Sabadao 81

Click here to load reader

  • date post

    03-Apr-2016
  • Category

    Documents

  • view

    222
  • download

    1

Embed Size (px)

description

Jornal semanal

Transcript of Sabadao 81

  • Mxima: 28CMinina: 14C

    Mxima: 28CMinina: 12C

    HOJE AMANH

    Fonte: Climatempo

    Mesmo com alto investimento pblico, polo aeronutico ainda no decolou

    6 DE SETEMBRO DE 2014 - EDIO N 81 - ANO 2 - LENIS PAULISTA - CIRCULAO REGIONAL

    Picanha Grill Frigol - KgR$19,89

    SUPERMERCADO SANTO EXPEDITOPGINA 2

    Cimento CSN - 50KgR$23,50

    MORETTO MATERIAIS PARA CONSTRUOPGINA 7

    A formao de um polo aeronutico em Lenis Paulista um objetivo que tem demonstrado ser mais difcil de se atingir do que o anunciado. A instalao de uma em-presa fabricante de avies, que pre-viu iniciar suas atividades no

    segundo semestre de 2012, seria o primei-ro passo para atingir a meta, porm, passa-dos mais de dois anos e meio, e aps alto inves-timento feito pela prefei-tura municipal, a meta de dar incio a um novo setor econmico na cidade ainda no

    decolou. A

    criao de vagas de em-prego outro ponto que deve frustrar o mercado local, j que a empresa mantm a expectativa de gerar pequeno nmero de colocaes.

    A criao de um novo p o l o

    econmico em Lenis foi suscitada pela primei-ra vez em 2011, quando o jornal Sabado anun-ciou, com exclusividade, a pretenso dos empre-srios Zizo Zola e Mar-cos Vilela de instalar no municpio a empresa Vo-

    lato. A previso

    inicial era de comear as atividades no segundo semestre de 2012. Em ju-nho daquele ano, a em-presa recebeu a doao da rea feita pela prefeitura e fez nova previso de iniciar

    sua produo em janeiro de 2013. A fbrica vem sendo construda ao lado

    do aeroporto municipal Jos Boso, em uma rea de cerca de cinco mil metros quadrados.

    Pgina 5

    Empresa fabricante de avies reafirma que gerao de empregos em Lenis nunca foi foco do empreendimento

    HOMENAGENS | Edenilson Grecca foi homenageado na Cmara Municipal com Moo de Congratulaes devido seu empenho em criar a Sala de Quimioterapia no Hospital Nossa Senhora da Piedade. A homengem foi proposta pelos verea-dores Ailton Tip Laurindo e Anderson Prado de Lima. Elza Maria Messias Lopes, secretria executiva, tambm recebeu Moo em nome do Grupo Zilor pelos repasses efetuados para a construodo Teatro Municipal. Grecca aproveitou para dis-cursar na Cmara e apontar as dificuldades em encontrar apoio poltico pela causa oncolgica. Pgina 3 e 8

    Obras da ETE em Borebi comearam esta semana

    As obras da Estao de Tratamento de Esgotos de Bo-rebi comearam oficialmente esta semana, com mquinas e caminhes fazendo a limpeza da rea onde sero construdas as lagoas para o tratamento.

    O municpio ir receber cerca de R$ 3.700 milhes durante o andamento da obra, atravs do convnio com o programa gua Limpa do DAEE (Departamento de guas e Energia Eltrica), que prev a construo de emissrios, estao elevatria

    de esgotos, linha de recalque e ETE.

    A primeira parcela do con-vnio no valor de cerca de R$ 315 mil.

    O convnio foi assinado pelo prefeito Manoel Frias Filho (PR), no gabinete do governador Geraldo Alck-min (PSDB), em audincia exclusiva, a cerca de um ano. O tempo desde ento foi ne-cessrio para a formalizao do convnio e a realizao da licitao da empresa que ir trabalhar na obra. Pgina 2

    NA CMARA

    Pacientes que aguardam a realizao de exames por imagem, reclamaram esta semana pela demora na nor-malizao do atendimento do RAIS Mulher (Rede de Ateno Integrada Sade da Mulher), que estaria com o equipamento de ultrassono-grafia quebrado h trs meses. A reclamao das pacientes ecoou na Cmara, onde o ve-reador Ailton Tip (PV) pediu explicaes sobre o caso diretoria de Sade.

    Em contato com a redao

    do jornal Sabado do Povo, uma paciente que aguarda para fazer o ultrassom, in-formou que tem se mantido base de medicamentos pres-critos por seu mdico, sem ter certeza do seu problema.

    A Sade informou que o equipamento apresentou problemas em julho e apenas a prea do equipamento com defeito deve custar R$ 15 mil, por isso a compra est sendo licitada. Como a pea impor-tada, o processo deve demorar ainda mais. Pgina 5

    Falta de exames no RAISMulher gera reclamao

    O vereador Nardeli da Silva (PROS) quer que os pacientes que precisam de medicamentos de uso con-tnuo tenham direito a uma reserva mensal, para que em caso de qualquer intercor-rncia o paciente no deixe de ser medicado. Para isso, apresentou requerimento prefeita Izabel Lorenzetti (PSDB) pedindo que ela en-vie Cmara projeto de lei que estabelea o benefcio do Dose Reserva. A apre-sentao do requerimento foi feita na sesso da Cmara de segunda-feira, dia 1.

    O remdio passado na

    Nardeli quer Dose Reservapara usurios da Sade

    quantidade certa, exata, para o prazo de 30 dias, normalmen-te. Mas, eu acompanhei, antes de montar o projeto, o dia a dia e pude ver que pode se dar esta convenincia e o que pode ser ajustado, sem causar transtorno, disse o vereador.

    Entre os pacientes que po-dem ser beneficiados esto diabticos, hipertensos, as-mticos e de vrias doenas. Leia na pgina 3

    Projeto ir regulamentar bicicletas motorizadas

    Aps o posicionamento do Ministrio Pblico sobre o crescente nmero de jovens transitando com bicicletas motorizadas, a prefeitura de Lenis Paulista deve enviar na prxima semana Cmara de Vereadores Projeto de Lei que regulamenta as nor-mas do Contran (Conselho Nacional de Trnsito) e do Cdigo de Trnsito Brasi-leiro, criando uma legislao

    prpria sobre o assunto. A conduo, aps a aprovao da lei, s ser permitida para maiores de 18 anos, que se-jam habilitados.

    O jornal Sabado do Povo teve acesso ao projeto que ser enviado Cmara e nele o Executivo define que o Setor de Trnsito do mu-nicpio ser responsvel por gerenciar os Registros de Licenciamento dos ciclomo-tores e cicloeltricos, como foram definidas as bicicletas motorizadas. A fiscalizao ser feita pela Polcia Militar e pelo Setor municipal. Leia na pgina 6

    MatrizRua Anita Garibaldi, 650 - Centro - Lenis Paulista/SP

    (14) 3264-3340 - 3263-3985

    FilialAv. Pe. Saltio R. Machado, 563 - Centro - Ao lado do Frum

    (14) 3264-8248

  • LENIS PAULISTA, 6 DE SETEMBRO DE 2014CIDADE2

    RUA RIO GRANDE DO SUL, 367FONE: 3269.2300

    RUA RIO GRANDE DO SUL, 367 VILA CRUZEIRO - LENIS PAULISTA - SP

    DISQUE MARMITEX:FONE: 3269.2300

    A PARTIR DE R$10,00

    Coca-Cola2 LT + 500ml - un.R$4,99

    Capa de Fil Frigol - KgR$9,99

    CHEQUE PR PARA 40 DIAS

    Ofertas vlidas : 06/09/2014 A - 09/09/2014

    Cuidando bem da sua

    famlia!

    ESTRUTURAS METLICASA | PORTES | GRADES | ESCADAS | MANUTENES DIVERSAS

    VRIAS OPES DE PORTES PARA SUA

    RESIDNCIA

    Waffer BauduccoR$1,99

    ANUNCIE NO

    SABADO DO POVO

    VOC QUER REALMENTE DIVULGAR SEU PRODUTO?

    QUER QUE ELE SEJA LEMBRADO E CONSUMIDO?32631740

    32631740

    Leite PantalatCX - longa vida - LTR$2,48

    QUALIDADE DE VIDA

    IMAGENS ILUSTRATIVAS

    Quem chega em Borebi pela entrada principal, pela aveni-da, aprecia uma bela viso da disposio das mais de cem rvores plantadas na calada. A Ficus benjamina, popularmente chama de Figueira-Benjamim muito bonita e cara. Sua muda custa mais que outras espcies utilizadas em jardins e decora-o. As que foram plantadas na entrada da cidade somam mais de 10 anos.

    Por muito pouco, parte dessas rvores teria que ser retirada de um dos lados da avenida. A linha de recalque dos emissrios de esgoto pas-sar ao lado da avenida e a preocupao da equipe tcnica que coordena a obra era que as razes das rvores, conhecidas por destruir calamentos, rompessem com as manlias

    usadas na tubulao da linha.A preocupao com a pos-

    sibilidade da retirada das plantas fez com que o prefei-to Manoel Frias Filho (PR) acompanhasse de perto o teste para verificao das razes.

    Quis acompanhar para ver a melhor sada. Fizemos dois testes e ficou claro que a dis-tncia das rvores em relao a linha no afetar a obra, disse o prefeito.

    Em conversa da reportagem do Sabado do Povo com o grupo da construtora que tocar a obra, foi possvel perceber que o alvio de todos. Caso fosse necessrio a der-rubada das rvores, o prefeito teria que fazer um replantio em outra rea, porm, a beleza da entrada da cidade ficaria comprometida, disseram.

    Figueiras no vo interferir em obrade Linha de Recalque em Borebi

    Obras da ETE iniciaram esta semana com limpeza de rea em Borebi

    Da redaoAs obras da Estao de

    Tratamento de Esgotos de Bo-rebi comearam oficialmente esta semana, com mquinas e caminhes fazendo a limpeza da rea onde sero construdas as lagoas para o tratamento.

    O municpio ir receber cerca de R$ 3.700 milhes durante o andamento da obra, atravs do convnio com o programa gua Limpa do DAEE (Departamento de guas e Energia Eltrica), que prev a construo de emissrios, estao elevatria de esgotos, linha de recalque e ETE.

    A primeira parcela do con-vnio no valor de cerca de R$ 315 mil.

    O convnio foi assinado pelo prefeito Manoel Frias Filho (PR), no gabinete do governador Geraldo Alck-min (PSDB), em audincia exclusiva, a cerca de um ano. O tempo desde ento foi ne-cessrio para a formalizao do convnio e a realizao da licitao da empresa que ir trabalhar na obra.

    Tambm foi necessrio para dar andamento ao convnio a desapropriao por parte a prefeitura de uma rea de cerca de 48 mil metros qua-drados, pelo valor de R$ 124 mil, onde sero realizadas as obras da ETE.

    A arquiteta Mariana Guer-reiro Kuminari, que respon-

    svel pelo setor de Obras e Planejamento do municpio responsvel por acompa-nhar o desenvolvimento dos trabalhos, desde a assinatura do convnio entre municpio e o Estado juntamente com o diretor do DAEE- Bauru, Srgio Domingues.

    Esta semana, paralela ao trabalho de limpeza tambm estava prevista o incio da construo da Linha de Re-

    calque e da Estao Elevatria de Esgoto.

    Segundo informaes do prefeito Manoel Frias Filho, que acompanha tudo de perto, as obras devero seguir em um ritmo s. Se nada acontecer de extraordinrio, seguiremos o cronograma e a empresa que ganhou a concorrncia dever entregar a obra no prazo con-tou Man Frias.

    Porm, o prefeito ressalta

    que preciso considerar o perodo de chuvas que se aproxima, j que este o tipo de obra que pode ser direta-mente afetada pelas chuvas, alerta Man Frias.

    No incio de 2013 com as fortes chuvas algumas represas do municpio se romperam causando enorme transtorno, inclusive danificando a via de acesso cidade obrigando mo-toristas a utilizarem um desvio.

    Andamento deve seguir cronograma e obra ser entregue no prazo, porempresa contratada; diretor do DAAE Regional acompanhar de perto

    Picanha Grill Frigol - KgR$19,80

    Contra-FilFrigol - kgR$19,80

    A CALP (Clube de Aero-modelismo de Lenis Paulis-ta) promove nos dias 13 e 14 de setembro, no prximo final de semana, das 9h s 17h, no stio Campinho o 2 Encontro de Aeromodelos de Lenis Paulista.

    Os organizadores prome-tem muitas acrobacias areas com as mini-mquinas voado-ras. A entrada ser solidria e pedido um litro de leite tipo longa vida (caixinha).

    Alm da apresentao dos aeromodelos haver lojinha de modelismo, sorteio de brindes, gincanas e mercado de trocas para pequenas peas.

    Para chegar ao local do evento o caminho pela vici-nal Juliano Lorenzetti. Depois de fazer o trevo da Lwart necessrio seguir pela rodovia passando pela Lwarcel em sentido Usina So Jos. Cerca de um quilometro adiante h uma entrada direita, que dever estar sinalizada. Ai s seguir adiante e chegar ao local exato do evento. (Veja foto ao lado).

    No primeiro evento ocor-rido o ano passado houve um bom pblico e para esse, alm dos visitantes, esperado a participao de feras do aeromodolismo regional.

    Clube de aeromodelismo volta comtudo na segunda edio no Campinho

    Google Maps

    START | Mquinas trabalhavam durante a semana que passou na limpeza do local onde tero incio as obras da Estao de Tratamento

    Fotos: BillyMao

    A L V I O | T e s t e s m o s t r a r a m que razes no afetaro linha de recalque

  • POLTICA 3LENIS PAULISTA, 6 DE SETEMBRO DE 2014

    SADE PBLICA

    Cadeado - Obstruir a diverso. Talvez seja essa a definio do que vem fazendo a administrao pblica quanto aos nicos pontos onde jovens se encontram para descontrao. A proibio de venda de bebidas depois da 24 horas em um estabelecimento prximo ao Teatro Municipal deixa claro a forma tucana de governar. No oferece opo, apenas probe.Sinal - Deu entrada na Cmara o projeto de lei proposto pelos verea-dores do PV (Partido Verde) Ailton Tip Laurindo e Anderson Prado de Lima, que altera a lei que trata das normas de conduo de entulhos e outros materiais por empresas proprietrias de caambas. As alteraes do mais responsabilidade ao transportador e tornam mais rgidas as pu-nies em caso de descumprimento da lei.Caiu - Ocorre que era grande a reclamao, especialmente de motoristas, que se viam em risco quando o material transportado caia das caambas, quando estas no estavam devidamente adequadas para o transporte.Grade - Na Lei Municipal 3153/2002 no havia item que determinasse que o material cado em via pblica durante o transporte deveria ser re-colhido pela empresa responsvel por ele, apenas que a caamba deveria estar protegida por uma tela, o que na prtica poucos atendiam. Agora, pargrafo do Artigo 1 da lei estabelece multa caso os objetos no sejam recolhidos pelo transportador. Talo - A punio a quem no atender lei est prevista no Artigo 4, que estabelece advertncia por escrito, aplicao de multas e at cassao do alvar de funcionamento da empresa. A multa inicial de cerca de 10 UFESPs (Unidade Fiscal do Estado de So Paulo), que este ano tem valor de R$ 20,14 cada, com a possibilidade de dobrar o valor em caso de reincidncia. Reiteradas infraes lei acarretaro a cassao do alvar.Alerta - Segundos os vereadores, as mudanas esto sendo propostas para evitar que acidentes graves aconteam, principalmente quando o transporte das caambas para despejo feito, como atualmente, a locais distantes da cidade, com a necessidade de acessar rodovias, aumentando o risco de acidentes graves.Na linha - O projeto com as alteraes lei segue para anlise das co-misses para depois ser enviado para votao em dois turno em plenrio.Dupla - Os candidatos Auro e Carlo Octaviani, de Agudos , inaugura-ram na noite de quinta-feira, na Avenida 9 de Julho, o comit eleitoral dos dois candidatos. Auro disputa uma cadeira na Assemblia Legislativa e Carlo concorre a uma vaga federal.Aplausos - Durante os discursos que oficializaram a abertura do comi-t, vrias personalidades foram citadas. Entre elas, o vereador lenoense Ailton Aparecido Tip Laurindo, que foi aplaudido quando chamado ao palanque armado para a inaugurao.Co-irm - Tip lembrou em seu discurso que a cidade de Agudos tem cooperado com Lenis Paulista e com a populao lenoense aceitando e fazendo procedimentos da Sade que no so feitos em Lenis. Estrelas - Outras personalidades da regio tambm estiveram presente. Havia representante de Bauru, Iguarau do Tiet, Macatuba e Agudos. De Agudos, o prefeito Everton Octaviani o que mais se envolve na campa-nha dos tios. Na abertura de seu discurso agradeceu Tip pela participa-o chamando-o de futuro prefeito de Lenis.Do outro lado da cerca - Inusitada foi a presena do ex-prefeito Car-los Vaca (PSDB) que tambm estava no palanque. Vaca, tucano ferre-nho, sempre defendeu e foi defendido por Pedro Tobias, de Bauru. Agora como assessor do prefeito Everton est de boa com o PMDB e a chapa encabeada por Paulo Skaf.Brodagem - Apesar de discursar a necessidade de se mudar o atual qua-dro poltico na regio, buscando por mais fora poltica, Carlo Octaviani no ousou atacar candidatos da regio como Miltinho e o prprio Tobias. Citou exemplo de Sorocaba que conseguiu eleger 7 deputados e transfor-mar a regio em polo industrial. esta fora poltica renovada que nossa regio est precisando, disse no discurso.Queimou - Interlocutores no Pao das Palmeiras disseram que a reu-nio entre os vereadores, diretores e a prefeita Izabel Lorenzetti (PSDB), realizada na quinta-feira, dia 4, no transcorreu somente com risos e afagos, como demonstrava fotografia divulgada durante a semana pela assessoria do Executivo.Fogo - Ao menos dois vereadores teriam subido o tom com a prefeita para defender interesses da comunidade. Um deles, no identificado pela fonte, teria afirmado inclusive, com todas as letras, que uma deciso administra-tiva do Executivo estaria prejudicando parte do comrcio lenoense. Na seca - A deciso da administrao, ainda segundo apurou esta co-luna, teria o mesmo sentido de tentar evitar uma enxurrada fechando apenas um torneira, ou seja, prejudica uma parte, no resolve o problema e deixa muita gente sem gua.Liso - Quem passa pela linha frrea, na Rua Coronel Joaquim Anselmo Martins sente uma diferena. Aps a instalao de conduites pela equipe da ALL, na quinta-feira, dia 4, a prefeitura recuperou o pavimento apli-cando no local cerca de uma tonelada de massa asfltica fria, segundo a assessoria de imprensa da prefeitura.

