Sabadao 93

of 8/8
Máxima: 29C° Minina: 18C° Máxima: 31C° Minina: 19C° HOJE AMANHÃ Fonte: Climatempo 29 DE NOVEMBRO DE 2014 - EDIÇÃO Nº 93 - ANO 3 - LENÇÓIS PAULISTA - CIRCULAÇÃO REGIONAL A DOE 1 LITRO DE LEITE INTEGRAL E GANHE 1 SQUEEZE! O LEITE ARRECADADO SERÁ DOADO À CASA AMORADA DE LENÇÓIS PAULISTA. A TROCA OCORRERÁ APENAS NA FARMÁCIA HOMEOPÁTICA DA AVENIDA PADRE SALÚSTIO. Matriz Rua Anita Garibaldi, 650 Centro - Lençóis Paulista/SP (14) 3264-3340 3263-3985 Filial Av. Pe. Salútio R. Machado, 563 Centro - Ao lado do Fórum (14) 3264-8248 Prefeitura terceiriza serviço elétrico mas vai ‘brigar’ por aumento da CIP A Prefeitura de Lençóis Paulista terceirizou a manutenção da rede de energia elétrica do mu- nicípio. A licitação, que definiu a empresa que irá prestar o serviço durante o ano de 2015, ao custo de R$ 756 mil, foi aberta na quarta-feira, dia 26. Com isso, a Prefeitura adia a discussão local sobre o reajuste da CIP (Contribuição de Iluminação Pública) e de um financiamento de mais de R$ 2 milhões que pretende fazer junto ao Governo Estadual, cujos projetos tramitam na Câmara, até que se confirme em definitivo se caberá ao município arcar com a manuten- ção a partir do ano que vem. A decisão pela terceirização temporária foi tomada, segundo o diretor de Tecnologia da Informação Éder Paccola Santa Bárbara, de- pois da apresentação que ele fez na Câmara dos Vereadores, no dia 10 de novembro, a cerca de 20 dias. Na ocasião, o diretor adiantou que a saída de emergência para o impasse, segundo ele, gerado pela não aprovação do reajuste da CIP pelos vereadores, deveria ser a terceiri- zação temporária do serviço. Inicialmente, o prazo seria de seis meses, mas esta semana Éder afirmou que com prazo maior a Prefei- tura conseguiria reduzir o custo do serviço. Na página 5. Fotos: Billy Mao Empresa diz se adequar as Leis Ambientais atendendo à Cetesb O jornal Sabadão do Povo e o hospital Nossa Senho- ra da Piedade esclarecem que todas as doações feitas ao hospital pela população lençoense, através das di- versas formas possíveis, são recebidas diretamente pela entidade, sem nenhuma in- tervenção de qualquer órgão público. Através das contas do SAAE, a pessoa pode doar qualquer valor, que depois de cobrado na conta, será repassado à entidade. Pela Nota Fiscal Paulista, basta não incluir o CPF na nota na hora da compra e pedir que o cupom seja desti- nado ao hospital ou depositar nas caixas de coleta identifi- cadas. O doador pode ainda entrar em contato com o HNSP para fazer as doações, pelo telefone (14) 3269-1039 (com Tatiana) ou e-mail cola- [email protected] Doações são destinadas diretamente ao hospital Nossa Senhora da Piedade Plenário é reinaugurado hoje, às 10h Depois de diversas re- clamações de empresários instalados próximos a uma empresa que produz adubo orgânico, em uma área do Distrito Empresarial de Len- çóis Paulista, o proprietário da empresa afirmou esta semana ao jornal Sabadão do Povo que deve concluir até janeiro os investimentos necessários para acabar com os proble- mas decorrentes da produção, como a fumaça e a fuligem geradas pelo processo. Pág. 5 A cúpula da Segurança Pública está diante de dados contraditórios. Enquanto os números de roubos em geral cresceram 14% no Estado em outubro, cravando o 17.º mês seguido de alta do índi- ce, os registros de roubos de carros, um crime com baixa subnotificação, caíram 11% em relação ao mesmo mês de 2013. Os dados mostram ainda um aumento dos ho- micídios na capital (3,7%) e uma queda no Estado (1,8%) no período. Pág. 4 |Mulher é alvo principal da violência no lar |Estado sofre com avanço de roubos pelo 17º mês Na semana em que se lem- bra o Dia Internacional da Não-violência contra a Mu- lher, 25 de novembro, dados oficiais mostram que as prin- cipais vítimas de violência do- méstica em Lençóis Paulista são mulheres, na faixa entre 19 e 59 anos. Números da diretoria de Saúde apontam redução nas notificações deste tipo de violência relatadas à pasta, geralmente através de agentes comunitários. Este ano, até setembro, foram registrados 20 casos de mu- lheres vítimas de violência doméstica. Pág. 4 Espaço da Câmara passou por reforma e será entregue hoje, com autoridades - Pág 3 | Sinalização desligada coloca motorista em risco A sinalização eletrônica da passagem em nível da li- nha férrea da rodovia vicinal que liga Borebi à rodovia Marechal Rondon (SP 300), está há alguns meses sem funcionar, assim como ou- tros dois pontos em Lençóis Paulista, nas ruas Niterói e Cel. Joaquim Anselmo Mar- tins também não estão em funcionamento, tornando menos segura a passagem para veículos e pedestres. Segundo a assessoria da América Latina Logística, concessionária da via férrea, “as sinalizações citadas estão em fase final do processo de instalação. Seguindo acordo estabelecido com a Prefei- tura de Lençóis Paulista, a empresa está realizando a instalação dos equipamentos, e o município ficará respon- sável pela sua manutenção.”
  • date post

    06-Apr-2016
  • Category

    Documents

  • view

    226
  • download

    0

Embed Size (px)

description

Jornal semanal com distribuição gratuita.

Transcript of Sabadao 93

  • Mxima: 29CMinina: 18C

    Mxima: 31CMinina: 19C

    HOJE AMANH

    Fonte: Climatempo

    29 DE NOVEMBRO DE 2014 - EDIO N 93 - ANO 3 - LENIS PAULISTA - CIRCULAO REGIONAL

    A

    DOE 1 LITRO DE LEITE INTEGRAL E

    GANHE 1 SQUEEZE!O LEITE ARREcADADO SER DOADO cASA AmORADA DE LENIS PAULISTA.

    A TROcA OcORRER APENAS NAFARmcIA HOmEOPTIcA

    DA AvENIDA PADRE SALSTIO.

    MatrizRua Anita Garibaldi, 650

    Centro - Lenis Paulista/SP(14) 3264-3340

    3263-3985

    FilialAv. Pe. Saltio R. Machado, 563

    Centro - Ao lado do Frum(14) 3264-8248

    Prefeitura terceiriza servio eltricomas vai brigar por aumento da CIP

    A Prefeitura de Lenis Paulista terceirizou a manuteno da rede de energia eltrica do mu-nicpio. A licitao, que definiu a empresa que ir prestar o servio durante o ano de 2015, ao custo de R$ 756 mil, foi aberta na quarta-feira, dia 26. Com isso, a Prefeitura adia a discusso local sobre o reajuste da CIP (Contribuio de Iluminao Pblica) e de um financiamento de mais de R$ 2 milhes que pretende fazer junto ao Governo Estadual, cujos projetos tramitam na Cmara, at que se confirme em definitivo se caber ao municpio arcar com a manuten-o a partir do ano que vem.

    A deciso pela terceirizao temporria foi tomada, segundo o diretor de Tecnologia da Informao der Paccola Santa Brbara, de-pois da apresentao que ele fez na Cmara dos Vereadores, no dia 10 de novembro, a cerca de 20 dias. Na ocasio, o diretor adiantou que a sada de emergncia para o impasse, segundo ele, gerado pela no aprovao do reajuste da CIP pelos vereadores, deveria ser a terceiri-zao temporria do servio. Inicialmente, o prazo seria de seis meses, mas esta semana der afirmou que com prazo maior a Prefei-tura conseguiria reduzir o custo do servio. Na pgina 5.

    Fotos: Billy Mao

    Empresa diz se adequar as Leis Ambientais atendendo Cetesb

    O jornal Sabado do Povo e o hospital Nossa Senho-ra da Piedade esclarecem que todas as doaes feitas ao hospital pela populao lenoense, atravs das di-versas formas possveis, so recebidas diretamente pela entidade, sem nenhuma in-

    terveno de qualquer rgo pblico. Atravs das contas do SAAE, a pessoa pode doar qualquer valor, que depois de cobrado na conta, ser repassado entidade.

    Pela Nota Fiscal Paulista, basta no incluir o CPF na nota na hora da compra e

    pedir que o cupom seja desti-nado ao hospital ou depositar nas caixas de coleta identifi-cadas. O doador pode ainda entrar em contato com o HNSP para fazer as doaes, pelo telefone (14) 3269-1039 (com Tatiana) ou e-mail [email protected]

    Doaes so destinadas diretamente ao hospital Nossa Senhora da Piedade

    Plenrio reinaugurado hoje, s 10h

    Depois de diversas re-clamaes de empresrios instalados prximos a uma empresa que produz adubo orgnico, em uma rea do Distrito Empresarial de Len-is Paulista, o proprietrio da empresa afirmou esta semana ao jornal Sabado do Povo que deve concluir at janeiro os investimentos necessrios para acabar com os proble-mas decorrentes da produo, como a fumaa e a fuligem geradas pelo processo. Pg. 5

    A cpula da Segurana Pblica est diante de dados contraditrios. Enquanto os nmeros de roubos em geral cresceram 14% no Estado em outubro, cravando o 17. ms seguido de alta do ndi-ce, os registros de roubos de carros, um crime com baixa subnotificao, caram 11% em relao ao mesmo ms de 2013. Os dados mostram ainda um aumento dos ho-micdios na capital (3,7%) e uma queda no Estado (1,8%) no perodo. Pg. 4

    |Mulher alvo principal da violncia no lar

    |Estado sofre com avano de roubospelo 17 ms

    Na semana em que se lem-bra o Dia Internacional da No-violncia contra a Mu-lher, 25 de novembro, dados oficiais mostram que as prin-cipais vtimas de violncia do-mstica em Lenis Paulista so mulheres, na faixa entre 19 e 59 anos. Nmeros da diretoria de Sade apontam reduo nas notificaes deste tipo de violncia relatadas pasta, geralmente atravs de agentes comunitrios. Este ano, at setembro, foram registrados 20 casos de mu-lheres vtimas de violncia domstica. Pg. 4

    Espao da Cmara passou por reforma e ser entregue hoje, com autoridades - Pg 3

    |Sinalizao desligadacoloca motorista em risco

    A sinalizao eletrnica da passagem em nvel da li-nha frrea da rodovia vicinal que liga Borebi rodovia Marechal Rondon (SP 300), est h alguns meses sem funcionar, assim como ou-tros dois pontos em Lenis Paulista, nas ruas Niteri e Cel. Joaquim Anselmo Mar-tins tambm no esto em funcionamento, tornando menos segura a passagem

    para veculos e pedestres. Segundo a assessoria da

    Amrica Latina Logstica, concessionria da via frrea, as sinalizaes citadas esto em fase final do processo de instalao. Seguindo acordo estabelecido com a Prefei-tura de Lenis Paulista, a empresa est realizando a instalao dos equipamentos, e o municpio ficar respon-svel pela sua manuteno.

