Sabadao 93

Click here to load reader

  • date post

    06-Apr-2016
  • Category

    Documents

  • view

    226
  • download

    0

Embed Size (px)

description

Jornal semanal com distribuição gratuita.

Transcript of Sabadao 93

  • Mxima: 29CMinina: 18C

    Mxima: 31CMinina: 19C

    HOJE AMANH

    Fonte: Climatempo

    29 DE NOVEMBRO DE 2014 - EDIO N 93 - ANO 3 - LENIS PAULISTA - CIRCULAO REGIONAL

    A

    DOE 1 LITRO DE LEITE INTEGRAL E

    GANHE 1 SQUEEZE!O LEITE ARREcADADO SER DOADO cASA AmORADA DE LENIS PAULISTA.

    A TROcA OcORRER APENAS NAFARmcIA HOmEOPTIcA

    DA AvENIDA PADRE SALSTIO.

    MatrizRua Anita Garibaldi, 650

    Centro - Lenis Paulista/SP(14) 3264-3340

    3263-3985

    FilialAv. Pe. Saltio R. Machado, 563

    Centro - Ao lado do Frum(14) 3264-8248

    Prefeitura terceiriza servio eltricomas vai brigar por aumento da CIP

    A Prefeitura de Lenis Paulista terceirizou a manuteno da rede de energia eltrica do mu-nicpio. A licitao, que definiu a empresa que ir prestar o servio durante o ano de 2015, ao custo de R$ 756 mil, foi aberta na quarta-feira, dia 26. Com isso, a Prefeitura adia a discusso local sobre o reajuste da CIP (Contribuio de Iluminao Pblica) e de um financiamento de mais de R$ 2 milhes que pretende fazer junto ao Governo Estadual, cujos projetos tramitam na Cmara, at que se confirme em definitivo se caber ao municpio arcar com a manuten-o a partir do ano que vem.

    A deciso pela terceirizao temporria foi tomada, segundo o diretor de Tecnologia da Informao der Paccola Santa Brbara, de-pois da apresentao que ele fez na Cmara dos Vereadores, no dia 10 de novembro, a cerca de 20 dias. Na ocasio, o diretor adiantou que a sada de emergncia para o impasse, segundo ele, gerado pela no aprovao do reajuste da CIP pelos vereadores, deveria ser a terceiri-zao temporria do servio. Inicialmente, o prazo seria de seis meses, mas esta semana der afirmou que com prazo maior a Prefei-tura conseguiria reduzir o custo do servio. Na pgina 5.

    Fotos: Billy Mao

    Empresa diz se adequar as Leis Ambientais atendendo Cetesb

    O jornal Sabado do Povo e o hospital Nossa Senho-ra da Piedade esclarecem que todas as doaes feitas ao hospital pela populao lenoense, atravs das di-versas formas possveis, so recebidas diretamente pela entidade, sem nenhuma in-

    terveno de qualquer rgo pblico. Atravs das contas do SAAE, a pessoa pode doar qualquer valor, que depois de cobrado na conta, ser repassado entidade.

    Pela Nota Fiscal Paulista, basta no incluir o CPF na nota na hora da compra e

    pedir que o cupom seja desti-nado ao hospital ou depositar nas caixas de coleta identifi-cadas. O doador pode ainda entrar em contato com o HNSP para fazer as doaes, pelo telefone (14) 3269-1039 (com Tatiana) ou e-mail [email protected]

    Doaes so destinadas diretamente ao hospital Nossa Senhora da Piedade

    Plenrio reinaugurado hoje, s 10h

    Depois de diversas re-clamaes de empresrios instalados prximos a uma empresa que produz adubo orgnico, em uma rea do Distrito Empresarial de Len-is Paulista, o proprietrio da empresa afirmou esta semana ao jornal Sabado do Povo que deve concluir at janeiro os investimentos necessrios para acabar com os proble-mas decorrentes da produo, como a fumaa e a fuligem geradas pelo processo. Pg. 5