    Medida no traria custos para a prefeitura, uma vez que medicamentos podem ser retirados nas Farmcias Populares

    Tania MorbiO vereador Nardeli da Silva

    (PROS) quer que os pacientes que precisam de medicamen-tos de uso contnuo tenha direito a uma reserva mensal, para que em caso de qualquer intercorrncia o paciente no deixe de ser medicado. Para isso, apresentou requerimento prefeita Izabel Lorenzetti (PSDB) pedindo que ela en-vie Cmara projeto de lei que estabelea o benefcio do Dose Reserva. A apre-sentao do requerimento foi feita na sesso da Cmara de segunda-feira, dia 1.

    O remdio passado na quantidade certa, exata, para o prazo de 30 dias, normalmen-te. Mas, eu acompanhei, antes de montar o projeto, o dia a dia e pude ver que pode se dar esta convenincia e o que pode ser ajustado, sem causar transtorno, disse o vereador.

    Entre os pacientes que po-deria ser beneficiados diabti-cos, hipertensos, asmticos e pacientes de vrias doenas. Pelo requerimento, o paciente poderia retirar, com receita mdica, nas farmcias das unidades de sade ou nas Far-mcias Populares uma quanti-dade acima do necessrio para o ms, mantendo remdios extras, que supririam a neces-sidade excepcional. A pessoa que toma insulina injetvel, ela recebe dose para o ms. Mas, as vezes, a pessoa pode ter uma hipoglicemia, que a alta da diabetes, e a pessoa vai at o Pronto Socorro e o mdico de l recomenda que ela aumente a dosagem do medicamento. At que esta

    pessoa possa conversar com mdico no posto de sade sobre o episdio e a alterao da medicao, o que ocorre que falta o medicamento antes do dia da consulta, explicou Nardeli.

    O exemplo da insulina apenas um, mas segundo o vereador, a indicao que diversos medicamentos de uso frequente sejam liberados pelo Dose Reserva, como chamou o projeto.

    Outras possibilidades para a falta de remdio, citadas por ele, ocorre inclusive por falha da rede de atendimento, como a falta do medicamento na data prevista para retirada pelo pacientes e a ausncia

    do mdico que prescreve a receita.

    Tenho certeza que este projeto est certo, porque temos o fornecimento do Governo do Estado, atravs da Furp (Fundao para o Remdio Popular), e da Farmcia Popular, que do Governo Federal, atravs do Ministrio da Sade. No precisa sair um tosto dos cofres do poder pblico. O que tem que ser feito fornecer uma receita a mais para o paciente. A partir do momento que fornecer uma receita a mais, ele j passa a ter o medicamento de uso contnuo, uma dose mensal de reserva em sua casa,

    adiantou o vereador.Para ele, este o momento

    de criar o projeto, aproveitan-do o momento poltico favo-rvel. S preciso que a pre-feita entenda o procedimento, autorize os mdicos a partir de j fornecer uma receita a mais. Nos programas eleitorais, pa-rece que estamos vivendo num mundo maravilhoso, onde tudo vai se resolver. Ento, j que este ms prometem que vo resolver tudo de ambas as partes, a prefeita deve se aproveitar disso e fazer com que a Farmcia Popular e a Furp nos d este benefcio. Se deixar passar este momento, no vamos conseguir depois, afirmou.

    Ao receber a Moo de Con-gratulaes, indicao feita pelos vereadores do PV, Ailton Tip Laurindo e Anderson Pra-do de Lima, por seu esforo em implantar em Lenis Paulista o Servio de Quimioterapia, o empresrio Edenilson Belino Grecca confessou que, embo-ra o servio v humanizar o atendimento a pessoas em tra-tamento do cncer, a conquista no foi completa como ele gostaria, e ainda que, vencer os entraves polticos foi mais dif-cil do que superar os problemas financeiros.

    O Servio de Quimioterapia foi anunciado para ter incio no hospital Nossa Senhora da Piedade, no prximo dia 29, deste ms, e a inaugurao oficial do espao est prevista para o dia 26.

    Encontrei sim, muitas bar-reiras, principalmente barreiras polticas. As barreiras financei-ras so poucas e mais fceis de se ultrapassar, mas as barreiras polticas foram muitas, mas nunca desisti, lembrou o em-presrio.

    Para vencer as dificulda-des polticas e burocrticas, Grecca diz que o grupo que buscava o objetivo usou das mesmas armas, pedindo apoio a polticos da regio, para que intercedessem. Tivemos vrias interferncias polticas que nos ajudaram, o entrave burocrtico muito forte e ento pedi ajuda a vrios polticos, contou.

    Para que a conquista fosse completa, de acordo com o empresrio, o ideal seria que o servio fosse prestado por mdicos da nossa cidade, o que garantiria maior garantia de continuidade do atendimento.

    Mas, esta uma conquista maior e as coisas vo acontecer passo a passo.

    O Servio de Quimioterapia ser oferecido em Lenis em convnio com o Hospital Amaral Carvalho, de Ja, que embora seja referncia nacional no tratamento oncolgico, ini-cialmente se negou a implantar o servio no municpio. Os detalhes de como foi fechada a nova parceria no foram divul-gados, apenas detalhes de como ir funcionar o atendimento. Inicialmente, sero atendidos entre 25 e 30 pacientes, por dois mdicos e um coordenador tc-nico do Amaral Carvalho, que ir vender os medicamentos de alto custo para o HNSP. Todas as despesas para manuteno do servio ser dividida entre o hospital Piedade, prefeitura municipal e empresrios que apoiam a iniciativa.

    Segundo Edenilson, a cerca de dois anos e meio, quando decidiu

    trabalhar para ter o atendimento quimioterpico em Lenis, a tarefa parecia to impossvel, que ele chegou a ser desestimulado do objetivo. Fui orientado a desistir, e me disseram - Ai voc est indo longe demais. Esta aqui voc no vai conseguir, melhor parar por aqui - e eu disse que era uma coisa que eu enxergo como perfeitamente normal, cabvel e de direito do cidado. Ento fui luta e lutei, briguei com muita gente, lembrou.

    Apesar de lamentar o des-fecho do caso, o empresrio comemorou o resultado que o servio trar para a populao e apontou que a conquista do atendimento deve servir de inspirao. Que esta vitria da quimioterapia em Lenis Paulista, embora no tenha sido como eu gostaria que fosse, seja mais um ponto para que todos possam lutar para outras conquistas. Eu gostaria que esta conquista nossa, de todos os

    cidados, que fosse realmente um marco para que todos nos ajudem a conquistar outras coi-sas que so direito de ns todos como cidados e possvel de se conquistar. desumano. Ver o sofrimento de uma pessoa que precisa deste tratamento, que depende do tratamento via SUS e tem que passar o dia todo, aps a realizao da aplicao, esperando a volta para sua casa, afirmou.

    Entre os agradecimentos da ajuda que recebeu para re-alizar o sonho de ver pessoas recebendo o tratamento qui-mioterpico sem ter que viajar a outras cidades da regio, os destaques do empresrio foram para as empresas do Grupo Zilor e Lwart, alm da Ascana e a pessoas que contriburam com menores valores. Grecca tambm agradeceu ao provedor do hospital Ronaldo Conti por ter aceito a ideia, e a polticos da cidade.

    Nardeli prope Dose Reserva aos medicamentos de uso continuado

    Grecca recebe Moo na Cmarapor atendimento de quimioterapia

    ESTOQUE | O vereador Nardeli, durante pronunciamento na Cmara

    MRITO | Grecca, Tip e Conti, na entrega das homenagens

    Fotos:Billy Mao

  • OPINIO4LENIS PAULISTA, 6 DE SETEMBRO DE 2014

    FALE CONOSCO CNPJ: 14.647.331./0001-22

    IE: 416.050.229.111

    Jornalista Responsvel: Tnia Morbi - Mtb: 52.193Redao e administrao Lenis Paulista

    Rua Andr Bacili, 45 Telefone (14) [email protected]

    CONTATO COMERCIAL: (14) [email protected]

    Sugesto de Pautas: (14) 3263-1740

    Registrado no Cartrio de Registros de Pessoas Jurdicasde Lenis Paulista sob nmero 008 - Folha 15 - Livro B1

    TODOS OS ARTIGOS SO DE RESPONSABILIDADEDE SEUS AUTORES

    Tiragem: 3.000 exemplaresNa internet: http://issuu.com/billymao/docsCaderno DeCasaEmCasa: 20.000 exemplaresLenis Paulista - Borebi - Agudos - Macatuba

    Vingana PR. ANTONIO CARLOS CABRAL

    Vingana ou justia pelas prprias mos tema constante de novelas e tambm de filmes, destacando o baixo sentimento do ser humano. Dentro da tica crist, a vingana no se justifica e no tem espao, por ser um sentimento considerado mesquinho, prova de ima-turidade espiritual, negao explcita de amor cristo. Amados, nunca procurem vingar-se, mas deixem com Deus a ira, pois est escrito: Minha a vingana; Eu retribuirei, diz o Senhor. Ao con-trrio: Se o teu inimigo tiver fome d--lhe de comer, se tiver sede, d-lhe de beber... No se deixem vencer pelo mal, mas venam o mal com o bem (Rom. 12.19-21).

    O desejo de vingana di na alma do vingador, como se ele estivesse sofrendo um prolongamento da ofensa que pre-tende vingar. Fica paralisado pelo desejo de vingana. No cresce na vida crist, no exerce seus dons, perde a esperana da glria, pois l no entrar nenhum sentimento impuro. Antes de destruir, o vingador j se destruiu a si mesmo. A vin-gana no diminui a dor de uma injuria, antes a agrava.

    O vingador perde o encanto de vi-ver, iludido com o sentimento da alma lavada, porm, sua conscincia carre-gar um fardo muito pesado, por no ter conseguido substituir a vingana pelo

    perdo. Quando foi alvo de uma injustia ou crueldade, no desejo de reparar o erro pelas prprias mos, o canal de comuni-cao com Deus bloqueado, impedindo uma ao piedosa. Ento o vingador que foi vtima, se torna ru.

    Da mesma forma, alegrar-se com a desgraa que acometeu a quem causou dano, tambm uma forma de vingana, embora de forma mais branda. As mos permanecem limpas e a conscincia no carregar tal peso, mas o cristo conhe-cedor da Palavra de Deus, sabe que O amor no se alegra com a injustia, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo cr, tudo espera, tudo suporta (I Cor. 13.6-7). Esse o amor que verdadeira-mente oferece a outra face, aguardando conscientemente a ao da justia divina.

    H ofensas que so difceis de serem perdoadas, especialmente quando partem de pessoas em que se confiava. Jesus confiava em Judas, mesmo sabendo que o trairia, mas quando se aproximou para consumar o ato, Jesus o chama de amigo (Mat. 26.50). Numa demonstra-o de que Ele a encarnao da graa, suplica ao Pai pelos seus algozes: Pai, perdoa-lhes porque no sabem o que es-to fazendo (Luc. 23.34). Pela graa de Jesus, a bno que aqueles que cometem impiedade no conhecem, possvel tro-car a vingana pelo perdo, o que no apenas possvel, mas indispensvel, se queremos que Deus no se vingue das nossas ofensas. Se no perdoarmos aos homens, as suas ofensas, tambm nosso Pai celestial, no perdoar as nossas (Mat.6.12).

    O perdo alivia e elimina a dor de uma ofensa, ao contrrio da vingana, que a revive e a cada lembrana, se agra-va. A vingana nivela o agredido ao seu agressor, o perdo nivela o homem ao seu Criador, recebendo Dele uma poro acentuada de Sua semelhana divina. A vingana sem dvida, de procedncia maligna.

    Antnio Carlos Cabral Bacharel em Teologia pela Faculdade Teolgica Ba-tista Grande ABC.

    LEONARD ATTUCH

    EDUARDO GUIMARES

    FHC e Lula deveriam, sim, conversar

    Que nova poltica essa que une Marina e Malafaia?

    Sabado online: issuu.com/billymao/docs/

    Reflexo

    Sonho e frustrao

    S humilde para evitar o orgulho,

    mas voa alto para alcanar a

    sabedoria

    Santo Agostinho

    Marina Silva vem alardeando que sua candidatura simboliza algo que chama de nova poltica. A despeito de tal proposi-o, o fato que no pode haver uma po-ltica nova. Pode haver, sim, uma poltica melhor, que no seja feita base de acordos esprios com gente que no presta, mas no h o que inovar na poltica.

    Os mecanismos da poltica derivam dos ditames da democracia. Poltico busca maioria entre os votantes, busca maioria nas casas legislativas e, para obter tais maiorias, faz acordos com outros polticos. E s. No h como fugir desse modelo, ao menos na democracia.

    Quando Marina fala em nova poltica, portanto, o que se pode depreender que

    pretende inovar dentro do modelo que a poltica impe. Inovar como? Um bom comeo, como foi dito acima, seria o novo poltico no se aliar a gente que tem a palavra picareta gravada na testa.

    E, sim: por estranho que parea h muita gente que tem a palavra picareta gravada na testa.

    Recentemente, a candidata a presidente Marina Silva deu uma pequena amostra do que a nova poltica que prega: alterou, na marra, ponto de seu programa de gover-no que apoiava a unio civil entre pessoas do mesmo Sexo.

    Quem a obrigou a agir assim foi um sujeito chamado Silas Malafaia, um pastor pentecostal carioca que se tornou muito

    rico e influente atravs da explorao da f. Em 2013, reportagem da revista norte--americana Forbes disse que o patrimnio dele estimado em 150 milhes de dlares.

    Pelo Twitter, Malafaia ameaou retirar o apoio candidatura de Marina caso o programa de governo dela condescendesse com quem ele considera seu pior inimigo: o movimento em defesa dos direitos dos homossexuais. Com quatro tutes, o pas-tor conseguiu que a candidata da nova poltica se vergasse.

    Malafaia, na mesma rede social, come-morou a vitria.

    Eduardo Guimares escreve original-mente para o site Brasil 247

    Esta semana o empresrio Edenilson Greca foi homenageado na Cmara dos Vereadores por sua iniciativa de trabalhar para que o tratamento de quimioterapia fosse implantado em Lenis Paulista e, assim, pessoas em tratamento pudessem ser atendidas com mais humanidade. Da cerimnia, que tem se tornado cada vez mais frequente no Legislativo e tem seu mrito ao reconhecer pessoas que contribuem de alguma maneira com a melhoria da vida na cidade, um dos des-taques foi o discurso em tom de desaba-fo e lamento do empresrio que atingiu seu objetivo, mas no no alvo como seu empenho merecia. O atendimento oncolgico regula-mentado pelo Ministrio da Sade e a implantao de novas unidades de aten-dimento tem trmite rgido e burocrti-co, com exceo dos servios oferecidos atravs dos centros de referncia, como ser o que passa a funcionar em Lenis, no final do ms. Os caminhos percorridos pelo empres-rio e os obstculos que encontrou mos-tram que as dificuldades, as vezes, so to grandes quanto a determinao e a vontade de fazer algo de bom em prol do outro. Por isso mesmo, foi contundente a citao do empresrio de que para ter a quimioterapia em Lenis Paulista, os obstculos polticos foram muito maio-res que o dinheiro necessrio para que o posto de atendimento fosse implantado. A parceria com outras empresas do mu-nicpio, neste sentido, mostra que a des-tinao de dinheiro para causas nobres tem respaldo garantido em Lenis. O episdio da quimioterapia s mais um a demonstrar que falta jogo poltico pesado quando se trata dos interesses dos outros e no dos prprios polticos. O que falta o apoio poltico que ga-ranta orientao correta para as aes, a abertura de portas e garantias do que realmente pode ser feito, e como, para que no ser perca tempo, ainda mais, quando o tempo est contra os que se-ro beneficiados. O bom combatente pode se reunir a outros que o ajudem em suas batalhas, mas sempre haver um peso a carregar, que pode tornar o caminho mais longo, difcil e cansativo. Ou caro, como no caso de Lenis, onde o acordo firmado com o Hospital Amaral Carvalho tornou a ma-nuteno do servio muito mais onerosa para os envolvidos. O empresrio sonhou em fazer algo grandioso para o bem de seus semelhan-tes e fez, mas demonstrou em seu discur-so que a realizao de sonhos tambm podem ser frustrantes. Do episdio fica a lio de que no se deve desistir dos objetivos, especialmen-te quando os mesmos so voltados ao bem de uma sociedade, neste caso, um pblico que vive uma realidade cruel por ter que, alm de enfrentar uma doena gravssima como o cncer, atravs de tra-tamento altamente incapacitante, tinha que passar por isso longe de casa, em si-tuaes deprimentes. Porm, tambm ensina que preciso, em qualquer situao, assegurar de que se estar cercado das melhores compa-nhias quando se determina um objetivo a atingir.

    blogdokayser.blogspot.com

    Daqui a cem anos, ou bem menos tem-po do que isso, quando os historiadores se debruarem sobre o que representou o perodo 1994-2014, com duas dcadas de poder divididas entre dois governos tucanos, com FHC, e trs administraes petistas, com Lula e Dilma, o perodo ser retratado como uma coisa s: os vinte anos de consolidao da social-de-mocracia no Pas. Um perodo marcado por estabilizao econmica e um dos mais vigorosos processos de incluso social ocorridos no mundo.

    Isso significa que o Brasil, de 1994 a 2014,representa um caso formidvel de sucesso, que deveria colocar em xeque o discurso dos que pregam mudanas radicais no Pas. Esse processo poderia ter transcorrido de forma bem mais suave se, a exemplo do que ocorreu no Chile, as foras social-democratas tivessem dialogado desde o incio. L,

    a chamada concertacin tambm go-vernou o pas por 20 anos, entre 1990 e 2010, viveu um breve interregno com a vitria de Sebastian Piera, e retornou recentemente com Michelle Bachelet.

    No Chile, os social-democratas com maior crena na iniciativa privada ou no estado foram capazes de dialogar. Por isso, dividiram o poder. No Bra-sil, em vez disso, preferiam disputar o poder. Assim, enquanto FHC cedeu aos encantos da direita, aliando-se ao antigo PFL, Lula governou com alas mais patrimonialistas do Congresso Nacional. Ambos disputaram o direito, segundo FHC, de conduzir o atraso, numa guerra fratricida entre grupos que talvez tenham mais semelhanas do que diferenas entre si.