  • OPINIO2LENIS PAULISTA, 29 DE NOVEMBRO DE 2014

    FALE CONOSCO CNPJ: 14.647.331./0001-22

    IE: 416.050.229.111

    Jornalista Responsvel: Tnia Morbi - Mtb: 52.193Redao e administrao Lenis Paulista

    Rua Andr Bacili, 45 Telefone (14) [email protected]

    CONTATO COMERCIAL: (14) 99658-9731Sugesto de Pautas: (14) 3263-1740

    Registrado no Cartrio de Registros de Pessoas Jurdicasde Lenis Paulista sob nmero 008 - Folha 15 - Livro B1

    TODOS OS ARTIGOS SO DE RESPONSABILIDADEDE SEUS AUTORES

    Tiragem: 3.000 exemplaresNa internet: http://issuu.com/billymao/docsCaderno DeCasaEmCasa: 20.000 exemplaresLenis Paulista - Borebi - Agudos - Macatuba

    Cntaro vazio pr. antonio carlos cabral

    bia Willcox

    Whatsapp, o delator

    railson rodrigues

    Imortais

    Sabado online: issuu.com/billymao/docs/

    Reflexo

    Charges do Jarbas

    Uma histria que contada, fala de um circo que chegou em uma cidade e se insta-lou fora do permetro urbano. Tudo estava preparado para uma grande estria, mas pouco antes o circo pegou fogo. O dono do circo enviou o palhao que j estava caracterizado, para pedir socorro na cidade. Apesar do seu empenho, todos pensaram se tratar de um expediente publicitrio, onde o palhao interpretava de forma magistral o enredo de uma suposta catstrofe. Todos riam, assim o circo foi reduzido a cinzas. O dono enviou a pessoa errada para a misso.

    Outra histria semelhante registrada nas Sagradas Escrituras, fala de uma mulher samaritana que teve um longo dilogo com Jesus em um encontro inusitado. Ao que parece, ela no gozava de boa reputao na cidade. No tinha marido. Antes tivera cinco e o homem com quem convivia no era seu marido (Os judeus sustentavam que uma mulher podia divorciar-se duas vezes ou no mximo, trs). Maravilhada com o desfecho do dilogo com Jesus, a mulher deixou ali o seu cntaro vazio e voltou a cidade anun-ciando ansiosamente que o Messias ou o Cristo estava prximo cidade.

    exemplo do palhao do circo, aquela mulher tambm no era indicada para a misso, porm a diferena estava na

    experincia vivida, que a fez esquecer o seu passado e a expresso de seu rosto, causaram impacto to grande que muitas pessoas creram nas suas palavras e tam-bm viveram suas experincias com o Salvador (Joo 4.4-42).

    A pessoa certa para a misso de teste-munhar de Jesus, no necessita de grande instruo teolgica. Necessita, sim de uma experincia com Ele. Algum como o cego de nascena, o qual foi curado por Jesus que disse: No sei se ele pecador ou no. mas uma coisa sei: Eu era cego e agora vejo. Sabemos que Deus no ouve pecadores, mas ouve aquele que teme e pratica sua vontade (Joo 9.25 e 31).

    Nas igrejas, muitas pessoas continuam com

    seu cntaro vazio. Encontraram Jesus, mas no se comoveram com o encontro. Conti-nuam com suas ocupaes. No que devam deix-las, mas que em encontrando a gua da vida, devem valoriz-la mais que qualquer outra coisa, subordinando personalidade e bens a Ele, antes de tentar domesticar o Evan-gelho, aculturando-o ao nosso estilo de vida.

    O Evangelho de Cristo um chamado a um compromisso, entretanto vemos a nossa forma de culto, como uma forma de carregar nossa bateria espiritual e assim continuar com nossos projetos como se nada de extraordinrio tivesse aconteci-do antes. Cristo passa a ter compromisso conosco que o de encher nosso cntaro, que nunca largamos. Assim levamos a vida sem entender o chamado.

    Quem conheceu Jesus, fala de Jesus e de sua importncia, deixando o cntaro, smbolo dos nossos objetivos pessoais. Vinde e vede um homem... e foram para onde Ele estava (Joo 4.29-30). Um cntaro vazio muito mais til para armazenar as bnos que precisam ser compartilhadas, do que nossos caprichos e discursos vazios do conhecimento divino.

    Antnio Carlos Cabral Bacharel em Teologia pela Faculdade Teolgica Batista Grande ABC.

    Houve um tempo em que eu no sabia que a palavra Ale-mo era substantivo que definia naciona-lidade de quem nasce na Alemanha. Nesse tempo eu sequer sa-bia que existia um pas chamado Ale-manha.

    Era muito peque-nino, praticamente um beb, no conhe-

    cia pases nem o mundo, mas conhecia um rapaz, cujo apelido era Alemo. um apelido comum em nosso pas, e usualmente atribui-se aos rapazes de cabelos e olhos claros.

    Mas antes de saber da existncia da Alemanha, s existia um alemo em meu mundo conhecido, e ele era muito prximo de mim e da minha famlia, sempre sorridente e prestativo. O Alemo est pre-sente em boa parte de minhas primeiras recordaes de existncia nesse planeta. uma dessas figuras que a gente acha que sempre existiu e das quais fica difcil imaginar o mundo sem elas.

    Outra pessoa que ficou gravada em minhas re-cordaes foi a professora Iza, de matemtica. Tive

    o prazer em conhec-la aos 12 e de voltar a ter aula com ela aos 15. A dona Iza conseguia ser rigorosa sem deixar de ser bem humorada em sala de aula. Ela sempre trocava meu nome na tentativa de me irritar talvez para dar o troco, pois eu nunca fui flor que se cheire em termos de comportamento. E eu, na malandragem, fingia que nem percebia o nome trocado. No incio, confesso que ficava incomodado, mas depois notei que era carinho da parte dela.

    Quando selecionaram bons alunos para montar um colegial disciplinado na escola onde a Iza me dava aula, soube que minha hiperatividade e inquie-tude para no dizer brincadeiras e baguna quase me deixaram de fora. Porm, foi a palavra da Dona Iza que me colocou entre os escolhidos. Sempre fui grato a ela, mesmo sem que ela soubesse que eu sabia disso. Ela falava com os olhos, e sempre parecia me dizer no olhar: Menino, apesar de ser um pestinha, gosto de voc!.

    A dona Iza outra dessas pessoas que a gente no imagina o mundo existindo sem.

    Considero-me um afortunado por ter vivido at os vinte e poucos anos sem que a morte levasse muita gente prxima. Mas essa semana a dona morte, essa bandida, levou o Alemo e a Dona Iza. Um duro golpe para o mundo.

    Quando isso ocorre, fico reflexivo. Repenso mui-tas coisas diante da fragilidade da vida, da vulnerabi-

    lidade da existncia. Noto o quanto somos pequenos em nossos problemas, preocupaes e discursos.

    Quando a morte bate em nossas portas, no h lugar para homofobia, racismo ou qualquer outro tipo de preconceito. No h religio, ideologia ou classe social que nos poupe da dor da morte - seja a nossa prpria morte ou a de pessoas que amamos.

    O Alemo e a Dona Iza vivero em mim enquanto eu existir, so responsveis, de alguma forma, pelo modo como minha vida fluiu. E dessa maneira que nos perpetuamos nesse mundo. Vivendo dentro de cada pessoa com quem convivemos e permanecendo nas vidas de quem participamos.

    O mundo e os indivduos que aqui esto ou j estiveram, compem uma coisa s, e a linha que nos liga uns aos outros, dos primrdios da humanidade at hoje, imperceptvel. A vida efmera, mas somos imortais diante do legado que deixamos s pessoas com quem dividimos a existncia. Por isso, proponho a reflexo da morte para notarmos que nossos preconceitos e priori-dades podem ser mesquinharias diante de uma existncia to ampla e bela. Para que possamos seguir em uma luta pelo fim das diferenas, pois se a morte democrtica, e leva todos. Sejamos mais democrticos, amando todos.

    Railson Rodrigues estudante de Direito

    A violncia convive em famlia

    O universo das pessoas hoje cabe na palma da mo. No metfora e nem eu estou de brinca-deira. Falo srio

    Sabe o whatsapp? Ele se tornou o habitat natural de uma enorme fatia da sociedade con-tempornea. Pelo menos 600 milhes de pessoas no mundo passam um tempo (s vezes grande) nele. Por que?

    Os motivos so vrios: no pagamos para us-lo, resolvemos problemas sem termos que usar necessariamente a voz para solucionar-mos (falamos no whatsapp enquanto estamos presencialmente com outras pessoas), usamos a voz pra gravar mensagens pra outro(s) sem ter que necessariamente estender a conversa ao telefone ou ser interrompido em nosso raciocnio, criamos grupos de interesse co-mum, mandamos fotos d iversas inclus ive de onde estamos e do que estamos fazendo, compartilhamos o lugar onde se estamos (um jeito de provar que estamos mesmo ali!), e, sobretudo, temos pequeninas diverses entre os memes, emojis e piadas que mandamos uns

    pros outros.Quem no o usa, no deve estar entendendo

    muito bem isso tudo, mas quem t nele, deve estar acenando positivamente com a cabea agora e at sorrindo.

    Whatsapp deliciosamente viciante e o melhor tamos-ai-pra-qualquer-parada dos ltimos tempos - o melhor 1001 utilidades que j vi.

    Mas, como no h almoo de graa (descul-pem pela traduo literal do ditado em Ingls), o whatsapp tem seus efeitos colaterais.

    Com tanta facilidade ao alcance das mos, tende-se a controlar mais tudo e todos. Onde c t? O que comprou? Como t seu cabelo? Quem t ai? Manda foto.

    E o controle vai alm. Mandamos mensagens e ansiamos pela resposta. E a comeamos a de-senvolver uma rotina quase paranica de checar de tempos em tempos se a pessoa na nossa mira entrou no whatsapp (pelo registro de sua ltima visualizao) e se respondeu.

    Quando vemos que a pessoa-alvo entrou e no falou com a gente, inevitvel, ficamos bolados.

    Os mais razoveis tentam compreender: no teve tempo de responder, nem deve ter visto o que mandei com tantas mensagens, vai responder j j, conheo ele, daqui a pouco mando carinha triste. Isso chateia mas passa. Passa? Passava.

    Desconfio que a partir de agora (e essa no-vidade vem ocupando o noticirio dos grandes veculos) que o whatsapp alm de contar quando a pessoa entrou nele pela ltima vez, nos mostra quando a pessoa leu a sua mensagem, teremos uma espcie de 3 Guerra Mundial entre relaes sociais, profissionais, familiares e, sobretudo, amorosas.

    Coitados dos que leram e deixaram pra respon-der depois. No vo ter desculpa. Os j famosos 2 tiques azuis do whatsapp vo provocar muita con-fuso. Saudades de quando eles eram s verdes.

    Whatsapp - onde o azul (dos tiques) a cor mais blica e onde a vida real acontece do jeito que ela - entre tapas e beijos.

    Bia Willcox empresria, editora, professora e me (brasil247)

    Apenas um raio de sol suficiente para afastar vrias

    sombras

    so Francisco de assis

    Dados da diretoria de Sade de Lenis Paulista desenham um ce-nrio conhecido, mas que no deixa de ser chocante e de causar efeitos sensveis na sociedade: a mulher lenoense a vtima recorrente da violncia domstica, sendo agredi-da especialmente por seus parcei-ros e de forma contnua.

    Segundo os nmeros, divulgados na semana em que se lembrou o Dia Internacional da No-violncia contra a Mulher, em 25 de novem-bro, as vtimas pertencem a uma ampla faixa etria, entre os 19 e 59 anos, o que a coloca em todas as possveis situaes familiares, desde as mulheres que acabaram de formar suas famlias, at aque-las que compem esta unio a mais tempo. Por isso mesmo, o perfil deste tipo de violncia tambm tem outro vis cruel: a maioria dos rela-tos de mulheres agredidas mais de uma vez.