    A cpula da Segurana Pblica est diante de dados contraditrios. Enquanto os nmeros de roubos em geral cresceram 14% no Estado em outubro, cravando o 17. ms seguido de alta do ndi-ce, os registros de roubos de carros, um crime com baixa subnotificao, caram 11% em relao ao mesmo ms de 2013. Os dados mostram ainda um aumento dos ho-micdios na capital (3,7%) e uma queda no Estado (1,8%) no perodo. Pg. 4

    |Mulher alvo principal da violncia no lar

    |Estado sofre com avano de roubospelo 17 ms

    Na semana em que se lem-bra o Dia Internacional da No-violncia contra a Mu-lher, 25 de novembro, dados oficiais mostram que as prin-cipais vtimas de violncia do-mstica em Lenis Paulista so mulheres, na faixa entre 19 e 59 anos. Nmeros da diretoria de Sade apontam reduo nas notificaes deste tipo de violncia relatadas pasta, geralmente atravs de agentes comunitrios. Este ano, at setembro, foram registrados 20 casos de mu-lheres vtimas de violncia domstica. Pg. 4

    Espao da Cmara passou por reforma e ser entregue hoje, com autoridades - Pg 3

    |Sinalizao desligadacoloca motorista em risco

    A sinalizao eletrnica da passagem em nvel da li-nha frrea da rodovia vicinal que liga Borebi rodovia Marechal Rondon (SP 300), est h alguns meses sem funcionar, assim como ou-tros dois pontos em Lenis Paulista, nas ruas Niteri e Cel. Joaquim Anselmo Mar-tins tambm no esto em funcionamento, tornando menos segura a passagem

    para veculos e pedestres. Segundo a assessoria da

    Amrica Latina Logstica, concessionria da via frrea, as sinalizaes citadas esto em fase final do processo de instalao. Seguindo acordo estabelecido com a Prefei-tura de Lenis Paulista, a empresa est realizando a instalao dos equipamentos, e o municpio ficar respon-svel pela sua manuteno.

  • OPINIO2LENIS PAULISTA, 29 DE NOVEMBRO DE 2014

    FALE CONOSCO CNPJ: 14.647.331./0001-22

    IE: 416.050.229.111

    Jornalista Responsvel: Tnia Morbi - Mtb: 52.193Redao e administrao Lenis Paulista

    Rua Andr Bacili, 45 Telefone (14) [email protected]

    CONTATO COMERCIAL: (14) 99658-9731Sugesto de Pautas: (14) 3263-1740

    Registrado no Cartrio de Registros de Pessoas Jurdicasde Lenis Paulista sob nmero 008 - Folha 15 - Livro B1

    TODOS OS ARTIGOS SO DE RESPONSABILIDADEDE SEUS AUTORES

    Tiragem: 3.000 exemplaresNa internet: http://issuu.com/billymao/docsCaderno DeCasaEmCasa: 20.000 exemplaresLenis Paulista - Borebi - Agudos - Macatuba

    Cntaro vazio pr. antonio carlos cabral

    bia Willcox

    Whatsapp, o delator

    railson rodrigues

    Imortais

    Sabado online: issuu.com/billymao/docs/

    Reflexo

    Charges do Jarbas

    Uma histria que contada, fala de um circo que chegou em uma cidade e se insta-lou fora do permetro urbano. Tudo estava preparado para uma grande estria, mas pouco antes o circo pegou fogo. O dono do circo enviou o palhao que j estava caracterizado, para pedir socorro na cidade. Apesar do seu empenho, todos pensaram se tratar de um expediente publicitrio, onde o palhao interpretava de forma magistral o enredo de uma suposta catstrofe. Todos riam, assim o circo foi reduzido a cinzas. O dono enviou a pessoa errada para a misso.

    Outra histria semelhante registrada nas Sagradas Escrituras, fala de uma mulher samaritana que teve um longo dilogo com Jesus em um encontro inusitado. Ao que parece, ela no gozava de boa reputao na cidade. No tinha marido. Antes tivera cinco e o homem com quem convivia no era seu marido (Os judeus sustentavam que uma mulher podia divorciar-se duas vezes ou no mximo, trs). Maravilhada com o desfecho do dilogo com Jesus, a mulher deixou ali o seu cntaro vazio e voltou a cidade anun-ciando ansiosamente que o Messias ou o Cristo estava prximo cidade.

    exemplo do palhao do circo, aquela mulher tambm no era indicada para a misso, porm a diferena estava na

    experincia vivida, que a fez esquecer o seu passado e a expresso de seu rosto, causaram impacto to grande que muitas pessoas creram nas suas palavras e tam-bm viveram suas experincias com o Salvador (Joo 4.4-42).

    A pessoa certa para a misso de teste-munhar de Jesus, no necessita de grande instruo teolgica. Necessita, sim de uma experincia com Ele. Algum como o cego de nascena, o qual foi curado por Jesus que disse: No sei se ele pecador ou no. mas uma coisa sei: Eu era cego e agora vejo. Sabemos que Deus no ouve pecadores, mas ouve aquele que teme e pratica sua vontade (Joo 9.25 e 31).

    Nas igrejas, muitas pessoas continuam com

    seu cntaro vazio. Encontraram Jesus, mas no se comoveram com o encontro. Conti-nuam com suas ocupaes. No que devam deix-las, mas que em encontrando a gua da vida, devem valoriz-la mais que qualquer outra coisa, subordinando personalidade e bens a Ele, antes de tentar domesticar o Evan-gelho, aculturando-o ao nosso estilo de vida.

    O Evangelho de Cristo um chamado a um compromisso, entretanto vemos a nossa forma de culto, como uma forma de carregar nossa bateria espiritual e assim continuar com nossos projetos como se nada de extraordinrio tivesse aconteci-do antes. Cristo passa a ter compromisso conosco que o de encher nosso cntaro, que nunca largamos. Assim levamos a vida sem entender o chamado.

    Quem conheceu Jesus, fala de Jesus e de sua importncia, deixando o cntaro, smbolo dos nossos objetivos pessoais. Vinde e vede um homem... e foram para onde Ele estava (Joo 4.29-30). Um cntaro vazio muito mais til para armazenar as bnos que precisam ser compartilhadas, do que nossos caprichos e discursos vazios do conhecimento divino.

    Antnio Carlos Cabral Bacharel em Teologia pela Faculdade Teolgica Batista Grande ABC.

    Houve um tempo em que eu no sabia que a palavra Ale-mo era substantivo que definia naciona-lidade de quem nasce na Alemanha. Nesse tempo eu sequer sa-bia que existia um pas chamado Ale-manha.

    Era muito peque-nino, praticamente um beb, no conhe-

    cia pases nem o mundo, mas conhecia um rapaz, cujo apelido era Alemo. um apelido comum em nosso pas, e usualmente atribui-se aos rapazes de cabelos e olhos claros.

    Mas antes de saber da existncia da Alemanha, s existia um alemo em meu mundo conhecido, e ele era muito prximo de mim e da minha famlia, sempre sorridente e prestativo. O Alemo est pre-sente em boa parte de minhas primeiras recordaes de existncia nesse planeta. uma dessas figuras que a gente acha que sempre existiu e das quais fica difcil imaginar o mundo sem elas.

    Outra pessoa que ficou gravada em minhas re-cordaes foi a professora Iza, de matemtica. Tive

    o prazer em conhec-la aos 12 e de voltar a ter aula com ela aos 15. A dona Iza conseguia ser rigorosa sem deixar de ser bem humorada em sala de aula. Ela sempre trocava meu nome na tentativa de me irritar talve