    Por isso mesmo, no de todo absur-do o discurso de Marina Silva, quando afirma que PT e PSDB, cegos pelo dio,

    no se escutam e se tornaram incapazes de ouvir o resto da sociedade. O pro-blema, em Marina, no o diagnstico, mas, sim, o que ela oferece. Ser mesmo possvel governar um pas com a impor-tncia que o Brasil adquiriu negando a poltica tradicional? Ser que ela repre-senta um ponto de unio nacional, como outros j tentaram no passado, ou apenas a contratao de crises permanentes?

    Impossvel prever o futuro, mas o fato que FHC e Lula deveriam, sim, conversar. At porque o Brasil deveria estar acima de qualquer eleio. (www.brasil247.com)

    Leonardo Attuch jornalista, idea-lizador do 247 e autor dos livros Sa-ddam, o amigo do Brasil, Quebra de contrato, A CPI que abalou o Brasil e Eike: o homem que vendia terrenos na lua

  • GERAL 5LENIS PAULISTA, 6 DE SETEMBRO DE 2014

    DESENVOLVIMENTO

    Empresa que produz avio no confirma data para incio de produo, apesar de divulgao da prefeitura, ereafirma que gerao de emprego no foco principal, foco transformar Lenis paulista em polo aeronutico

    Novo setor econmico no decola, apesar de investimento pblico

    EDITAL DE CONVOCAO

    A Comisso de Constituio da futura ASSOCIAO DA CIDA-DANIA PAULISTA (ASSOCIPAUTA), pessoa jurdica de direito privado, sem fins lucrativos, religiosos, ou poltico-partidrios e durao por tempo indeterminado, CONVOCA cidados interes-sados em geral sua constituio, em Assembleia Geral a ser realizada no dia 22 de setembro de 2014, as 17 horas, na Avenida dos Estudantes, 25, sala 2B, na cidade e Comarca de Lenis Paulista, em primeira chamada ou segunda chamada, com qual-

    quer nmero de presentes, para deliberar seguinte pauta:Leitura, discusso, votao e aprovao do Estatuto Social;

    Criao da entidade.A presente convocao est conforme a legislao pertinente,

    bem como ao Cdigo Civil Brasileiro e a Lei n 9.790/99Lenis Paulista, 6 de setembro de 2014

    Comisso Constitutiva

    SERTANEJO EVANGLICOE 100% SERTANEJO

    DAS 4 S 6 HORAS DA MANH

    NA RDIO DIFUSORA 1010 AM

    SEGUNDA A SBADOCOM

    MAURINHO JUSTINO

    CURSOS PRONATEC

    O CRAS DE BOREBI ESTA COM INSCRIES ABERTAS PARA CURSO DE MONITOR DE TRANSPORTE ESCOLAR.

    O curso faz parte de uma parceria da Prefeitura de Borebi, atravs do Setor de Assistncia So-cial, com o governo Federal Programa Nacional de Acesso ao Ensino Tcnico e emprego - PRO-NATEC/Brasil sem Misria.Ser ministrado pela Instituio SEST/SENAT, e as aulas acontecero no CRAS/BOREBI.

    Documentos necessrios para inscrio: - R.G.- C.P.F.- COMPROVANTE DE ENDEREO RECENTE- CERTIFICADO/HISTRICO/DECLARAO ESCOLAR- (CASO NECESSRIO) FICHA DE ABERTURA DE CONTA POUPANA NA CAIXA ECONMICA FE-DERAL, PARA TRANSFERNCIA DO VALOR DA ASSISTNCIA ALIMENTAO.

    Data provvel do Incio: 29/09/2014Quantidade de vagas: 30 vagas

    Idade: Acima de 16 anos.

    CURSOS SENAI

    O CRAS DE BOREBI ESTA COM INSCRIES ABERTAS PARA OS SEGUINTES CURSOS:

    Pedreiro Assentador Pedreiro Revestidor Pintor de Obras Instalador Hidrulico Eletricista Instalador Residencial Recepcionista Assistente Administrativo Assistente de Contabilidade Auxiliar de Logstica

    O curso faz parte Do Projeto So Paulo Solidrio Alm da Renda parceria da Prefeitura de Bore-bi, atravs do Setor de Assistncia Social, com o governo Estadual, visando proporcionar mobili-dade social as famlias de Borebi.Ser ministrado pela Instituio SENAI, e as aulas acontecero no CRAS/BOREBI.

    Documentos necessrios para inscrio: R.G. - C.P.F - COMPROVANTE DE ENDEREO RECENTE

    Os cursos sero simultneos onde o Curso de Assistente Administrativo ter incio no dia 08/09 segunda feira.

    Compaream!!! Idade: Acima de 16 anos.

    SAS - BOREBISAS - BOREBI

    Tnia MorbiA formao de um polo

    aeronutico em Lenis Paulista um objetivo que tem demonstrado ser mais difcil de se atingir do que o anunciado. A instalao de uma empresa fabricante de avies, que previu iniciar suas atividades no segundo semestre de 2012, seria o primeiro passo para atingir a meta, porm, passados mais de dois anos e meio, e aps alto investimento feito pela prefeitura municipal, a meta de dar incio a um novo setor econmico na cidade ainda no decolou. A criao de vagas de empre-go outro ponto que deve frustrar o mercado local, j que a empresa mantm a ex-pectativa de gerar pequeno nmero de colocaes.

    A criao de um novo polo econmico em Lenis foi suscitada pela primeira vez em 2011, quando o jor-nal Sabado anunciou, com exclusividade, a pretenso dos empresrios Zizo Zola e Marcos Vilela de instalar no municpio a empresa Vo-lato. A previso inicial era de comear as atividades no segundo semestre de 2012. Em junho daquele ano, a empresa recebeu a doao da rea feita pela prefeitu-ra e fez nova previso de iniciar sua produo em janeiro de 2013. A fbrica vem sendo construda ao lado do aeroporto muni-cipal Jos Boso, em uma rea de cerca de cinco mil

    metros quadrados.A empresa no divulga o

    quanto j investiu no local, mas devido ao empreen-dimento, a administrao municipal fez grandes in-vestimentos no local. A pre-viso inicial era de R$ 100 mil apenas em melhorias no local, mas a prefeiruea tambm desapropriou rea de 29 mil metros, onde ser construdo um estaciona-mento com capacidade para at quatro aeronaves.

    Durante a semana, o jor-nal Sabado do Povo fez contato com a assessoria de imprensa da prefeitura para saber o quanto foi gasto at agora na obra. Porm, at s 18h54 de sexta-feira, a assessoria no havia dado retorno sobre o pedido, nem

    se ele seria atendido ou no.

    Receio No ltimo ms de julho, a

    prefeitura antecipou que em 30 dias deveria concluir as melhorias no local. Porm, esta semana, questionado sobre a informao de que a Volato comearia a atuar em Lenis em setembro, por telefone, o empresrio Zizo Zola demonstrou receio em confirmar a data de incio das atividades. Um dos pon-tos seria problemas que a ad-ministrao municipal teria enfrentado para adequar a nova rea s exigncias da Anac (Agncia Nacional de Aviao Civil), e que teriam atrasado o processo. Esta-mos caminhando no ritmo do municpio, disse Zizo.

    Segundo ele, a empresa manter inicialmente a pro-duo de compsitos (peas do avio) em Bauru, onde est instalada, e em Lenis sero implantadas apenas a montagem da parte mecni-ca e final dos avies, alm da manuteno. Zizo infor-mou que a Volato j monta avies em parceria com uma empresa local e o Se-nai, na cidade de Campina Grande (Estado da Paraba), mas que em Lenis, o pla-no comear as atividades de forma provisria para depois transferir a empresa definitivamente.

    Porm, o empresrio acredita no incremento do mercado empresarial do municpio. O mais impor-tante a ideia de tentar tra-

    zer industrias aeronuticas. O mais legal o start para despertar empresrios do setor industrial que Lenis tem espao para ser um polo aeronutico. Eu sempre falei isso para todo mundo, o pessoal pensa em empre-sas aeronuticas grandes, mas o forte no mundo so as empresas aeronuticas pequenas, garantiu.

    EmpregosA prefeitura j divulgou

    que o total de vagas de em-prego, diretas e indiretas, que seriam geradas pela Volato seria em torno de 80, mas informaes obti-das pelo Sabado do Povo, no confirmadas pelo em-presrio, apontam que este nmero deve ser de apenas duas vagas, inicialmente. Mesmo sem confirmar o n-mero de vagas de emprego que ir criar, Zizo reafirmou que a gerao de emprego nunca foi o foco principal do empreendimento.

    Ns nunca fizemos pro-messas de quantos (fun-cionrios) iam empregar. O importante de comear a atuar quantas pesso-as a Volato j levou para Lenis? Teve um norte--americano, um mexicano, pessoas do Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e da Paraba. Ento passa a ser um centro de ateno pela Volato, despistou.

    Previses A prefeitura divulgou em

    julho que a concluso das

    melhorias do aeroporto at agosto possibilitaram que a empresa Volato iniciasse suas atividades de constru-o aeronutica at o final deste ano. A divulgao foi feita durante a visita dos empresrios s obras no aeroporto.

    No informe, a prefeitura divulgou informaes sobre a produo da empresa, ressaltando como promis-soras as expectativas de produo de um dos mo-delos de avies, devido procura pelo mercado.

    Ainda segundo divulgou a prefeitura, os propriet-rios da empresa estimavam que o prottipo deve rea-lizar seu primeiro voo de testes at o final deste ano. Nesta semana, Zizo Zola no antecipou datas para o incio da produo, segundo ele, para no cutucar ves-peiro, insinuou.

    Concesso

    a Lei 3645/2006, que estabelece as obrigaes das empresas que recebem concesso de de uso em reas do municpio. Aps a concesso, a empresa tem seis meses para incio das construes e 18 meses para incio de funcionamento.

    Segundo a diretoria de Desenvolvimento, a Volato vem cumprindo os prazos acordados. Temos o com-promisso dos empreende-dores de operacionalizao muito em breve, informou a pasta.

    Pacientes que aguardam a realizao de exames por imagem, reclamaram esta semana pela demora na nor-malizao do atendimento do RAIS Mulher (Rede de Ateno Integrada Sade da Mulher), que estaria com o equipamento de ultrassono-grafia quebrado a trs meses. A reclamao das pacientes ecoou na Cmara, onde o ve-reador Ailton Tip (PV) pediu explicaes sobre o caso diretoria de Sade.

    Pacientes reclamam por falta de exames no RAIS MulherEm contato com a redao

    do jornal Sabado do Povo, uma paciente que aguarda para fazer o ultrassom, informou que tem se mantido base de medicamentos prescritos por seu mdico, sem ter certeza do seu problema. Maria, que pediu para ser identificada apenas desta forma, disse que na unidade no souberam in-formar quando o equipamento deve ser consertado, por isso, no existiria previso para a normalizao do atendimento.

    Na Cmara, o vereador Tip disse, na segunda-feira, dia 1, que ouviu a mesma reclamao de vrias mulheres que no puderam fazer o exame para ter um diagnstico confivel para seus problemas. O encaminha-mento para o hospital Nossa Senhora da Piedade, de quem a diretoria de Sade compra os procedimentos, e o baixo nmero de procedimentos re-alizados, estaria atrasando de-mais a realizao dos exames, segundo o vereador.

    Outro ladoA Sade informou que o

    ultrassom apresentou proble-mas no ms de julho e que o conserto deve ficar em R$ 15 mil. O diagnstico do defeito s foi feito pelos tcnicos do fabricante em agosto e agora a diretoria aguarda a finali-zao da licitao, prevista para 22 de setembro, para compra da pea e posterior conserto. Como a pea importada, o processo deve demorar ainda mais.

    A diretoria tambm in-formou que o ultrassom do RAIS Mulher exclusivo para atendimento obsttrico e ginecolgico, com mdia de 100 exames por ms em 2013. O aparelho foi adquirido h quatro anos.

    A diretoria confirmou que as pacientes esto sen-do encaminhadas apenas para o hospital Piedade para realizao do exame, enti-dade de quem a prefeitura compra os exames. A quan-

    tidade de procedimentos realizados estaria atrasando o atendimento da demanda.

    A falta de outro exame, o Papanicolau, tambm gerou reclamao recentemente. A Sade cancelou a reali-zao do procedimento no perodo noturno nos meses de julho e agosto, segundo a diretoria, devido bai-xa procura. Porm, agora, o a tendimento deve ser restabelecido em todas as unidades.

    OBRA | Ao fundo, galpo em construo onde ir funcionar empresa

    Fotos: Billy Mao

  • POLCIA6LENIS PAULISTA, 7 DE SETEMBRO DE 2014

    DIREITO E

    CIDADANIA

    DIREITO E

    CIDADANIARailson Rodrigues

    O programa DIREITO e CIDADANIA pode ser visto tambm no meu canal do Youtube:

    www.youtube.com.br/RailsonRodrigues7Mande suas sugestes e dvidas para

    [email protected] ou ligue para a redao(14) 3263.1740

    Estudante de DireitoAssessor LegislativoApresentador do ProgramaDireito e Cidadania na TVLP

    Executivo encaminha na prxima semana projeto que regulamenta bicicletas motorizadas na cidade

    TerraSabemos que o Brasil foi colonizado primeiramente por ndios e que, posteriormente, os europeus chegaram e conquistaram o continente. Aps tal conquista, nossa terra foi dividida em 13 ca-pitanias, ou seja, o Rei de Portugal dividiu o Brasil em 13 partes e distribuiu para quem ele julgou capacitado para administrar essas pores de terras.

    BrancosO homem europeu que chegava por aqui, julgando-se superior, tentou escravizar ndios e escravizou negros vindos da frica. Em uma mera iluso de que o mundo foi povoado por raas diferen-tes para que servissem o homem branco em suas regalias.E assim, senhores de engenho construram imprios em nosso pas e quando nos tornamos independentes, o Imperador tratou de fazer como quisesse, distribuindo terras a seus amigos e elite, pois em nosso pas no existiam escrituras e ficavam com as terras quem tivesse mais fora para conquista-la. Assim foi at a criao da Lei de Terras, em 1850.

    EscravidoA Lei de Terras estabeleceu que a terra apenas poderia ser ad-quirida por escritura atravs da compra, e 21 anos depois, veio a Lei do Ventre Livre, que estabelecia que as crianas negras nasceriam livres da escravido.Pois bem, resumindo, at 1850, no havia uma poltica especfica para a aquisio de terras, facilitando ao homem branco o aces-so a sua rea e a um teto. Depois, essa possibilidade foi extinta e as terras viraram alvo de comercializao. E s ento o homem branco comea a abolir a escravido dos negros.

    IroniaEm 1888, tivemos a abolio da escravatura, onde os negros escravizados passaram a ser livres, porm, o Estado no deu a eles um emprego, nem terras, nem polticas sociais ou qualquer respaldo. No possuamos um estado que era obrigado a dar sade e amparo aos necessitados.Ou seja, negros que eram tratados como objetos de comrcio se tornaram livres, porm, antes da liberdade (quando tinham dono), o Senhor de Escravos precisava cuidar para que seus es-cravos no adoecessem, e agora o Estado no se obriga a isso. O Senhor de Escravos dava um teto, comida e roupas, e a liberda-de, daria a eles tudo isso?

    BrasilChegamos a um dilema, onde o negro estava livre, mas foi colo-cado em uma cilada. Assim, muitos negros pediram ao Senhor para continuar trabalhando em suas terras. Outros foram morar em cortios, porm, desde a abolio, foram marginalizados.Com as epidemias de doenas e a valorizao imobiliria, os cor-tios e casas degradadas prximas s orla das cidades litorneas como o Rio de Janeiro, foram todos destrudos, e seus morado-res, pobres e, grande parte, negros (ex-escravos e seus descen-dentes) foram obrigados a buscar refgio nos morros e assim, comeamos a povoar o que hoje se conhece como favela.

    SemanalPrometi uma srie abordando, semanalmente, um pouco dos direitos de minorias e preconceitos de seres humanos para com seres humanos. A coluna de hoje resumiu de forma sucinta o incio da segregao social e racial no Brasil, porm, ela continu-ar e, na semana que vem a coluna abordar o resultado do que foi falado hoje, e tentarei expor as solues encontradas para amenizar a catstrofe que a falta de planejamento causou em nosso pas no que diz respeito desigualdade social e preconcei-to racial.

    Tnia MorbiAps o posicionamento do

    Ministrio Pblico sobre o crescente nmero de jovens transitando com bicicletas motorizadas, a prefeitura de Lenis Paulista deve enviar na prxima semana Cmara de Vereadores Projeto de Lei que regulamenta as normas do Contran (Conselho Nacional de Trnsito) e do Cdigo de Trnsito Brasileiro, criando uma legislao prpria sobre o assunto. A conduo aps a aprovao da lei s ser permitida para maiores de 18 anos, que sejam habilitados.

    O jornal Sabado do Povo teve acesso ao projeto que ser enviado Cmara e nele o Executivo define que o Setor de Trnsito do municpio ser responsvel por gerenciar os Registros de Licenciamento dos ciclomotores e cicloel-tricos, como foram definidas as bicicletas motorizadas. A fiscalizao ser feita pela Polcia Militar e pelo Setor municipal.

    A regulamentao foi feita pelo Executivo aps manifes-tao do Ministrio Pblico, atravs do promotor de Justia Ricardo Takashima Kakuta,

    atendendo ofcio do Conselho Municipal dos Direitos da Criana e do Adolescente que mostrou preocupao com a segurana de adolescentes que usam este tipo de transporte.

    Durante a semana, o pro-motor divulgou a necessida-de da prefeitura de criar um departamento para registrar os ciclomotores, alm de de-finir um local para onde eles sejam enviados, em caso de apreenso. Pelo projeto que vai para a Cmara, a prefeitura se responsabiliza pela guarda das bicicletas, mas no aponta para onde devero ser envia-das, apenas que ser o Setor de Trnsito o responsvel pela aguarda.

    Para transitar com o equipa-mento, a partir da aprovao da nova lei, ser necessrio que o condutor seja maior de 18 anos, possua habilitao para dirigir na Categoria A ou a Autorizao para Conduzir Ciclomotores. O veculo ter que possuir licenciamento anual emitido pelo Setor de Trnsito.

    Sero exigidos dos ciclo-motores, espelhos e retrovi-sores de ambos os lados, farol dianteiro, lanterna, velocme-tro, buzina e pneus que garan-

    tam condies de segurana.Alm de enquadrar os con-

    dutores, a lei determina as punies em caso de descum-primento. A multa, para quem for flagrado conduzindo este tipo de bicicleta sem registro ou licenciamento da prefeitura gravssima, com pagamento de R$ 191,54. Em caso de apreenso, todas as despesas (como liberao do veculo e remoo) sero cobertas pelo proprietrio.