    Neste contexto de covardia, ou-tro dado perturbador. Em Lenis Paulista a mulher tem em casa o principal local de violncia, quando ela e outros integrantes da famlia deveriam ter neste lugar sua refe-rncia de segurana.

    A notcia boa que os casos regis-trados pela Sade tm diminudo, o que leva avaliao da importncia do trabalho desenvolvido por agen-tes de sade que, em seu contato direto com essas vtimas, alcanam um nvel de confiana junto as fa-mlias atendidas que proporciona agirem de forma a mudarem suas perspectivas.

    A vtima de violncia domstica, segundo aponta a prpria direto-ria, precisa antes de tudo ter plena conscincia de que o que acontece com ela no normal, ter conscin-cia de que ela est sendo submeti-da a algo que no bom para ela, seja a violncia de que grau for. E para isso o papel dos agentes ex-tremamente importante.

    Depois de se saber vtima, a mu-lher precisa de apoio para rever-ter a situao de agresso, j que muitas vezes no tem na prpria famlia ou ambiente de convvio a ajuda necessria para mudar sua rotina. Seja por dependncia finan-ceira, falta de estrutura emocional ou orientao social.

    Embora a informao divulgada esta semana seja restrita a dados registrados por apenas um dos r-gos que lidam com o problema, preciso enaltecer que qualquer di-vulgao sobre a violncia familiar, seja ela contra mulheres ou crianas fundamental para que a socieda-de se envolva e busque formas de contribuir para que ela cesse.

    A mxima que diz que em briga de marido e mulher ningum deve se meter um dos reflexos da socie-dade conservadora e machista her-dada pela nova famlia brasileira, algo que deve ser combatido cons-tantemente, proporcionando que as propores fsicas e de poder, que permitem ao homem agressor se impor, possam ser combatidas atra-vs da conscientizao da vtima e da ao da lei.

  • POLTICA 3LENIS PAULISTA, 29 DE NOVEMBRO DE 2014

    por tania Morbi

    Pita entrega hoje plenrio reformado populao

    Tnia MorbiEmbora a votao do or-

    amento tenha sido adiada para a semana que vem, o projeto que define como o Executivo pretende aplicar os R$ 201 milhes previstos em sua receita, em 2015, foi o mais comentado na sesso da ltima segunda-feira, dia 24, devido as emendas feitas por vereadores, que destinam recursos para o hospital Nossa Senhora da Piedade, atividade delegada, entre outros. Com a ltima sesso do ano prevista para o dia 15 de dezembro, os vereadores tm mais trs sesses para discutir e aprovar emendas e oramento, que necessitam de votao em dois turnos.

    A votao de emendas ao oramento, no ano passado, criou um dos momentos de maior embate na Cmara, es-pecialmente devido a derruba-da de todas as propostas feitas pelo presidente Humberto Pita (PR), que destinavam cerca de R$ 1 milho para o hospital NSP. No entanto, outras emen-das de menor valor foram aprovadas pelos vereadores.

    Agora, com emendas bem mais modestas, a expectativa que sejam aprovadas sem maiores embates entre os legisladores, que j demons-traram aprovar as mudanas propostas, embora nenhum vereador da base aliada tenha assinado as mudanas ao or-amento.

    A dvida quanto manu-teno da destinao dos re-cursos, uma vez que a prefeita Izabel Lorenzetti (PSDB) j antecipou, quando da apre-sentao do projeto do ora-mento, que no gostaria que ele fosse alterado, devido s dificuldades com a queda de arrecadao que o municpio vem enfrentando.

    Por isso, os discursos da sesso da ltima segunda-feira foram voltados ao Executivo, na defesa de que a atuao dos vereadores no seja vetada

    Vereadores fazem emendas ao oramentoe rejeitam possvel veto do ExecutivoVotao do oramento de 2015 foi adiada na ltima segunda-feira; expecta-tiva de que prefeita Izabel Lorenzetti vete emendas, mesmo aps aprova-o da base aliada, que se demonstrou concordar com as alteraes

    pela prefeita, aps a aprovao em plenrio pelos vereadores.

    VetadoO que me preocupa que

    soube, de forma extraoficial, que se as emendas forem aprovadas, a prefeita vai vetar todas. Se isso for verdade, ser muito triste, mais uma demonstrao da tentativa de diminuir o tamanho da importncia dos vereadores. Aqui no se pode apresentar emendas. Nossas emendas so para o hospital. Tenho que fazer o que est mais perto de mim, disse Ailton Tip (PV), que defendeu tambm a emenda que dobra o valor destinado pela Prefeitura para pagamento da atividade dele-gada. Contratar policiais para cuidar da lei do silncio, do patrimnio pblico e comba-ter pichadores com R$ 4 mil por ms, vai contratar o que de policial? Por isso colocamos mais R$ 50 mil, explicou.

    Anderson Prado (PV) ex-plicou que a maior parte dos recursos foi retirada de um servio pago pela prefeitura, embora tenha profissionais que, na avaliao dos verea-dores, tm total capacidade de exercer. Estamos reti-

    rando recursos de aes que temos certeza que no so necessrias. Temos um corpo jurdico competente, ento no justo que a Prefeitura repasse R$ 300 mil por ms para assessoria jurdica da regio, afirmou.

    Para Nardeli da Silva (Pros), a apresentao de emendas ao oramento do municpio pelos vereado-res deve ser respeitada pelo Executivo, uma vez que so eles que conhecem de perto as dificuldades da popu-lao. Estamos querendo ajudar somente as entidades assistenciais, sendo que era para barrarmos a fortuna que (a Prefeitura) gastou no aeroporto. Se no pudermos mexer no oramento, pode fechar a porta e ir embora. Temos que usar das nossas atribuies legais, definiu.

    Hospital O principal beneficiado

    pelas emendas ao oramento novamente o hospital Piedade. Duas delas, uma assinada por sete vereadores, destinam R$ 200 mil entidade. A emenda assinada por Jonadabe de Sou-za (SDD) e Tip remaneja R$ 100 mil da diretoria de Obras.

    Tip e Jonas assinam a segun-da destinao de dinheiro para o hospital, no valor tambm de R$ 100 mil, juntamente com os vereadores Prado, Gumercindo Junior, (DEM), Nardeli, Humberto Pita (PR) e Jos Pedro de Oliveira (PR), remanejando recursos dos gastos definidos como encar-gos gerais do municpio, que tem oramento previsto de quase R$ 1.692 milho.

    Os mesmo sete vereadores assinam a destinao de R$ 50 mil para o Centro de Zo-onoses, retirando o dinheiro gasto com Assessoria Jurdica, mesmo local de onde deve sair outros R$ 50 mil, destinados para aumento da Atividade Delegada do municpio, ser-vio desempenhado no muni-cpio por policiais militares e pago pela Prefeitura.

    Tambm no setor de Sade, mas para a diretoria munici-pal, Nardeli destina R$ 25 mil para o atendimento de Equo-terapia, remanejando recursos da diretoria de Planejamento e Urbanismo e manuteno de servios diretos.

    A sexta emenda, de autoria de Jonadabe de Souza, reloca R$ 20 mil da diretoria de Es-portes para a pasta da Cultura.

    O presidente do Legisla-tivo Humberto Pita (PR) vai oficializar hoje a concluso da reforma do plenrio da Cmara, depois de cerca de cinco meses fechado, perodo em que o prdio foi completamente reformado e modernizado. A reforma, custeada com recursos do Legislativo, a mais impor-tante realizada nos ltimos 30 anos, segundo a diretoria da Casa.

    A cerimnia de reinaugu-rao da sala Mrio Trecenti est prevista para ter incio s 10h deste sbado, dia 29. Alm dos vereadores, o evento deve contar com a presena de autoridades e lideranas polticas locais e regionais.

    O oramento inicial de cerca de R$ 400 mil foi man-tido, segundo a diretoria da Cmara. O projeto da refor-ma foi feito por uma equipe da Prefeitura Municipal, for-mada pela engenheira Danu-sa Dias Anglico Rossi e pela arquiteta Simone Capelari.

    Quando decidiu reformar a sala onde so realizadas as sesses da Cmara, o presidente Pita ressaltou as condies estruturais do prdio, que oferecia risco de acidentes aos funcionrios da Cmara e populao que frequentava o local. Laudos apontaram para o risco de incndio devido ao estado da rede eltrica do prdio. Alm dos contatos com os vereado-res, a sala utilizada durante todo ano para a realizao de diversos eventos, como palestras e reunies.

    Segundo a diretoria da Cmara, foram trocados pi-sos, rede eltrica e sistema de som, alm de mobilirio, a cozinha tambm foi refor-mada, assim como o local recebeu nova pintura.

    No caso do piso, o carpete antigo e gasto foi substitudo por piso frio, mais adequa-do ao cdigo de segurana do Corpo de Bombeiros, por no ser propagador de chamas.

    A rede eltrica foi total-

    mente substituda, j que era um dos pontos mais crticos do prdio, que h mais de 30 anos no passava por refor-ma. Recentemente, durante uma sesso da Cmara, o prdio teve trs blecautes e parte do encontro seguiu no escuro, enquanto a energia era recuperada.

    Na rede de som, foi ins-talado um sistema moderno, que possibilitar que toda a plateia e os vereadores rece-bam o som no mesmo volu-me e intensidade, atravs de equipamentos mais compac-

    tos, porm mais eficientes.Da sala antiga, foi pre-

    servado o revestimento de madeira, que tem funo acstica, mas o revestimen-to tambm passou por uma limpeza adequada, segundo a diretoria.

    Com a reforma da sala das sesses, depois da instalao do setor administrativo em um prdio mais adequado ao traba-lho dos vereadores, o presiden-te Pita atinge mais um objetivo de proporcionar atendimento mais moderno e acessvel populao lenoense.

    1 Tempo - O clima de fechamento dos trabalhos no deve ser to ameno nas trs prximas sesses da Cmara de Lenis Paulista, como poderiam supor vereadores e quem acompanha os trabalhos do Legislativo. Ao menos dois projetos que devem estar na pauta antes do recesso parlamentar j deram o que falar, mas ainda tm com-bustvel para novas exploses.Carto - Um deles, que deve estar na pauta da sesso da prxima segunda-feira, a pea com o oramento do municpio para 2015. As emendas feitas por alguns vereadores o X da questo. No por possibilidade de serem derrubadas em plenrio, o que no deve ocorrer considerando as demonstraes da base aliada a prefei-ta Izabel Lorenzetti, mas pela grande chance de serem vetadas posteriormente por ela.Intervalo - Mesmo para um simples pedido de adiamento, ocorrido na ltima sesso, os discursos j tiveram grau de calor mais acima do normal. O projeto do oramento tem que ser votado em dois turnos.Quem paga? - Outro projeto que tambm deve dar quei-ma da lenha, at pelos novos contornos da situao que o envolve, o de reajuste da taxa de iluminao. Esta semana, a Prefeitura selou mais uma terceirizao dos servios, desta vez, dando a empresa contratada a res-ponsabilidade de parte da rede pblica de iluminao.Pe na conta - Mesmo assim, a Prefeitura vai insistir em reajustar a taxa e adquirir dinheiro para a aquisio de equipamentos visando ela prpria se tornar responsvel por todo o servio a partir de 2016.#Vem pra rua - Com a nova situao, a discusso em plenrio ganha um novo cenrio, j que no existe mais a emergncia pela aprovao dos projetos como ocorria, mas a verdade que a proposta de cobrar mais dos con-sumidores ser mantida, persistindo o foco principal dos protestos por parte dos vereadores.Sem pressa - Difcil prever se os dois projetos sero aprovados ou no nesta nova formatao do caso, o que torna ainda mais interessante acompanhar de perto o desfecho deste assunto.Quem? - Tema que vai ferver nos bastidores da Cmara Municipal neste final de ano a sucesso da Mesa Direto-ra. O quebra cabeas vai se montando e as possibilidades se formando.Juntos - Para um interlocutor do Legislativo, a melhor opo seria a formao de uma chapa mista e nica para administrar a Casa pelo prximo binio. Para um obser-vador da poltica lenoense, a possibilidade no seria to absurda j que projetos de interesse realmente pblico so votados por unanimidade na Casa de Leis. Novinho - A reinaugurao da sala Mrio Trecenti, onde so realizadas as sesses legislativas de Lenis acontece hoje, a partir das 10h, abrindo uma nova tem-porada no local, que tinha urgncia de ser reformado. Sem acessibilidade, o prdio tinha piso velho e corrodo, redes eltricas e hidrulicas perigosamente desgastadas, mveis velhos e um certo cheiro de algo podre no ar, tal-vez pelos aparelhos de ar condicionado, a dcadas sem manuteno, vai saber...Claro - At a reforma definida pelo atual presidente Humberto Pita, o que se via no local era um cenrio de abandono causado pelas ltimas gestes. A aparncia de velha e suja da tradicional sala, local de grandes embates polticos no passado, poderia representar boa parte do que foram estas ltimas gestes. A viso clara e limpa que surge agora, beneficamente, tem correspondido com o que tem sido a atual gesto.Dois pesos... - Aplaudido no Parlamento Europeu, disse o papa Francisco sobre os extremistas do Estado Islmico: "Talvez no se possa ter um dilogo com eles, mas no podemos nunca fechar a porta; difcil, mas a porta deve estar sempre aberta". A fala de Francisco repercutiu como a de um defensor da paz e da diplomacia e, ainda, como uma crtica da ao militar e intervencionista dos EUA... 2) Antes de abrir a Assembleia-Geral das Naes Unidas, disse a presidente Dilma Rousseff sobre os extre-mistas do Estado Islmico: "O Brasil sempre vai acreditar que a melhor forma o dilogo, o acordo diplomtico e a intermediao da ONU". A fala de Dilma repercutiu como a de um ignorante e comunista, que critica de modo vazio a ao militar e intervencionista dos EUA... Enfim, dois pesos e duas medidas!Erradicar a pobreza - Perguntaram ao socialista Jos Mujica: O que funcionou nesses 10 anos do seu partido no poder? E Mujica respondeu: Ns tnhamos 39% de pobreza h 10 anos, e agora temos 11%. Tnhamos 5% de indigncia nas ruas, e agora temos 0,5%. Enfim, essa a esquerda na qual eu acredito: tem um foco na execuo da letra constitucional que impe: objetivo fundamen-tal do Estado: erradicar a pobreza e a marginalizao e reduzir as desigualdades sociais (CF-88, art 3, III).

    (Com Wellington Anselmo Martins)PLENRIO | Inaugurao hoje, s 10h

    VOTO | Discusso sobre oramento tomou grande parte das sesses

    Fotos: Billy Mao

  • GERAL4LENIS PAULISTA, 29 DE NOVEMBRO DE 2014

    RDIO FAMA FM 87,9 - BOREBI - SP

    Total Previso

    Novembro/2013 Dezembro/2013 Janeiro/2014 Fevereiro/2014 Maro/2014 Abril/2014 (ltimos Atualizada

    Maio/2014 Junho/2014 Julho/2014 Agosto/2014 Setembro/2014 Outubro/2014 12 Meses) 2014

    - - 1.523.655,16 1.424.746,28 1.196.949,56 1.374.300,05

    1.455.580,60 1.108.004,50 1.443.553,51 1.193.444,91 1.260.770,64 1.331.271,54 13.312.276,75 16.756.500,00

    - - 36.382,32 39.309,20 72.151,47 91.941,96

    35.428,62 48.097,07 53.159,37 22.640,24 41.828,71 59.762,71 500.701,67 553.001,00

    IPTU - - - - - 62.793,24

    3.801,07 3.523,17 4.278,51 3.406,88 2.954,21 3.653,04 84.410,12 41.001,00

    ISS - - 22.448,47 25.544,76 12.844,67 2.090,40

    17.232,57 19.015,65 20.097,43 16.633,72 13.302,61 18.484,80 167.695,08 185.000,00

    ITBI - - - 200,00 44.474,76 3.054,00

    623,21 21.328,70 2.447,25 303,89 1.630,00 24.368,18 98.429,99 75.000,00

    IRRF - - 13.816,75 13.317,57 14.407,96 12.190,02

    13.144,20 2.852,72 25.761,68 1.463,11 23.603,73 12.793,73 133.351,47 160.000,00

    Outras Receitas Tributrias - - 117,10 246,87 424,08 11.814,30

    627,57 1.376,83 574,50 832,64 338,16 462,96 16.815,01 92.000,00

    - - 8.628,99 14.233,43 7.196,29 6.485,34

    7.636,06 6.415,23 6.932,57 6.743,91 7.196,30 7.500,11 78.968,23 116.500,00

    - - 11.258,27 7.866,99 11.613,32 7.708,70

    11.881,39 5.678,15 12.635,90 23.352,86 9.863,09 9.205,02 111.063,69 77.000,00

    - - 1.456.878,53 1.351.258,28 1.100.566,57 1.258.777,93

    1.396.930,52 1.046.385,43 1.357.669,08 1.131.696,65 1.197.743,08 1.250.208,35 12.548.114,42 15.893.119,00

    Cota-Parte do FPM - - 665.837,49 710.450,08 421.435,48 480.997,65

    640.988,49 480.700,00 412.860,49 501.555,24 439.655,11 415.519,35 5.169.999,38 6.990.000,00

    Cota-Parte do ICMS - - 347.158,84 370.045,96 361.063,19 392.791,64

    377.790,88 302.519,73 482.340,71 365.724,58 458.954,22 346.111,27 3.804.501,02 5.172.500,00

    Cota-Parte do IPVA - - 57.471,91 26.511,45 25.317,16 3.611,81

    3.200,48 37.312,02 3.121,73 5.103,79 14.049,45 10.540,52 186.240,32 160.000,00

    Cota-Parte do ITR - - 2.332,32 14,79 69,75 75,44

    - 18,98 1.121,80 1.562,14 3.851,90 163.540,05 172.587,17 100.000,00

    Outras Transferncias Correntes - - 384.077,97 244.236,00 292.680,99 381.301,39

    374.950,67 225.834,70 458.224,35 257.750,90 281.232,40 314.497,16 3.214.786,53 3.470.619,00

    - - 10.507,05 12.078,38 5.421,91 9.386,12

    3.704,01 1.428,62 13.156,59 9.011,25 4.139,46 4.595,35 73.428,74 116.880,00

    DEDUES (II) 179.503,43 203.349,08 203.350,53 216.493,15 156.499,71 175.163,93

    204.146,88 189.944,62 180.906,89 175.483,39 183.683,86 187.533,19 2.256.058,66 2.496.500,00

    Deduo de Receitas para Formao do FUNDEB 179.503,43 203.349,08 203.350,53 216.493,15 156.499,71 175.163,93

    204.146,88 189.944,62 180.906,89 175.483,39 183.683,86 187.533,19 2.256.058,66 2.496.500,00

    -179.503,43 -203.349,08 1.320.304,63 1.208.253,13 1.040.449,85 1.199.136,12

    1.251.433,72 918.059,88 1.262.646,62 1.017.961,52 1.077.086,78 1.143.738,35 11.056.218,09 14.260.000,00

    Prefeitura Municipal de Borebi - SP - Relatrio Resumido da Execuo OramentriaDemonstrativo da Receita Corrente Lquida - Oramentos Fiscal e da Seguridade Social

    Novembro/2013 a Outubro/2014

    ESPECIFICAO

    EVOLUO DA RECEITA REALIZADA NOS LTIMOS 12 MESES

    RECEITAS CORRENTES (I)

    Receita Tributria

    RECEITA PATRIMONIAL

    RECEITA DE SERVIOS

    TRANSFERNCIAS CORRENTES

    OUTRAS RECEITAS CORRENTES

    RECEITA CORRENTE LQUIDA (I-II)

    MANOEL FRIAS FILHO CARLOS ROBERTO DE PAULA LIMA JOO DO CARMO VERONESI

    Prefeito Chefe do Setor de Finanas Contador

    A cpula da Segurana Pblica est diante de dados contraditrios. Enquanto os nmeros de roubos em geral cresceram 14% no Estado em outubro, cravando o 17. ms seguido de alta do ndice, os registros de roubos de carros, um crime com baixa subnoti-ficao, caram 11% em rela-o ao mesmo ms de 2013. Os dados mostram ainda um aumento dos homicdios na capital (3,7%) e uma queda no Estado (1,8%) no perodo.

    Os nmeros fazem parte do balano mensal da criminalida-de, divulgado esta semana pela Secretaria da Segurana Pblica. Embora o ritmo do crescimento dos roubos tenha diminudo durante o ano, a polcia no consegue fazer o nmero de registros voltar ao nvel de 2013. Entre os objetos mais roubados est o telefone celular.

    Durante o primeiro semes-tre, o mais comum dos crimes contra o patrimnio registrou recordes sucessivos no Esta-do. A partir de junho, a velo-cidade de crescimento desse tipo de crime diminuiu, mas havia voltado a crescer em setembro, quando registrou uma alta de 20% na capital e de 16,7% no Estado, em com-parao com o mesmo ms de 2013. A alta de outubro ficou em 19,6% na capital e em 14% no Estado.

    Roubos avanam no Estado pelo 17 ms seguido

    OperaesA principal aposta da pol-

    cia para combater esse delito veio da Polcia Militar: so operaes que visam a saturar com policiais regies com alta incidncia desse tipo de roubo. Alm disso, bloqueios em avenidas usadas como rota de fuga por ladres de carro tambm foram intensificados.

    A aprovao da Lei dos Des-manches apontada por inte-grantes da cpula da Segurana Pblica como um dos principais motivos para a continuidade na queda dos ndices de roubos de veculos. No Estado, esse tipo de crime caiu 11%. J o furto de veculos, outro crime contra o patrimnio, ficou estvel em outubro. Os registros tiveram um decrscimo de 1,2% no Estado.

    Nmero de mortos emassaltos cresce

    O nmero de pessoas mor-tas durante tentativas de assal-to cresceu 20,7% no Estado de So Paulo no ms passado, na comparao com outubro do ano passado. Foram 35 vtimas de latrocnio (assalto com o assassinato da vtima), contra 29 em 2013.

    O total de homicdios co-metidos em outras situaes caiu no Estado. Foram 384 casos em todo o Estado, ante 391 registrados em outubro de 2013.

    Na semana em que se lembra o Dia Internacional da No--violncia contra a Mulher, 25 de novembro, dados oficiais mostram que as principais vti-mas de violncia domstica em Lenis Paulista so mulheres, na faixa entre 19 e 59 anos. Nmeros da diretoria de Sade apontam reduo nas notifi-caes deste tipo de violncia relatadas pasta, geralmente atravs de agentes comunit-rios. Este ano, at setembro, foram registrados 20 casos de mulheres vtimas de violncia domstica.

    O perfil da violncia doms-tica no municpio segue um padro do pas. As notificaes de violncia em Lenis Paulis-ta demonstram uma estatstica que tambm tem sido apontada em vrios outros estudos re-alizados em outros locais do Brasil. Estes ltimos tambm revelam que o tipo de violncia mais frequente contra a mulher o da violncia domstica, que consiste em qualquer ao ou omisso que cause mu-lher morte, leso, sofrimento fsico, sexual ou psicolgico e dano moral ou patrimonial no espao da casa, da famlia ou em qualquer relao ntima de afeto, no qual o agressor conviva ou tenha convivido com a ofendida. Enquanto os homens tendem a ser vtimas de uma violncia no espao pblico, as mulheres sofrem esse fenmeno dentro de seus prprios lares, na grande parte praticados por seus com-panheiros e ex-companheiros, avalia Fabiana Zuin, psicloga da Rede de Atendimento Integral a Sade da Mulher Rais Mulher.

    Segundo os mesmos dados, o agressor costuma ser o par-ceiro ou ex-parceiro, e o perfil da violncia continuado, j que a maior parte das vtimas relatam no ter sido a primeira vez que foram vtimas deste tipo de agresso. A relao com consumo abusivo de bebidas

    alcolicas tambm comum.

    QuedaOs mesmos dados mostram

    queda nas notificaes nos ltimos trs anos. A reduo registrada incluindo registros que envolvem homens, mulhe-res e crianas. Foram 137 noti-ficaes em 2012, 62 em 2013 e 24 at setembro de 2014. Em notificaes envolvendo apenas mulheres, os nmeros foram 47 casos em 2013, e 95 em 2012, contra os 20 registrados at setembro deste ano.

    Segundo a avaliao da psi-cloga Fabiana Zuin, impor-tante saber o que violncia domstica, como forma de combat-la. Muitas vezes a vtima no conta o que est acontecendo por sentir medo, vergonha, culpa, ter esperana que a situao possa mudar; de-pendncia econmica e afetiva do companheiro, ou at mesmo por pensar que o problema que est enfrentando no impor-tante e nem o considera como violncia. Num estudo reali-zado numa cidade de grande porte, o nmero de mulheres que responderam j ter sofrido violncia alguma vez na vida aumentou muito depois que foi esclarecido sobre todos os tipos de violncia que existem, explicou.

    Qualquer pessoa que se sentir vtima de violncia domsti-ca em Lenis Paulista pode procurar unidades de sade, programas da Vigilncia Epi-demiolgica - como Servio Ambulatorial Especializado e Centro de Testagem e Acon-selhamento - alm de Pronto--Socorro, Ambulatrio de Sade Mental e Hospital Dia Vereador Nicanor Pereira de Godoy, Polcias Civil e Militar, Poder Judicirio, Assistncia Social e entidades da sociedade civil, como o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher ([email protected]).

    Lenis: mulher principal vtima da violncia domstica

  • GERAL 5LENIS PAULISTA, 29 DE NOVEMBRO DE 2014

    ADMINISTRAO

    Fotos: Billy Mao

    Tnia Morbi Foi anunciada na tera-

    -feira, dia 25, a implantao de uma nova empresa em Lenis Paulista, a Fibra Re-sist Celulose Eco Friendly, que ir atuar no setor sucro-energtico e dever gerar 44 vagas diretas de empregos, para um investimento de R$ 21 milhes. A prefeita Izabel Lorenzetti e o empresrio Antnio Cesar Merenda, que representa a holding da qual a empresa faz parte, assinaram durante coletiva imprensa um termo de compromisso para implantao do novo empreendimento, em uma rea no distrito industrial de 30 mil m2, adquirida pela empresa. A previso de que ela inicie suas atividades no ano que vem.

    O anncio foi feito oficial-

    Nova empresa do setor sucroenergticocompe holding de forte atuao imobiliriaCom investimentos anunciados superiores a R$ 20 milhes, empresa deve se instalar em rea de 30 mil metros quadrados paraproduzir pasta base para fabricao de papel e gerar 40 empregos diretos nos prximos anos

    mente junto a representantes do grupo empresarial, do Conselho Municipal de De-senvolvimento e do diretor de Desenvolvimento Altair Toniollo. A Fibra Resist se apresenta como uma empresa que ir produzir pasta mecni-ca celulsica, a partir da palha da cana de acar. A pasta me-cnica base para a produo de uma linha especfica de papel, como na produo de embalagens, mas que tambm pode ser usada na indstria moveleira e caladista, e na construo civil.

    Segundo a empresa, o pro-jeto de utilizao da palha da cana para produo da pasta vem sendo desenvol-vido a mais de 10 anos e possui acompanhamento da Secretaria Estadual de Meio Ambiente

    Porm, as negociaes para instalao da empresa em Lenis Paulista comearam a cerca de um ano, de acordo com a Prefeitura.

    Para tanto, como o munic-pio no fez a doao de rea para a empresa, j que no havia nenhuma de tamanho

    adequado disponvel no dis-trito, a Prefeitura incrementou outros diversos incentivos, como isenes de impostos e taxas durante a fase de cons-truo das instalaes.

    A Fibra Resist pertence ao setor sucroenergtico, que enfrenta um dos momentos

    de maior dificuldade de sua histria, inclusive com o fe-chamento de diversas usinas. Porm, para o empresrio frente do empreendimento, o investimento representa uma oportunidade de crescer para-lelamente aos problemas do setor. Ns sentimos seguran-

    a em investir no municpio, disse Cesar Miranda.

    Segundo a empresa, a plan-ta de Lenis Paulista ser a primeira no pas a produzir este tipo de material tendo como base a palha da cana, mas que no ser utilizada apenas mo de obra especiali-zada, uma vez que o grupo se dispe a treinar e qualificar os futuros trabalhadores.

    O Grupo CEM Participa-es est sediado na cidade de Jaboticabal, uma holding que atua em vrios segmentos, com mais destaque para o setor imobilirio (shopping e empreendimento imobilirios, centros comerciais e bairros planejados), que deu origem ao grupo, segundo o site da empresa, em 1986. Mas, passa pelos setores de agronegcio (produo de soja e seringuei-ras) at a pesquisa industrial. Por isso, segundo Maria Cris-tina Moraes Merenda, res-ponsvel pela holding, outros investimentos nestes setores podem acontecer em Lenis Paulista, a partir da instalao da primeira empresa do grupo na cidade.

    Porque no doar parte do Imposto de Renda devido para que esses recursos fiquem em Lenis Paulista e sejam aplicados nos projetos desen-volvidos pelo Conselho Muni-cipal dos Direitos da Criana e do Adolescente? Esta a iniciativa que anualmente desenvolvida pelo Conselho em parceria com a diretoria de Assistncia e Promoo Social em dezembro.

    Este ano, at 30 de dezem-bro, Pessoas Jurdicas (em-presas) e Pessoas Fsicas, ao invs de pagar todo o imposto de renda devido ao Governo, podem doar parte dele para o Fundo Social dos Direitos da Criana e do Adolescente. Um folheto explicativo foi enviado para os escritrios de contabilidade e para os doa-dores regulares e a populao em geral.

    Pessoas fsicas podem doar at 6% do imposto devido. O valor definido com base no imposto pago no ano base 2014. J as empresas que declaram pelo lucro real po-dem doar at 1% do imposto devido. O pagamento feito

    Moradores do Jardim Prn-cipe reclamaram esta semana com a reportagem do jornal Sabado do Povo que a movi-mentao de mquinas pesadas e caminhes no bairro estaria causando incmodo. Uma oficina de manuteno e ser-vios de soldagem e mecnica na rua Jos Prncipe Penhafiel

    diretamente pelo contribuinte ou por seu escritrio de conta-bilidade, em qualquer agncia ou seus correspondentes ban-crios de Lenis Paulista, em uma guia que pode ser adquirida na web site da Pre-feitura: www.lencoispaulista.sp.gov.br.

    Ao fazer a doao, os re-cursos possibilitaro a mais de 600 crianas e adolescentes lenoenses participar de pro-gramas e cursos de artesanato, bijuteria, teatro, msica, dana e desenho.

    A diretora de Assistncia e Promoo Social Elizabete Atansio explica que esta doa-o muito importante e ajuda a reforar os investimentos da sua pasta nos projetos volta-dos a crianas e adolescentes.

    Telma Gutierrez, presi-dente do CMDCA explica que os recursos oriundos das doaes tambm ajudam nas internaes compulsrias de crianas e adolescentes usu-rios de drogas. Ao fazer a contribuio, o lenoense est contribuindo diretamente para a melhoria de vida de muitas crianas e adolescentes, diz.

    Doaes de IR devem ser feitas em dezembro

    Moradores reclamam de movimentao de caminhes e mquinas em bairro

    estaria utilizando a rua e a cal-ada como ptio de trabalho e desagradando vizinhos.

    Para moradores, alm de danificar o asfalto da via, so constantes as manobras de veculos pesados e carretas no local. A redao do Sabado entrou em contato com o pro-prietrio Ademilson Galdino

    para saber dele a situao e teve a informao de que a oficina est de mudana para o Distrito Empresarial.

    Sei que a oficina aqui aca-ba causando transtornos mas, quando fizemos o barraco no haviam residncias aqui. Hoje, a situao diferente. Me sinto mal em perceber que estou causando esse infortnio e peo aos vizinhos que te-nham um pouquinho mais de pacincia, pois sairemos logo. J coloquei venda o barrao e vamos para o Distrito mes-mo sem o barraco de l estar pronto, contou por telefone.

    Toda a extenso da rua necessita de recapeamento asfltico, porm, informa-es extraoficiais apontam que no h espectativa de recape da via.

    Carros abandonadosNa mesma rua outro proble-

    ma foi apontado por morado-res. Um veculo de passeio, modelo Gol estaria abando-nado na via. Um morador apontou que o veculo serviria como ponto de foco de mos-quitos e pernilongos devido a

    gua acumulada em seu inte-rior e outras partes do carro.

    Tambm abandonado, um veculo modelo Braslia est colocando em risco outros veculos e at crianas que possam passar pela rua Teo-doro de Souza, esquina com a Dom Pedro I, na Vila Capoani.

    A Braslia, segundo in-formao de um morador, estaria abandonada j h mais de trs meses. O veculo estaria servindo de foco de criao de insetos. O carro, com placas de Pederneiras, est sendo desmanchado aos poucos na via.

    O local em que o veculo foi deixado coloca em risco outros carros e motoristas que passam por ali. Muito prximo esquina, o veculo j estaria servindo de quarto para pernoite de andarilhos.

    O morador informou que j ligou em vrios setores da Prefeitura Municipal para que o veculo fosse retirado, porm, at o fechamento da edio os dois carros citados continuavam nos mesmos lugares causando incmodos aos moradores.

    Tnia MorbiA Prefeitura de Lenis Pau-

    lista terceirizou a manuteno da rede de energia eltrica do municpio. A licitao, que definiu a empresa que ir prestar o servio durante o ano de 2015, ao custo de R$ 756 mil, foi aberta na quarta-feira, dia 26. Com isso, a Prefeitura adia a discusso local sobre o reajuste da CIP (Contribuio de Iluminao Pblica) e de um financiamento de mais de R$ 2 milhes que pretende fazer junto ao Governo Estadual, cujos projetos tramitam na C-mara, at que se confirme em definitivo se caber ao munic-pio arcar com a manuteno a partir do ano que vem.

    A deciso pela terceirizao temporria foi tomada, segun-do o diretor de Tecnologia da Informao Eder Paccola

    Prefeitura terceiriza iluminao pblica para 2015Licitao foi aberta esta semana e indicou empresa que far o servio, mas administrao vai insistir no reajuste da CIP

    Santa Brbara, depois da apre-sentao que ele fez na Cmara dos Vereadores, no dia 10 de novembro, a cerca de 15 dias. Na ocasio, o diretor adiantou que a sada de emergncia para

    o impasse, segundo ele, gerado pela no aprovao do reajuste da CIP pelos vereadores, deve-ria ser a terceirizao tempor-ria do servio. Inicialmente, o prazo seria de seis meses, mas

    esta semana Eder afirmou que com prazo maior a Prefeitura conseguiria reduzir o custo do servio.

    O valor fechado na licitao ficou acima do que o previsto pela administrao como ne-cessrio para que ela prpria fizesse a manuteno do par-que de iluminao pblica, num total de cerca de R$ 660 mil anuais.

    A diferena considerada pequena pelo diretor de TI foi possvel porque a Prefeitura ficar responsvel pela gesto do sistema, ou seja, a diretoria de Tecnologia ser responsvel por receber a comunicao de problemas e falhas na rede de todo municpio e encaminhar a informao empresa que ser responsvel pelo reparo.

    Para isso, segundo Eder, um sistema prprio vai disponibi-

    lizar canais de comunicao com a populao, atravs de um telefone especfico e da internet. O novo sistema, que j vem sendo desenvolvido, deve ser disponibilizado a partir do dia 1 de janeiro, quando a empresa assume a manuteno. As equipes da diretoria de TI tambm faro ronda pela ci-dade para identificar possveis problemas, de acordo com o diretor.

    Sem onerarEmbora a manuteno do

    servio esteja garantida, Eder diz que a Prefeitura vai insistir na aprovao na Cmara, o mais rpido possvel, dos dois projetos de aumento da CIP e da autorizao do financia-mento, uma vez que durante o prximo ano a administrao espera treinar suas prprias equipes e adquirir veculos e

    equipamentos para assumir o servio em 2016.

    Os projetos foram adiados a pedido do vereador Jos Santa-na (PSDB), o Dod, depois de cogitada a possibilidade de rea-juste compulsrio da CIP, caso a proposta de aumento fosse rejeitada em plenrio, atravs de decreto do Executivo. Na sesso em que foi adiado o pro-jeto, Nardeli da Silva (Pros), Ailton Tip (PV), Anderson Prado (PV) e Jonadabe de Souza (SDD) se pronunciaram contrrios s propostas. Para eles, a Prefeitura deveria fazer esta manuteno com os recur-sos financeiros que j dispe, decorrentes da cobrana que j feita pela CIP, sem onerar ainda mais os consumidores.

    A expectativa de que os pro-jetos estejam na pauta da sesso da prxima segunda-feira.

    POSTE | Funcionrio da CPFL faz manuteno na rede em Lenis

    NOVA | rea ao lado da empresa Linial, no Distrito Empresarial dever abrigar indstria de celulose de palha de cana

    SADA | Oficina de manuteno de veculos pesados est de sada do bairro e ir para o Distrito Empresarial no incio de 2015

  • BOREBI6LENIS PAULISTA, 29 DE NOVEMBRO DE 2014

    Confiana nodesistiu de lojaem Lenis

    NO PROJETO | rea prxima ao Lago

    PREVISO PREVISO SALDO

    INICIAL ATUALIZADA No Bimestre % At o Bimestre %

    (a) (b) (b/a) (c) (c/a) (a-c)

    15.522.000,00 15.522.000,00 2.220.825,13 14,31 12.535.311,43 80,76 2.986.688,57

    14.260.000,00 14.260.000,00 2.220.825,13 15,57 11.439.070,60 80,22 2.820.929,40

    553.001,00 553.001,00 101.591,42 18,37 500.701,67 90,54 52.299,33

    Impostos 461.001,00 461.001,00 100.790,30 21,86 483.886,66 104,96 -22.885,66

    Taxas 92.000,00 92.000,00 801,12 0,87 16.815,01 18,28 75.184,99

    116.500,00 116.500,00 14.696,41 12,61 78.968,23 67,78 37.531,77

    RECEITAS IMOBILIRIAS 1.000,00 1.000,00 - - - - 1.000,00

    RECEITAS DE VALORES MOBILIRIOS 115.500,00 115.500,00 14.696,41 12,72 78.968,23 68,37 36.531,77

    77.000,00 77.000,00 19.068,11 24,76 111.063,69 144,24 -34.063,69

    13.396.619,00 13.396.619,00 2.076.734,38 15,50 10.674.908,27 79,68 2.721.710,73

    TRANSFERNCIAS INTERGOVERNAMENTAIS 13.373.619,00 13.373.619,00 2.016.590,20 15,08 10.467.388,84 78,27 2.906.230,16

    TRANSFERNCIAS DE CONVNIOS 23.000,00 23.000,00 60.144,18 261,50 207.519,43 902,26 -184.519,43

    116.880,00 116.880,00 8.734,81 7,47 73.428,74 62,82 43.451,26

    MULTAS E JUROS DE MORA 6.500,00 6.500,00 1.627,74 25,04 19.595,35 301,47 -13.095,35

    INDENIZAES E RESTITUIES 200,00 200,00 - - 11.769,20 5.884,60 -11.569,20

    RECEITA DA DVIDA ATIVA 29.980,00 29.980,00 595,24 1,99 9.746,25 32,51 20.233,75

    RECEITAS CORRENTES DIVERSAS 80.200,00 80.200,00 6.511,83 8,12 32.317,94 40,30 47.882,06

    1.262.000,00 1.262.000,00 - - 1.096.240,83 86,87 165.759,17

    50.000,00 50.000,00 - - - - 50.000,00

    ALIENAO DE BENS MVEIS 50.000,00 50.000,00 - - - - 50.000,00

    1.212.000,00 1.212.000,00 - - 1.096.240,83 90,45 115.759,17

    TRANSFERNCIAS INTERGOVERNAMENTAIS - - - - 129.600,00 - -129.600,00

    TRANSFERNCIAS DE CONVNIOS 1.212.000,00 1.212.000,00 - - 966.640,83 79,76 245.359,17

    - - - - - - -

    15.522.000,00 15.522.000,00 2.220.825,13 14,31 12.535.311,43 80,76 2.986.688,57

    PREVISO PREVISO SALDO

    INICIAL ATUALIZADA No Bimestre % At o Bimestre %

    (a) (b) (b/a) (c) (c/a) (a-c)

    15.522.000,00 15.522.000,00 2.220.825,13 14,31 12.535.311,43 80,76 2.986.688,57

    - - - - 267.530,75 - -

    15.522.000,00 15.522.000,00 2.220.825,13 14,31 12.802.842,18 82,48 2.719.157,82

    DOTAO CRDITOS DOTAO SALDO

    INICIAL ADICIONAIS ATUALIZADA No Bimestre At o Bimestre No Bimestre At o Bimestre %

    (d) (e) (f)=(d+e) (g) (g/f) (f-g)

    14.912.000,00 2.053.782,89 16.965.782,89 2.477.084,39 14.291.434,05 2.713.101,51 12.802.842,18 75,46 4.162.940,71

    12.983.000,00 2.021.570,89 15.004.570,89 2.207.786,42 12.566.322,55 2.576.374,60 11.562.040,31 77,06 3.442.530,58

    7.439.900,00 -185.440,00 7.254.460,00 1.404.241,19 6.070.250,21 1.404.241,19 6.068.500,21 83,65 1.185.959,79

    330.000,00 -9.200,00 320.800,00 853,23 304.303,23 853,23 304.303,23 94,86 16.496,77

    5.213.100,00 2.216.210,89 7.429.310,89 802.692,00 6.191.769,11 1.171.280,18 5.189.236,87 69,85 2.240.074,02

    1.929.000,00 32.212,00 1.961.212,00 269.297,97 1.725.111,50 136.726,91 1.240.801,87 63,27 720.410,13

    1.879.000,00 32.212,00 1.911.212,00 269.297,97 1.675.760,60 128.813,51 1.201.594,87 62,87 709.617,13

    50.000,00 - 50.000,00 - 49.350,90 7.913,40 39.207,00 78,41 10.793,00

    - - - - - - - - -

    14.912.000,00 2.053.782,89 16.965.782,89 2.477.084,39 14.291.434,05 2.713.101,51 12.802.842,18 75,46 4.162.940,71

    14.912.000,00 2.053.782,89 16.965.782,89 2.477.084,39 14.291.434,05 2.713.101,51 12.802.842,18 75,46 4.162.940,71

    - - - - - - - - -

    14.912.000,00 2.053.782,89 16.965.782,89 2.477.084,39 14.291.434,05 2.713.101,51 12.802.842,18 75,46 4.162.940,71

    RECEITA PATRIMONIAL

    Prefeitura Municipal de Borebi-SP - Relatrio Resumido da Execuo OramentriaBalano Oramentrio - 5 Bimestre

    Oramentos Fiscal e da Seguridade SocialJaneiro a Outubro 2014/Bimestre Setembro-Outubro

    RECEITAS REALIZADAS

    RECEITAS

    RECEITAS (EXCETO INTRA-ORAMENTRIAS)(I)

    Receitas Correntes

    Receita Tributria

    RECEITAS (INTRA-ORAMENTRIAS)(II)

    SUBTOTAL DAS RECEITAS(III)=(I+II)

    RECEITAS REALIZADAS

    RECEITAS

    RECEITA DE SERVIOS

    TRANSFERNCIAS CORRENTES

    OUTRAS RECEITAS CORRENTES

    RECEITAS DE CAPITAL

    ALIENAO DE BENS

    TRANSFERNCIAS DE CAPITAL

    DESPESAS

    DESPESAS EMPENHADAS DESPESAS LIQUIDADAS

    DESPESAS (EXCETO INTRA-ORAMENTRIAS)(VIII)

    SUBTOTAL COM REFINANCIAMENTO(V)=(III+IV)

    DFICIT(VI)

    TOTAL(VII)=(V+VI)

    AMORTIZAO / REFINANCIAMENTO DA DVIDA

    DESPESAS (INTRA-ORAMENTRIAS)(IX)

    SUBTOTAL DAS DESPESAS(X)(VIII+IX)

    DESPESAS CORRENTES

    PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS

    JUROS E ENCARGOS DA DVIDA

    OUTRAS DESPESAS CORRENTES

    DESPESAS DE CAPITAL

    INVESTIMENTOS

    JOO DO CARMO VERONESI

    Prefeito Chefe do Setor de Finanas Contador

    SUBTOTAL C/ REFINANCIAMENTO(XII)=(X+XI)

    SUPERVIT(XIII)

    TOTAL(XIV)=(XII+XIII)

    MANOEL FRIAS FILHO CARLOS ROBERTO DE PAULA LIMA

    Dotao Dotao Saldo

    Inicial Atualizada No Bimestre At o Bimestre No Bimestre At o Bimestre % %

    (a) (b) (b/Total b) (b/a) (a-b)

    DESPESAS(EXCETO INTRA-ORAMENTRIAS)(I) 14.912.000,00 16.965.782,89 2.477.084,39 14.291.434,05 2.713.101,51 12.802.842,18 100,00 75,46 4.162.940,71

    3.130.000,00 2.971.879,84 313.299,31 2.668.333,33 428.119,02 2.417.161,25 18,88 81,33 554.718,59

    Administrao Geral 1.730.000,00 1.352.579,04 184.423,69 1.273.889,56 235.823,46 1.153.350,76 9,01 85,27 199.228,28

    Administrao Financeira 1.380.000,00 1.618.300,80 128.875,62 1.394.163,77 192.295,56 1.263.530,49 9,87 78,08 354.770,31

    Tecnologia da Informao 20.000,00 1.000,00 0,00 280,00 0,00 280,00 0,00 28,00 720,00

    1.431.000,00 2.369.215,15 228.538,97 1.746.302,18 376.969,89 1.375.827,33 10,75 58,07 993.387,82

    Assistncia Criana e ao Adolescente 511.000,00 1.130.565,16 8.678,78 682.728,39 97.102,37 417.095,70 3,26 36,89 713.469,46

    Assistncia Comunitria 920.000,00 1.238.649,99 219.860,19 1.063.573,79 279.867,52 958.731,63 7,49 77,40 279.918,36

    704.000,00 704.000,00 92.741,02 634.600,97 132.736,44 605.969,65 4,73 86,08 98.030,35

    Previdncia Bsica 704.000,00 704.000,00 92.741,02 634.600,97 132.736,44 605.969,65 4,73 86,08 98.030,35

    3.150.000,00 4.137.870,00 637.440,58 3.748.490,75 741.681,16 3.395.466,34 26,52 82,06 742.403,66

    Assistncia Hospitalar e Ambulatorial 3.150.000,00 4.137.870,00 637.440,58 3.748.490,75 741.681,16 3.395.466,34 26,52 82,06 742.403,66

    4.345.000,00 4.688.480,92 914.324,51 3.915.726,66 706.131,55 3.578.476,78 27,95 76,32 1.110.004,14

    Ensino Fundamental 2.575.000,00 2.705.180,00 507.325,98 2.505.482,70 535.020,31 2.421.584,49 18,91 89,52 283.595,51

    Ensino Superior 170.000,00 193.000,00 47.949,92 181.976,32 45.393,92 174.837,16 1,37 90,59 18.162,84

    Educao Infantil 1.535.000,00 1.736.300,92 359.048,61 1.228.267,64 125.717,32 982.055,13 7,67 56,56 754.245,79

    Educao Especial 65.000,00 54.000,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 54.000,00

    982.000,00 1.097.892,98 165.001,99 827.865,41 177.448,21 713.743,86 5,57 65,01 384.149,12

    Infra-Estrutura Urbana 20.000,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00

    Servios Urbanos 962.000,00 1.097.892,98 165.001,99 827.865,41 177.448,21 713.743,86 5,57 65,01 384.149,12

    210.000,00 139.000,00 10.078,99 104.008,38 13.463,24 98.535,62 0,77 70,89 40.464,38

    Saneamento Bsico Urbano 210.000,00 139.000,00 10.078,99 104.008,38 13.463,24 98.535,62 0,77 70,89 40.464,38

    615.000,00 565.600,00 91.003,92 438.277,70 100.401,92 431.534,30 3,37 76,30 134.065,70

    Preservao e Conservao Ambiental 615.000,00 565.600,00 91.003,92 438.277,70 100.401,92 431.534,30 3,37 76,30 134.065,70

    10.000,00 5.000,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 5.000,00

    Transporte Rodovirio 10.000,00 5.000,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 5.000,00

    335.000,00 286.844,00 24.655,10 207.828,67 36.150,08 186.127,05 1,45 64,89 100.716,95

    Desporto Comunitrio 335.000,00 286.844,00 24.655,10 207.828,67 36.150,08 186.127,05 1,45 64,89 100.716,95

    DESPESAS INTRA-ORAMENTRIAS (II) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00

    14.912.000,00 16.965.782,89 2.477.084,39 14.291.434,05 2.713.101,51 12.802.842,18 100,00 75,46 4.162.940,71

    Prefeitura Municipal de Borebi - SPRelatrio Resumido de Execuo Oramentria

    Demonstrativo da Execuo das Despesas por Funo/SubfunoOramento Fiscal e da Seguridade Social - Janeiro a Outubro 2014/Bimestre Setembro - Outubro

    Transporte

    Despesas Empenhadas Despesas Liquidadas

    FUNO/SUBFUNO

    Administrao

    Assistncia Social

    Previdncia Social

    Sade

    Educao

    Urbanismo

    Saneamento

    Gesto Ambiental

    Prefeito Chefe do Setor de Finanas Contador

    Desporto e Lazer

    TOTAL (III)=(I+II)

    MANOEL FRIAS FILHO CARLOS ROBERTO DE PAULA LIMA JOO DO CARMO VERONESI

    Em Exerccios Em 31 de Em Exerccios Em 31 de

    Anteriores dezembro de 2013 Anteriores dezembro de 2013

    RESTOS A PAGAR(EXCETO INTRA-ORAMENTRIOS)(I)

    EXECUTIVO

    PODER EXECUTIVO 9.003,84 545.454,09 545.841,94 - 8.615,99 - - - - - -

    SUBTOTAL 9.003,84 545.454,09 545.841,94 - 8.615,99 - - - - - -

    LEGISLATIVO

    CAMARA MUNICIPAL - - - - - - - - - - -

    SUBTOTAL - - - - - - - - - - -

    TOTAL(I) 9.003,84 545.454,09 545.841,94 - 8.615,99 - - - - - -

    Pagos Cancelados

    Prefeitura Municipal de Borebi - SPRelatrio Resumido da Execuo Oramentria

    Demonstrativo dos Restos a Pagar por Poder e rgoOramentos Fiscal e da Seguridade Social

    Janeiro a Outubro 2014/Bimestre Setembro-Outubro

    Prefeito Chefe do Setor de Finanas Contador

    Saldo

    Inscritos Inscritos

    MANOEL FRIAS FILHO CARLOS ROBERTO DE PAULA LIMA JOO DO CARMO VERONESI

    PODER/RGO

    RESTOS A PAGAR PROCESSADOS E NO PROCESSADOS LIQUIDADOS RESTOS A PAGAR NO PROCESSADOS

    Pagos Cancelados Saldo Liquidados

    No dia 1de dezembro, comemora-se o Dia Mundial

    de Luta Contra a Aids, e este ano a campanha da diretoria de Sade ter foco especfico nas manicures. Alm disso, entre os dias 1 e 5, perodo conhecido como semana do Fique Sabendo, todas as uni-dades de sade ficaro abertas at s 19h para a realizao do teste rpido, para diagnstico de HIV e sfilis.

    Ainda no dia 1 de dezem-bro, diversas unidades de sade realizam palestra com as manicures. O tema HIV/Hepatites/micoses como se prevenir.

    As profissionais interes-sadas na capacitao podem procurar a unidade mais pr-xima. O evento ser s 16h e acontecer simultaneamente na ESF Naes, ESF Vila Cruzeiro, RAIS Mulher, ESF Maria Cristina, ESF Monte Azul e ESF Caju.

    Unidades faro planto na semana Fique Sabendo

    O cronograma do mutiro de limpeza promovido pela diretoria de Sade e de Meio Ambiente sofreu alguns atra-sos devido grande demanda pelo servio e tambm chu-va. A previso que a coleta siga at o dia 17 de dezembro. No ms de dezembro a direto-ria de Sade inicia a campanha 10 minutos contra a dengue, com objetivo de explicar para a populao que com um che-cklist (que ser distribudo de casa em casa) e 10 minutos por semana possvel verifi-car se existem criadouros do mosquito.

    O projeto comea com as visitas domiciliares dos agen-tes. A partir de fevereiro ser aplicado tambm nas escolas municipais. Em maro, os

    agentes realizaro visitas em empresas.

    O mutiro acontece nos bairros Jardim Village, Bela Vista I e II, Parque Antrtica, Distrito Industrial I, Jardim Humait (02/12); Vila Maestra Amlia, Centro, Vila Marim-bondo (03/12); Vila Contente, Vila Baccili, Jardim So Joo, Jardim Neli (04/12); Jardim. Alvorada, Jardim. Cruzeiro, Parque. Elizabeth (09/12); Santa Cecilia, Virglio Capo-ani, Jardim Morumbi (10/12); Jardim Ip, Jardim. Granville, Jardim Ubirama (11/12); Par-que Rondon, Jardim. Am-rica, Ncleo Hab. Luiz Zillo (16/12); Conjunto Maestro Jlio Ferrari, Jd. Nova Len-is, Jardim Naes, Jd. Maria Luiza IV (17/12).

    Alterado cronograma do mutiro de limpeza

    A Rede Confiana de Su-permercados adquiriu no ano passado uma rea ao lado do Parque do Povo e Jardim Europa, para a construo de mais uma loja da rede. Esta semana, devido a inexistn-cia de uma placa indicativa, da rea do supermercado, correu um boato de que o empresrio Jad Zogheib, diretor-presidente da Rede Confiana de Supermercados, teria desistido do investimento na cidade.

    O jornal Sabado do Povo entrou em contato com super-visores e com a agncia que cuida dos negcios da rede e confirmou que existe, de fato, um plano de expanso das lojas.

    Alm de Lenis Paulista, Botucatu e Pederneiras est

    neste projeto sendo que na vizinha cidade de Pederneiras, a loja j foi inaugurada.

    A nota, repassada pela asses-soria de imprensa do Confiana Supermercados informa que dentro de um plano de ex-panso regional, a rede prev a construo de uma unidade na cidade de Lenis Paulista, porm sem data prevista.

    Por telefone foi possvel apurar que a rede de supermer-cados acreditava que o terreno estivesse sinalizado com a futura instalao.

    Como mostra a foto acima, apenas outdoors de empresas lenoenses esto sendo divul-gadas. Na rede de relaciona-mentos, Facebook chegou a ser comentado que a rede de supermercados teria desistido de construir na cidade

  • HORSCOPO/GERAL 7LENIS PAULISTA, 29 DE NOVEMBRO DE 2014

    HORSCOPO

    ARIE

    S

    TOUR

    O

    GEM

    EOS

    CANC

    R

    LEO

    VIRG

    EM

    LIBR

    A

    ESCO

    RPI

    O

    SARG

    ITRIO

    CAPR

    ICRN

    IO

    AQU

    RIO

    PEIX

    ESConhea gente nova e seja confiante na paquera. A dois, seja ousada, tome ini-ciativas e apimente o sexo. Hora de mostrar todo seu

    potencial. Invista em seus projetos. Di-nheiro: pesquise novas formas de lucrar. Os astros vo deix-la ainda mais exigen-te. Controle a impacincia e a franqueza. Fale com jeitinho.

    Puxe papo e seja espon-tnea na paquera. A dois, converse mais e declare seu amor. A paixo vai esquen-tar. Invista no dilogo, faa

    contatos e aumente a clientela. Dinheiro: pode lucrar com um antigo projeto. Pode receber ajuda e dicas valiosas de paren-tes para a carreira. Mostre o quanto valo-riza a sua famlia.

    Paixo secreta vai mexer com voc: avalie. Drible di-ferenas a dois, sem criticar. Conte suas fantasias. Defina prioridades e aja com discri-

    o. Mostre que confivel e guarde se-gredos. Dinheiro: seja realista. Vai sentir mais cumplicidade com a famlia. Reforce a amizade e confiana. Controle o apego e o cime.

    Vai querer segurana. Bus-que quem quer algo srio. Na unio, cuide do que seu, mas controle o cime. Se liga nas oportunidades. Algum

    influente pode ajudar. Dinheiro: s invista em negcios seguros. Reserve mais tempo para curtir o lar e a famlia. Mas deixe as diferenas de lado e no seja possessiva.

    Atrao proibida ou por amigo pode aumentar. Na unio, afaste a insegurana. Realize fantasias no sexo. Defina metas e corra atrs.

    Trabalho em equipe ser favorecido. Di-nheiro: pense em algo criativo e original. Mostre seu carinho e no exija tanto dos parentes. Um pouco de diverso far bem. Que tal uma viagem?

    Passeio diferente pode render paquera. Pode dar um passo mais srio no romance. Va-lorize as afinidades. Aguar-de mudanas. Faa cursos e

    troque ideias com colegas. Dinheiro: pode negociar um amento, mostre servio. Cli-ma leve e descontrado em casa. Pode rever algum. Mostre seu carinho, sem exigir de-mais dos parentes.

    Voc est sedutora, no per-ca a chance de conquistar. Romance ardente. Sair da rotina far bem ao casal. Si-nal de imprevistos. Empe-nhe-se e siga sua intuio.

    Dinheiro: pode fazer um bico ou expan-dir um negcio. Mostre sua lealdade aos parentes. No seja exigente demais. Faa contato com algum que mora longe.

    Quem est livre vai querer compromisso. Lance recen-te pode ficar srio. A dois, fase slida e apaixonada. Sucesso em parcerias ou so-

    ciedade. Valorize a troca e ideias. Dinheiro: trabalho em equipe ser produtivo. Mo-mentos divertidos em casa. Contagie todos com seu entusiasmo. A famlia pode apoiar seus projetos.

    Seu charme irresistvel vai agitar a paquera. Vai que-rer algo srio. Unio firme e forte. Desejos ardentes. Ter nimo e maturidade para encarar qualquer tare-

    fa. Dinheiro: Una-se aos colegas e vena a concorrncia. Voc poder fazer mudanas importantes em casa e na relao com pa-rentes. S pegue leve nas cobranas.

    Mais charmosa e atraente, vai dar show na paquera. Atra-o por colega. Romantismo e diverso a dois. Vai esban-jar disposio e bom humor. Faa contatos e troque ideias.

    Dinheiro: sorte em jogos e sorteios. Vai que-rer passar mais tempo em casa, ao lado dos parentes. Dilogo favorecido, acerte as dife-renas.

    Pode pintar atrao por amigo. A unio ganha mais companheirismo: faam planos. Realize fantasias no sexo. Mostre que respon-

    svel, quer aprender e crescer. Conte com colegas. Dinheiro: fature com ideias cria-tivas. Compartilhe seus sonhos e projetos com parentes. Controle a impacincia e respeite as diferenas, ok?

    A paquera vai animar aos poucos. Pode iniciar um romance. A dois, carinho e aconchego. Apoie quem ama. Sucesso em reunies e entrevistas. Use seu ca-

    risma. Dinheiro: pode faturar com algo que faz como hobby. Parentes daro apoio para o que voc precisar. Oua conselhos de al-gum mais experiente. Curta seu lar.

    Receitaspara voc!Chef Paulo Campanholi

    MODO DE PREPARO:1. Coloque leo numa panela de presso e doure a su. Jun-te a cebola, o alho amassado, o louro, o suco de limo, o vinagre, o sal e a pimenta. Re-fogue bem e junte gua quen-te suficiente para cozinhar a carne. Tampe a panela de presso e cozinhe por cerca de 30 min e reserve o liquido do cozimento.

    2. Em uma panela refogue o arroz, junte a su e refogue mais um pouco. . Acrescente o lquido do cozimento da su e mais gua caso necessrio

    ARROZ COM SU DE PORCO

    NO AR | Chamin espalha fumaa no distrito; proprietrio informa que est buscando adequar empresa a Lei Ambiental

    ingredientes:

    para cozinhar e secar o arroz. Ajuste os temperos. Bom apetite!!

    Em 31/Dez/2013 Em 31/Ago/2014 Em 31/Out/2014

    (a) (b) (c)

    245.347,30 214.053,70 214.053,70

    829.272,78 769.919,23 164.056,35

    Disponibilidade de Caixa Bruta 1.383.730,71 1.677.825,95 1.102.982,61

    Demais Haveres Financeiros - - -

    (-)Restos a Pagar Processados (Exceto Precatrios) 554.457,93 907.906,72 938.926,26

    -583.925,48 -555.865,53 49.997,35

    - - -

    - - -

    -583.925,48 -555.865,53 49.997,35

    At o Bimestre

    (c-a)

    633.922,83

    VALOR CORRENTE

    349.500,00

    Prefeitura Municipal de Borebi - SPRelatrio Resumido da Execuo Oramentria

    Demonstrativo do Resultado NominalOramentos Fiscal e da Seguridade Social

    Janeiro a Outubro 2014/Bimestre Setembro-Outubro

    DVIDA FISCAL LQUIDA

    SALDO

    DVIDA CONSOLIDADA (I)

    DEDUES(II)

    DVIDA CONSOLIDADA LQUIDA(III)=(I-II)

    RECEITA DE PRIVATIZAES(IV)

    PASSIVOS RECONHECIDOS(V)

    DVIDA FISCAL LQUIDA(VI)=(III+IV-V)

    RESULTADO NOMINAL

    PERODO DE REFERNCIA

    No Bimestre

    (c-b)

    Contador

    VALOR 605.862,88

    DISCRIMINAO DA META FISCAL

    META DE RESULTADO NOMINAL FIXADA NO ANEXO DE METAS FISCAIS

    DA LDO P/O EXERCCIO DE REFERNCIA

    MANOEL FRIAS FILHO CARLOS ROBERTO DE PAULA LIMA

    Prefeito Chefe do Setor de Finanas

    JOO DO CARMO VERONESI

    Empresa de adubo orgnico motivo dereclamaes no Distrito Empresarial

    Depois de diversas re-clamaes de empresrios instalados prximos a uma empresa que produz adubo orgnico, em uma rea do

    Distrito Empresarial de Len-is Paulista, o proprietrio da empresa afirmou esta semana ao jornal Sabado do Povo que deve concluir at janeiro os investimentos necessrios para acabar com os proble-mas decorrentes da produo, como a fumaa e a fuligem geradas pelo processo.

    Segundo as reclamaes de outros empresrios, o in-cmodo aumenta em poca de chuva, quando as nuvens ficam mais densas e baixas, dificultando a dissipao da fumaa que se espalha por uma boa regio do distrito.

    Um empresrio prximo contou que alm da fumaa que invade os estabelecimen-tos, existe a infiltrao de cho-rume produzido no processo e que estaria infiltrando no solo chegando at as empresas.

    Os empresrios afirmam que j tiveram prejuzos por terem que recuperar a pintu-ra de veculos, danificados devido impregnao da fuligem. Um veculo de uma das empresas vizinhas preci-sou passar por um polimento profundo para retirar a fuli-gem grudada na lataria. Outro veculo est completamente salpicado de fuligem (foto)

    Em uma garagem instalada ao lado da indstria de adubo o servio dobrado. Para os funcionrios que cuidam da manuteno e limpeza dos veculos, o cheiro forte de fumaa e a fuligem que fica nos veculos, do uma mo de obra extra.

    Outro lado

    Empresa incomoda, mas diz seguirorientaes daCetesb

    O proprietrio Daltro Man-zini afirmou que desde que adquiriu a empresa produtora de adubo, em janeiro deste ano, j fez investimentos na colocao de lavadores de gases e exaustores que reduzi-ram, segundo ele, a produo da fuligem, e que j absor-vem parte da fumaa. Mas, a terceira e mais importante etapa dos investimentos a instalao de trocadores de calor que iro garantir maior condensao dos gases, evi-tando a gerao de fumaa. A chamin tambm deve ser ampliada, de acordo com o empresrio.

    Neste processo, o empres-rio afirma que da fumaa ser retirado o cido pirolenhoso, usado como incremento na produo de fertilizantes. O que era um problema, vai virar produto que ir agregar valor empresa. A estimativa do empresrio que os trocado-res de calor fiquem prontos em dezembro e sejam instalados em janeiro de 2015, quando espera solucionar de vez o problema.

    CetesbSegundo o diretor de De-

    senvolvimento e Renda, Altair Toniollo, a empresa possui to-das as licenas ambientais ne-cessrias para atuar. A Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental) foi acionada pela diretoria de Meio Ambiente e esteve na empresa para nova fiscaliza-o. Segundo o proprietrio, ele conseguiu um prazo maior junto ao rgo estadual de fis-

    PREFEITURA MUNICIPAL DE BOREBI/SP

    HOMOLOGAO DE LICITAOFica homologado o resultado do Prego n 031/2014, que classi-

    ficou em 1 lugar (preos unitrios) para: item 01, vr. R$ 2,17 para Indstria e Comrcio de Produtos de Limpeza Macatuba Ltda. ME; item 02, vr. R$ 1,10 para Ademir Piscineli JEA ME, para registro de preos de copos descartveis, com todas as demais condies conforme Edital. Fica aberto o prazo de 05 (cinco) dias corridos a contar da data de publicao deste ato para que os vencedores assi-nem as Atas de Registro de Preos, sob pena de decarem do direito ao registro de preos, podendo ainda, sujeitarem-se s penalidades estabelecidas no Edital.

    Borebi, 26 de novembro de 2014. Manoel Frias Filho - Prefeito Municipal.

    EXTRATOS DE ATA DE REGISTRO DE PREOS Ata de Registro de Preos: Prego n 031/2014. Objeto: Registro

    de preos de copos descartveis. Vigncia: 12 meses. Assinatura: 26/11/2014. Contratada: Indstria e Comrcio de Produtos de Limpeza Macatuba Ltda. ME. Item 01, vr. R$ 2,17. Valor total da Ata: R$ 10.850,00.

    Ata de Registro de Preos: Prego n 031/2014. Objeto: Registro de preos de copos descartveis. Vigncia: 12 meses. Assinatura: 26/11/2014. Contratada: Ademir Piscineli JEA ME E. Item 02, vr. R$ 1,10. Valor total da Ata: R$ 3.300,00.

    500 GR - SU

    (vrtebra inferior do lombo do porco ou

    costelinha) em pedaos

    01 col. sopa - LEO DE MILHO

    01 - CEBOLA PICADA

    2 DENTES ALHO AMASSADO

    1 FOLHA LOURO

    01 col. sopa - SUCO DE LIMO

    01 col. sopa - vinagre de vinho branco

    quanto baste - sal

    qb - pimenta do reino

    01 xcara - ARROZ

    q.b. - GUA

  • LENIS PAULISTA, 29 DE NOVEMBRO DE 2014SUA IMAGEM8

    AvilapanAvilapanPRODUTOS DE PADARIAS E CONFEITARIASFERMENTO FRESCO LEVASAF

    Elson Avila

    (14) 99643.4517Rua Otaviano Brizola, 168 - Vila Mamedina _ Lenis Paulista - SP

    Fone: 14-3263.7300 - e-mail: [email protected]

    ACEITA-SE CARTES DE CRDITO

    PERCA O O MEDO

    DE

    DIRIGIR AINDA HOJE

    TORRES TREINAMENTOS

    LIGUE

    99651.2221

    HAMBURGUERIA PRIME - SUPERMERCADO TUP - PADARIA DOCE MANIA MIx - ART STAMPA - DIEGO PHOTO STUDIO

    loCais de Coleta:

    aPoio:

    no Fique Fora dessa, participe

    SEGURA - To completou 51 anos no dia 17 de novembro e comemorou com a famlia e os amigos servidores da Cmara Municipal. Parabns!

    GU - Em Borebi, Gustavo Mello comemorou seu ani-versrio ontem ao lado da namorada Priscila, dos fami-liares e da mezona coruja, Mrcia. Parabns!

    ESTRUTURAS METLICASA | PORTES | GRADES | ESCADAS | MANUTENES DIVERSAS

    VRIAS OPES DE PORTES PARA SUA

    RESIDNCIA

    REA AZUL, RUIDOS e BIKE-MOTOR - Uma reunio entre o Capito PM Bergamaschi, Silvia Gasparoto, Ulisses Francati e o advogado Jorge Langona da Prefeitura tratou da llei do silncio, licenciamento de bicicletas motorizadas e da maior fiscalizao por parte da PM da rea Azul, onde tem au-mentado o relato de infraes por no pagamento e condutas ofensivas contra os legionrios que trabalham no local.

    _GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack_GoBack