Sindnotícias Agosto 2014

download Sindnotícias Agosto 2014

of 8

  • date post

    02-Apr-2016
  • Category

    Documents

  • view

    215
  • download

    1

Embed Size (px)

description

Jornal do Sindsaúde-RN (Sindicato dos Servidores em Saúde do Estado do Rio Grande do Norte).

Transcript of Sindnotícias Agosto 2014

  • Agosto 2014

    www.sindsaudern.org.br

    Servidores da sade de Natal recusam acordo para repor grevePrefeito e secretrio Cipriano descontaram salrios.(Pg. 3)

    (Pg. 4 e 5)

    (Pg. 6)

    Mudanade nvel publicada

  • PELO ESTADO

    No dia 29 de julho, um ato em solida-riedade ao povo palestino e em repdio ao genoc-dio promovido por Israel aconteceu na Praa Kennedy, em Cidade Alta. Os manifestantes pediram para que

    o governo Dilma rompa relaes diplomti-cas e econmicas com Israel. Desde o dia 8 de julho, j morreram mais de 800 palesti-nos, sendo 200 deles crianas. A populao est sofrendo com bombardeios dirios, falta dgua e de comida.

    No dia 23 de julho, servi-dores dos hospitais Joo Machado e Maria Alice foram surpreendidos com cartazes avisando que as refeies aos servidores no seriam fornecidas, por falta de paga-mento aos fornecedores. A Sesap fez o pagamento de parte da dvida e as refei-es foram garantidas, mas a situao ainda preocupa, pois restam dvidas e novas ameaas de abastecimento no esto descartadas.

    PGINAS CENTRAIS - A falta de verbas na sade estadual

    Em torno de 1.200 pessoas compare-ceram ao SESI Natal no dia 5 de julho para celebrar o Arrai da Sade. A tradicional festa junina promovida pelo Sindsade contou com comidas tpicas, churrasco, forr p de serra, alm de uma animada quadrilha, ani-mada pelo coordenador em exerccio do Sindsade, Manoel Egdio Jr. No fi-nal, ainda foram sorteados 10 balaios.

    POO BRANCOGreve - Em 18 de junho, os servidores da sade de Poo Branco encerraram a primeira greve da sade da histria do municpio. A categoria cobrou a implan-tao do PCCS da catego-ria, aps 7 anos de atraso. Foram apenas 3 dias de greve, j que a prefeitura apresentou uma proposta satisfatria de implanta-o do PCCS.

    SO GONALO DO AMARANTEEleies - Com 205 votos, a chapa Unio, Re-sistncia e Luta. Independente dos Governos, foi eleita para a diretoria do ncleo do Sind-sade de SGA. A chapa foi a nica a concorrer ao pleito que contou com 208 votantes, nos dias 10 e 11 de junho.

    MOSSORParalisao - Em junho, os servidores da sade de Mossor fizeram uma paralisao de 24 horas pelo reajuste salarial de 20%, ampliao na es-trutura das unidades bsicas e convocao dos concursados. O reajuste de 6% dado pela prefeitura este ano foi inferior s perdas salariais. Aps a paralisao, a prefeitura formou uma comisso para negociar com o Sindsade e o Sindiserpum a reviso do PCCR da sade.

    SINDICATO DOS SERVIDORES DA SADE DO RIO GRANDE DO NORTEAv. Rio Branco, 874 Cd. Alta - Natal Atendimento: 07h30 s 18h (sem intervalo) Tel: 4006.2950; 9924.6717 E-mail: secretariasind@hotmail.com

    CURTA O SINDSADE NO FACEBOOK Facebook.com/sindicatodosservidoresdasaudedorn www.cspconlutas.org.br Comunicao Sindsade-RN: Gustavo Sixel, Renato Medeiros Cordeiro e Danielle Galvo (Estagiria)

    Refeies ameaadas

    No dia 2 de julho, o Sindsade e o Sintest fizeram uma entrega de doaes aos desa-brigados de Me Luiza, vtimas das chuvas em Natal e do descaso dos governos. A campanha arrecadou gua potvel, mate-rial de limpeza e higiene, fraldas e roupas.

    Solidariedade em Me Luza

    Animao, quadrilha e sorteio de balaios no Arrai da Sade

    Ato pelo povo palestino

    www.sindsaudern.org.br

    PARNAMIRIMAps a greve de 47 dias, suspensa em julho, os servi-dores seguem pressionando pelo Plano de Cargos da sade, que deveria ter sido implantado em 2012. A Secretaria de Sade, diante do Ministrio Pblico, garan-tiu que iria cumprir os prazos e contratar uma consultoria. O Sindsade enviou ainda carta aos vereadores, e cobra a votao do PCCS neste ano.

  • A Secretaria de Sade de Natal vai implantar a Gratificao de Planto Adicional (GPA), se-melhante aos plantes eventuais, usados pelo governo Rosalba. O Sindsade foi contrrio, e denunciou aos vereadores que a medida serve para ocultar o dficit de pessoal nas unidades, em vez de resolver o problema, com o concurso pblico, prometido para junho deste ano. A GPA foi aprovada, mas com um prazo de seis meses, renovvel por mais seis, at o concurso.

    Cipriano adia concurso e recorre a plantes extras

    Natal

    Clia Dantas, diretora do SindsadeO desconto nos salrios foi poltico. O motivo? Os servidores da sade voltaram a lutar: Desde 2013, foram vrios atos e greves. Isso no interes-sa Prefeitura, que prefere sindicatos parceiros. Aps a greve deste ano, a Prefeitura resolveu nos punir, para evitar novas greves. O desconto foi para que a gente fique com medo de lutar, para que a gente ande de ca-bea baixa. Aceitar a reposio do dias seria admitir que no se pode mais lutar. Estariamos dando um cheque em branco para que, em toda greve, o governo queira descontar dias. Por isso dissemos no.

    Sindsade no aceita reposio e vai restituir descontos da greve

    A Prefeitura no vai nos calar!

    3

    Dinheiro para ajudar quem foi descontado vir da arrecadao regular do sindicato e com o aumento de 0,25% da contribuio sindical, por quatro meses

    A Prefeitura de Natal revive a dita-dura e, assim como outros governos, trata greves como se fossem crimes. O secretrio Cipriano agora acha que o servidor que faz greve tem que re-por. Por isso descontou at R$ 1.600 no salrio e quer repetir a dose.

    O Sindsade vai continuar lutando na Justia para que a Prefeitura de-volva o dinheiro descontado e far um ato pblico no TJ, no dia 27. Mas, como no se pode confiar na rapidez e na de-ciso da Justia, no podemos deixar que os servidores que foram descon-

    tados, que lutaram por todos, fiquem sozinhos, enfrentando dificuldades.

    Por isso, a nossa assembleia do dia 14 aprovou que estes servidores tero o dinheiro de volta, at a deciso da Justia. Para isso, a maior parte vir do prprio sindicato, mesmo que tenha que tomar emprstimos. Como o valor muito alto, foi aprovado ainda um au-mento temporrio de 0,25% na men-salidade sindical, por quatro meses. Os servidores que no concordarem com a taxa de solidariedade, podero reaver o valor descontado a mais. g

    Quem assinou, foi com a faca no pescoo

    Carlos Eduardo Alves e Cipriano Maia impuse-ram a reposio dos dias, mes-mo negada pela Justia. Depois, a SMS buscou um a um os servi-dores, ligando para celulares fora do horrio de trabalho, pressio-nando para que todos assinassem um acordo, aceitando repr os dias. At mentiras foram ditas, como a de que a greve teria sido declarada ilegal ou que os sindicatos teriam assinado o acordo para a reposio.

    A maioria das 520 pessoas reuniu foras e recusou o acordo. Mesmo quem assinou, o fez com a faca no pes-coo, preocupado com contas a pagar, com familiares. Compreendemos a situa o destes colegas e chamamos a que desconsiderem o acordo assinado.

    O importante nesse momento a unio e solidariedade da categoria - de quem assinou, no assinou, at de quem no participou efetivamente desta greve - para as prximas lutas.

    Na pg. 8: A luta pelas 30 horas.

  • Capa

    No governo Rosalba, a sade viveu anos de caos. Nos dois primeiros anos, foram cerca de 6 mil mortes no Walfredo Gurgel, mdia de cerca de 200 mortes por ms. Muitas poderiam ter sido evitadas.

    Na reta final, a gesto tentou maquiar a super-lotao e a falta de leitos, esvaziando os corredores dos hospitais, mas a falta de itens bsicos, como macas, e tambm de pessoal para trabalhar mostra que o caos continua. O dficit de servidores ainda de 2.000 pessoas (pgina 7).

    Rosalba no poupou nem as crianas e fechou as pediatrias dos hospitais Santa Catarina e Deoclcio Marques, em 2013, e tentou repassar hospitais regionais a municpios sem condies de assumir.

    Foram quatro anos de desrespeito aos servi-do res. Rosalba atrasou pagamentos, no cumpriu

    Planos de Cargos, ignorou pro-gresses e licenas, aban-

    donou municipalizados e os terceirizados tiveram que parar vrias vezes para receber o salrio!

    O funcionalismo reagiu com muitas greves e pas-seatas e chegou a acampar

    em frente casa da go vernadora. O que

    se conquistou foi re-sultado das lutas.g

    Em quatro anos, o investi-mento em sade s diminuiu, o que aprofundou o caos nos hospitais. Em 2011, o governo investiu 15,57% do Oramento em sade. De l para c, esse nmero s fez cair e, em 2013, foram apenas 13,8%, sendo que o limite mnimo de 12%.

    S no primeiro semestre, a Sesap teria deixado de rece-ber cerca de R$ 59,5 milhes do Estado, quando deveria ter recebido pouco mais de R$ 102 milhes. Por ms, a Sesap, que no tem autonomia finan-ceira e depende do repasse da Seplan, precisa receber R$ 40 milhes, mas a Seplan s es-taria repassando, em mdia, R$ 16 milhes por ms.

    As dvidas crescem. Para a Sade de Natal, o Estado es-taria devendo R$ 40 milhes.

    O estado tambm deve a fornecedores e cooperativas mdicas, que suspenderam cirurgias e procedimentos, aumentando a fila nos corre-dores e a espera por cirurgias.

    A falta de pagamento ameaa a alimentao e at

    a sade dos servidores. Tc-nicos de Raio-X trabalham desde junho sem poder medir a radiao a que so expostos, por dvidas com as empresas.

    PARA ONDE FOI O DINHEIRO DA SADE

    Enquanto isso, as parcelas mensais da dvida com a OAS, construtora da Arena das Dunas, esto em dia. Ao todo, o estdio custar R$ 1,3 bilho. Os cargos comissionados, que subiram no governo Rosal-ba, no foram cortados. Fica clara quais so as prioridades do governo.g

    ROSALBA GASTOU NA COPA E AGORA NO TEM DINHEIRO PARA A SADEO LEGADO DE ROSALBA

    Caos no atendimento,fechamento de servios e servidores desrespeitados

    Com 92% de rejeio, o governo de Rosalba Ciarlini (DEM) vai chegando ao fim, deixando a Sade entregue ao caos. Nas ltimas semanas, a imprensa noticiou a falta de verbas na sade estadual e a crise que j vem provocando. A falta de recursos que o governo anuncia contrasta com o endividamento assumido por conta de trs jogos da Copa, em es