    Com o envio do Projeto de Lei ao Legislativo, a mesa da Cmara deve retirar do trmite proposta semelhante que foi apresentada na ltima sesso.

    Na semana passada, o jor-

    nal Sabado do Povo mostrou exemplos de adolescente que usam as bicicletas motoriza-das para o lazer e como meio de transporte para o trabalho e que defenderam o interesse dos jovens em poder continuar conduzindo os ciclomotores, aps a regulamentao da lei. A baixa velocidade do veculo foi o principal argumento usa-do pelos jovens.

    Na regulamentao da pre-feitura, tanto ciclomotores (com motor de combusto), quanto cicloeltricos (motor de propulso eltrica), s po-dem transitar com velocidade mxima de 50 quilmetros por hora.

    Regulamentao do trfego e fiscalizao ocorre aps posicionamento do Ministrio Pblico sobre assunto; menores no podero mais conduzir equipamentos

    Homem de 65 anos perde R$ 10 mil em golpe

    Na tera-feira, dia 2, um homem de 65 anos foi vtima de um golpe de estelionatrios e perdeu R$ 10 mil. Segundo informaes da Polcia Militar de Lenis Paulista, a vtima afirma que um rapaz pediu aju-da a ele para receber uma nota promissria vencida h muitos anos. O valor da nota promis-sria seria de R$ 750 mil, e a vtima ficaria com 10% do valor (R$ 75 mil).

    Como garantia de que o senhor de 65 anos no daria um golpe sumindo com o di-nheiro recebido, os golpistas pediram a ele uma garantia, no valor de R$ 25 mil. Porm, a vtima disse que teria ape-nas R$ 10 mil no banco, fez a retirada do valor e entregou aos golpistas.

    O estelionatrio afirmou que iria pegar o dinheiro da nota promissria e entraria em con-tato com a vtima, entretanto, aps sair em um gol prata, no voltou mais.

    A vtima foi ao local combi-nado com os criminosos, mas eles no estavam mais l.

    Homem preso por trfico solto dois dias depois e responder em liberdade

    A CASA CAIUCOLUNA POLICIALRapaz preso por trfico e

    receptaoUm rapaz de 22 anos foi

    preso em flagrante, acusado de trfico de drogas e receptao na tarde de segunda-feira, dia 1, em Lenis Paulista. Na casa de sua me foram locali-zadas drogas e uma motocicleta furtada em Pratnia.

    Segundo os policiais da Rocam (Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas), uma denncia annima apontou que em um imvel do bairro Jlio Ferrari havia uma motocicleta que havia sido furtada no ms passado. No local, os policiais

    militares identificaram uma mo-tocicleta Yahama YBR 5983, com placas de So Manuel, e confirmaram que ele havia sido furtada da cidade de Pratnia, no dia 28 de agosto.

    Com autorizao da me do rapaz, que estava no imvel, os policiais fizeram uma busca pelo local e localizaram 15 pores de maconha embalada e outra poro maior sem em-balagem, que totalizaram cerca de 32 gramas da droga.

    Como R.A.S. no estava em casa, sua me foi levada at a delegacia para prestar esclareci-mentos, onde afirmou que a moto

    e a droga pertenciam ao filho. Porm, o rapaz foi localizado por pessoas prximas e se apresentou espontaneamente na delegacia, onde alegou que havia comprado a moto a poucos dias.

    O delegado Renzo Santi Barbi ratificou a priso em fla-grante e o rapaz seria transferi-do para o Centro de Deteno Provisria (CDP) em Bauru, onde permanecer disposio da Justia.

    Drogas em residncia faz jovem ser presa por trfico

    A Fora Ttica da Polcia Militar prendeu neste sbado uma jovem de 24 anos acusada de praticar trfico de drogas na regio do Jardim Cecap.

    Segundo os policiais, a jo-vem foi flagrada com apenas uma poro de maconha, en-tretanto, aps buscas em sua residncia, foram apreendidas outras duas pores de maco-nha, 125 invlucros de cocana e R$ 144,00.

    Naiara Cristina de Castro foi encaminhada delegacia, onde recebeu voz de priso em flagrante. Ela foi encaminhada para a Cadeia de Duartina.

    Assim como em casos de acidentes de trnsito com vtimas fatais, nos quais mo-toristas envolvidos respondem a processo em liberdade, a priso em flagrante por outras acusaes, nas quais indi-ciados depois de presos so postos em liberdade geram a sensao de impunidade en-tre pessoas das comunidades onde ocorrem estes casos.

    Algumas vezes, esta sensa-o tornada pblica, como ocorreu em Lenis Paulista recentemente em casos de acidentes de trnsito, mas outras vezes no, quando os crimes so relacionados com a violncia urbana.

    Um exemplo ocorreu esta semana. Ao atender uma de-nncia annima, a equipe

    do Ttico Mvel da Polcia Militar apreendeu drogas e dinheiro em uma residncia no Jardim Maria Luiza IV, na tera-feira, dia 2, e prendeu em flagrante um homem de 35 anos, acusado de trfico.

    A informao recebida pela PM de que o acusado estaria vendendo drogas e aliciando menores para o trfico. J.A.S. estava em um veculo quando foi abordado pelos policiais. Dentro do carro foi encontrado uma pedra de crack, de aproxima-damente 30 gramas e 18 pedras embaladas, prontas para a venda.

    Questionado se havia mais drogas o rapaz negou, porm, durante a busca, foram encon-trados mais de 30 gramas de cocana. Com ele havia ainda R$1.226,00 em dinheiro, que

    tambm foi apreendido. J.A.S. foi autuado em fla-

    grante por trfico de drogas e encaminhado para a cadeia de Ava. Porm, aps dois dias, conseguiu da Justia um habe-as corpus e deixou o presdio.

    Embora possa desagradar a opinio pblica, o caso comum, segundo explicou o promotor de Justia Ricardo Takashima Kakuta, uma vez que a priso no incio do processo no tem carter pu-nitivo em relao acusao, servindo apenas para evitar alguns transtornos para ordem pblica, para a produo das provas ou que o acusado fuja e seja impedida a execuo de uma possvel pena.

    No que ele tenha sido absolvido ou que tenha sido

    desfeito todo trabalho da fase policial. S que a Justia en-tende nestes casos que sobre-tudo por no ter antecedentes e ter um trabalho, seria o caso de conceder liberdade enquan-to segue o processo, disse o promotor.

    A priso em flagrante ocor-reu por que o delegado que cuidou do caso avaliou que haviam indicativos de que a pessoa havia cometido trfico de drogas. Mas ao analisar o caso, a Justia entendeu que, por no ter registros policiais anteriores, ele poderia respon-der em liberdade.

    Mas, isso no quer dizer, em se provando durante um processo a culpa do indicia-do, que ele no vai pagar por isso, afirmou o promotor.

    RODA| Menores no podero conduzir

    Fotos: Billy Mao

    BRANCA| Droga estava na casa de jovem

  • HORSCOPO/GERAL 7LENIS PAULISTA, 6 DE SETEMBRO DE 2014

    HORSCOPO

    ARI

    ES

    TOU

    RO

    GEM

    EOS

    CAN

    CR

    LE

    O

    VIRG

    EM

    LIBR

    A

    ESCO

    RPI

    O

    SARG

    ITRI

    O

    CAPR

    IC

    RNIO

    AQU

    RIO

    PEIX

    ESA dois, uma conversa fran-ca pode resolver de vez o que no anda bem com seu amor. Est s? Poder co-nhecer algum especial que

    vai deixar seu corao balanado. No tra-balho, ter timos resultados se agir com discrio, cautela e planejamento. Conte com seus esforos para melhorar as fi-nanas. Invista mais nos relacionamentos familiares, pois eles sero seu apoio.

    um bom perodo para in-crementar o romance. Esfor-ce-se para conquistar tudo o que seus sonhos prometem. No sexo, seja mais carinho-

    sa. No trabalho, no adie mais seus pla-nos: ousadia ser a palavra chave nesse perodo. Lua na Casa da Fortuna indica habilidade financeira. A dedicao aos fa-miliares ser muito gratificante.

    A dois, uma conversa franca pode resolver de vez o que no anda bem com seu amor. Est s? Poder conhecer al-gum especial que vai dei-xar seu corao balanado.

    No trabalho, ter timos resultados se agir com discrio, cautela e planejamento. Conte com seus esforos para melhorar as finanas. Invista mais nos relacionamentos familiares, pois eles sero seu apoio.

    Seu corao estar aberto para novas emoes e mo-mentos de seduo. Aceite o que a pessoa amada tem a oferecer. Sua fora e seu poder de liderana estaro

    em evidncia no trabalho. Atitudes posi-tivas sero premiadas. Bom perodo para iniciar uma poupana. Evite se envolver nos conflitos familiares. Prefira acalmar os nimos.

    Na paquera, algum vai parecer especial. Um clima gostoso vai tomar conta do seu romance. O par estar com pique sexual. Demonstrar eficincia no

    trabalho e conquistar o apoio de pessoa bem-sucedida. H possibilidade de fazer um acordo que proteja seus interesses. Em famlia, ser melhor tomar decises que seus parentes tambm aprovem.

    Tempo certo para paquerar. Na vida a dois, curta o que o amado tem para lhe ofe-recer. A sexualidade estar mais solta, embora voc ainda faa algumas compa-

    raes. Acredite na sua intuio profissio-nal. Voc tem tudo para melhorar seu ora-mento. Ajudar a sua famlia ser uma das suas motivaes. Mas, no exagere!

    A semana de puro romance e envolvimento para quem tem compromisso. Se estiver s, lembranas do passado podem peg-la de jeito. No

    trabalho, lembre-se de que a unio faz a fora. Ter colaborao de que precisa, mas no se esquea de fazer economia. No gaste por impulso. Um pouco de pa-cincia ajudar a manter a harmonia com seus parentes.

    Aprenda a aceitar as dife-renas de opinio. Isso s enriquecer o romance. Na paquera, uma atrao irresistvel surgir em um encontro casual. Profis-

    sionalmente, voc estar mais confiante para conquistar o que deseja. Questes de ordem material vo precisar mais da sua ateno. Nada de descarregar suas chatea-es nos familiares, seja gentil.

    Voc se sentir livre para amar cada vez mais o seu eleito. Relaxe-o com uma dose de prazer. Se o seu corao estiver vago, h chance de se apaixonar. No

    servio, perodo propcio para dar a volta por cima e reverter uma situao adversa. Saiba aproveitar as oportunidades. O astral favorece seus ganhos. Com os familiares o clima ser de muita alegria.

    A dois, a energia astral dez! No perca a chance de fazer seu par feliz. A ordem aproveitar os bons momentos que essa mar de sorte promete. Confie na

    sua fora interior e ajude quem tem menos experincia. Em relao grana pode ter boas novidades. O perodo bom pra pr em pratos limpos os assuntos mal resolvidos em famlia.

    Na paquera, algum de lon-ge poder roubar seus pen-samentos. Novos caminhos surgiro no amor. Vida sexual envolvente. Via-gens, concursos pblicos e

    assuntos judiciais sero definidos com agi-lidade. A sorte est rondando voc. O rela-cionamento familiar requer novos estmulos. Que tal um passeio? Com isso, o seu astral com o pessoal de casa vai crescer bastante.

    No hesite em mudar a sua maneira de agir com o seu par. No estranhe se ele estiver mais arredio na intimidade. Sorte em con-curso, viagem e exames de avaliao. No trabalho,

    seus talentos estaro em evidncia. Nas fi-nanas, saber como tirar uma grana extra. O convvio com seu pessoal continuar sen-do importante para trazer segurana.

    Receitaspara voc!Chef Paulo Campanholi

    Modo de prepAro

    Para preparar o recheio:Sue a cebola na manteiga. Junte os cogumelos e salteie rapidamente. Adicione o vinho e reduza metade. Acrescen-te a farinha e cozinhe por 3 minutos.Coloque o creme de leite, pre-sunto e salsa. Leve a mistura a fervura. Retire do fogo e tempere com sal e pimenta. Deixe esfriar.Para preparar o frango:Bata os fil de frango, tempere

    com sal e pimenta e passe na farinha. Retire o excesso.Coloque duas colheres de sopa de recheio em cada fil. Enrole-os firmemente. Esfrie na geladeira por 30 minutos.Empane o frango com o mto-do tradicionalFrite o frango no leo at dou-rar em ambos os lados. Sirva com o molho Beurre blanc. Ou molho branco de sua prefern-cia. Bom apetite

    INGredIeNTeS

    Recheio:Manteiga quanto basteCebola picada 01 mdiaCogumelos picados 110 g.Vinho branco seco 100 mlFarinha de trigo 1 col. chCreme de leite 60 mlPresunto picado 80 g.Salsa picada 1 col. de sopaSal e pimenta q.b.

    Fil de frango 3 und.Sal e pimenta q.b.Farinha de trigo q.b.Ovos 3 und.Farinha de rosca q.b.leo q.b.

    SuPREME DE FRANgO RECHEADO COM COguMELOS E PRESuNTO

    Tania MorbiNo prximo dia 20 de se-

    tembro acontece o 20 En-contro em Sade Mental de Lenis Paulista, organizado e promovido pela equipe multi-disciplinar do Ambulatrio de Sade Mental e Hospital Dia, sob a coordenao da psiquia-tra Ftima Aparecida Pereira.

    A mdica explicou que ao longo dos anos, o evento dei-xou de abordar apenas temas ligados exclusivamente psi-quiatria, estendendo o debate para abordagens mais amplas, por isso, temas que relacio-nam problemas psiquitricos e outras doenas passaram a ser recorrentes no encontros. Neste ano, o evento tem como tema Interface entre Psiquia-tria e Reumatologia. A men-te faz parte do corpo, mas est alm de todos os equipamen-tos at hoje inventado, pois determina tudo o que se passa dentro da cabea e do pescoo para baixo. Eu, pessoalmente, acredito que raramente existe uma doena que no seja psi-cossomtica, ou seja, a mente

    ou predispe, desencadeia ou mantm a doena de forma crnica, explicou.

    No evento deste ano sero abordadas a fibromialgia e o lpus, ambas as doenas debatidas sob a viso de um reumatologista e de um psi-quiatra, e um dos profissionais palestrantes, de acordo com o programa do Encontro, ir debater o tema Transtornos psiquitricos e marcadores inflamatrios. Como que a gente pode pensar em infla-mao dentro da psiquiatria?, comentou doutora Ftima.

    Apesar das relaes entre os distrbios psiquitricos e outras doenas, a mdica garante que possvel cada profissional agir em sua rea. Ns no estamos invadindo, estamos somando. Os m-dicos esto tratando de seus pacientes, mas tambm esto receitando antidepressivos, s que quando o paciente fica depressivo, ele tem apenas a abordagem clnica. Esta abor-dagem que vai tratar do lado psquico, do lado emocional

    quem tem o psiquiatra. Os outros colegas abe da neces-sidade de somar, porque somo um ser por inteiro, explicou.

    A atual sociedade, a perso-nalidade de cada pessoa e seu cotidiano tambm interferem diretamente, segundo a m-dica, na evoluo das doen-as. A que se unem todos para tratar os pacientes. Mas, infelizmente, por mais espe-cialidades que se reconheam ainda no suficiente. Trata--se de algumas coisas, mas outras doenas aparecem. O importante que as pessoas no desistam, nem os mdicos e nem os pacientes, avaliou.

    Participam como palestran-tes mdicos ligados Facul-dade de Medicina da Unesp (Botucatu), Faculdades de Ci-ncias Mdicas da Unicamp, Hospital do Servidor Pblico Estadual (Iamspe) e Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP.

    O evento ser realizado este ano no Lions Clube, a partir das 8h, quando sero feitas as inscries, que custam R$ 20.

    Encontro em Sade Mental chegaa 20 edio, no dia 20 deste msPrincipal evento da rea da sade mental do municpio completa 20 anos com abordagem multidisciplinar em seus temas

    COMANDO| A mdica psiquiatra, que h 20 anos organiza o evento, d detalhes da edio deste ano em entrevista imprensa

    Foto:Tnia Morbi

  • LENIS PAULISTA, 6 DE SETEMBRO DE 2014SUA IMAGEM8

    AvilapanAvilapanPRODUTOS DE PADARIAS E CONFEITARIASFERMENTO FRESCO LEVASAF

    Elson Avila

    (14) 99643.4517rua otaviano Brizola, 168 - Vila Mamedina _ Lenis paulista - Sp

    Fone: 14-3263.7300 - e-mail: [email protected]

    ACEITA-SE CARTES DE CRDITO

    DIA DE FAZER O BEMVoc j se perguntou como

    possvel fazer

    mais pelo prximo?

    Vem a:

    Para mudar o dia de muitas pessoas!

    Dias 20 e 21 de Setembro.

    FESTA - A equipe de vendas da Loja Mo-retto Materiais para Construo. Da esq. p/ dir.:Melo, Ermelindo e Felipe; Isabel, Rada-mes e Toc. Lucas, o gerente, Eduardo, Ma-nuella, Larisa e Renan. Alexandra, aparecido e Andrelina. Esta equipe est preparada para atende-lo e a te orien-tar para o material que precisa. Essa a equi-pe Moretto.

    JUSTO - Conhecimento e trabalho marcam a carreira de doutora Ftima, querida por todos

    HAPPY - Ftima Lima recebeu, no dia 19, os parabns dos filhos Vanessa e Vanderson, e de todos os familiares e amigos por completar mais um ano de vida. Parabns!

    MUITO JUSTO - Tip e Prado entregaram homena-gens na Cmara, acima, a Edenilson Grecca e ...

    JUSTSSIMO - ...aqui a entrega foi a Elza Maria Messias Lopes, que representou o Grupo Zilor

    PAZ- Estamos juntos, aqui e agora, brilhando como cristal, assim que estamos por seu aniversrio hoje, Billy Mao e pelo brilho que conquistou. Parabns! Tnia, Igor e Maria.

    ENCONTRO - Auro e Carlos Octaviani, respectivamente, candidatos a deputado estadual e federal inauguraram o comit de campanha em Lenis Paulista, na noite de quinta-feira, dia 4. No evento, uma das presenas de destaque foi o vereador do PV Ailton Tip Laurindo, que agradeceu o apoio do prefeito Everton no atendimento de casos de Sade. Everton sobrinho dos candidatos e est engajado an campanha dos tios

    _GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack