SEBRAE Estética Qualidade dos serviços - Postura profissional e normas técnicas

Click here to load reader

  • date post

    17-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    868
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of SEBRAE Estética Qualidade dos serviços - Postura profissional e normas técnicas

DICAS SEBRAESalo de beleza

Postura profissional e normas tcnicas

Recife, 2010 1

Conselho Deliberativo - Sebrae Pernambuco Banco do Brasil - BB Banco do Nordeste do Brasil - BNB Caixa Econmica Federal - CEF Federao da Agricultura do Estado de Pernambuco - Faepe Federao das Associaes Comerciais e Empresariais de Pernambuco Facep Federao do Comrcio de Bens, Servios e Turismo do Estado de Pernambuco - Fecomrcio Federao das Indstrias do Estado de Pernambuco - Fiepe Instituto Euvaldo Lodi - IEL/PE Servio Brasileiro de Apoio s Micro e Pequenas Empresas - Sebrae Secretaria de Desenvolvimento Econmico do Estado de Pernambuco - SDE Servio Nacional de Aprendizagem Comercial do Estado de Pernambuco - Senac/PE Servio Nacional de Aprendizagem Industrial do Estado de Pernambuco - Senai/PE Servio Nacional de Aprendizagem Rural do Estado de Pernambuco - Senar/PE Sociedade Auxiliadora da Agricultura do Estado de Pernambuco Universidade de Pernambuco UPE Presidente do Conselho Deliberativo Estadual Ricardo Essinger Diretor-superintendente Nilo Simes Diretora tcnica Roberta Correia Diretor administrativo-financeiro Gilson Monteiro Unidade Comrcio e Servios Coordenao tcnica e de contedo | Valdenice Ferreira Autora Adriany Rosa de Matos Carvalho Superviso editorial Unidade de Comunicao e Imprensa Sebrae | Janete Lopes (gerente) Comisso de Editorao Sebrae 2010 Ana Cludia Dias ngela Miki Saito Carla Almeida Eduardo Maciel Janete Lopes Jussara Leite Roberta Amaral Roberta Correia Silvana Salomo Tereza Nelma Alves Reviso Betnia Jernimo Fotos Flvio Costa | Lais Telles Projeto grfico e diagramao Z.diZain Comunicao | www.zdizain.com.br

APRESENTAO

O Sebrae em Pernambuco iniciou em 2010 um projeto voltado para o segmento da Beleza, com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento dos sales da Regio Metropolitana do Recife. A primeira ao com esse grupo foi a realizao de diagnstico visando conhecer o mercado da beleza e suas principais dificuldades. A partir desse estudo iniciamos as intervenes de melhorias nas empresas acompanhadas pelo projeto e, surgiu, ento, a ideia de elaborar quatro cartilhas tratando dos principais problemas enfrentados pelos empresrios deste segmento. As reas gerenciais abordadas nas cartilhas foram divididas da seguinte forma: Pessoas - Relaes Interpessoais e Desenvolvimento de Equipes; Atendimento - Cliente fiel: O grande segredo dos negcios; Qualidade dos servios - Postura profissional e normas tcnicas; Finanas - Boas prticas para a gesto financeira. Desejamos uma boa leitura desta cartilha e que ela contribua para o seu sucesso empresarial. Bom estudo!

De segunda a sexta-feira, das 8h s 20h

0800 570 0800

www.pe.sebrae.com.br

3

que o mundo de hoje das pessoas que fazem acontecer, daquelas que se comprometem, se engajam em causas justas, dos que tm vontade de aprender e ser cada vez melhor.

1 | POSTURA PROFISSIONAL: GARANTIA DE SUCESSO

E evitar o uso de bermuda, short e saia curta, bon, blusa decotada, barriga de fora, cala comprida de cintura baixa e muito justa, no comendo, bebendo ou fumando junto de clientes ou no local de atendimento.

De acordo com Adriany Carvalho (2010), a postura profissional o grande diferencial competitivo dos sales de beleza. Segundo um levantamento realizado pelo grupo Ikesaki, os clientes deixam de ir aos sales de beleza por diversos motivos, dentre eles: - 3% mudam de endereo; - 5% adquirem novos hbitos; - 9% trocam de estabelecimento devido aos preos altos; - 14% mudam de salo de beleza quando esto insatisfeitos com a qualidade dos produtos; - 69% procuram outro salo por causa da

m qualidade no atendimento, ou seja, da falta de postura profissional. Roberto Shinyashiki diz que o sucesso consequncia de um trabalho especial. Se voc faz o que todo mundo faz, vai chegar aonde todo mundo chega. Se quer alcanar um lugar diferente, precisa fazer o que a maioria no faz. Nesse sentido, apenas o conhecimento tcnico no basta. fundamental para os empresrios e profissionais do segmento de salo de beleza e clnica de esttica praticar com sensatez e competncia suas atribuies, buscando novas formas de agir que atentem para a conduta tica. Assim, to importante quanto ser especialista no que se faz ter uma boa postura profissional. Ningum est livre de cometer enganos, mas atentar para um comportamento formal evita deslizes que podem ocasionar a perda de clientes e do emprego, alm de prejuzo financeiro. Causar uma boa impresso fundamental. Ana Maria Martins (2010) ressalta

A postura profissional demonstra que a boa apresentao pessoal, tanto no que se refere a atitudes quanto ao modo de se vestir, o resultado do equilbrio entre o bom gosto e o bom senso. Assim, em relao apresentao pessoal, deve-se considerar que o salo de beleza e a clnica de esttica so locais de trabalho com profissionais que devem apresentar: - higiene e asseio pessoal (pele, cabelo, barba, bigode, pelos, mos e unhas); - dentes limpos e hlito saudvel; - perfume e desodorante suave; - maquiagem suave; - vestimenta, acessrios e adornos compatveis com a atividade; - fardamento na cor branca ou clara, inclusive para a cala comprida, que deve seguir este mesmo padro de cor; - sapatos fechados, pois no permitido o uso de sandlias, tamancos, chinelos etc.

4

5

- gua fornecida pela rede pblica e rede coletora de esgoto; - ralo do banheiro com tela milimtrica ou condies de fechamento;

2.1 | hIGIENIZAO DO AMBIENTE Pisos necessria a retirada imediata dos cabelos decorrentes do corte, a cada cliente. Mobilirio Deve ser limpo com gua, sabo ou detergente, por dentro e por fora. Banheiros Devem ser limpos com gua e sabo, desinfectando com gua sanitria. Em caso de dvidas, o Departamento de Vigilncia Sanitria da sua cidade pode fornecer as informaes necessrias sobre os procedimentos utilizados em sales de beleza e clnicas de esttica.

2 | ESPAO FSICO DO SALO DE bELEzA

- lixo colocado em sacos plsticos, balde com tampa e acionamento por pedal; - depsito ou armrio para materiais, equipamentos e produtos para o salo;

Em relao ao espao fsico, sales e clnicas de esttica devem respeitar e se adequar legislao sanitria vigente, seguindo as normas de boas prticas, para garantir ao profissional e seus clientes segurana e qualidade nos servios prestados, evitando riscos sade. Nesse sentido, sero necessrios: instalaes prediais livres de trincas, rachaduras e infiltraes; - qualidade nas instalaes, equipamentos, pintura, layout e decorao; - paredes e pisos lisos, impermeveis, resistente e de cor clara; iluminao que

proporcione conforto e boa visibilidade; - instalao eltrica suficiente para o nmero de equipamentos, uma vez que o uso de extenses ocasiona sobrecarga na tomada e pode causar curto-circuito. Tambm os fios eltricos devem estar embutidos; - ventilao natural ou artificial adequada, que garanta um ambiente agradvel; - ambiente confortvel e seguro, incluindo se possvel uma rea para estacionamento ou manobrista; - higiene dos equipamentos e do ambiente; - mveis e utenslios resistentes e impermeveis, a fim de proporcionar uma boa higienizao e desinfeco; - banheiro com pia, gua corrente, sabo lquido, papel toalha, lixeira com tampa e acionada por pedal; - depsito ou armrio para produtos e equipamentos de limpeza; - rea para funcionrios organizada, limpa, arejada, iluminada e com nichos individuais para guardar pertences pessoais; - copa/cozinha exclusiva para alimentos; - televiso com aparelho de DVD e som compatvel com o ambiente. Evite os canais abertos e programas de cunho policial, trgico, esportivo, poltico e religioso, a no ser que atenda a uma solicitao do cliente; - gua mineral, caf ou ch. importante evitar cortinas, estantes com livros e objetos, vasos de plantas, aqurios abertos e outros adornos de difcil higienizao, na rea de atendimento (ou tratamento) ao cliente.

6

7

4 | bELEzA COm SEGURANA

3 | mANUAL DE ROTINAS E PROCEDImENTOS

Com a finalidade de padronizar os servios, os espaos da beleza devem adotar um Manual de Rotinas e Procedimentos, que um roteiro descritivo de cada servio prestado, mostrando o passo-a-passo e as recomendaes sobre as atividades a serem executadas. Assim, o manual deve abordar as seguintes rotinas de trabalho: - tingimento ou relaxamento de cabelos; - depilao; - tratamento esttico; - podologia; - cuidados com os instrumentos de trabalho (toalhas, pentes, escovas, esterilizao de alicates e orientaes relativas higienizao do ambiente de trabalho).

Vale ressaltar que os produtos utilizados para embelezamento pertencem categoria dos cosmticos e so regulamentados pela Anvisa. Portanto, antes de utilizar um produto em seu cliente, procure no rtulo o nmero de registro do Ministrio da Sade. Outrossim, o rtulo do produto dever conter as seguintes informaes: - nome; - marca; - lote; - prazo de validade; - contedo; - pas de origem; - fabricante/importador; - composio; - finalidade.

Todos os instrumentos utilizados por cabeleireiros, manicures, pedicures, depiladores e esteticistas devero ser previamente limpos, desinfetados e esterilizados, conforme indicao para cada tipo de material, com a finalidade de propiciar maior segurana ao cliente e evitar a propagao de doenas infectocontagiosas, tais como: - Aids ou Sndrome da Imunodeficincia Adquirida (doena resultante da infeco pelo hIV - Vrus da Imunodeficincia humana, que ataca e destri as defesas do corpo, levando a pessoa morte. importante saber que pessoas infectadas pelo HIV podem ter um aspecto sadio); - hepatite C (inflamao do fgado causada pela infeco do vrus hCV. Tal inflamao ocorre na maioria das pessoas que adquirem o vrus e, dependendo da intensidade e do tempo de durao, isto pode ocasio-

nar cirrose e cncer de fgado); - hepatite B (inflamao do fgado causada pelo vrus hBV. Segundo o site de hepatologia Mdica,