I.R) e tambm o Imposto Territorial Rural (I.T.R).

    Governo MunicipalGoverno municipal o que administra sua cidade. O chefe o prefeito do Municpio, responsvel por gerenciar os recursos oriundos de repasses federais e estaduais, assim como as ver-bas arrecadadas atravs de impostos e taxas.Ao municpio so destinadas as verbas oriundas do Imposto Predial Territorial Urbano (I.P.T.U), tambm do Imposto Sobre Servios de Qualquer Natureza (I.S.S.Q.N) e tambm o Impos-to de Transmisso de Bens Imveis e direitos sobre tais bens (I.T.B.I). Ressalto que o I.T.B.I no deve ser pago em caso de transmisso de bens em causa de morte do proprietrio, ou seja, pago apenas em caso de transmisso entre vivos.

    Governo EstadualGoverno estadual , como voc j deve imaginar, o que admi-nistra o estado, representado pela figura do Governador, que deve gerenciar a arrecadao gerada pelos impostos e tambm as verbas enviadas pelo Governo Federal.Ao governo do estado compete o recebimento e gerenciamento do Imposto sobre Propriedade de Veculo Automotor (I.P.V.A), Imposto Sobre Circulao de Mercadorias e Servios e sobre o Imposto sobre Transmisso Causa Mortis e Doao (I.T.C.M.D), que s pago em caso de doaes ou morte do proprietrio (oposto ao I.T.B.I). Nome aos boisPortanto, sabendo agora para qual poltico o dinheiro do seu imposto encaminhado para investimentos, fica mais fcil saber a quem criticar na hora de pagar os impostos e de cobrar o retorno deles em nossa sociedade! A minha sugesto para que se aprofundem em cada um desses impostos, digitem no Google e saibam mais sobre eles.Quanto pergunta inicial sobre saber quantos meses voc trabalha para pagar impostos, confira o vdeo no meu canal do Youtube que o convidado dessa semana deu essa resposta e muitas outras! Espero por sua visualizao! Uma tima semana!

    FOGO | Aps ao, reunio com prefeitosFOGO | Aps ao, reunio com prefeitos

    PRESO | Rapaz foi detido e levado para a DP

    ILUSTRE | Governador visita Sala Mvel

    Fotos: Billy Mao

    Foto: Paulo Beraldo/MST

    PREFEITURA MUNICIPAL DE BOREBI/SP

    HOMOLOGAO DE LICITAOFace ao constante dos autos referentes ao procedimento abaixo

    citado, HOMOLOGO para todos os efeitos, o resultado do Convite n 014/2014, adjudicando o seu objeto, nos termos da Lei Federal n 8.666/93, para a empresa Arruda Ferreira & Cia Clnica Veterinria Ltda. ME, no valor total de R$ 24.000,00, para prestao de servi-os mdicos de veterinria, conforme a classificao apurada pela Comisso Municipal de Licitaes. Borebi, 23 de julho de 2014.

    Manoel Frias Filho - Prefeito Municipal.

    EXTRATO DE CONTRATOExtrato de Contrato: Contrato n 068/2014, Convite n 014/2014.

    Contratante: O Municpio de Borebi. Contratada: Arruda Ferreira & Cia Clnica Veterinria Ltda. ME. Objeto: Prestao de servios mdicos de veterinria. Vigncia: 12 meses.

    Valor total: R$ 24.000,00. Data: 23/07/2014.

    AVISO DE LICITAOTOMADA DE PREOS N 002/2014 OBJETO: Contratao

    de empresa para prestao de servios mdicos para realizar atendi-mentos atravs de consultas e visitas domiciliares para o Programa Sade da Famlia. Entrega dos envelopes de documentos, propostas e do credenciamento: Dia 19 de agosto de 2014, s 09:00 horas, no Setor de Licitaes da Prefeitura. O edital na ntegra encontra-se disposio dos interessados no Setor de Licitaes da Prefeitura, localizado na rua 12 de Outubro, n 429, Centro, Borebi/SP, no horrio das 8:00 s 11:30 e das 13:00 s 16:00 horas. Borebi, 31 de julho de 2014.

    Manoel Frias Filho - Prefeito Municipal.

  • HORSCOPO/GERAL 7LENIS PAULISTA, 2 DE AGOSTO DE 2014

    HORSCOPO

    ARI

    ES

    TOU

    RO

    GE

    ME

    OS

    CAN

    CR

    LE

    O

    VIR

    GE

    M

    LIB

    RA

    ESCO

    RPI

    O

    SARG

    ITR

    IO

    CAPR

    IC

    RNIO

    AQ

    U

    RIO

    PE

    IXE

    SSeu empenho vai trazer recompensas e far voc se orgulhar dos resultados. Quem tem interesses profis-sionais a tratar e sonha em

    progredir vai se dedicar ainda mais. Um amigo pode testar sua pacincia mostre tato para no entrar em atri-to. Cor: azul.

    Dar um tempo na agitao, curtir seu ninho e repor suas energias pode ser a melhor pe-dida. Aproveite para repensar algumas coisas e fazer um ba-

    lano dos seus erros e acertos. Mo-mento oportuno para corrigir o que no flui bem e ajustar o que julgar necessrio. Cor: roxo.

    Seu esprito de aventura estar acentuado e voc vai querer novidades em seu dia. Espante a monotonia e parta em busca de sur-presas. Pode se animar com

    ideia de viajar e conhecer um lugar novo, mesmo que seja na cidade vizinha. Cor: branco.

    Seu comportamento es-tar mais socivel, ani-mado e receptivo, sinal de que voc vai atrair timas companhias. Aproveite para reunir a

    turma e passar horas agradveis com quem faz diferena em sua vida. Porm, evite mudanas em sua rotina no perodo da tarde. Cor: roxo.

    Pode ser um bom dia para resolver assuntos domsti-cos e fazer algumas arru-maes. Livre-se de tudo o que no usa mais e abra espao para coisas novas.

    Vale at trocar os mveis de lugar. Mercrio e Jpiter avisam para no deixar sua sade em segundo plano. Cor: marrom.

    Ter disposio para co-locar compromissos em ordem, cumprir deveres e organizar seu lar. Vai dar aquela mo de obra, mas a sensao ser recompensa-

    dora. Hoje, seu lado prestativo dar as cartas e ser til aos outros far bem a voc. Cor: branco.

    Seu signo j comunicativo por natureza e, hoje, vai es-tar ainda mais. Contatos com gente da escola, do trabalho ou vizinhos podem abrir es-

    pao para novas amizades. Nada de ficar em casa: passeie, v a lugares novos e tope os convites para se encontrar com a turma. Cor: vinho.

    Tire o dia para sossegar em seu canto e interagir mais com os parentes. Quanto mais tranquili-dade e acolhimento, me-lhor vai se sentir. Planeja

    fazer compras hoje? Nada de excessos! Gaste apenas a grana disponvel para no se enrolar depois. Cor: azul.

    Boas vibraes vo ani-mar o dia e voc estar a fim de ver gente diferente. No perca a chance de ir a novos lugares, manter contatos com outras pes-

    soas e at fazer uma viagem rpida. Com seu jeito simptico e cheio de carisma, vai ser fcil ampliar seu cr-culo social. Cor: lils.

    Voc pode se voltar para os assuntos relacionados a di-nheiro. Se deixar as contas em ordem, no ter razo para se preocupar. Hoje, a dica se ocupar com o que

    te traz paz e segurana emocional. Mas talvez precise resolver mal--entendido com um familiar. Cor: azul.

    Aproveite o tempo livre para ficar na companhia de quem mais ama. Curta os familiares, amigos e pes-soas prximas. Mercrio e Jpiter, em seu paraso

    astral, do sinal verde para voc se divertir, fazer o que gosta e aprovei-tar a vida. Cor: roxo.

    Com a Lua brilhando em seu signo, voc vai estar no centro das atenes e se destacar em qualquer am-biente. Aproveite o dia para fazer o que gosta e relaxar. Coloque seus interesses em

    primeiro lugar, sem deixar seu jeito diplomtico de lado. Cor: amarelo.

    Receitaspara voc!Chef Paulo Campanholi

    FRANGO AGRIDOCE A MODA LENOENSE

    Modo de preparo

    1. Corte as coxas e as sobrecoxas ao meio, misture o restante dos ingredientes, exceto o bacon e junte aos pe-daos de frango.

    2. Frite bem o bacon, at dourar, acrescente o frango tem-perado, cozinhe em fogo baixo, com a panela tampada, at o molho reduzir e a carne ficar macia. Vai bem com arroz de forno e salada de maionese! Bom apetite!!

    INGredIeNTeS

    04 Unid. Coxas e sobrecoxas de frango sem pele 2/3 Xc. Mostarda 1 Xc. Vinagre 1 Col de sopa sal 1 Xc. Acar mascavo 2 Col de ch molho de pimenta 12 Xc. Bacon picado 12 Pimenta dedo de moa s/ sementes picadinha01Unid. Cebola cortada em ptalas

    O Projeto Formao de Lderes, em parceria com 20 empresas de Lenis Paulis-ta e regio, promove o 10 Congresso Juvenil. Com o tema Juventude: Motivao e Escolhas, o evento ser realizado nos dias 23 e 24 de agosto, no Grmio Recreativo do Grupo Lwart. Os jovens de 13 a 19 anos podem retirar as fichas de inscrio na coorde-nao das escolas ou na Sede de Projetos do Grupo Lwart e devolver at o dia 6 de agosto.

    Idealizado pelos jovens do Projeto Formao de Lderes, o 10 Congresso Juvenil contar com debates, reflexes e ativi-dades entre os jovens e busca contribuir para as escolhas atuais e os desafios do futuro.

    Durante os dois dias de

    evento, mais de 250 jovens estaro reunidos para refletir sobre assuntos da realidade, suas metas pessoais, seu pre-sente e futuro e, pensar sobre seu papel no mundo, por meio de atividades interativas, reflexes em grupos, apresen-taes, palestras, entre outras atraes.

    Parceria fundamental O 10 Congresso Juvenil

    recebe o apoio de empresas do municpio e regio e de voluntrios da comunidade, que compreendem a importn-cia e o efeito multiplicador da mobilizao da juventude. O evento um importante mo-mento para a sensibilizao e motivao da nova gerao, contribuindo para o desenvol-

    vimento da sociedade.Empresas de Lenis Pau-

    lista e regio que esto patro-cinando o evento: Frigol, Lu-tepel, Laga/ Baptistella Estru-turas Metlicas, Zilor, Adria, Grfica Coelho, Po e Opo, Quitanda Kamimura, Cerea-lista Safrasul, Supermercados Santa Catarina, TAG Comu-nicao Visual, Diretoria de Educao, Thomriss, Direto-ria de Esportes, Duraci, Dotto Educao, Diretoria de Sade, Senai, CMFP e Grupo Lwart.

    Servio: 10 Congresso Juvenil. Inscries at o dia 6 de agosto. Evento nos dias 23 e 24 de agosto. Local: Gr-mio Recreativo Grupo Lwart. Informaes: (14) 3264-8888 ou www.projetolideres.com.br

    Garanta j a sua vaga no 10 Congresso Juvenil

    Da redaoProprietrios de veculos

    com placas de finais 5 e 6 de-vem realizar o licenciamento obrigatrio do exerccio 2014 durante o ms de agosto. O servio pode ser feito de for-ma eletrnica, com entrega do Certificado de Registro e Licenciamento de Veculo (CRLV) pelos Correios, ou diretamente nos postos do Detran.SP e do Poupatempo.

    De acordo com o Cdigo de Trnsito Brasileiro, todos os veculos devem ser licenciados anualmente e o porte do Cer-tificado de Registro e Licen-ciamento de Veculo (CRLV) obrigatrio. No Estado de So Paulo, o licenciamento feito entre abril e dezembro, de acordo com o final da placa.

    Conduzir veculo com o li-cenciamento em atraso in-frao gravssima (artigo 230

    do CTB): multa de R$ 191,54, insero de sete pontos no pron-turio do condutor, alm de apreenso e remoo do veculo.

    J a falta do documento, mesmo que o licenciamento esteja em dia, infrao leve (artigo 232 do CTB): multa de R$ 53,20, trs pontos na cartei-ra e reteno do veculo at que o documento seja apresentado.

    O condutor no deve deixar o licenciamento para a ltima

    hora, pois a partir de 1 de setembro, os veculos com finais de placa 5 e 6 estaro em situao irregular, caso transitem sem o documento de licenciamento 2014.

    A taxa de licenciamento em 2014 de R$ 68,48 e pode ser paga pela internet, caixas ele-trnicos ou nas agncias dos bancos credenciados (Banco do Brasil, Santander, Brades-co, Ita, Caixa Econmica

    Federal, BMB, HSBC, Safra e Citibank). Ao realizar o li-cenciamento, preciso quitar possveis dbitos de IPVA, seguro obrigatrio e multas.

    Na hora do pagamento, preciso fornecer o nmero do Registro Nacional de Veculos Automotores (RENAVAM). Para receber o documento via Cor-reios, necessrio pagar o valor adicional de R$ 11, referente postagem. A entrega feita em at

    sete dias teis. imprescindvel que o endereo esteja atualizado junto ao Detran.SP. Caso con-trrio, no ser possvel fazer a entrega e o cidado ter de retirar o documento em uma unidade de atendimento.

    Quem preferir retirar o documento presencialmente deve apresentar o comprovan-te de pagamento nas unidades do Detran.SP ou nos postos do Poupatempo.

    Veculos com placas final 5 e 6 devem ser licenciados este ms

    Da redaoOs moradores do Athenas

    e a cooperativa que admi-nistra o empreendimento particular deram passos im-portantes para soluo dos problemas do residencial nas duas ltimas semanas, e a previso de que neste ms de agosto eles come-cem a ser resolvidos defini-tivamente, com o incio da municipalizao do bairro.

    Na semana retrasada o primeiro passo foi dado com uma reunio entre a Coopervap, responsvel pelo empreendimento, o vereador Anderson Prado de Lima, diretores municipais e os moradores.

    As condies para que o empreendimento seja muni-cipalizado e possa passar a

    Municipalizao do Athenas deve comear em agostoreceber as mesmas melhorias de outros bairros foram pra-ticamente definidas em outra reunio, na semana passada, com a participao do pro-motor Dr. Ricardo Takashi-ma Kakuta, que acompanha o caso. Nesta quinta-feira, dia 30, a cooperativa deveria en-tregar os ltimo documentos para o Ministrio Pblico, para que inicie o processo de municipalizao.

    A expectativa agora que em agosto, o promotor convoque uma reunio com os moradores para explicar como ser o processo de transio entre o residen-cial e sua nova formatao, como bairro integrante do municpio.

    Uma das condies a se-rem expostas que, mesmo

    com a municipalizao, os moradores tero que manter o pagamento para a coopera-tiva referente aquisio dos imveis, at sua quitao. Enquanto isso, os residen-tes devem criar entre si um condomnio que, durante o processo de municipa-lizao, ir administrar o local, sendo responsvel, por exemplo, pelo controle dos pagamentos de gua e luz, entre outros.

    Com esses novos passos, o vereador que acompanha o caso, disse acreditar que os moradores, em breve, podero contar com todas as melhorias dos demais bairros e colocarem um fim nos pro-blemas locais.

    Antecipando munici-palizao, segundo Prado,

    o SAAE (Servio Aut-nomo de gua e Esgoto) fez a interligao da rede local do residencial com a rede de esgotos da cidade, desativando a bomba que controlava a vazo do es-goto, mas que apresentava problemas constantemente, causando grandes transtor-nos aos moradores.

    LUZ | Prxima r e u n i o c o m moradores deve anteceder incio do processo de municipalizao do residencial

    Foto: Billy Mao

    QUADRINHOS - MICHEL RAMALHO

  • LENIS PAULISTA, 2 DE AGOSTO DE 2014SUA IMAGEM8

    AvilapanAvilapanPRODUTOS DE PADARIAS E CONFEITARIASFERMENTO FRESCO LEVASAF

    Elson Avila

    (14) 99643.4517rua otaviano Brizola, 168 - Vila Mamedina _ Lenis paulista - Sp

    Fone: 14-3263.7300 - e-mail: [email protected]

    ACEITA-SE CARTES DE CRDITO

    A equipe do Expressinho conquistou no ltimo domingo, dia 27, o ttulo de campeo da Srie A do Campeonato Amador, organizado pela Liga Lenoense de Futebol, com apoio da prefeitura municipal, atravs da diretoria de Esportes.

    O Grmio Cecap entrou em campo com o desafio de vencer a equipe do Expressinho, 6 vezes campeo da competio, mas acabou perdendo por 2 a 0. Os gols do Expressinho foram marcados por Henrique e Willian.

    Alm do ttulo da equipe, o Expressinho recebeu ainda o trofu por ter a defesa menos vazada.

    Com oito gols marcados na competio, o jogador Atleta Gorgnio, do Grmio Cecap recebeu o trofu como artilheiro.

    Apesar do clima frio, um grande nmero de torcedores com-pareceu na manh de domingo no estdio Archngelo Brega, onde foi realizada a final.

    Expressinho confirmafavoritismo e campeo

    VELINHAS - No ltimo dia 23 de Julho, Lucas Matheus completou 1 ano de idade. E recebeu os parabns dos pais Ralf e Ermelinda, dos padrinhos e de todos os familiares que desejaram-lhe muita Sade e Felicidade. Parabns do Sabado do Povo.

    31 ANOS - Este ms o supermercado Santo Expedito completa 31 anos de atendimento populao lenoense. Buscando sempre atender bem e com preos atrativos, o supermercado tem o melhor aougue da cidade e oferece o que existe de melhor. Para comemorar, sero realizados sorteio dirios de vrios produtos. Nas fotos, a equipe da cozinha do Restaurante Santo Expedito (foto de cima) e a equipe que atende na Rotisserie, onde voc pode pedir as melhores marmitas e marmitex.

    NO PEDAL - A visitante Andresa Radicchi chega Agrifam com os filhos Gui e Maya. A feira tem vrias vertentes agrcolas e uma opo de lazes para este final de semana.

    Fotos: Billy Mao

    NASCEU - Os pais Ariane e Aguinaldo, e o irmo Alisson, esto felizes da vida com a chegada da pequena Alcia, que nasceu no sbado, dia 26. Parabns famlia

    _GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack