Sabadao 88

of 8/8
Máxima: 27C° Minina: 19C° Máxima: 28C° Minina: 19C° HOJE AMANHÃ Fonte: Climatempo 25 DE OUTRUBRO DE 2014 - EDIÇÃO Nº 88 - ANO 3 - LENÇÓIS PAULISTA - CIRCULAÇÃO REGIONAL U Projeto de Cargos e Funções foi aprovado em 1ª votação por vereadores em Borebi Matriz Rua Anita Garibaldi, 650 Centro - Lençóis Paulista/SP (14) 3264-3340 3263-3985 Filial Av. Pe. Salútio R. Machado, 563 Centro - Ao lado do Fórum (14) 3264-8248 Saída em frente à Rede de Combate ao Câncer, na rua 15 de Novembro, 981, às 16 horas Saída em frente à Rede de Combate ao Câncer, na rua 15 de Novembro, 981, às 16 horas Fogo em dia de fúria destrói floresta e mata trabalhador Focos de incêndio se espalharam por todas as regiões no último domingo; no Jardim Village moradores ajudaram a fazer o rescaldo, depois que as chamas de- vastaram o mato e incendiaram árvores, O medo era de que as chamas atingissem as casas; Bombeiros tentaram como puderam deter o incêndio, mas as propor- ções eram maiores que a brigada; em uma fazenda em Borebi, um trabalhador faleceu depois de inalar muita fumaça e ser atingido pelo fogo. Na págia 6 POEIRA - Lagoas da zona rural continuam se- cando. Chuva de ontem e previsão de chuva para hoje e amanhã pode amenizar a situação, enquanto o rio Lençóis sofre com assoreamento POEIRA - Lagoas da zona rural continuam se- cando. Chuva de ontem e previsão de chuva para hoje e amanhã pode amenizar a situação, enquanto o rio Lençóis sofre com assoreamento A Câmara de Bore- bi aprovou em primeira votação, na sessão de segunda-feira, dia 20, o projeto do prefeito Ma- noel Frias Filho (PR), que reduz o número de cargos de confiança da Prefeitura Municipal e estabelece uma reforma administra- tiva em relação a cargos e salários no município. O projeto precisa voltar para segunda e última votação em plenário, antes de ser sancionado pelo prefeito. O primeiro projeto do Executivo com a refor- ma administrativa foi enviado à Câmara em novembro de 2013, com a previsão de redução de 10 dos 43 cargos deixados pela gestão anterior. A proposta, no entanto, foi arquivada depois que os vereadores da opo- sição Pedro Miguel de Araújo (PV) e Amarildo Bueno (PSDB), então membro e presidente da Comissão de Constitui- ção e Justiça, rejeitaram o parecer do relator da CCJ José Roberto da Silva (PR), exigindo ade- quações ao texto. Em maio, a expectativa era de aprovação, depois de ajustes feitos pelas asses- sorias jurídicas da Prefei- tura e da Câmara. Cinco meses depois, o projeto foi colocado em pauta e aprovado por unanimida- de. A próxima sessão do Legislativo de Borebi é no dia 4. Página 4 Pacote prevê ações contra a dengue A Prefeitura de Lençóis Paulista através da diretoria de Saúde programou uma série de atividades que priorizam o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da den- gue. As ações começam em novembro e devem seguir até março do próximo ano. Estão previstas atividades em esco- las, mutirão de limpeza, visitas domiciliares a empresas. A iniciativa tem a parceria de outras pastas, como Educação e Meio Ambiente. Página 7 Neste sábado, dia 25, acon- tece a segunda etapa da va- cinação contra a raiva em Lençóis Paulista, voltada para cerca de 18 mil animais, se- gundo censo realizado em ju- nho de 2013, dos quais 13.970 cães e 3.720 gatos. A meta é atingir 80% dessa população. Porém, segundo a dire- toria de Saúde, a primeira etapa da campanha, realizada no sábado passado, ficou bem abaixo da expectativa de imunização. Página 6 2ª etapa da vacinação contra raiva segue hoje Rio Lençóis volta a correr perigo com assoreamento Falar de falta de água em Lençóis Paulista pode parecer antecipar um problema que poucas pessoas poderiam per- ceber. Porém, se não tomadas as devidas providências agora, o futuro certamente ficará com- prometido e não estará livre de ocorrer o mesmo que houve em São Paulo, no sistema Can- tareira, que devido a falta de ações planejadas pelo governo do Estado e estiagem, coloca a capital paulista e cidades da Grande São Paulo em situação de escassez e privação. Lençóis é abastecida em parte, diretamente pelas águas do rio Lençóis que está sofren- do com a estiagem. Mas, mais que sofrer com estiagem o rio está sofrendo com o descaso. Varias nascentes estão sendo extintas de sua bacia hidrográ- fica devido a falta de proteção ambiental e pelo crescente índice de assoreamento. Em Agudos, onde estão as principais nascentes do rio é estarrecedor o avanço do asso- reamento sobre o leito do ar- roio que forma o rio. Página 5 Segundo o registro de em- pregados e desempregados do Ministério do Trabalho, Lençóis Paulista perdeu vagas de emprego em seis dos nove meses de 2014, contabiliza- dos até setembro. O número de contratados e demitidos chegava a menos 533 vagas, no saldo entre os meses de setembro de 2013 e 2014. Os reflexos deste cenário foi o tema para cobranças de ve- readores durante a sessão da Câmara de segunda-feira, dia 20. O vereador Nardeli da Sil- va (Pros), cobrou do Executivo as ações que estariam sendo feitas para gerar empregos no município. Para ele, o diretor Altair Toniolo poderia expor o que sua pasta tem feito neste sentido, diretamente à Câmara, como fizeram outros diretores. Mensalmente, o Caged (Ca- dastro Geral de Empregados e Desempregados), divulga o desempenho de oito setores da economia dos municípios e Estados (extrativa mineral, indústria da transformação, serviço indústria e utilidade pública, construção civil, co- mércio, serviços, administra- ção pública e agropecuária). Além do desempenho mensal, contabiliza também resultados entre admissão e demissão de funcionários durante o ano em curso e nos últimos 12 meses, contados pelo mês de divulga- ção. Página 3 Lençóis demitiu mais em seis meses deste ano HOJE 25 DE OUTUBRO Fotos: Billy Mao
  • date post

    06-Apr-2016
  • Category

    Documents

  • view

    227
  • download

    4

Embed Size (px)

description

Jornal semanal com distribuição gratuita

Transcript of Sabadao 88

  • Mxima: 27CMinina: 19C

    Mxima: 28CMinina: 19C

    HOJE AMANH

    Fonte: Climatempo

    25 DE OUTRUBRO DE 2014 - EDIO N 88 - ANO 3 - LENIS PAULISTA - CIRCULAO REGIONAL

    U

    Projeto de Cargos e Funes foi aprovadoem 1 votao por vereadores em Borebi

    MatrizRua Anita Garibaldi, 650

    Centro - Lenis Paulista/SP(14) 3264-3340

    3263-3985

    FilialAv. Pe. Saltio R. Machado, 563

    Centro - Ao lado do Frum(14) 3264-8248

    Sada em frente Rede de Combate ao Cncer, na rua 15 de Novembro,

    981, s 16 horas

    Sada em frente Rede de Combate ao Cncer, na rua 15 de Novembro,

    981, s 16 horas

    Fogo em dia de fria destri floresta e mata trabalhadorFocos de incndio se espalharam por todas as regies no ltimo domingo; no Jardim Village moradores ajudaram a fazer o rescaldo, depois que as chamas de-vastaram o mato e incendiaram rvores, O medo era de que as chamas atingissem as casas; Bombeiros tentaram como puderam deter o incndio, mas as propor-es eram maiores que a brigada; em uma fazenda em Borebi, um trabalhador faleceu depois de inalar muita fumaa e ser atingido pelo fogo. Na pgia 6

    POEIRA - Lagoas da zona rural continuam se-cando. Chuva de ontem e previso de chuva para hoje e amanh pode amenizar a situao, enquanto o rio Lenis sofre com assoreamento

    POEIRA - Lagoas da zona rural continuam se-cando. Chuva de ontem e previso de chuva para hoje e amanh pode amenizar a situao, enquanto o rio Lenis sofre com assoreamento

    Lagoa seca

    A Cmara de Bore-bi aprovou em primeira votao, na sesso de segunda-feira, dia 20, o projeto do prefeito Ma-noel Frias Filho (PR), que reduz o nmero de cargos de confiana da Prefeitura

    Municipal e estabelece uma reforma administra-tiva em relao a cargos e salrios no municpio. O projeto precisa voltar para segunda e ltima votao em plenrio, antes de ser sancionado pelo prefeito.

    O primeiro projeto do Executivo com a refor-ma administrativa foi enviado Cmara em novembro de 2013, com a previso de reduo de 10 dos 43 cargos deixados pela gesto anterior.

    A proposta, no entanto, foi arquivada depois que os vereadores da opo-sio Pedro Miguel de Arajo (PV) e Amarildo Bueno (PSDB), ento membro e presidente da Comisso de Constitui-

    o e Justia, rejeitaram o parecer do relator da CCJ Jos Roberto da Silva (PR), exigindo ade-quaes ao texto. Em maio, a expectativa era de aprovao, depois de ajustes feitos pelas asses-

    sorias jurdicas da Prefei-tura e da Cmara. Cinco meses depois, o projeto foi colocado em pauta e aprovado por unanimida-de. A prxima sesso do Legislativo de Borebi no dia 4. Pgina 4

    Pacote prevaes contraa dengue

    A Prefeitura de Lenis Paulista atravs da diretoria de Sade programou uma srie de atividades que priorizam o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da den-gue. As aes comeam em novembro e devem seguir at maro do prximo ano. Esto previstas atividades em esco-las, mutiro de limpeza, visitas domiciliares a empresas. A iniciativa tem a parceria de outras pastas, como Educao e Meio Ambiente. Pgina 7

    Neste sbado, dia 25, acon-tece a segunda etapa da va-cinao contra a raiva em Lenis Paulista, voltada para cerca de 18 mil animais, se-gundo censo realizado em ju-nho de 2013, dos quais 13.970 ces e 3.720 gatos. A meta atingir 80% dessa populao.

    Porm, segundo a dire-toria de Sade, a primeira etapa da campanha, realizada no sbado passado, ficou bem abaixo da expectativa de imunizao. Pgina 6

    2 etapa da vacinao contra raivasegue hoje

    Rio Lenis volta a correrperigo com assoreamento

    Falar de falta de gua em Lenis Paulista pode parecer antecipar um problema que poucas pessoas poderiam per-ceber. Porm, se no tomadas as devidas providncias agora, o futuro certamente ficar com-prometido e no estar livre de ocorrer o mesmo que houve em So Paulo, no sistema Can-tareira, que devido a falta de aes planejadas pelo governo do Estado e estiagem, coloca a capital paulista e cidades da Grande So Paulo em situao de escassez e privao.

    Lenis abastecida em parte, diretamente pelas guas do rio Lenis que est sofren-do com a estiagem. Mas, mais que sofrer com estiagem o rio est sofrendo com o descaso. Varias nascentes esto sendo extintas de sua bacia hidrogr-fica devido a falta de proteo ambiental e pelo crescente ndice de assoreamento.

    Em Agudos, onde esto as principais nascentes do rio estarrecedor o avano do asso-reamento sobre o leito do ar-roio que forma o rio. Pgina 5

    Segundo o registro de em-pregados e desempregados do Ministrio do Trabalho, Lenis Paulista perdeu vagas de emprego em seis dos nove meses de 2014, contabiliza-dos at setembro. O nmero de contratados e demitidos chegava a menos 533 vagas, no saldo entre os meses de setembro de 2013 e 2014. Os reflexos deste cenrio foi o tema para cobranas de ve-readores durante a sesso da

    Cmara de segunda-feira, dia 20. O vereador Nardeli da Sil-va (Pros), cobrou do Executivo as aes que estariam sendo feitas para gerar empregos no municpio. Para ele, o diretor Altair Toniolo poderia expor o que sua pasta tem feito neste sentido, diretamente Cmara, como fizeram outros diretores.

    Mensalmente, o Caged (Ca-dastro Geral de Empregados e Desempregados), divulga o desempenho de oito setores

    da economia dos municpios e Estados (extrativa mineral, indstria da transformao, servio indstria e utilidade pblica, construo civil, co-mrcio, servios, administra-o pblica e agropecuria). Alm do desempenho mensal, contabiliza tambm resultados entre admisso e demisso de funcionrios durante o ano em curso e nos ltimos 12 meses, contados pelo ms de divulga-o. Pgina 3

    Lenis demitiu mais em seis meses deste ano

    HOJE

    25DE OUTUBRO

    Fotos: Billy Mao

  • OPINIO2LENIS PAULISTA, 25 DE OUTUBRO DE 2014

    FALE CONOSCO CNPJ: 14.647.331./0001-22

    IE: 416.050.229.111

    Jornalista Responsvel: Tnia Morbi - Mtb: 52.193Redao e administrao Lenis Paulista

    Rua Andr Bacili, 45 Telefone (14) [email protected]

    CONTATO COMERCIAL: (14) 99658-9731Sugesto de Pautas: (14) 3263-1740

    Registrado no Cartrio de Registros de Pessoas Jurdicasde Lenis Paulista sob nmero 008 - Folha 15 - Livro B1

    TODOS OS ARTIGOS SO DE RESPONSABILIDADEDE SEUS AUTORES

    Tiragem: 3.000 exemplaresNa internet: http://issuu.com/billymao/docsCaderno DeCasaEmCasa: 20.000 exemplaresLenis Paulista - Borebi - Agudos - Macatuba

    Amor e compaixo pr. antonio carlos cabral

    lEonarDo saKaMoto

    Brasil registrar pico no nmero de infartos do miocrdio s 20h de domingo

    railson roDriguEs

    Moralismo poda!

    O povo pelopovo

    Sabado online: issuu.com/billymao/docs/

    Reflexo

    www.greenpeace.org - JOTA A

    Nasci e cresci em um lar onde os valores fa-miliares no eram bem delimitados. No entanto o respeito e a obedincia aos pais, tios e pessoas mais velhas, eram uma obrigao e o no cumprimento era passvel de severa punio.

    Muitos eventos foram realizados no ltimo final de semana e no domingo, para homenagear as crianas no seu dia em especial. Igrejas, poder pblico, Associaes, televiso, escolas, comuni-dades de bairros, ONGs que cuidam de crianas. Cada entidade se mobilizou de forma criativa para presentear suas crianas. E ainda durante a semana uma justa homenagem aos professores no seu dia, tambm muito especial. Uma grande boa para refletirmos principalmente na relao aluno/professor.

    Uma professora se apresentou para lecionar em uma escola em um bairro pobre de uma grande cidade. Em seu primeiro dia, a diretora a designou para uma classe de terceira srie e disse-lhe: Esta classe tem sua cara!. A professora estava longe de saber o que aquilo significava. Naquela classe havia um menino de nove anos que mandava na classe e era quem determinava se deviam ou no aceitar cada professora e vrias j haviam passado por ali. Era aquele menino quem determinava onde cada aluno devia sentar-se, defendia os mais fracos, fazia rodzios entre os alunos nas carteiras duplas e todos o obedeciam sem questionar. Era uma turma agressiva, agitada e se unia para agredir alunos de outras turmas.

    A professora percebeu que se quisesse ter

    autonomia da classe, teria que conquist-lo. Chamou--o para conversar fora da sala e descobriu que ele no sabia quem era seu pai. Cada namorado que sua me trazia para casa ele observava para ver se parecia com seu pai, pois sua me lhe dizia que ele havia morrido, mas ele no acreditava. Aos poucos, ela foi demonstrando autoridade temperada com compaixo e amor e conquistando o menino que apesar de estar na terceira srie, no sabia ler nem escrever.

    Atravs de um lindo caderno que ela mesma preparou, foi lhe ensinando as letras e palavras, at que um dia l estava escrito: Professora, eu te amo muito, e queria que voc fosse minha me. Ela sentiu duas grandes lgrimas quentes rolarem em seu rosto e suas vistas turvarem, no tanto com aquela espontnea declarao de amor, mas pelo fato de o menino ter conseguido superar

    seus bloqueios e escrever uma frase completa. A partir da o menino se tornou sol-

    cito, ajudando na ordem da sala, cuidando de seus pertences e pondo em prtica seus dons de liderana, agora para o bem. A diretora e outras professoras admiradas com a forma com que aquela professora conseguira operar a transformao naqueles alunos fazendo uso do amor e da compaixo.

    Muitas vezes olhamos uma criana e vemos apenas sua imagem e a julgamos por suas atitudes. uma faixa etria onde algumas so mais exigentes e outras mais exigidas em consequncia de uma poca sem precedentes com evolues muito rpidas e profundas. Abrangentes e irreversveis, onde s o amor e a compaixo podem produzir resultados positivos em benefcio de uma sociedade comprometida e responsvel. Ensina a criana no caminho em que deve andar e at quando envelhecer, no se desviar dele. (Prov. 22.6).

    Toda homenagem enaltece ao home-nageado e isso sem dvidas, um gesto nobre de reconhecimento e gratido, mas se ela for ornamentada com o amor, ser sempre uma excelente homenagem.

    Uma criana, um professor, um lpis e um livro podem mudar o mundo (Malala)

    Antnio Carlos Cabral Bacharel em Teologia pela Faculdade Teolgica Ba-tista Grande ABC.

    Elegemos o Congresso mais conservador desde a Ditadura Militar, provando que as campanhas buscaram o eleitor moralista ou alienado, que pede mudana sem refletir o formato. Que tenta parecer politizado e grita aos quatro cantos que polticos so iguais! Sem refletir de forma tcnica os assuntos polmicos de nosso pas.

    como se o Estado brasileiro fosse filho de cada um de ns, e como se a maior parte dos brasileiros no estivesse disposta a sentar e ter uma conversa franca para definir os rumos da educao desse seu filho.

    No, meus amigos, aqui no tem conversa! Quando o brasileiro v que o estado erra ao conduzir a nao, as solues costumeiras so: Surra de cinta! Chinelada! Tapas na bunda!

    E essa violncia encrustada na alma para solucionar problemas comportamentais acaba se refletindo na poltica. Veja s, Bolsonaro foi recordista no RJ e seu filho venceu em SP - representam a surra de cinta, pedindo a volta da ditadura.

    Aqui em SP, Feliciano se elegeu muito bem com o discurso segregacionista de sem-pre - representando a cultura de recorrer a Deus para resolver os problemas, formando uma bancada religiosa, que se empenha para

    cercear direitos civis aos diferentes.No julgo o voto nesses candidatos, pois

    cada cidado livre para escolher. Os demais devem respeitar essa escolha. Entretanto, o que venho questionar a nossa forma de resolver os problemas. No seria ideal que a sociedade se abrisse ao debate de temas polmicos?

    Ser que deveramos esfregar Deus ou a polcia na face das 800 mil mulheres que morrem anualmente tentando o aborto? Ou deveramos dar liberdade de escolha a elas e estabelecer regras para que esse aborto seja feito de forma responsvel, determinando tempo e limites para isso?

    Ser que deveramos colocar cercas eltri-cas em nossos muros ao invs de discutirmos a possibilidade de regulamentao do plantio, cultivo e comercializao da maconha? Deve-mos fechar os olhos para o nmero de mortos em virtude do trfico ao invs de nos abrirmos para a possibilidade de tentar combat-lo de forma diferente do que vem sendo feito (e no vem dando certo).

    Ser que j no basta de candidatos que fecham os olhos para a explorao da classe trabalhadora desse pas? Candidatos que se omitem diante de temas polmicos. Ser que

    j no hora de sentarmos e discutirmos so-lues para melhorar nosso sistema eleitoral, para que no tenhamos que escolher sempre o candidato menos ruim?

    Reflita. Talvez a soluo no esteja na igre-ja e nem na surra de cinta. Creio em Deus, mas acho que j hora de pararmos de delegar a responsabilidade a Ele. hora de olharmos para nossos irmos, sem preconceito, sem agressividade e sem desejo de resolver tudo com castigos e surras. Ser que j no hora de sentar e ler um livro sobre segurana p-blica? Sobre tica? Sobre psicologia? Sobre Organizao do Estado? Para chegar a uma concluso apenas depois de conhecer o assun-to com profundidade?

    O resultado da superficialidade de nosso eleitorado est a, com candidatos se digla-diando para provar quem menos corrupto, quem mais favorvel famlia tradicional, quem ama mais a Deus, quem mais bonzi-nho e quem usou menos drogas. E, enquanto isso, ns, brasileiros, escolhemos um lado, hostilizamos o outro, e no estudamos com profundidade os temas relevantes para evo-luo da sociedade. J no hora?

    Railson Rodrigues estudante de Direito

    Amanh os brasileiros vivero, nova-mente, o momento de decidir qual o futu-ro poltico que querem para o pas e quais governantes querem que represente o Brasil pelos prximos quatro anos. Mais que isso, os brasileiros tero, e isso no ocorreu nas ltimas eleies, que decidir entre dois candidatos que viveram uma das mais disputadas e acirradas campa-nhas polticas neste segundo turno.

    Apesar do segundo turno peneirar os mais votados, nesta eleio presidenci-vel de 2014, definiu dois lados distintos, o que acirrou emoes, ideologias e se-melhanas, mas tristemente, tambm a mentira, manipulao e a violncia.

    Assim, escolher entre dois pode pare-cer mais difcil do que se fossem quatro ou cinco nomes, porque as respectivas campanhas mostraram o quanto o bra-sileiro pode se engajar em uma deciso to importante para o pas, mas tambm o quanto pode ser manipulado por inte-resses que nem imagina que existam.

    Na internet, a campanha foi intensa e teve um grande lado positivo, ao possi-bilitar que milhes de pessoas expres-sassem suas crenas e posicionamen-tos polticos e sociais, mas ao mesmo tempo mostrou que o espao pode servir ao dio e ofensas gratuitos, com expres-ses que beiraram o fascismo.

    Outro perfil da campanha foi a gra-tuidade da defesa, esta tambm sus-tentada pelo dio e pela manipulao, que vieram juntos no pacote. Assim, era fcil ver pessoas em postagens ou vdeos defendendo algo que desco-nhecem, sem conseguir sequer apon-tar uma das propostas do candidato escolhido, aos berros e s custas da agresso, do xingamento e da ofensa ao outro. A defesa das escolhas des-ta parte do eleitorado foi meramente o ataque ao outro, assim mesmo, sem qualquer embasamento legal ou jurdi-co que sustentasse as acusaes.

    Se a campanha foi dura, brigada e, em alguns momentos, mentirosa, se a escolha est difcil devido ao nvel de acusaes a que chegaram os candida-tos embora documentos do Tribunal de Contas e do prprio governo atestem quem fala a verdade ou no - o que se espera entre hoje e amanh que o elei-tor faa a sua escolha pessoal, sem so-frer presso, constrangimento ou medo.

    Se voc vota neste ou naquele can-didato, deve fazer isso pelas suas pr-prias razes, considerando o quanto elas podem interferir na vida da maioria das pessoas, sempre que isso for possvel.

    A escolha de cada um sigilosa, as-sim compra e venda de voto no funcio-nam. Voc absolutamente livre para escolher, j que na cabine estaro frente da urna apenas voc mesmo e sua conscincia.

    Ser amedrontado com o argumento de que votando em fulano ou sicrano voc vai tornar o pas ingovernvel, tambm mentira, pois qualquer um dos dois que se eleja, se quiserem, podem governar o pas, sem transform-lo em um caos. Isso claro, desde que respeitem os inte-resses do povo brasileiro, e no os seus prprios interesses mesquinhos.

    Assim, fazer a escolha uma deciso pessoal e intrasfervel, que vai sim, afe-tar o futuro do pas, mas se o povo deci-dir votar com o povo essa escolha pode ficar bem mais fcil e segura.

    Talento quando um atirador atinge o alvo que os outros no conseguem.

    Gnio quando um atirador atinge o alvo que

    os outros no veem

    artHur scHopEnHauEr

    O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ir liberar o resultado da apurao dos votos apenas s 20h de domingo (26), quando as urnas estiverem fechadas no Acre e em parte do Amazonas (maldito horrio de vero).

    A menos que, por esses milagres da polti-ca, o resultado esteja rigorosamente alinhado cabea a cabea, dependendo dos votos da parte mais ocidental do pas (imagina Xa-puri, terra de Chico Mendes, definindo a eleio), o nome do eleito ou da eleita ser conhecido nesse momento.

    Como disse um glorioso amigo, vai ser como abrir o envelope e avisar and the Brazilian Presidency goes to

    Podia ser o Silvio Santos anunciando. Quem no tem Oscar, vai de Trofu Im-

    prensa. Pensando bem, melhor no. Ideia idiota. O fato que no haver tempo para preparar o corao. Ou ir se decepcionando aos poucos medida em que a totalizao dos votos avana.

    Ficar possesso com aquele comentarista da TV que s fala groselha e no acerta nada do que prev. Convencer a si mesmo e aos amigos que no deu, mas valeu a tentativa e exaltar o lado bom das coisas.

    Prometer a So Judas Tadeu, Santa Rita de Cssia ou Santo Expedito que, se seu voto ganhar, voc para de beber, de fumar e de comer torresmo.

    Roer as unhas. Comer trs pacotes de ovi-nhos de amendoim. Estourar plstico bolha. Pensar em organizar um exrcito paramilitar

    de direita ou uma guerrilha de esquerda a partir de janeiro de 2015.

    Sabe aquele momento de entrar no compu-tador e procurar com calma um imvel para alugar em Havana ou Miami? Pode esquecer. Vai ser tapa na cara. Haja Corao!

    Por isso, mais do que mesrios, os pro-fissionais realmente exigidos neste segundo turno sero os socorristas do Samu. Des-confio que o nmero de infartos agudos do miocrdio vai bater os de uma final de Copa do Mundo.

    A de 1994, claro.

    Leonardo Sakamoto jornalista e doutor em Cincia Poltica (publicado em blogdo-sakamoto.blogosfera.uol)

  • POLTICA 3LENIS PAULISTA, 25 DE OUTUBRO DE 2014

    Fotos:Billy MaoElo - A aparente harmonia existente entre os poderes Executivo e Le-gislativo de Lenis Paulista, na opinio expressada pelo vereador Nar-deli da Silva (Pros), na sesso de segunda-feira, dia 20, apenas aparente. Nem olha - Nardeli disparou contra a Prefeitura ao questionar a forma como os diversos setores da administrao tratam os questionamentos feitos pelos legisladores, principalmente, pela suposta falta de contedo nas respostas aos requerimentos e outros pedidos de informaes. Protocolo - Para ele, os pedidos de informaes feitos pelos vereadores s so atendidos porque existe uma lei que estabelece a obrigatoriedade do municpio em faz-lo. A falta de cooperao do Executivo, em sua opi-nio, ope o legislador lenoense e o cidado, que cobra dos vereadores posicionamento sobre suas reivindicaes. Cobrana - No que se tem respostas, arrumam uma resposta e man-dam para o cumprimento da lei, e para que haja harmonia entre os po-deres. Mas, a harmonia no existe, porque quando a gente cai na rua o muncipe, pagador de impostos quer o seu benefcio porque ele est pagando e como est pagando tem todo direito, disse.Ata - Uma reunio convocada pelo Executivo levou vereadores para uma reunio no gabinete da prefeita Izabel Lorenzetti. Como acontecia na gesto passada da Cmara, dessa vez, no teve chocolatinho para os vereadores.Tudo igual - O vereador Nardeli tambm participou da reunio convo-cada pela prefeita Izabel Lorenzetti, na quinta-feira, dia 23, assim como quase todos os demais vereadores. Segundo apurou a Coluna, a convo-cao teve objetivo de barrar propostas de mudanas ao oramento, que estaria engessado para o ano que vem.Amm - Os vereadores da base disseram o sim esperado pela prefeita Izabel Lorenzetti, mas Prado de Lima (PV) adiantou que vai fazer emen-das que beneficiem os estudantes. Recentemente o verde afirmou que no quer embate pelo oramento, mas que vai apresentar emendas.De novo - Alm do oramento, esteve na pauta da reunio projeto de lei do Executivo que define mudanas na contratao temporria de mdi-cos e professores. O projeto polmico, por isso mesmo, a prefeita deu explicaes adiantadas sobre ele, na tentativa de garantir a aprovao sem mais delongas.TJ - Mas, para um interlocutor do Pao das Palmeiras, com a cooptao dos vereadores de fora da base, pode haver uma tentativa de dividir o nus do projeto, uma vez que contrataes temporrias de professores vem sendo questionadas em duas aes pelo Tribunal de Contas, contra-taes estas feitas ainda no governo Marise. Rivotril - Uma delas, referente a contrataes temporrias de professo-res em 2007, j teve deciso com trnsito em julgado publicada em 30 de setembro, depois que o ex-prefeito ingressou com Embargos de Decla-rao contra a sentena da Primeira Cmara, que negou provimento ao recurso ordinrio interposto contra a sentena que julgou irregulares as admisses temporrias feitas por Marise, publicada no D.O.E. em 18 de fevereiro deste ano.Papel - O projeto do Executivo com as propostas de mudanas seria protocolado nesta sexta-feira, dia 24, e deve entrar na pauta de votaes da sesso da prxima segunda-feira, dia 27, do Legislativo.S o tempo - Se aprovada as supostas contrataes, possivelmente ser mais um apontamento de irregularidade pelo Tribunal de Contas. Ape-sar que isso poder ser apontado, caso acontea, daqui uns cinco anos...Trote - Para um atento observador da poltica local ser difcil para o prximo prefeito realizar algo na cidade nos dois primeiros anos do prximo mandato. Pelo andar da carruagem, segundo o observador, o prximo prefeito pegar uma Prefeitura em maus lenis.Tempo, tempo, mano velho - Na anlise do observador, pouco do que poderia ser, foi feito pelo municpio em 14 anos de administrao tucana. Os dois anos que ainda restam dever ser de completo equilbrio nos gastos e a conteno dever existir. Porm, nenhuma grande obra dever acontecer em dois anos, assim como no houve em 14.Repeteco - Ainda segundo o atento observador, o pouco que foi feito na cidade foi realizado ou com dinheiro do Estado ou do governo Lula e Dilma. Baseado nesta viso, o interlocutor aponta que a prefeitura de-ver ser entregue em 2016 da mesma forma que 1989, quando Ideval Paccola entregou para o ento prefeito eleito, zio Paccola, a Prefeitura zerada. No zerada de no ter nada, mas zerada de no poder comprar uma lmpada at arrumar a casa.Exemplos - Outro assunto interessante observado quanto quantida-de de imveis alugados pela Prefeitura para abrigar algum setor. O Sa-bado do Povo j apontou, em 2013, que so inmeros prdios alugados quase ou completamente vazios. Como foi o caso do prdio da Casa Me Piedade, onde foi dado um jeito rapidinho para habit-lo, depois de seis meses sem funo e com aluguel pago.Surpresa - Em Borebi o assunto sobre a eleio de 2016 tambm rola solto. No sbado passado um muncipe contou Coluna que pelo menos duas candidaturas j estariam certas. Uma encabeada pela ala evangli-ca da cidade. A outra, segundo o cidado, dever sair da Cmara Muni-cipal. E na frente de tudo, a reeleio do prefeito Man Frias que dever ter surpresas.

    por tania Morbi

    BATENTE | Pedreiro trabalha na construo de moradias para quem vive em rea de risco, no Jardim Ibat II

    PERDEU | Regulamentada, bicicletas motorizadas exigem habilitao

    Lenis Paulista mais demitiu que contratou em seis meses deste ano

    EMPREGO

    Tnia MorbiSegundo o registro de em-

    pregados e desempregados do Ministrio do Trabalho, Lenis Paulista perdeu vagas de emprego em seis dos nove meses de 2014, contabiliza-dos at setembro. O nmero de contratados e demitidos chegava a menos 533 vagas, no saldo entre os meses de se-tembro de 2013 e 2014. Os re-flexos deste cenrio foi o tema para cobranas de vereadores durante a sesso da Cmara de segunda-feira, dia 20. O vere-ador Nardeli da Silva (Pros), cobrou do Executivo as aes que estariam sendo feitas para gerar empregos no municpio. Para ele, o diretor Altair To-niolo poderia expor o que sua pasta tem feito neste sentido, diretamente Cmara, como fizeram outros diretores.

    Mensalmente, o Caged (Ca-dastro Geral de Empregados e Desempregados), divulga o desempenho de oito setores da economia dos municpios e Estados (extrativa mineral, indstria da transformao, servio indstria e utilidade pblica, construo civil, co-mrcio, servios, administra-o pblica e agropecuria). Alm do desempenho mensal, contabiliza tambm resultados entre admisso e demisso de funcionrios durante o ano em curso e nos ltimos 12 meses, contados pelo ms de divulgao.

    De acordo com os nmeros do Cadastro, durante 2014, apenas os meses de janei-ro, fevereiro e abril tiveram saldos positivos no balano entre admisses e demisses de trabalhadores em Lenis Paulista, nos demais meses, houve mais demisses do que contrataes. Mesmo assim, o saldo no ano se manteve positivo com 140 contrataes a mais do que as demisses.

    O setores que colaboraram, em setembro, para manter o saldo anual positivo fo-ram servios e administrao pblica, os demais tiveram resultado negativo, com mais demisses. Em servios houve maior movimento numrico, com 1.827 contrataes e 1.534 demisses, gerando saldo de 293 postos positivos,

    Nmeros do Ministrio do Trabalho mostram ainda que, entre os meses de se-tembro de 2013 e 2014, foram 533 demisses a mais do que as contrataes; servios setor com melhor desempenho no saldo de todos os meses

    o que equivale a 6,44%, mas a administrao pblica, apesar de ter movimento com nme-ros menores - 135 admisses contra 38 demisses teve um resultado percentual maior, de 485%, para o resultado final positivo de 97 contrataes.

    Na evoluo do acumulado em 12 meses, apenas os meses de janeiro, fevereiro e maro tiveram saldo positivo, nos demais meses, entre setembro de 2013 e setembro de 2014, o saldo foi negativo, levando a um acumulado de menos 533 vagas de emprego entre todos os setores contabilizados.

    Novamente, a exceo na evoluo do emprego feita pelo Caged foi o setor de ser-vios, nico que se manteve com mais contrataes que de-misses no saldo acumulado nos ltimo 12 meses, com 171 vagas mantidas. Outro setor, servios industrial de utilidade pblica fechou os ltimos 12 meses com mesmo nmero de admitidos e demitidos.

    TonioloSobre a gerao de empre-

    gos, Nardeli destacou que h muito tempo o municpio no recebe empresas que tenham gerado nmero significativo de empregos.

    O vereador apresentou re-querimento encaminhado ao diretor de Desenvolvimento,

    Gerao de Emprego e Renda, Altair Toniolo, para que envie, em forma de certido, cpia dos estudos realizados por sua diretoria em relao aos lotes que foram concedidos e que pretendem ser retomados pela administrao no Distrito Empresarial, e a relao dos interessados em novas conces-ses das reas, inclusive se h pedidos de empresas de outros municpios, pleiteando a doa-o de rea em nossa cidade.

    O vereador props que o diretor de Desenvolvimento se rena com a Comisso de Emprego do Legislativo, caso no queira ser inquerido em plenrio. Eu quero ajudar, mas para ajudar o diretor tem que sentar conosco. Vamos discutir juntos esta questo, do desemprego em Lenis. No vamos falar de emprego, mas de desemprego. O que est acontecendo fora de Lenis no temos que dar conta, mas temos que ampliar (vagas) pelo menos dentro do nosso municpio, avaliou.

    Cargos e confianaAilton Tip (PV) avaliou

    que a queda no emprego atin-ge as finanas do municpio, alvo de problemas para o Executivo que, embora tenha ressaltado neste ano a perda de arrecadao, no tomou medidas mais eficientes para

    conter o problema, na opinio do vereador.

    Para ele, a queda no nmero de empregos ocorre porque novas empresas no se insta-lam em Lenis, com isso o municpio perde arrecadao, mas o Executivo mantem as despesas com pessoal, preser-vando o nmero de cargos em comisso e de confiana, por exemplo.

    Tip sugeriu que a prefeita Izabel Lorenzetti (PSDB) tome a mesma atitude alar-deada pelo candidato de seu partido durante a campanha presidencial, que teria sido tomada por ele enquanto governador de Minas Gerais. O Acio (Neves), que do PSDB, mesmo partido da prefeita disse que quando entrou no governo de Minas cortou secretarias, cortou centenas de cargos de con-fiana e o prprio salrio pela metade. Faa igual ao Acio, que do seu partido, corte cargos. Melhor sacrificar 30 ou 40 do que deixar de pagar retroativo para 2.400 servidores e do que deixar de atender 700 estudantes universitrios, disse, se re-ferindo a correo no paga aos servidores municipais relativa aos meses de atraso e os benefcios do Auxlio Transporte, que devem ser cortados no ano que vem.

    Foi aprovada em segunda e ltima votao, na sesso de segunda-feira, dia 20, na Cmara de Lenis Paulista o projeto de lei da Prefei-tura que regulamenta, no municpio, o registro e o licenciamento dos veculos ciclomotores e cicloeltricos, conhecidos como bicicletas motorizadas.

    Em agosto, o Conselho Municipal dos Direitos da Criana e do Adolescente (CMDCA) enviou ofcio ao Ministrio Pblico (MP) pe-dindo interveno do rgo para que a prtica irregular passasse a ser fiscalizada.

    Pela proposta, que havia sido aprovada em primeira votao no ltimo dia 13, bici-cletas motorizadas e eltricas devero ser registradas e li-cenciadas pelo Setor de Trn-sito Municipal, que ir emitir o Certificado de Registro de

    Aprovada em definitivo lei queregulamenta bicicletas motorizadas

    Veculo (CRV) e o Certificado de Registro e Licenciamento de Veculo (CRLV) aps vis-toria e emplacamento.

    Os valores das taxas sero estabelecidos por decreto. Os veculos devero conter espelhos retrovisores, fa-rol, lanterna, velocmetro e buzina e, para conduzi--los, interessados devero ser habilitados na categoria A ou obterem a Autorizao para Conduzir Ciclomotores (ACC) conforme normas do Detran. O uso do capacete obrigatrio.

    Com a lei em vigor, aps sano da prefeita Izabel Lorenzetti (PSDB), a falta de registro ou licenciamento ser considerada infrao gravssima, com multa de R$ 191,54. Quem for flagrado dirigindo o veculo sem habi-litao ficar sujeito a multa de R$ 574,62.

  • GERAL4LENIS PAULISTA, 18 DE OUTUBRO DE 2014

    Tania MorbiA Cmara de Borebi apro-

    vou em primeira votao, na sesso de segunda-feira, dia 20, o projeto do prefeito Ma-noel Frias Filho (PR), que reduz o nmero de cargos de confiana da Prefeitura Municipal e estabelece uma reforma administrativa em relao a cargos e salrios no municpio. O projeto precisa voltar para se-gunda e ltima votao em plenrio, antes de ser sancionado pelo prefeito.

    O primeiro projeto do Executivo com a reforma administrativa foi enviado Cmara em novembro de 2013, com a previso de reduo de 10 dos 43 cargos deixados pela gesto anterior.

    A proposta, no entanto, foi arquivada depois que os vereadores da oposio Pe-

    Vereadores aprovam reduo de cargos de confiana quase um ano depois

    BOREBI

    Depois de trmite de quase um ano, projeto de reestruturao de cargos aprovado em primeira votao na Cmaradro Miguel de Arajo (PV) e Amarildo Bueno (PSDB), ento membro e presidente da Comisso de Constitui-o e Justia, rejeitaram o parecer do relator da CCJ Jos Roberto da Silva (PR), exigindo adequaes ao texto. Entre elas, a incluso do impacto oramentrio, que na avaliao do Execu-tivo, no era necessria j que a medida reduz a folha de pagamento, e no cria outros gastos.

    Aps consultas ao Mi-nistrio Pblico de Lenis Paulista, o prefeito Manoel Frias enviou novo projeto Cmara, reduzindo ainda mais o nmero de cargos de confiana e criando uma poltica que limita os sal-rios pagos pelas adminis-traes pblicas de Borebi, seguindo orientao do MP. A expectativa da equipe do

    prefeito era de reduzir em mais de 40% o valor total da folha de pagamento do municpio, que fechou a gesto do ex-prefeito An-tnio Carlos Vaca (PSDB) acima do limite prudencial determinado pelo Tribunal de Contas.

    Em maio deste ano, a expectativa de Amarildo, que havia assumido a pre-sidncia da Cmara, aps a renncia de Reginaldo Cesar Martins (PV) era de que os ajustes feitos pelo Executivo garantiriam a aprovao do projeto no mesmo ms. Na poca, as assessoria jurdicas da C-mara e do Executivo acerta-ram os detalhes do projeto.

    Cinco meses depois, o projeto foi colocado em pauta e aprovado por una-nimidade, sem maiores con-sideraes dos vereadores.

    Prefeitura Municipal de Borebi - Estado de So Paulo Demonstrativo da Aplicao na Manuteno e Desenvolvimento do Ensino

    Art.212 da CF, Emenda Constitucional N.14/96, Leis n.9394/96 E 9424/96

    Estado de So Paulo Demonstrativo da Aplicao na Manuteno e Desenvolvimento do Ensino Prefeitura Municipal de Borebi Art.212 da CF, Emenda Constitucional N.14/96, Leis n.9394/96 E 9424/96 3.Trimestre/2014 Valores Liquidados Unidade Gestora : PREFEITURA MUNICIPAL Trim.Anteriores 3.Trimestre/2014 Total 1. Impostos e Transferncias A. Impostos Imposto sobre Prop. Predial Urbana 58.143,94 10.045,12 68.189,06 Imposto sobre Prop. Territorial Urbana 11.973,54 594,48 12.568,02 Imposto de Renda Retido Nas Fontes sobre 69.729,22 50.828,52 120.557,74 ITBI 69.680,67 4.381,14 74.061,81 Imposto s/Servios de Qualquer Natureza 99.176,52 50.033,76 149.210,28 MULT.JUR.MORA - IMP.S/RENDA PESSOAS FIS. 0,00 0,00 0,00 MULT.JUR.MORA DO IPTU 18,95 81,27 100,22 MULT.JUR.MORA DO ITBI 0,00 0,00 0,00 MULT.JUR.MORA DO ISS 14,61 132,42 147,03 MULT.JUR.MORA DIV.AT.IMP.S/R.PROV.Q.NAT. 0,00 0,00 0,00 MULT.JUR.MORA DA DIVIDA ATIVA IPTU 0,00 1.838,22 1.838,22 MULT.JUR.MORA DA DIVIDA ATIVA ITBI 0,00 0,00 0,00 REC. DA DIV. AT. DO IPTU 683,92 1.840,29 2.524,21 REC. DA DIV. AT. DO ITBI 0,00 0,00 0,00 REC. DA DIV. AT. DO ISS 0,00 0,00 0,00 Subtotal ...... 309.421,37 119.775,22 429.196,59 B. Transferncias Correntes COTA-PARTE FPM 3.400.409,19 1.354.070,84 4.754.480,03 COTA-PARTE ITR 2.511,28 6.535,84 9.047,12 TRANSFERENCIA FINANCEIRA DO ICMS - DES. 9.776,10 5.865,66 15.641,76 COTA-PARTE DO ICMS 2.151.370,24 1.307.019,51 3.458.389,75 COTA-PARTE DO IPVA 153.424,83 22.274,97 175.699,80 COTA-PARTE IPI-EXPORTACAO 19.388,40 8.950,81 28.339,21 Subtotal ...... 5.736.880,04 2.704.717,63 8.441.597,67 C. Transferncias de Capital Subtotal ...... 0,00 0,00 0,00 Total do Item 1 ... 6.046.301,41 2.824.492,85 8.870.794,26 2. Total dos Impostos e Transferncias (A+B+C) 6.046.301,41 2.824.492,85 8.870.794,26 3. Valor Legal Mnimo (25,00%) 1.511.575,35 706.123,21 2.217.698,57 4. Aplicao na Manuteno e Desenvolvimento do Ensino 1.597.880,80 764.650,99 2.362.531,79 Percentual Aplicado ..... 26,4274% 27,0722% 26,6327%

    Da redaoIniciada em fevereiro deste

    ano com previso para ser entregue em dezembro, a reforma da unidade bsica de Sade do jardim Ubirama continua gerando polmica. Recentemente, a Prefeitura multou a empresa que faz o servio por no cumprir o cronograma, mantendo a obra praticamente paralisada. O acaso repercutiu novamente na Cmara. O Sabado do Povo alertou sobre problema h quatro meses.

    Em fevereiro deste ano, a prefeita Izabel Lorenzetti (PSDB) e o diretor de Sade, Mrcio Santarm, anunciaram o incio das obras. A prefeitura tinha previso de investir R$ 305 mil de recursos prprios, tendo recebido R$ 89 mil do Ministrio da Sade e R$ 261 mil do Governo Estadual, atravs do programa Valori-zao da Sade Bsica.

    Empresa multada por andamento de reforma do Posto de Sade da Ubirama

    Desde que a unidade foi fechada, o atendimento ao pblico passou a ser disponi-bilizado na unidade de sade do Jardim Monte Azul, onde

    funcionrios e mdicos da Ubirama passaram a atender. O posto de sade do Jardim Ubirama atendia mdia de 50 a 70 pessoas por dia e com a

    reforma a projeo de que atenda 100 pessoas.

    Na edio do dia 21 de junho, o jornal Sabado do Povo publicou matria com

    a reclamao de moradores do bairro, que relatavam o lento andamento da obra e das mudanas no atendimento. A distncia do PSF do Monte Azul e a demanda de aten-dimentos eram as principais reclamaes dos moradores, que tambm tem o Centro de Especialidades, da Avenida Brasil, como referncia para a atendimento.

    Na poca, atravs de sua assessoria, a diretoria de Sa-de informou que no havia atraso, j que o contrato prev a entrega das obras em dezem-bro, e que a liberao das par-celas de pagamento garantia a sequncia dos servios pela empresa contratada.

    Mas, de acordo com o que a Prefeitura informou esta se-mana, no ms de junho havia sido instaurado procedimen-to interno devido falta de cumprimento no cronograma da reforma e pelo fato da empresa manter os servios

    praticamente paralisados. O processo culminou em um multa contra a empresa que executa a reforma, por parte da Prefeitura, cujo valor deve ser descontado da parcela de repasse empresa.

    Outras medidas mais duras no foram tomadas, ainda de acordo com a Prefeitura, porque durante o processo administrativo, a empresa se comprometeu em manter o andamento dos servios.

    O vereador Nardeli da Silva (Pros), citou reclamaes de moradores que esto expostos s dificuldades para ter acesso ao atendimento da Sade, se-gundo ele. Os moradores no suportam mais, est desumano o sofrimento das pessoas de idade, tem idosos indo a p para O Jardim Caju, e outros bairros. revoltante, mas temos que manter a postura para organizar a sociedade, mas que no fcil, no , lamentou.

    O servio de coleta de lixo vai funcionar normal-mente no feriado da prxima segunda-feira, dia 27, dia do servidor pblico. O feriado comemorado na tera-feira, 28 de outubro, foi antecipado.

    Os demais setores internos e externos da Prefeitura no funcionam, assim como o servio de varrio de ruas e o atendimento nas creches mu-nicipais, que estaro fechadas.

    O SAAE vai manter equi-pes de planto no final de

    Coleta de lixofunciona no feriado

    semana e no dia 27 de ou-tubro para atendimentos de emergncia. O atendimento ao pblico volta a ser feito na tera-feira, dia 28.

    Na segunda-feira, a coleta seletiva funciona normalmen-te e vai percorrer pela manh, as ruas da Cecap e no perodo da tarde, as ruas dos bairros jardim Loren, Jardim Itapu, Jardim Prncipe, Jardim Eu-ropa, Maria Luza, Aa I e II, Vila Cachoeirinha e Jardim Santana.

    PASSOU | Fachada da Cmara, no centro de Borebi

    PAROU | Obra do Posto da Ubirama permanece parada

  • GERAL 5LENIS PAULISTA, 25 DE OUTUBRO DE 2014

    PREOCUPA | No sentido horrio, gado pasta em local onde era uma lagoa. Nascente que escorria para o crrego da Prata secou; Lagoa intermitente seca com a estiagem. Se chover bastante, ela volta; nascente que abastecia o leito que forma o rio Lenis secou na zona Intermediria de Recarga, em Agudos. Alm da seca, eroso causada no perodo de chuvas no passado no foram reparadas.

    Leito do rio Lenis est em riscoAssoreamento em Agudos e forte estiagem, que assombra So Paulo, fazem com que rio Lenis diminua seu fluxo

    Billy MaoFalar de falta dgua em

    Lenis Paulista pode parecer antecipar um problema que poucas pessoas poderiam per-ceber. Porm, se no tomadas as devidas providncias agora, o futuro certamente ficar comprometido e no estar livre de ocorrer o mesmo que houve em So Paulo, no sis-tema Cantareira, que devido a falta de aes planejadas pelo Governo do Estado e pela estiagem, coloca a capital pau-lista e cidades da Grande So Paulo em situao de escassez e privao.

    Lenis abastecida em parte, diretamente pelas guas do rio Lenis, que est so-frendo com a estiagem. Mas, mais que sofrer com estiagem est sofrendo com o descaso. Vrias nascentes esto sendo extintas de sua bacia hidrogr-fica devido a falta de proteo ambiental e pelo crescente ndice de assoreamento.

    Em Agudos, onde esto as principais nascentes do rio visvel o avano do assorea-mento sobre o leito do arroio que forma o rio.

    No trecho que compreende as nascentes principais na re-gio da Serrinha de Agudos (ou Serra da Jacutinga) at a altura onde o rio recebe o crrego das Antas, em Borebi, a Zona Intermediria de Recarga, o ce-nrio assustador. A areia que desceu dos morros, das regies altas, em outros perodos de chuva, foi direto para o rio. H locais que a lmina dgua no passa de quatro centmetros e pouco mais de 60 centmetros de largura, conforme verificou no local, a reportagem do jor-nal Sabado do Povo.

    Para quem j viu o fluxo que forma o rio Lenis, o cenrio assustador, alm de ser muito triste.

    Com exceo de uma ao conjunta entre a diretoria do Meio Ambiente de Lenis

    Paulista, empresas lenoenses e ambientalistas amadores de Lenis ocorrida no incio dos anos 2000, nenhuma ao volumosa que desse importn-cia para as nascentes ou sua proteo, voltou a ocorrer, principalmente no trecho entre o Seminrio Santo Antnio, em Agudos e o crrego das Antas, em Borebi.

    Questionada por telefone, a diretoria de Meio Ambiente no retornou a ligao e no se manifestou sobre o assunto.

    BoqueiroSeis meses depois que o

    Sabado do Povo mostrou que a estiagem estava secando lagoas da zona rural, assim como o Sistema Cantareira, em So Paulo, a informao se concretizou. Uma das lagoas, considerada intermitente ( que aparece com as chuvas e depois some) est com apro-ximadamente 3% de sua ca-pacidade, conforme checado.

    Como o prprio nome diz, a Lagoa Seca se segura apenas em uma poa de lama onde pssaros e pequenos animais, como Pre e Mucura (pequena raposa) ainda buscam o que

    resta de gua para matar a sede. A regio do Boqueiro

    onde esto as nascentes que abastecem o crrego So Cristvo, que forma ainda o Lago e crrego da Prata. Ou-tras nascentes tambm esto com o nvel muito baixo. Um exemplo a gua que forma uma das cachoeiras Quatro Quedas. Apenas um pequeno fio escorre pelas pedras.

    Ainda na regio do Bo-queiro, outra lagoa apontada pelo jornal que estaria desapa-recendo foi fotografada esta semana completamente seca. At o gado existente em uma propriedade demonstra sentir o dano causado pela estiagem.

    Na regio do rio Claro, o prprio Rio Claro sente a fora da estiagem e seu leito est bem abaixo do que se acostumava ver. Hoje, os bancos de areia esto extensos e margeiam toda a extenso do rio. O prprio rio Claro sofre com a falta de mata ciliar em suas cabeceiras e vrias nascentes esto sumindo no meio de pastos.

    Mais lagoas secandoEm Borebi, a reportagem

    do Sabado do Povo constatou

    que pelo menos duas lagoas secaram nos ltimos meses. Na regio conhecida como Fa-zenda dos Tosta, resta apenas grama seca no leito da lagoa. Outra, demonstra que segue o mesmo fim e est com menos de 10% de sua capacidade. Uma outra lagoa na mesma rea estaria sofrendo com o assore-amento, porm, o problema maior porque sua nascente est desaparecendo em meio a areia.

    O diretor do SAAE e pre-sidente da Defesa Civil, Jos Antnio Marise no retornou o email enviado pelo jornal, mas divulgou que Lenis Pau-lista no sofrer falta dgua. Nossa situao de absoluta tranquilidade. No tivemos falta de gua em nenhum momento e nem vamos ter, divulgou durante a semana. Atualmente, metade da gua consumida no municpio cap-tada do rio Lenis. Apesar da diminuio da vazo de gua, ocasionada pelo regime irregu-lar de chuvas no Estado, o rio continua com grande volume aqufero (caudaloso). Mesmo que no chova por trs, quatro meses, a captao continuar normalmente, contou.

    Valdir Feliciano da Silva tem 52 anos e disse esta sema-na que havia muito tempo que no via o rio Tiet to baixo como esteve nestes ltimos dias. Silva diz que quase um ribeirinho, pois sempre esteve s margens do Tiet, vezes pescando, vezes trabalhando.

    Para Valdir, que sempre esteve perto do rio, a situao causa espanto. Conforme contou, na regio do Pouso Alegre, em Macatuba, era pos-svel entrar mais de 50 metros no rio com a gua pela canela. As barcaas, impedidas de tra-fegar pelo rio devido o perigo de atolar nos bancos de areia que antes ficavam submersos, at pouco tempo, trafegavam obedecendo uma rgida sina-lizao de boias.

    Ribeirinho v com espanto baixa do rio Tiet

    Enquanto isso em SP apopulao sente a seca

    uma pena ver o rio chegar a um nvel to baixo assim. Agora, no sei se fecharam al-guma comporta, mas o rio vol-tou a subir, pouco, mas subiu, contou na tarde de quarta-feira.

    O Tiet est vrios metros abaixo do nvel normal em determinados trechos do No-roeste Paulista. A estiagem fez o rio perder quantidade de gua equivalente a um prdio residencial de trs andares (trreo mais dois pavimentos). E no esse o nico problema.

    O perodo de pouca chuva, um dos mais representativos da histria, evidencia outras questes no menos graves na vida do importante rio paulista, como falta de mata ciliar, assoreamento e avano de monocultura.

    A Relatora das Naes Uni-das para a questo da gua, Catarina de Albuquerque, 44, afirma que a grave crise hdrica em So Paulo de res-ponsabilidade do Governo do Estado. E no sou a nica a achar isso, disse ela ao jornal Folha de So Paulo.

    A gesto Geraldo Alckmin (PSDB) nega que faltem inves-timentos e atribui a crise falta de chuvas nos ltimos meses, que classifica como excepcio-nal e inimaginvel.

    Penso que faltou mais aten-o do governo estadual, e no sou a nica. J falei com vrios especialistas aqui no Brasil que dizem exatamente isso. Admi-to que uma parte da gravidade poderia no ser previsvel, mas a seca, em si, era. Tinha de ter combatido as perdas de gua. inconcebvel que estejam qua-se em 40% [mdia do pas], contou a Relatora.

    O Sistema Cantareira bai-xou de 3,5% para 3,3% nesta tera-feira (21), batendo novo recorde histrico. O ndice pluviomtrico acumulado des-de segunda-feira (20) de 0,5 mm e no chegou a contribuir para a estabilizao do nvel do reservatrio, que acumula

    quedas consecutivas. Os sistemas Alto Tiet e

    Rio Grande acumularam os maiores ndices pluviomtri-cos de segunda para tera--feira: de 3,6 mm e 3,4 mm, respectivamente.

    No domingo (19), depois de os termmetros marcarem 35,8C, diversas regies da cidade receberam chuva re-sultante da chegada de uma frente fria.

    De acordo com a Sabesp, o Sistema Cantareira foi o que teve a maior pluviometria acumulada de domingo para segunda, com 23,9 mm.

    Alm disso, o Sistema Alto Tiet registrou 7,4mm, o Sis-tema Guarapiranga, 4mm, o Sistema Alto Cotia, 5 mm, o Sistema Rio Grande, 1,4 mm e o Sistema Rio Claro, 5,8 mm.

    De acordo com a Clima-tempo, a partir deste sbado a atmosfera deve ficar mais mida e o ar quente e seco, que prevaleceu ao longo deste fim de semana no Sudeste e parte do Sul do pas, perde fora. A tendncia que novas frentes frias estacionem sobre essas regies e provoquem chuvas, mas sem grandes acumulados de precipitao. (com G1)

    Diario do Centro do Mundo

    A INFLUNCIA DA ESTIAGEM NA ECONOMIA PAULISTAEstamos vivendo a pior seca

    da histria no Sudeste brasileiro registrada nos ltimos 70 anos. A regio da grande So Paulo a mais afetada com a reduo de um dos maiores reservatrios de gua para abastecimento pblico do Brasil. Estima-se que 38% da populao do Estado estejam sofrendo os efeitos da seca, mais da metade dos municpios paulistas esto sofrendo com cortes no abastecimento de gua, isso quase a proporo das estatsticas do Nordeste brasileiro.

    H quem culpe os governos ou So Pedro pela falta de gua, mas na verdade, essa questo est muito alm dos fatores polticos, governamentais e msticos. Toda essa problemtica da seca, que atinge quase todo o interior paulista, afetando populaes e a economia do Estado mais rico do Brasil, apenas uma amostra do desiquilbrio do ecossistema mundial causado por aes antrpicas diretas.

    evidente, que h ingerncias, que contribuem com essa crise climtica somadas com a falta de conscincia ambiental das popu-laes; tambm h exemplos de politicas pblicas onde esto fazendo a diferena nessas situaes crticas. O rico interior paulista, das grandes indstrias curvou-se diante da resis-tncia da natureza em no chover, contabilizando prejuzos e paisagens desoladoras. Economistas falam em torno de R$ 2 bilhes de prejuzos decorrentes da reduo de processos industriais e da baixa movimentao turstica, podendo haver reflexos sig-nificativos na economia paulista para o prximo ano, onerando produtos e servios pela baixa produtividade agrcola e por dificuldades na logs-tica fluvial.

    Marlia, Bauru e Ja com os maiores PIBs da regio centro-oeste paulista, primeiro, segundo e quarto respectivamente, esto sofrendo com essa crise climtica sem precedentes,

    com cortes no abastecimento de gua. Lenis Paulista, enquanto que a maioria das cidades que cap-tam guas superficiais esto sem reservas, a cidade est bem servida pelo rio Lenis que mantm sua ca-pacidade de reservao e no oferece risco de desabastecimento.

    A reduo de 8 metros no calado do rio Tiet a jusante da barragem de Bariri, paralisou o trfego logstico da hidrovia Tiet-Paran, onerando ainda mais o transporte de combus-tveis e alimentos, vindo do Centro--Oeste do Brasil, que esto sendo feitos por transporte rodovirio e desempregando centenas de traba-lhadores. A safra de cana-de-acar deve sofrer perdas de processamen-to, o setor sucroenergtico j fala em contabilizar prejuzos com uma retrao de cerca de 40% na extrao da sacarose bruta. Outras culturas como o citrus, leguminosas e gros, tambm haver baixa produtividade na prxima safra. Para recuperar

    todo o potencial hdrico do Tiet e a capacidade total do reservatrio da Cantareira em So Paulo, deve levar entre 3 a 4 anos, se as regularidades das chuvas se normalizarem.

    Politizar a questo, que est diretamente relacionada a fatores climticos em decorrncia da de-vastao ambiental, que no s o Pas passa, mas todo o Planeta subjetivar as verdadeiras causas. Ningum imaginava, que aquilo que sempre foi dito, que a gua um dia seria escassa, viria a acontecer to cedo. Precisamos rever muitos conceitos comportamentais e ins-titucionais sobre sustentabilidade e meio ambiente, principalmente, pelas populaes urbanas que so os maiores responsveis pela degrada-o ambiental nos nosso dias, antes que essas situaes climticas sejam irreversveis.

    Sidney Aguiar especialista em Sustentabilidade Corporativa.

    siD aguiar

    Foto: Carlos Sousa Ramos/ AAN

    Fotos: Billy Mao

    TERRA | Leito do Lenis sofre assoreamento severo no municpio de Agudos. SAAE e Meio Ambiente no comentam o assunto

    TIET | Abaixo do nvel normal

    TIET II| Em Salto, pedras ficam mostra

    CANTAREIRA| Seca sem precedentes.M gesto, segundo a ONU

  • GERAL6LENIS PAULISTA, 25 DE OUTUBRO DE 2014

    crDito Fcil DE 10 a 260 Mil libErao no MEsMo Dia para toDas as classEs so-

    ciais, sEM consulta ao spc ou sErasa, para pEssoas Fsicas, JurDicas, autnoMos, para abrir nEgcios,

    coMprar iMVEl, rEForMar. FaZEr capital DE giro. para toDo o brasil

    DIARIAMENTE DAS 8H S 20H. - EXEMPLOS:

    VEJa outros ValorEs E praZosPLANTO SBADO E DOMINGO

    (0XX31) 30630702 (FIXO) (0XX31) 82375694 (CLARO)(0XX31) 94245096 (TIM)

    CRDITO PRESTAO CRDITO PRESTAO

    10 MIL R$ 85,00 50 MIL R$ 298,00

    15 MIL R$ 104,00 60 MIL R$ 347,00

    20 MIL R$ 314,00 70 MIL R$ 426,00

    30 MIL R$ 198,00 80 MIL R$ 505,00

    40 MIL R$ 254,00 90 MIL R$ 594,00

    Incndios causam morte de trabalhador e destruio em Lenis PaulistaIncndios causaram morte e destruio no final de semana passado. Um trabalhador lenoense morreu e uma grande rea de uma reserva natural foi destruda.

    PREFEITURA MUNICIPAL DE BOREBI/SP

    AVISO DE LICITAO: Prego n 030/2014 Objeto: Registro de preos de medicamentos. Entrega dos envelopes de documentos, propostas e do credenciamento: Dia 13 de novembro de 2014, s 14:00 horas, no Setor de Licitaes da Prefeitura.

    AVISO DE CHAMADA PBLICA N 001/2014 Obje-to: Aquisio de hortifrutis atravs da Agricultura Familiar e do Empreendedor Rural ou Cooperativas e Associaes Representativas, para o atendimento ao Programa Nacional de Alimentao Escolar. Realizao: Dia 20 de novembro de 2014, s 09:00 horas, no Setor de Licitaes da Prefeitura.

    Os editais na ntegra encontram-se disposio dos inte-ressados no Setor de Licitaes da Prefeitura, localizado na rua 12 de Outubro, n 429, Centro, Borebi/SP, no horrio das 8:00 s 11:30 e das 13:00 s 16:00 horas, ou solicitando-os atravs do e-mail [email protected]

    Borebi, 21 de outubro de 2014.

    Manoel Frias Filho - Prefeito Municipal.

    Tania MorbiUm morador de Lenis

    Paulista morreu durante um incndio de grandes propor-es que atingiu e destruiu uma rea de plantao de eucaliptos, no domingo, dia 19, na zona rural de Borebi. Edenilson Liberalesso, de 28 anos, que era supervisor da empresa Duratex de papel e celulose que mantm a plan-tao no local, foi encontrado carbonizado.

    De acordo com informa-es da Polcia Militar, o fogo comeou por volta das 13h30, e foram necessrias sete horas de trabalho do Corpo de Bom-beiros e de caminhes-pipa

    de usinas da regio para que o incndio fosse controlado.

    O corpo do funcionrio da empresa foi localizado por volta das 20h, pelas brigadas que atuavam no combate. Os companheiros de trabalho identificaram que o cadver era de Edenilson, morador de Lenis Paulista e que ele trabalhava na empresa. Ele teria morrido ao tentar combater as chamas, mas a ocorrncia foi registrada como morte suspeita e o caso seguir sob investigao da Polcia Civil.

    Segundo informaes, du-rante o combate ao incndio, outro funcionrio teve que ser

    socorrido, mas com menos gravidade. Jos Aparecido da Silva foi encaminhado atendi-mento de urgncia de Borebi, onde recebeu cuidados mdi-cos e foi liberado.

    Reserva natural

    destrudaNo mesmo dia 19, algumas

    horas depois, um incndio de grandes propores em uma reserva natural, de uma pro-priedade particular, destruiu uma extensa rea de cerrado, em Lenis Paulista. O fogo se aproximou das casas de bairros vizinhos causando medo entre os moradores.

    A propriedade rural faz di-

    visa com a rea urbana e fica ao lado dos bairros Jardim Village, Parque Antrtica, Humait e Jardim Ubirama, que foram atingidos pela grande quantidade de fumaa. De acordo com testemunhas, trs moradores precisaram deixar as casas at que o fogo fosse controlado.

    As chamas se alastraram rapidamente e toda a rea de floresta da fazenda foi consu-mida. A situao foi contro-lada aps horas de trabalho do Corpo de Bombeiros, po-rm, ainda na segunda-feira, os bombeiros estiveram no local para assegurar que no havia mais focos e derrubar algumas rvores.

    Ainda no h informaes do que teria provocado o fogo na rea de preservao ambiental. As causas sero investigadas.

    Os moradores do Jardim Village apontam que ne-cessrio uma interveno do municpio quanto ao problema. Uma moradora relatou que devido a criao de gado na fazenda as casas so constantemente invadi-das por insetos e mal cheiro, produzido pelos dejetos dos animais. como se estivs-semos morando em uma zona rural, mas estamos na cidade, disse.

    Neste sbado, dia 25, acon-tece a segunda etapa da va-cinao contra a raiva em Lenis Paulista, voltada para cerca de 18 mil animais, se-gundo censo realizado em ju-nho de 2013, dos quais 13.970 ces e 3.720 gatos. A meta atingir 80% dessa populao.

    Porm, segundo a diretoria de Sade, a primeira etapa da campanha, realizada no sbado passado, ficou bem abaixo da expectativa, com a imunizao de 1.613 animais, sendo 1.444 ces e 169 gatos. O posto de vacinao montado na ESF do Jardim Caju foi um dos mais movimentados.

    Hoje, haver vacinao das 8h30 s 17h na unidade de Sade do Ncleo, na Estra-tgia de Sade da Famlia do Jlio Ferrari, Jardim Cruzeiro e Monte Azul, nas escolas municipais do Jardim Prima-vera e Cecap (Empg Edwaldo Bianchini), e na capela Santo Expedito (Jardim Prncipe).

    Das 8h30 s 11h30 haver vacinao no praa Cristo Rei (Vila Contente) e no Parque do Povo; j das 13h s 17h, na UBS do Jardim Ubirama e no ptio de treinamento CNH da Avenida Brasil

    A vacinao na zona rural acontece com a visita do ve-terinrio s propriedades. A populao rural estimada em 1.131 ces e 310 gatos.

    Segundo a diretoria, o ani-mal s deve ser levado ao posto de vacinao por um adulto, para garantir que o bichinho no vai tentar fugir, cachorros devem ser conduzi-dos na coleira e se for um co de raa mais agressiva, como pit bull e rottweiler, o animal deve ser levado at o local de vacinao com a focinheira.

    As recomendaes tambm valem para quem possui gatos. O ideal levar o bichinho embrulhado em uma toalha, gaiola ou mesmo numa caixa de papelo com furos para permitir a entrada de ar.

    A raiva uma zoonose causada por vrus, que trans-mitida ao homem por ani-mais mamferos (ces, gatos e morcegos, principalmente). uma doena mortal para os animais e seres humanos. O principal transmissor da raiva para o homem o co. Em segundo lugar esto os gatos. Atualmente, o morcego tambm vem se tornando um transmissor comum.

    Hoje tem segunda etapa da vacinao contra raiva

    Jogando neste ltimo sba-do, dia 18, no Ginsio Muni-cipal de Esportes Archngelo Brega (CSEC), a equipe juve-nil do Sempre Vlei Lenis - AALP, derrotou o time do COC/Clube Araraquarense por trs sets a zero, com parciais de 25x12, 25x19 e 25x15.

    A equipe joga neste sbado, dia 25, as 17h, na cidade de Sertozinho, j praticamente classificada para o quadrangu-lar final da competio.

    Nossa equipe mostrou nossa superioridade desde o incio da partida. Impusemos nosso ritmo, com saques tti-cos, bloqueios bem posiciona-dos e jogadas ensaiadas, no dando nenhuma oportunidade de Araraquara ter uma reao em quadra, avaliou Joo Guilherme, 20 anos, capito do time lenoense.

    Com mais esta vitria, a terceira consecutiva no Cam-peonato Estadual Paulista da APV Associao Pr Volei-bol, a equipe Sempre Vlei se mantm na vice liderana e praticamente j garantiu sua participao no quadrangular final da srie ouro 2014, que ainda no tem nem data e nem local definidos, mas acontece em novembro.

    Estou muito confiante em quadra, e nossa equipe est conseguindo aplicar todos os ensinamentos passados por

    Sempre Vlei vence mais uma e joga hoje com Sertozinho

    nosso tcnico, o Dod. Estou muito contente, pois no errei nenhum passe neste jogo, comemorou o lbero Rafael, de 17 anos.

    O Sempre Vlei Lenis gerenciado pela Associao dos Amigos do Voleibol de Lenis Paulista e conta com o apoio da Prefeitura Municipal, tem patrocnio da ZILOR Energia e Alimentos e recebe o copatrocnio de diversas empresas da cidade.

    JoguinhosA equipe de Lenis no

    conseguiu se classificar para a segunda fase dos Joguinhos Abertos da Juventude, em Itapetininga, mas o time foi elogiado pelo supervisor da modalidade do municpio professor Carvalho.

    Ns tivemos a infelicidade de no sorteio cairmos no cha-mado Grupo da Morte, com Franca e tambm Campinas e Mau (que respectivamente tm atletas da seleo Juvenil Brasileira e Paulista) e como classificavam-se apenas duas equipes para a segunda fase, no conseguimos, lamentou o treinador de Lenis Dou-glas Coneglian.

    O time de So Jos dos Cam-pos foi campeo, com Mau vice e Campinas em terceiro lugar. Lenis Paulista ficou no oitavo lugar.

    O hospital Nossa Se-nhora da Piedade lanou oficialmente, esta semana, o projeto Empresa Amiga do HNSP, pelo qual a en-tidade vai fornecer o Selo de Ao Social que atesta a atuao da empresa em uma causa voltada para a comunidade.

    A participao das em-presas pode render selos do bronze ao diamante, de acordo com o valor doado mensalmente, durante 12 meses. Ao menos sete em-presas, do comrcio e da indstria, haviam aderido ao projeto at a sexta-feira, dia 24. A empresa pode usar este selo na divulgao, em materiais de propaganda e tambm vo ser entregues certificados. O nome da empresa ser divulgado em mdias sociais. essencial que a sociedade saiba que a empresa solidria ao hospital. Para a imagem da empresa o ganho enorme e o investimento pequeno. Hoje em dia, para grandes empresas ou as que buscam certificao internacional um dos requisitos ter selo de ao social e nosso selo

    HNSP lana projeto de sustentabilidade financeira com Selo Social para empresas

    tem esta finalidade, disse Ricardo Conti, diretor do hospital.

    Enfrentando novamen-te uma grave financeira, o HNSP tem um dficit mensal de R$ 150 mil. O objetivo do projeto, segun-do Ricardo, criar uma sustentabilidade financeira, que alm de manter o aten-dimento pelo SUS, garanta o equilbrio na folha de pagamento, custeio e pa-gamento de fornecedores. Mas, tambm, aproximar a sociedade da entidade, ganhando respaldo social para as reivindicaes po-lticas. Com este projeto a gente consegue se planejar, chegar ao final do ano sem ter que pedir que socorram o hospital. Conseguindo a colaborao da sociedade, conseguimos pressionar o poder pblico para entrar com contrapartida na ajuda. Com a ajuda da comuni-dade, criamos fora junto gesto pblica. Como poder pblico, Ricardo pon-tua as esferas municipais, estadual e federais.

    Outra forma de contribuir com o hospital atravs

    da doo do reembolso do ICMS, atravs das notas fiscais. Basta no colocar o CPF quando estiver pagan-do por um bem ou servio e pedir que nota seja desti-nada ao hospital ou colocar diretamente nas caixas de coleta identificadas.

    Caso queira esperar o prazo para possvel troca,

    o consumidor pode entregar a nota no comrcio onde comprou ou diretamente no HNSP, aps o prazo legal.

    Para mais informaes sobre o selo Empresa Amiga do HNSP e outras doaes, o telefone (14) 3269-1039 (com Tatiana) ou pelo e-mail [email protected]

    BRASA | Sem poder parar fogo, moradores cooperaram depois do susto

    AO | Ricardo Conti, diretor do hospital conta com a adeso das empresas lenoenses

    DUPLA | Ces prontos para vacinao

    Fotos: Billy Mao

  • HORSCOPO/GERAL 7LENIS PAULISTA, 25 DE OUTUBRO DE 2014

    HORSCOPO

    ARIE

    S

    TOUR

    O

    GEM

    EOS

    CANC

    R

    LEO

    VIRG

    EM

    LIBR

    A

    ESCO

    RPI

    O

    SARG

    ITRIO

    CAPR

    ICRN

    IO

    AQU

    RIO

    PEIX

    ESCuidado para no deixar o amado de lado ao prio-rizar suas conquistas pro-fissionais. A vida amorosa necessita de carinho. No

    trabalho, sua cabea estar a mil. Use sua versatilidade. Dirija seus esforos para melhorar seus rendimentos. Entenda me-lhor os seus parentes, pois mal-entendidos sempre podem acontecer. Nada de perder a calma.

    O eterno jogo da pacincia est tentando lhe ensinar al-guma coisa. Perceba como muitas vezes voc mesma que no decide assumir o

    romance. Da as coisas demoram mes-mo. No trabalho, ter que ser dinmica ou no conseguir o que quer. Inove em algumas atividades. Seu empenho vai trazer recompensas financeiras. Cuidado para no magoar familiares.

    D uma chance paixo. Verifique o que precisa de mudanas em sua vida afe-tiva e conte com o apoio dos astros par isso. Sinal verde para somar esforos com

    seus colegas de trabalho. Suas chances de se dar bem sero enormes. As finanas po-dero entrar nos eixos. Sentir necessida-de de se envolver mais com seus parentes. Isso ser notado por todos ao seu redor.

    Mesmo que no tenha na-morado, procure os amigos e aproveite o momento para se divertir de verdade. Um encontro interessante vai rolar. Sua capacidade de

    tomar iniciativas estar em evidncia no trabalho. Com relao a grana, no rejeite nenhuma oportunidade, s porque no o que havia pensado, valeu? Oua o que seus familiares tm a lhe dizer.

    Se estiver solteira, deve conquistar um amor logo, j que Vnus aumenta o fascnio que exerce sobre os homens. A intuio indicar o melhor caminho para um

    excelente negcio comercial, mas ser pre-ciso ter f! Desfrute a vida sem gastar muito, que tudo se arranjar. Uma questo familiar poder alterar sua rotina. Ter que usar o bom-senso para conseguir o que quer.

    Valorize a presena do amado, com tudo que ele traz de bom para a relao. Pense mais nele do que em voc e ver que a convi-vncia fluir harmoniosa.

    No trabalho, aquela chance que voc es-tava esperando pode chegar. Cuidado para no entrar em negcios de risco. Siga suas impresses e tudo fluir bem. Em famlia, releve os pontos negativos de algum.

    Expresse os sentimentos mais por meio de aes do que pelas palavras. Pre-senteie o seu amor, mes-mo que a data no tenha nada de especial. Voc o

    deixar encantado. No servio, aposte em parcerias para projetos mais abrangentes. Use sua criatividade para se destacar. Po-der ter sorte em jogo ou aposta. Pode esperar mais descontrao em casa.

    Tome as atitudes que an-dou adiando nos ltimos tempo e aguarde por bons resultados. Se houver amor em seu corao, sozinha voc no vai ficar. Na vida

    profissional, acredite no poder de realizar os seus planos. Uma quantia que esto lhe devendo poder ser paga. Sentir estimulo para compartilhar suas ideias e seus senti-mentos com os parentes.

    Saber dizer as palavras cer-tas para o amado, deixando--o ainda mais apaixonado. Na cama, entregue-se ao sexo carinhoso. Libere-se! H grande vontade de se in-

    formar na profisso. Porm, controle o ex-cesso de confiana. Sabendo economizar, a grana no ir faltar. Bom perodo para se cercar de pessoas queridas. Espere por bons momentos em famlia.

    A dois, no perca as opor-tunidades de conversar e expressar seus sentimentos. A verdade sempre traz van-tagens. No trabalho, assuma maior liderana responsa-

    bilizando-se por sua atuao. Seu empenho ter boas recompensas financeiras. Seja me-nos metdica e mais criativa, especialmen-te com sua famlia. Vocs esto juntos por amor e no por regras.

    Na vida a dois, escolhas egostas no sero aceitas. No deixe a sua vida afe-tiva e sexual em segundo plano de jeito nenhum, ok? Sua vida profissional

    poder ganhar um novo embalo. Refaa suas contas e analise o que pode modificar em seus planos. Para manter o clima bom em casa, voc deixar de lado suas necessi-dades e pensar mais nos outros.

    Se sentir livre para amar cada vez mais seu eleito. Se estiver sozinha, com certeza, se apaixonar. As pessoas se encantaro com a sua sensualidade.

    No trabalho, posicione-se e comprometa--se com suas opinies. No deixe escapar as oportunidades. Com relao a dinheiro, iniciativas que comearem agora devem prosperar. Clima alegre em famlia.

    Receitaspara voc!Chef Paulo Campanholi

    MODO DE PREPARO:

    Preaquea o forno a 180C (moderado). Em uma tigela grande, misture o espinafre, o arroz, o leite, os ovos, de xcara da mussarela, sal e pi-menta. Reserve. Em uma frigideira, aquea o azeite e refogue a cebola e o alho, mexendo com uma esptula at que comecem a dourar. Junte o presunto e cozinhe por 2 minutos. Retire do fogo e misture ao espinafre.

    ARROz DE FORNO COM ESPINAFRE, PRESUNTO E MUSSARELA

    ingredientes:300 g de espinafre (pode ser congelado), picado e espremido2 xcaras (ch) de arroz branco cozido2/3 de xcara (ch) de leite2 ovos1 xcara (ch) de mussarela ralada grossa1 colher (sopa) de azeite1 cebola picada2 dentes de alho150 g de presunto cozido fatiado fino, rasgado com as mossal e pimenta-do-reino moda na hora quanto baste.

    Estao propcia para devastao tucana

    Billy MaoA Primavera, estao das flo-

    res, comea a dar sinais de que a vida aps o inverno recomea no apenas para a flora. Esta a poca em que os pssaros cons-troem seus ninhos e encontram seus pares para o acasalamento.

    Por toda a cidade possvel perceber os pssaros cantarolan-do pela manh e durante o dia, buscando e fazendo seus ninhos. Logo comea a fase do acasala-mento, onde os pssaros saem em busca de parceiros para dar sequncia reproduo.

    Neste perodo aumentam os predadores em busca de alimento fcil. Entre as aves que se ali-mentam de filhotes existem os gavies, que esto cada vez mais presentes na vida urbana. Por ou-tro lado, pssaros que muita gente aprecia pela beleza, tambm so vorazes carnvoros e buscam na reproduo alheia e nos filhotes, seu alimento predileto.

    O tucano uma ave da Famlia Ramphastos (devido o tamanho de seu bico). muito conhecido por seu enorme bico que chega aos 20 cm. uma ave muito boni-ta que causa admirao aos olhos de quem a v porm, sua beleza esconde sua natureza voraz que o leva por vastas regies em busca de ovos e filhotes de outras aves. Diferentemente do que se acha, o tucano no se alimenta s de frutas, mas, principalmente, de pequenos animais, insetos, ovos e filhotes recm nascidos de outros voadores.

    O tucano mede cerca de 65 cm, fora o bico. Existem 40 espcies catalogadas de tucano sendo as diferenas entre elas bem pequenas, somente na cor do bico, das penas e no tamanho. Quanto ao peso, o tucano chega a 520 gr.

    O tucano vive nas florestas tropicais da Amrica do Sul (principalmente Amaznia) Mas encontrado em todo o Brasil. No se encontram tucanos em outros continentes. Alis, os tu-canos no suportam o frio.

    O bico do tucano ajuda na ali-mentao, j que facilita a quebra de cascas de frutos mais rgidos e ajuda na mastigao de alimentos como filhotes e insetos. Tucanos no so animais migratrios e podem viver cerca de 40 anos. Por isso que onde encontram alimento farto, permanecem sem querer sair mais at que a alimentao fique escassa. Voam at 15 Km em bus-ca de alimentao, aterrorizando outras espcies.

    Como acostumado a viver solto, pulando de galho em ga-lho, em cativeiro, os tucanos se recusam a comer, pois perdem o nimo e a vontade de viver, lugar onde ficam extremamente infeli-zes. Por esse motivo, no se deve tentar comprar animais exticos como o tucano para criao.

    A ave vem sendo ameaada de extino, pois muito procurada no mercado negro por organiza-es que apreciam sua beleza. Esse contrabando ilegal (como outros), porm muito frequnte no pas todo.

    Outra particularidade desse pssaro quanto ao seus vos. Como seu bico grande, seus ra-santes so um tanto desastrosos e vai de rvore em rvore pois para voar grandes distncias necessita de muita energia. Para isso usa uma tcnica de subir o mximo que pode batendo as asas e depois tenta planar fazendo uma cons-tante alternncia de sobe e desce instvel, at alcanar o prximo ponto onde possa parar at recu-perar suas foras, se alimentar e continuar a devastao.

    COME | Tucano se alimenta de filhote de outra espcie. Carnvoro

    A Prefeitura de Lenis Paulista atravs da diretoria de Sade programou uma srie de atividades que prio-rizam o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. As aes comeam em novembro e devem seguir at maro do prximo ano. Esto previstas atividades em escolas, mutiro de limpeza, visitas domiciliares a empre-sas. A iniciativa tem a parceria de outras pastas, como Educa-o e Meio Ambiente. Todo o trabalho ser coordenado pelas equipes do Programa

    Pacote prev aes contra denguede Agentes Comunitrios de Sade (PACS) e ESF (Estra-tgia de Sade da Famlia) e vai envolver enfermeiras, supervisores e agentes.

    A primeira iniciativa a ser colocada em prtica o proje-to Agente Mirim. O programa vai atuar junto aos alunos do quarto ano do ensino fun-damental, transformando as crianas em multiplicadores. Durante a semana compreen-dida entre 10 e 14 de novem-bro os agentes vo visitar as unidades, realizar palestras e propor atividades com cola-

    gens e desenhos sobre o com-bate dengue. Esses trabalhos sero posteriormente expostos nas prprias escolas, unidades de sade, prdios pblicos e at mesmo privados.

    A ideia desse projeto formar multiplicadores. Esse processo comea j na capaci-tao das equipes. Os supervi-sores receberam treinamento das enfermeiras e repassaram esses conhecimentos aos agen-tes. Nas escolas, essas crianas sero orientadas a levar esses conhecimentos de combate ao mosquito para casa e outros

    locais de convvio social, explica o diretor de Sade, Mrcio Caneppele Santarm.

    Mutiro de limpezaEntre os dias 4 e 27 de no-

    vembro, as Diretorias de Sade e Meio Ambiente realizam um mutiro de limpeza para a co-leta de inservveis. O mutiro focado principalmente em materiais que acumulam gua, como latas, garrafas e pneus.

    Durante esse perodo no haver a coleta agendada de inservveis, pois todos os pro-fissionais e veculos estaro

    Frequentadores do estdio municipal Joo Roberto Va-gula, no Ncleo Luiz Zillo, reclamaram esta semana da falta de bebedouros de gua e de sombras, seja na cobertura das arquibancadas ou ofere-cida por rvores, ambas no existentes no local. Para os frequentadores que usam o campo, o gramado colocado no local tambm no parece adequado, pois no teria re-sistncia quando para uma partida esportiva.

    A reclamao acontece na poca em que espaos pbli-

    envolvidos no mutiro. Quem tiver mveis velhos para des-cartar, s ficar de olho no dia que a coleta vai passar no seu bairro.

    10 minutos contra a dengue

    No ms de dezembro a Diretoria de Sade inicia a campanha 10 minutos contra a dengue. A proposta explicar para a populao que com um checklist (que ser distribudo de casa em casa) e 10 minutos por semana, possvel verifi-car se existem criadouros do mosquito.

    O projeto comea com as visitas domiciliares dos agen-tes. A partir de fevereiro ser aplicado tambm nas escolas municipais. Em maro, os agentes realizaro visitas a empresas.

    Vagulo fonte de reclamao por falta de gua, cobertura e grama fracacos so mais frequentados por esportistas e pelo pblico em geral. Porm, no Vagulo a reclamao vem de dentro e de fora do campo.

    Para quem faz atividades esportivas ou exerccios no campo, a reclamao de que a grama parece fraca e se desprende durante o atrito natural.

    J que est nas arqui-bancadas, no consegue acompanhar um partida de futebol, por exemplo, por no suportar ficar exposto diretamente no sol.

    A nica torneira dispon-vel fora do vestirio tambm no daria conta de atender a todos que passam pelo local, para uma ou outra atividade.

    O diretor de Esportes Jos Lenci Neto afirmou que no possvel plantar rvores no local, devido inclinao do talude, e ainda que no vesti-rio existem outros pontos de hidratao para atender que requer as chaves do local.

    A cobertura da arquiban-cada foi descartada por Len-ci, devido ao valor necess-rio para o investimento.

    Porm, embora garanta que a grama plantada no lo-cal seja adequada para reas de prticas esportivas (tipo bermuda), no ano que vem a diretoria deve contratar um engenheiro agrnomo espe-cialista em campo esportivos para avaliar o gramado.

    SECURA| Sistema de drenagem do Vaguloeficiente demais, faz secar a grama do campo

  • LENIS PAULISTA, 25 DE OUTUBRO DE 2014SUA IMAGEM8

    AvilapanAvilapanPRODUTOS DE PADARIAS E CONFEITARIASFERMENTO FRESCO LEVASAF

    Elson Avila

    (14) 99643.4517Rua Otaviano Brizola, 168 - Vila Mamedina _ Lenis Paulista - SP

    Fone: 14-3263.7300 - e-mail: [email protected]

    ACEITA-SE CARTES DE CRDITO

    ESTRUTURAS METLICASA | PORTES | GRADES | ESCADAS | MANUTENES DIVERSAS

    VRIAS OPES DE PORTES PARA SUA

    RESIDNCIA

    O medo de cometer um erro e atingir outro veculo ou um pedestre, ou o estresse do trn-sito, entre outros fatores, levam muitos condutores habilitados a no usarem seus veculos, mesmo quando precisam para as tarefas dirias, permanecendo na depen-dncia de outros.

    Para ajudar estas pessoas a vencerem seus obstculos surge o instrutor particular. Silmara Torres uma profissional da rea que, alm de ser credenciada pelo Detran (Departamento Nacional de Trnsito), tem um carinho especial por ensinar e ajudar as pessoas a serem independentes, quando o assunto carro ou moto. Sempre gostei de ensinar minhas amigas a dirigir e percebi que tenho vocao para isso, por conseguir um resultado positivo. Como o nmero de pessoas com esta necessidade muito grande, resolvi me especializar e oferecer esta ajuda a quem precisa, conta.

    Ela explica que muitas pessoas, embora passem nos exames para ter a CNH, no conseguem condu-zir seus veculos seja por trauma ps acidente, insegurana, falta de prtica ou outros motivos. Por isso as aulas so totalmente desenvolvidas para cada aluno,

    Medo de dirigir tem cura com instrutor particular

    atendendo sua necessidade. O objetivo dar continuidade ao aprendizado das autoescolas, integrando o aluno com segurana ao trnsito, explica.

    Alm do credenciamento do De-tran, alcanado com treinamento psicolgico e prtico, que lhe concedeu a formao especfica, Silmara possui carro e moto adap-tados para ajudar os condutores.

    O tempo de treinamento, se-gundo ela, varia a cada caso,

    mas os benefcios para o pouco investimento so grandes. Os procedimento e ensinamento so feitos sobre os pontos negativos que o aluno acredita ter. Na pri-meira aula fao uma avaliao e j posso estimar em quanto tempo o aluno estar pronto. Na maioria das vezes, mais rpido do que o aluno acredita. Em pouco tempo ele consegue sua autonomia e independncia, afirma Silmara.

    Agora, que tiver qualquer dificul-

    dade na conduo de veculo, tem uma opo para alcanar a seguran-a e o controle necessrio. pre-ciso ter a iniciativa. O treinamento totalmente seguro. S preciso mostrar ao motorista que ele capaz, j que no basta aprender, preciso praticar, conclui.

    Para saber mais, o contato da instrutora Silmara (14) 996512221 (Vivo) e (14) 4105-0332 (Tim)

    Um ano - O presidente do Legislativo Humberto Jos Pita (PR) reuniu funcionrios da Cmara, imprensa e convidados para marcar, nesta sexta-feira, dia 24, o aniversrio de um ano de funcionamento da sede administrativa. Entre os convidados, a prefeita Izabel Lorenzetti (PSDB) e o pastor Antnio Carlos Cabral. O procurador jurdico da Cmara, Antnio Carlos Rocha declarou ter se surpreendido com a rapidez com que Pita fez as mudanas administrativas necessrias para moralizar o Legislativo. O que era motivo de vergonha, passou a ser motivo de orgulho, disse. A prefeita Izabel ressaltou a im-portncia da atuao de homens e mulheres pblicas como reflexo para a sociedade. A gente mostra o pas que quer com o trabalho que fazemos, disse. Aps a cerimnia, para a imprensa, Pita relembrou as decises que tomou em dois anos de gesto, falou sobre como espera que seja sua atuao como vereador a partir do ano que vem e reafirmou que quer ser prefeito de Lenis Paulista. Fora da mesa, vou me posicionar da maneira mais correta, mas ainda tenho dvidas de como agir. Candidato a prefeito vou ser sim, no importa a sigla partidria, porque um sonho que tenho. Durante o evento, o diretor Gensio Simes anunciou que deixa o posto no final do ano.

    SALVAMENTO - Os trs amigos, na foto, salvaram dois filhotes de Sabi em uma praa do Jardim Amrica. Os pssaros caram de uma rvore e cor-riam o risco de serem atropelados por vecu-los. Conseguiram uma caixa e colocaram os filhotes. isso ai!

    DOM | Depois de ajudar amigas, Silmara instrutora profissional

    _GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack